CONVERSA DE PISTA

 


Reinauguração de Goiânia pode marcar novo ciclo no esporte




 



Reinauguração de Goiânia teve casa cheia (foto Duda Bairros)


Investimento de R$ 57 milhões transforma autódromo em parque público, reinauguração da pista com prova de Stock Car mostra que cidade pode se firmar como novo pólo do automobilismo regional



A aparência da pista original em 1974 (foto Nobres do Grid)

  
Inaugurado em 1974, o Autódromo Internacional de Goiânia refletia a popularidade e o apelo que o automobilismo nacional desfrutava graças às conquistas de Emerson Fittipaldi e os resultados que Wilsinho Fittipaldi e Carlos Pace conseguiam no cenário internacional quatro décadas atrás. Desde então muita coisa mudou, muitos carros passaram por esse asfalto e pouco, muito pouco mudou no interior das torres de controle do esporte, provocando uma deterioração marcante nesse universo. A remodelação da pista goiana, agora oficialmente batizada de Autódromo de Goiânia, pode consolidar um renascimento deste segmento que emprega milhares de profissionais em diversas áreas e ajuda a formar pessoas que sabem da importância do comprometimento e da ética.

Segurança marca a pista Goiana (foto Fernanda Freixosa)

 O grande público (45 mil pessoas, segundo os organizadores do Circuito Schin de Stock Car) que prestigiou a festa do fim de semana certamente é um bom indicador desta possibilidade que alegra qualquer autoentusiasta e muito mais gente. E apesar do continuísmo que caracteriza sem louros o poder esportivo local, não faltam nomes com vontade e experiência  para explorar o potencial do reformado circuito: o jornalista Fernando Campos e os ex-pilotos Alencar Júnior e Edmar Ferreira tem capital para motivar os entusiastas locais e conhecimento para promover eventos de nível nacional e até mesmo internacional são alguns de uma lista que pode incluir também Cairo Fontes e o meio-goiano-meio-mineiro Eduardo Cardoso. Todos estão ligados ao esporte a motor local desde há muito tempo, conhecem o assunto a fundo e não se furtam a retribuir o que o esporte lhes proporcionou.



Alencar Jr. (esq.), Vítor Genz e Edmar Ferreira (foto Duda Bairros)


Quarenta anos atrás a pista goiana chegava com requintes inexistentes nas pistas brasileiros: acomodações para mecânicos no piso superior dos boxes, rampa para descarregar carros de corrida então transportados em caminhões geralmente não apropriados para este fim e amplas áreas de escape. Quatro décadas mais tarde o projeto de transformar a área — outrora isolada da cidade e hoje próxima a condomínios de luxo —, em um parque público com espelhos d´água e jardinagem adequada a uma área de lazer está próximo de ser concluído, o que deixou a maioria dos que foram à Goiânia trabalhar na quarta etapa da Stock Car 2014 com vontade de voltar.


Stock Car II, O Retorno
 
Stock Car volta a Goiânia em agosto (Foto Fernanda Freixosa) 

Dentro de dois meses a categoria volta a Goiânia com a disputa da prova mais esperada da temporada: a Corrida do Milhão, evento criado pelo publicitário Nizan Guanaes e que deu uma nova dimensão à Stock Car brasileira. O fato inédito desta competição ser disputada no mesmo traçado de sua etapa anterior valorizou ainda mais a disputa do último fim de semana. Entre outras coisas, as duas largadas de domingo evidenciaram o acerto crítico dos carros de Cacá Bueno e Daniel Serra (ambos tiveram o pneu traseiro esquerdo estourado) e a dificuldade de entendimento entre os dois sistemas envolvidos no novo comando eletroidráulico de troca de marchas.


Cacá (acima) e Serrinha, problemas com pneu (foto Bruno Terena)


As duas empresas envolvidas nesse equipamento — Magneti Marelli e Bosch — não conseguiram solucionar as falhas que impedem o perfeito funcionamento do acionamento de troca de marchas nas reduções de velocidade, problema que já causou acidentes a vários pilotos e queixas da maioria. Curioso é que a XTrac, empresa australiana que fabrica a caixa de câmbio padrão, tem seu próprio sistema de acionamento, opção que por alguma razão foi deixada de lado em favor do sistema Marelli. O único ponto aceito pelos pilotos é que esse fenômeno acontece especialmente quando as reduções de marchas são feitas com o carro passando por ondulações (bumps) no asfalto; posto que a existência de pistas totalmente lisas é algo cada vez mais raro já se considera no paddock da Stock Car a possibilidade da categoria voltar a usar o trambulador mecânico que era norma até o ano passado.



