DEVAGAR DEMAIS

Foto: loja4x4.com.br
Está muito ruim presenciar todos os dias a enorme quantidade de motoristas que dirigem devagar demais.

Seja em ruas, avenidas ou estradas, parece haver um desesperador medo de dirigir em velocidade compatível com as condições de piso, visibilidade, e sinalização.
Um único motorista mais lento que o fluxo normal provoca lentidão em pouco tempo.

Quando observamos mais de um desses lentos em um trecho curto, podemos estar certos que a via toda está com velocidade média abaixo do compatível, e até mesmo do permitido pela sinalização. Os motivos são vários para isso acontecer.

Um deles é o medo da indústria da multa, que chamarei de IM, pois é o único modo lógico de nos referirmos a esse descabimento de fiscalização eletrônica instalado e em expansão em todo o Brasil.

Um outro é a falta de habilidade ao dirigir, agravada por distrações de todos os tipos, como os telefones e outros aparelhos eletrônicos, conversas de padrão "sala de estar" dentro de um carro, música em alto volume, leitura de jornais e revistas, ajustes na maquiagem das mulheres, crianças que fazem bagunça, cachorros no colo do motorista e muitos outros mais.

Mas o pior fator é a falta de prática, o alimento da habilidade, essa mágica característica que só vem com o tempo, os quilômetros rodados e a vontade de dirigir com eficiência.

Eficiência, no meu entender, é dirigir o mais rápido possível sem criar situações de risco de acidentes, sem atrapalhar ninguém, e sem cometer infrações.

Esse "mais rápido possível" deve ser sempre no limite permitido da via, até um pouco acima, pois os velocímetros indicam velocidades acima da real. Somados à tolerância dos instrumentos de medição da IM, podemos tranquilamente andar com o ponteiro quase em 80 km/h em vias com 70 como limite, ou 130 nas estradas de limite 120. Tranquilamente e sem desrespeitar nenhuma lei.

Mas há um desconhecimento da capacidade de ler os instrumentos no painel de veículos. As pessoas olham um "60" , e parecem não acreditar, desconfiar do número, e afundam o pé no freio diante das câmeras da IM, passando por elas a 20, 25 km/h a menos do que a velocidade permitida. O resultado é a lentidão sem motivo.

A situação que ocorre no Brasil há alguns anos, de crédito fácil para compra de carros, trouxe-nos a um paraíso para a indústria e um inferno para o trânsito, temperados pela venda e compra de carteiras de habilitação em diversos municípios. Salientemos que essa prática não é de agora, sempre existiu.

Eu mesmo fui alvo da oferta de venda de CNH em 1984, quando fui a uma autoescola. Disse que não precisava, pois já sabia dirigir há três anos, e o exame era muito fácil, ridículo em sua definição e essência.

Desde a pacata mãe de família que é muito boa nas atividades caseiras, mas muito ruim dirigindo um carro, até o motociclista com instinto suicida, que buzina loucamente, tentando tirar todos de seu caminho, estamos em uma crise mental de condução de veículos. O que se vê são veículos dirigidos muito devagar, sem atenção e conhecimento da relação espaço-tempo, resultando em acidentes de motivos primários e muitas vezes com tristes consequências.

Talvez seja hora de mudar tudo, desde a CNH comprada até o carro e moto financiados a prazos geológicos.

Ou, menos radicalmente, que se invista de verdade em educação de trânsito. Pode ser que a situação melhore, em mais umas duas ou três gerações de motoristas.

JJ

142 comentários :

  1. Então o problema não são os radares (necessários pra quem anda acima da velocidade permitida) mas sim aqueles que mesmo sabendo que a velocidade é de 60, 70km/h passam bem abaixo disto. Dá vontade de passar por cima...

    Existe é a "industria da infração" movimentada por condutores infratores...

    ResponderExcluir
  2. Muito bem abordado Juvenal. Eu só acrescentaria mais uma variável a esta equação: a sinalização precária ou inadequada.

    Viajo constantemente em meu estado de Minas Gerais e rodando em vias onde se circula tranquilamente e com segurança à 100, 110, 120, é muitíssimo comum ao se aproximar de qualquer localidade rural ou trevo ver a famigerada placa de 60 km/h e até em alguns casos já cheguei a ver placa de 40 km/h(!!).

    Placa de 60 km/h em uma rodovia é um absurdo! É pedir pra não ser respeitada. Se algum lunático algum dia quiser respeitar à risca essas velocidade vai atrapalhar demais o fluxo. A nossa sinazalização de velocidade é hipócrita e irreal. O que condiciona a todos a pensar "ah... placas só existem para cumprir tabela, não são para serem respeitadas"... Cai em descrédito. O motorista não acredita mais nas placas, e quando há um perigo real onde se precisa respeitar a placa... não respeita.

    Auto Escolas também são uma piada aqui. Alguém dá uma volta no quarteirão a 40 km/h engatando no máximo a terceira marcha e já tem condições para pegar uma estrada, sob condições as mais diversas, tais como chuva, neblina, noite, transito pesado? Claro que não. A formação é muito deficiente.

    ResponderExcluir
  3. Bem colocado. É incrível mesmo como o pessoal dirige mal. Sempre me pergunto se os instrutores de trânsito não foram formados na Inglaterra, pois quase sempre a faixa mais a esquerda é uma das mais lentas...

    Quanto às multas, eu não sou contra elas. O problema é que só existe multas para excesso de velocidade e, aqui em São Paulo, rodízio e zona azul. Se multassem os motoristas que andam sobre a faixa contínua, acostamento etc, já ajudaria.

    Além disso, idealmente, não custaria a algum guarda de trânsito para um infeliz que está errado, advertir, sem multar, e explicar o erro. É algo comum em países com trânsito civilizado. Um conhecido estava numa autoestrada francesa alugando a pista da esquerda, prática comum por aqui. Uma viatura o fez parar e o advertiu. Ele deixou de fazer isso lá, como por aqui também.

    ResponderExcluir
  4. Ah, se os meios de transporte coletivo das grandes cidades fosse confortável e eficiente...

    Eu sou um dos que optaria pelo uso de ônibus em detrimento ao carro, quando do deslocamento diário. Não precisaria me preocupar em procurar estacionamento, nem pagar por ele... nem me preocupar se meu carro ainda está onde deixei... tampouco me preocupar com a "IM". Usaria o carro para um passeio, curtir o carro com a família ou com amigos, de forma bem entusiasta.

    Em contrapartida, quanto a eficiencia no transporte coletivo, este depende de muitos outros fatores, logísticos e políticos, que sozinho daria um excelente post.

    Enquanto isto, teremos que conviver com excesso de gente tomando decisões no nosso trânsito... pessoas que ficam estressadas com o caos e que tentam se dar bem na menor oportunidade existente... e uma Indústria de Multas, respaldada pelos governantes, que nos deseduca ao invés de orientar. Sendo assim, o resultado virá tal qual uma bola de neve.

    ResponderExcluir
  5. O grande problema mesmo é a formação do motorista. As aulas deveriam ter aumento de dificuldade conforme a evolução do aluno, começando em lugar descampado, cidade, estrada, em diferentes horários, com chuva, neblina, etc. Enquanto o cidadão não conseguir sair corretamente da imobilidade em uma ladeira, fazer uma curva de 90 graus, girando o volante e ao mesmo tempo reduzir de terceira p/ segunda marcha, por exemplo, nada de CNH.

    ResponderExcluir
  6. Depois de descerem a lenha nos "ka-eme-agás" da vida, a turma topa com um "I-eme" e não diz nada?
    Que esquisito!

    ResponderExcluir
  7. Galo cego
    Só se fala industria da multa, jamais i'eme. Assim como se escreve km 10, mas nunca se deve dizer ca'eme 10. Ficou claro?

    ResponderExcluir
  8. Alguém vai no açougue e diz "quero um cá gê de carne"? Ou diz na padaria "quero um éle tê de leite"?

    Claro que não né...

    Outra coisa absurda é ver escrito "kilo" com K.

    Quilo se escreve com Q. Apenas o símbolo da unidade é "Kg".

    Parece óbvio, mas acho que as escolas não andam ensinando isso...

    ResponderExcluir
  9. Ahhhh, como é bom ler uma coisa dessas.
    Acho que se quer andar devagar, vá na direita. Pronto! Eu mesmo, quando estou sem pressa e não quero ficar colado no limite, vou pela direita. O fogo é gente que aluga a esquerda, vc pede educadamente, insistentemente, incisivamente, grosseiramente e nada... Acho que nem retrovisores sabem usar. É tão difícil usar a faixa do lado???
    Guardas não conversam com motoristas mais, e isso é muito ruim, pq multa pune, e conversa educa. COmo citaram acima, se fizesse a pessoa parar e conversasse com ela, já seria o suficiente muitas vezes.
    Mas o buraco é mais embaixo, é que assim como ter RG não faz de vc um cidadão, ter CNH não faz de vc um motorista. O cara até sabe conduzir um carro, mas não sabe quais são seus direitos, seus deveres, suas obrigações...
    E o pior, as "auto-escolas", cujos instrutores são, em sua maioria, idiotas que apenas disseminam preconceitos imbecis. Minha namorada disse que o instrutor dela orientou a usar, por exemplo, pisca-alerta em movimento na neblina ou na CHUVA! Completo absurdo!
    Aliás, o uso inadequato do pisca-alerta merecia um post à parte, peguei chuva forte na BAndeirantes outro dia e aquilo parecia arvore de natal de tanta luz piscando...

    ResponderExcluir
  10. Mais ou menos, Bob!...Acho que precisarei estudar um pouco mais o assunto, de qualquer forma, não se zangue comigo, eu sou seu fã......

    ResponderExcluir
  11. Acho que isso é resultado da formação deficiente dos motoristas somada ao medo da indústria da multa, indústria essa criada para abastecer os bolsos do governo.

