NOVO RENAULT TWINGO TERÁ TRAÇÃO TRASEIRA

Fotos: divulgação


Eis que em breve chega, ao menos para os países desenvolvidos, uma novidade que fará reavivar o debate sobre onde deve estar o eixo de tração de um carro. Minha opinião bate com a do MAO, que em seu recente e elucidativo post opina que tanto faz qual eixo tracione; traseiro ou dianteiro, ambos funcionam bem, desde que o projeto tenha sido bem feito.

Mas a atual quase unanimidade da configuração de motor dianteiro com tração dianteira está maçante. O novo Renault Twingo, que em breve estará à venda na Europa, virá com motor e tração traseiros. Ufa! Finalmente descobriram que dá para voltar a fazer algo além da configuração reinante para os carros do dia-a-dia.



Entre os argumentos de venda, a Renault que ele é muito ágil, ideal para o percurso urbano e com incrível manobrabilidade. O fato de não ter as semi-árvores de tração na dianteira permite que suas rodas estercem mais, portanto seu diâmetro mínimo de curva é diminuto. 

Quanto à sua distribuição de peso sobre os eixos, não é de se esperar que ele venha com motor "pendurado" na traseira como o Porsche 911, por exemplo, que tem um 6-cilindros boxer longitudinal nessa posição. No caso do Twingo será um pequeno e leve 3-cilindros que irá na transversal e localizado quase que sobre o eixo traseiro, portanto com um mínimo de balanço atrás.



As notícias ainda estão limitadas, pois a Renault está deixando para revelá-lo por completo no Salão de Genebra, na Suíça, que abre no dia 4 de março. O Bob estará lá e contará tudo a respeito deste novo Twingo.     

O que se sabe é que compartilhará a plataforma com o novo Smart de dois e quatro lugares — o desenvolvimento foi conjunto com a Daimler (Mercedes-Benz) — que será lançado em breve com configuração hatchback de quatro portas, sendo que as de trás serão disfarçadas, com a maçaneta de abertura camuflada junto à janela, um artifício de design inventado por Giorgetto Giugiaro para o Alfa Romeo 156 e que faz um 4-portas parecer um cupê.

O que se especula, já que ainda não há nada oficial, é que terá um motor 3-cilindros de 0,9 litro, turbo, a gasolina, que renderá ao redor de 90 cv, e será posicionado num ângulo de inclinação de 20º para trás. Dizem também que não haverá a opção de motor Diesel, uma porque não ele caberia, outra porque este pequeno 3-cilindros já é bem econômico.



Apesar do Twingo ter boas vendas — só na França vendeu 39.000 unidades em 2013, enquanto o Fiat 500 vendeu 16.000 —, a Renault não deitou nos louros e com o novo Twingo já se prepara para enfrentar o que vem por aí, como o novo Peugeot 108 e o Toyota Aygo. As cores, por enquanto, serão quatro, felizmente todas alegres: azul claro, vermelho, amarelo e branco.



Outro argumento para essa configuração é a questão de segurança passiva. A Renault afirma que em caso de colisão frontal não haverá um motor para invadir o habitáculo. E mais outros dois, ao menos: por não ter o peso do motor sobre o eixo dianteiro a direção ficará naturalmente mais leve, com possibilidade de dispensar assistência hidráulica ou elétrica, o que, mesmo que pouco, ajuda na economia de combustível. E caso os mais franzinos ainda assim a queiram, ela certamente demandará menor potência. Outra vantagem é que o habitáculo será mais fresco. Lembro bem do toque que o Bob me deu sobre o Fusca ter o interior fresco por não ter um motor adiante. O calor produzido é lá atrás e de lá vai embora. Não tem motor nem tubo de escape esquentando a parede de fogo e o assoalho. No caso do Novo Twingo, parece que o radiador será na frente, uma vez que nas fotos não se notam tomadas de ar para o compartimento do motor.. Não será como nos antigos Dauphine/Gordini e Interlagos, que os tinham atrás; mesmo assim, esse calor provindo do radiador é de menor importância quando comparado com os citados acima. Essas são algumas das vantagens. Desvantagem, ao que parece, não há nenhuma.

Este autoentusiasta aqui saúda a novidade, já que a diversidade de ofertas sempre é benéfica. Agora, o que mais me agrada de tudo isso é que ficou ainda mais fácil fazer aquele esportivo barato que há pouco voltei a pedir em recente post. O caro leitor veja só: não tendo um motor de cilindros em linha na dianteira fica mais fácil termos uma frente mais em cunha, mais aerodinâmica, e usando essa mesma plataforma basta eliminarmos os bancos dianteiros e usarmos somente os dois bancos traseiros para termos um pequeno e barato esportivo de dois lugares com motor e tração traseiros. Isso tudo me faz lembrar dos Renault Alpine A108/A110, e me dá esperanças de que apareçam carros mais divertidos para um maior número de autoentusiastas, não só para os milionários que podem comprar Ferrari, Maserati, Porsche, Lotus etc.

Agora é torcer para que a “nossa” Renault resolva trazê-lo...

AK

Algumas fotos dos saudosos Alpine:

Nem me fale, nem me fale...
Alpine A110, literalmente "aerodinâmico"
Fábrica em Dieppe (1970)
Conhece essas rodas? (Le Mans,1965)
Um lugar em que todo autoentusiasta gostaria de estar (1976)
Carlos Ghosn, presidente da aliança Renault-Nissan, um brasileiro de visão







124 comentários :

  1. Fiat 500, é você?

    ResponderExcluir
  2. Rafael Ribeiro20/02/14 12:17

    Tomara que venha para o Brasil, já gosto do Fiat 500 e UP!, mais uma opção de pequeno carro urbano nunca é demais... Na Europa, esta categoria está repleta de interessantes opções.

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito do carrinho mas, na minha humilde opinião, não deve vir para cá. Espero estar errado...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente não virá mesmo Portuga, porque brasileiro gosta é de Dacia, não de Renault.
      Afinal, carros franceses não prestam, não é mesmo?

