KIA CERATO, UMA GRATA SURPRESA

Fotos: autor


Antes de falar do Cerato penso que vale a pena um breve relato sobre a Kia, pois acho que poucos têm dimensão do que a marca representa. A sul-coreana Kia nasceu em 1944 como fabricante de quadros de bicicleta mas só passou a produzir carros em 1974. Em 1997 passou a fazer parte do grupo Hyundai quando foi comprada no meio da crise asiática. Era dona da Asia Motors (lembram do Topic e do Towner?) que em meados dos anos 1990 anunciou a construção de uma fábrica no Brasil, em Camaçari (BA), em troca de benefícios fiscais. Os benefícios foram utilizados mas com a falência da empresa em 1999 a fábrica não saiu do papel. Como a Kia era sua dona, para o governo brasileiro ela deveria arcar com a dívida e isso estava impedindo o avanço de uma possível fábrica da Kia no Brasil. Mas em 2013 essa pendência foi resolvida pela justiça, isentando a Kia dessa dívida.

O Grupo Hyundai-Kia é  quarto maior fabricante de veículos automotores do mundo, com produção ultrapassando 7 milhões de unidades em 2012, sendo a Kia responsável por 2,7 milhões, aproximadamente. Isso coloca a Kia na frente de marcas importantes como Renault, Peugeot, Citroën, Mitsubishi, Chrysler e Fiat. E se consideramos toda a sinergia de desenvolvimento tecnológico e estrutura de custos dividida com a Hyundai, dá para se ter uma idéia do poderio da Kia. 

No Brasil, a Kia vinha numa ascendente até alcançar mais de 77 mil unidades emplacadas em 2011 com uma linha bem completa e atualizada, incluindo motores flex. No entanto, a partir de 2012 com a sobretaxação do IPI para veículos importados em 30 pontos porcentuais, os emplacamentos diminuíram drasticamente para 41.510 unidades em 2012 e 29.135 em 2013. Para reverter esse quadro, só fazendo uma fábrica no Brasil, ainda sem uma perspectiva mais clara. Com toda essa taxação adicional a competitividade fica muito comprometida, uma vez que a relação custo-benefício tem um limite estabelecido pelo mercado ou concorrentes.

Para manter um volume significativo, alimentar seus mais de 150 pontos de venda e manter uma relação custo-benefício atraente para os consumidores, a Kia tem que ser muito criativa. Imagino a dificuldade de trazer carros supercompletos, com motores 2-litros flex, teto solar, central multimídia com navegador, a preços competitivos tendo a taxação extra de 30 p.p de IPI. Acho importante destacar que a Kia está se esforçando para agradar numa clara desvantagem competitiva antes que torçam o nariz ao saber que o Cerato tem motor 1,6-litro.

Eu mesmo tive um certo preconceito antes de dirigir o carro. Mas antes de qualquer julgamento eu preferi entender o contexto e usar o carro no dia-a-dia.

O design é um dos destaques do Kia Cerato

Claro que a avaliação de design é sempre subjetiva, mas acho que dificilmente alguém faria críticas mais forte ao design dessa terceira geração do Cerato, irmão do Hyundai Elantra, lançada no Brasil no ano passado. É um carro muito elegante, com vários elementos interessantes e acima de tudo com uma forma básica muito acertada com proporções equilibradas. São 4.560 mm de comprimento, 1.780 mm de largura e 1.460 mm de altura, com Cx 0,27. Além disso, o acabamento de primeira proporciona também a sensação de qualidade. E não é para menos, pois a Kia acertou em cheio em contratar o ex-chefe de design da Audi, o premiado Peter Schreyer. Com um pouco de atenção pode-se notar alguns traços da marca alemã. Repare na lanterna traseira por exemplo.

Outros pontos muito interessantes do design são a moldura cromada na coluna C (traseira), o caimento dessa coluna, quase como um cupê, os espelhos retrovisores com repetidoras, a ponteira de escapamento cromada, as lanternas traseiras que acendem todo o contorno com uma luz difusa e os LEDs nos faróis dianteiros. As rodas de 16 polegadas combinam com o carro não só no desenho mais sóbrio, mas também na proporção. Claro que rodas maiores acabam quase sempre sendo mais bonitas, mas essas do Cerato ficaram bem proporcionais. Enfim, é um carro que dá prazer em ficar olhando quando estamos nos aproximando dele.

Lanterna traseira, ponteira do escapamento e detalhe cromado na coluna C são apenas alguns dos bonitos elementos de design 

No interior já não tive um impacto tão positivo na primeira olhada. Apesar da excelente qualidade de construção, materiais de primeira e detalhes cromados, o design, que é bonito, não inspira tanta modernidade. É sóbrio e equilibrado, mas poderia ser ainda mais elegante se houvesse uma harmonização da iluminação do painel e dos comandos. O painel de instrumentos, os mostradores, têm iluminação branca. Em todos os outros comandos, incluindo mostrador do áudio, a iluminação é num vermelho bem forte.

Iluminação branca para instrumentos e vermelha para todo o resto

O carro é bem recheado de equipamentos, está quase tudo lá. O painel de instrumentos tem excelente leitura e um mostrador central para o computador de bordo e para os sensores de estacionamento. É um mostrador simples comparado com outros mais modernos, mas funciona bem. Há também vários elementos que sugerem uma boa dose de esportividade, como borboletas no volante, o próprio volante de 370 mm de diâmetro com uma pega mais encorpada, as sapatas dos pedais em alumínio, o modo seqüencial na alavanca do câmbio e o ajuste da assistência elétrica da direção com modos normal, conforto e esporte.

Interior discreto, porém muito bem acabado e com toques de esportividade
Ajuste da assistência elétrica da direção (normal,/conforto/esporte) através de botão no volante

O ar-condicionado é digital e de duas zonas, com saídas para o banco traseiro. Há carros do segmento, como o Focus, e até premium, como o Mercedes CLA 200, que não têm saídas para os ocupantes de atrás. Estes, aliás, vão adorar o Cerato com apenas um senão, o cinto de segurança central apenas subabdominal, pois no resto os 2.700 mm de entreeixos realmente fazem a diferença, proporcionando excelente espaço para as pernas e cabeça, um dos melhores que já experimentei. O banco traseiro tem o encosto bem inclinado e o túnel central é bem baixinho, quase liso como no Corolla e Civic.

