google.com, pub-3521758178363208, DIRECT, f08c47fec0942fa0 A PRIMEIRA VEZ... - AUTOentusiastas Classic (2008-2014)

A PRIMEIRA VEZ...




Habitualmente escrevo sobre viagens, não vou fugir ao tema desta vez. Fui ao Rio de Janeiro no feriado de Páscoa. Saí de São Paulo, peguei a Ayrton Senna, Carvalho Pinto e Dutra. Na volta, mesmas vias, invertendo a ordem. Pronto, falei da viagem. Agora vamos ao que fiz lá.


MEU PRIMEIRO TRACK DAY




Com o total apoio de amigos entusiastas cariocas, participei do meu primeiro Track Day em Jacarepaguá. Vistoria na 6ª feira, começamos a conhecer as pessoas e os carros que andariam no dia seguinte. Confesso que intimida um pouco. Carros muito bem-feitos, preparados com carinho e descritos com muito orgulho. Parafraseando a célebre propaganda, não é só potência, mas conjunto. O carro inteiro tem que ser pensado pra funcionar bem, ser controlável e bom de curva. Os números podem impressionar, mas o que interessa é o tempo de volta. Então, um carro nacional leve e bom de chão como o Ford Ka, com uma preparação que cabe no bolso de muita gente, pode andar junto de carros bem mais caros. Fora a diversão que proporciona...

Deu pra perceber que muita gente se conhece, há uma rivalidade sadia no ar que estimula a todos procurarem evoluir sempre na preparação dos seus carros. A febre 4x4 parece ser um caminho sem volta. Muitos Subarus WRX, Mitsubishis Lancer Evo, Audis e até o tão falado Godzilla (Nissan GT-R) deu as caras por lá. Destaque positivo pra quantidade de Civics Si, preparados ou originais. Deu pra perceber que o carro veio pra ser figurinha fácil em Track Days. Pela quantidade de carros VW que se vê em provas de arrancada, confesso que me surpreendi negativamente pela quase ausência deles. Um Passat (dos antigos, nacional), uma Saveiro, um Polo Sedã e um Golf. Só.


JACAREPAGUÁ


O circuito já está bem menor devido às inúmeras obras para abrigar outros eventos e a pista que sobrou ficou bem travada. Eu, particularmente, gostei. Não tenho, obviamente, referência do circuito antigo pra poder avaliar melhor. Pelos comentários que coletei de pilotos que andaram em Interlagos em outros Track Days, a pista ficou boa para os carros menos potentes. Sem longas retas (como em SP) que se tornam enfadonhas em carros com menos cavalos, a sucessão de curvas do miolo torna a diversão acessível a todos. O local, como todo o Rio de Janeiro, é belíssimo. Montanhas ao fundo, qualquer foto fica boa. A vizinhança do Aeródromo de Jacarepaguá faz o constante tráfego de aeronaves pequenas um tempero a mais no visual desse circuito.


Claro que Jacarepaguá já viu dias melhores, com circuito completo, Fórmula 1, Indy ou MotoGP por lá. As instalações não são novas nem perfeitas, mas, sinceramente, para mim está tudo ótimo...
Não tenho nenhuma crítica à organização. Tudo funcionou como esperado, os raros resgates de quebras e rodadas foram rápidos, até os comes e bebes foram ótimos. Como tem que ser, estão de parabéns.

APRENDENDO COM QUEM ENTENDE




Novatos carregam um enorme quadrado vermelho nos vidros pra alertar a todos. Antes de serem autorizados a rodar por conta própria, são conduzidos por instrutores que mostram pontos de frenagem e aceleração, tangência de curvas, regras de "boas maneiras" na pista, bandeiras etc. Depois, trocam-se os papéis e o novato estará liberado assim que demonstrar bom controle e condução segura. No meu caso o "sem carro" Nilo me conduziu. O carro que ele estava preparando para o evento apresentava uma falha de regulagem em alta que arriscava os pistões, não valia a pena o risco. Uma pena.


Nilo conduziu o Civic Si (sem preparação) de uma forma que eu nem imaginava ser possível. Fiquei meio assustado com o que o carro era capaz de fazer e SE eu seria capaz de conduzí-lo próximo do que o Nilo fez. Papéis trocados no box, fui pra pista. Gradualmente peguei confiança no carro e na minha condução (com as constantes observações do Nilo me corrigindo e orientando) e, em poucas voltas ele me liberou. O roteiro se repete, como se pode observar em experiência semelhante do amigo Cruvi, também em Jacarepaguá, em um evento de Time Trial.


