SONHO DE ENTUSIASTAS




Em 1962, eu e meu irmão Ronald fazíamos o curso Construção de Máquinas e Motores na Escola Técnica Nacional, atual Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca, no bairro do Maracanã, no Rio de Janeiro. Era um curso inaugural e destinado ao que haviam concluído o Segundo Grau. Era noturno e intensivo, sem férias, em dois anos.

Com 20 e 22 anos, respectivamente, vivíamos o entusiasmo pelo DKW-Vemag. Víamos, com desgosto, a marca ser derrotada nas pistas pelo Willys Interlagos, que tinha motor de mesma cilindrada (1 litro), mas pelo menos 200 kg mais leve e com uma fração da área frontal do sedã DKW. Era covardia.

Resolvemos desenhar uma carroceria tipo grã-turismo para DKW e procuramos a Carrocerias Metropolitana, fabricante de carrocerias de ônibus, através de um tio que conhecia um dos sócios diretores. Conversamos, a idéia seria produzir a carroceria em alumínio, aproveitando a expertise da Metropolitana com esse material. Montaríamos uma pequena empresa para vender e montar as carrocerias ou faríamos uma associação com a empresa. Mas os planos não foram adiante. Faltou-nos empreendedorismo.

Os anos se passaram e no começo deste o Antônio Pinho, também carioca radicado em São Paulo, diretor do MG Club do Brasil e nosso colega na escola técnica, me perguntou sobre o desenho do carro, que ele havia visto à época. Disse-lhe estar guardado e ele então me pediu que escrevesse a história e, com o desenho, a mostrasse para os sócios do clube pelo e-mail, o que foi feito.


Um dos sócios do MG Club, Eduardo Prado, interessou-se e me perguntou se eu permitia que um amigo dele, Dan Palatinik, fizesse o desenho em AutoCad a partir do desenho feito em 1963. Claro que permiti. E foi feito. E como foi bem feito. O Dan tem excepcional capacidade técnica e criadora.

Depois de o carro "aparecer", sócios do clube ficaram animados a estudar a possibilidade de, se cotizando, mandar Toni Bianco fazer a carroceria. Toni, aos 78 anos, continua ativo e é um dos maiores construtores de carrocerias especiais. Tem a seu crédito carros como o Furia, os Fórmula Júnior e as réplicas deste e do Carcará da Vemag.

Feita a carroceria, é arranjar um DKW-Vemag, tirar a carroceria original e instalar esta. Eu e o mano mantivemos a distância entre-eixos original, de 2.450 mm, ao contrário do GT Malzoni, surgido em 1964, que teria o chassi encurtado para um entreeixos de 2.220 mm.

A altura prevista é 1.160 mm, com 3.720 mm de comprimento.

Nossa estimativa de peso seria entre 750 e 780 kg, pela construção em alumínio. Um ganho apreciável diante dos 945 kg do carro original. E com menos área frontal.

Na foto da abertura e nas que seguirão pode-se notar os pára-choques com o mesmo motivo do DKW da época. A idéia era dar identidade de um grã-turismo derivado do DKW-Vemag. Hoje estes pára-choques não teriam sentido, por serem ofensivos.

Também, pedi ao Dan que fizesse as rodas com aro 16-pol, pois hoje o carro teria pneus 195/55-16. Na época eram 5,60-15.

Assim, o Metra GT, nome criado em alusão a Metropolitana — até parecido com o que a Porsche fez ao dar nome de Panamera ao seu novo sedã de quatro portas, alusivo à Carrera Panamericana, no México — para rodar só precisará mesmo de um comando de câmbio no assoalho, pois no DKW era na coluna. Mas isso hoje é detalhe apenas.

Mas que seria fantástico ver um carro rodar 46 anos depois de desenhado, isso seria.



O começo de tudo; atrás do banco do motorista, a mala-padrão da FIA, para poder ser considerado um GT

Desnecessário dizer que o meu Metra seria branco...


Era assim o primeiro desenho que o Dan me mandou: já deu uma certa taquicardia...