    No caso da formação deficiente, o que vejo é gente que entra em uma auto-escola aos 18 anos (às vezes até bem mais tarde), decora o método para ser aprovado no teste teatral e irreal dos detrans e cai nas ruas sabendo praticamente nada. Geralmente anda devagar por sentir grande insegurança, afinal não aprendeu a dirigir de verdade. Com o tempo de prática, pode melhorar bastante, mas até lá vai sofrendo muito, prejudicando o fluxo das vias e criando várias situações de risco para si e para os demais.

    Quanto ao medo da conhecida indústria da multa, ele não existe apenas no que diz respeito à velocidade máxima das vias. Há também os sinais com tempo ultra reduzido de amarelo, então muita gente trafega bem devagar temendo não conseguir parar a tempo e ser multado. Mudanças drásticas e injustificáveis de velocidade máxima ao longo de uma via também contam bastante.

    Eu não acredito que as coisas melhorarão tão cedo por aqui, infelizmente...

    ResponderExcluir
  12. Eu acho que o problema é falta de habilidade de 80% das "múmias" que andam nas estradas..

    Para você motorista bração seguem as..

    INSTRUÇÕES PARA MOTORISTAS BABACAS

    1- Todo carro(ao menos pós-guerra) consegue atingir 100Km/h (ANDAR A 100Km/h NÃO ESTRAGA O CARRO , OK ?).

    2- Carros 1000 não sobem serras em quinta marcha . (AINDA MAIS SE LOTADOS DE GENTE).

    3- Os carros modernos fazem curva bem melhor que os fuscas,kombis e variantes dos anos 70 apesar de alguns não acreditarem. (ACREDITE E TIRE O MALDITO PÉ DO FREIO !!)

    4- Radar de 80Km/h NÃO SIGNIFICA 20Km/h!!!

    5- REDUZA uma marcha para ultrapassar!! (ACREDITE! O MOTOR NÃO VAI EXPLODIR...).

    6 - Na chuva , se você não enxerga ou é braço mesmo PARE PRA TOMAR UM CAFÉ NO FRANGO ASSADO E ESPERE PASSAR e não fique igual a um idiota ligando o pisca alerta por causa de uma pocinha d´àgua fazendo todo mundo andar a 40Km/h como se você fosse guarda rodoviário..

    7- Seu carro anda mais do que a maioria das carretas (ACREDITE!!) portanto se você fica amarrando a 80Km/h mesmo que na direita o caminhão quem vem atrás vai perder todo embalo para a próxima subida e com certeza vai ter que mudar de faixa para ultrapassá-lo , invadindo a faixa da esquerda e atrapalhando os outros POR SUA CAUSA !!PORTANTO ANDE DE ACORDO COM A RODOVIA SEU ANIMAL.Ou então viaje de ÔNIBUS..

    8- Acidentes quando ocorrem ( já fora da pista) NÃO SÃO EVENTOS TIPO DESFILES E PARADAS para você andar a 20Km/h e ficar olhando , procurando gente machucada ou para ver os estragos dos carros.. Coloque na sua cabeça que VOCÊ NÃO É DA SEGURADORA NEM TRABALHA NO RESGATE PORTANDO SE MANDA DAÍ E PÁRA DE ATRAPALHAR OS OUTROS...

    9- O acostamento não é uma PISTINHA RESERVA que você usa para mostrar ser mais esperto que os outros.. O TRÂNSITO É MUITAS VEZES CAUSADO POR IDIOTAS COMO VOCÊ !!

    10 - SAI DA MINHA FRENTE !!!

    ResponderExcluir
  13. Corsário Viajante.
    Pisca alerta mudou de nome, agora é autorização para estacionar.

    ResponderExcluir
  14. Só não concordo com a questão levantada sobre o financiamento de veículos.

    Se o sujeito não tem condições de comprá-lo à vista ou em poucas prestações, ele ter a opção de comprar em sessenta parcelas não faz dele um motorista ruim, tão pouco o "excesso de veículos" é a causa dos problemas no trânsito brasileiro.

    ResponderExcluir
  15. Tem mais um ingrediente nessa salada: as faixas estreitas que vem se proliferando pela cidade, como se todo mundo tivesse carros 1.0.

    Onde tinham 3 faixas, hj são 4 ou até mesmo cinco. Para o motorista médio, e mal-formado, a proximidade do carro ao lado amplia o medo e a automatica reação de reduzir a velocidade.

    Um onibus nessas avenidas acabam por ocupar uma faixa e meia, obrigando os motoristas de 2 faixas a seguir o ritmo mais lento.

    A ultima coisa que vejo em SP é Engenharia no transito.

    ResponderExcluir
  16. O VAMODOIDO tem razão: pisca-alerta se transformou em algo como: "botão que me permite estacionar onde eu bem entender mesmo que seja proibido, mesmo que seja em fila dupla e dane-se quem reclama, afinal eu posso pois liguei o pisca alerta"

    Palhaçada total.

    ResponderExcluir
  17. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  18. Um bom exemplo é a saída de SP para a Ayrton Senna. Depois da Ponte dos Nordestinos o limite passa para 120km/h. Mas a maioria não vê a placa gigante à esqueda e o trânsito continua lento. E depois da ponte que vai para o aeroporto de Guarulhos o trânsito fica mais lento. E adivinham porque? Por causa do Posto de Polícia Rodoviária!!
    Tem gente q passa à 60km/h lá! Deveriam ser multados pelo limite mínimo de velocidade!

    ResponderExcluir
  19. Acalme sua fúria, saudoso colega Jones.
    Talvez a pessoa que está dirigindo mal na sua frente, seja apenas um bom cidadão que não foi agraciado com a sabedoria para dirigir máquinas sobre rodas.
    Apenas isto.
    Talvez ele queira apenas visitar sua vozinha doente, nos cafundós do judas, sem prejudicar ou machucar ninguém. Decerto ele também não quer deixá-lo nervoso, tão pouco magoado.
    Sejamos tolerantes com o próximo. Trânsito veloz não é sinônimo de trânsito eficiente....

    ResponderExcluir
  20. Jones, essa coisa de ficar observando acidente REALMENTE causa mais acidentes, inclusive aconteceu comigo. Fiz recentemente uma viagem ao Sul do país (moro em Macaé - RJ) e quando estava chegando em Campo Largo - Pr, vindo de Foz do Iguaçu, houve uma capotagem na saída de uma curva. Pensem na cena, era por volta de 11 da noite, com chuva leve e neblina. As pessoas, inteligentemente em vez de se preocuparem em sinalizar o acidente, não, param NO MEIO DA ESTRADA, NA SAÍDA DE UMA CURVA SOB NEBLINA para observar o acidente. Eu vinha até devagar por conta da neblina não tive tempo para frear e acabei engavetando 6 carros que estavam alegremente olhando o ocorrido. Segundo o laudo da PRF, o culpado foi o cara que capotou, porque não sinalizou o acidente. Ainda segundo a PRF, foi um milagre ninguém ter se machucado, pois o comum é a perda de vidas nessa situação, causada por pura estupidez dos curiosos.

    ResponderExcluir
  21. Galináceo deficiente visual

    Não é transito veloz, é trânsito que flua, ritmado. Que ande de acordo com a capacidade de fluidez e segurança da via. Ninguém aqui da 50 cá ême por agá no supermercado.

    ResponderExcluir
  22. Vamodoido, não fique estressado com minha humilde opinião.
    É apenas minha opinião, não vai mudar o rumo da História, nem ficará para posteridade.
    Assim como a sua também não, nem como a dos colegas leitores e editores do blog.
    E outra, não foi eu quem postei e começou esta história de "ca-eme-aga"...aliás, nem sei se este tema é muito relevante, não é mesmo?
    Vamos fluir sem stress!

    ResponderExcluir
  23. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  24. Camarada Jones,

    Inclui aí nas instruções que a faixa de acesso às rodovias chama FAIXA DE ACELERAÇÃO e serve justamente para o indivíduo ACELERAR seu veículo para adentrar a faixa de rolamento na velocidade do fluxo.
    O que eu vejo de sem noção entrando (na verdade se atirando) em rodovia a 30, 40km/h na frente de carretas ou ônibus não é brincadeira.

    ResponderExcluir
  25. Não to bravo não cara. Cara não, galo. É que tem coisas que da margem de dúvida.

    ResponderExcluir
  26. Eu desisti de ter carro rápido, não há mais espaço para isto. Com esse carro a minha vontade era de passar por cima dos carros, buzinar e costurar todo mundo. Eu ficava ansioso e me deixava com muito mal estar.

    Por isso resolvi me juntar a maioria e peguei um modelo que é lento, automatico e confortável.

    Estou ajudando o trânsito? Acho que não, mas pelo menos curei as minhas dores de estômago, coração, rim e fígado.

    ResponderExcluir
  27. Fala Garnizé Cegueta!! Não tô nervoso nem saio xingando os "lerdinhos" de plantão não.. a piada é só pra gente descontrair um pouco ....
    Mas que tem gente que faz isso tudo aí , OU PIOR .. tem....

    Rss..

    ARRUDA

    Se a gente for anotar tudas as presepadas e fazer um manual vai ficar maior que uma enciclopédia da Barsa..Rss

    ResponderExcluir
  28. Ei, colegas, não precisam ficar se justificando, não.
    Também estou aqui pra me divertir...ah ah ah

    ResponderExcluir
  29. Em pista dupla ou tripla, sempre tem um engraçadinho que fica lá na pista da Esquerda, na velocidade máxima da via, e não dá passagem (de propósito), se achando "o herói" por estar limitando a velocidade dos carros. Sem se importar se a pessoa que está com pressa talvez esteja numa emergência. Acaba forçando a realização de ultrapassagens pela direita. Esse é o que eu chamo de "causador de acidentes".

    O mesmo para aqueles caras que andam muito lentamente... como aqueles caminhões com excesso de carga que sobem a serra a 30km/h. Isso devia ser severamente proibido! Em outros países algumas rodovias possuem, ao lado da placa de velocidade máxima, uma placa azul sinalizando a velocidade mínima. Poderiam implementar isso por aqui também.