O ar-condicionado impressionou as cinco pessoas que andaram comigo no carro. Todas comentaram espontaneamente sobre como ele esfria bem, como se tivesse sido feito com o calor das últimas semanas em mente. Interessante esse fato. Outro ponto importante sobre o ar-condicionado é o nível de ruído do ventilador ser bem mais baixo que nos outros carros.

Passageiros traseiros muito bem tratados

Os bancos dianteiros são ótimos em conforto e com um bom suporte. Há até ajuste lombar elétrico, sendo todos os outros ajustes manuais. São de tecido e de certa forma um pouco pobres, mas isso não é problema, pois quase que com certeza, se o comprador não pedir, o concessionário vai sugerir a colocação de couro por uma fração do que custaria o item de fábrica — não seria o meu caso, pois não ligo para couro. A parte superior dos instrumentos e os apoios para braço nas portas são de couro, com costuras aparentes, o que enriquece a percepção de qualidade.

Já o volante é revestido em couro, que é mais difícil de colocar no concessionário. Como eu já disse, a pega é muito boa e ainda há os comandos do rádio, controle de velocidade, computador de bordo e assistência da direção. Bem completo e fácil de usar. O sistema de áudio tem uma boa qualidade de som, entrada auxiliar e USB, porém falta Bluetooth. A porta USB funciona bem com Apples, mas não funcionou com Androids. Ambas as entradas estão dentro de um porta-objetos bem grande e com tampa, muito conveniente. O apoio de braços central, também revestido de couro, é ajustável na longitudinal e abriga um amplo porta-objetos.

Um bom sistema de áudio, sem sofisticação, e um excelente ar-condicionado

O interior também é muito bem isolado em termos de ruídos, sendo muito silencioso e com um rodar bem confortável, e ele se sai bem em curvas mais enérgicas. A suspensão dianteira McPherson e a traseira por eixo de torção são bem calibradas, ajudadas pelos confortáveis e apropriados pneus 205/60R16. A direção com assistência elétrica, no modo normal, é perfeita e tem 2,9 voltas entre batentes. O diâmetro mínimo de giro é excelente, 10,6 metros. Diâmetros de giro menores que 11 metros são muito convenientes em centros urbanos e proporcionam retorno sem manobras em ruas um pouco mais largas. O Cerato é bem fácil de manobrar. O porta-malas com 421 litros não é gigante mas é muito bom. E o estepe é igual às outras rodas, o que é sempre muito conveniente.

Um carro bem receptivo

Os itens de segurança são apenas os básicos, com bolsa inflável só para motorista e passageiro dianteiro e freios a disco nas quatro rodas com ABS e EBD.

E como será que ele anda? Vou dar a dica. Todos os concorrentes com motores 2,0 ou 1,8 pesam na faixa dos 1.400 kg exceto os nipônicos, que estão na faixa dos 1.300 kg dependendo da versão. O Cerato pesa apenas 1.205 kg. Seu motor é um 4-cilindros com duplo comando, cilindrada de 1.591 cm³ e bloco e cabeçote de alumínio que gera 128 cv a 6.000 rpm com álcool e 122 cv a 6.000 rpm com gasolina e 16,5 m·kgf a 5.000 rpm com álcool e 16,0 m·kgf a 4.500 rpm com gasolina.

Quando é tudo muito bem feito o conjunto fica excelente

O "motorzinho" pode intuitivamente não parecer muito apropriado para o carro, mas na prática ele é bem competente graças ao peso mais enxuto do carro e a caixa automática epicíclica de 6 marchas (há também um versão com caixa manual de 6 marchas) com trocas seqüenciais pela alavanca ou pelas borboletas no volante. Esse conjunto até que é bem esperto se posto para trabalhar bastante. Enquanto em motores 1,8 e 2,0 há uma reserva de potência, esse 1,6 usa tudo o que tem disponível.

É fato que no uso normal na cidade e em viagens mais tranqüilas ele é mais que suficiente. Mas se quisermos usar toda a esportividade sugerida por itens que mencionei mais acima, ele vai chegar no seu limite com algum entusiasmo, mas um pouco mais moderado. Mas o fato é que ele pode proporciona algum prazer sim. Talvez até um bom prazer na versão manual. Fiz uma viagem até o litoral de São Paulo na qual o desempenho foi mais que satisfatório. A única observação é que a caixa trabalha mais na subida da serra para manter entre 100 e 120 km/h. Mas isso não é incômodo. O motor trabalha suave e o nível de ruído é bem menor do que se pode esperar. E se precisar andar mais é claro que precisamos nos adequar a uma resposta menos vigorosa. Mas não pense que é ruim! Surpreende bem.

Com esse motor era de se esperar uma classificação A no programa de etiquetagem do Inmetro, que foi obtida na versão com caixa manual. A versão automática teve classificação B. Mas mais importante que a classificação é o dado de consumo que é 6,6 km/l na cidade e 9,1 km/l na estrada usando-se álcool e 9,5 km/l na cidade e 12,4 km/l na estrada com gasolina. Mas o tanque de combustível tem apenas 50 litros de capacidade. Para um carro que pode funcionar com álcool é pouco.

O Cerato proporciona prazer, sim senhor!

Mas o que surpreende nesse carro é que ele pode agradar até os mais céticos, uma vez que tem um conjunto muito bem acertado e harmonioso. Seu design é interessantíssimo, o interior bem completo com quase todos os itens mais importantes e alguns outros inesperados, a qualidade de rodagem é de primeira linha e o desempenho satisfaz a grande maioria do seu público alvo.

O preço público sugerido pela Kia é R$ 64.900 para o manual e R$ 67.900 para o automático. Ambos os preços sem frete, o que dificulta comparativos e limita a transparência para o consumidor. Ao menos a Kia publica o preço sugerido no seu website, prática que alguns fabricantes não fazem. Todos os seus concorrentes, com um pouco mais de equipamentos, têm preços um pouco mais altos, mas a maioria inclui o frete. Para ficar em casa, o Elantra com motor 2-litros, que também paga a sobretaxação de IPI, está na faixa de R$ 80.000.