Mesma idéia de entre-eixos bem longo: Matra 530, de 1967, quatro anos depois do Metra

BS

(Atualizado às 16:30, troca da arte de abertura; a anterior não era a última versão)

77 comentários :

  1. Bob

    Deu água na boca ao ouvir você falando do carro na semana retrasada. Depois que vi as projeções do carro fiquei ainda mais besta.

    Deus queira que venha ao mundo!

    FB

    ResponderExcluir
  2. FB
    Sabe que motor cabe ali à perfeição? um Subaru 2-L.

    ResponderExcluir
  3. Muito belo o carro.

    E trazeira me lembra muito a do Uirapuru, do Paulistano Rigoberto Soler.

    O parachoques dianteiro ficou excepcional

    A posição do retrovisor, fantástica

    ResponderExcluir
  4. Bob

    Resta saber se o Bitu caberia dentro do Metra GT... No Willys Interlagos não consigo enfiar nem a perna direito.

    Pára-choques ofensivos, motor 2 tempos... Mundo bom esse que eu não vivi!!!

    FB

    ResponderExcluir
  5. Sobre o motor Subaru, essa semana mesmo um amigo estava a busca de um EJ 20 ou 25, para uso aeronáutico( aviação experimental).

    Ele diz que é a melhor relação peso-distribuição do mesmo-potencia-durabilidade que se pode adquirir para aviação leve experimental( ele já tem um, mas com Rotax)

    ResponderExcluir
  6. Alexei,
    Lembra mesmo o Uirapuru, outra coincidência.

    No primeiro desenho pronto, o da abertura, os espelhos estavam nos para-lamas. Depois pedi ao Dan para aplicá-los nas portas. Qual você gostou mais?

    ResponderExcluir
  7. FB
    O Ferrari F40 tem 1.120 mm de altura e eu coube bem nele. Tenho impressão de que o Metra dá bom packaging.

    ResponderExcluir
  8. Achei muito mais bonito que Uirapuru e Malzoni, parece um design japonês da época.
    Parabéns mesmo.

    McQueen

    ResponderExcluir
  9. Bob,

    Olha, preferi de cara , o de retrovisor no para-lamas.

    É um grande ponto estilístico do carro , junto à curvatura do para-brisas, mas é pelo lado funcional mesmo : ajusto lá na mão mesmo e vai ser ótimo contar com eles naquele ponto.

    ResponderExcluir
  10. Alexei,
    Ok. Mas tive de mudar a arte pela do carro azul, a última versão e já com teto solar.

    ResponderExcluir
  11. McQueen,
    E ninguém sabia o que outro estava fazendo.

    ResponderExcluir
  12. Tranquilo, Bob.

    DESDE que o MEU Metra ( rs) venha com os retrovisores no para-lamas, tá valendo...

    Bob, porque 195/55-16 ?

    Aliás, coincidência ou não, a Toyo fabrica pneus de 55 % para uso em pista, levemente estriados para poderem rodar também na rua.

    ResponderExcluir
  13. Alexei,

    1. Ficar com o mesmo diâmetro do 5.60-15
    2. Uma largura adequada para andar rápido.
    3. Um perfil bom para um carro esporte.
    4. Dar margem para freios maiores.

    Toyo? Coincidência mesmo.

    Tá bão, mando pôr espelhos onde voê quer... (rs)

    ResponderExcluir
  14. genial em tudo.como esse carro e atual

    ResponderExcluir
  15. Excelente o carro, Bob! Muito belo.

    Considerando as devidas proporções, é uma emoção sem fim você "construir" ou "projetar" um carro, igual ao que meu grupo de Automobilistica realizou numa ETE...ainda mais quando vc não passa de um moleque de 16 anos na época:

    http://www.youtube.com/watch?v=_odh1oER5AQ

    ResponderExcluir
  16. Obrigado, Santos.
    Posso imaginar a sua emoção guiando aquele charutinho.

    ResponderExcluir
  17. Pois é, Ary,
    Isso explica em parte a minha taquicardia: o desenho vale até hoje, 46 anos depois.