      Excluir
  4. A postura dos fabricantes por aqui ,tem sido lançar mais do mesmo ,receita criada pela VW,adotada pela Renault e Fiat ,curiosamente a VW lança o completamente novo UP, que acredito vendera bastante e ele retomara a liderança hoje ocupada pela Fiat,seria muito bom se todos os fabricantes alinhassem sua oferta de produtos com o que fabricam e vendem lá fora.

    ResponderExcluir
  5. Esse Twingo branco da abertura é uma versão esportiva ou as faixas são apenas um kit decorativo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo,
      não sabemos. O carro nem foi lançado ainda. As informações são poucas.

      Excluir
  6. Caracas, que lindo esse Fiat 500 novo!, não péra! kkkkkk
    Se chegar com preço de Fiat 500 no Brasil, vai vender razoável.
    O problema do povo aqui é pegar um carro pequeno, colocar 5 pessoas + malas + cachorro + papagaio e pegar a estrada a 80km/h na faixa da esquerda...
    Mas a cada dia vemos mais e mais SUV's com 1 ou 2 pessoas dentro andando nas ruas de SP.
    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. FIAT 500 "brasileiro", na versão mais básica possui motor 1.4 8v que gera 88cv (álcool) a 5750 rpm, na versão mais bacana possui um motor 1.4 16v de 107cv (álcool) a 6250rpm, é um carro que hoje pesa 1093kg e um coeficiente, na sua versão mais interessante, de 10,2kg/cv, o que é pouco, bem pouco. Sua velocidade máxima é de nominais 184km/h o que o torna um carro muito bom para carregar 4 ocupantes (lotação máxima) e velocidade regulamentar, seja na pista da esquerda ou não, e ainda ultrapassar muitos carros maiores cujos números não são tão bons. De brinde, vem o carisma do carro e um conjunto de suspensão digno de trackday. Lembrando também dos 500 "poloneses" que vieram em 2010 e possuíam números ainda mais interessantes, além de 6 marchas para brincar com gente grande.

      Excluir
    2. Tenho um 500 lounge "made in Poland", o motor é 1.4 16v com 100HP e cambio automatizado duallogic de 5 marchas.

      Excluir
    3. Tenho um Lounge 2010, manual 6 marchas, faz um ano que comprei o carro e sou muito contente, resalvo a última marcha que deveria ser mais longa

      Excluir
  7. Torcer é o que mais faço, e não estou falando da Copa do Mundo, que ainda que o Brasil ganhe (embora eu torça mesmo para que não ganhe, como castigo para esse povinho que só pensa em "circo"), terá sido uma verdadeira desgraça para o país em si. Torço mesmo é pela vinda deste Twingo, do Peugeot 108, e do Opel (aqui seria Chevrolet) Adam, entre outros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mr. Car acho pouco provável a vida destes carros para nosso país, em especial o do Adam, a GMB simplesmente cortou qualquer vínculo/histórico com a Opel. :(

      Excluir
  8. Corsário Viajante20/02/14 12:45

    Pelo visual, não me despertou o interesse. Mas pelas soluções "não convergentes" sim.
    Acho que aqui faria um bom sucesso com preços entre Up! top de linha e 500 de entrada.

    ResponderExcluir
  9. Arnaldo,
    ótima notícia. Cada vez mais aprecio a Renault.
    Espero que venha logo, e com versão básica bem baratinha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas JJ acredito que voce aprecie a Renault francesa.
      Aqui no Brasil e só Dacia, exceto Megane e o cansado e defasado Clio
      Saudações

      Excluir
  10. Pois é Arnaldo,
    Ufa! mesmo, e que bom que resolveram sair da mesmice. Demorou, desde o ensaio do UP! com motor traseiro, passando pelo Tata Nano que reintroduziu o antigo conceito de tudo atrás.
    Bem vindo seja o Twingo e que tenha bem mais sucesso que o Nano.
    Se vier para o Brasil, compro um com certeza. Acho muito mais divertido o conceito do "Fusca".


    Valeu, ótima notícia, excelente post.

    P.S.: Arnaldo, no trecho "O Bob estará lá e contará tudo a respeito deste novo..." não seria Twingo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Romulo
      Claro, Twingo e não Clio. Acrescentei a informação sobre eu ir a Genebra troquei as bolas. Já corrigi.

      Excluir
    2. Bob,
      Que bom que você vai estar lá Genebra. Assim, teremos uma bom panorama dos lançamentos.
      Sobre o novo Twingo, quando soube de que teria motor traseiro, lembrei e reli o texto que você publicou na Fusca & Cia, n.º 25 a respeito da informação de capa da "Auto Bild" de que a VW teria um carro pequeno com motor traseiro - "Sonho Realizável" na seção História & Técnica. Esclarece bem as vantagens dessa configuração casada com os recursos modernos. E o melhor, agora, sete anos depois, tem revalidada a expectativa da reintrodução do motor traseiro em um carro relativamente acessível, só mudou o fabricante, claro. Estou na torcida de que o novo carrinho da Renault venha para o Brasil.

      Excluir
  11. Visual genérico mas bem resolvido, mas a configuração mecânica é pra estimular qualquer um....drift urbano?*

    MFF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MFF
      No molhado, talvez. Drift com cerca de 90 cv, no seco, não dá.

      Excluir
    2. Exato Bob; na verdade eu pensei em rotatórias molhadas, ou esquinas livre com calçamento em pedra.

      Drift por drift eu não curto como usualmente é apresentado, sobre asfalto seco, que maltrata pneus e suspensões, mas penso mais em um comportamento farrista em terrenos de baixo atrito.

      Nessas condições, o carrinho vai virar um brinquedo para quem souber escolher os lugares certos para transformar comprimento em largura.

      MFF

      Excluir
    3. Num video do top gear, apresentando o GT-86 jeremy clarkson faz um drift a meros 40 km/h, e ele disse que isso era graças ao baixo atrito dos pneus...
      tudo bem que o subaru se não me engano tem o dobro da potencia, mas será que pneus de baixo atrito e o torque alto (pelo turbo) não permitiriam alguns pequenos drifts?
      Afinal já vi no youtube nego pondo bandeja do mac donalds nas rodas traseiras de um mille e fazendo powerslides, o que mostra que a questão é mais de atrito.