Como eu disse lá no início, achei que fazer qualquer julgamento apenas por números e dados não seria apropriado. Ao final de uma semana tive uma boa surpresa e devolvi o Cerato com algum pesar.. pois ficaria contentíssimo em tê-lo na minha garagem.

Mais abaixo há outras fotos, a ficha técnica e os principais equipamentos de série.

PK









FICHA TÉCNICA KIA CERATO 2014

MOTOR
Tipo
Ignição por centelha, 4 tempos
Instalação
Dianteiro, transversal
Material do bloco/cabeçote
alumínio/alumínio
N° de cilindros/configuração/n° de mancais
4 / em linha / 5
Diâmetro x curso
77 x 85,4 mm
Cilindrada
1.591 cm³
Aspiração
Atmosférica
Taxa de compressão
12,0:1
Potência máxima
128 cv a 6.000 rpm (A)
122 cv a 6.000 rpm (G)
Torque máximo
16,5 m·kgf a 5.000 rpm (A)
16 m·kgf a 4.500 rpm (G)
N° de válvulas por cilindro
4
N° de comando de válvulas /localização
2 / cabeçote
Formação de mistura
Injeção eletrônica no duto
ALIMENTAÇÃO
Combustível
Gasolina E20/25, 95 octanas RON
TRANSMISSÃO
Rodas motrizes
Dianteiras
Câmbio
Automático epicíclico
N° de marchas
6 à frente e uma à ré
Relações das marchas
1ª  4,400:1; 2ª  2,726:1; 3ª 1,834:1; 4ª 1,392:1; 5ª 1,000:1; 6ª 0,774:1; ré 3,440:1
Relação de diferencial
3,612:1
FREIOS
De serviço
Hidráulico, duplo circuito em diagonal, servoassistido, ABS com EBD
Dianteiro
Disco ventilado
Traseiro
Disco sólido
SUSPENSÃO
Dianteira
Independente, McPherson, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
Traseira
Eixo de torção, mola helicoidal e amortecedor pressurizado
DIREÇÃO
Tipo
Pinhão e cremalheira, assistência elétrica
Voltas entre batentes
2,9 voltas
Diâmetro mínimo de curva
10,6 m
RODAS E PNEUS
Rodas
Alumínio 6,5J x 16
Pneus
205/60 R16
PESOS
Em ordem de marcha
1.205 kg
Carga máxima
515 kg
CARROCERIA
Tipo
Monobloco em aço,  sedã, 4 portas e  5 lugares
DIMENSÕES EXTERNAS
Comprimento
4.560 mm
Largura sem espelhos
1.780 mm
Altura
1.460 mm
Distância entre eixos
2.700 mm
Bitola dianteira/traseira
1.555/1.568 mm
Altura mínima do solo
165 mm
AERODINÂMICA
Coeficiente de arrasto (Cx)
0,27
Área frontal (A)
2,079 m²
Área frontal corrigida (Cx x A)
0,561 m²
CAPACIDADES
Porta-malas
421 litros
Tanque de combustível
50 litros
DESEMPENHO
Velocidade máxima
190 km/h (est.)
Aceleração 0-100 km/h
11,5 s (est.)
CONSUMO DE COMBUSTÍVEL
Cidade (dado de fábrica)
6,6 km/l (A) e 9,5 km/l (G)
Estrada (dado de fábrica)
9,1 km/l (A) e 12,4 km/l (G)
CÁLCULOS DE CÂMBIO
v/1000 em 6ª
40,3 km/h
Rotação do motor a 120 km/h em 6ª
2.976 rpm
Rotação do motor à velocidade máxima em 5ª
6.100 rpm


EQUIPAMENTOS KIA CERATO 2014

Abertura interna do porta-malas e da tampa de combustível
Acendimento automático dos faróis
Antena eletrônica incorporada ao vidro traseiro
Ar-condicionado automático digital bi-zona com filtro antipólen
Banco do motorista com ajustes manuais de altura e distância e regulagem elétrica do    apoio lombar
Banco do passageiro com bolsa porta-revistas no encosto
Banco traseiro bipartido (60/40) e rebatível para ampliação do porta-malas
Bolsas infláveis frontais
Chave tipo canivete para travamento e abertura das portas e porta-malas a distância
Cintos de segurança de 3 pontos (central traseiro tipo subabdominal)
Cintos dianteiros com pré-tensionadores, limitadores de carga e regulagem da altura      de ancoragem na coluna central
Computador de bordo com controles no volante
Console central com descansa-braço deslizante, porta-objetos com tampa, porta-          copos e saída de ar-condicionado para o banco traseiro
Console no teto com porta-óculos e luzes de leitura
Controle de cruzeiro com controles no volante
Descansa-braço no banco traseiro com porta-copos
Desembaçador do vidro traseiro temporizado
Destravamento automático das portas em caso de colisão
Direção com assistência elétrica com três modos de direção (Normal/Comfort/Sport)
Encostos de cabeça com ajuste de altura para os 5 ocupantes
Escapamento com ponteira cromada
Espelhos retrovisores externos com ajuste elétrico e rebatimento elétrico automático,      aquecimento e repetidoras de seta integradas de LED
Estepe com roda de alumínio
Faróis de neblina com lentes de policarbonato
Freios a disco nas 4 rodas com ABS e EBD
Grade dianteira com detalhes cromados
Iluminação no porta-malas e porta-luvas
Indicador de marchas no conjunto de mostradores
Lanternas traseiras a LEDs
Limpador do pára-brisa com acionamento intermitente de freqüência variável
Luzes de uso diurno a LEDs
Maçanetas externas na cor do veículo com filete cromado
Manta de isolamento de ruídos na parte interna do capô do motor
Molduras externas das portas cromadas
Painel com detalhes em textura tipo fibra de carbono
Painel com mostrador digital e computador de bordo em LCD
Pára-brisa com desembaçador automático
Pára-choques e retrovisores externos na cor do veículo
Pára-sol do motorista com porta-ticket, espelho, iluminação e extensão lateral
Pára-sol do passageiro com espelho, iluminação e extensão lateral
Porta-luvas climatizado e com abertura amortecida
Porta-objetos e porta-garrafas nas portas dianteiras e traseiras
Rádio/CD/MP3 player com controles no volante, entrada auxiliar, USB e para iPod
Relógio digital no centro do painel com marcador de temperatura externa
Rodas de alumínio aro 16 pol. com pneus 205/60R16
Sapatas dos pedais e apoio do pé esquerdo com detalhes de metal
Sensores de aproximação nos pára-choques dianteiro e traseiro
Sistema de áudio com 4 alto-falantes e 2 tweeters
Tomada auxiliar de energia 12 V (console central)
Travamento automático das portas com o veículo em movimento
Travamento elétrico central das portas e porta-malas
Vidros com comando elétrico nas 4 portas
Vidros verdes com filtro de raios UV e para-brisa laminado
Volante de direção com regulagem de altura e distância
Volante multifuncional com controle de som, controle de cruzeiro, computador de            bordo e modos de direção (Normal/Comfort/Sport)
Volante, alavanca de câmbio, console central e laterais das portas revestidos de couro