    O comentário do Jones (aquele grande lá em cima) é perfeito!

    ResponderExcluir
  30. Essa dos caminhões carregados se arrastando a 30 km/h foi bem lembrada. Vejo sempre esse tipo de veículo caindo aos pedaços e em ritmo de cortejo fúnebre pelas ruas.

    Muitas vezes nem tão carregados assim, mas sendo o peso que arrastam já muito superior às capacidades de seus motores moribundos, quase sempre com centenas de milhares de quilômetros e praticamente nenhuma manutenção. Freios e outros equipamentos de segurança? Esses ficaram em algum lugar pelo caminho.

    ResponderExcluir
  31. Uma situação que me deixa extremamente irritado, é quando um motorista está na faixa da esquerda e fica bravo quando você dá sinal para ultrapassar.

    Daí quando você passa ele faz sinal do tipo: "vai maluco" e imediatamente volta para a faixa da esquerda para segurar o trânsito.

    ResponderExcluir
  32. Jones, você "é o cara" ... só quem transita por nossas estradas, sabe o que acontece de verdade ... tem gente no volante, que nem deveria sair de casa ... falando sobre velocidade e radar, as Rodovias Carvalho Pinto e Ayrton Sena, são um típico exemplo de motoristas extremamente "burros", que não acreditam no velocímetro de seus carros ... estas duas rodovias, com velocidade máxima de 120 km/h (na maior parte de seu percurso), estão fiscalizadas por radares fixos a cada 5 ou 10 km ... sabem o resultado ??? Os "motoristas", ao chegarem próximos ao radar, "afundam" o pé no freio, diminuindo abruptamente sua velocidade - estamos falando de auto-estradas, com velocidade de 120 km/h - esta diminuição de velocidade pode (se é que já não aconteceu) provocar acidentes, pois o motorista que vem atrás, não espera que o "imbecil" da frente, vá frear o carro para passar no radar a menos de 120 km/h ... quem utilizar estas duas rodovias, tenha muuito cuidado ...

    Geraldo

    ResponderExcluir
  33. Ou quando você está em fila simples, mas do outro lado - em sentido contrário - é pista dupla de ultrapassagem, e sempre tem um solitário dono da estrada na faixa da esquerda, impedindo a sua própria ultrapassagem sobre um veículo mais lento.

    Aí, se você ameaça colocar o bico do carro nessa faixa, só falta o outro motorista ter um ataque histérico movido a sinais de faróis...

    A burrice no trânsito mata mesmo!

    Mister Fórmula Finesse

    ResponderExcluir
  34. Pior é quando você está no limite da pista ou um pouco acima, numa pista com acostamento ou faixa auxiliar em péssimo estado, com 3 caminhões, dois ônibus e uma Kombi velha lááááá na frente, e vem um "ser", provavelmente não desse planeta, piscando o farol feito um maníaco, como se o mundo todo tivesse de parar e sair da frente por que ele quer chegar 10 minutos mais cedo na praia.
    O problema mais grave desse País é a falta de educação. Segundo maior problema: Falta de respeito.

    ResponderExcluir
  35. Galináceo

    Bravo eu deixei o motoqueiro que eu fechei na Av. Dom Pedro em Santo André...

    ResponderExcluir
  36. Certa vez estava eu dirigindo a 70Km/h numa descida de serra. A velocidade máxima era de 80Km/h se não me engano, mas simplesmente não conseguia chegar a essa velocidade me sentindo seguro. Não sou "braço duro" sem piloto, tenho boa noção do comportamento do meu carro e sei como corrigir pequenas escapadas. Bom, tudo isso pra dizer que tava a 70K/h porque tinha que estar mesmo!
    Bom, to lá na boa... pista simples...
    Vem uma Hilux, cola na minha traseira, liga o pisca-alerta e fica dando sinal de luz e buzinando... Como um animal desse dirige? Não sei...
    Como eu não tinha o que fazer, fiquei lá "segurando" ela até acabar a serra.

    Sabe o que aprendi com isso? Que há motoristas e motoristas. O que é velocidade baixa pra uns pode não ser para outros. Aprendi que muitos que compram carros com certo prestígio acham que são os donos das estradas (mesmo o carro em questão não sendo veloz) e que os outro motoristas mais lentos são pessoas que só querem atrapalhar o trânsito acima de tudo.

    O que tem que ser criticado, e foi, são aqueles que podem dirigir mais rápido mas não o fazem. Motorista que passa a 90Km/h num radar de 110Km/h deveria ter sua CNH tomada! O pior é que isso acontece frequentemente...

    ResponderExcluir
  37. Num mundo tão perigoso, de pessoas inconsequentes, ainda é menos mal uma pessoa que ande devagar do que um apressado.
    Mas é fato que as placas de limite estão muuuto ultrapassadas. Esses limites foram baseados na época que só tinha Fusca, que andava no máximo a 80km/l. É foda mesmo.
    No caso de cidade, depende muito. Se o limite é 80km/h, não vejo problemas em andar a 60. Ainda é uma boa velocidade para se andar na cidade.

    João Paulo

    ResponderExcluir
  38. As leis estão aí para serem seguidas. Assim como existe o limtie máximo de velocidade, existe a tolerância e existe o limite mínimo. Qualquer um que respeite essas variáveis, tendo habilidade ou não, pode dirigir e deve ser respeitado. Existe também a lei de dar passagem quando mais lento e requisitado, por sinalização de luz, que todos deveriam seguir, ou melhor, parar de alugar a faixa da esquerda.

    Errado, errado mesmo não é a tia levando os filhotes na escola devagar, mas sim o doido que sai podando todo mundo dando uma de gostoso.

    ResponderExcluir
  39. Juvenal, seu post é totalmente oportuno. O problema do povo dirigindo mal começa ainda nos "centros de formação de condutores". Já testemunhei coisas absurdas, principalmente quando são os próprios instrutores estão ao volante, como o que vi sair de uma garagem subterrânea de ré, buzinando e a toda velocidade. Se um carro estivesse passando naquele momento, teria sido um acidente feio. Outro fator é a mania do brasileiro em adquirir mal hábito, em copiar só o que não presta. O trânsito é uma verdadeira "vitrine" disso. Já percebeu que, ao invés de ligar o pisca-alerta quando para rente à calçada, os motoristas simplesmente ligam a seta naquela direção? Que se dane quem vem atrás. E quando mudam de faixa de repente, ligando a seta quando lembram? Afinal, quem vier por ali que freie, certo? É uma coisa de louco. Nem vou comentar sobre o total desrespeito às faixas duplas contínuas, "zebras" e afins. Tem muita gente boa que sequer faz idéia do que sejam. Soube de gente que pensou ser enfeite... Daí, adicione as "modas" de usar farol de neblina junto com lanterna, ou andar à noite com faróis e lanternas apagados (a moda do "stealth"), ou então a mais recente de todas: os que andam todo o tempo com o farol alto aceso.

    ResponderExcluir
  40. Ao Sabb: pelo que sei pisca-alerta só deve ser utilizado em duas situações:


    1) Veículo PARADO na pista por motivo de força maior (como um pneu furado, ou pane mecânica)

    2) Veículo em movimento numa via de trânsito rápido e que encontra o trânsito congestionado e parado (retido) à frente. Neste caso liga-se o pisca alerta apenas pelo tempo suficiente para alertar quem vem rápido atrás de que o trânsito à frente vai parar bruscamente.

    Para mim é isso.

    Se eu estiver errado alguém me corrija por favor.

    ResponderExcluir
  41. Bem lembrado acima a questão das faixas de aceleração. Eu diariamente vejo abominações na saída de um viaduto importante (rep. da Armênia) que cai na marginal Pinheiros. São duas faixas de rolagem que dão na marginal, sendo que a mais a esquerda é uma faixa exclusiva que se incorpora a marginal e a outra, à direita, converge para essa faixa uns 400 metros à frente. Não é que sempre tem um paspalho que mete o pé no freio na saída deste viaduto para cruzar por cima da faixa contínua e "entrar" na marginal, de preferência logo na faixa mais a esquerda, a 50km/h. O pior é que a saída do viaduto se encontra livre diante dele, porque a faixa é exclusiva deste. É de enlouquecer.

    ResponderExcluir
  42. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  43. Ah, esqueci também dos animais que, se pudessem, trocariam de faixa parados. Em vez do cara seguir o fluxo e mudar de faixa tranquilamente e em segurança, não, ele opta por meter o pé no freio e parar a faixa que ele se encontra e depois, ao mudar de faixa, parar todo mundo na outra.

    ResponderExcluir
  44. Guilherme.

    Entendi o que quis dizer. Penso como você, as vezes até andamos abaixo da velocidade limite. Pois vejo que a via dita a velocidade segura. Pode ser acima ou abaixo do limite da letra dura da lei.

    ResponderExcluir
  45. O "trânsito" aqui nos comentários também nos brinda com besteiras do tipo: "Motorista que passa a 90Km/h num radar de 110Km/h deveria ter sua CNH tomada!".

    Quer dizer que velocidade MÁXIMA agora é a obrigatória?

    Falta estudo a gente assim.

    Lembrando ao "amigo" (sic) que prepotentes assim (e que desconhecem a civilidade, educação e nossa fragilidade)"pensantes" ceifam vidas de gente útil. vai andar em track day e vê se aprende a se portar.

    ResponderExcluir
  46. Jota,
    As escolas parecem que não andam ensinando mesmo.

    Inclusive litros que você denominou como lt está errado, é somente l.

    E quilograma não é Kg, e sim kg.

    SI. Sistemas Internacional de medidas na veia.

    ResponderExcluir
  47. Tambem uso o pisca alerta como o colega Jota. Acho o correto.

    ResponderExcluir
  48. Aí vira autorização pra estacionar. Quem vem andando atrás e só ve a seta de fora piscando acha que o cidadão estacionado quer sair da vaga.

    ResponderExcluir
  49. Rod. do Imigrantes, chegada à São Paulo, último radar.