      Acho que o maior entrave é o entreeixos curto, não permitiria pendular o suficiente pra ter um drift, talvez aconteceria igual os vozinhos franceses do passado (essa configuração era semelhante ao T16? ) que era muito arisco em curvas, ou ia reto, ou rodava...

      Excluir
    4. Questão de atrito: pouco...funciona, por isso até com motor pequeno pode rolar um powerslide. Mas será seguramente em segunda marcha, provavelmente não em terceira....

      Entreeixos curto te faz rodar mais facilmente, certamente...lembro que era complicado brincar com um Vitara.

      MFF

      Excluir
    5. Pessoal amante do Drift criou uma formula muito interessante para carros FWD, é tipo uma capa de plastico duro colocado nas rodas traseiras que diminuem consideravelmente a aderência dessas rodas, resultado são Drifts quase como se fosse RWD !!!!

      Excluir
  12. Fiquei curioso em conhecer mais do carro. Sistema de arrefecimento (radiador + condensador + ventoinha) lá na frente, mangueiras de radiador e tubulações de A/C irão requerer projeto cuidadoso. E o porta-malas aonde e de que tamanho será? Será competitivo nesse quesito? Aguardemos o lançamento!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo indica que poderemos ter dois porta-malas, sendo um menorzinho na frente.

      Excluir
  13. "O Bob estará lá e contará tudo a respeito deste novo Clio"

    "Cuma?"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CCN 1410
      Foi erro meu, não do Arnaldo. Acrescentei a informação de eu ir a Genebra, pensei num nome e escrevi outro. Já foi corrigido.

      Excluir
  14. Espero que os bancos virem cama como acontecia na versão vendida em terra brasilis 20 anos atrás

    ResponderExcluir
  15. HÔ HÔ HÔ,

    Até que enfim.

    Preços honestos, vendas em alta.

    Ah! Cadê as medidas?

    ResponderExcluir
  16. Imaginem só vir um carro com essa configuração, motor traseiro e tração idem, um 1.4 ou 1.6 turbo, carroceria aerodinâmica, esportivo, com nada de eletrônica embarcada além de talvez ABS, EBD e direção assistida? Sonho meu... Kkkkkkkkkkkk...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dispense ABS e EBD, além da direção assistida (desnecessária para um carro leve e com peso maior na traseira), coloque um motor boxer 1600 com um par de Weber 40, coletores trabalhados, escapamento livre, pneus largos... Aí terás um Fuca pra assustar muito carrão muderno por aí, hehehe.

      José

      Excluir
    2. Deveria ser lindo mesmo. Acho que só de aumentar a turbina e fazer uma mudanças pequenas aqui e ali neste motor ele deve subir a potencias interessantes...mas mudando um pouco vc tava falando de motor Turbo e eu lembrei do 0.9SEG TwinAir....o que a Fiat fez para ter um 2 cilindros que chega a ter 105cv com Turbo ?!?!??!?! Esse tem um cilindro a mais, também com turbo e potencia na casa das 90...obvio que ele deve ir além, e a Fiat ainda não tem versões que use o 0.9 com 105cv, mas me faz perguntar onde chegaria o 0.9SEG da Fiat....

      Excluir
  17. Acho que não vem para o Brasil, não tem nas cores preto nem prata.....

    ResponderExcluir
  18. A Renault na Europa tem carros incríveis. Sinceramente não consigo entender porque não trazem o Megane hatch, para concorrer entre os médios Golf, Focus, i30 e Cruze, o Megane sedan no lugar do Fluence e o Clio europeu para concorrer entre os "compactos premium". São ótimos produtos e acho que agradariam ao brasileiro.

    ResponderExcluir
  19. Pelo que me consta o Alfa Romeo 156 foi desenhado pelo Walter de Silva, mas o Giorgetto Giugiaro retocou ele alguns anos depois, deixando ele com uma cara mais brava, dando origem ao 159.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só para lembrar que essa solução de maçaneta traseira do 156, do 159 e do novo Twingo tem sua origem na Pathfinder de primeira geração, só deixando de existir na atual geração da especificação americana (a mundial, baseada na Frontier, mantém a tradição da maçaneta diferente).

      Excluir
    2. Essa eu não sabia. Nada se cria e tudo se copia. Na certa a Nissan copiou de outro ainda mais antigo.
      Obrigado por dar esse toque.

      Excluir
  20. Que cores lindas do Alpine .

    ResponderExcluir
  21. É uma pena não ser fabricado aqui. Se fosse, poderia custar uns 40mil. Faria alegria de muita gente.

    ResponderExcluir
  22. Países desenvolvidos?
    Definitivamente não é o caso do Brasil.

    ResponderExcluir
  23. Seo Arnaldo, já tive gordini, aos 15 anos e capotei por incompetência. Depois de 50 cavalos de pau no barro da represa, fui dar um no asfalto. Fatal. Já tive fusca, ambos eram frescos na cabine e mesmo assim, quando voltava dos rodeios na madrugada fria , eles ficavam quentinhos. Punha criança pra dormir no cocho de trás. Rodava mais de 100 km na madrugada. quem gosta de viajar longas horas de noite sabe como qualquer carro fica mais esperto.
    Acreditei no up com motor atras, não veio e virou só um facelift do LUPO de 2005. O motorista comum não sabe controlar um bicho desses. Esse twingo ai, também não acredito. Já tem o smart forfour, aumentar mais a plataforma vai virar? Vai trazer todos os gremlins do smart pra aprendiz de condutor não rodar ou perder a frente? Carro que só agrada a entusiastas não vende. Tem que nivelar por baixo, pela grande massa indiferente. Se vier, quero um.

    ResponderExcluir
  24. Eu, proprietário e usuário diário de um twingo 98 fiquei muito feliz com a noticia deste novo twingo...e nem sabia dessa do motor traseiro! Saudades do Gurgel x12 do meu pai, carrinho fantástico de dirigir, fazia baliza como poucos e dias de chuva era divertidíssimo de dirigir!

