CADÊ AS PERUAS?

Foto: negocioseveiculos.com.br


Por favor, gostaria de ser informado se no Brasil — o quarto maior mercado de automóveis do mundo — há quem fabrique peruas derivadas de sedãs médios. Claro que não há, porém o absurdo de não haver me parece tão grande que mesmo eu, um informado jornalista da área, de vez em quando me pego duvidando se é isso mesmo.

Vejamos. A Fiat fabrica a Palio Weekend e a Volkswagen, a SpaceFox, que são boas peruas, porém, para muitas famílias, como a minha, elas não satisfazem em questão de espaço interno, conforto, capacidade de bagagem etc., já que derivam de hatches compactos e não de sedãs médios. A Weekend Attractive só vem com motor 1,4-litro. Se você costuma viajar carregado e a quiser com um motor um pouco mais forte, o 1,6-l, terá que partir para a Trekking, ou seja, terá também que levar aqueles plásticos pretos envolvendo pára-lamas, além de outras peças decorativas feitas para agradar os jipeiros e que podem não cair no seu gosto. Uma perua; só uma perua normal, de asfalto e ocasionalmente terra, se necessário for, já que qualquer carro encara barro.

VW Passat Variant (foto en.wikipedia.org)

A SpaceFox é alta, assim como é alta a Nissan Livina. Quero uma normal, altura normal, altura de carro sedã, como sempre foram as peruas. É só usar a fórmula: sedã médio normal + teto até a traseira do carro = perua média normal. Fácil. Muito fácil. Tão fácil que sempre foi feito, como a DKW-Vemag Vemaguet, Ford Belina II, VW Quantum, Simca Jangada, Chevrolet Omega Suprema e por aí vai. Desde que começaram a fabricar carros no Brasil, junto fabricavam as peruas — aliás, o primeiro carro brasileiro, o DKW-Vemag, era uma perua –, já que não é necessário ser sabichão para saber que uns precisam de sedãs e outros precisam de peruas. Não fossem as Belinas que tive, não sei o que seria da minha vida na época em que minhas filhas eram pequenas. Como eu iria carregar aquela coisarada toda que toda família com crianças carrega? 

Primeiro carro nacional, uma perua ( reprodução flaviogomes.warmup.com.br)
 
Há pouco, a Renault tirou de linha a boa Grand Tour, cuja foto abre este post. Essa era uma bela perua derivada do Mégane. Eu já gostava dela devido às suas linhas e também gostei quando a testei no uso, mas gostei dela para valer quando em Interlagos dirigi uma com motor 2-litros e com câmbio manual de 6-marchas. Boa boa de tudo; ela gostava das curvas, era apontar e ela entrava pra valer, já bem equilibrada, bem apoiada, e o motor empurrava com espírito. Nessas, um Ferrari 360 me passou por fora na Curva do Laranja e encasquetei de ir buscá-lo — veja se pode —, de tão bem que eu estava me entendendo com ela. Não deu, claro.
Já há mais tempo, a Toyota, inexplicavelmente descontinuou a boa e confiável Corolla Fielder — que vendia pra burro —, e a Fiat fez o mesmo com a Marea SW, e assim, se quisermos manter a tradição familiar e comprar uma perua, teremos que buscar as importadas, como a VW Passat Variant, por exemplo. Mas não é isso que se quer, uma perua importada. É só uma perua nacional; uma boa, espaçosa e sem muitas frescuras perua nacional para a família. O mundo inteiro as tem, mercados muito menores que o nosso as têm, e nós não as temos. Por que isso?

Toyota Fielder (foto gomotors.net)

Hoje, repito, somos o 4º maior mercado de automóveis do mundo, temos milhões de famílias, milhões de crianças, milhões de bicicletas, cachorros, carrinhos de bebê, banheirinhas, cadeiras de praia, tralhas e mais tralhas, e por aqui não fabricam as confortáveis e carregadeiras peruas. Vai entender.
E não são só as famílias que gostam da utilidade e praticidade das peruas. A moçada também as adora. Ela está cada vez mais esportista, e nada melhor que as peruas para levar bicicleta, prancha de surfe, arreios de cavalo, mochilas das gatinhas, caixa de Isopor, tralhas de camping, tralhas do veleiro etc. Além do mais, por ter um longo teto podemos ajeitar o bagageiro distanciando bastante o rack dianteiro do traseiro, o que melhora o carregamento de brinquedos longos, tipo prancha de stand-up ou pequenos veleiros tipo o Laser, ou asa delta.
Jovens adoram peruas (foto flickhivemind.net)

Perua é chique. Bom... chique mesmo é viajar sem carregar nada e deixar as bagagens para o motorista levar num veículo de carga, já que não é chique fazer força sem que seja por esporte, mas que perua é chique, é, pelo menos eu acho. Também é boa para se andar no banco traseiro, já que nunca o sol forte bate nas costas de quem que vai atrás, como bate num sedã. Ah! Sei que não é chique ter que passar a noite dentro do carro, mas há situações que exigem isso e menos chique ainda é ter que dormir na calçada embrulhado em jornal, e numa perua média dá pra gente se esticar.

E fora esse grande elenco de utilidades, e nenhum inconveniente, as peruas, normalmente, têm melhor aerodinâmica que os sedãs dos quais derivam. Lembro bem que a Belina II – tive umas cinco delas – na estrada era mais econômica que o Corcel II, modelo do qual derivava. Os testes da época demonstravam isso, justamente por ter menor arrasto. O Bob mesmo me disse que quando era chefe do departamento de competições da VW, a engenharia propôs que competissem com a Parati em vez do Voyage no Campeonato de Marcas, por, além de ter menor arrasto aerodinâmico, ela ser melhor de curva, já que tem melhor distribuição de peso, mas a idéia foi barrada pelo marketing.

A Volvo teve mesma idéia que a engenharia da VW brasileira... anos depois (foto newartcars.com)

E nada melhor para um homem do que ter ao lado uma esposa satisfeita e sorridente. Janelas abertas, ela feliz, sorrindo, rindo do besteirol que os maridos contam, seus lindos cabelos ondulando em câmera lenta, satisfeitíssima; janelas abertas trazendo os ares frescos do campo para secar o suor lascado que você andou suando para colocar um fogão velho de seis bocas que a sua sogra de doze bocas lhes deu, fora um rolo, grosso feito uma tora, de tapete embolorado, coisas que só sofrendo chibatadas nas costas arranjamos força para carregar. Resumindo: as mulheres adoram as peruas. Elas adoram aquele vácuo formado pela grandeza interna das peruas. Se der eco, melhor. Elas adoram carregar objetos que simplesmente não cabem num sedã, não encaixam; um abajur com 1,80 m de altura, por exemplo, fora a cúpula, ou um fogão engordurado, ou um freezerzinho enferrujado, ou um móvel antidiluviano da tataravó, um quadro mal pintado da sua sogra quando moça, essas coisas não cabem num porta-malas de um sedã. Não adianta ter boa vontade, não adianta tentar, porque não cabem.

Mulheres ficam felizes com as peruas; esta é um Simca Jangada (foto internet)

Portanto, por favor, fabricantes brasileiros de sedãs médios, tipo Linea, Corolla, Civic, e seus pares argentinos (C4, 408, Focus), entre outros, esse segmento tão disputado, aproveitem seus bons sedãs e estiquem mais esse teto até que eles virem as nossas amadas peruas. Não as tentem substituir pelos suves ou minivans ou seja lá qual outro modelo suas pesquisas de marketing indiquem ser de extrema viabilidade, mas que implicam em novos projetos, novas linhas de fabricação, grandes custos, grandes campanhas publicitárias para vender uma nova necessidade imaginária, grandes riscos. Fora que suves e minivans, por serem altos, têm maior área frontal bem maior e Cx (coeficiente de arrasto aerodinâmico) bem mais alto, ou seja, bem pior — os Cx dos suves, por exemplo, costumam passar de 0,40, sendo que o de muitos quase atingem 0,50 —, conseqüentemente gastam bem mais combustível, e justamente quando a indústria automobilística mundial foca seus investimentos em tecnologias para baixar o consumo.

Suve Lincoln Navigator. 7,3 km/l médio (foto carfinderservice.com)

Mais cedo ou mais tarde, se não a quiserem quebrar duma vez, a Petrobrás vai tratar de subir o preço do combustível — é inexorável —, e assim, num patamar mais alto, ele se manterá, já que o preço atual é irrealmente baixo somente por questões imediatistas e eleitoreiras, pois todos sabem que o atual governo está se servindo da nossa Petrobrás com o objetivo de manter seu partido no poder. E já que o que está errado não perdura, logo após as eleições é certeza que o preço do combustível há de subir, e aí o fator consumo pesará bem mais na decisão de compra.      

É só esticar o teto. Nós não queremos brioches; queremos um bom pão. Custa pouco e garanto que isso vende. Garanto que perua vende. A história do automóvel do brasileiro garante. Não tem erro.


Novo Peugeot 308 perua (foto cars-data.com)

AK    

175 comentários :

  1. Arnaldo

    Belo Post! Onde Assino?

    Sempre tive uma queda por peruas, mas tá difícil...

    Gostaria muito que a Renault fizesse o Logan MCV por aqui.

    César

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também gosto
      Para mim a SW mais linda do mundo e a Alfa 156!
      Esta sim !

      Excluir
  2. Peugeot 207 SW?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antônimo do Anônimo23/06/14 12:59

      Cai na mesma categoria de palio weekeend e spacefox... pequena pra quem precisa de mais espaço... pois é derivada de um hatch compacto, não de sedan médio...
      Aliás, tem hatch com porta-malas maior que o da 206/7 SW, com seus 313 litros... o sandero, por exemplo, leva 320 litros na mala...
      Fora que a julgar pelos baixos números de evndas, deverá sair de linha em breve, também, e não me parece que teremos uma 208 SW ou a bela 308 que está na reportagem, infelizmente.

      Excluir
    2. Finada.

      Excluir
    3. Anônimo23/06/14 12:11: Fora de linha. Nem tem mais no site...

      Excluir
    4. Mas que também é linda isso é. Não só 207 SW, mas sim os 206 SW/Escapade. Únicas "mini-peruas" que me chamam a atenção até hoje.

      Excluir
    5. Meu vizinho tem uma perua do 307, não sei se o nome é 307 SW, muito bonita. O problema que todos os carros que ele tem ele detona em pouco tempo.

      Excluir
  3. Já pregava o finado Jalopnik: Salvem as peruas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No Flatout a gente sempre fala:

      God Save the SW´s!

      Abraços,

      Bruno

      Excluir
  4. AK, eu também faço parte dos órfãos de peruas.... me criei no porta malas da belina, e hoje me contento, até que satisfeito, com minha minivan, mas o que eu queria mesmo era uma bela perua... até hoje lamento o fim da fielder que achava muitas vezes mais bela que o corolla, e o escort SW, uma rarissima perua com teto solar... e lá fora os americanos debocham da minha cara com o focus SW...

