COMEÇOU ERRADO



Escrevi outro dia sobre os nós-cegos do trânsito nosso de cada dia, e a dificuldade de encontrarmos sinais de trânsito sincronizados que proporcionassem uma onda verde de boa duração, e consequentemente, fluidez do tráfego.

Só que não atentei para um detalhe, as três avenidas que tomei como exemplo servem ao tráfego em sentidos contrários, o que impossibilita uma onda verde com os sinais abrindo em sequência, já que quando eles abrem e fecham, o fazem para os dois sentidos, para permitir que o fluxo transversal cruze as pistas.

O problema maior, nessas três avenidas, foi de projeto. Todas são vias que sofreram ampliação em passado recente, e deveriam ter sido ampliadas levando em conta o impacto dos cruzamentos. Brasília ficou pronta em 1960 e já abolia os cruzamentos de suas principais vias, e hoje, com uma população consistentemente maior do que há 50 anos, não sofre tanto com o trânsito como Rio ou São Paulo.

Me lembro bem de um projeto apresentado para duplicação da avenida das Américas que previa a elevação da pista central, mantendo as laterais em plano mais baixo e permitindo passar de um sentido para o outro por baixo da principal. Mas o prefeito da época, no alto de sua empáfia, disse que manteria os cruzamentos a fim de dar ‘cara de bairro’ à região da Barra da Tijuca.

Agora, por conta dos Jogos Olímpicos, começaram a fazer obras de duplicação de outro trecho da mesma avenida, e serão suprimidos dois cruzamentos, com a construção de viadutos. Evidente que a um custo muito maior, com muito mais transtorno para a população e sem a eficácia que teria um projeto bem concebido desde o início.


Olhando a foto, tirada quase 10 anos depois da inauguração de Brasília, temos a certeza de que dava para fazer melhor, lembrando que o plano urbano para a Baixada de Jacarepaguá é também de Lúcio Costa, mas a má fé cínica dos envolvidos não permitiu, e o que temos hoje são engarrafamentos enormes, um desperdício gigantesco de tempo e dinheiro, com combustível sendo queimado aos borbotões enquanto os veículos se movem mais devagar do que uma pessoa à pé, sem falar na quantidade de poluição gerada pelos veículos pesados. Pior é a cara de pau dos governantes, que adoram colocar a culpa disso tudo nos automóveis e seus proprietários.


AC

foto 1: Google earth / foto 2: www.rioquepassou.com.br

13 comentários :

  1. Marcus Maia07/02/11 17:20

    Numa região plana como essa eu só andaria de bike

    ResponderExcluir
  2. Perdi 1h hoje no engarrafamento da salvador alende com as américas, a construção de um único viaduto esta dando um nó enorme no transito.

    ResponderExcluir
  3. A sua cidade não é a única com problemas!

    Aqui em Novo Hamburgo - RS o trânsito é como um burro dentro de um sala em uma casa pequena.

    Quem quiser passar para outro cômodo tem que dar a volta pelo burro.

    Eu explico, todas as vias são de mão dupla, há permissão para dobrar tanto para esquerda como para a direita, todas as sinaleiras são de 3 e 4 tempos e quando a via é dupla ainda podemos parar o carro para estacionar em qualquer lado da rua.

    ResponderExcluir
  4. AC
    Quando há duas pistas é possível estabelecer onda verde para uma delas, alternando-as segundo os picos de tráfego, favorecendo o mais denso. Claro, é preciso um belo de um controle computadorizado.

    ResponderExcluir
  5. É impressionante a falta de planejamento que vejo aqui no Rio de Janeiro.

    O ultimo absurdo foi a aprovação da demolição do Elevado da Perimetral com a desculpa de revitalizar a zona portuária.

    Ali é um local feio porque está abandonado, sem nenhum tipo de manutenção ou cuidado e não pela existência de um elevado.

    Não seria mais simples uma reforma do local com um belo projeto paisagístico? Mas incrivelmente acham mais facil derrubar a construir um mergulhão. Incrível isso.

    ResponderExcluir
  6. Rodolfo Milet07/02/11 22:51

    Brasília hoje em dia tem cruzamentos sim, a grande maioria com semáforos. A W3, a avenida principal da cidade, passou a ter cruzamentos no fim dos anos 80 e início dos 90; quem sai da quadras residenciais e quer ir para o outro lado da W3, atravessando-a. Antes para fazer isso tinha que entrar na avenida e pegar um retorno mais à frente para então ir para o sentido inverso. Aliás, não sei se tem isso em outras cidades, mas em Brasília é muito comum ter um retorno ao lado do outro para os dois sentidos(na W3 tem muito isso); uma idéia idiota que atrapalha quem quer entrar na avenida em um sentido mas é atrapalhado pelo(s) carro(s) que usam o retorno do sentido inverso que fica ao lado.

    ResponderExcluir
  7. Magnum, teve uma época que o Serra disse que iria derrubar o Elevado Costa e Silva (SP), imagina o transtorno que isso traria? Pelamor! Ainda bem que desistiu da idéia.

    ResponderExcluir
  8. Mas o elevado Costa e Silva ACABOU com o Centro de São Paulo!

    E os moradores que moram ao lado daquele lixo urbano perderam o sossego, pois agora quem mora em andares baixos tem uma rodovia ao lado da cama.

    Pergunta-se: quem veio primeiro? O Minhocão ou as residências?

    Seria muito melhor que se fechassem os acessos à avenica original e a tornassem expressa. Ou que se colocassem um túnel abaixo da avenida.

    ResponderExcluir
  9. Sinto pelos moradores da região. Mas sejamos práticos, colocar o "minhocão" abaixo hoje, colocaria o trânsito de SP "em xeque"... Aliás "em xeque" já está e não é de hoje.
    Agora fechar os acessos? Você conhece a região?

    ResponderExcluir
  10. Francisco V.G.08/02/11 14:23

    Os edifícios estavam antes. O minhocão veio depois, quando o prefeito era o Maluf. Fazer uma obra em estrutura elevada sai mais barato e rápido que uma subterrânea. Isso, politicamente, é de suma importância. O resto, a gente já sabe...

    ResponderExcluir
  11. Velho, mas limpinho08/02/11 16:20

    Embaixo do Minhocão, tem o metrô, não tem como fazer nada subterrâneo na região atualmente.

    O prefeito Aquassab tem um projeto mirabolante de construir uma extensa avenida de 25km (paralela a Av. Francisco Matarazzo)onde hoje passa a linha do trem,(se enterrar a CPTM será que vira metrô?) mas como sabemos que as coisas acontecem rápido por aqui, talvez meus netos vejam isso sair do papel.
    Claro que até lá, essa avenida não será suficiente para atender a nova demanda de espaço e vias, pela quantidade de novos e velhos veículos.
    (mas o controlar e outras baboseiras continuaram a ser cobradas)

    ResponderExcluir
  12. Velho, mas limpinho08/02/11 16:22

    Corrigindo: "Continuarão"

    ResponderExcluir
  13. Peço perdão pelo anonimato, mas o que acontece no RIO é que a CET-RIO concentra a mior quantidade de imbecis por metro quadrado, aí a culpa é sempre de "quem sai de casa".

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.