    ResponderExcluir
  25. O Arnaldo falou que este tipo de configuração não teria desvantagens.Mas a capacidade de carga/volume(porta malas) na frente não seria prejudicada em relação a tração dianteira?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Arnaldo não é engenheiro, porque se fosse não falaria uma bobagem dessas, afinal uma das premissas básicas da engenharia é o compromisso nas soluções. Impossível haver só vantagens, o MAO, AA, JJ, entre outros do AE nos ensinam isso a anos!

      Excluir
    2. Lauro e Leonardo, se vocês querem carro para carregar coisas, escolham outro carro. Não sou engenheiro, mas isso dá pra eu saber.
      Estou falando de um pequeno carrinho que pinta ser divertido para um autoentusiasta.
      Já viram o tamanho do carro? Não foram divulgadas suas medidas, mas é tipo um Fiat 500, portanto, não é um modelo próprio para carregar coisa nenhuma.

      Excluir
    3. Alguém aí se esqueceu da Variant...Motor traseiro, banco rebatível e espaço para malas a frente e atrás...

      Excluir
    4. Não seja por isso! Tem a Kombi 1200 também. Motor traseiro, muito espaço e economia.

      Excluir
    5. Porque alongaram o Up!?

      No Brasil carro que não serve pra tudo, só serve como carro de nicho.

      Excluir
    6. Para aumentar a capacidade do porta-malas. No alemão é 250 litros sem ter estepe, aqui a VW decidiu que teria estepe 100% operacional e considerou que o mínimo aceitável para porta-malas no nosso mercado é 285 litros. Decisão mais do que acertada.

      Excluir
    7. Virou apenas mais um hatch no rebanho, saiu do conceito. Carro desse nicho, só importado pra se manter no projeto, nem o bem vendido Ka teve sucessor. Vamos esperar o Twingo, ou o "nosso" Twingo.

      Excluir
    8. Leonardo Paatori
      Perdeste uma ótima oportunidade de ficar caladiinho e nao nao escrever besteira
      Pelo visto de engenharia nao sabes nada....

      Excluir
    9. Lauro, pelo que dá a entender, esse novo Twingo terá sim porta-malas traseiro, graças à inclinação do bloco do motor, de maneira a abaixar a plataforma traseira de carga. Note a altura em que está o batente da tampa traseira e veja que não é mais alto do que o que costumamos ver em outros hatches. Logo, é possível que neste caso tenhamos mais espaço em relação a outros hatches de mesmo tamanho.
      Ao Arnaldo Keller e ao Anônimo de 20/02/14 21:03, vamos lembrar que o novo Twingo, bem como iniciativas anteriores como Mitsubishi i e Tata Nano, tem como vantagem em relação à Variant e à Kombi o fato de o motor não estar pendurado atrás do eixo traseiro. Logo, temos a vantagem da boa distribuição de peso típica do motor central-traseiro, sem a formação daquele paredão atrás como ocorreria se esse motor fosse em pé (pense aí em um Dardo, Toyota MR2 e outras coisas). Isso é conseguido inclinando-se o bloco de maneira que o cabeçote do motor fique praticamente sobre o diferencial. Já que se falou de Kombi, há o fato de nesse Twingo podermos esperar uma distribuição de peso bem invariável, uma vez que a maior parte do peso fica entre ou sobre os eixos, em vez de adiante deles (como ocorre na Kombi e seu motor para além do eixo traseiro).

      Por fim, como o Bob disse, a solução da VW para o up! daqui foi boa, pois ao mesmo tempo que permitiu estepe operacional, aumentou a capacidade de bagagens sem que acrescentasse muitos centímetros no comprimento do carro. O up! daqui tem 3,60 m de comprimento, contra os 3,54 m do europeu. Para efeito de comparação, o up! brasileiro é só 1 cm mais comprido que um Picanto. E já que falamos de Picanto, que a VW daqui arrume urgentemente alguma solução para as portas traseiras, pois em que pese a boa solução dos vidros que descem, esse processo é feito por manivela. O Picanto tem vidro elétrico nas quatro portas.

      Excluir
  26. Ainda esqueci de dizer que o motor na traseira impede o rebaixamento dos bancos traseiros, o que é de grande utilidade para transporte de coisas grandes e volumosas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bah! Vc não entendeu a proposta do carro? Caramba, como pode reclamar de um projeto desse? Como seria bom se tivéssemos a oportunidade de comprar um carro desses aqui no Brasil...

      Excluir
    2. Oh Lauro meu filho, se a tua intenção é parecer ser ignorante, vá em frente q tu tá conseguindo...

      Excluir
    3. Rafael Ribeiro21/02/14 12:12

      Lauro, da última vez que tentaram um carro de motor traseiro, tração traseira, pouco espaço para bagagem e sem poder rebaixar o banco traseiro não deu muito certo, durou apenas 60 anos no mercado, vendendo poucas dezenas de milhões de unidades...

      Excluir
    4. Acho que quem esta fazendo forca para isso e o Leonardo Pastori ai de cima...
      Cada um....

      Excluir
    5. Ninguém te obriga a comprar. Chega de mesmice....

      Excluir
  27. Acredito que terá um porta-malas de 50 litros naquele capozinho minúsculo, que ainda deverá dividir espaço com radiador. Estepe nem deve ter.

    Não acho um sopro de inovação e/ou não-convergência: ainda tenho muito frescos na memória, Brasília e Fusca, aliás, na minha rua tem alguns deles.

    andré

    ResponderExcluir
  28. Lorenzo Frigerio20/02/14 16:34

    Gostaria de saber como a Renault pretende manter o espaço de carga do Twingo original, colocando o motor atrás. Principalmente, porque já é um carro tão pequeno.
    Olhaí os franceses de novo, querendo reinventar a roda.
    Ademais, motor 0,9 turbo no Brasil? Impossível. Turbo, aqui, é coisa de carro caro. O lumpen não é capaz de dar a mínima manutenção que esses dispositivos necessitam. Não é à toa que a GMB prefere manter sua aura de confiabilidade, e seus consumidores cativos, dispensando essa tecnologia. A Toyota, idem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu vejo da seguinte forma: Se o porta-malas já é diminuto mesmo com o motor na dianteira (algo menos que 200 litros, talvez), será que faz muita diferença perder metade de quase nada? Nem entro no mérito de trazer esse carro para o Brasil ou não, porém se precisar de espaço, apenas rebatendo os bancos já deve dar um ótimo volume pra carga, independente de onde fique o motor.