    Mas duvido elas voltarem a popular nosso mercado, onde o que importa é chamar mais atenção e o simbolo de vitória pessoal e profissional é em regra geral uma beberrona SUVE ou um infame ecosport que vejo frequentemente capotados em leilões de carros sinistrados...

    Meu irmão que não é um gearhead mas tem seus trejeitos entusiastas saiu de um brava HGT para um esosport freestyle e somente agora depois de ter saído dele para um línea admite que foi um erro enorme compra a ecosport... que tivesse comprado uma marea SW se quisesse espaço, agora se contente com o sedans!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luke, o Ecosport novo é outra coisa. Ele mudou e muito. Melhorou muito de chão.

      Excluir
  5. Parabéns, e que os fabricantes LEIAM... eles que podem resolver essa situação chata. E aos consumidores de SUV que vivem rebatendo que é melhor, não precisamos de peruas, o recado está aí. Ainda queremos. Vocês já tem os produtos que querem, abram espaço pro ressurgimento das peruas médias.

    ResponderExcluir
  6. A demanda pelas peruas é algo que sempre existiu. Lembre das peruas médias 'artesanais' feitas a partir do Maverick e do Monza. Belo post.

    ResponderExcluir
  7. Mais um belo manifesto pela volta das peruas, que sou também totalmente a favor. A melhor prova de que há um mercado carente destes veículos eram os bons números de venda da Mégane GT e Corolla Fielder. No caso das peruas pequenas (Weekend e Spacefox), as vendas minguaram devido aos preços extremamente altos, já que a diferença dos valores em relação aos hatches das quais derivam é de mais de 10 mil reais. Isso não significa que não há demanda, mas sim um mau posicionamento dos preços. Tinha que aparecer algum funcionário esclarecido de dentro das empresas fabricantes, um pika grossa mesmo, que dissesse em alto e bom som para a molecada do marketing que esses jipinhos que estão sendo lançados NÃO substituem uma boa perua.

    ResponderExcluir
  8. Sem falar que, racionalmente, sedans não fazem sentido. Todo aquele espaço desperdiçado acima do porta-malas e ocupando o mesmo espaço de uma perua na vaga. Sedans só existem por que as pessoas os acham mais bonitos (eu não).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeito. com o perdao da palavra, sedans sao bonitos mas estupidos: se nao precisa do porta-malas, vai de hatch que é mais versatil, se precisa de porta-mals vai de perua que tem porta-malas direito. o problema é reverter a imagem de carro de familia e focar nelas, que teremos coisas lindas sempre, como as audi avant rs.

      Excluir
    2. Olisses23/06/14 12:28 Os sedans não tem nada a ver com isso ,pelo contrario ,eles podem servir de base para construção de excelentes peruas. Os sedans são espaçosos ,bem equipados e agradáveis de conduzir , quem tem culpa são os consumidores que compram SUV e minivan e não compram peruas.

      Excluir
  9. Não sei porque a Renault não traz logo a perua do Logan. Sucesso faria, se vendida lá pelos seus 35mil.

    ISM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ISM, daria uma ótima perua, sim, sem dúvida!

      Excluir
    2. Também sonho com isso.

      Será que o Logan MCV não vem pra não concorrer com o Livina?

      César

      Excluir
    3. César, uma Logan SW estaria em outra faixa de preço, mais barata.

      Excluir
    4. Talvez se toda vez que alguém visitar a Renault perguntar por uma perua do Logan, a diretoria se sinta motivada a atender o desejo coletivo.
      Difícil mas não impossível.


      KzR

      Excluir
  10. Viajei muitas vezes no porta malas da Belina do meu tio... era uma farra!

    Hoje em dia, nem pensar. Primeiro porque as peruas estão desaparecendo. Segundo porque é politicamente incorreto e segundo muitos, perigoso.

    Perigoso mesmo, pra mim, são motoristas mal formados como temos hoje, graças a carteiras compradas e banalização do ato de dirigir. Guiar um veículo tem que ser algo exclusivo e precioso. Requer atenção e dedicação ao ato. Dirigir por dirigir é mais perigoso que qualquer coisa.

    Porta-malas de Parati, Quantum, Belina, Panorama... Eram outros tempos. Saudosos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade Anonimo, adorava viajar no bagageiro da Caravan do meu avô. Iamos pra praia 10 pessoas. Meu avô dirigindo, minha avó ao lado e meu tio do lado dela (banco interiço, Caravan 80) meus pais atrás com minha tia, e eu e meus irmãos no porta-malas... As malas mesmo iam no bagageiro em cima do carro. Saudades tambem do chiquinho do fusca do meu pai...
      Carlos Martins

      Excluir
    2. Hahaha, deiatava o banco ali e virava uma casa, bastante espaço para lidar...

      Excluir
    3. kkkkkkk
      quem foi criança nos anos 80 e não fez isso não teve infância!! heaheha
      Eu tive, e era um barato!!! =D

      Excluir
    4. "Hoje em dia, nem pensar. Primeiro porque as peruas estão desaparecendo. Segundo porque é politicamente incorreto e segundo muitos, perigoso."

      Segundo muitos e inclusive a Física também. Dela não tem como fugir. Infelizmente éramos muito mais inocentes há 30/40/50 anos. Eu mesmo, do "alto" dos meu 29 anos, já andei muito no porta-malas da Belina do meu pai (já derivada do Del Rey) e no do Passat que ele teve, mas sei muito bem que a Primeira Lei de Newton é inexorável.

      Abraços

      Excluir
    5. Jambeiro,

      Sim, sim, Primeira Lei de Newton, a gente sabe, mas a farrinha no "chiqueirinho" da Belina era um barato!! =D

      Excluir
    6. Anônimo24/06/14 20:46

      Sim, isso é inegável, bons tempos que a gente não se preocupava com nada, apenas em se divertir.

      Excluir
    7. E tenho impressão q nem por isso se morria tanto. Tenho impressão que as pessoas tinham mais noção dos perigos e agiam com mais cautela. Hoje tá todo mundo "corajoso" demais.

      Excluir
  11. Para mim é outro caso do marketing fazer a moda, sobrepujando o que as pessoas realmente preferiam antes. Acho que isso acontece muitas vezes em diferentes áreas. As pessoas gostam de uma coisa e vai lá o marketing convencer as pessoas de que o que elas possuem ou desejam, é defasado, antiquado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maldito marketing!!

      Excluir
    2. Washington Olivetto23/06/14 23:47

      Bendito Marketing!

      WO

      Excluir
    3. Nem vem! Tu é suspeito pra falar disso.....

      Excluir
  12. Concordo plenamente Bob. Por causa dessa ausência das peruas, peguei uma "semiperua". Estou contente com minha livina, mistura de monovolume e perua, me atende plenamente nas necessidades familiares.

    ResponderExcluir
  13. Parece que fabricantes brasileiros não gostam de portfólios grandes. Sempre foram duas famílias de dois ou três modelos e olhe lá. E agora tentam substituir as peruas por minivans e SUV´s.

    ResponderExcluir
  14. Essa história da Parati no campeonato de marcas eu desconhecia. Alias, para que serve um departamento de marketing, a não ser para estragar prazer?
    Arnaldo, eu como (feliz) proprietário de uma perua, também me faço este questionamento, já que desde que me conheço por gente, adoro-as. Meu sonho é possuir um sedã e uma perua derivada do mesmo. Mas nosso mercado apesar de grande, é ditado pela vontade dos fabricantes, e não dos seus consumidores.
    Por que eu não posso escolher entre ter um carro flex e um "monocombustível"? Por que ao invés de comprar um carro com pacote de opcionais, eu não os posso escolher individualmente? Por que determinados modelos importados só possuem a opção de cambio automático. sendo que em seu mercado de origem existe o cambio manual?
    Tudo o que escrevi foi para ilustrar minha conclusão: a moda da vez são carros aventureiros como Ecosport, Duster, Tracker e os futuros suves da Fiat e Vw. As peruas foram preteridas em nome destes carros, e segundo uma dessas pesquisas imbecis, as mulheres preferem as suves "por serem altos e passarem a sensação de maior segurança". Por essas tendencias idiotas, não temos por aqui a Ford Focus Sw por exemplo, que me parece ser um excelente carro.
    Então caro Arnaldo, espero que o panorama do mercado mude algum dia. Enquanto isso não acontece, vou preservando a minha. Talvez ela seja uma espécie em extinção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fábio,
      A opção do combustível é questão fiscal. Flex paga menos imposto que mono.
      Apesar das desvantagens acho interessante o carro flex, nas vezes oportunidades que optei ($) pelo álcool, aquela resposta mais nervosa do motor era satisfatória.
      Mas quando o álcool tá caro (na minha cidade faz anos que isso ocorre) o jeito é ficar na gasolina .75 mesmo.

      Excluir
    2. Guilherme, do ponto de vista fiscal e do uso casual de outro combustível são vantagens mesmo, porém tecnicamente não é algo que chegue no nível máximo dos carros feitos para cada combustível. Cada modelo antes do flex era mais econômico por causa disso, sem falar em outros reflexos.

      Como isso é questão de acerto e com o know-how e tecnologia isso ser amenizado, continuo achando que um carro puramente a álcool com a tecnologia de hoje seria bem melhor que qualquer flex, até porque eles são feitos para funcionar com ambos, a taxa de compressão é de forma segura(e com grande margem, para efeitos de garantia, supondo até uso em condições fora do ideal) e abaixo do possível somente para o álcool.

      E talvez seja o motivo de muitos carros compactos de hoje terem consumo igual de carros médios de gerações atrás, os valores atuais de alguns surpreendem, de outros realmente pecam vendo carros que faziam o mesmo ou mais, há 20 anos atrás e sem toda tecnologia.

      Excluir
  15. Nada a acrescentar, é quase que inacreditável que no mercado brasileiro não haja nem sequer uma perua media. Ta ai uma oportunidade excelente para algum fábrica lucrar no Brasil, pois como o port fala, inexiste uma SW media no Brasil, e as menores, apesar de boas, ainda não satisfazem plenamente em termos de espaço. Sem contar que só há Palio Weekend (SpaceFox eu nem conto, já que o teto é alto e a postura do motorista é de minivan).

    ...O Bob mesmo me disse que quando era chefe do departamento de competições da VW, a engenharia propôs que competissem com a Parati em vez do Voyage no Campeonato de Marcas, por, além de ter menor arrasto aerodinâmico, ela ser melhor de curva, já que tem melhor distribuição de peso, mas a idéia foi barrada pelo marketing.

    Já imaginava que em aerodinâmica o SW pudesse ser melhor que o hatch, e imaginava que aquele "pedaço de teto" a mais da SW talvez pudesse balancear o peso, mas agora, com essas palavras vindas do Bob, ai mesmo que não tiro da cabeça uma boa preparação na G2 daqui de casa.