    Todo dia vemos dezenas de motoristas trafegarem a 100, 110km/h na via e frearem até 70km/h quando vêem o radar. Inclusive na faixa à esquerda - mais lenta (!).

    O que leva uma pessoa vir a 115, 120km/h, olhar o radar de 120km/h e frear até 70?

    Resultado, sustos, engavetamentos, lentidão, tranca-ruas, carros lado a lado... o próprio condutor se encarrega de acabar com a fluidez.

    Meu pai sempre dizia que ultrapassagem é uma negociação, que envolve regras e bom senso, ambos têm de trabalhar pelo melhor resultado, senão bate e morre. Simples assim.

    - Osmar Fipi

    ResponderExcluir
  50. E os medrosos que querem distância dos outros carros durante o sinal fechado? Parece brincadeira, quando me aproximo de alguém, o cara ou pisca a luz de freio ou anda um pouquinho mais pra frente quando chego perto do seu para-choque. Já vi uns deixarem distância suficiente para caber um carro na frente deles!

    ResponderExcluir
  51. Como dito na coluna do BCWS, tem aqueles que não brincaram de Lego quando criança, ai param o carro desordenadamente, comnedo faixa, atravessado, etc.

    ResponderExcluir
  52. Anônimo que postou em
    24/02/11 13:06

    Não quis dizer que as pessoas tem que passar pelo radar de 110Km/h a exatos 110Km/h. O que quis criticar é o motorista que ESTÁ a 110Km/h e freia para passar a 90Km/h, atrapalhando e até assustando quem vem atrás. Por isso, não mudo minha opinião e devo dizer que, de todo modo, a expressão "a CNH deveria ser tomada" foi uma figura de linguagem... não achei que alguém fosse capaz de leva-la a sério, como você o fez.

    Estudo, por sinal, é o que não falta a mim. Já você deve procurar aulas para interpretar textos. Conselho de desconhecido, até porque você é um anônimo.

    ResponderExcluir
  53. Já desceram a serra da BR116 em direção a Registro? A serra chega a ter seu trânsito completamente parado a ponto de se desligar o motor dos carros, pq isso? Pq na DESCIDA os caminhões vão tão devagar, mas tão devagar que os o trânsito simplesmente para... ué? mas isso não era para acontecer na subida? Sim, é raro, mas a subida tem duas pistas, a descida não, e na subida em alguns trechos tem corrida de caminhão carregado, um emparelhado com o outro a 15km/h ocupando as duas faixas sem deixar nenhum outro carro passar... impressionante, e a polícia onde esta? Dentro de suas bases provavelmente com o ar-condicionado ligado. Nada de multar os caminhões que trafegam abaixo do limite mínimo de velocidade exigido por lei... que se danem os motoristas, o tempo gasto, os lucros, o gasto de combustível, os acidentes, os roubos... que se dane tudo, afinal isso é Brasil.

    ResponderExcluir
  54. Nem fiscalizam mais o excesso de peso de caminhões e carretas, agora vocês querem que fiquem nas rodovias aplicando muntas? É demais, não acham? Coitados dos policiais rodoviários.

    ResponderExcluir
  55. Não quis dizer... Mas disse.

    Aspas (ou como se faz usualmente na internet, dizer que estava usando de ironia) sim faria sentido.

    Interpretação de textos só é possível quando estes são bem escritos(imensa maioria das postagens por aqui o são, mas os comentários de muitos são desanimadores), senão é adivinhação (quando o escritor julga conveniente alegar, depois, ironia/"figura de linguagem").

    Findo aqui, pois se na escola não aprendeu, aqui faltará tempo e espaço.

    Voltando ao cerne da questão: há motoristas despreparados sim, aos montes até. Mas há também quem se ache dono da verdade e queira arbitrar o comportamento alheio, quando nem ao menos se porta adequadamente. Mantenha distância segura e não levará susto nem em freadas pânicas ou de emergência, quiçá em redução de 20km/h.

    Hoje em dia dá muito mais "ibope" reclamar dos outros do que respeitar (não só os da lei, mas os razoáveis)os limites.

    Incrível como falta maturidade (não é relação inequívoca com a idade) para os que querem se autoafirmar usando o carro para se exibir, ou pior, impor aos outros seus valores. O "Autoentusiasmo" pode estar muito mais na condução aprimorada, no zelo com o equipamento e no cônscio proceder do que no "sempre a todo custo" andar nos limites (permitidos ou não).

    Conselho, não para você, desconhecedor, mas para quem se importe.

    Abraços aos demais.

    ResponderExcluir
  56. Ah sim, fora disto, vá para os autódromos.

    ResponderExcluir
  57. Infelizmente utópico e isso tudo só tende a piorar .

    A "lei de Gerson" impera, e na maioria das situações de trânsito, para grande maioria dos motoritas, no qual muito de nós a começar por mim se encaixa, os outros são sempre os errados .

    ResponderExcluir
  58. Não é fácil ser caminhoneiro, não, "pessoas".
    Descer a serra com algumas belas dezenas de toneladas de carga nas costas, subir a serra num calor escaldante, ou na calada da noite, com um frio de doer, fazer das tripas coração pra pagar pedágios, taxas, combustível, e ainda sobrar "unzinho" no fim do mês pra pagar as prestações.
    Não me parece muito justo reclamar que eles andam devagar e acima do peso. Isto é o máximo que eles podem fazer...certamente eles queriam tar dando "um pau" na estrada, com pouca carga num caminhão novinho e veloz.
    Bom, melhor seria se o motorista de carro pequeno, sentado em seu banco confortável e com sua relação peso/potência bem mais amigável, pudesse ter um pouco mais de calma e olhasse além de sua própria realidade...

    ResponderExcluir
  59. É Galináceo, é uma disputa tão ferrenha que esquecem que a preferencial é sempre da vida.

    ResponderExcluir
  60. Já que estamos falando de caminhoneiros, especificamente esses que se encontram na BR116 entre São Paulo e Curitiba....
    Melhor seria se a cada vez que ele mudam de faixa sinalizassem ANTES da manobra e não como costumam fazer só DEPOIS de iniciada a mudança sem se importar se quem vem atras tem que reduzir bruscamente.
    Melhor seria se eles respeitassem a faixa da esquerda como mandam as regras. De noite ou madrugada todos andam na esquerda e não estão nem aí, mesmo que a faixa da direita esteja livre. Você é obrigado a ultrapassar pela direita.

    ResponderExcluir
  61. Bem por aí mesmo, amigos dos apelidos engraçados.
    Reclamar do cara que freia (imagina se ele precisar mesmo parar, vai ser exorcizado/excomungado pelo desatento/assustado...), do outro que sobe a serra devagar, do que "pode andar mais rápido e não o faz" (sic)... Isto tudo é coisa de gente que fecha a porta do elevador "rápido" para ganhar 10 segundos na vida, mas deixa o vizinho (vizinha não, pois o babaca acha que vai ganhar um sorriso que desencadeará um noite de sexo selvagem hahahaha) esperando por 5 minutos o próximo.

    ResponderExcluir
  62. A tempo: ...umA noite..

    ResponderExcluir
  63. Se um caminhoneiro soltar o caminhão lomba a baixo, dependendo do peso e da distância, ele não segura mais. Quantas vezes já vi caminhão largando uma fumaceira dos freios em descida de serra.

    É irritante ficar atrás de um, mas fazer o que?

    ResponderExcluir
  64. Melhor seria , mesmo, se eu tivesse recebido um aumento de salário no fim do ano
    Aliás... melhor seria se viesse logo um post novinho em folha pra gente comentar. este aqui já foi bem mastigado...ah ah ah!

    ResponderExcluir
  65. São casos e casos, e cada caso é um caso. Sobre os caminhoneiros há os que andam certo e colaboram pra não atrapalhar os outros. E há os que não se importam nem um pouco com os demais veículos e agem como donos da estrada.

    Tem que haver um equilibro e um respeito às regras de parte a parte.

    Os caminhoneiros estão sim trabalhando duro enquanto os motoristas de carros de passeio podem estar apenas "passeando", mas isso não lhes dá o direito de agir com desrespeito aos carros de passeio.

    Da mesma forma os carros pequenos tem que entender que o caminhão não anda mais rápido porque é um veículo de carga, naturalmente numa subida estará lento, e nas descidas íngremes terá de descer lento por segurança também. Procurar não atrapalhar o caminhoneiro que está ali trabalhando também é um sinal de respeito.

    Claro que no melhor dos mundos o Estado deveria ter estradas com muitas faixas pra subir e descer, mas infelizmente isso não acontece sempre.

    Em tudo há que se ter bom senso.

    ResponderExcluir
  66. O cara que disse que "se um carro passa a 90km/h quando o limite de velocidade é 110, deve ter a CHN cassada" viajou legal. O limite mínimo é a metade da máxima indicada, caso não esteja explícito.Aliás, acho que esse limite mínimo deveria ser indicado para evitar confusões.

    E discordo do autor do post sobre a diferença entre a velocidade indicada no velocímetro e a real. Saber disso é preciosismo exagerado. Ninguém tem a obrigação de ser mecânico oiautoentusiasta pra saber disso.

    João Paulo

    ResponderExcluir
  67. Este tipo de post é "chover no molhado", mas sempre rende muitos comentários... Diga ae JJ... hehehe

    Anônimo (24/02/11 14:28) mandou bem, Osmar também... Falta bom senso, a maioria aqui simplesmente por gostar de carro provavelmente tem mais habilidade para dirigir que o motorista médio, mas as pessoas não são obrigadas a ser um "Ás do Volante" como você entusiasta, respeite a vovózinha ao seu lado.

    O que me deixa mais nervoso? Huuummm... Quando "por segurança" um "aluga faixa" encontra um amigão para andar do ladinho, assim eles controlam a velocidade da pista mesmo, sem que possamos podá-lo pela direita. É dose!

    Ahhh... Jota
    Reiterando o anônimo 24/02/11 13:08
    Lt é lata.