      Veículo de uso individual (ou casal) não precisa de porta-malas grande justamente por isso. Ou é passageiros (com conforto razoável), ou bugigangas (bem acomodadas). Esse é o preço da praticidade de um carro pequeno.

      E outra, de "reinventar a roda" é que o Twingo não te nada, essa configuração já foi usada muitas vezes no passado e com ótimo sucesso.

      Mendes

      Excluir
    2. Lorenzo Frigerio20/02/14 20:03

      Mendes, acho que você nunca viu a capacidade de carga dos Twingo que foram vendidos no Brasil. Ainda mais com o banco traseiro escamoteado, o Twingo se torna uma "caverna". Meu pai tinha um e levava todas as tranqueiras da sua barraquinha de antiguidades nele. O carro estava em petição de miséria, mas o termo do meu pai para designá-lo era "fantástico".
      Com essa mudança de configuração, creio que a Renault pretende reposicioná-lo em outra faixa de mercado. Na verdade, estará aproveitando apenas o nome.

      Excluir
    3. "...essa configuração já foi usada muitas vezes no passado e com ótimo sucesso."

      No passado e no presente, por exemplo, o Mitsubishi "i", vendeu (vende) bem.

      Excluir
    4. Lorenzo
      Esse carro vai competir com o Fiat 500 e outros nessa faixa de mercado
      E uma proposta diferente do primeiro Twingo. Assim esqueçamos o grande espaço deste

      Excluir
    5. Lorenzo Frigerio, não vi mas muito já ouvi falar dele, mas ainda continua sendo o que eu falei: Ou se transporta pessoas, ou bagagem, e o posicionamento do motor pouco fará diferença nesse caso. Rebata os bancos e ainda terás ótima capacidade de carga. Caso contrario, maior parte do espaço se destina para passageiros.

      De qualquer forma o jeito é esperar lançar para mais detalhes.

      Mendes

      Excluir
  29. LeandroL64120/02/14 16:36

    Existem muitos carros bons com tração dianteira, assim como existem carros ruins com tração traseira, isso é um fato.
    Mas, considerando que ambos tenham o mesmo nível de desenvolvimento eu ainda acho que a "tração nas rodas certas" é imbatível, você faz manobras que ninguém acredita porque pode esterçar mais que os carros que precisam tracionar na frente e quando está fazendo uma curva os pneus dianteiros não precisam negociar a aderência com o motor e o volante ao mesmo tempo.
    O motor eu prefiro na frente, mas se ele for leve isso não tem tanta importância.

    ResponderExcluir
  30. Prezado Arnaldo Keller,

    me desculpe mas discordo quando você diz no inicio do texto, que tanto faz a tração ser dianteira ou traseira.

    Acho que é opinião unanime daqueles que " gostam e sabem " dirigir, que a tração traseira é incomparavelmente mais prazerosa para o motorista.

    Tração dianteira tem que tirar o pé nas curvas e a tração traseira tem que acelerar, preciso dizer mais ??????????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 20/02/14 17:38
      Você está precisando dirigir um bom tração-dianteira moderno. Experimente um DS3, um Audi A3 Sportback ou Sedan, um Fluence GT e depois me diga.

      Excluir
    2. Ele não disse isso. O Arnaldo é grande conhecedor de carros, motorista clássico e que pilota muito bem. Ele estava fazendo referência a um texto recente do MAO sobre carros de tração dianteira, que mesmo que não sejam tão interessantes quanto os de traseira também são muito divertidos se bem executados e guiados. Basta ver campeonatos de turismo (esse ano tem Loeb no WTCC), rallys e corridas de subida ( ou descida) de montanha para ver como é que são interessantes também. Imagina se não é divertido você brincar com o acelerador para deslocar o centro de gravidade e entrar em uma curva em sobre esterço ?
      Dois vídeos interessantes :
      1° Ragnotti, grande piloto de rally , veja a finesse ao pilotor seu Clio Wiliams FWD. Que coisa linda: http://www.youtube.com/watch?v=WClJNx8V280

      2° Astra europeu, extremamente bem acertado e pilotado em subida de montanha, mais de 1g na curva,incrível: http://www.youtube.com/watch?v=FxrWTZjtCXo
      http://www.youtube.com/watch?v=SVrDNK-nQ5s


      Minha preferência é a tração traseira também, claro. Mas vendo esses caras aí em cima pilotando
      nem faz muita falta hahahaha

      Excluir
    3. Bob,

      me admiro você , piloto ( dos bons ) de Maverick e Opala dizer isto.

      Não troco um tração traseira por nenhum carro destes que você citou, basta comparar qualquer um destes com um BMW ou Mercedes de ultima geração para ver qual é mais prazeroso para o motorista ( que gosta e sabe dirigir ).

      Abraço.

      Excluir
    4. JS3,

      leia o texto direito, o Arnaldo diz que concorda com o que foi dito pelo MAO, por isto eu disse que não concordo com ele.

      Excluir
    5. Pessoalmente prefiro um bom tração traseira a um bom tração dianteira, mas isso é gosto pessoal.
      Carro mais forte, acima de uns 300 ou 400 cv, aí precisa ter tração traseira para arrancar legal.
      Agora, quanto a se admirarem com o que o Bob acha, digo eu aqui. Ele toca o carro que for e tira tudo o que ele tem, e na maior tranquilidade, no domínio total. E ele, além do Maverick, Opala, protótipos, etc, etc, ele também correu de DKW e Fiat 147, portanto, acho bom você acreditar no que ele diz. Guie os bons tração dianteira atuais e verá que eles estão realmente bons. Outro bom é o Peugeot RCZ, Alfa 156...