    Ótimo post AK, traduziu meus sentimentos armazenados por praticamente 12 anos de convívio com as Station Wagons.

    ResponderExcluir
  16. Desculpe o erro, boa observação AK e não Bob. Parabéns pela reportagem!

    ResponderExcluir
  17. AK, tenho aqui pra mim que perua não vende aqui no bananastão não. A capacidade de impressionar o vizinho do suve é bem maior e 99,9% do povo daqui só pensa nisso. Uma pena, sem dúvida.
    Klaus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se for essa questão emocional que define essas coisas, então é só o dpto de marketing fazer sua parte e até uma bicicleta agregaria mais estatus que um suve. (tá, tá, menos, menos)
      Se for uma questão mais lógica pra justificar isso, só posso ver a questão do nosso pavimento lunar pra justificar escolher um suve ao invés de uma espaçosa, confortável, estável e aerodinâmica perua.

      Excluir
    2. Anônimo,
      Esses suves costumam ser mais duros de suspensão que as peruas, portanto, para o "nosso solo lunar", como vc diz, as peruas são mais confortáveis. E, se bem adaptadas às nossas condições, tão resistentes quanto. Fora que a manutenção é muito mais barata; por exemplo: na troca de pneus.

      Excluir
    3. Com certeza, AK, que as peruas são mais confortáveis, mas me referia a passar pelo piso lunar "voando". Aí só de jipe mesmo. Um carro baixo sofre bem mais nessa hora. É um tal de enrosca, raspa, fim de curso de amortecedor e por aí vai.

      Excluir
  18. Lindo! Lindo! Lindo! E uma coisa que parece que as mulheres hoje não sabem, é muito mais belo, mais charmoso, vê-las saindo de uma perua, estirando para fora da porta as pernas parcialmente vestidas por uma saia acima do joelho e colocando seu pé esquerdo no chão, calçado com um sapato de salto alto, do que vê-las descendo do SUV e pisando naquele estribo horroroso!

    ResponderExcluir
  19. Rafael Ribeiro23/06/14 12:42

    Sempre me pergunto a mesma coisa. Meu carro anterior era uma Fielder. Tive Palio Weekend e Escort SW tambem. Atualmente, tenho um CRV, o mais proximo de uma perua grande que pude encontrar dentro do meu orcamento...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que achou da Fielder?
      Recomenda ?

      Excluir
    2. Ela é mais curta no comprimento total do q o Corolla de que deriva. Logo, considerando até o tampão, o porta-malas da Fielder é menor. Mas tire-o e rebata os bancos e terás um salão de baile.

      Excluir
    3. Rafael Ribeiro23/06/14 22:21

      Anônimo, sem dúvida recomendo, desde que não espere dela o comportamento de um esportivo. A minha tinha câmbio manual, cuja 5a marcha era curta demais para meu gosto, talvez a automática seja melhor nesse aspecto. Usei-a por 3 anos, dos 60.000 aos 135.000km, sem nenhum tipo de quebra, pane, nada...

      Excluir
    4. Rafael
      Valeu pela dica da Fielder..
      Penso numa automatica mesmo.
      Abraço

      Excluir
  20. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  21. O consumidor brasileiro é vitima do depto de marketing das fabricas ,há algum tempo atrás não tinhamos a opção de 4 portas ,depois dos anos 90 não temos a opção de 2 portas, todos andam com gasolina ,mas temos de comprar carros flex,cores qualquer tom de cinza preto e branco são as "sugestões" materiais do interior, nem pensar agora vivemos o momento da extinção de monovolumes e peruas enquanto a oferta de SUVS aumenta .coisas de marketing !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você. Entretanto, parte disso ocorre porque brasileiro é um pouco preconceituoso com relação aos carros e por ter certos gostos duvidosos. Por exemplo, no caso dos carros 4 portas, apesar da comodidade inquestionável para uma família, não vendiam simplesmente por rotularem como carro de taxista. Outro caso são os carros com pintura branca: já vi gente que prefere aguardar vários meses por um carro com cor sólida (e até pagar mais caro por ser branco) do que escolher um carro de cor metálica ou perolizada, muitas vezes com o mesmo preço de um branco e a pronta entrega.

      Excluir
  22. Antônimo do Anônimo23/06/14 12:47

    Inexplicável a preferência do consumidor médio por pseudo SUVe's...
    Nada me convence que alguém que tenha feito test drive em uma Mégane Grand Tour e em uma Duster, exceto caso DE FATO necessite de um veículo alto, prefira a segunda...
    Silêncio, conforto ao rodar, acabamento, posição de dirigir, estabilidade, enfim... não tem a menor comparação.
    Duster só ganha em altura de rodagem... mas aí fica a dúvida... será que todos precisam mesmo dessa altura extra? Será que quem compra sabe que essa altura extra traz mais desvantagens do que vantagens?
    Apesar de, confesso achar que para a proposta/tipo de carro o duster tem bom chão, não se compara a uma SW média...
    E claro, pra as marcas é só vantagem, afinal, só analisar a qualidade geral de construção e materiais de uma duster x a qualidade de construção e materiais da mégane, fora o nível de equipamento de versões equivalentes em preço... evidentemente o lucro é maior no pseudo SUV...
    Aqui em casa temos uma Mégane GT Dinamyque 2.0 16v 2008, manual... câmbio de 6 marchas.
    Simplesmente estamos "órfãos". Mini-SUVe não é alternativa, afinal não chegamos nem perto da terra, precisamos de carro pra a estrada, e Sedan nenhum vai dar a mesma praticidade, e não se encontram peruas médias numa faixa de preço razoável... muito menos com o bom e velho pedal de embreagem...

    ResponderExcluir
  23. AK,
    Em vários sites e blogs automobilísticos por aí já existe há certo tempo a campanha "salvem as peruas", inclusive com o equivalente em inglês em outros países. Não entendo porque de repente o mercado resolveu ignorar algo lógico e prático para comprar carros mais altos, pesados e com menos capacidade de carga. Em um tempo de histeria ambientalmente correta isso parece um tanto quanto incoerente - para não dizer hipócrita mesmo.
    Sobre a Parati no Marcas e Pilotos, já ouvi algo a respeito, mas sempre achei que fosse lenda. E talvez isso ajude a explicar uma Parati GLS turbo que certa vez vi acompanhando Porsches e GTRs em um track day (eu disse ajude, porque o segredo era força bruta e um piloto experiente).

    ResponderExcluir
  24. Assino embaixo, Keller. Sou fã delas, as peruas. Tivemos belas representantes do segmento: Suprema, Grand Tour, Marea Weekend, Fielder, Quantum, Tempra SW, e Caravan, fora as um pouco menores Parati, Panorama, Belina, Ipanema, Marajó, Corsa Wagon, e Elba, além das mais antigas como a Vemaguet, a absolutamente linda Simca Jangada, e a enorme Veraneio, da qual tenho as melhores lembranças, ela lotada de primos e tralhas mais vovô e vovó, rasgando a Castelo Branco e a Marechal Rondon em direção à fazenda. Nela, meu avô levou até um bezerro de Guaratinguetá-SP, até a fazenda, em Lins-SP, he, he! Quando vinha ao Rio trazia sacas de arroz, feijão, abóboras, laranja, galinhas e leitões (estes já congelados, he, he!), enfim, era praticamente um caminhão. Eu mesmo "tive" (eram deste mesmo avô, só que podia usar como se fossem minhas) duas Caravan, uma 76 (o carro em que aprendi de fato as manhas de dirigir, o primeiro em que pude sair depois de tirar a CNH, e sem alguém de co-piloto) e outra 81. Que voltem as peruas! Em tempo: outro dia minha mãe estava reclamando disso que você falou: o sol que bate nas costas dos passageiros de trás, em um sedã. Outra vantagem das peruas é que você tem uma noção mais exata de onde termina o carro, na hora de estacionar de ré, he, he!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bela infância ...
      Nada como a vida simples do interior Mr. Car!
      Tchau

      Excluir
    2. Quando era moleque, via com olhos brilhantes a Ipanema. Como era charmosa. A solução para os problemas de bagagem que o Monza de casa tinha para viajar. De tanta mala que meu pai socava (literalmente) no porta-malas do sedã, ele viajava com o bico apontado para cima e a traseira baixa buscando o chão.

      Hoje é uma solução perfeita para as famílias que agora emergem.

      KzR

      Excluir
  25. Bom, nosso mercado é, digamos, peculiar. Se gostávamos de peruas, também as tivemos em configuração de duas portas, algo não tão racional para um veículo destinado à praticidade. E essas duas portas tão queridas antes, hoje são quase impossíveis de se achar acima dos carros de entrada.
    Mas faço coro com o AK. Peruas são meus carros favoritos, casamento de racionalidade com emoção. Aos órfãos delas, resta torcer para a nova moda do mercado levá-las em conta.
    E torcer também para a VW trazer a nova geração do VW Jetta/Golf Variant, a última perua média a morrer por aqui.

    Grande abraço

    ResponderExcluir
  26. As melhores viagens da minha infância foram feitas num Opala SW, que a maioria chama de Caravan. A do meu pai não era qualquer uma: era uma SS dourada com rodas Scorro.
    Hoje tenho uma Weekend Adventure, e pra quem já colocou 16 banquetas e 4 mesas de PVC na traseira de um Corsa Hatch, minha perua plastificada feito um RG tem um latifúndio no bagageiro.

    ResponderExcluir
  27. O problema é que o consumidor brasileiro tem um comportamento de manada. Existem muitos exemplos, além da morte das peruas. Sedã bom tem que ser japonês. Carro bom tem que ter 4 portas. EM carro acima de 45k só entra câmbio automático. E por aí vai... Triste...

    Mesmo aqui em casa não consegui mudar esta escrita. Quando fui trocar o carro da esposa, encontrei lindas Mégane Grand Tour (que estava com um pé no caixão e outro na casca de banana) por menos de 42k. Pois não é que a esposa não topou de jeito nenhum e escolheu uma Livina, mais cara e inferior na maior parte dos aspectos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeita sua observação amigo. Essa manada é triste. A questão das peruas nem me incomoda tanto. Solidarizo com os amigos mas na minha opinião, todas as tralhas citadas no texto eu carrego na minha pick-up e não teria uma perua pra tal função. Agora o que eu choro é pela falta do velho e bom câmbio manual. Eu queria um Cruze LTZ com teto solar e câmbio manual. Existe? Nem por sonho. Ou seja, deixaram de vender um Cruze, pois eu NUNCA vou comprar um carro automático. Nem que eu ande com carro de 30 anos de idade. Mercado idiota esse brasileiro.

      Excluir
    2. É, André... Carro que não seja básico com câmbio manual é coisa rara. Só aqui no Brasil, diga-se de passagem. Lá fora, continuam as duas opções. Também tô fora dos automáticos.