As instruções são simples, fazer é que são elas. Não brigar com o carro, não dar potência na hora errada para não acabar com os pneus, ser suave, não ter pressa de mergulhar na curva, frear reto, olhar para onde se quer ir... Depois de várias voltas sem instrução, vou melhorando e piorando ao mesmo tempo. Nos lugares que acerto a tangente e a velocidade, ganho confiança e faço cada vez melhor, me aproximando de carros melhores com linhas de traçado piores. Os que ultrapassei nesse trecho devem ter achado que ando bem! MAS (sempre um MAS), no local onde errava a freada ou entrava cedo demais na curva, ERREI MUITO! É um jogo mental, de constância e, principalmente, de confiança. Incrível como nos traímos tanto! Mas como é divertido o aprendizado! É um jogo contra você mesmo, com algumas pitadas de competição quando você cruza com um mesmo carro de performance parecida várias vezes. É divertido acompanhar a linha do carro da frente e perceber se estamos fazendo melhor ou pior que ele.


Fiquei muito feliz com a minha performance por ter ficado 0,3 s do tempo do Nilo. Claro que ele estava me instruindo, não estava tirando tudo do carro, mas ainda assim fiquei contente por fazer um tempo tão próximo.


OUTROS CALOUROS


Acompanhei outros dois calouros em Track Days: Carlos e Flavinha. Ele andou de Civic Automático (só tem tu, vai tu mesmo!) e se divertiu muito! Obviamente não era o carro mais adequado a um Track Day, mas é melhor do que nenhum, ora! Villa fez a instrução básica e acompanhou Carlos no começo. Apesar do câmbio inadequado, o Civic novamente impressionou pelo chassi. Como grande parte da diversão está nas curvas, deu tudo certo! O desafio de todo iniciante é rodar sem acabar com os pneus de rua. Em várias conversas, ouvimos sempre o mesmo. Independente do carro, SEMPRE QUE PUDER, participe de um Track Day. Invariavelmente você sai um piloto melhor e conhecendo a fundo um veículo que jamais antes teve a oportunidade de mostrar seus limites de maneira segura. O amigo Rajão, fã confesso de Kas, andou no pacato sedã japonês automático e também elogiou o carro.


O último caso é de uma das duas pilotos na pista neste Track Day. Flavinha é formada em Engenharia Mecânica Automotiva e trabalhou por algum tempo como Engenheira de Testes de pneus no campo de provas da Pirelli. Como já trabalhou em oficina, ela mesma turbinou sua Saveiro durante a faculdade e obviamente surpreendeu muito marmanjo nos muitos papos técnicos que aconteceram nos boxes. Mas voltemos à pista. Vic Rodriguez, colega de blog, foi o instrutor no Civic Si do noivo dela (sim rapazes, ela é noiva, obviamente de um entusiasta por carros). Nas palavras do Vic, "ela, daquele tamanho, andando com vigor, é muito legal de ver". Ela confessou que não se sentiu 100% à vontade usando o carro do noivo, talvez na sua Saveirinho turbo tivesse se soltado mais. Vic discorda, gostou do que viu e espera ver mais "Flavinhas" nas pistas nessa diversão ainda muito masculina.


OS CARROS




Não pretendo aqui descrever todos, mas alguns destaques que notei. O melhor tempo foi de um Mitsubishi Lancer Evo muito bem preparado. Seguido de um Maverick muito mexido. Aí veio o Godzilla (comentário frequente: não foi forçado ou "bem conduzido" ao limite). O carro impressiona, claro, mas eu tenho minhas reservas. Acho tudo muito superlativo nele. Muita potência, mas muito peso, muita eletrônica. E grande! Sou mais um Nissan 350Z (agora 370Z) para um evento como esse. Mas adorei ver o carro, tão falado. Merece a fama.
Uma sucessão de Subarus e Evos e eis que surge um Civic Si pouco mexido. Por pouco mexido entenda filtro, escape e injeção para arrancar uns 260 cavalos. Mais pneus slicks e só. Foi o primeiro aspirado num mar de turbos. Esse carro vai dar trabalho...


