COMO NOS FALTA EDUCAÇÃO!

Foto: autor


A placa acima encontra-se na rodovia RJ 157, um trecho pequeno que sai da Via Dutra (BR 116) na altura de Barra Mansa (RJ) e que na divisa com o Estado de São Paulo emenda na SP 064, que leva a Bananal (SP). Mais do que curiosa ou mesmo engraçada, a mensagem entristece, ao mostrar que temos um longo caminho a percorrer para sermos classificados como nação avançada. Usar o acostamento como depósito de qualquer coisa, ou até mesmo como lixeira, é inconcebível. Entretanto, acontece, obrigando a colocação de uma placa como essa.

Ainda está fresca na memória de muitos a cena de um grupo de torcedores japoneses recolhendo lixo deixado na área da platéia da Arena Pernambuco — cresci sabendo que arena era local para touradas, mas, tudo bem, é "muderno" — após o jogo contra a seleção da Costa do Marfim dia 14 último. Que exemplo de educação e civilidade.

Japonês recolhe lixo após o jogo (foto uol.com.br)

Temos muito que evoluir. Incontáveis vezes recolhi papel jogado na calçada e joguei-o no lixo mais próximo. Essa noção de respeito pelo espaço público se aprende desde bem criança, e para isso é preciso um lar bem-formado, o que infelizmente escasseia cada vez mais. Essa mesma educação quando a criança se aproxima da adolescência se estende ao automóvel. É com o pai que o jovem deve aprender a respeitar os outros, a máquina e si mesmo. Muito do que de ruim acontece no trânsito — acidentes, discussões, brigas e até mortes — tem a ver com educação. Não basta praticar a "direção defensiva", sem educação ela não evitará tudo.

Como, porém, não se pode consertar o que ficou errado, cabe usar os meios de comunicação para efetuar campanhas permanentes de posturas no trânsito. Dinheiro para isso há, haja vista o que as empresas estatais anunciam nas emissoras de televisão. Se um quadro vale por mil palavras, um vídeo vale por mil quadros. Com os recursos audiovisuais de hoje dá para produzir vídeos de alto poder de conscientização, como este patrocinado pela Volkswagen que começou há poucos dias a circular pela internet, a respeito de digitar texto ao dirigir: 




Há outro, este tem mais tempo, produzido na Austrália pela Transport Accident Commission (TAC), e realmente choca pelo realismo (é até difícil imaginar como foi produzido):




Fazer o mesmo aqui seria dinheiro infinitamente mais bem gasto do que inundar as emissoras de tevê de comerciais do Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Petrobrás, para citar as principais estatais.

Mas não só mostrar acidentes que chocam, mostrar também atitudes, posturas ao dirigir, cuidados básicos com o automóvel, cortesia com os demais personagens do trânsito – motociclistas, ciclistas e pedestres — os temas são praticamente inesgotáveis. Não é preciso ser vidente para certeza de que num período relativamente curto a cara do trânsito brasileiro mudaria.

Por exemplo, um roteiro tipo a pessoa está dirigindo numa estrada e se aproxima de uma pequena aglomeração de pessoas na margem. A câmera mostra o freio sendo aplicado e o ponteiro do velocímetro caindo. Temas desse tipo, simples de realizar, mas com alto poder de convencimento.

Dá para fazer tudo isso, basta não ter preguiça e, principalmente, querer realmente mudar o trágico quadro de acidentes e mortes no trânsito brasileiro.

BS

18 comentários :

  1. Muito bom o texto Bob! Essa propaganda da Austrália deveria passar no mundo todo, no horário nobre! Sou a favor de programas que choquem, alunos de auto-escola deveriam fazer tour obrigatória em hospitais e centros de recuperações, para ver na prática como funciona. E quanto ao Brasil, me entristece muito mas não tenho esperanças de ver um país melhor mais em minha geração, tenho 25 anos, quando vejo outros jovens, vejo que a "gérsonite", a falta de cidadania, de noções de vivência em uma comunidade é ainda predominante, e pior que isso é o aspecto cultural que não é de agora, Rui Barbosa já falava isso, ser correto, honesto é tido como negativo, como "otário", isso que me corrói por dentro aqui e é um dos principais motivos de eu ter perdido as esperanças com o Brasil e ter planos de imigrar... Talvez se nos proximos 10 anos fizerem algo pela educação no país, talvez as gerações que estejam nascendo agora tornem o país mais civilizado para se viver, mas isso demora, não é rápido quando se tem que vencer séculos de cultura atrasada...