      Abraço

      Lucas CRF

      Excluir
  28. Os comentários da sogra foram ótimos, infelizmente o que os outros falam e valor de revenda, tem mais peso que gostos pessoais. Os outros podem falar quanto quiserem, escuto muita bobagem por causa das minhas courier e 504d, se quiser fazer investimento, não vou fazer comprando carro. Ontem vi muitas Variant no encontro de Fusca aqui em Passo Fundo, matei um pouco a saudade.
    L.D.

    ResponderExcluir
  29. Concordo plenamente. Com um pequeno de um ano e planos de mais um daqui a pouco tempo, me vejo fantasiando com uma passat variant, mas na verdade o que vai caber no orçamento é um sedan ou uma perua altinha, que não me atrai tanto.

    ResponderExcluir
  30. Respostas
    1. Essa é a única perua que eu não consigo gostar (levando em conta somente a aparência), por mais que eu me esforce.

      Aquela traseira é curta demais para uma perua. Perua para mim tem que ter traseira alongada, como as que aparecem nas fotos no decorrer do artigo. Mas não deixa de ser um belo carro.

      Excluir
    2. Infelizmente ja nao fabricam mais...
      Sempre achei os WRX SW muito mais desejáveis que os sedans !
      Mas procurando-se com calma vc pode encontrar alguma no mercado de usados em bom estado e original
      Boa sorte!

      Excluir
  31. Tanto concordo que tenho uma Renaut Grand Tour...
    2012 Ultimo ano, e não venderei pelos próximos 8 anos...
    Cresci e aprendi a dirigir em uma Belina Del Rey Guia, Vinho, era coisa linda...

    ResponderExcluir
  32. Estou tentando fazer a minha parte procurando uma Palio Weekend Stile 1.6 16v ou uma Adventure com a mesma motorização para ser o meu próximo carro. Meu pai também está fazendo a parte dele ao querer trocar o seu Vectra por uma Subary Legacy TW ou Outback

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala para o "velho" pegar logo uma WRX SW
      Nao deixa ele vacilar!

      Excluir
    2. Ele não dispensa as WRX, mas elas ficam um pouco fora do orçamento

      Excluir
  33. Arnaldo parabéns pela matéria, apenas para lembrar da perua I30 CW,que tinha um entre-eixo 5 cm maior que o hatch, eram 2,65 contra 2,70 da CW e um porta malas melhor que o hatch.

    Abraço,

    Marco Antonio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas nao vendeu bem como o I30 hatch
      As
      Montadoras nao deixam de ter certa razão ....

      Excluir
    2. Não vende bem pq as fábricas não querem. Ou tu chegou a ver uma propaganda que fosse dessa I30 CW??

      Excluir
    3. Anônimo, nenhuma perua vende tanto quanto um hatch do qual deriva, mas isso não significa que não venda o bastante para justificar sua fabricação. Se assim não fosse, só haveria hatch sendo fabricado no mundo.

      Excluir
  34. SALVEM AS PERUAS por favor! Sou mais um dos órfãos aí de cima.

    ResponderExcluir
  35. Acho lindas as peruas, tenho vontade sim de ter uma. Aqui no interior de Minas elas tem pouca saída porque uns idiotas as apelidaram de carro de funerária.
    Se meu tempo $$$$ permitisse teria uma Suprema ou Caravan 6cil. tranquilamente.

    ResponderExcluir
  36. A verdade é que a industria nos cobra caro por carros novos e ainda assim maximizam seus lucros ao máximo: entre sedan e peruas de mesma plataforma, focam apenas no primeiro para ganhar em economia de escala....

    As minivans também criaram um nicho de sucesso entre as mulheres, que gostam de guiar em posição "altinha", e da falsa sensação de segurança que ela proporciona à elas. Tem também o fato de que pensando que parte do público feminino circula mais em área urbana, as minivans fazem até algum sentido pois são mais curtas, e o espaço maior é para o habitáculo de passageiros, não de carga (quem carrega a filharada pra escola não vai usar tanto o portamalas).

    Outra coisa que creio que contribuiu negativamente para as SW/peruas foi o seu uso exaustivo até meados/fim da década de 90 como carro funerário.... Pobres Quantuns e Supremas.... e mais antigamente Caravans. Aliás Caravans e Ford Royale até faziam algum sentido, já que não tinham portas traseiras, que não teraiam a menor utilidade para este fim!

    As fabricantes deveriam voltar a vincular as SW à uma imagem esportiva, somada à familiar. Lembram-se da Parati GLS??

    Uma Palio Weekend topo de linha, sem os adereços de fora de estrada, com aquelas lanternas traseiras a lá Alfa ia ser show.

    ResponderExcluir
  37. Ah que saudade da GM Marajó, primeiro carro que dirigi!

    ResponderExcluir
  38. Corsário Viajante23/06/14 14:16

    Se todo mundo que clama pelas peruas na net efetivamente comprasse peruas, elas estariam em fabricação.
    Eu particularmente não gosto, sempre preferi hatches, então não vou entoar o coro de amor às peruas que muitos fazem só no embalo.
    QUando alguém deixar de trocar de carro pq não troca sua perua por nada, aí sim voltam a fabricar. Mas o grosso troca uma perua numa boa por um sedã ou, mais comum ainda, um SUV.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corsário, eu também prefiro hatches, só que minha família dobrou de tamanho e agora a peua é a que me satisfaz. Se eu ainda fosse um cara sem filhos, ou com apenas uma criança, tudo bem, mas de duas em diante, a minha jetta variant é a melhor opção. A perua tem um comportamento dinâmico mais parecido com um hatch do que os sedans ou SUV´s

      Excluir
    2. Corsário Viajante24/06/14 15:46

      Pois é, entendo a reclamação de alguns que realmente gostam deste tipo de carro, que são muito melhores para acomodar carga que um sedã por exemplo, mas a maioria vem encher o saco só pq elas não existem mais.

      Excluir
    3. Corsário Viajante
      Seu comentário foi desrespeitoso com os demais leitores. Teria sido barrado não fosse você um dos nossos leitores mais antigos, um "amigo da casa".

      Excluir
    4. Eduardo Silva24/06/14 17:34

      Corsário, desde que li esse post estou pensando algo parecido com o que você disse - e até entendo sua impaciência. Muitos leitores vêm aplaudir o que os colaboradores escrevem mas fazem parte desse comportamento de manada, cheio de "SUVeiros" enrustidos. Bob, não estou criticando o artigo, concordo com o AK e gostei do texto, mas o que os fatos demonstram é que autoentusiastas mesmo são só alguns aqui, tem um monte de expectador do "programa dominical dedicados a carros que passa por volta de 9h da manhã" que vem aqui reclamar de (ainda estou pasmo com isso) câmbio automático sem o sistema que impede que o carro volte na rampa - nem lembro o nome disso. São só dois pedais!

      Não tem mais perua porque é mais poderoso o dono de um SUV gastão, lento e letárgico.

      Excluir
    5. É aquela situação de que não é porque não seja de nosso gosto que aquilo não deva existir.

      Pelo contrário, é justamente isso que fez com que muitos tenham considerado as SUV como substitutas das peruas. E de bem isso não fez nada...

      "Eu não concordo com uma palavra do que você diz, mas defenderei até a morte o direito de dizê-las"

      Excluir
    6. Corsário Viajante25/06/14 08:18

      Puxa Bob, fiquei surpreso, não queria desrespeitar ninguém, acho que escrevi de forma muito objetiva e pareceu agressivo.
      O que quis dizer, e acho que o o Eduardo Silva falou de forma mais completa, é que virou uma mania nos fóruns automotivos endeusar o que não tem e o que nunca quis ter, só pq não pode ter mais.
      COmo as peruas vem se tornando raras, viraram o santo graal, todo mundo quer uma, teria uma com certeza, etc.
      Não acho positivo que tenhamos menos opções, ao contrário, mas quando tinha no mercado ninguém comprou e agora virou um muro das lamentações.
      De qualquer forma fico muito feliz com o "amigo da casa"! rs
      Abraços!

      Excluir
    7. Corsário Viajante
      Se você observar bem, os nossos leitores formulam comentários consistentes, é diferente dos fóruns. Tanto foi assim que enviei o link deste post para os principais fabricantes mostrando que há uma carência desse tipo de veículo. Um deles, de peso, nível alta direção (não posso revelar), respondeu ato contínuo se mostrando impressionado com os comentários e disse que vai rever o assunto. A equação é simples, se há capacidade ociosa e se todos almejam vender mais, por que não oferecer peruas? Quando deixei a GM e fui trabalhar na Embraer, ir e voltar todo dia de S. José dos Campos, procurei (estávamos em 2000) uma Escort perua e não encontrei, precisei comprar um hatchback. Nos primeiros dias após deixar a GM, ainda sem carro, a Ford me emprestou uma perua Escort, 1,6, e fiquei impressionado com o carro, especialmente a estabilidade.

      Excluir
    8. Corsário Viajante25/06/14 12:30

      Bob, fico feliz de ver que podem levar em consideração nossos comentários aqui! Vamos torcer para o projeto caminhar. Como disse, quanto mais opções melhor para todos nós.
      Abraços!

      Excluir
    9. Olha Bob, além da golf variant, bem que a GM poderia trazer a perua Cruze. Acho que o principal problema das peruas que estavam em nosso mercado é que eram caras, superando o preço dos sedãs. A perua Passat e a A4 avant são mais caras que suas versões sedans, além da Variant que era mais cara que o Jetta TSI, e olha que as versões sedãs desses carros já faziam parte de um mercado bem restrito. Se tivéssemos opções mais baratas, como SW´s Cruze, Focus, Megane, Toyota, a coisa podia ficar melhor (A Filder era linda, e eu via muitas rodando por aí)

      Excluir
  39. Para as pessoas pensantes nas montadoras que por ventura venham a ler este comentário, sou mais um entre tantos aqui que prefere uma perua média em detrimento a um sedan médio. Fica a dica.

    ResponderExcluir
  40. Wanderson Cleyton23/06/14 14:19

    Prefiro os sedãns,mas não duvido q uma parati nova(g6)oriundas do novo gol e voyage ficaria linda,branca com rodas orbitais 17 polegadas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E nois !

      Excluir
    2. Orbitais ainda??

      Excluir
    3. juntou todos os sonhos da vila numa só frase: parati (obsessão pela família gol), branca (cor que já foi moda mas hoje é só cafona), roda orbital (outra obsessão) e, lógico, 17" (cRoMadAuN).
      Não esqueça de colar o adesivo "taramp´s" bem grande no vidro de trás!

      Excluir
    4. wanderson cleyton25/06/14 12:19

      Ai na sua região os manolo tão podendo eim meu chapa!Aqui na minha região os mano tiram onda é com omega velho,santana velho,gol quadrado,marea,tempra...nunca vi nenhum mano de carro novo por aqui(afinal g6 e novo)e tenho certeza,seu carro é fiat...acertei?Abraços!