    ResponderExcluir
  18. Ary,

    O que mais me surpreendeu é exatamente isso : o quanto o carro é atual nos conceitos de estilo e desejabilidades técnicas

    Bob,

    Totalmente entendida a escolha da medida dos pneus.

    E quanto aos Toyo´s , o AK, que provavelmente é Michelin desde criancinha como eu, se surpreendeu com a aderência dos Proxes 4 num teste dos Cobras.

    O modelo da Toyo que tem 55 % e DOT não está disponível no site da mesma,mas acho que a Yokohama, que já está equipando alguns protótipos aqui no Brasil ( como o bólido do Dimas) e dando retorno ao uso( recolhe os usados e corrige lá no Japão), tem seu modelo DOT para carros de Rua esportivados.

    ( dá para perceber que alguém aqui rs já se imaginou entrando numa curva no SEU carro com o G lateral deixando os cabelos em pé...)

    ResponderExcluir
  19. Alexei

    Eu só uso Toyo há anos, já cansei de falar a todos sobre as ótimas experiências com estes pneus maravilhosos, mas parece que ninguém dá bola.

    Creio que você se refere ao Proxes R888, semi slick. É um chicletão de pneu.

    FB

    ResponderExcluir
  20. Felipe,

    Esse mesmo, o Proxes R888 e o da Yokohama era o A-048,acho.

    Bob, os Toyo são pneus de custo baixo pelo que oferecem , ideais para uso intensivo-esportivo.

    ResponderExcluir
  21. Alexei,
    Quando chegar o momento (note que não falo 'se') vamos ver essa questão.

    ResponderExcluir
  22. Impressionante como a dianteira do Matra me lembra os Corvettes da década de 1970...

    ResponderExcluir
  23. Santos,
    Os desenhos realmente convergem segundo a época. Bem lembrado, parece mesmo.

    ResponderExcluir
  24. Rodrigo Laranjo23/08/09 19:03

    Ah, assim não vale!!! Eu também brinco de criar carros na minha cabeça também, mas vocês levam a sério!!!

    Eu com 15 anos tentava desenhar uma "invenção" de transformar um Opala cupê em réplica de F40, mas vocês foram longe demais!!

    ResponderExcluir
  25. Bob,
    espetacular desenho e praticidade de projeto, ao manter o entreeixos original.
    O pára-brisas me lembra, como não poderia deixar de ser, os Saabs 99/900, e como acho esse um detalhe da maior importância, fica claro que adorei o projeto dos Sharp.
    Que fique pronto logo !

    ResponderExcluir
  26. Fico feliz de saber que você estudou no CEFET/RJ Bob. Também estudei lá, fiz o ensino médio e o técnico, me formei no final de 2006 como técnico no curso de automobilística.

    ResponderExcluir
  27. Arnaldo Keller23/08/09 19:50

    Bom, Bob, vai anotando no meu pedido aí:
    1- Motor V6 com bloco de alumínio. Tendo mais de uns 170 cv nesse carro levinho já tá bem bom.
    2- Cor vinho. Bancos creme.
    3- Bancos em concha, fininhos, com encosto pra costas baixo, tipo dos primeiros E-type, e vazados em baixo, tipo Lancia Fulvia HF.
    4- Volante mais na vertical e com regulagem de distância.
    5- Dois faróis de milha amrelos.
    E pronto! Anotou aí?
    Esse carro é muito chique. Seria o esportivo nacional mais bonito e elegante da época. Seria carro pra sair com uma "Bonequinha de Luxo", tipo Audrey Hepburn...
    Parabéns aos Sharp boys!! O desenho se encaixa aos retrôs atuais e bem que poderia ser fabricado agora, ainda mais por ter esse bom entre-eixos.

    ResponderExcluir
  28. Que ótimo, Marcello, e que coincidência. Meu diretor era o próprio Celso Suckow da Fonseca. Uma grande pessoa. Sucesso na sua carreira!