    ResponderExcluir
  2. Texto bacana! Agora a respeito do uso de apps de mensagem instantânea, até mesmo os pedestres e ciclistas - crianças também - estão perdendo a atenção no trânsito ao digitar. Vejo isso diariamente, é um total absurdo!

    ResponderExcluir
  3. Sem as disciplinas de EMC e Ética nas escolas, nada mudará.
    Quanto ao BB, ele não é um banco estatal, mas mesmo assim nada impede que juntamente com a CEF e a Petrobrás, façam comerciais como esse da VW, onde instrui e ao mesmo tempo faz aparecer seu logotipo.

    ResponderExcluir
  4. Ontem em SC, após choque entre duas motos, o caroneiro de uma delas matou a tiros o motociclista da outra moto.

    ResponderExcluir
  5. Bob, o termo "arena" não foi pensado e criado para simplesmente parecer "muderno", e sim para tentar dar um ar de sofisticação ao "produto", e se prestar a tornar mais "justificável" perante a opinião pública, a imensa fortuna que jogaram no ralo (além da que jogam com a massiva e exagerada publicidade das instituições que você citou) para a construção e reforma de...estádios! Quanto àquela campanha de trânsito na Austrália, eu já conhecia: é como um direto no queixo dado pelo Mike Tyson quando no ápice de sua forma física e técnica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho "arena" bem apropriado. Arena de circo, só que os palhaços ficam na arquibancada ou do lado de fora, é claro.

      Excluir
  6. João Carlos30/06/14 12:54

    No trânsito não vejo futuro para melhora, a ate´médio prazo. Ainda mais com a nova geração de NCapeiros, em que o carro ter 5 estrelas basta para todos os males do trânsito serem resolvidos.

    Um dia num desses num forum de notícias muito comentado, falei da necessidade de não se esquecermos de que ainda é o motorista o principal "item de segurança" para evitar ou diminuir as consequências de um acidente.

    Dito e feito: todos acharam "nada haver". E alguns foram logo atacar o mensageiro, e não a mensagem, o que também demonstra falta de educação.

    ResponderExcluir
  7. Grande Bob,
    Trabalhei na "arena" Pernambuco durante os jogos e presenciei este fato. São educadíssimos. Agradecem por tudo. Respeitam todos. Sabem se portar em meio a uma multidão.
    Fiquei impressionado.
    Mas tb vi o muita gente sem educação. De várias nacionalidades. Desde brasileiros perguntando (aos berros) onde ficava a "po**a do banheiro" a mexicanos jogando cerveja da arquibancada e fazendo xixi nos corredores.
    E o ápice da falta de educação foi vaiar o hino de outro país, sendo nós os anfitriões.
    Forte abraço,

    Moy

    ResponderExcluir
  8. Educação vem da família. Os bons hábitos que tenho no transito e na minha vida, devo aos meus pais.

    Existem pessoas que simplesmente não deveriam gerar outras pessoas.

    Cara, não entra na minha cabeça, como a pessoa pode dirigir um carro bêbada. Não consigo entender.

    ResponderExcluir
  9. Olha Bob, eu confeço que eu sou uma pessoa que preciso melhorar esta parte, pois eu mesmo já joguei um papel de bala ou goma no chão pensando "ah é só um papelzinho". E foi muito bom eu ler esta sua matéria, eu vi que estou precisando de uma reeducação de minhas atitudes.

    ResponderExcluir
  10. Engraçado, hoje quando estava indo para casa almoçar, passei no terreno baldio e vi que haviam deixado lá uma privada antiga (aquelas azuis), e fico pensando como que alguem tem coragem de fazer algo assim. Eu sequer tenho coragem de jogar um papel no chão, quem diria uma privada. Detalhe que aqui na nossa cidade a empresa que recolhe o lixo faz a coleta deste material também, é só ligar que eles vem buscar em casa. Brasileiro é um povo muito bom, mas com alguns defeitos que da de contar na palma da mão que acabam com a nossa magia.

    ResponderExcluir
  11. É verdade Bob..., estamos "anos luz" atrasados neste sentido..., vi recentemente fotos da viagem de um colega em viagem ao Japão (incluindo-se desde as capitais até as mais humildes "cidadelas", e não só não há nenhum tipo de lixo (NADA) no chão como simplesmente não há lixeiras! Ou seja, a educação e a disciplina são tamanhas que não se fazem necessárias lixeiras, pois, ninguém "ousa" deixar de levar pra casa o lixo criado por si. Certa vez, meu pai em viagem a Alemanha impressionou-se ao notar que uma menina (aproximadamente 4 anos!) pediu ao pai que guardasse o papel da sua bala para que ela pudesse jogar no lixo de casa - enquanto aqui o morador da "comunidade" a beira do córrego arremessa sacos de lixo e depois queixa-se da enchente (claro, temos muitos letrados/mestres/doutorados fazendo o mesmo). "Nossa educação" reflete-se claramente no trânsito onde a "Lei de Gerson" prevalece, onde se você se queixar (mesmo que educadamente) que a sua preferência não foi respeitada pode acabar sendo agredido. Defendo esta tese há muito tempo, em termos de trânsito, que muito pior que a "caçada" velocidade máxima, o que mata mesmo é a falta de educação e respeito no trânsito. Sobre este assunto chego a achar que ao invés dos mais velhos educarem os mais novos, o que está ocorrendo é o inverso...