92 comentários :

  1. Eu compraria. Além de ser bastante bom, de quebra ainda tem um ar de exclusividade, em meio ao "mar" de Civics. e Corollas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse eu recomendo ..
      Mas colocaria um belíssimo banco em couro preto nele.

      Excluir
    2. Eu com o "Larjan", ainda ficaria com a dupla nipônica
      Jorjao

      Excluir
    3. Coisa linda a foto com o avião...
      Artista mesmo, e dos bons!.

      Excluir
    4. Jorjão, se o negócio é ir de "japa", então fico com o Sentra, e fujo do "mar" de Civics e Corollas, he, he!

      Excluir
    5. Eu to com o Mr. Car
      Os nipônicos estão muito batidos
      E como cartão de credito do Bradesco e nariz : todo mundo tem...
      Realmente essa fot de abertura ficou fantástica
      Também acho o PK um verdadeiro artista

      Excluir
    6. O Sentra tem motor 2.0 e esta numa faixa de preço praticamente igual ao Cerato
      Ainda por cima esta muito parecido com o Altma. Dificil distinguir os dois na rua....
      Acho o Sentra muito mais negocio!

      Excluir
    7. Nipônico por nipônico fico com o Lancer.

      Excluir
  2. Rafael Ribeiro10/02/14 12:36

    Ao meu ver, nenhum fabricante evoluiu tão rápido nos últimos vinte anos quanto à Kia, tanto na qualidade quanto na estética (melhor do que a Hyundai nesse aspecto, mérito de Schreyer evidentemente). O respeito no mercado mundial que os japoneses levaram três décadas para alcançar, a Coreia alcançou mais rápido. Será que a China o fará ainda mais rapidamente? Não duvido...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os modelos da Qoros, divisão de luxo da Chery, sendo os mais seguros à venda na Europa em qualquer categoria, segundo o Euro NCAP, já dizem muito a respeito.

      Excluir
    2. Mas o desenho do Qoros nao me agrada.
      Ainda ha um certo ar de copia...
      Copia de parte de varios carros tentando formar um todo...

      Excluir
    3. No mundo globalizado a nacionalidade da marca é cada vez mais irrelevante, mas... Qoros não é exatamente "carro chinês", já que é uma JV 50/50% da Chery com um grupo israelense, e seus principais gestores, designers e engenheiros são europeus.

      Excluir
    4. Aqui também fica aquele lance de o desenho ser aquela coisa que se não emociona, também não compromete. O principal da coisa é que vemos veículos chineses bem projetados em seu aspecto geral e capazes de rivalizar com modelos de marcas conhecidas. Em relação a desenho não é nada que uma Pininfarina da vida não pudesse solucionar.

      Excluir
    5. Os desenhos dos coreanos também eram bem estranhos... sephia, schuma. Evoluiram e melhoraram a qualidade. Os coreanos miraram nos japas, aos chinas basta seguir o mesmo caminho evolutivo e contratar um bom designer. Fiat, Chevrolet e volks pararam no tempo e o designe ficou pasteurizado, falta emoção hoje nessas marcas mais tradicionais.

      Excluir
  3. Olha as fotos eu me pergunto porque nunca mais saiu um carro cujas portas abrissem em 90º, como no finado Tempra. Quem já teve a chance, sabe como isso é prático, hoje parece que as portas abrem cada vez menos, embarcar passageiros está ficando mais cansativo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elementar, meu caro...
      Hoje as vagas em geral (prédios, shoppings e estacionamentos) estao cada vez menores e mais apertadas.
      Assim nao adianta a porta abrir 90o se, na prática, nao ha espaco para abri-las...

      Excluir
    2. Isso no Brasil, porque em outros lugares costumam pensar em vagas demarcadas que permitam portas abertas sem encostar no veículo ao lado. Sendo o Cerato projeto mundial, poderia muito bem ter porta abrindo em 90º, uma vez que vendido em vários lugares. Caso se queira pensar em vagas mais apertadas, que se introduza uns dois estágios de abertura antes do principal e tudo fica solucionado.

      Excluir
    3. Paulo Freire
      Qual a necessidade de portas abrirem 90°? Porta de elevador precisa abrir tudo isso para se entrar e sair?

      Excluir
    4. Nesse ponto o Fit ou um hatch médio é bem melhor para acesso/saída de passageiros do banco traseiro. Poucos olham isso quando compram um carro.

      Excluir
    5. Caro Bob. Colocar um cadeirante ou idoso em um carro que abra 90 as portas é muito mais fácil. Outro tipo de porta ótima é a do doblo.
      TT

      Excluir
    6. Anônimo 10/02/14 21:02
      Tem razão, eu não havia pensado nisso.

      Excluir
    7. Não é aqui que as vagas não permitem mais abrir as portas a 90º. Acho que desistiram de colocar esse recurso se não dá para usar.

      Excluir
    8. Anônimo10/02/14 14:40 Pensei que só eu tinha reparado neste detalhe ,mau da pra abrir a porta quando a gente sai do carro nessas vagas.

      Excluir
    9. Pessoal,
      a solução para estacionamentos e vagas em prédios é bem simples: mais batentes. No C4 Pallas onde você deixar a porta, ela fica. No Megane a porta tem 3 "batentes" em vez de 2. É até melhor que o usado atualmente onde é praticamente uma certeza você bater na porta do carro ao lado, principalmente nos VW que tem batentes demasiadamente fortes.