    Eu ía perguntar sobre a lei de velocidade mínima, mas preguiça não! Taí... algumas considerações que encontrei "googlando".
    www.perkons.com.br/arquivos/artigos/velocidade_minima.rtf

    Sds

    ResponderExcluir
  68. Galo,

    Concordo que temos que enxergar além da nossa realidade, sem dúvida! Aliás, o veículo de carga tem prioridade em muitas situações. Não sei como uma pessoa não consegue perceber, que com um pouco de cortesia no trânsito, inclusive para com os caminhoneiros, tudo flui melhor.
    Mas caminhão acima do peso ou sem condições de rodar, colocando a vida dos demais em risco, jamais!!!

    ResponderExcluir
  69. Na minha opinião o fácil acesso ao crédito na compra de autos 0 Km combinado c/ o aumento na renda da população trouxe às ruas um contingente de motoristas de 1ª viagem, ou seja, pessoas q estão adquirindo o 1º carro da família.

    Nada contra essa conquista importante p/ qualquer cidadão, porém não existe nos mesmos um termo chamado CULTURA AUTOMOBILÍSTICA. Tal termo se traduz na tradição familiar vinculada aos automóveis, seja na sua condução seja na convivência natural c/ este bem, que a grande maioria dos frequentadores do AE já tem desde os tempos dos avós.

    Dois bons exemplos dessa falta de cultura foram a entrada dos importados no início dos anos 90 aqui no Brasil, onde eram comuns acidentes graves c/ tais carros simplesmente pq o brasileiro não estava acostumado c/ a velocidade, aceleração, frenagem e etc dos mesmos e atualmente no trânsito da China, onde ocorrem acidentes PATÉTICOS em baixíssima velocidade por pura falta desse cultura.

    Vale lembra que na China cerca de 95% dos motoristas são da 1ª geração de condutores, ou seja, os pais e avós JAMAIS tiveram carros.

    Video abaixo p/ comprovar oq ocorre lá e oq ocorre aqui, de acordo c/ o Post:

    http://www.youtube.com/watch?v=OcsZxUDWCXg&feature=related

    ResponderExcluir
  70. Pisca,

    Pensei em escrever algo neste sentido, mas estava com receio de ser mal interpretado por algum "esquerdista extremo"...
    Parabéns, fez ótimo uso da palavra!

    Por mim, não só cortaria o financiamento sem entrada, cortaria o financiamento para carros de passeio! O governo não quer diminuir a inadimplência e conter o consumo desenfreado? Então!

    ResponderExcluir
  71. Ótimo texto JJ, parabéns !
    Algumas considerações minhas:
    - brilhante a cartilha do Jones
    - o maior problema não é a habilidade no volante, e sim a falta de educação e cultura mínima que assola o país das banânias.
    - essa falta de educação está presente em pelo menos 95% da população, e incluo aí além dos motoristas, os dirigentes, os políticos, os "pseudo-técnicos" burros do DNER, Dersa e qualquer outro orgão público. É tudo lamentável e o consêrto, se houver, irá demorar décadas.
    Abr, Luiz

    ResponderExcluir
  72. Anônimo 24/02/11 17:04

    Eu sou esquerdista, mas não sou xiita né? Até pq como foi citado por mim, a culpa não é da facilidade de crédito e nem o acesso a este bem, e sim da ausência da Cultura Automobilística supra citada por mim.

    ResponderExcluir
  73. Caramba, 95% é um número bem alto!!
    Imagino que você não se inclua na estatística, certo, colega Luís?!

    ResponderExcluir
  74. "Isso mesmo Pisca. Vamos bloquear o acesso ao direito de comprar um carro."

    Então nossa incapacidade de formar motoristas deve ser penalizada com restrição à compra? Eugenismo, fascimo?

    O que falta é escola e auto-escola. Aliás, cansei de "carrão" cometendo burradas sem tamanho no trânsito, inclusive jogando lixo pela janela.

    Agora o sujeito que conseguiu comprar o carro para usa com a família depois de muitos anos tem o direito negado?

    Sem extremo esquerdismo, mas é que todo o 1º se compra carro à prazo desde entrada mínima.

    Nosso problema é escola (e preconceito também né...) descente e formação de civilidade, e não acesso à crédito.

    Vamos restringir a venda de geladeiras à prazo porque agora as donas de casa compram mais carne e isso causa infarto. Ahhh... filosofia paulistana.

    - Osmar Fipi

    ResponderExcluir
  75. Correção:
    "Sem extremo esquerdismo, mas é que todo o 1º MUNDO se compra carro à prazo desde entrada mínima."

    - Osmar Fipi

    ResponderExcluir
  76. Osmar Fipi, por favor, RELEIA MEU 2º PARÁGRAFO.

    Nada contra essa conquista importante p/ qualquer cidadão, porém não existe nos mesmos um termo chamado CULTURA AUTOMOBILÍSTICA. Tal termo se traduz na tradição familiar vinculada aos automóveis, seja na sua condução seja na convivência natural c/ este bem, que a grande maioria dos frequentadores do AE já tem desde os tempos dos avós.

    Entendeu ou quer que eu desenhe?

    PS: Não sou paulistano, paulista e mto menos tucano.

    ResponderExcluir
  77. Pisca disse...
    Anônimo 24/02/11 17:04

    Eu sou esquerdista, mas não sou xiita né? Até pq como foi citado por mim, a culpa não é da facilidade de crédito e nem o acesso a este bem, e sim da ausência da Cultura Automobilística supra citada por mim.

    24/02/11 17:38

    ResponderExcluir
  78. Podem apoiar os caminhoneiros lentos à vontade. Agora me digam, quantos deles estavam em condições de rodar? Manutenção em dia? Sem excesso de peso? Não me interessa a situação, caminhões assim não podem andar e fim de papo.

    Esse negócio de que está difícil e etc é balela. O caminhoneiro deve saber quanto cobrar para pelo menos conseguir comprar pastilhas de freio novas de vez em quando.

    E se eles abaixam a cabeça para os contratantes do serviço de transporte não é problema meu.

    Tem gente por aí andando com excesso de horas e rebite, causando acidentes pra caramba, e até conseguiram um aumento de pontos da carteira para cometerem mais infrações antes de perdê-la.

    Eu não vou passar a mão na cabeça de nenhum deles. Segurança é coisa séria.

    E olha que eu nem falei do caminhão que uma vez resolveu ultrapassar o outro com o meu pai indo contra os dois. Demorou uma eternidade e o FDP não abortou a ultrapassagem. Esse tipo de gente tem mais é que se ferrar mesmo e ser xingado.

    ResponderExcluir
  79. Galo, na China Galo, na China...rss

    ResponderExcluir
  80. Pisca,
    Antes de cultura automobilística nos falta cultura social, em todos os níveis. Quanto ao tucano não esquente... a filosofia paulistana vai além de partido.

    Ás vezes penso que nossa civilidade não passa de subir em árvore e cavar buraco. Eterno quintal do mundo.

    - Osmar Fipi

    ResponderExcluir
  81. O comentário do Jones foi melhor até do que o post do JJ.

    Mas não tem muito jeito não. O processo de imbecilização dos motoristas ocorre em diversos níveis, do "treinamento" à "avaliação" passando pela sinalização, punição, vias e PRINCIPALMENTE "engenharia de tráfego".

    ResponderExcluir
  82. Osmar Fipi

    Agora sim nivelamos o debate a um nível adequado...rss.

    Concordo plenamente contigo. O termo CULTURA GERAL inexiste no brasileiro médio.

    Eu tbm bato mto no jeito de agir e pensar do paulistano, msm tendo vários amigos de lá...rss.

    ResponderExcluir
  83. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  84. Incrível como aqueles que estão se gabando de ter "cultura geral" são os mesmos que apresentam o ridículo preconceito contra o paulista e contra o paulistano.
    Aliás parece que virou moda malhar e falar mal de São Paulo. É pena, porque o paulista, ao contrário, sempre foi receptivo às pessoas dos demais estados da União.
    Acho muito chato ver que em pleno século XXI tem gente que ainda vai no embalo de preconceitos disseminados com fins eleitorais para dividir o país, ao invés de uní-lo pelo bem comum.

    ResponderExcluir
  85. Engraçado ler gente dando lição de moral e nem sabe como usar o pisca-alerta. Não existe "eu acho o correto", existe a lei e ela deve ser seguida.

    A verdade é que o trânsito é igual o sangue. Parou, morreu, correu demais, morreu também. Tudo tem que andar como um fluxo constante, colaborativo, não interessa se a 50km/h ou 200km/h. Se tem um engraçadinho travando o problema acontece, assim como se tiver um idiota podando todos se sentindo o dono da rua.

    E sobre os caminhões que descem devagar, quem comentou isso nunca dirigiu um desses, pra reclamar, solta ele na ladeira e vê o que acontece, ainda mais na serra dos 90. Na subida eu concordo que é irresponsabilidade ultrapassar lentamente, mas na descida, desculpe amigo, mas você realmente não tem noção do que é ter algumas dezenas de toneladas nas costas.

    No fim, tudo bate na falta de respeito, e ainda confundem com acesso ou crédito fácil. Falta de respeito tem tanto o pedreiro com sua brasília sem vidros quanto o playboy com seu audi tunado, basta quererem.

    ResponderExcluir
  86. Ai Corsário...não acredito q vc se doeu c/ oq eu e o Osmar dissemos...

    Vai dizer q paulista não malha td mundo? Ou vcs não chamam os cariocas de vagabundos q vivem na praia e não trabalham, os gaúchos de viados, os goianos de roceiros, tds q moram em Brasília são políticos safados, os nordestinos então são tds paraíbas e os nortistas são índios!

    Qual o problema da gente de fora achar q os paulistas são vakinhas de presépio q aceitam td calados? Ou então malhar a "Veneza brasileira" q é a tua cidade a cada chuvinha?

    Q bobagem apelar c/ isso...viajo mto p/ esse país a fora e é a coisa + normal do mundo as pessoas me falarem q aki no Goiás só tem corno...heheheh. Vc acha q vou sair brigando c/ as pessoas p/ causa disso? Se liga! Larga de ser estressado, oq é a cara do Paulistano tbm...rss.