    ResponderExcluir
  12. Que nada Bob o bom mesmo é arrecadar, e deixar que o rebano se mate por aí como vem acontecendo. A ultima piada é o tal do simulador, criado só pra arrecadar mais dinheiro. Hoje uma CNH custa mais de R$1.500,00 e a qualidade dos motoristas só piora. Aqui no RS até carteira de graça o governo resolveu dar. Só pra voce ter uma ideia da fome de dinheiro e da falta de logica quanto ao simulador. Aula de carro na via fica em torno de R$ 37,00 50 minutos de duração, aula do simulador R$ 47,00 30 minutos de duração. Te pergunto vai ajudar em que esses 30 minutos no video game? Hoje em dia nem aula em rodovia não pode mais aqui no RS. Sinceramente não sei onde isso vai parar, mas não tenho um bom pressentimento do final.

    ResponderExcluir
  13. ...mostrar também atitudes, posturas ao dirigir, cuidados básicos com o automóvel, cortesia com os demais personagens do trânsito – motociclistas, ciclistas e pedestres...
    Por exemplo, um roteiro tipo a pessoa está dirigindo numa estrada e se aproxima de uma pequena aglomeração de pessoas na margem. A câmera mostra o freio sendo aplicado e o ponteiro do velocímetro caindo...


    OK, OK... mas o que mais falta, em meu entender, é a cortesia DOS demais personagens do trânsito – motociclistas, ciclistas e pedestres - PARA COM o automóvel.

    Nunca vi uma campanha divulgando e alertando sobre as RESPONSABILIDADES que esses personagens são, por lei, obrigados a cumprir no trânsito. Por exemplo, o que seria essa "pequena aglomeração de pessoas na margem"? Pedestres indo ao trabalho? Ou "sem-alguma coisa" (eu escreveria o "sem-...", mas vamos evitar processos) acampados em pleno viaduto Jaceguai?

    Ou, a despeito do fato lamentável em si para todos os envolvidos, uma decisão que - segundo se depreende da reportagem - ignorou laudo pericial apresentado pela defesa e não contestado nem pelo MP e nem pelo advogado de acusação, condenando o "suposto" réu? Andar de bicicleta, de madrugada, na contramão da Av. Paulista, PODE??? Tá no CTB?

    http://noticias.r7.com/videos/apos-sentenca-caso-de-ciclista-que-teve-braco-arrancado-tem-nova-batalha-judicial/idmedia/53b0c2690cf2a2b79763081a.html

    ResponderExcluir
  14. Caro Bob,

    Na mosca! Contudo, campanhas educacionais não são bem aceitas pela classe política pois fazem a pessoa evoluir, ser crítica e passar a exigir mais também das "Vossas Excelências".

    Sds.

    ResponderExcluir
  15. Bob,

    Eu compartilho 100% dessa sua ideia de que o que nos falta é primordialmente no trânsito (e na verdade em tudo) é a educação. Penso que se fosse feito um grande investimento em educação no país tudo melhoraria e o trânsito de certo seria um dos beneficiários disso, mas nós temos que conviver com um trânsito onde a principal das leis adotadas pelos motoristas, salvo poucas exceções, é a Lei do Gérson.

    Infelizmente não vejo como melhorar essa situação a curto prazo, e com os investimentos que vem sendo feitos na educação, nem mesmo a longo prazo parece que teremos algo do que nos orgulhar.

    ResponderExcluir
  16. Caro Bob: Ótimo artigo como sempre,mas num país como o nosso onde 80% da população só pensa em fuebol mulher e cerveja,fica difícil educar alguém que seja.Quando vemos no dia a dia políticos que matam e aleijam pessoas no transito e não são punidos,saem apenas pagando fiança e respondem o processo em liberdade, com policiais de transito corruptos, como esta acontecendo aqui no Rio durante a copa,estamos realmente perdidos.

    ResponderExcluir
  17. Eduque as crianças e não será preciso punir os homens!

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.