      Excluir
  4. Um belissimo carro. Meu irmão tem um e eu acho mais bem acertado do que o meu Civic 2013. Penso seriamente em trocar o meu carro por um Cerato mecânico

    ResponderExcluir
  5. Eu achei que KIA não emprestava carros para avaliações.
    Eles mudaram alguma coisa ou foi o PK que passou um charme neles?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perneta
      Emprestam, mas com restrições, a blogs por exemplo, pelo que sei. Mas consegui convencer a Kia pelo seu experiente assessor de imprensa e velho amigo, Koichiro Matsuo. Outros Kia virão, mas lembre-se que estivemos no lançamento do Optima há quase dois anos, teve post, http://autoentusiastas.blogspot.com.br/2012/04/kia-optima-sem-surpresa.html .

      Excluir
    2. essa caixa automática epicíclica de 6 marchas é a mesma dos ultimos ceratos quando vinham com caixa AT6?
      (fiz a pergunta por aqui, pois não consegui resposta em nenhum lugar)

      Excluir
  6. Pelas minhas contas, a indústria automobilística japonesa levou igual ou menos tempo para se estabelecer como uma das grandes, depois que começou a exportar.

    ResponderExcluir
  7. PK, comparado ao Honda City este KIA se sai melhor? Gostei muito do City e seu motor raquítico não fez feio se usado com parcimônia, o interior do carro é bem feito e atende bem aos passageiros, os preços são semelhantes (R$64.990,00 versão EX, preço oficial hoje). Qual se sairia melhor? Lembrando que o Honda tem um pós-venda ótimo e boa visibilidade de mercado, itens que acabam contando, por menos que queiramos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hugo, aqui em casa temos um Kia Soul, da minha esposa. Ela gosta muito do carro, mas está fora de cogitação voltarmos a comprar Kia. O motivo: péssimo tratamento dado aos clientes. Bom, a última vez que estive lá (levei o Soul para troca de óleo) tinha até muro desabado sobre o carro dos clientes; um cliente bravo pois o pessoal da concessionária andou uns dois km com o carro da esposa com pneu furado e totalmente flat, destruindo o pneu e entortando a roda; a chave de ignição do carro da minha esposa quebrou ao dar a partida (soubemos de vários outros casos iguais) - carro com menos de 2 anos, garantia de 5; além da grossura a resposta sobre substituição da chave foi f....-se, sem garantia nenhuma - comprem outra chave: leva seis meses para chegar a chave e custa uns mil reais (antes da subida do dólar)...
      Bom foram já inúmeras discussões com a concessionária. A briga começou no momento da liberação dos documentos do carro... depois de tudo pago levou-se quase 10 dias para se pegar o carro... achei que o caso iria para a justiça...
      O carro não era meu, era da minha esposa, e ela também precisa de carro no dia-a-dia. Senão teríamos quebrado o pau na justiça. Só que teríamos que arcar com vários prejuízos, além de ter de comprar imediatamente outro carro, com a expectativa de um dia reaver o dinheiro pago pelo Soul.

      Assim, nunca tive Honda, mas em geral há uma boa percepção sobre seu setor de vendas e pós-vendas. A minha experiencia Kia foi (e tem sido) péssima.
      VPJ

      Excluir
    2. Anônimo10/02/14 17:08
      Esse tipo de comentario é realmente importante.
      Nunca tive um Kia , mas eu tinha essa desconfiança quanto ao tratamento dado ao cliente.
      Ja fui a uma CSS para ver o Soul e fiquei muito mal impressionado com a arrogancia e o despreparo da equipe de vendas.
      Pareciam que estavam vendendo um Porsche e que eu nao tinha a menor possibilidade de compra-lo....
      Lamentável.

      Excluir
    3. Obrigado pelo comentário VPJ, esclareceu muito algumas dúvidas minhas sobre o carro e sobre o comportamento da rede de concessionários. Grande abraço.

      Excluir
    4. já comigo foi exatamente o inverso! Atendimento nota 10!

      Excluir
  8. Já fiz o teste nesse Cerato.. realmente o carro é excelente exceto o motor... Realmente achei muito fraco para o carro... já tive Sentra e hoje tenho Linea... os dois inferiores no acabamento etc.. mas o motor é mais ligeiro... Pelo preço do Cerato ainda acho caro, acredito que mesmo com todos os impostos etc etc etc dá para melhorar...

    ResponderExcluir
  9. Gosto do estilo dos Kia, mais que os Hyundai, que sempre me parecem desenhados por algum cartunista especializado em mangás futuristas. Tem quem goste, eu não me incluo entre eles.
    Analisando friamente, 128 cv para 1200kg não está ruim, o pessoal reclama pois um dos grandes esportes nacionais (junto como futebol e a crítica à policia) é reclamar de falta de potência no carro. Lembremos a "maravilhosa" cavalaria que tínhamos nos Fusca, Corcel/Del Rey, Opala 4 cilindros, entre outros, e como nos virávamos muito bem com aquilo. Se o motorista não tiver pretensões de participar de track days, é mais do que adequado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra quem anda num Camry com motorzão V6 é fácil falar, né?

      Excluir
    2. Não compare carros de 30 anos atrás com carros atuais, por motivos lógicos...

      Excluir
    3. Hahahaha, antes de ter o Camry eu tive Monza 2.0 por uns 7 anos, e antes do Monza tive Fusca, Brasilia e Variant (gostava mais da Variant, diga-se de passagem; acelerava menos, mas depois que embalava era uma delícia na estrada, inclusive sendo mais estável que o Fusca e a Brasilia - novamente, minha opinião), então tive um bocado de motores fracos na mão. Ah, e achava divertido andar com o Escort Hobby 1.0 da minha tia: apesar de ser bem mais pesado que o Gol 1000 quadrado, o câmbio era melhor escalonado e nas 3 primeiras marchas até passava a impressão de ter motor. Óbvio que depois disso se percebia claramente que era quase um Corcel II com motor 1.4, nitidamente underpowered, mas não tendo medo de esticar a marcha era bem interessante.

      Excluir
  10. Na geração anterior era um pouco impreciso ao andar rápido, mas sem comprometer.

    De um bom tempo pra cá, só dá pra se surpreender com um carro quem antes tinha algum pré-conceito negativo.