    ResponderExcluir
  87. """""Mas há um desconhecimento da capacidade de ler os instrumentos no painel de veículos. As pessoas olham um "60" , e parecem não acreditar, desconfiar do número, e afundam o pé no freio diante das câmeras da IM, passando por elas a 20, 25 km/h a menos do que a velocidade permitida."""

    O pior é que essa pessoas quando radares são fixos, em uma via com velocidade máxima de 60 KM/h, andam a 80/90 KM/h, e quando chegam perto do radar, pisam no freio e passam a 30 Km/h, passando o radar, voltam aos 80 Km/h.

    oras bolas, porque não manter uma constante de 60 KM/h?

    ResponderExcluir
  88. Como é o nome do pisca-alerta nos manuais de proprietário? LUZ DE EMERGÊNCIA. Logo, é pra ser usada em emergências, não como licença automática para estacionar onde não pode. Pensei que isso era coisa de gaúcho (sou paulistano morando no RS). Quanto à velocidade, lembro da seguinte história: um conhecido em viagem à Itália estava com um Alfa alugado, entusiasmado com a macchina numa rodovia, e se excedeu, sendo parado pelos carabinieri. O sermão do patrulheiro, que não o multou: "O limite de velocidade nesta estrada é de 110 km/h. Normalmente toleramos até 120/130 conforme o volume de tráfego. O senhor estava a 140, o que sai um pouco do razoável. Peço-lhe que reduza um pouco seu ritmo de viagem, ok?" O amigo não sabia onde se enfiar de tanta vergonha, e seguiu o resto da viagem a 90 por hora... Já no Brasil, alguém pego dirigindo acima do limite de álcool se recusa a soprar o bafômetro "para não produzir provas contra si". Quer dizer que o negócio é dirigir bebum e correr o risco de matar alguém? Uma lei que é para proteção da própria pessoa não é seguida pelo bom senso? Não é a velocidade que mata, são os erros e as más atitudes no trânsito.

    ResponderExcluir
  89. Mauro
    Esse evento dos carabinieri que você contou mostra com lá fora os ares são outros, não?

    ResponderExcluir
  90. Em Brasília usamos a mão inglesa pois a faixa mais lenta é sempre a da esquerda. rsrsrs

    Falando sério, sempre vejo pessoas que, ao fazerem o retorno, conseguem ordenhar o volante usando o celular e dando bitoca na companhia ao mesmo tempo. Surreal.

    Dirigir um Mille, uma S-10 ou até mesmo um carrinho de golf todos deveriam levar a sério. Estes maus hábitos são abomináveis e deveriam ser passíveis de prisão.

    ResponderExcluir
  91. Quem quiser me chame de preconceituoso, mas, obviamente, essa atitude no trânsito é típica de mulheres . Elas acham que devem dirigir a 70% da velocidade máxima da pista (no máximo) e atrasam a vida de todo mundo.
    Elas acham que dirigindo um carro maior serão motoristas melhores, compram verdadeiras jamantas(Tucson, Ecosport, CrossFox...) e continuam dirigindo da mesma forma imbecil e arrogante.

    ResponderExcluir
  92. O post do JJ e o comentário do JONES deveriam ser material obrigatório nas autoescolas. Na verdade, deveriam ser lidos nos intervalos das novelas, programas de auditório, BBB e futebol.

    Quanto à indústria da multa, só o mais ingênuo dos ingênuos não acredita em sua existência. Hoje mesmo comentei com um colega de trabalho, olhando pela janela, o absurdo que é a obstrução de um trecho de uma das principais avenidas aqui de Bauru por motoristas que vem de uma rua perpendicular e vão se aglomerando, sem ao menos esperar que o primeiro carro a passar atravesse a avenida completamente. Isto a 30 metros do posto de trânsito da Polícia Militar. NUNCA vi um PM orientando ou multando um desses motoristas mal educados, nem os azuizinhos (os marronzinhos daqui), mas os radares e lombadas eletrônicas estão em pleno funcionamento, com os motoristas geniais trafegando a 35 km/h na faixa da esquerda, onde o limite é 60 km/h.

    Outra coisa que passou dos limites de qualquer explicação é o uso incorreto das luzes do carro. Tenho a nítida impressão de que há uma inversão completa e o que deveria ser regra é exceção. Quando há carros sem luzes de neblina acesas à noite, pode apostar que não as tem. Muitas vezes somadas ao uso das luzes de posição, como já comentado aqui. E não há mudança nenhuma nesses vícios e incorreções porque NUNCA esses "iluminados" foram abordados por um prestativo PM ou agente de trânsito para lhes ensinar o que deveriam ter aprendido na autoescola.

    As cenas do trânsito chinês são impressionantes e mostram que falta faz o conhecimento de trânsito a ciclistas e pedestres também.


    Gustavo

    ResponderExcluir
  93. Completando: eu quase nunca vi um policial de trânsito fiscalizando à noite ou de madrugada. Na época da "lei seca" eram rotineiras as blitze para flagrar motoristas acima do índice de alcoolemia, mas só naquela época do oba-oba, de começo de vigência da lei...

    Gustavo

    ResponderExcluir
  94. J.J. escreveu só duas linhas sobre financiamento a prazo geológico (amei o termo), que concordo com esta revisão; verdadeiro saco ter que andar atrás do "mano" que compra seu 1.0 pelado (normalmente vermelho) em 200 parcelas, deita o banco, som no toco, bonezinho virado pra trás, leva 3 dias pra passar (sempre transversal) por um quebra mola, mais uma semana pra passar da primeira pra segunda marcha e percorre uma avenida toda a 20 km/h (pra não gastar os 20 "real" que botou de combustível).

    ResponderExcluir
  95. ao menos dentro de sua cidade é simples não ser pego pelo radar, é só dar uns pipocos no pardal, cada um fazendo sua parte.

    ResponderExcluir
  96. Juvenal Antena25/02/11 09:39

    Justameeeente!

    Aqui na Portelinha, eu mandei estourar todos os radares! Alguém pediu a minha autorização para levar uns trocos da minha comunidade?

    ResponderExcluir
  97. Corsário, Pisca,

    A "cultura geral" me mostra que após conhecer diversos outros lugares do Brasil e fora do país, vejo o povo paulista como o que alimenta um rancor com o resto do país (especialmente nordeste) com desculpas do tipo "nós sustentamos tudo isso aqui"... mesmo sabendo que nossos maiores patrimônios de exportação e consumo interno estão fora de SP.

    O trânsito em São Paulo é um dos, senão o mais agressivo que já guiei. Todo mundo quer dar o troco.

    A cidade é a mais cara das Américas, com o custo de vida x renda mais alto de seus 3 continentes, possui um índice de qualidade escolar semelhante ao de cidades do interior do Paraguai, e IDH entre os 20 piores entre as 200 maiores cidades do mundo. Buenos Aires e Santiago estão umas 30, 40 posições à frente.

    O sistema de transporte público de Bogotá é mais eficiente e confortável e barato. Pedágio na Suíça é mais barato.

    Conheço dezenas de pessoas que estão em São Paulo somente por emprego. Eu mesmo assim que puder caio fora.

    É a cidade que conheço onde o preconceito de classes é mais violento e raivoso, de pobre pra rico, de rico pra pobre. Vide exemplos do popular vermelho e dos Tucson, aqui mesmo.

    Uma cidade maravilhosa pra quem vive no quadrilátero do luxo. Um inferno de qualidade de vida x custo para o restante da população.

    Ah, sou paulistano e moro em São Paulo, mas não sou cego. Pelo PIB local o estado deveria estar em muito melhores condições. Tenho dito.

    - Osmar Fipi

    ResponderExcluir
  98. Corsário,

    Porque que sempre que alguém critica ou analisa São Paulo você tratam o tema como política? Petismo ou sei lá o quê?

    Eu mesmo nem voto em tucano ou petista porque ambos não provaram ser o que precisamos.

    Daqui a pouco virão escrever aqui que quem anda rápido é tucano porque tem formação e devagar é petista porque é pobre e não pode pagar a gasolina... cada uma.

    Não tem nada a ver. É o fato de que sou cidadão e não corno-geográfico, que prefere viver mal do que aceitar críticas - verídicas - ao lugar que vive.

    Paulista geralmente é sempre reacionário à crítica, ao invés de realmente cobrar qualidade por tudo aquilo que paga - e alto - à administração pública. Chega, esse papo já deu.

    - Osmar Fipi

    ResponderExcluir
  99. Eita , o pessoal pega pesado aqui ...

    O que faz também um MOTORISTA BRAÇÃO é a referência ( ou falta ) dele , ou seja o carro que ele tinha antes .. veja abaixo:

    ANTES – Vw a ar , Fusca , Kombi, TL, Etc...

    HOJE - Corsa 94, Palio 95, Fiesta (Endura).

    O indivíduo ainda está ENCANTADO com a quinta marcha do seu possante até então impossível nos “véio” VW.... tão encantado que não a tira para nada , nem para ultrapassar, subir, descer, tudo é feito em quinta como se fosse um cambio automático , claro que a potência desses motores 1,0 ajuda muito ..!!! Outra mania que herdaram dos donos de VW (A AR) é botar o carro na BANGUELA em qualquer descidinha ( só assim que ele tira da quinta marcha.).

    ANTES – Chevette, Corcel I , Fiat 147.

    HOJE - Tipo, Gol (Quadrado), Escort (85).

    Essas aí são pessoas que ABOMINAM a chuva, porque seus antigos possantes simplesmente EMBAÇAVAM ATÉ COM GAROA. Os donos dessas viaturas eram obrigados a andar com uma toalha de banho para ficar limpando o pára-brisa pois o ventiladorzinho sozinho demorava umas quatro horas para desembaçar o vidro ( quando funcionava) . Os limpadores desses carros tinham duas velocidades: PARADO E DEVAGAR a esposa é levada em todas as viagens para limpar seu lado do vidro..
    Então quando ele vê uma nuvem escura já aplica o pisca alerta ,e coloca uma segunda marcha para proteger nós motoristas da PERVERSA E ASSASINA CHUVA... Devemos agradecer a Eles....