      Excluir
  41. Post maravilhoso. Eu cresci andando em Caravans (às vezes no porta-malas, deliciosos tempos...), e hoje não posso comprar uma perua média!

    Estou esperando ávidamente pela VW importar a Golf Variant com esse motor 1.4... eu trocaria sem titubear meu Fluence por uma dessas. Passat Variant é muita areia pro meu caminhãozinho.

    ResponderExcluir
  42. Já tive sedã médio, hatch médio, minivan, pick-up cabine dupla e uma perua média. Era uma Mégane Grand Tour 2.0. Não sei dizer se por conta do espaço interno, comportamento dinâmico ou praticidade em sí, posso afirmar que minha predileção é pelas peruas. Hoje tenho um hatch compacto até mais completo que ela, mas de todos os que tive, a que mais sinto falta é dela. Vida longa às peruas!

    ResponderExcluir
  43. Peruas FTW!
    Quero um Focus ST Wagon pra mim.

    ResponderExcluir
  44. Quando vejo uma Megane GT fico maravilhado com ela. Pena que nosso mercado as prefere em relação àqueles malditos INUtilitários esportivos.
    Mas entre uma perua e uma minivan, a última, sempre. Não tem como se render a sua praticidade.
    Quando viajava, às vezes precisava encostar e tirar um cochilo. Bastava tirar o encosto de cabeça dos bancos dianteiros e deitá-los a quase 180º. Pronto. Tinha uma cama de casal melhor que muito hotel chinfrim de beira de estrada.

    ResponderExcluir
  45. O fato é que o mercado (principalmente as mulheres) têm preferido essas lasanhas chamadas de SUV à uma boa perua.... elas se sentem mais seguras, imponentes... e têm um monte de metrosexual que também acha isso... não são melhores em nada, centro de gravidade nas alturas, consomem mais, possuem pneus enormes e consequentemente, mais caros, não são jeep e nem um bom automóvel de rua, simplesmente um carro para quem gosta de chamar a atenção... e infelizmente o marketing vai atrás disso... as minivans também, geralmente são projetadas para os passageiros ficarem sentados como se estivessem em cadeiras e crescem para o alto, consequentemente, o centro de gravidade vai lá em cima e o comportamento dinâmico vai lá embaixo... muitas possuem o porta malas pequeno... e o povo compra.... dá pra entender???
    Tanto as minivans quanto os SUV's só se garantem em comportamento dinâmico com recursos eletrônicos tais como controles de estabilidade, tração, ABS e por aí vai... enquanto uma boa e bem projetada perua não precisa nada disso, se tiver, muito bem, mas se vira muito bem sem os homenzinhos verdes.....
    AK, adoro peruas, mas fiquei sem opção... me rendi à uma Spacefox 0km e até que estou gostando... é um pouco mais alta do que eu gostaria, mas estou curtindo bastante... bom porta malas, bom espaço interno, câmbio excepcional, direção muito boa, motor, não é nenhum canhão mas têm uma ótima curva de torque e a manutenção deste é bem simples e barata por tratar - se de um humilde EA 111... é gostosa de guiar dentro de seus limites mas fica chata se quiser andar em uma serra como um bom hatch ou sedan.. ela faz, mas não faz gostoso como estes dois (tipo um Polo hatch ou Sedan)...
    Já pensei no futuro, me desfazer da Space e comprar uma Jetta ou Passat Variant usada e um Up! para a patroa rodar no dia a dia... mas por enquanto, deixa a Space aqui...
    Abs,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótimas pedidas Jetta SW e um UP
      Da para se notar que voce entende do riscado!

      Excluir
  46. Gosto mesmo é de Coupé, mas entre sedan e perua prefiro a perua, pois a perua nada mais é que um seda com uma cobertura no porta-malas.
    Tenho uma queda pela Chevrolet Caravan Diplomata 1991/92, só uma pena que ela não tem encosto de cabeça para os passageiros de trás e não tem quatro portas, ficou a desejar, me parece que a GM deu mais atenção ao o opala do que para a Caravan

    ResponderExcluir
  47. marcus lahoz23/06/14 15:30

    Meu primeiro carro foi uma ipanema 2.0 sl/e. Um ótimo veículo, eu com 18 anos aproveitei bastante. Viajei, conhecei pessoas e lugares. E claro, como perua sempre usei para carregar bastante gente para levar as festas (a 20 anos atrás nem todo mundo tem carro como hoje, e era bom por dividíamos a gasolina - ela felizmente não era flex).

    Mas eu acho que o que esta acabando com as peruas é a mudança na forma de vida do Brasileiro, se viaja mais para o exterior; as estradas ficaram melhores e assim mais rápidas; as casas alugadas para veraneio estão mais completas, as famílias estão diminuindo e as garagens ficando cada vez menor.

    Sobre a questão de competição, tentamos colocar uma parati bola no marcas paranaense, não tivemos sucesso, mesmo com diversos fatores a favor da parati (sobre o gol), a velocidade final de reta era menor (300rpm no final da reta), as retomadas mais lentas. Resultado: 1s mais lento por volta.

    De qualquer forma eu também sinto falta das peruas, lembro muito da caravan branca que meu pai tinha.

    ResponderExcluir
  48. Pode ser uma questão de mercado, mesmo! Em Portugal vendemos 80% de peruas, em Espanha, ninguém as quer! Sedãs pequenos, não vendem em Portugal, só hatch e em Espanha tiveram que colar o 3º volume, horroroso, nos hatch!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bacana termos um ponto de vista de alguém "fora da caixa".
      Tenho várias curiosidades a respeito de outros mercados. Por exemplo, ouvi dizer que em alguns países da Europa, os carros com maior perda de valor são os carros que vendem mais, ao contrário do que ocorre aqui no brasil. E quais são as "modas" e "manias" dos consumidores portugueses que você considera "estranha".
      Outra curiosidade é sobre o modelo de financiamento adotado. A análise de crédito costuma ser complexa? Vocês precisam pagar alguma taxa de adesão quando realiza um financiamento?
      Um abraço.

      Excluir
  49. Sou mais um órfão das peruas... E se não atenderem a esse nosso apelo (nosso e de MUITOS outros),não sei o que farei quando chegar o dia de aposentar minha Megáne GT - herdeira de uma longa tradição de família, percorrida especialmente em inúmeras Belinas II !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jetta Variant na cabeça !

      Excluir
  50. O pior é que o estilo de carro de carro que o marketing criou pra substituir as peruas - esses crossover tipo CR-V, IX35, Sportage e congêneres - conseguem juntar o pior dos mundos, pois são mais altos, mais pesados, mais caros, com rodas gigantes e pneus de perfil baixo, que nem pra andar na terra servem.

    Eu só compraria um carro desses caso tivesse necessidade de andar na terra, e esses pseudo-jipes nem pra isso servem. É como comprar uma bota pro sítio, usar no dia-a-dia o ano inteiro, e quando vai pro sítio, ter que tirar por que a bota não aguenta e arranca o solado.

    Voltando às peruas, torço pela Golf Variant quando o Golf voltar a ser fabricado aqui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. falou tudo daniel! não servem pra nada! quero um carro baixo, bom de estrada, com porta malas cheio e familia dormindo no sussego independente de como eu ande. esses pseudocoisas são só pras madames se sentirem mais seguras, falsa ilusão pois apenas deixam de usar os espelhos e viram donas da pista naquelas jostas! quem deu uma crossover pra mulher sinto muito e boa sorte. abs

      Excluir
  51. Pois é Arnaldo, acho que as verdadeiras peruas, sejam pequenas ou médias, foram, em tudo, superadas pelas minivans e pelos suves.
    A FIAT, com a Palio Weekend, me parece insistir num segmento há muito já decadente. Creio que sairá de linha em poucos meses, de fininho, como fez a envelhecida (e cara) Parati. Aliás, o preço do modelo da FIAT não é nada convidativo, ainda mais analisando-se a idade do projeto. Talvez ainda venda para um ou outro fã, assim como o finado Mille vendeu sua última versão pelo preço de modelos bem mais atuais.

    ResponderExcluir
  52. Ronaldo Bogafire23/06/14 16:14

    O Golf perua foi vendido aqui durante um bom tempo, vendas baixas. Fabrica de automóveis não é entidade beneficente. Homologar um carro nacional ou importado (e aqui ainda é mais caro, dado nosso E25) pra vender a conta-gotas, não é boa prática comercial.

    O único carro hoje nacional que se assemelha a uma perua é o crossover (meio hatch monovolume meio perua) Fit e Livina. Mas não são médios.

    ResponderExcluir
  53. Seguem algumas medidas de altura de carros nacionais. Surpreendeu-me a altura da Livina, uma vez que a mim, na prática, parece mais baixa que vários hatches e sedãs:

    1,570 m: Livina

    1,450 m: Civic 2014
    1,475 m: Corolla 2015
    1,480 m: Fluence 2014
    1,513 m: Sentra 2014
    1,529 m: Logan 2014
    1,535 m: Novo New Fit 2015
    1,690 m: Duster 2014
    1,696 m: Ecosport 2015

    Mesmo assim, recomendo testar uma Livina (pena não haver mais a opção de motor 1.8 com câmbio manual): gostei muito da ergonomia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvidas posso falar da Livina com propriedade, pois tenho uma. É a que tem o motor 1.6 do Mégane, mas mesmo assim anda com desenvoltura. Tem um excelente porta-malas, e uma suspensão muito macia, mas que afunda facilmente com peso. Resolvi este problema com a instalação do "power cushion" e o carro inclusive teve a altura do solo aumentada em 2 cm, o que elevou a altura final dela para 1,59cm. Valeu a pena. Sobre a ergonomia, ao dirigi-la parece que estou dirigindo um sedã ou hatch, pois não tem uma altura tão grande como um monovolume, é bem o estilo perua mesmo.

      Excluir
  54. Carlos Eduardo23/06/14 17:51

    A ultima perua derivado de carro médio no Brasil que eu me lembro é a Jetta Variant, que parou de ser importada ano passado.

    Porém dizem que a VW pretende vender a Golf Variant mk7 aqui em breve, eu espero que sim, pois eu a acho mais bonita que o Golf hatch!

    ResponderExcluir
  55. Daí eu termino de ler o artigo do AK e vou pro Best Cars e me dou de cara com isso:

    1) Seat Leon ST ganha versão fora de estrada X-Perience.
    2) Mercedes Classe C Estate: novos acessórios AMG Line.