    ResponderExcluir
  11. Se não fosse o motor, compraria fácil. Mas, pra mim, 120cv é insuficiente (comparando com seus concorrentes japa, Cruze, Fluence, Sentra, Lounge...)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpe, mas você é que é ruim de pé. Só sabe tirar desempenho de Ferrari?

      Excluir
    2. Eu sou bem melhor de pe do que voce pode imaginar.
      Eu sei tirar desempenho de qualquer carro, ate de uma Ferrari (apesar de nunca ter guiado uma)
      Acontece que sou um motorista experiente e extremamente exigente.
      Nao aceito comportamento de consumidor tipico de "manada" ou "Maria vai com as outras"
      Se voce se satisfaz com pouco , bom proveito!

      Excluir
    3. Aquela velha história... 120 cv é suficiente ? pode ate ser.. mas pelo mesmo preço fico com 140 cv.. rs

      Excluir
  12. Estava esperando essa avaliação desde do cerato 2° geração,pois tenho um 2010 e gosto muito do carro com algumas ressalvas como suspensão não adaptada para nossa realidade,ponto cego na coluna A e ruído do motor acima de 120km/h,mas com a nova geração parece que tudo foi resolvido e aprimorado o que já era era bom.
    O que mais surpreende é o desempenho que é fantástico para 1.6,o giro sobe rápido e bem liso e têm uma retomada rápida e freios potentes e que não gastam por que o meu está com 60.000 km e os discos parecem novo já as pastilhas rodam mas uns 10.000km,no geral o carro é bem robusto e firme.Só troco por outro mais novo ou um fusion por exemplo ou nissan altima.

    Fernando Igor.

    ResponderExcluir
  13. Carro bonito, mas a esse preço, o Novo Sentra me parece um carro mais bem construído; parece...e seu motor dois litros é um alento para uma condução (ainda) mais civilizada, visto que torque também se traduz em conforto, que é o charme principal desses carros.

    MFF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse conhece carro....
      Muito bem apontado seu comentário MFF

      Excluir
    2. MFF
      Nos meus 71 anos pensei que tinha ouvido tudo a respeito de torque, mas esse da conforto doeu... (rs)

      Excluir
    3. Dói mesmo, mas dá para entender. Torque mais farto em rotações mais baixas (não muito baixas também, o que só ajuda em baixíssimas velocidades e atrapalha o resto) ajuda em não precisar recorrer muito ao acelerador nem ao câmbio durante uma condução mais calma ou com trânsito, por exemplo. Mesmo num automático, as trocas de marchas se reduzem e isso diminui o incomodo pelo ruído e pelas trocas em si.

      Realmente combina mais com esses carros um motor um pouco mais com sobra de potência já em baixos regimes do que algo muito girador que em baixa sofra um pouco. Apesar que tudo depende de relações de marcha, peso/potência, a distribuição do motor e a suavidade do câmbio. Existem carros fracos de torque em baixa que são ágeis no trânsito e não apresentam desconforto nenhum. Às vezes a força mais moderada até ajuda no conforto.

      Excluir
    4. Bob,

      Mas não é? Exemplificando: Um opala diplomata quatro cilindros vai exigir quantas trocas de marchas a mais do que um seis para subir a serra? O público desse tipo de carro não aprecia antes de tudo o conforto?

      Eu entendo que torque - também - se traduz em conforto quanto você não passa apuros ao volante em uma ultrapassagem; não sua em bicas, não se agarra no volante e "ajuda com o corpo", para o carro passar aquela fila de caminhões. Tudo é mais fluido e sem dramas, como a mão de um gigante empurrando o teu carro (MAO)....

      Torque/conforto/Landau.....é uma ótima tradução nacional para a comparação.

      MFF

      Excluir
    5. Anônimo; realmente estou espantado "com o espanto" de vocês!

      É hora de pensar um pouco mais livremente, não é preciso tecer metáforas bisonhas como os jornalistas ingleses, mas entender que torque também significa conforto, seja de marcha ou de facilidade de locomoção é elementar!

      Me surpreendeu essa visão estática!

      MFF

      P.s: mas tu complementou certo em relação ao resto do comentário.

      Excluir
    6. Em ultrapassagens já entra em jogo mais coisas, como torque/potência em alta, relações de marcha e aerodinâmica. Um motor pode ser torcudo e péssimo para ultrapassagens, apenas "não pedir marcha" não muda muita coisa. Não confio num Landau 302 para ultrapassagens mais do que qualquer 1.6 espertinho de hoje, por exemplo.

      Excluir
    7. João Carlos11/02/14 15:09

      Esse é o lema dos "fabricantes de congestionamento": falta desempenho, não reduz marcha por preguiça, reclama sem razão que o carro que é fraco, quando fraco é ele ao volante.

      Excluir
    8. Muitos brasileiros tem preguiça para trocar marchas. Por isso, os fabricantes de automóveis que miram o mercado brasileiro tem encurtado a relação de transmissão (geralmente mexem apenas no diferencial), permitindo que o pessoal passe em lombadas em terceira marcha. Questão cultural, já que o nosso relevo e também as nossas estradas e avenidas de muitas cidades possibilitam um câmbio mais longo. Ivo.

      Excluir
  14. Um carro muito bonito , tem um vinho dele que fica fantástico na carroceria. Merecia só um pouquinho mais de força em baixa , o 1.8 que entrou no i30 agora lhe cairia bem

    ResponderExcluir
  15. Ótima avaliação, bastante detalhada. Acho um belo carro, porém apesar dos pontos positivos em relação à concorrência, ainda há um certo receio da minha parte no que diz respeito a manutenção e pós-venda. Será que vale o risco?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se for pra vender após dois anos de uso e 50 mil quilômetros rodados, como é o caso da maioria dos compradores de carros novos, não fará diferença alguma.

      Excluir
  16. Quanto ao peso dos concorrentes citados no post, vale ressaltar que tem o fluence com 1369 kg na versão CVT.

    ResponderExcluir
  17. Compre um e garanta o emprego dos sul-coreanos.