    ANTES – Honda CG, Honda Bizz, YBR

    HOJE - Palio (96) , Uno SX , Ka (endura), Santana (86).

    Esses ai foram contemplados com a nossa economia estável e a oferta de crédito para comprar carros quase igual a da CAIXA ECONÔMICA.

    Como eles tinham antes essas
    “ MOTINHAS “ e às vezes tinham que pegar estrada daí que vem o TRAUMA: Quando pegavam uma Fernão Dias com a “véia” CGzinha e aquela carreta estava embalada atrás dele, o coitado fazia de tudo para fugir do PERVERSO MOTORISTA, a CG se esgoelando em última marcha e o “PILOTO “ deitado no tanque quase arrancado o cabo do acelerador e nada, carreta passava por ele e ainda balançava violentamente a pobre 125 com o deslocamento de ar..
    Então hoje esse MANÉ pega a estrada com seu possante e quando vê um caminhão entra em PÂNICO. O caminhão pode estar a 20 km/h e ele não o ultrapassa nem a pau pois acha que o motorista quer MATÁ-LO. O resultado são aqueles “ORELHAS-SECAS” que parecem que estão sendo rebocados pelos caminhões.(Eles possuem também a tendência de tentar enfiar o carro em lugares onde não cabem, pois acham que estão em suas saudosas “MAGRELAS”)

    É mais ou menos isso aí . .

    ResponderExcluir
  100. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  101. JJ,
    Uma coisa que percebo que faz as pessoas dirigirem muito lento é limpador de pára-brisa ruim, desembaçamento ruim, saber que o pneu/suspensão está no fim da vida, não saber usar os faróis corretamente e ajuste de retrovisores incorreto.

    Também sinalização de piso ruim - especialmente em chuvas - onde não se enxergam faixas de rolagem e ainda é preciso fugir das crateras no asfalto.

    Sem visibilidade e controle adequados naturalmente motorista se segura um pouco.

    ResponderExcluir
  102. Osmar,

    Irretocável sua retórica!

    Porém, como um bom paulista, não posso deixar de defender esta cidade.
    Muitos destes problemas são em função do crescimento desta megalópole, não há nada parecido no Brasil, a alta desindade demográfica sem infraestrutura adequada não poderia gerar resultados diferentes.

    Quanto aos "maiores patrimônios de exportação", não se esqueça da questão do baixo valor agregado aos produtos exportados pelo Brasil colônia.

    Quanto à pergunta direcionada ao Corsário, esta reação é comum aqui no AE, discussões entre direita e esquerda são frequentes, porém na maioria pouco produtivas.
    Quanto a cobrar o governo, o nível de educação continua esta lástima, justamente para manter o povo acomodado no já conhecido esquema do pão e circo. É triste!


    Jones,

    Muito bom!!! Estava me contorcendo de rir... kkkkk... Orelhas-secas...


    Ciossani,

    Hoje vi um "cidadão" com uma Meriva na Av. Guarapiranga, os pneus estavam num estado... A vontade foi dar voz de prisão!

    ResponderExcluir
  103. Pra quem ainda acredita em indústria da multa, experimente ficar parado em um cruzamento e conte quantas infrações são cometidas em pouco tempo...

    Pra quem ainda vem com este papinho deve ser é infrator recorrente...

    ResponderExcluir
  104. Anônimo acima,

    E quantas infrações neste cruzamento são multadas? Dá mais trabalho né...? Multar só velocidade sendo que maior causa de morte no país é colisão frontal é agir em prol da segurança?

    Visite a Alemanha por exemplo e tente convencer que estamos certos com esse seu papinho...

    ResponderExcluir
  105. Então tá....por que uma infração não é multada vamos deixar todas as outras....

    Estamos no BRASIL e não na Alemanha. se estivéssemos lá muitos já não teriam sua CNH.

    ResponderExcluir
  106. E mais: antes de achar que só velocidade é que é multada procura te informar sobre as outras infrações cometidas e que o condutor é multado pelo fiscal.

    ResponderExcluir
  107. Calma Anônimo, não discuta com o Anônimo, vamos respeitar as idéias do Anônimo, bem como as do Anônimo também.

    Ass: Anônimo.

    ResponderExcluir
  108. Só porque a infração mais rentável é aplicada? Porque não há patrulhamento e formação de condutores?

    Mê dê números de quantas infrações de velocidade são aplicadas em comparação com "não usar faróis baixos sob chuva" por exemplo?

    Vejo mais gente em sp sem usar farol corretamente do que acima de velocidade mesmo em rua de bairro.

    Seria um ótimo começo exigir sobre a emissão de cnh, se um dia quisermos ter o número de acidentes da alemanha. Ah, dá trabalho isso... esquece.

    Um cara que aplica velocidade permitida irreal, enche de radares mas sequer consegue conter buracos e aquaplanagem, e ainda conta com as multas para plano de previsão orçamentária de município é o quê?

    A CET em SP não tem nem gente suficiente pra cidade... o contigente todo - até escritório - nas ruas cobre 8% das principais vias da capital... Mas radar não, esse tem até na garagem do prédio.

    Não há problema em multar velocidade. O problema é não multar o resto e o trânsito matar mais a cada ano. Ou seja, a causa de morte e acidentes está em outro lugar também. Mas so se cogita e calcula ($) radar... feitos pra caçar níqueis e não ajudar a pop.

    Mentira contada 100 vezes vira verdade.

    ResponderExcluir
  109. Batalha dos Anônimo-entusiastas...

    ResponderExcluir
  110. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  111. Pô Anônimo...não estou discutindo com o outro Anônimo...hahaha

    Mas esta questão da velocidade é balela. Sempre vão achar que a velocidade determinada é baixa: se é 80km/h tinha que ser 100...se é 100 tinha que ser 120...os "pilotos" nunca estão satisfeitos.

    Aquaplanagem? com certeza associada a alta velocidade.

    Aqui na minha cidade se multa, e muito, por sinal vermelho...e é na ponta da caneta, sem aparelho eletrônico. Também ando nestas porcarias de ruas, cheia de buracos, mas respeitando o limite imposto. E se alguém não respeita e é multado, bem feito...com certeza ele comete outras infrações também.

    ResponderExcluir
  112. Sabrina Sato25/02/11 14:42

    É verdade!

    ResponderExcluir
  113. AO ÚLTIMO ANONIMO,E AOS OUTROS

    Citando:
    "Aquaplanagem? com certeza associada a alta velocidade. "

    NEM SEMPRE , Se você estiver a oitentinha com pneus carecas , desalinhado e desbalanceado vai comer concreto da mureta na primeita curva, FIOTE . .

    Acidente quem causa é motorista imprudente e carro mal cuidado!!

    A VELOCIDADE SEMPRE É RELATIVA !!!!

    E CHEGA DESSA PAPAGAIADA !!

    ResponderExcluir
  114. E QUEM ANDA CORRENDO É O QUE?

    Prudente é que não é....

    ResponderExcluir
  115. E QUEM ANDA CORRENDO É O QUE?

    Prudente é que não é....

    ResponderExcluir
  116. Anônimo,
    "trava pista"
    "pé de bréque"
    "bração"... sei lá

    Solta o freio e saia da frente!

    AHhh... e compre pneus de 1ª linha! Você perceberá a diferença, mesmo não tendo lá muita aptidão pra velocidade... Vai se sentir mais confortável em situações tempestuosas...
    Tira a mão do bolso e pare de acreditar no borracheiro e seu joguinho de pneus remold meia vida...

    ResponderExcluir
  117. Mauro disse,

    "Quanto à velocidade, lembro da seguinte história: um conhecido em viagem à Itália estava com um Alfa alugado, entusiasmado com a macchina numa rodovia, e se excedeu, sendo parado pelos carabinieri. O sermão do patrulheiro, que não o multou: "O limite de velocidade nesta estrada é de 110 km/h. Normalmente toleramos até 120/130 conforme o volume de tráfego. O senhor estava a 140, o que sai um pouco do razoável. Peço-lhe que reduza um pouco seu ritmo de viagem, ok?" O amigo não sabia onde se enfiar de tanta vergonha, e seguiu o resto da viagem a 90 por hora... Já no Brasil, alguém pego dirigindo acima do limite de álcool se recusa a soprar o bafômetro "para não produzir provas contra si". Quer dizer que o negócio é dirigir bebum e correr o risco de matar alguém? Uma lei que é para proteção da própria pessoa não é seguida pelo bom senso? Não é a velocidade que mata, são os erros e as más atitudes no trânsito."

    Postei o comentário do Mauro denovo - tá difícil o negócio.

    ResponderExcluir
  118. Ao anônimo - 15:51

    Mas tu é abobado mesmo...
    Perdeu o argumento? Pelo visto quem conhece borracheiro e pneu remoldado é tu...
    Bem coisa de criança.

    ResponderExcluir
  119. Tu és
    Ele é...

    Abobado ou não, ao menos sei um mínimo da língua falada no país onde nasci!

    Carro meu só não usa pneu Michelin se for 0km, então ooo santista! Se eu estiver na serra abre pra direita ou eu te podo no meio da curva!

    ResponderExcluir
  120. Não consigo ser afeito a este tipo de argumento. Andar no limite vai melhorar o fluxo de carros? Tem muita coisa errada em nosso sitema viário, mas andar de boa, não é uma delas.

    Que paranóia ficar sempre no limite, como se não o fizesse, estivesse perdendo alguma coisa. Outra coisa é ficar colado no carro da frente sempre que anda um metro no congestionamento.

    Ande de boa, sem mudanças bruscas de rotação, economize combustível e principalmente seja mais tranquilo.

    ResponderExcluir
  121. Juvenal Antena25/02/11 17:19

    Justameeeeeeeente!