Eu gostei muito dos Subarus WRX. Carros relativamente fáceis de se encontrar aqui, duráveis, não caros (como os raros Evos) e com muitas receitas de preparação. Não surpreende que haja tantos no Track Day.
Senti falta de Porsches, mesmo mais velhinhos. Um só que fosse (não vale o Cayman que apareceu nos boxes, mas não para correr). Os japas realmente caíram no gosto do pessoal que gosta de andar forte.
O Ford Ka continua sendo presença constante em eventos como esse. Diversão sem orçamento nas alturas. Como comentei antes, senti falta de VW. Gols e Golfs GTi, principalmente.
Ah, tinha um Corolla, que coincidentemente saía sempre junto comigo para a pista. Sorry, Toyota, precisa de muito feijão para chegar perto dos Civics.
Graças a Deus, nenhum utlilitário esportivo (ok, uma saveiro). Se fosse em SP, acho que uma das muitas Cayennes teria andado na pista...


GENTE COMO A GENTE
O autódromo é bom e seguro, os carros são bem preparados, mas o evento é um grande encontro de entusiastas por carro! Gente como a gente, que prepara carros com orçamento apertado ou não, em uma rivalidade interna de fazer o melhor. Depois da liquidação de motores Ford na semana passada, não teve como evitar o assunto "1001 maneiras de usar um Duratec". Ka antigo ou novo, Fiesta Mk5 ou 6, o que fazer, como adaptar, etc etc. Ótimo papo, ótimos contatos, muito mais virá pela frente, com certeza. E, nas palavras de um paulistano passeando no Rio, não existe provincianismo quando o assunto é motor. Gente de São Paulo, Rio, Curitiba, Floripa, todos falam a mesma língua quando o assunto é motor.

Last but not least, encontrar amigos "eletrônicos" foi ótimo. Ver ao vivo pessoas com quem você se comunica por emails, listas e blogs dá sentido a tudo. Obrigado a todos, novamente, pela acolhida, instrução e paciência.

Não será meu último Track Day, certamente.

MM
ps2: neste final de semana (19/abril) tem Track Day em São Paulo, em Interlagos. Infelizmente não poderei ir (ironia, consigo ir no do Rio, a 400 km e não consigo no de São Paulo). São outros organizadores (http://trackday.ndaracing.com/), mas tentarei ir ao menos como espectador, para ver se a fauna automotiva muda quando comparado ao de Jacarepaguá.
ps3: me desculpem os que receberam esse post 2 vezes, fui corrigir uns detalhes e ele sumiu...

27 comentários :

  1. MM,
    Realmente foi uma experiência e tanto, inesquecível!
    Com certeza ficou o gostinho de quero mais... quem sabe em breve conseguirei preparar um carro apimentado para a pista, e dessa vez, poderei acelerar sem receios!! :)
    Flavinha

    ResponderExcluir
  2. Mister Fórmula Finesse13/04/2009 13:59

    Uma experiência muito interessante sem dúvida, poder acelerar aproveitando toda a largura de uma pista deveria ser obrigatório para qualquer aspirante a condutor. Treinar frenagens, entrada de curvas, negociações e como moldar o comportamento de um carro ao longo de trajetórias complicadas é a melhor faculdade para se dirigir bem, tudo com muita suavidade e segurança....

    ResponderExcluir
  3. Jamil Jonas Costa13/04/2009 14:35

    o durafezes agora é um motor "popular" o que será que levou a Ford a liquidar esses motores?

    ResponderExcluir
  4. Jamil,

    pelo que ouço de amigos da indústria, o ciclo de planejamento para um motor importado como esse é muito longo (vem do México). Uma queda abrupta de vendas em um motor que será descontinuado da linha atual (Focus novo, o Ecosport 2.0 já é Flex) deve ter gerado esse excesso de estoque de motores novos. Bom pros entusiastas de plantão!

    MM

    ResponderExcluir
  5. Uma curiosidade. O Civic faz usualmente 9 km/l na cidade, 12 km/l na estrada (gasolina comum). Nos 140 km rodados no dia do Track Day, fez 3,2 km/l de Podium. Pneus a 45 libras de pressão.

    MM

    ResponderExcluir
  6. Marco, tanta coisa legal e você sentindo falta de Gols e Golfs ?

    ResponderExcluir
  7. Juvenal,

    tinha apenas 1 Focus. Senti falta de mais também. Agora vc está feliz? :o)

    GTO

    ResponderExcluir
  8. Querem VW?

    Venham no próximo, espero estar com o Ibiza em dia para começar a acertar o chão dele para a pista... A meta é me embolar no Top5 e isso está cada vez mais difícil de conseguir!!