    ResponderExcluir
  56. Sou um feliz proprietário de um Megane Sedan 2009. Uma das poucas limitações é a boca do porta malas pequena, devido ao formato anguloso do vidro traseiro, o que impede um bom aproveitamento dos 520 litros de capacidade. Na hora de carregar alguns móveis simplesmente não entra, o que não deve ser problema numa Grand Tour. Quando levava meu carro para revisão na concessionária e A perua ainda era fabricada, custava o mesmo que o Duster de entrada e ainda se levava os bancos de couro como cortesia. A diferença no interior/acabamento/equipamentos dos 2 carros é absurda. A Megane III é fabricada na Europa e utiliza a mesma plataforma do Fluence, sendo fácil de adaptar sua produção na fábrica argentina.

    ResponderExcluir
  57. Obrigado pelo post.
    Eu também sou fã das peruas e gostaria muito de ver aqui a nova geração da Mégane Grand Tour.
    Resta torcer e esperar.

    ResponderExcluir
  58. Julio Finegold23/06/14 19:38

    Acho engraçado esse mimimi em cima de peruas. A maioria dos modelos aqui morreu porque ninguém as queria. A Marea Weekend terminou seus dias de vida com vendas na casa dos dois dígitos. A Fielder, mais bem sucedida, ainda assim vendia bem menos que o sedã. Ninguém queria a Grand Tour, só quando baixaram o preço para 50 mil foi que passou a vender algumas centenas de unidades, não porque era perua e sim porque tinha preço competitivo. As mais recentes da Peugeot e Citroën, 206sw, 207sw, 307sw, 407 e C5 Break, tinham vendas pífias, uma fração do que os sedãs e hatches das quais derivavam vendiam mensalmente. A Fiat só mantém a Palio Weekend em produção por causa da versão Adventure, que corresponde a quase totalidade comercializada; é até difícil encontrar a Attractive nas lojas. A VW só mantinha a Jetta Variant no mercado brasileiro para "sofisticar" sua linha abaixo dos 100 mil e mantém a Passat Variant por hábito; a SpaceFox só vende por causa do estilo minivan. Antes tínhamos uma série de opções e poucos compravam, inclusive os que gritam a torto e direito o jargão "salvem as peruas!".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Julio, temos o quarto maior mercado mundial. Há espaço, mercado, sim, para as peruas.

      Excluir
    2. Se o tal do marketing fizesse sua parte em prol das peruas, elas venderiam como pão quente.

      Excluir
    3. Julio, concordo quase totalmente. Só acho que a falta de marketing sobre elas também é um motivo relevante. Não me lembro da última vez que vi alguma propaganda de perua.... Confesso que só comprei minha Grand Tour depois que o preço baixou, pela relação custo benefício. Claro que o fato da minha predileção por carros franceses contou também. Só fui descobrir a maravilha que o carro é depois de alguns quilômetros rodados. Hoje, o coração dispara quando vejo uma C5 Break... Mesmo sendo solteiro e sem filhos, dificilmente voltarei a ter um hatch.

      Excluir
  59. Emblemática a foto da maravilhosa Grand Tour, a última perua decente do Brasil. O fim de uma era.
    E a Fielder, pessoalmente falando a única configuração do Corolla que engolia.
    É triste mas é verdade. Agora o mercado está infestado de enormes SUVs e minivans. Aliás, até de compactos quase sem frente querendo ser minivan. Tudo porque o povão agora gosta de "dirigir no alto". Patético.

    ResponderExcluir
  60. Lucas dos Santos23/06/14 20:09

    Belo manifesto, Arnaldo.

    Sou mais um fã de peruas. Eu as acho visualmente belas.

    Teria uma, mesmo não precisando carregar nem gente e nem tralhas - para desespero dos "ativistas" de plantão, que condenam os motoristas que "ocupam espaço nas vias" andando sozinhos dentro dos carros.

    É uma pena que essa categoria de veículos esteja extinta em nosso país. Me lembro como se fosse ontem quando eu li em uma revista - não me lembro qual - falando que as vendas de peruas estavam caindo e que o futuro da Parati era incerto na época. Não quis aceitar aquilo que acabara de ler e a "ficha" só "caiu" quando lançaram a quinta geração do Gol e a Parati já não fazia mais parte da linha. De se lamentar...

    ResponderExcluir
  61. Me veio uma ideia aqui agora: vamos supor que um fabricante chinês, ávido por ganhar espaço no mercado, ouvisse os nossos apelos e passasse a produzir peruas para o mercado brasileiro. Será que daria certo?

    Pois, no atual momento, só vejo eles como os únicos capazes de sair da "zona de conforto" e tentar mirar nesse nicho.

    Já imaginou se funciona e eles conseguem uma fatia do mercado só nas peruas? É meio utópico, mas, se funcionasse, isso iria mexer com a concorrência e talvez os fabricantes "tradicionais" voltassem a produzir peruas, não? Enfim, não custa sonhar. Pela salvação das peruas, acho que vale tudo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os fabricantes chineses não fazem peruas, exceto a Chery que tem uma tal de Eastar Cross. E até que não é feia, veja no Google.

      Excluir
    2. Pois deveriam começar a pensar em fazê-las!

      Excluir
  62. Como se vê dos inúmeros posts, este texto é porta-voz de uma multidão de órfãos, fora os que não tiveram acesso a ele!
    Realmente, é inacreditável e inexplicável a "preferência" pelas SUVs e pelas "pseudo" SUVs, as minivans.
    Já que brasileiro adora copiar o que acontece no exterior, que tal copiar a Europa, onde as peruas (SW) imperam? Já viram as do 408 e do Mégane? São lindas, além de úteis, espaçosas, etc etc...Fora a estabilidade, idêntica - senão melhor - que a de um sedã.
    Que as montadoras nos ouçam!!

    ResponderExcluir
  63. Também sou órfão de perua. Não, nada a ver com minha mãe...
    Tive uma perua Ford Escort até uns três anos atrás. Me arrependo de ter vendido. Como era boa! Bom motor, boa suspenção, boa direção, espaço intermináááááável, carregava de tudo e mais um pouco e ainda tinha lugar... Saudades...
    De vez em quando ainda a vejo na rua. Um senhor, de provecta idade, a comprou. Já está com amassados na frente, atrás e no lado direito. Tadinha....

    ResponderExcluir
  64. Viajar no porta-malas de uma perua pode ser uma experiência enriquecedora para uma criança: Ensina princípio da inércia, força centrípeta, torque, efeito de alavanca, pêndulo real, pêndulo amortecido... Acho que eu não teria me tornado tão fã de física clássica se não fosse a Caravan de meu pai.
    E ele faturava bastante usando aquela SS-4 79 no táxi. Uma pena que ela já estava bem velhinha, cheia de ferrugem e, já que faturava bem, rapidamente meu pai trocou por um Opala sedã branquinho, mais ao gosto dele, mas que não "chamava" os clientes com compras volumosas como a peruinha fazia...
    A Caravan era quase perfeita do meu ponto de vista: Tração traseira, portas dianteiras enormes, assoalho na altura da boca do porta-malas... O tipo de carro que só pode ter sido inventado por alguém que entendia muito do riscado, talvez até tenha sido pensada para ser usada, não necessariamente vendida!
    Razões emocionais à parte, as peruas mais próximas da perfeição também são GM: a Ipanema, com seu sistema de amortecedores pneumáticos calibráveis, que permitia carregar grandes cargas sem que a traseira afundasse muito e a Suprema, que tinha o mesmo sistema, mas com um compressorzinho, para automatizar o processo! Ela carregava 800 Kg de carga, mais que uma Courier. E foi retirada do mercado, pois as concessionárias não conseguiam convencer as pessoas a levar a Blazer, maior, mais cara e menos vantajosa...
    As peruas, seja uma singela Kombi, seja uma Marea Weekend turbo, são veículos extremamente versáteis: A facilidade na hora dos passageiros entrarem e saírem é comparável com a dos hatches, e muito superior à dos sedãs modernos, com seu teto em queda. Comparável com os hatches também é o acesso à bagagem, com a vantagem que seus porta-malas são muito maiores, mesmo em peruinhas compactas, como a 206. Conforto em viajem e economia não ficam a dever para um sedã de mesmo modelo.
    Mas creio que a memória das peruas morrerá conosco, sem que sejam lançados mais carros desse tipo. Por que? Bom, as mentes tomadoras da decisão sobre que carro será fabricado no Brasil e qual não vivem, normalmente na cidade de São Paulo. Um lugar terrivelmente inospito se você for racional, proporcionando disões distorcidas da realidade (pessoas preferem dois carros médios a um de luxo, ou dois pequenos a um médio, como todos TEM que ter pelo menos dois carros, versatilidade de uso não é tão importante, etc).
    Mais do que isso, as peruas são o tipo de carro "tudo em um" que tanto querem que as SUV's sejam. Elas não são. Por vários motivos, alguns deles de ordem física. Salvar o projeto mais caro de uma SUV ou minivan matando uma perua não é uma decisão de mercado tão rara quanto queríamos. Em terceiro lugar, pelo mesmo motivo que não vemos mais carros maiores que médios sendo fabricados aqui, nem cupês, nem trações-traseiras, e duas portas só em modelos mais básicos: As montadoras (pelo menos nesse aspecto, acho que fábricas de verdade deveriam ter uma visão mais ampla de mercado) acabam planejando a maior parte de seus lançamentos com base no sucesso das concorrentes. Isso deve ter seu lado bom por diminuir a margem de erro, mas fez a maioria das marcas brigarem PELO consumidor, uma da outra, e menosprezarem a briga POR consumidores, que não encontram o produto que querem entre as opções de mercado. A fábrica que resolver fazer uma perua agora estará arriscando mais e lucrando menos que as demais, se a estratégia for correta, e estará arriscando e perdendo, se a estratégia der errado.

    ResponderExcluir
  65. Faz anos que me sinto órfão de peruas nesta terrinha torta... Também não entendo porque a Toyota parou de fabricar por aqui a Fielder, pois vendia muito bem. Mas, como as peruas não vendiam toneladas aqui no Brasil, os fabricantes em geral decidiram criar a necessidade pelas insossas minivans e os detestáveis suves (para meu gosto pessoal, ambos os modelos são impraticáveis).

    São poucos os sedãs que me agradam, pois prefiro em geral os modelos hatch, justamente por terem um pouco da praticidade das maravilhosas e versáteis peruas. O galho é que o comprimento disponível para cargas maiores, mesmo rebatendo-se o banco traseiro, é curto quando comparado às peruas médias. Saudades de meu antigo Caravan e seu 1,95 m de comprimento livre para todo tipo de tralhas quando com o banco traseiro rebatido.

    ResponderExcluir
  66. AK, Gosto muito das peruas, sempre gostei, desde o sonho de infância de ter uma Parati (quadrada) até ter minha (original) visualmente esportivada Quantum GL 2.0 (primeira geração) sempre gostei das linhas das peruas, a Fielder é um caso a parte: simplesmente não se encontra uma usada pra compra: quem tem não vende! Adorei seu post, mas ele é "auto-explicativo" quando menciona as mulheres, e, elas hoje preferem os SUV's às peruas (dizem que pela sensação de "poder" que eles - mais altos e supostamente maiores - lhes confere). De qualquer forma não me peça pra explicar, já desisti de entender as mulheres faz tempo...