    Quem assina: Corcel II LDO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corcel II LDO
      Sua visao nao é errada de tudo..... porém.....
      O mundo é globalizado. Nosso des-governo PeTralha impôs barreiras quase que intransponíveis e imorais aos autos fabricado la fora. Mudou a regra do jogo a revelia e enfrenta acoes na OMC a esse respeito.
      Acho que voce deveria estar mais preocupado com a falta de investimento do governo em infra-estrutura, logística e transporte. Isso daria melhor condição de competição a industria local e geraria muito mais empregos.
      Infelizmente estamos investindo 1 bi US$ num porto em Cuba. Cuba a maravilhosa ilha-presídio dos irmãos Castro.
      Em quanto isso nossos portos aqui apodrecerem...
      Por favor reflita: muitas vezes as coisas nao sao tao simples como parecem ser.

      Excluir
    2. Tá, então ninguém compre nossas bananas, laranjas e petróleo para não perder empregos também nos seus países. Fechamos todas as fronteiras, as empresas entram em quebradeira e para não perder 1 emprego se perdem 1000. Boa mesmo essa lógica!

      Excluir
    3. Alguns países não produzem bananas, laranjas e... petróleo. Então, nesse caso, não existem empregos em jogo, certo? O Corcel LDO e seu motorzinho CHT está meio enferrujado mas não está de todo errado.

      Excluir
    4. O Corcel já está fumando feio. Vendemos laranjas para os EUA e lá laranja tem de monte. E isso foi óbviamente só exemplos. Vendemos também soja, que qualquer lugar pode plantar e muitos vendem concorrendo com a nossa soja.

      Isso de achar que dá para fechar mercado funciona em 3 situações. A primeira é se você for uma potência com mercado interno grande e todos os recursos naturais e tecnológicos que não se importe em não exportar e importar nada. Até hoje, mesmo quem pode fazer isso não faz. A segunda é se você for um imperialista de primeira, mesmo sendo pobre, onde você acha que tem o direito divino de só vender para os outros mas ninguém pode vender para você. Acho que se o país quiser isso, tem que saber e respeitar que outros também lhe fechem as fronteiras.

      A terceira possibilidade onde isso "funciona" é no mundo de fantasia e distopia dos "nacionalistas" e dos "grandes estadistas" onde todo país é auto-suficiente, ninguém deve comprar nada de ninguém (mas, claro, deve comprar) e que é "crime contra a pátria" o comércio com outras nações. Além da visão "genial" deles que é sempre questão de concorrência, de empregos e não de puro e simples comércio que pode ajudar a todos.

      Excluir
  18. Estou querendo trocar meu Vectra Elegance 2010 em abril, mas está difícil.
    Para onde eu olho, em se tratando de veículos similares em tamanho, tenho que fazer concessões.
    Coisas que o Vectra tem de série (não são opcionais!) e outros não:

    bluetooth (atendo telefone sem tirar as mãos do volante);
    tampa do porta malas com articulação pantógráfica (sumiu do mercado!);
    capô sustentado por amortecedor;
    vidros elétricos "um toque nas QUATRO (!) portas com antiesmagamento e alívio de pressão e fechamento automático pelo acionamento da trava na chave (pasmem, Sentra 2013 não tem! É vendido como acessório);
    porta malas de 526 litros;
    bolsa porta revistas atrás do encosto dos 2 bancos dianteiros (Cerato e outros só tem no banco direito);
    esguichos do lavador ocultos (no Cruze eles ficam cravados no capô!) e palhetas idem.

    Meu uso é urbano, então velocidade máxima não é um fator a ser considerado, mas boa arrancada é "desejável" e torque em baixa rotação também (menos trocas de marchas e menos ruído).

    Parece que o padrão tá caindo geral, mas na verdade o que se conhece como sedan médio no Brasil é compacto barato lá fora e são projetados na origem para serem baratos, principalmente os de DNA asiático (Cruze incluso). Chegam aqui, tem que ser "abrasileirados".
    O Vectra (Opel Astra H), DNA alemão, atendia um mercado mais refinado no seu continente de origem, mas mesmo o modelo atual dele, na Alemanha, já perdeu as "pantográficas"... Acho que algum incrédulo resolveu colocar o dedo no meio do mecanismo só para ver o que acontecia, então as fábricas abandonaram esta opção... rsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rolim,

      Tirando as pantográficas (e isso é uma pena), o amortecedor do capô e o alívio de pressão, o resto você encontra no Fluence. Além de um espaço que só vi igual no 408 (o do Fluence ainda é maior). E o motor/cambio dele é muito divertido. Eu tenho um um e recomendo.

      Excluir
  19. Essa do frete é dureza.

    Faz algum tempo estive em uma concessionária da marca e os caras pediram cinco mil de frete em um Picanto, de São Paulo até Santa Catarina.

    Assim não dá!

    E. U.

    ResponderExcluir
  20. Esse preço é quasee uma mágina pelo que paga de imposto.

    Mas um 308 ou 408 2 litros/6 marchas custa na prática 3 mil a menos, acho mais negócio, o que pesa é a baixa qualidade e má assistência técnica do francês. Nesse ponto a Hyundai/Kia está no nível de Toyota e Honda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É difícil falar sobre experiências pessoais, pois em muitas situações pode parecer que nosso caso se enquadra na exceção em vez do caso geral. Já tivemos muitos ford e fiat, alguns vw, 1 peugeot, 1 renault, e 1 kia. Temos tido muitos problemas com a Kia (não com o carro, mas com toda a pós-venda da concessionária). O que tenho visto acontecer na concessionária Kia impede um dia uma nova compra nossa na Kia. Tenho de ficar no "não aconteceu comigo", apesar de saber que acontece, problemas com as concessionárias francesas, por exemplo. Mas com a da Kia, como relatei num post mais acima, tem sido uma experiência surreal. Bom produto, mas, concessionária absolutamente não preparada para lidar com pessoas.
      VPJ

      Excluir
  21. Carro realmente belíssimo, todavia meu carro anterior ( i30 - geração anterior ) aos 47k Km mostrou- se de suspensão frágil, principalmente a dianteira. No momento da troca, cogitei o Cerato, mas o fato de ser 1.6 e da Kia - parceira da Hyundai - me fez desistir da compra. No mais, adquiri um Focus Sedan em sua versão mais simples e digo, que delícia de carro. Os 178 cv, a dirigibilidade e o câmbio de dupla embreagem fazem um conjunto sem igual no segmento.