O novato resistente e o veterano de fôlego


Fraga venceu a corrida de 40 minutos (foto Fernanda Freixosa)


Na pista o novato Felipe Fraga, piloto mais mais jovem da categoria, saiu-se melhor na primeira largada enquanto na segunda o já veterano Thiago Camilo foi o melhor. Enquanto na prova de 40 minutos foi o desgaste de pneus e um acidente envolvendo oito carros na primeira curva após a largada que forjaram o resultado, na corrida de 20 minutos a quantidade de combustível ainda disponível no tanque deu o tom da classificação final. Destaques do dia foram Bia Figueiredo, que travou boa disputa com Thiago Camilo na primeira prova e terminou em 11º,e Vitor Genz, um dos novos valores da Stock Car, que obteve seu primeiro resultado entre os primeiros 10 ao terminar a segunda prova em nono lugar.



Camillo dominou a prova de 20 minutos (foto Duda Bairros)


 Resultados:


Corrida 1 - 1 º) Felipe Fraga (Vogel Motorsport), 27 voltas em 42min07s9452º) Átila Abreu (Mobil Super Racing), a 4”431; 3º) Ricardo Mauricio (Eurofarma RC), a 5” 882; 4º) Diego Nunes (C2 Team) – a 7”530; 5º) Denis Navarro (Voxx Racing Team), a 7”651; 6º) Allam Khodair (Texaco/Full Time Sports), a 14”279; 7º) Marcos Gomes (Schin Racing Team), a 17”747; 8º) Luciano Burti (Vogel Motorsport), a 23”455; 9º) Rubens Barrichello (Medley/Full Time Sports), a 28”283; 10º) Thiago Camilo (Ipiranga-RCM), a 33”116.  Corrida 2 - 1º) Thiago Camilo (Ipiranga-RCM), 16 voltas em 22min45s810; 2º) Rubens Barrichello (Full Time Competições), a 3”989; 3º) Julio Campos (Prati-Mico's Racing), a 14”512;  4º) Luciano Burti (Vogel Motorsport), a 15”017; 5º) Valdeno Brito (Shell Racing), a 16”924; 6º) Sergio Jimenez (Voxx Racing Team), a 17”573; 7º) Antonio Pizzonia (Prati-Mico's Racing),  a 17”827; 8º) Cacá Bueno  (Red Bull Racing), a 22”108; 9º) Vitor Genz  (Boettger Competições), a 26”709; 10º) Max Wilson (Eurofarma RC), a 30”654.  Posições no campeonato: 1º) Marcos Gomes, 64 pontos; 2º)Valdeno Brito, 62; 3º)Átila Abreu, 59; 4º) Sérgio Jimenez, 58; 5º)Júlio Campos, 55


 Coelho vai devagar e chega longe

Coelho Jr. lidera Brasileiro de Turismo (foto Fernanda Freixosa)


O mineiro Edson Coelho Júnior não se impressionou com o ritmo de corrida do gaúcho Márcio Campos, vencedor das duas provas da categoria Turismo em Goiânia, e graças a um terceiro e um segundo lugares assumiu a liderança do certame, considerado uma categoria de acesso à Stock Car. Resultados – Sábado: 1º) Marcio Campos,17 voltas em 27’24”882; 2º) Raphael Abbate, a 0”722; 3º) Edson Coelho, a 3”408; Domingo: 1º) Márcio Campos, 23 voltas, em 37’31”037; 2º) Edson Coelho, a 0”611; 3º) Guilherme Salas, a 8”330, Posições no campeonato: 1) Edson Coelho Jr, 75 pontos; 2) Guilherme Salas, 74; 3) Pedro Boesel, 73. Próxima etapa: 2 e 3 de agosto, Goiânia (GO). 