    ResponderExcluir
  67. Onde é que assino também? É por isso que eu gosto do autoentusiastas, matéria perfeita, só senti falta da Marea Wekend e da Escort SW, que mereciam um capítulo à parte. A morte das peruas? começou dentro da GM, quando alguém cismou que a impecável Omega Suprema, não era um carro melhor que uma Blazer... Perceberam, o absurdo: Omega Suprema e Blazer? Dá para comparar? Depois vieram as minivans, carro da moda no fim da década de 90... Não eram de tudo mal, tinham boa aerodinâmica, só que maior área frontal. Eram mais pesadas, tinham centro de gravidade mais elevado, já não repetiam a mesma estabilidade das stations, mas não eram de tudo ruins. Só que nunca entendi a vantagem que o ganho de altura representava, pois em termos de espaço para pernas e porta-malas, tudo permanecia como num hatch... Depois pegaram essas minivans, colocaram pneus de uso misto, elevaram a suspensão, e fizeram um mostro automotivo... Um crossover desastroso. A Idea Adventure, foi a pior "Ideia" que a Fiat fez em sua história. A própria Palio Wekeend, teve que se transformar num monstro, se "jipalizar", para sobreviver. A VW fez ainda pior, pegou sua minivam e inventou a Spacecross. Alguém sabe me dizer qual é a utilidade de um Crossfox/Spacecross? Pegue um carro que já é ruim de aerodinâmica, aumente o peso, levante a suspensão e piore ainda o Cx, enrijeça molas e amortecedores, para conter as oscilações da carroceria, acabe com o conforto de rodagem e mesmo com isso, não ouse nas curvas, para não ter "surpresinhas desagradaveis" Eis um carro para agradar quem não entende nada de carro, especialmente elas, que acham tais trambolhos uma "fofura". Quero ver um encrenca dessa fazendo mais de 14 Km/l na estrada, sem ficar se arrastando a 80, 100 Km/h! Depois a Ford deu sua enorme colaboração. Além de nunca nos prestigiar com a versão wagon do Focus, nos faz o favor de inventar uma Ecosport, outro veículo que não vejo eficiência nenhuma, a não ser a versão 4x4, que é um jipe efetivo. Não vou falar em peso, aerodinâmica, consumo. sabemos que a Eco é ruim em tudo isso. Vamos falar de espaço, que poderia ser uma vantagem... SQN...tem o mesmo espaço do Ford Fiesta Hatch! A única diferença e ficar mais distante do chão, para as mulheres se sentirem mais "poderosas" no transito. É de longe, um dos piores carros que já dirigi, e é um sucesso! Eu, quanto tinha um velho 206 1.4 Flex, adorava dar uma surra nesses trambolhos, quando seus donos cismavam que tinham mais carro do que eu... Sim, levavam uma surra do meu velho leão com 140.000 Km rodados e meros 80/82 cv! de nada adiantavam ter mais potência, se tinham mais peso e desperdiçavam cavalos para brigar com o ar, já eu, apesar da desvantagem gritante em cavalaria, tinha nas mãos um carro leve, amigo do vento, com centro de gravidade lá em baixo e ainda, suspensão traseira independente! Já uma GrandTour, mesmo 1.6 meros 110cv e pesando 1300 Kg, não tinha chances... Sei que chega perto de 200Km/h e como faz curva! Quero ver uma Duster, de mesmo motor, acompanhando uma GrandTour... Se conseguir chegar perto, vai ser por pouco tempo, pois logo seu satisfeito proprietário vai ter que parar para abastecer, pois conseguirá secar o tanque rapidinho (e o sistema flex levando a culpa kkkkk), enquanto a peruona, muito provavelmente vai chegar ao seu destino, sem ter que parar num posto. Station/Perua/Wagon, é isso. O melhor carro que poderíamos ter, só que não temos! E por culpa de quem? Do consumidor que não entende nada de carro, e faz questão de acompanhar as "modinhas" - Jesus do Nascimento

    ResponderExcluir
  68. Pedro de Albuquerque24/06/14 09:34

    É a mesma choradeira quando não tinhamos o Golf "atualizado com o primeiro mundo". Mas tinhamos a sua versão perua (aqui Jetta Variant). Aqui mesmo, nunca vi uma avaliada. E a perua i30, que vendia nada, porque os "órfãos" não compravam?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pedro, aqui não tem choradeira. Aqui tem reclamação. Choradeira é coisa de criança e reclamação é coisa de adulto. Certo?
      A perua I30, a I30 SW tem um porta-malas muito pequeno, pouco maior que o do hatch.
      Quanto ao teste da perua Jetta; boa dica. Obrigado.

      Excluir
    2. André Sousa24/06/14 10:24

      É uma pena que a Volkswagen tenha deixado de importar a Jetta Variant no começo do ano passado. O porta malas da Jetta Variant é um espetáculo. A nova geração, Golf Variant, tem mais acessórios, mas o motor nem se compara.

      Excluir
    3. André Sousa24/06/14 10:31

      Arnaldo, um outro comentário: chamou-me a atenção a suspensão traseira do Jetta, que é do tipo eixo de torção. Já ouvi vários casos das barras serem arrancadas em buracos ou valetas.

      Excluir
    4. André Sousa
      De modo algum. Aquele caso que andou pela internet foi comprovado: o carro sofreu batida lateral e trincou a lâmina do eixo traseiro, que veio a se romper. Informação segura.

      Excluir
    5. André Sousa24/06/14 17:26

      Bob, bom saber. Obrigado pela informação.

      Excluir
    6. Carlos Eduardo24/06/14 20:45

      Suspensão traseira do Jetta 2.5 mk5 e da Jetta Variant tanto mk5 quanto mk6 é multilink.

      Excluir
  69. Eu quero um carro com porta-malas maior que os dos meus carros atuais (Focus hatch e Honda Fit), minha escolha natural seria um Focus SW ou um Civic SW. No entanto, estas opções não estão disponíveis no mercado.

    Os sedãs não me agradam, apesar de terem porta-malas até maiores que a SW equivalente, a questão da praticidade é impar ao comparar a SW ao sedã.

    Uso com exemplo de "mini-perua" o Honda Fit Mk1, nele eu posso carregar simultaneamente 3 bicicletas de mountain bike ao mesmo tempo, no entanto, no Focus só cabe uma, se fosse um sedã, nem uma caberia ou causaria danos aos dois (ao carro e a bike).

    Fui ver os "SUV's compactos", Ecosport, ix35, Sportage, Gran Vitara, Tucson e Duster todos eliminados no critério "porta-malas", a capacidade é de igual a menor a do Focus/Fit.

    Jorney/Freemount tem o mesmo problema, além de ser raso.

    Para ter um espaço maior só na Santa Fé ou na Sorento... ou seja, fora da realidade.

    Vou acabar optando por uma Ranger Flex com capota de fibra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hoje, carro de funerária é Strada, Montana, Saveiro, Hilux e outras caminhonetes.

      Excluir
  70. Eu acho é pouco. O brasileiro não gosta de carros, essa é a verdade. Deixa sair de linha carros ótimos pra ficar comprando porcarias. O astra saiu de linha e o que ficou no lugar dele? um carro menor, mais fraco e mais caro, o sonic. A renault tava dando o megane grand tour 1.6 por menos de 50 mil reais. Preço de gol rallye e o que vemos mais na rua?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corsário Viajante24/06/14 15:44

      Falou tudo. Brasileiro só sabe avaliar duas coisas no carro: tamanho externo e se é "novo".

      Excluir
    2. André Sousa24/06/14 20:14

      Corsário, ou também a simples impressão do carro ser mais alto também influencia. Já vi gente comprar Ecosport dizendo que isso é um dos benefícios.....

      Excluir
    3. E junto da altura ter que instalar sensor e câmera de ré...

      KzR

      Excluir
    4. Aristeu, lembro-me de ver a Gran Tour 0km a 44 mil. E o que vc me diz do Azera ter sido vendido muito mais barato que alguns Civic e Corolla?

      Abraço

      Lucas CRF

      Excluir
  71. Eduardo Silva24/06/14 10:32

    A verdade é que quem manda mesmo nessa p* são as mulheres. Eu gosto de carro baixo por todos os motivos técnicos e financeiros descritos aí em cima, mas a mulher quer um carro grandão, filmado e com rodas beeem prateadas (quem já tentou pintar as rodas de preto/grafite sabe o que estou falando). Por mais que o maridão goste de perua, a mulher gosta do "Suve". Meu carro é um Lancer MT, minha mulher preferia infinitamente que eu tivesse a TR4, mesmo que 4x2, que acho pior em tudo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem assim. Você começa dizendo não, mas elas enchem tanto, mas tanto, até vencerem no cansaço. Primeiro, tentam argumentar; depois, quando acabam os argumentos, começam a boicotar de outras maneiras. Homem que manda em casa, só se for solteiro...
      Antônio do Sul

      Excluir
    2. André Sousa24/06/14 19:52

      É assim mesmo, pouco a pouco e com os recursos certos, elas acabam conseguindo o que querem. Estava tentando vender um carro recentemente e 3 colegas se interessaram muito. Nos 3 casos, as transações foram estornadas após interferência das respectivas digníssimas. E por isso que brinco que em casa a ultima palavra agora é sempre minha: "sim senhora"... Rsrsrs

      Excluir
  72. Excelente post, mais uma vez, AK!!! Eu tenho uma raiva desses pseudo suvs e dessas minivans(que de van não tem nada, são só uns carrinhos mais altinhos do tamanho de hatches, verdadeiros pães de forma), pois por causa deles as peruas de verdade sumiram do nosso mercado. E essa tendência imbecil tem tomado conta da maioria das pessoas que conheço e (infelizmente) com exemplo dentro de casa, pois quando passo do lado de uma Megane GT, fico babando e minha namorada/esposa/mãe da minha filha diz "ah, que carro feio, parece carro de funerária, carro bonito é Ecosport e IX35...", na boa minha vontade é de jogar ela pra fora do carro, fui criado com peruas(meu tio tinha uma Caravan, meu pai teve 2 quantum e 2 parati, que saudade...) e acho isso um sacrilégio, um absurdo, uma blasfêmia, uma afronta a todo autoentusiasta, onde eu me incluo. Ainda quero uma perua/sw/wagon pra ser meu carro do dia a dia, pra carregar as tralhas da minha filha, tenho uma preferência imensa pela GrandTour, mas vou ter que mudar a cabeça da patroa....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. André Sousa24/06/14 20:07

      Eduardo, realmente, já ouvi esse tipo de coisa sobre esses pseudônimo suvs . Elas preferem, por exemplo, Ecosport, porque como dizem, é "altinho"...