      Excluir
    6. Anônimo das 18:54. Qual tração traseira você tem?

      Excluir
    7. Meu caro Fabio Alexandre,

      preferia não adentrar por este caminho, mas já que você perguntou tenho um M 5 e lhe garanto que não troco por nenhum destes carros de garoto com tração dianteira.

      Abraço.

      Excluir
    8. E Astrinha! Esse carro faz meu coração bater mais forte. Logicamente o meu não tem essa configuração, mas originalzinho mesmo é um show de prazer dirigir esse carro que gruda no chão.

      Excluir
    9. Mas com M5 você não teria nenhum tração dianteira para comparação do mesmo nível de potência. Não tem como fazer a comparação. Só seria válida com potências semelhantes.

      Excluir
    10. Fabio Alexandre,

      você tocou exatamente no ponto chave, por que será que não tem tração dianteira com potencia no nível do M5 ?????

      Para não ficar parecendo que estou citando o BMW somente porque tenho um, posso lhe dizer que os Mercedes " AMG " também são ótimos veiculos .

      Abraço.

      Excluir
  31. MARAVILHA ! MARAVILHA ! MARAVILHA ! VIVA A RENAULT ! VIVA A RENAULT ! VIVA A RENAULT ! É DISSO QUE O MUNDO PRECISA ! É DISSO QUE O MUNDO PRECISA ! VIVA OS PEQUENINOS HOT HATCHES DE TRAÇÃO TRASEIRA ! VIVA OS PEQUENINOS HOT HATCHES DE TRAÇÃO TRASEIRA ! TOMARA QUE VENHA ! TOMARA QUE VENHA ! NÃO CUSTA SONHAR...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Passa na farmácia e toma um calmante
      Faz bem!

      Excluir
    2. Hot Hatch?? Você pulou o trecho: "...O que se especula, já que ainda não há nada oficial, é que terá um motor 3-cilindros de 0,9 litro..."

      Excluir
  32. Como bem disse o Sergio Habib, a Renault aqui deveria se chamar Dacia. Fábrica de automóveis vive de vendas, se vier ao preço de Fiat 500, seria bom, e como tem mais habitáculo, daria pra ser o único carro e não encarado como "segundinho".

    ResponderExcluir
  33. Pra ter uma boa relação de direção, pode ser que precise de assistência.

    Um motor elétrico resolver, não afeta em nada o projeto, nem o torna impagável.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 20/02/14 19:51
      Fusca nunca teve assistência de direção e a sua relação é das mais baixas do mundo até hoje, 14,4:1. O mesmo com esse Twingo, pode apostar.

      Excluir
    2. Vamos ver se a massa dianteira nos tempos atuais, permite baixa relação sem ficar pesada.

      Excluir
  34. Lorenzo Frigerio20/02/14 20:13

    Esse negócio de que "carro com tração traseira gira melhor" tem que ser degustado com um pouco de sal. Lembro que o Chevette, que era um carro horrível de guiar, esterçava muito bem. A Kombi, também. Mas o meu Dodjão não é lá essas coisas, aliás os sedãs clássicos americanos não tem nada de mais nesse quesito. Já o Passat, apesar da tração dianteira, esterçava praticamente que nem um Chevette.
    Imagino que esses potenciais de raio de giro pequeno são eliminados pela própria fábrica para acomodar outros recursos ou resolver outros problemas de projeto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Certamente, juntas homocinéticas estão aí justamente para que o carro tenha tração dianteira e esterce bem. Mas não ter um semi-eixo passando pelo meio da suspensão dianteira sempre trará vantagens na inércia. Só não acho que a maioria vá perceber as vantagens e desvantagens de cada sistema, por que ambas estão mais evoluídas do que o usuário médio exigiria...
      Certamente andamos em Chevettes diferentes, por que eu gostei muito do que dirigi. Claro que tinha um desempenho "humilde", mas já era suficiente para muita coisa. E tinha aquele câmbio...

      Excluir
    2. Chevette horrível de guiar? De que carro você está falando? O Chevette sempre foi e será um carro ótimo de guiar, é claro, respeitado o seu nível de potência. É um dos carros pequenos mais prazerosos de guiar, ao lado dos Escort de tração traseira, tocada muito parecida com os Alfa Giulia e Giulieta. Muito equilibrado. Ótimo de guiar, divertidíssimo no molhado, tamanho e peso certos, câmbio preciso, freios adequados e estabilidade, muita estabilidade (especialmente nas mãos de quem sabe tirar "tudo" dele. Com certeza você está falando de outro carro...

      Excluir
    3. Lorenzo Frigerio21/02/14 18:28

      Fui crucificado aqui por ter descido a lenha no Fiat 147... mas o 147 é INCOMPARAVELMENTE superior de dirigir que o Chevette. Especialmente com motor 1300.
      O Chevette é um carro pesado e com uma direção idem. Uma verdadeira lesma lerda.
      Quanto ao câmbio, vocês gostaram, mas eu não. Os engates eram macios, mas pareciam coisa de 1940. Tudo isso mais a posição baixa de dirigir o tornava extremamente desprazeroso.
      Talvez vocês estejam se referindo aos modelos posteriores (1.6S), que tiveram melhoramentos, o que é natural.
      Mas para mim, o Chevette está quase lá com o Fusca em matéria de carro desagradável de dirigir.

      Excluir
    4. Lorenzo,

      Não sei por que você acha que Chevette tem direção pesada. Todos os que dirigi tinham a direção levíssima. Inclusive o MAO nos conta aqui que, nos Chevettes que ele teve, trocava o volante por um de menor diâmetro para reduzir a leveza da direção. Gostaria de entender porque você tem essa impressão, diferente da grande maioria. Aliás, o carro todo não era pesado: em torno de 900 kg, com pequenas variações para mais ou menos, dependendo da versão e dos opcionais.

      O resto vai de gosto pessoal mesmo: eu gosto de Chevette, assim como também curto dirigir um Fusquinha, principalmente se estiver todo original, com os pneus diagonais.
      Abraços.