Indy: Helinho de vinga em Detroit


Helinho agora é vice-líder na Indy (Foto Chris Jones)


Uma semana após terminar a 500 Milhas de Indianápolis em segundo lugar por uma das menores diferenças para o vencedor os 94 anos da historia da competição, Hélio Castro Neves foi o ganhador a corrida de domingo da rodada de Detroit válida pelo campeonato de IndyCar. Com a vitória, uma pole position e 87 pontos acumulados no fim de semana, o brasileiro assumiu a vice-liderança do certame. Foi a primeira vitória do piloto do Team Penske na temporada, a 29ª de sua carreira na Indy; a equipe também venceu no sábado, com Will Power, atual líder do campeonato. Tony Kanaan foi o terceiro nesta prova.

Resultados na Indy no fim de semana: Sábado - 1) Will Power; 2) Graham Rahal; 3) Tony Kanaan; 4) Justin Wilson; 5) Hélio Castro Neves. Domingo – 1) Héio Castro Neves; 2) Will Power; 3) Charlie Kimball; 4) Scott Dixon; 5) James Hinchcliffe. Campeonato: 1) Power, 326 pontos; 2) Castro Neves, 307; 3) Ryan Hunter-Reay, 299; 4) Pagenaud, 247; 5) Andretti, 227. Próxima etapa: 7/6, Firestone 600, no oval de Fort Worth, Texas. 

WG

A coluna 'Conversa de pista" é de total responsabilidade do seu autor e não reflete necessariamente a opinião do AUTOentusiastas.


7 comentários :

  1. Quem assistiu a corrida da Stock neste final de semana não se arrependeu. Tivemos muitos pegas interessantes, mas acredito que o asfalto novo foi um dos responsáveis por tantos estouros de pneus. Acho que algumas equipes não encontraram um bom acerto na cambagem da suspensão, de modo que isso deve ter feito com que os carros consumissem mais borracha do que o esperado.
    E nesta prova de Goiania, destaque para Rubens Barrichello e Bia Figueiredo. O primeiro, se não foi tão bem na primeira bateria, demonstrou toda sua experiência ao conduzir o equipamento de maneira técnica e conquistou um bom 2º lugar. Quanto à Bia, largou em 27º e terminou em 11º - beneficiada por muitas quebras é verdade, mas também conquistando várias posições no braço.
    Que venha a corrida do milhão!!

    ResponderExcluir
  2. Goiânia é uma cidade de autoentusiastas, o povo goiano adora qualquer tipo de esporte a motor, eu que sou da terra, sei bem o quanto gostamos de máquinas, e isso aqui, não é coisa só para macho, as belíssimas mulheres goianas se amarram em velocidade e correm também... deixam muitos marmanjos "no chinelo".

    ResponderExcluir
  3. Marcus Lahóz03/06/14 16:53

    A stock este ano esta muito boa. Corrida espetaculares vale muito a pena assistir.

    Goiânia precisava deste "novo" autódromo, muito bom.

    ResponderExcluir
  4. E pensar que a especulação imobiliária quase acabou com o autódromo de Goiânia. Sorte que os entusiastas foram mais espertos que os picaretas e conseguiram fazer essa incrível reforma.
    Enquanto isso, em Brasília, seguem os planos da "reforma" que destruirá o traçado para fazer uma pista genérica...

    ResponderExcluir
  5. muito legal ver isso acontecendo no ano de copa, o traçado da pista parece bem divertido, com exelentes curvas de alta. Lembro que essa pista recebeu o grande premio brasil de moto GP

    ResponderExcluir
  6. A Stock é uma boa categoria. É possível se divertir acompanhando a mesma. Tivemos boas disputas entre todos os pilotos, mas o destaque vai para o jovem Felipe Fraga. Parece que tem potencial para voos mais altos. Espero que gerenciem bem sua carreira.
    Mais uma vez venho comentar sobre outra excelente prova da NASCAR Sprint Cup. Outro show de Jimmie Johnson, pulverizando um falso favoritismo de Kyle Busch, pois o mesmo havia vencido nas categorias de baixo (Truck e Nationwide), onde ele gosta "cantar de galo". Já na Cup ele vira um franguinho despenado.

    ResponderExcluir
  7. Enquanto isso no Rio de Janeiro . . .

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.