      Excluir
  73. Sou muito feliz com minha jetta variant. O outro carro lá de casa é uma sportage. A variant é infinitamente superior. Mais segura, mais bonita, com mais porta-malas, muito mais motor... torço para que a Volks traga o novo golf variant.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. André Sousa24/06/14 20:09

      Exatamente. Aguardo ansiosamente o novo golf Variant.

      Excluir
  74. Apoio a causa ,digam sim as SW e esqueçam as SUVES.

    ResponderExcluir
  75. Fico realmente feliz de ver um tópico defendendo uma linha de veículos que muita gente sente falta e que não é justo deixar uma carência tão evidente ser ocultada por uma falta de objetividade, que é propagado até por outras fontes do meio automotivo.

    Também fui criado nas peruas e na memória de criança até ir ao mercado era motivo de pular do banco para o porta-malas, e mesmo que as crianças de hoje não façam mais isso, a utilidade delas é inquestionável, com um conforto e estabilidade de um carro normal.

    Mas me pergunto mesmo sobre essas pesquisas e seus efeitos... infelizmente as peruas foram tiradas de linha com esse argumento e o consumidor é rebatido com essas desculpas sempre, é engolir ou engolir. Porém naquela época dos anos 70 em que sedã, hatch e perua tinham somente 2 portas, modelos que nunca tiveram as 4 portas tinham alegação de falta de mercado. Se eles não ofereceram essa opção! Antes fosse algo com poucas vendas, mas não, e disso nasceram por outras mães, perua Maverick, Caravan 4 portas, peruas de Passat e Monza...

    Essa desculpa universal não me parece algo puro daquele pessoal que convence você de que precisa de algo novo, mas é uma conivência de uma diretoria desinteressada, quais chefões com visão não corrigiria uma empresa no rumo errado? Mas nessa falta de opções surge uma linha simplificada em poucos modelos, que se para o consumidor será cobrado aquilo que está na conta, para a fábrica é uma redução de linhas que se traduz em menores custos. Mas aqui ficamos sem nem opções de teto solar e conversíveis em carros compactos como antes também tivemos, um exemplo era no Renault Clio europeu em que havia o teto solar opcional.

    Digo isso pois para meu uso não vejo necessidade para meu uso e nem me agrada tanto assim o espaço a mais que elas oferecem; mesmo assim é duro de ver que muita gente não compra o que QUER, porque NÃO TEM, porque dizem que ELE NÃO QUER, isso é o que no nosso mercado é um tumor, grande como o de comprar influenciado pela cor, facilidade de venda, acreditar em investimento e etc, e sem nem pensar que aquele carro que está comprando seria para agradá-lo e não ao vizinho.

    ResponderExcluir
  76. Temática perfeita, Arnaldo. Se pudesse - acho que deveria - fazer um abaixo-assinado em prol das peruas, seria uma nobre causa. Eu não fui criado dentro delas, mas as via como parte do cenário cotidiano. Inegáveis são suas utilidades e vantagens perante outras categorias, inclusive dos sedãs e hatches derivados. Falta opção e muita. E só para acrescentar: vários modelos SW e peruas de fora estão vindo absurdamente lindas e bem equipadas.

    Tomara que a situação mude. Por hora, vou preterindo e sonhando com as boas SW usadas: Grand Tour, Jetta/Passat Variant, Marea Weekend, Suprema...

    KzR

    ResponderExcluir
  77. As peruas acabaram por "n" motivos.
    Um deles foi o fato das estradas brasileiras serem péssimas e estes carros maiores (SUVs e Crossovers) dão a impressão de dar mais conforto e maior robustez.
    Outro motivo foi o status que um carro maior agrega, algo emotivo que ficou acima da razão.
    Ainda cabe o clássico: "perua é carro de funerária" que por falar nisso, hoje são as pickups que são de funerária.

    ResponderExcluir
  78. Caro AK,

    Sou mesmo fã das peruas, primeiro por achá-las bonitas mesmo (gosto deste tipo de design), e depois por serem práticas. Todo jovem sempre precisou de uma, para colocar barraca de camping, instrumentos musicais, pé-de-pato e equipamento de mergulho, teto para prancha etc.

    Tive por uma VW Parati GL 1991, depois uma GM Ipanema duas portas (daquela série "Wave", acho que sío eu gostava da Ipanema Wave... rsrs...) e posteriormente uma Ipanema 4 portas. Muitos criticavam aquela traseira "reta" (meus amigos até diziam que era um "rabecão"), mas eu adorava aquele carro, apesar do volante "torto", da linha Monza/Kadett.

    Que saudades desse tipo de carro...

    Há muito tempo, li em algum lugar, que a GM retirara a Omega Suprema de linha porque os clientes migraram para a GM Blazer. Acho bem provável.

    Por fim, nada melhor do que ir à Europa e ver aquele monte de peruas que eles tanto adoram.

    Leo-RJ

    ResponderExcluir
  79. Peruas e Picapes de Cabine Estendida, duas coisas que as fábricas no Brasil nos impedem de ter, para que compremos produtos inferiores seja em conveniência, seja em tecnologia. A Gran Tour morreu para o Sandero/Duster sobreviver. Se você quiser colocar uma sacola atrás dos bancos de uma picape média, precisa comprar uma desarmoniosa cabine dupla, pois não temos opção de estendida, corriqueira no RESTO DO MUNDO TODO!

    ResponderExcluir
  80. Quando estive na Itália fiquei maravilhado com a presença das SW, principalmente alemãs de luxo, os italianos mostraram que sabem de carro, comprando BMW Touring, Mercedes Estate e Volvo SW de montão.

    ResponderExcluir
  81. Em 2007 eu queria desesperadamente comprar uma perua, pois não aguentava mais de saudades da Parati S 1984 com a qual eu fui introduzido ao mundo dos motoristas (isso tinha sido em 1990).
    Depois da Parati 84 eu tive um Gol, um Fusca, outro Gol, uma perua Corsa Wagon 1998, e finalmente uma Parati GTI 16V. Mas o tempo passou mais um pouco e depois de mais alguns hatches e minivans eu queria mesmo é voltar a ter uma Perua.
    A que cabia no bolso era uma Space Fox. Eu estudei, estudei, pensei bem... e não consegui comprar a Space Fox. O custo-benefício era péssimo. Acabamento ruim, dinâmica ruim...
    Voltar para a Parati a essas alturas era meio absurdo dado a idade do projeto.
    Mas eu continuava precisando de um carro novo com algum espaço, que coubesse no bolso e que tivesse um bom custo-benefício. Acabei optando por um caretíssimo Meriva (na versão Premium para ter ABS e AirBag).
    Eis a falta que as peruas fazem... Concordo totalmente com o post.
    Como no momento não preciso muito de espaço e continuava com saudades dos VW, acabei trocando o velho Meriva por um Novo Golf.
    Mas não seria nada mau se a VW trouxesse o Golf Variant junto com o Novo Golf ao fabricá-lo no Brasil. Não custa sonhar não é?

    ResponderExcluir
  82. Beta Romeo25/06/14 21:51

    Estas já deixariam a maioria satisfeitos:
    http://www.autobild.de/artikel/leon-st-octavia-combi-golf-variant-vergleich-4509317.html
    Não entendo nada de alemão, mas deliciem-se com as imagens!

    ResponderExcluir
  83. Achei interessante a grande maioria dos comentários.
    Há alguns anos apareceu uma oportunidade de pegar um Megane Gran Tour completo de um gerente da empresa porém minha noiva olhou com muito desprezo por ela. Deixei passar, era realmente uma ótima oportunidade.
    Depois em viagem na Itália aluguei um Golf e recebo as chaves de um Peugeot 5008! Nossas 4 malas com 32 Kg cada lotadas de vinho couberam todas no porta malas sem nenhuma visibilidade externa delas!
    Assim ela gostou!
    Pena não terem modelos assim aqui, realmente!

    CPC

    ResponderExcluir
  84. Arnaldo, seu post retrata exatamente meu pensamento, vou ter um filho nos próximos meses e troquei meu Focus por um Fluence, por falta de opção! Jetta Variant segue muito cara (preço, seguro) e saiu de linha as demais fora de cogitação.


    SEU TEXTO NÃO DEVE ilustrar somente as paginas deste renomado blog e sim deve ser encaminhado as montadoras como um pedido muito especial, por favor Arnaldo, encaminhe para as montadoras, é sério!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hegon, o Bob já o encaminhou a várias fabricantes e de algumas tivemos respostas alentadoras, de que pretendem repensar o assunto. Vale dizer que a quantidade e a qualidade dos comentaristas os impressionou. Vocês têm voz ativa e o Ae se orgulha de ser um porta-voz de pessoas esclarecidas assim. Obrigado.

      Excluir
    2. Aqui sempre tem excelentes comentários. Ler só o texto não dá! Tem que ler também os comentários.

      Excluir
  85. Bela matéria.

    Possuo uma Palio Weekend 1.6 16V 1997 a seis anos. Em breve a trocarei por uma Fielder, preferencialmente que seja a gasolina (não gostaria que fosse flex) e não me importaria em nada se fosse câmbio manual (mas as pesquisas que faço apontam muito mais para transmissões automáticas). Não sendo flex, terei que pegar uma que seja ano 2007, pois em 2008 (último ano da fabricação), já eram totalmente flex. Mesmo tendo um porta malas um pouco inferior a versão sedan do Corolla (437 lts do sedan contra 411 lts da perua). O gosto por peruas me fez cravar a Fielder comparando com outras peruas, principalmente na mesma faixa de preço (Megane Grand Tour e 307 SW Allure). Um fato bastante importante que fez optar pela Fielder (entre outros), foi a inclinação do banco traseiro. Quem tem criança ainda na cadeirinha, sabe a dó que dá ao vê-la viajando no banco traseiro com o pescoço todo torto (por mais que se coloque travesseiros apoiadores). Inclinando o banco, isso se resolve. E me desculpem aos maridos/namorados que estão lendo, mas aqui em casa a compra é "racionalmente masculina". Minha esposa que não entende absolutamente nada de carro, entende que não pode ficar dando "pitaco" nesse assunto.

    ResponderExcluir
  86. Os SUVs mataram as peruas. Virou moda ter carro gigante para os outros olharem. Para estacionar é uma beleza, tem sensor até pras nádegas.
    Poucos pensam em utilidade, maioria pensam em "visibilidade própria".
    Ivan Rocha.

    ResponderExcluir
  87. Mais peruas, por favor! Estou no Uruguai e me dói ver quantas peruas existem aqui, enquanto no Brasil não temos quase nada... Como explicar o fato de em um mercado que vende 3 milhões de carros por ano ter tal desfalque, enquanto um país que vende menos de 60 mil possui tantas opções?

    ResponderExcluir
  88. Em Portugal os sedãs tem pouco valor, enquanto as carrinhas (peruas) são um sucesso absoluto.
    Vejam, por exemplo, a perua do Ford Mondeo Vignale...

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.