      Excluir
    5. Ah, sim: em relação ao tema do post, sou um candidato a comprar um Twingo "RWD" se ele realmente vier para o Brasil. Tomara que venha, mas não coloco muita fé...

      Excluir
    6. Rodrigo MG
      Você nunca dirigiu o Fusca com os pneus radiais de medida certa, o 155SR15 (Pirelli Cinturato CF67)? Era sensacional, muito superior ao diagonal 5.60-15. Uma pena que esta medida tenha desaparecido, agora só 165R15S, grande demais em diâmetro, fica muito estranho..

      Excluir
    7. Bob,
      Infelizmente não. Lembro-me de ter lido aqui as suas recomendações sobre esses pneus, inclusive ao fabricante de pneus. Mas não tive esse gostinho...

      Excluir
    8. Fácil! Coloca as famigeradas rodas de brasília aro 14, mete pneus 195/70/14 atrás e 175/70/14 na frente e confere.....Usei no meu fusca 85 dupla carburação a ácool, que não andava nada mas andava na subida o que andava na reta e dei tento trabalho a Monza em estrada com subidas e descidas, curvas, etc que neguinho chegava a me parar para perguntar o que o carro tinha. Não tinha nada. Apenas na época nenhum carro andava. Só isto.

      Excluir
  35. O autor ao final do parágrafo onde cita as vantagens da tração traseira desse carro, diz não conhecer nenhuma desvantagem. Mas há. Um hatch pequeno é um carro que tem pequeno porta-malas, porém é muito versátil, pois pode-se retirar a tampa (bagagito) e levar objetos maiores, ou mesmo rebater o banco traseiro e levar objetos bem volumosos. Eu mesmo já levei muita coisa no meu Uninho que nem se imagina. Porém num hatch pequeno com motor atrás, perde-se essa versatilidade, alé do porta malas dianteiro geralmente ser muito pequeno.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, fique sossegado que ninguém aqui está querendo que parem de fabricar o Uno, um bom carro. Só, por favor, permita que a Renault fabrique esse Novo Twingo e deixe que alguns autoentusiastas peçam para que ela o traga para cá.
      Assim todos ficam satisfeito. OK?

      Excluir
    2. Bela resposta Arnaldo. Como se todo carro tivesse que ser igual....
      Que venham mais Twingos!!

      Excluir
    3. Se o motor do Twingo novo estiver bem acomodado, a plataforma de carga seguirá sendo bem baixa. Um exemplo de veículo com motor atrás e porta-malas bem utilizável é o Mitsubishi i (que atualmente só existe em versão elétrica). A versão a combustão usava um motor de posição central-traseira cujo bloco estava inclinado em 45º para trás, fazendo o cabeçote ficar praticamente em cima do diferencial traseiro. Com isso, o piso do porta-malas era bem baixo, com direito a banco traseiro formando plataforma de carga plana quando rebatido.

      Excluir
  36. Nada contra o carro ser 4 portas e motor traseiro, mas não é um twingo. A Renault deveria ter escolhido outro nome para ele. É como se a Porsche tivesse chamado o Panamera de 911.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No caso do Twingo, o que houve foi o fato de esse nome não ter mantido a mesma proposta básica durante a passagem das gerações, Daquele francesinho genial dos anos 1990 para o Twingo II, pouca coisa foi mantida em comum e a proposta se desvirtuou muito, a ponto de sua terceira geração poder ser qualquer coisa, uma vez que não havia o peso de manter uma determinada tradição (vide, por exemplo, a coluna C extremamente grossa de um Golf).

      Excluir
  37. Um francês de tração traseira? Mas que mundo é esse?!?!
    Já que sonhar não custa, vamos ver se sai a versão duas portas. Para um compacto com pretensões de ser divertido, é mais racional.
    Outro comentário que não me sai da cabeça é perguntar para a engenharia da VW, que alegou que motor traseiro seria incompatível com as normas de segurança europeias, e mudou o projeto do Up para ser FWD, o que eles têm a dizer agora...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Brauliostafora,
      Retorno aos tempos! Já tivemos os Dauphine/Gordini com motores traseiros, aqui no Brasil, inclusive. A Simca francesa também teve seus compactos com motor traseiro.
      Mas, o grande ícone ainda é o Fusca e companhia. Seria mesmo interessante saber a explicação da VW sobre a mudança de rota para o Up!

      Excluir
    2. Brauliostafora, pelo que vi a VW dizer sobre a mudança de localização do motor do up!, não era em relação a segurança passiva (até porque ausência de motor na frente aumenta a zona de deformação), mas sim em relação a sensibilidade a ventos laterais (este um recibo mais fácil de se passar e que em tese não compromete o fabricante, em que pese dar margem a alguém perguntar por que raios os Porsches 911 e Cayman/Boxster, feitos por marca do mesmo grupo, seguem com motor atrás).
      A explicação que me parece mais plausível, ainda que não dita, é a de que o motor à frente aumenta o grau de compartilhamento de componentes na marca. Podemos pegar aqui o exemplo do motor 1.0 EA211 tricilíndrico, que estreou antes no Fox do que no carro que será seu principal destinatário. Imagino eu que up! e Fox Bluemotion compartilhem mais peças do que simplesmente motor e câmbio, o mesmo valendo para o up! europeu e algum outro modelo da VW de lá que use EA211.

      Excluir
  38. Ricardo - Vitória ES21/02/14 07:54

    Sei que existem entusiastas de carro de todo tipo. Deve-se respeitar as diferenças, tem o que dá mais importância ao conforto ao luxo, tem o que importa mesmo é o tamanho, quanto maior melhor e tem um monte de tipo mesmo. Mas tem especificamente aquele que um dia andou de Kart e gostou... Me incluo nesse tipo aí. Este post do Arnaldo pelo que entendi fala direto ao coração deste tipo de sujeito, de entusiasta. Li alguns comentários acima descabidos pra comentar este post. Os caras ficam batendo na tecla de espaço pra mala, bagagem. Caramba! O negócio aqui é um carro pra quem gosta de acelerar e o carro se mover rápido, tipo o desenho do ratinho ligeirinho...é por aí o negócio, então, pessoal que quer fazer entregas, sinto muito por vocês terem se desapontado com o texto do Arnaldo, ele não foi feito para agradar a vocês.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O único "senão" do que você mencionou é que os carros (que confesso, gosto muito) lembram karts, e que como você mencionou são: "...carro pra quem gosta de acelerar e o carro se mover rápido, tipo o desenho do ratinho ligeirinho...é por aí o negócio..." acabam sendo carros de nicho e tendo preços BEM altos tipo Mini Cooper... honestamente, pra mim, irrelevantes...

