COISA DE DOIDO

Fotos: Nora Gonzalez


Alguns leitores me criticam por ser muito "reclamão" nos assuntos de trânsito e outros. Um chegou a me dizer que personifico o seu Saraiva, personagem do programa humorístico "Zorra total", da TV Globo, no quadro Tolerância Zero, vivido pelo saudoso Francisco Milani (1936-2005). Mas o que vou contar agora vai mostrar que não reclamo à toa.

Um amiga de longa data, a jornalista Nora Gonzalez, escreveu-me alguns dias atrás dizendo que em Araçoiaba da Serra, SP, próximo a Sorocaba, onde costuma ir com frequência nos fins de semana, o prefeito fez das calçadas ciclovias. A foto acima mostra o "capricho" da obra, com demarcação simplória da via que se subtende ser de mão única com duas faixas de rolamento.
Indignada, ela me perguntou se o Código de Trânsito Brasileiro - como eu, ela  acha inconcebível o nome do instrumento legal, tinha que ser Código Brasileiro de Trânsito, do mesmo modo que existe o Código Brasileiro do Ar - não proibia trânsito de bicicletas nas calçadas. Achei que proibia, questão de lógica, mas achei melhor verificar. Olhe o que achei:
Art. 59. Desde que autorizado e devidamente sinalizado pelo órgão ou entidade com circunscrição sobre a via, será permitida a circulação de bicicletas nos passeios.

À luz da lei, o prefeito está certo. Está no CTB e portanto pode. Mas à luz do bom senso, errou, e feio. Como também errou feio quem criou esse artigo e os que o aprovaram. Como é possível alguém pensar em dividir um espaço destinado a pedestres com veículos, mesmo que não motorizados?

Calçada-ciclovia defronte à Prefeitura Municipal

Será que essa gente não sabe que na calçada caminham pessoas de todas as idades, mães com carrinho de bebê e até cadeirantes? Que bicicletas podem atingir facilmente velocidade de 30 km/h ou até mais e podem ferir gravemente pessoas num atropelamento?

Na foto abaixo, vê-se um prédio público e uma faixa de travessia de pedestre que desemboca na passagem de acesso ao interior da edificação. Há faixa de pedestre na rua e nã há na ciclovia! Inacreditável!


Faixa de pedestres: na rua tem, na ciclovia não

Como o  CTB é uma lei federal, a de número 9.503 de 23 de setembro de 1997., para alterá-lo é preciso outra. Que seja proposta  por algum nobre representante do povo lá na "ilha" refazendo a redação do Art. 59 para "É proibido o trânsito de biclectas nos passeios". E que o plenário a aprove logo.

Não é favor, é obrigação. É mais uma doideira que  precisa acabar sem demora.

BS

30 comentários :

  1. E a bicicleta anda sobre a rede elétrica ou talvez flutuando...

    ResponderExcluir
  2. uma cidade s/ pedestres, boa idéia

    ResponderExcluir
  3. Bob,
    só rindo mesmo.
    Esse prefeito é um goiaba, que rima com araçoiaba.
    KKKKKKKKKKKKKKKKKK

    ResponderExcluir
  4. Bob, quanto ao modo errado de escrever que você cita, que tal os ônibus de São Paulo dotados de PISO CENTRAL BAIXO terem escrito em suas laterais "Piso Baixo Central"? Parece que a prefeitura paulistana está valorizando mais o fato do piso baixo ser central do que o fato do piso central ser baixo. Não é um absurdo?

    ResponderExcluir
  5. A pergunta que não quer calar..

    Tem tanto ciclista assim nessa cidade para se justificar uma "goiabice" dessas ?

    Ou é mais uma obra eleitoreira ?
    As eleições estão chegando..

    ResponderExcluir
  6. Para de reclamar, quando os ilustres politicos "trabalham" para o bem do povo "criando" ciclovias, todo mundo reclama.

    ResponderExcluir
  7. Aqui em SJC, a adm fez o seguinte: Há um parque gigante aqui, com espaço suficiente para pedestres caminharem e bicicletas. Durante muitos anos, bicicleta era sumariamente proibida, sem discussão. Aí, coisa de 1 ano atrás, inventaram uma merda de "via compartilhada" PQP! Quiseram resolver o problema e atrapalharam os dois grupos interessados! Pra se ter uma idéia de como a adm trata o assunto, num outro parque, sequer bicicletários existem. A pessoa que quer ir de bike pra caminhar no parque nem pode estacionar a mesma.