    ResponderExcluir
  29. AK,
    Motor H-4 turbo de Subaru, 2 litros, 230 cv. Talvez cortar um pouco da pressão, pois é tração dianteira. Duzentos cv estaria de bom tamanho. Não sei se acharia um V-6 de instalação longitudinal hoje em dia, aí teria que mexer no cárter e pescador de óleo. É rolo. O resto da receita, sem restrições. Inclusive a Audrey Hepburn...brigamos!

    ResponderExcluir
  30. JJ
    Que legal que tenha gostado, JJ. Seu comentário é muito importante.

    ResponderExcluir
  31. MAO também estudou no glorioso CEFET -CSF - RJ, escola técnica de mecânica.

    E no jornalzinho mimeografado "Caminhando" publicou seus primeiros escritos sobre o bicho automóvel.

    MAO

    ResponderExcluir
  32. Bob,

    Sensacional! Vai mesmo fazê-lo? que coisa fantástica seria, nunca ouvi uma história assim.

    E que desenho de carro agradável! DKW specials tem tudo a ver com vc!

    So achei o pneu muito largo e de perfil muito baixo, mas tá valendo!

    MAO

    ResponderExcluir
  33. Arnaldo Keller23/08/09 20:14

    Bob,

    Eu estava pensando em tração traseira, mas já que é dianteira o jeito é esse motor Subaru.
    Vai estreitar a bitola traseira, que nem fizeram com o Malzoni de corrida?
    E tudo bem, pode ficar com a Audrey. Ela é meio mgrela pro meu gosto, mesmo. Fico com a Romy Schneider.

    ResponderExcluir
  34. Bob,

    Sensacional, fantpastico extraordinário. Não importa como que mecanica, DKW (obvio que a mais bacana de todas tendo em vista a origiem e a motivação do projeto) ou Subaru, de qualuqer jeito é muito legal. Parabens, faço votos que fique pronta logo!

    ResponderExcluir
  35. Legal, AG, tks. o ideal seria manter o motor DKW, mas o "motor simples de 7 peças móveis" tem uma complicação danada, o virabrequim. Não existe que preste hoje em dia. Acabou. Pensei no Subaru 4-cilindros por ser um motor curto, leve e baixo, além de dar toque de exótico, diferenciado do rebanho. Fora o que é bom.

    ResponderExcluir
  36. Arnaldo,
    Pode até ser que faça a bitola traseira mais estreita, mas primeiro é preciso analisar o comportamento. OK, fique com a Deutsch-sprachen que fico com English-spoken...

    ResponderExcluir
  37. MAO,
    Pode ser, mas procurei manter o O.D. da roda completa original. Não foi fácil conciliar diâmetro, perfil e largura da seção. De qualquer maneira, 195 mm de seção para um GT não está de todo fora.
    E que legal termos estudado na mesma escola!

    ResponderExcluir
  38. Que obra fantástica Bob. Que Deus/Alá/Jeová, etc abençoe esse projeto e que ele saia do papel e do HD.

    Louvável a idéia do motor Subaru. O simples fato de não ser VW AP já merece atenão.

    Tenho uma dúvida aqui. Tem como legalizar como protótipo?
    Tenho uma grande vontade de tirar essa dúvida pq eu e meu supervisores estávamos para construir um Locost baseado no livro do Ron Champion e descobrimos que o CTB não permite. É isso mesmo?

    Abraço

    ResponderExcluir
  39. Quando li esta historio no site do MG Clube fiquei pensando porque o Bob não faz este carro hoje?

    O meu quero branco, interior vermelho e motor DKW claro, como as Vemaguets que dirigi.

    Mas se for impossivel, vai de Subaru mesmo.

    ResponderExcluir
  40. Um motor do Audi A4 V6 ficaria interessante e não se afastaria muito das raízes (Auto Union) ,eim ? Bob,lançamos hoje o ILha Car Club ,primeiro clube de clássicos da Ilha do Governador, o Nelson "Gordini" Cintra esteve lá e te deixou um abraço,vamos visitá-lo em Petrópolis,o homem está a toda,montando 4 Interlagos e mais uns 4 Gordinis , e de quebra terminando de montar o Gordini de corrida que ele usou, o camarada achou a carcaça jogada num ferro velho em Nova iguaçu, abraços!