    ResponderExcluir
  122. O que as pessoas não percebem é que pouco importa se é paulista, baiano ou gaúcho: em todos os lugares e classes tem gente preconceituosa e com mentalidade fechada. Então não vejo porque a animosidade geral contra SP.
    Aliás, vejo sim: todo projeto de poder precisa de um bode expiatório. O bode expiatório já foi o nordeste, que acusavam de atrasar o Brasil. Hoje é SP, que acusam e elitista e segregador. Tudo bobagem para a classe política ganhar votos.
    Quanto à infra-estrutura em SP, não se preocupe, muita gente sabe cobrar sim, infelizmente em SP como no país inteiro (diria até no mundo, atualmente) a maioria das pessoas não tem vida cívica, ou seja, não sabem cobrar e exigir. Se não fosse assim não existira Sarney, nem Collor, nem Maluf...
    Só para resumir: tem gente que vê mentalidade dividida em classes regionais, quando o importante são as classes SOCIAIS.
    De volta aos carros...

    ResponderExcluir
  123. Paulista não sabe cobrar e nem votar!

    Vide as adms que estão se perpetuando por aqui. Tanto dinheiro, tantos impostos, tantos pedágios, mas serviços essenciais de boa qualidade nada!

    O tio Serra que amplificou essa situação conflituosa em sua campanha fracassada para presidente lembram-se?

    ResponderExcluir
  124. grande coisa...
    TU CONTINUA SENDO UMA BOBADO.... "professor" de lingua portuguesa.

    Esta história de vir cantar marra na internet é velha.... como já diz o ditado: "cachorro que late, não morde" Tu com o teu "fusqueta" vai ser difícil.

    Te larguei, o retirante buscapé.

    ResponderExcluir
  125. kkkkkkkk... Dá zero pra ele Prof. Girafales!

    Agora eu sou bobado!

    ResponderExcluir
  126. Eu acho que o limite de velocidade é a velocidade razoável (embora existam muitas estradas com limites ridículos) para se andar numa estrada, onde todos podem andar na mesma velocidade com segurança - e não um limite que se o cara passar um pouquinho vai morrer na hora.

    Por isso também acho que, se alguém quiser andar mais devagar, que seja não muito mais, até para não atrapalhar o fluxo. Na faixa da direita, de preferência.

    O que acontece é que no Brasil criou-se uma cultura de que velocidade é a causa de todos os males do universo. Se uma estrada tem limite de 110 km/h, que se ande nessa velocidade ou perto dela que não tem problema, caramba!

    E se as condições permitirem, acho que passar um pouco também não é problema. Vide o caso do cara andando na Itália.

    ResponderExcluir
  127. Antes que apareça o anônimo das multas falando em leis e etc, notem que eu disse "se as condições permitirem". Como vocês podem perceber, a polícia da Itália é esperta o suficiente para saber que a lei não precisa ser tão inflexível como algumas pessoas querem. Isso não causa problema nenhum de segurança.

    Pena que os governantes prefiram deixar os caças níqueis automáticos trabalhando do que colocar policiais com cérebro para avaliar cada caso.

    Acho que não é nem uma questão de voto. Esse país tá totalmente alienado, falta de educação e bom senso é apelido.

    ResponderExcluir
  128. Como o amigo disse, isso é o que mais me irrita:

    "8- Acidentes quando ocorrem ( já fora da pista) NÃO SÃO EVENTOS TIPO DESFILES E PARADAS para você andar a 20Km/h e ficar olhando , procurando gente machucada ou para ver os estragos dos carros.. Coloque na sua cabeça que VOCÊ NÃO É DA SEGURADORA NEM TRABALHA NO RESGATE PORTANDO SE MANDA DAÍ E PÁRA DE ATRAPALHAR OS OUTROS..."
    ---------------------------
    SP capital eu acho que não tem jeito mesmo, nunca vai melhorar o trânsito... pode fazer 100km de metrô, mais 100km de troleibus que não vai adiantar... Carro é status, mesmo quem trabalha do lado de casa ou que gasta menos tempo andando de metro vai usar o carro.
    Já nas rodovias pra mim a solução é simples pra tirar as múmias da faixa da esquerda e evitar os pilotos de super esportivos como Gol geladeira com escapamento furado e luz azul no farol costurando todo mundo... é só fazer um limite de velocidade pra cada faixa... imagine a bandeirantes, primeira faixa com limite de 130km/h, segunda 120km/h, terceira 100km/h e as outras para veículos pesados.

    ResponderExcluir
  129. Claudio
    Uma das maiores causas da atual morosidade no trânsito está nas películas escurecedoras nos vidros. A pessoa não enxerga normalmente e tira o pé.

    ResponderExcluir
  130. Luiz Dränger
    Conserto para tudo isso terá de esperar o cara que o fará nascer.

    ResponderExcluir
  131. Já li textos do Bob Sharp criticando a baixa velocidade do ponto de vista do motorista. Está certo. Mas e quando nós somos pedestres? Nós poderiamos atravessar uma rua ou avenida, mas adiamos a travessia por alguns minutos porque vem um carro lerdo. Quando esse carro lerdo passa, aí já não dá mais para a gente atravessar, pois logo através vem outros carros em velocidade superior. Lembrem-se dessa frase: "Nem todo pedestre é motorista, mas todo motorista é também um pedestre."

    ResponderExcluir
  132. CORRIGINDO O ÚLTIMO POST, EU QUIS DIZER: "pois logo atrás vem outros carros em velocidade superior"

    ResponderExcluir
  133. Ótima matéria.... para apimentar o assunto poderíamos apenas acrescentar a "turma" que não sabe andar de carro com câmbio automático que vive com o "pé no freio". Como se não bastasse o gasto prematuro de pastilha/disco, o maldito "pé no freio" cria uma sensação generalizada de insegurançca no trânsito gerada pelo efeito "cascata". O sujeito lá da frente mete o "pé no freio", e o segundo também porque o da frente pôs... e assim sucessivamente..... Está aí instalada a bagunça iniciada com um "tiozinho" ou uma "dondoca", geralmente em luxuosos automóveis, porém, que não sabem guiar seus carros "automatizados" e, pra piorar invariavelmente desconhecem o que é "dar seta", fazendo do trânsito um verdadeiro furduncio. Enfim, na minha humilde opinião, esse é um dos motivos da lentidão do trânsito. Por isso, quando consigo identificar à minha frente um carro que pareça ser "automático", mudo de pista e sigo meu caminho.... abraços à todos.

    ResponderExcluir
  134. Juvenal,

    cada povo tem o transito que merece.... sao pessoas anonimas dirigindo em vias monitoradas por outras pessoas anonimas.

    nao tem jeito nao, nem em 3 decadas, nem em 50.

    basta ver pela qualidade dos comentarios de alguns anonimos acima... retrato do brasil.

    antes da auto escola, tem que melhorar a escola, e antes da escola, tem que melhorar muito a educacao de casa, que pai e mae ensinam.

    lamentavel mas é o que temos, vamos fazer a nossa parte e dar o bom exemplo pelo menos, quem sabe nao aprendem um pouco?

    ResponderExcluir
  135. Falando em anonimato, não fui eu que comentei acima, apesar de concordar com a opinião do outro Fábio. Colocarei um nickname no lugar, só preciso estudar um tão bom quanto o do MFF... hehehe

    Abs

    ResponderExcluir
  136. Quando a polícia é da Itália , aqui dizem que ela é "esperta". Se fosse a mesma atitude na brasileira diriam que é conivente...

    Lei "Flexível", boa esta.

    ResponderExcluir
  137. Quem diria que a polícia brasileira seria conivente? os idiotas da imprensa? Aí é lógico que diriam isso, pois como eu disse acima a questão de botar a culpa na "velocidade" por todos os acidentes é cultural. Repórteres toscos que só repetem o que os outros dizem e população alienada que não tem raciocínio crítico... até porque não sabem dirigir.

    Usando o cérebro, a lei pode ser flexível sim. Me lembro de uma vez que o meu pai estava dirigindo um monza há muito tempo atrás. O limite de velocidade era de 100 km/h e os policiais fdp atrás de uma curva multaram ele por estar a 103 km/h. Simplesmente ridículo.

    É lógico que ele estava respeitando o limite velocidade. Agora, o porque da multa? adivinhe.

    ResponderExcluir
  138. Eita, corrigindo: o porquê**

    ResponderExcluir
  139. Defendo o ponto de vista do comentarista Prates, financiamentos prejudicam o trânsito e conseqüentemente a segurança deste. Minha teoria é que se o cidadão não tem responsabilidade de juntar dinheiro e organizar seu orçamento para comprar um bem supérfluo como um carro, não terá responsabilidade e organização para guiar um veículo, logo será mais um incivilizado, que me desculpem o termo, está pouco se fudendo pros outros. Qualquer cidadão responsável e organizado sabe que pagar juros absurdos e taxas de abertura de crédito é coisa de imbecil, e imbecil faz imbecilidade, seja no seu orçamento, seja no trânsito.

    ResponderExcluir
  140. Capitalista memo!05/03/11 22:34

    Desculpem-me os de esq., mas penso o mesmo!!! Até hoje só comprei carro à vista!!! Se caso eu precisar de um financiamento para comprar um carro, então eu devo repensar o modelo desejado.

    ResponderExcluir
  141. Eu queria saber se em uma subida com 3ª faixa esta subindo um caminhao carregado a 30 km/h, quer dizer que outros caminhoes e onibus mais rapido nao poderao ultrapassa-lo e continuar viajem? Isso é motivo de multa,ultrapassar um caminhao mais lento que o seu!

    No meu ver os caminhoes tem de trafegar na faixa da direita, é claro, por sua velocidade imposta de exorbitantes 80 km/h que é ridicul.Mas e quando eles alcanssam um outro veiculo bem lento teriam o direito de fazer a ultrapassagem e voltar a faixa da direita.
    Todo mundo acha um saco ficar atras de um carro atrapalhando na faixa da esquerda, sendo que muitas vezes tem de ultrapassa-lo pela direita.Imagina se fosse ao contrario.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.