    ResponderExcluir
  9. Aliás, só complementando, por acaso eu dei instrução (portanto pilotei rapidamente) para dois concorrentes... Civic e Corolla.

    O Corolla estava com algumas poucas modificações e 155hp no dinamômetro. Lá dentro, enquanto sozinho e sem referências, qualquer coisa com mais de 100kg e menos de 250hp dificilmente me comove. Mas realmente esse Corolla era fortinho de motor porque acompanhava Civic VTI na reta, coisa que um Corolla original não faria nem no seu melhor sonho. Mas o comportamento é anestesiado demais, o carro é bobão... Não é de todo ruim, mas não empolga nada. Por exemplo: ao mesmo tempo em que aponta razoavelmente bem ele consegue dar a impressão de que o volante não está conectado com as rodas, você não recebe NENHUMA informação do volante. Tem que sentir o grip dos pneus pela força G agindo sobre o seu corpo ou pelo barulho. Entrei com ele na Sul a uns 130-140 e tive que me esforçar para entender o que o carro queria fazer, a traseira mole perdendo aderência mas sem sair, a frente tentando mostrar que ainda estava presa ao chão mas sem passar confiança. É estranho. Não é carro para entusiasta.

    Já o Civic... QUANTA DIFERENÇA!! Dei instrução para o CZ e fiquei impressionado em como sobra chassi para o motorzinho 1.8 raquítico que some dentro daquele carro. O câmbio automático também não ajuda em nada, ficava catando marcha com kick-down em duas curvas importantes. Até dá para compensar o câmbio acelerando antes, mas digo isso por mim que ando em pista a quase 10 anos. Certamente deve ter atrapalhado um pouco o CZ.
    A direção do Civic merece um comentário: FANTÁSTICA. Dá pra fechar os olhos e saber o que se passa sob os pneus dianteiros. Qualquer mínima alteração de aderência se transforma em uma informação no volante assim como alterações de força e carga das suspensões. Qualquer mínima alteração do piso aparece de forma correta, quase sem amortecimento ou amplificação. Eu realmente não esperava uma direção tão boa daquele carro mesmo ela sendo tão elogiada.

    Comparando os carros... Incomparáveis. Corolla é irremediavelmente carro para o vovô. Já o Civic apesar de ser bem maquiado com um mundo de mansidão não consegue esconder o enorme potencial que possui. Tanto que eu saí do carro do CZ com a certeza de que os SI mexidos bem tocados iam virar baixo como de fato viraram. E apesar de eu já estar esperando, me surpreenderam muito. 29.5 foi inacreditável (pole da Copa Clio ano passado em 28.0) e mais dois abaixo dos 33 também foram supresas.

    No futuro não tão próximo talvez eu tenha a coragem de trocar o meu amado Ka XR por um Civic SI para assumir o posto de guerreiro do dia-a-dia. Aliás, se o salto financeiro não fosse tão grande eu já teria feito isso.

    Fico feliz de ver que finalmente alguns dos frequentadores do AutoEntusiastas estão desbravando o mundinho dos Trackdays. Aos poucos, com trabalho de formiguinha, vamos conquistando mais e mais pessoas para o automobilismo AMADOR pois, dadas as condições econônimcas do nosso país, é só nele que o Entusiasta-padrão terá condições de exercitar sua paixão em segurança.

    ResponderExcluir
  10. Paulo Keller13/04/2009 18:02

    Villa,

    Excelente comentário. Valeu!

    PK

    ResponderExcluir
  11. Prezado Marco Molazzano,

    nunca li um relato tão fiel e elucidativo sobre meu evento como o seu. Parábens. Estabelecu um novo paradigma e gostaria de pedir autorização para linka-lo de nosso site oficial do evento http://trackday.oktaneclub.com/

    um grande abraço,

    Rodrigo Gomes
    oktaner@gmail.com

    ResponderExcluir
  12. eu não tenho dinheiro para um track day, no máximo um crack day

    ResponderExcluir
  13. Jonas Torres13/04/2009 20:06

    Marco,

    Esses Subarus eram aqueles STI mais potentes? Estou quase pra comprar um Impreza... mas vai ser o 1,5 :-(

    ResponderExcluir
  14. Villa,
    seu comentário é praticamente um post! Obrigado pela hospitalidade e pelas palavras!