    ResponderExcluir
  41. proponho caixa 5M de Gol e um V6 DKW dois tempos, ou ao menos um L4 com dois Weber 40 e 1300 cc. Também serve um Kawasaki H3 com seis cilindros em linha...
    m

    ResponderExcluir
  42. Que presente de domingo! Terei bom sonhos com esse carro. Bob, o que significa a mala padrão da FIA para ser considerado GT? Sem bajulação, desenho perfeito e atemporal, como tantos outros feitos naquela época.(prefiro o azul). Deixa o para-choque assim, senão fica igual do Puma. Acho que deveria se chamar Sharp GT. O VW AP é uma escolha natural já que é herdeiro da AutoUnion (o problema é o peso). Vai colocar o motor na mesma posicão do DKW, a frente do eixo ou vai rebater o motor e deixar o câmbio na frente? Se for colocar um V6 ou um boxer ponha-o longitudinalmente, mas invertido. Vai usar as suspensões do Belcar de feixe transversal? Outro motor interessante é o ford CHT. Extrapolando o seu sonho, um Mazda Wankel ficaria perfeito, o substituto ideal pra um dois tempos.
    Joel Gayeski, eu tenho o livro do Chris Gibbs, o doador é um Sierra.

    ResponderExcluir
  43. Alberoni

    O problema do VW AP é o pequeno balanço dianteiro do Metra. Veja que ele foi concebido para o motor OHF (over head fanshaft) do DKW, com um cilindro a menos e o radiador na parte posterior do bloco.

    Daí a idéia do Bob em utilizar o Subaru, bem curto. Falaram no Audi V6, é fácil de encontrar, mas acho que não caberá, melhor ficar com o boxer japonês.

    FB

    ResponderExcluir
  44. Bob,

    Belo carro! Tive 3 Subarus, motor espetacular. Claro que seu carro seria branco. Me lembro do Santana 2 portas branco que voce tinha quando trabalhava na VW e eu apenas com 13 anos de idade.

    Um abraco,

    Nando.

    PS: Vou ler os conselhos que voce escreveu sobre o Z06.

    ResponderExcluir
  45. Já cogitou num motor Smart 108 HP, 3 cil, leve, pequeno, moderno, transversal?

    ResponderExcluir
  46. Carajo!

    Belíssimo exemplar de 'fuori" série nacional se tivesse existido.

    Agora, se ele for criado, com as inovações que temos hoje, eu nem consigo imaginar o desempenho dinâmico dessa jóia...

    Agora, disseram para colocar um VW AP ou então um Ford CHT.

    Que isso gente..um carro desse merece um motor a altura, com um certo "exotismo".. creio que o Subaru boxer seria a cereja do bolo.

    ResponderExcluir
  47. Arnaldo Keller24/08/09 09:11

    Bob,

    Explica esse english-spoken e esse alemão aí, que boiei nessa.
    E usar motor atrás do eixo dianteiro e câmbio de Fusca?
    Acho que aí dá certo.
    E motor Subaru, por ser baixinho.
    Assim até me submeto a gostar de um tração dianteira.
    Se pendurar ele na frente do eixo dianteiro acho que me dará dor de barriga.

    ResponderExcluir
  48. Alberoni, tu tens esse livro em pdf ou algum otro formato digital?

    Ainda quero saber como legalizar o protótipo pra andar na rua.

    ResponderExcluir
  49. Clésio Luiz24/08/09 13:14

    Metra GT, ano 2010, modelo 1963 !!

    ResponderExcluir
  50. Felipe: Concordo que a melhor escolha seja um boxer Subaru, mas observe que falei em trocar as posições do motor com a caixa, entendeu. Jogar o motor próximo ao habitáculo e deixar o câmbio pendurado na frente, com isso (seja lá qual for o motor adotado) ganha-se duas vezes: leva o CG para trás e diminui o momento polar de inércia. O AK sacou o lance.
    Diego: você não acha um wankel exótico?
    Joel: email: gtb_s2@hotmail.com Não, tá em papel mesmo. Entra na página do Contran que tem todas as resoluções lá, é possível, mas tem que passar por um monte de testes. Na prática não sei como funciona.