    ResponderExcluir
  22. Olá, estou querendo comprar um cerato, mas estou esperando chegar o 2014/2014, alguém sabe quando chega? Nas lojas sempre falam que não tem data.

    ResponderExcluir
  23. eu tbm ficaria contentíssimo em tê-lo na minha garagem.

    oooh!

    ResponderExcluir
  24. Estou procurando um carro pra comprar na faixa de 55/60 mil e pra falar a verdade não sei o que comprar (furtaram o meu)... Queria um carro automático, com um motor razoável, com valor de seguro e manutenções "honestos". Não estou afim de pegar zero, mas sim com no máximo 20.000km. Estava pensando em um Corolla XEi 2.0. Alguma outra sugestão dos amigos que acompanham o Blog?
    Agradeço a todos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pense num 408. Conforme o preço na sua cidade, analise o Sentra.

      Excluir
    2. Semi-novo e por este valor... Eu consideraria fortemente um Fluence Privilége.
      São seis airbags, controle de tração e estabilidade, powertrain honestíssimo, enfim... Seria minha escolha.

      Excluir
  25. E vem com a faixa degradê no para-brisa, algo que está sumindo gradativamente nos carros.

    Lucas Sant'Ana

    ResponderExcluir
  26. Carro interessante, linhas atraentes, baixo peso, excelente aerodinâmica, bom espaço interno, bom porta-malas, sem a maldição da "suspensão levantada para atender a preferência brasileira" enfim, a síntese de tudo o que mais valorizo em um bom automóvel. .Não vejo o motor como um problema, pois além do desempenho suficiente, é o mesmo do HB20, que tem aos montes por aí... creio que falta de peças, e manutenção complicada não seria problema para o Kia. E por falar em Hyundai, esse câmbio de 6 marchas faria bem ao HB20 1.6 automático.

    ResponderExcluir
  27. 420 litros de porta malas e 50 de reservatório de combustível é muito pouco pra um carro desses.

    ResponderExcluir
  28. Temos em casa um Cerato da geração anterior e real mente é silencioso econômico e muito espacoso, até mesmo atrás. A suspensão é muito bem acetada, bom de andar, o único problema que se passar por uma lombada um pouco mais rápido atrás bate seco. O acabamento é bom, o desempenho é até satisfatório, garantia de 5 anos e revisóes a cada 5 mil km ou 1 ano.

    ResponderExcluir
  29. PK, belas fotos.
    Realmente ele é bonito, sim. No entanto, o meu atual ainda é mais leve (1.130 kg), econômico (não é flex), manual e anda mais (136 cv, 17,5 kgfm, 8,31 kg/cv) Corolla XEi 2006/2007.
    MAF.

    ResponderExcluir
  30. O que acharam dos pneus Nexen?

    ResponderExcluir
  31. Só me lembrei de comentar agora, mas acho que o Bob e o PK iriam adorar o Cerato Koup com o motor 2.0.

    ResponderExcluir
  32. É uma pena que pararam de trazer o Koup. Gosto muito dos carros 2 portas, mas as opções, atualmente, são muito poucas. Culpa deste IPI de 30 p.p.

    ResponderExcluir
  33. essa caixa automática epicíclica de 6 marchas é a mesma dos ultimos ceratos quando vinham com caixa AT6?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Autor do post Paulo Keller, ou qualquer outra pessoa, sei la, quem aprova os comentarios, não saberia me responder por favor?

      Excluir
  34. Qual o rpm a 100 ou 120 km/h ? só curiosidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. depois de um certo tempo, o post cai no esquecimento, e dificilmente é respondido!

      Excluir
  35. Piero e Lucas Garcia
    O pior é que é mesmo, acontece, mas não deveria. Por isso, nossas desculpas.
    100 km/h > 2.350 rpm
    120 km/h > 2.800 rpm

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. por favor, responde se possivel.
      essa caixa automática epicíclica de 6 marchas é a mesma dos ultimos ceratos quando vinham com caixa AT6?

      Excluir
  36. Pretendo comprar este Cerato ao fim do ano, trocarei meu Voyage 1.6 Comfortline. Fiquei desconfortável somente com a questão do motor, pois adorei o veículo no geral. Fui até a concessionária e a vendedora nos atendeu super em, a mim e a minha esposa.

    ResponderExcluir
  37. (pela 4ª vez, por favor, alguem poderia responder?)
    essa caixa automática epicíclica de 6 marchas é a mesma dos ultimos ceratos quando vinham com caixa AT6?
    (fiz a pergunta por aqui, pois não consegui resposta em nenhum lugar)

    Posso estar errado, mas, quando é pra responder alguma critica referente ao formato do blog ou algum comentário feito por vós a resposta tende a vir mais rapido, quero estar errado sobre essa afirmação.

    ResponderExcluir
  38. Lucas Garcia
    Se não respondemos é porque não sabemos essa detalhe, não lhe parece óbvio? E sua observação quanto respondermos mais rapidamente a comentários nos criticando está totalmente equivocada.

    ResponderExcluir
  39. Tenho um Cerato 2014 automatico. To muito satisfeito com o carro. A descrição deste artigo está perfeita, em todos os aspectos. O que mais me deixa frustado são os preços das revisões, que geralmente são o dobro do padrão das outras marcas e variam absurdamente entre concessionárias de cidades diferentes. No interior de SP é bem mais caro que na capital. Em outros Estados, nem se fala: mais caro ainda. Paguei 500 na primeira (10 mil km), 600 na dos 20 mil km (tava 800 no interior) e a tendência é só aumentar...
    A dos 40 mil km to esperando triste a facada de uns 1,8-2 mil reais.
    Para um carro de valor de 68 mil reais, são preços absurdos de revisão, não condizendo com o valor do carro.
    A Hyundai, que é do mesmo grupo, tem preços tabelados das revisões e bem mais baixos, inclusive para os importados. É uma pena que a KIA, para compensar as baixas vendas, não mantenha preços tabelados de revisões para que suas concessionárias possam lucrar nisso o que não lucram tanto na venda.
    Outro susto é na contratação de seguro: preços altíssimos frente a outras marcas.
    Tirando os preços citados, o carro tá excelente pelo seu preço. Deixa no chinelo em Design os outros da mesma faixa.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.