    Jonas,
    quanto aos Subarus, tinha de tudo, mas acho que nenhum modelo novo. Não tenho informação que os STIs eram importados antes do modelo atual. Alguns logos e adesivos STIs estavam por lá, mas podem ser apenas adições dos proprietários. Mas creio que as modificações que muitos deles possuíam deixariam qualquer STI de fábrica pra trás...

    MM

    ResponderExcluir
  15. O subarus eram todos WRX. Alguns originais, outros com modificações que os tornaram mais fortes e mais rapidos do que o STI. Mas todos 2 litros ou 2,5 litros turbo. Todos com tração integral.

    ResponderExcluir
  16. Mister Fórmula Finesse14/04/2009 10:46

    Bem, um Civic Si com 260 cavalos de potência (aferidos?) e com pneus slicks apresenta uma relação peso/potência bem violenta....virando junto aos Clios especificamente construídos para correr, acho que só modelos com turbocompressores para fazer frente certo? Quais os carros digamos mais "caretas" que já apareceram nesses eventos? Entusiasta é entusiasta e eu até colocaria minha caseira Spacefox para "rasgar" (bota metáfora nisso!) no asfalto caso fosse um local. Só imagino ela, adernando na entrada das curvas e o terrível diálogo com os pedais que tem uma relação estranha para fazer puntta-taco.... toda a massa sendo jogada na dianteira e a traseira leve e meio boba nas negociações. De bom, teria apenas o modo como as marchas podem ser jogadas em ascenção no bom câmbio (nas reduções com compressão do motor são um tanto enjoadas de 4.marcha para terceira) e o razoável torque - para carros 1.6 "obesos" - nas saídas de curvas. Mas ela seria um corpo estranhíssimo na pista, sem dúvida, só espero que esse evento não traga apenas carros muito caros ou preparados para a pista, mas sim a todos os verdadeiros entusiastas.

    ResponderExcluir
  17. Mr Formula Finesse,

    veja no link a relação de carros. Claro que muitos entusiastas possuem carros mais caros ou carros "baratos com muito investimento em equipamentos", mas tinham muitos carros originais, não esportivos. Não posso te dizer só olhando se eram originais, mas, além do Civic LXS Automático do amigo Carlos, tinha Polo Sedan, Ka, Focus, Astra, Saveiro, C4 VTR e Pallas, Corolla.

    Um dos participantes, em um Audi S4 preparado ao longo de muito tempo em suaves parcelas, comentou que foi de Polo emprestado em outro TD quando seu carro estava "em obras". O que vale é a disposição e ele admitiu que agora respeita muito mais o carrinho depois de um tempo na pista com ele.

    No mais verdadeiro espirito entusiasta...

    MM

    ps: é muito comum comprarem carros esportivos mais velhinhos e gradualmente fazerem upgrades nos vários sistemas, trocando o "elo maius fraco". Começa com mais motor/turbina, vai pra freios, suspensão, embreagem, volta pra motor e assim vai...

    ResponderExcluir
  18. Mister Fórmula Finesse14/04/2009 16:58

    Obrigado MM! Realmente dá água na boca pensar nessa bela diversão, seria uma versão mais apurada dos famosos pegas de kart, onde é muito fácil nas tomadas de tempo andar sempre no mesmo décimo mesmo mudando as linhas de trajetórias para tentar ir mais rápido....mas com mais de uma tonelada de inércia, marchas, embreagem e tudo o mais inerente aos carros, a diversão e a exigência mental devem ser bem maiores.

    abraço

    ResponderExcluir
  19. PK e MM, fico honrado pela consideração!

    Finesse, o que importa é se divertir. HOJE EM DIA, depois de mais de 10 anos de trackdays no Rio, tem gente que está completamente viciado na coisa e montando máquinas extremamente capazes. Mas já teve até Uno Mille 4 marchas andando no autódromo.

    A verdade é que não importa qual é a sua ferramenta, o importante é vc entrar na pista para chegar ao seu limite. Diversão com segurança e responsabilidade. Essa é a idéia!

    Mas é claro que com o tempo você vai pegando mais mão da coisa e começa a buscar desafios maiores... Quem está nessa a muito tempo já está neste estágio e é por isso que vc vê tantos carros bem montados no Trackday.

    Mas não adianta chegar lá com uma puta ferramenta sem saber usá-la...

    É difícil explicar, só andando pra entender. Não perca a oportunide, ponha a sua Neo-Parati na pista e divirta-se!!