    ResponderExcluir
  51. AK e Alberoni

    Sim, é uma alternativa, ainda que complexa. Só consigo me lembrar do Citroen Traction Avant com esse esquema.

    Nunca tentei inverter a coroa do diferencial do transeixo VW, mas pode ser que funcione. Se não der certo vocês serão obrigados a colocar o transeixo de cabeça para baixo.

    Portanto, minha opção natural vai para o boxer Subaru, acoplado a um transeixo VW/Audi CNX.

    FB

    ResponderExcluir
  52. Rodrigo Laranjo24/08/09 14:06

    Perdoem minha humilde intromissão, mas um motor 2.0 GM flex de 140cv não seria uma opção barata e mais viável?

    Essa história de motor boxer dianteiro com tração dianteira me lembrou os antigos Gol BX.

    ResponderExcluir
  53. Adorei o carrinho! A traseira me lembrou um pouco o Uirapuru, que, se não me engano, veio depois do seu desenho.

    ResponderExcluir
  54. Marlos Dantas24/08/09 14:45

    Bob,
    Belíssimo carro esporte! A frente tem um quê dos belos Ferraris 250 LM e 275 GTB. Desenho harmônico e agradável. Atemporal, eu diria...
    O motor Subaru é realmente uma boa pedida...
    O conceito de suspensão segue o dos DKWs?

    É muito bom conhecer mais esta habilidade sua. Boa sorte com o projeto!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  55. Sensacional Bob!
    Parabéns!

    Abs
    MB

    ResponderExcluir
  56. possui um design bem interessante !

    ResponderExcluir
  57. Carro incrível, perfeito, irretocável!

    Sou a favor sim do motor Subaru, justamente pela sua leveza e centro de gravidade baixo, além do toque exótico, diferenciado. Um carro desses merece uma mecânica especial, fora do padrão. Como já comentei com o Bob, abaixo os motores padrão!

    ResponderExcluir
  58. Que bicho sensacional Bob! Valeu, prova de que bom desenho é atemporal. Incrível mesmo.

    ResponderExcluir
  59. Esse carro me fez pensar em muitas coisas, inclusive que eu tenho que voltar a tomar meus medicamentos. Estava pensando...se ele é um DKW, porque não ter a tração 4X4 do Candango? E se tiver motor Subaru, mais um motivo para ser 4X4. Aliás falaram de motores Audi...novamente me vem à cabeça a tração integral. Viajei demais Bob ?

    ResponderExcluir
  60. Felipe, tem um texto do Francis Castaings no BCWS que diz que a transmissão da Kombi é igual a do Fusca só que com a montagem da coroa invertida porque a Kombi tinha as reduções junto as rodas que invertiam a rotação, fato esse que levou operários a montarem por engano 40 Kombis com 4rés e 1 macha pra frente. Sinceramente não sei se é possível fazer isso com as transmissões VW/Audi atuais, mas é uma possibilidade.

    ResponderExcluir
  61. Alberoni

    Acho que esse texto é do BS, confirma lá depois. Eu ouvi essa história da boca do BS.

    Eu até tenho um transeixo desse sobrando, mas está em Santos... Preguiça de ir buscar, senão eu desmontava e tentava montar invertido.

    FB

    ResponderExcluir
  62. Arnaldo Keller25/08/09 10:51

    O câmbio de Fusca atende a colocação do motor tanto à frente dele como atrás. Vide Fusca e Chamonix Spyder.
    É botar câmbio de Fusca e o motor Subaru atás dele. Deve ser o mais prático, creio. Em último caso em vez do Subaru vai um AP, mesmo, que esse encaixa moleza no câmbio de Fusca.

    ResponderExcluir
  63. Alberoni,
    Não é possível inverter lado de montagem da coroa nos câmbios atuais.