      Excluir
  39. Alguém reparou que a Renault teve peito, foi lá e fez aquilo que a VW insinuou que iria fazer com o Up?
    DS45

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se bem que aqui ela foi a reboque da Daimler AG, uma vez que essa é a mesma plataforma que será usada nos próximos smart fortwo e forfour. Como a smart estabilizou-se na fórmula de motor central-traseiro e a Mitsubishi deixou de produzir o i com motor a combustão, ela teve de procurar outra alternativa. De qualquer forma, como você mesmo disse, é uma moral das boas em cima da VW em relação ao up! do jeito que ele era como conceito e do jeito que ficou enquanto modelo de série.

      Excluir
  40. Quero um! De preferência com o motor do Megane RS lá atrás... rs

    ResponderExcluir
  41. Acho louvável a ideia da Renault em "sair da mesmice" no que se refere a disposição mecânica empregada nos carros pequenos atuais. Mas isso por si só não basta pra que saiamos comemorando pois a disposição proposta "via de regra" traz alguns inconvenientes, por exemplo, um porta malas menos aproveitável devido ao maior espaço necessário para as caixas de rodas esterçantes, então, só um comparativo rigoroso dele com seus principais concorrentes poderá revelar o quanto ele será ou não relevante para o mercado. Agora o argumento quanto a direção elétrica em relação ao consumo, honestamente, pra mim foi forçado tal qual jogar pedra em avião...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nilton, está lá escrito "mesmo que pouco". Se esse trecho o incomodou, me desculpe.
      Está satisfeito?
      Ótimo!

      Excluir
    2. Veja bem, o Twingo tem chance no Brasil, essa configuração de compacto c/ motor traseiro pode concorrer no nicho do Fiat 500 ou Beetle; agora o público dos populares, Sandero, Palio, Gol & cia querem algo que carregue 5 pessoas + bagagem de 5 pessoas + panela de farofa + isopor... já viu né?

      Excluir
    3. Anônimo21/02/14 15:15

      E porque vc acha que a VW alongou o Up!? Pra atender ao público dos dois volumes de entrada (carro popular não existe mais). Lembre-se que carro deste nisso nacional, o último foi o Ka original. Acorde pra nossa realidade e chega de síndrome do vira latas.

      Excluir
  42. Bem Arnaldo, também criei esperanças quanto a esse novo Twingo. Que ele resgate o que está faltando nos carros modernos e permita que os bons esportivos de outrora retornem, mesmo com parte das comodidades modernas.

    Eu gostei mais do Twingo que do Fiat 500 em termos de design externo. As rodas estão bem na extremidade, como num kart. Mas suponho que o CG dele seja um pouco elevado.

    KzR

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KzR

      O centro de gravidade no olhômetro às vezes engana. Precisa ver se jogaram o peso da mecânica pra baixo. Veremos.

      Excluir
  43. Que coisa, quando está querendo aparecer um carrinho minúsculo de tração e motor traseiros, surgem um monte de "autoentusiastas" botando gosto ruim, falando da falta e espaço para o porta malas,

    Ora mas, é um carro pequeno , com eixos bem nas extremidades, motor moderno e econômico turbo montando na traseira na transversal, assim as perdas mecânicas são menores além de deslocar o CG para trás. O motor não é muito potente, mas isso junto com o uso do nome Twingo me dá a entender que eles querem fazer um carro acessível. E se esse carro fizer sucesso, muito provavelmente surgirão versões mais esportivas.
    Como não gostar de um carrinho assim ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. JS3,

      É verdade... Por isso a VW deu uma "estragadinha" no up! para vender aqui.

      Depois de ler alguns comentários, percebe-se que o brasileiro de um modo geral seja auto entusiasta ou não, gosta mesmo de suves e picapes.

      Ora bolas, para quem não gosta de carro pequeno e porta-malas pequeno, o Twingo não serve, mas certamente ele é o sonho de muitos, inclusive o meu.

      Para mim, o espaço para bagagens de um Fusca, é mais do que suficiente.

      Excluir
    2. Concordo plenamente com vocês dois! Que venha esse Twingo!

      Excluir
  44. Acabei de me lembrar do conceito Twin'Run da Renault, um twingo com um V6 de 320 hp. Quem sabe eles tenham planos para fazer Twingos mais potentes ? A Renault gosta de jogar o motor para trás de vez em quando, deixem eles continuarem fazendo isso.
    http://www.youtube.com/watch?v=v0wQgEMcsZU

    ResponderExcluir
  45. Não sei porque mas ao ver o azul claro lembrei dos F1 de equipes patrocinadas pela Martini....gostei demais ficaria com ele.....se tivesse $$$$$ sobrando com certeza estaria já estaria na fila para providenciar a vinda de um.

    ResponderExcluir
  46. Pelo que estão falando neste link, acabou de ser flagrado também o novo smart forfour. Se for o que estamos vendo na foto, seria praticamente um Twingo com outro logotipo. Espero eu que isso não seja verdade, pois teríamos um frankenstein daqueles que sequer o estilo básico da marca segue (leia-se aí o Tridion).

    ResponderExcluir
  47. Eis aqui umas filmagens recentes feitas em Genebra. Terá dois motores, um de 1,0 litro, aspirado, com 70 cv e outro 0,9 litro, turbo, de 95 cv.
    https://www.youtube.com/watch?v=EKR2J12u6Kc.
    Mais de 200 litros de espaço no porta-malas, traseiro, em cima do motor. Parece que bateria, etc, foi para a dianteira e ele tem perto de 50/50 de distribuição de peso.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.