    ResponderExcluir
  8. Bob;

    Só rindo mesmo....Sem comentários. Mais comico que isso só se mandarem revogar a "lei da gravidade" como um vereador chegou a propor numa cidade proxima de onde moro.

    PS: Uma coisa é inegável. Ficou bem caprichado...kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Um abração!

    ResponderExcluir
  9. Estes "Tiriricas" fazem de tudo pra chamar a atenção...

    ResponderExcluir
  10. No minimo alguém da família do prefeito possui uma revenda de bicicletas.

    ResponderExcluir
  11. Ah, políticos do Brasil e suas "boas" intenções...
    Pior que isso, só em SP, onde por falta de fiscalização os prédios "comem" as calçadas. Resultado: nem pedestre consegue passar sem invadir a rua, imagine uma bicicleta ou cadeirante?

    ResponderExcluir
  12. Será que nessa cidade tem algum arquiteto ou urbanista no quadro da prefeitura? Acho difícil.

    O que mais me desaponta nas poucas ciclovias que são criadas, é que elas geralmente são coladas nas margens de avenidas, ou estrangulam faixas de rolamento dela.

    - Pedala-se respirando a poluição dos carros, fora o risco de acidentes!

    Ciclovias ideais deveriam rasgar áreas verdes (parques e praças) e cortar caminho pelas cidades. Os motoristas agradeceriam e as cidades também.

    ResponderExcluir
  13. A respeito dessa primeira foto:

    Sou ignorante em engenharia, mas lá onde foi construida essa rua ou avenida, o pessoal não conhece umas coisas como régua, prumo, teodolito, terraplanagem... pelo menos linha reta...

    Ou será que essa via sofreu algum deslocamento geológico após deslocamento de placas tectônicas?

    É, não deu para segurar o sarcasmo. Mas a dúvida ainda existe!

    Talles

    ResponderExcluir
  14. Mendem este site para o tal prefeito aprender a fazer uma ciclovia.

    http://www.transportphoto.net/dt.aspx?l=en&dtid=3402

    ResponderExcluir
  15. Tão de palhaçada, só pode ?!?!?!

    Taí algo que imaginaria que não iria ver. Além de ser ma feito foi feito em lugar errado! Era mais fácil diminuir (ou até eliminar) o canteiro central e fazer uma ciclofaixa com mão unica, no mesmo sentido do transito, mas a pressa aliada a desinformação acabou dando nisso ai.

    Tá osso o.o*

    Abs
    Kiko Molinari

    ResponderExcluir
  16. Ja rodei pelo Brasil interio.04/08/11 09:12

    A mãe de todos males no brasil chama se " federalismo"
    Aconselho o pessoal a estudar sobre " federalismo"
    Logico que no pais imenso como o brasil as leis ( não so as de trasinto) Não podem ser Nacionais
    A lei que na av paulista não pode valae obrigatoriamente nas selvas do Acre .
    Existem no brasil Cidades ondem o transito pode e deve ser munipalizado e a coisa flui melhor .
    Cidades historicas por exemplo com ruas estreitas é melhor estacionar sobre o passeio.
    Avenidas com grande fluxo de automeveis e pequena movimentação de pessoas é prudente que bicicletas circulem sobre o passeio.

    ResponderExcluir
  17. Acredito que se a calçada tivesse 5m de largura poderia se fazer a ciclovia junto, agora tomar toda a calçada, é um abuso.
    Realmente o que falta é planejamento.
    E o rumo que nosso País toma é colisão na certa. Deveríamos pensar mais em transporte público, eficiente, e barato.

    ResponderExcluir
  18. E no Rio de Janeiro... http://extra.globo.com/noticias/rio/granito-liso-usado-para-meio-fio-entre-ramos-olaria-criticado-pela-populacao-2371425.html

    Estão tentando matar a população quando chover?

    ResponderExcluir
  19. Devia ter uma tag só pra essas suas rabugices... já são "sui generis"!

    ResponderExcluir
  20. A sinalização horizontal e pavimentação dessas ciclovias estão em melhor estado que em 95% das vias na cidade de São Paulo, bem como algumas estradas federais pedagiadas. Ponto para o prefeito de Araçoiaba (um pouco de humor embutido).

    ResponderExcluir
  21. Na minha cidade natal tem a única ponte do mundo que inicia em uma margem e termina na mesma.
    O prefeito no dia da inauguração usou e abusou de figuras de linguagem, certa hora fuzilou, "Esta ponte tal qual uma Jiboia de braços abertos,...".
    Demais! Por isto gosto de lá.