    ResponderExcluir
  64. Marcello,
    Não viajou demais, mas não é tão fácil. O carro foi concebido para ser nova carroceria sobre o chassi rolante e trem de força de DKW. A única mudança fácil de realizar é substituir motor e câmbio originais. O resto é evidente que dá para fazer, mas é complicado e custa.

    ResponderExcluir
  65. Que pena, se não é possível...

    Nos créditos do texto está escrito: "Texto: Francis Castaings - Edição: Fabrício Samahá e Bob Sharp - Fotos: divulgação." Realmente coloquei a informação incompleta, desculpem.

    Que lugar de Santos?

    ResponderExcluir
  66. Alberoni

    Na Garage RR, fica ali na Visconde de Embaré.

    FB

    ResponderExcluir
  67. Lindo carro.
    Impressionante como um carro desenhado há tanto tempo se mantem atual.
    Conheci os desenhos pelo Dan, atraves de outro site (FNVA)e fiquei maravilhado com as linhas do carro.
    Só é uma pena que não se possa mais pensar na mecanica DKW, para equipar o carro.
    Mas como hoje a variedade de motores e cambios é muito grande, com certeza vai se chegar a um consenso na hora de escolher a usina que vai empurrar o bicho.
    Parabens aos Sharps, pelo belo carro que desenharam.
    Sugestão de cores: Vermelho Modena e Royal English Green, ambos com interior caramelo.

    ResponderExcluir
  68. Caro Bob,
    Que visão de futuro!
    Um desenho que "chega junto" com muitos carros hodiernos, estupendo!
    Outra coisa que foi fantástica é o Dan ter feito a renderização deste carro, sim, pois ele é um dos melhores do mundo neste tipo de criação eletrônica. Seguro, perfeccionista, detalhista e profundo pesquisador. Tanto é que ele já tem uma respeitável biblioteca de "blue-prints" de muitos carros. O interessante é o seu denodo na busca deste material. Fuça até achar, não desiste!
    O trabalho que ele fez certamente trouxe o projeto seu e de seu irmão para uma vida que em 40 anos ele não tinha tido. Uma verdadeira “de volta para o presente” deu para entender?
    Parabéns por mais este achievement.
    Um abraço
    Alexander

    ResponderExcluir
  69. bob. para renovar os parabéns apresentados pessoalmente, e dizer que se faltava o conjunto para passar a alavanca de câmbio da coluna para o solo, está resolvido.
    tenho um sistema guardado para refazer o deka 59 que tive em priscas eras, com bancos de fissore, volante fórmula 1 - comprado ao seu antanas, naquilo que chamavam fábrica - e alavanca de marcha no piso. cambio a cloche, como se dizia então.
    voto pelo subaru. quem tem ou teve, sabe da excelencia do uso.
    mande lembranças ao pinho.

    ResponderExcluir
  70. Brilhante !!
    Parabéns !

    ResponderExcluir
  71. Paulo Keller28/08/09 19:15

    Bob,

    O desenho do Metra é requintado, tem caráter. É mais bonito que QUALQUER outro modelo da época e até que muitos modelos atuais.

    Mal posso esperar para ver o carro de verdade.

    Podemos fazer um acompanhamento de sua construção com atualizações periódicas no AE.

    nota: o Matra, apesar do entre-eixos longo é horrível.