    PS: Os 260hp do SI não foram aferidos... SNME ele marcou 255hp com gasolina mas depois foram feitas algumas poucas modificações (passaram pra álcool e mais alguma coisa que eu não lembro) e o carro ficou algo mais forte. Devia estar próximo dos 270hp na verdade.

    ResponderExcluir
  20. Olá
    visitei o site ! bem legal......gostei

    abração! Fernando Gennaro

    ResponderExcluir
  21. É difícil ser entusiasta sem grana...

    Desde o ano passado, venho cogitando a possibilidade de participar de um track day. Entretanto, nesse final de semana fui apenas para assistir.

    Grande parte da ansiedade de participar se perdeu. 80% dos carros presentes são absurdamente fortes e a maioria absurdamente caros. A sensação que tive é que precisa ser muito rico para participar de um evento desses. Não pela inscrição de R$425, mas ao me imaginar na pista rodando ao lado daqueles carros, com meu 306 hatch 1.8 de uns 120CV (que no dia a dia faz bonito) percebi que não me sentiria à vontade.

    Por enquanto, vou apenas sonhando e assitindo.

    ResponderExcluir
  22. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  23. tpeixoto,

    Eu sou exemplo vivo de que não é preciso ser rico. Ando em TrackDays desde 2001. Já roubei até o carro da minha mãe pra andar. Nos últimos 5 anos andei no meu Ka 1.6. Compro pneu slick velho, ou pneus radiais usados, e vou pra lá me divertir. Um Ka 1.6 original bem tocado por um entusiasta como eu, vira na casa de 1:38. Veja os tempos deste último TrackDay, e vai ver que é mais rápido que muito carrão de ricão. Ou seja, carros 'pobres' não necessariamente serão atropelados pelos monstros na pista.

    Como o Villa falou ali acima, no Rio já são 10 anos de track day. O Corsa branco que andou nesse último e virou temporal, já tem mais de 5 anos de desenvolvimento. Antes dele, o dono andou muito de Tigra original.

    E tem mais, hoje é muito mais fácil começar e aprender do que em 2001. A estrutura é melhor, e tem muita gente com experiência e disposição para ensinar e dar dicas. Eu não tive instrutor, não sabia andar lá dentro. Meu primeiro evento virei 2:01 com um Golf GLX, um tempo no mínimo ridículo para o carro. Atualmente já dei instrução para novatos que no final do dia estavam andando melhor e mais rápido do que eu (o que não aconteceria nunca sem instrução).

    O negócio é começar. Inscreva-se e vá pra pista!

    ResponderExcluir
  24. Molazzano,

    Que texto!! Quando crescer quero aprender a me expressar assim! haha

    abraço

    ResponderExcluir
  25. tpeixoto,

    pedi ao amigo Rajão que respondesse pra você, dado que ele é do RJ, habitual frequentador de TDs e teria mais exemplos e argumentos que eu. Espero encontrá-lo NA PISTA em um próximo TD!

    Abraço,

    MM

    ResponderExcluir
  26. Não vai porque se sente pobre? Hahahaha

    Quando eu começei a andar em Trackday eu ainda estava na faculdade de Medicina e sempre tinha menos dinheiro do que o mendigo que pedia esmola na porta do hospital.

    Nos primeiros anos eu andava de ônibus e almoçava sanduíche feito em casa pra juntar trocados pra andar com o meu velho Gol 1.8 e seus pneus canelinha 175-13.

    Acho que hoje em dia não existe mais ninguém tão pobre andando, até porque a inscrição na época era 90 reais e um pneu P400 175 custava 75 reais. Era mais fácil.

    Mas ainda tem muita gente que se aperta bastante pra andar de carro original e mesmo assim tá sempre lá andando, treinando, aprendendo e principalmente se DIVERTINDO!!

    Esquece esse complexo de inferioridade de achar que o seu carro "não é digno" de andar no autódromo... Essa é a maior bobagem que vc poderia pensar sobre o evento!!

    ResponderExcluir
  27. Camaradas Rajão, Molazzano e Villa,

    Obrigado pelos contrutivos comentários e palavras de incentivo!

    Eu deveria estar de mal humor quando escrevi meu primeiro comentário! =)

    Com ventos soprando a favor, nos veremos no próximo TD no RJ.

    Mesmo assim, ficaria muito mais feliz se os carros comuns fossem mais numerosos!

    Abraços a todos

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente,
Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.