    Acosta

    ResponderExcluir
  22. Boa tarde Bob,

    Concordo que fazer uma ciclovia em uma calçada tão pequena é pedir para ter acidentes. Estes dias estive em Munique e eles se orgulham por ser a capital das bicicletas.
    Estas bicicletas andam em uma faixa de asfalto no nível da calçada e não vi nenhum acidente como vejo em SP (não podemos esquecer que as calçadas la são muito mais largas).
    Outro ponto interessante sobre ciclofaixas é que quando se anda em parques como o do Ibirapuera em SP, nenhum ciclista respeita a velocidade e nenhum pedestre respeita a localização da ciclofaixa (andam sobre ela como se nada tivesse marcado no chão).
    Talvez caia tudo isso sobre um ponto chamado educação ....

    ResponderExcluir
  23. Seeeuu Saraiva! O senhor por aqui?

    ResponderExcluir
  24. Não! Não estou aqui não! Estou tirando fotos de carro com insulfilm pra postar depois!

    ResponderExcluir
  25. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  26. Bob,

    Na Alemanha existem tanto vias exclusivas para bicicletas, quanto compartilhadas carro-bicicleta e pedestre-bicicleta. Fora a linha de bonde (ou Tram), onde passa de tudo... Mas a mais comum é a via pedestre-bicicleta. As vezes na calçada, as vezes em trilhas cortando parques ou acompanhando a margem do rio. Na maior parte a via é dividida com uma linha, bicicletas de um lado e pedestres do outro, mas as vezes não tem separação nenhuma. Na prática tem sempre um bicicleta tirando fina do pedestre a toda velocidade. É totalmente desconfortável para o pedestre, mas eu não vi nenhum acidente.

    Aqui dá para ver as placas que identificam as vias:
    http://www.edelmann-bike.de/assets/images/autogen/a_Fahrrad_Schilder.jpg

    ResponderExcluir
  27. Cabral
    Muito estranho. Um amigo meu, alemão, que mora em Erfurt, está vindo ao Brasil domingo e vou falar com ele para ver explicar como funciona isso lá, quais as condições para bicicletas poderem dividir espaço com pessoas nas calçadas.

    ResponderExcluir
  28. Bob,

    Não é tão surpreendente bicicletas e pedestres na mesma via quanto vias sem limite de velocidade?

    De certa forma o governo alemão faz a parte dele, mas o povo também tem que fazer a sua. No Brasil que o governo não faz nada e coloca a culpa no povo, que invariavelmente estava bêbado e acima do limite de velocidade. Lá na Alemanha a divisão é bem feita, e quando um tenta entrar no espaço do outro, dá briga. Tanto que se fuma na Alemanha quase em qualquer lugar, inclusive dentro dos bares. Até eu fumei um Marlbolro para não perder a oportunidade. Eita troço ruim, amanheci com gosto de erva mofada na boca. Um cigarro de palha ou um charuto caem bem, fica o gosto da erva fresca, mas esses industrializados eu tô fora. Eu só fumo quando eu bebo..

    Também pode-se andar pelado em quase todo parque (os FKK, Frei Körper Kultur), e toda cidade tem uma lojinha de armas de fogo. E os americanos ficaram chocados em ver que eles fazem extração controlada de árvores nas florestas. Como se as árvores fossem seres intocáveis, e não só mais um que nasce, cresce, morre e apodrece. Por isso vira e mexe nos EEUU tem terríveis incêndios. A Alemanha é um paraíso anti-politicamente correto. Eu tinha uma imagem bem diferente da Alemanha...

    ResponderExcluir
  29. Ja rodei pelo Brasil interio.06/08/11 19:04

    Não comparem o que acontece nos USA, na Alemanha etc com o que acontece no brasil sem antes ler sobre "Federalismo"

    ResponderExcluir
  30. 30kmh é velocidade de bicicleta,quando se passeia num villa-lobos no domingo...

    aqui em bauru,onde estudo..uso a bicicleta como meio de transporte,na unica ciclovia da cidade (~1km),por onde vou a faculdade,atinjo facilmente 45~50kmh...

    é um perigo bicicletas e pedestres na mesma via..ja levei cada susto andando em calçada..chegou ao ponto que,apesar da extrema má educação dos motoristas daqui,raramente uso a calçada com minha bicicleta..

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.