    PK

    ResponderExcluir
  72. Caro Bob, vou me atrever a dar algumas sugestões para "melhorar" o desenho:
    1 - Piscas dianteiros: a) integrá-los aos faróis com repetidores laterais; b) incluir moldura cromada e luz de posição, já que esse modelo é "vintage" não seria um pecado; c) integrar piscas, luz de posição e entrada de ar ou buzina, veja os Porsche 911 mais antigos.
    2 - Portas: a) sugiro aumentar a inclinação do desenho posterior para acompanhar o ângulo da parte posterior da janela da janela; b) deslocamento das fechaduras para a parte alta do "ombro" para dar uma ilusão de ausência de maçaneta.
    2 - Vidro traseiro: para baratear custos dividiria em três seções com uma coluna "c" fina que começaria no teto a partir do friso de emenda ou do teto solar. Ela terminaria no porta-malas de onde ela integraria o desenho, veja o Porsche 911 (O clássico) para efeito do caimento. Seria interessante optar por abertura da janela traseira junto com o porta-malas, aí seria bom olhar o E-Type novamente para efeito de comparação. O porta-malas seria ligeiramente alargado e teria um desdenho ligeiramente em "V" que terminaria nos parachoques.
    3 - Lanternas traseiras: teria desenho semelhante ao Jaguar Tipe E ou do 911 invertida, somente duas seções, uma delas acumularia caso fosse feita de led's as funções de luz de posição, freio e pisca, este acendendo em âmbar como no VW Jetta, e luz de ré, essa seccionada pelo corte do porta-malas, caso contrário seria três mesmo. Elas seria colocadas um pouco mais alta, posicionada na linha de cintura.
    Pensei em sugerir lanternas redondas mas seria clichê baseada nas clássicas lanternas do Corvette que todo mundo usou e abusou.
    4 - Rodas: a) Versão clássica - sugeriria um cubo rápido ou manteria as de aço originais mas com semi-calotas; b) Versão esportiva - uma roda com desenho "estrela" ou de seis raios com efeito aerodinâmico para refrigerar os freios.

    5 - Opções de carroceria: Targa e conversível. E se produzir 1400 carrocerias poderia usar a sigla GTH (Grã Turismo Homologado...)

    Espero não ter abusado de sua paciência. Quanto ao motor, tem um cuja a patente deve estar barata e o pessoal da FEI ou se as pretensões forem um pouco além, Lotus Enginering, adorariam por a mão: O Enertron da Gurgel. Se com dois cilindros e 800 cm³ rendia 40 cv, com seis e um bom gerenciamento eletrônico daria um bom motor de 2,4 litros e uns 170 cv. Uma "muleta" tecnológica seria optar pelas válvulas eletrônicas da Valeo. Carros com comando variável rendem sempre potências específicas de 100 cv por litro aspirados, o que daria 240 cv. Uma opção turbo renderia um motor (sem comando variável) com potência específica de 110 cv por litro. Com a palavra o Dantas. Um esportivo sem alguma inovação não fica na história.

    Espero não ter viajado demais na maionese, mas se tivesse dinheiro, seria um carro perfeito para se produzir em pequena escala.

    []'s

    ResponderExcluir
  73. Um motor Evinrude ou Mercury V6 2T de um motor de popa tb seria interessante: leve,pequeno e bem potente, eu vi um Mercury de 170cv berrando, vira 6500rpm fácil....

    ResponderExcluir
  74. Bob,
    Muito lindo...é de deixar-nos emocionados. Parabéns!
    Raul Perillo

    ResponderExcluir
  75. E hoje vi um Evinrude V4 2T refrigerado a água ,injeção de óleo nos pontos a lubrificar (rolamentos ,cilindros, etc) ,aprovado para as emissões da Califórnia , injeção eletronica e ignição CDI ,um show, 1700cc, 118cv a 5900rpm,red line a 6500rpm,todo em alumínio, que tal??

    ResponderExcluir
  76. Bob meu amigo....Voce parece Bombril,pô.1001 utilidades.Voce é que nem falava o seu comtemporâneo,técnico da seleção brasileira de futebol na Copa de 78,Claudio Coutinho. Polivalente.Parabéns meu caro.Impressionante o designer do carro. As janelas e para brisa dianteiro bem curtos. Linha de cintura alta. Fantástico.Desculpe a rapaziada toda, mas pra mim ele lembra o Mini Cooper que está sendo lançado agora no Brasil.Muito show. Vamos ver se vc consegue viabilizar a fabricação do carro. Valeu Bob.A vc e seu Irmão. Abçsssssssss.........

    ResponderExcluir
  77. Nazar,
    Obrigado, amigo. Acho que o carro vai sair...

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.