AUDI QUATTRO, UM PEQUENO TRIBUTO




Um dos carros mais importantes dessa extensa história do automóvel é o alemão Audi Quattro, que povoa meus pensamentos com uma freqüência um pouco assustadora.

Apresentado no Salão de Genebra de 1980, o Audi Quattro trouxe para os carros de passeio a tração nas 4 rodas moderna, montada em carros de grande produção. Antes dele, houve o Jensen CV-8 FF em 1965, que não foi vendido regularmente, e o modelo Interceptor FF de 1967, produzido em pequena quantidade, cerca de 300, com um sistema da empresa Ferguson Formula.
 



Isso tudo, porém, era artesanal e muito caro, não servindo em uma fábrica com linha de montagem, com custos controladíssimos e necessidade de repetir sempre a qualidade melhor possível. A Ferguson, buscando provar que poderia atender uma marca de grande produção, trabalhou em carros Ford, notadamente no Mustang Mach 1 1970, dos quais 4 exemplares foram construídos. A revista alemã Auto Motor und Sport publicou uma matéria em agosto de 1970 com um teste desse carro, cujas fotos estão abaixo. Havia inclusive o ABS mecânico Maxaret, como no Jensen, desenvolvido pela Dunlop.


Depois disso, entra a Audi, já como parte do grupo Volkswagen, embora ainda parcialmente independente em desenvolvimento. O trabalho foi calcado em o maior número possível de componentes já usados na Volkswagen, para tentar manter um nível de custos mais realista com o objetivo de fazer algo novo e que não tivesse preço proibitivo. Foi aprovado para produção em 1978, após a construção de um carro mula, baseado em um Audi 80, com o sistema de tração nas quatro rodas e um motor de 5 cilindros do modelo 100. Esse carro foi utilizado para convencer na prática o presidente da Volkswagen que a idéia era factível.

Se desde uns 20 anos atrás tivemos Opel Calibra, Lancia Delta, Escort Cosworth, e hoje temos os Subarus, Nissans GT-R, Lancers Evolution, VWs 4Motion, entre outros, é porque a Audi enxergou muito à frente e teve coragem e dinheiro para colocar boas idéias em produção, alterando o panorama do mercado de carros de desempenho esportivo. Pouco antes do Quattro chegar, as regras do Campeonato Mundial de Rali haviam sido alteradas para permitir tração em todas as rodas. Quanto de influência política a Audi usou para conseguir isso não sabemos, mas estava mudado para sempre a visão de que esse tipo de tração era apenas para carros lentos, como os jipes.

Além disso, a marca fazia um planejamento de longo prazo, visando aumentar seu prestígio, e encontrou um caminho maravilhoso, o melhor, no nosso entender: a tecnologia.

O sistema que a Audi empregou utiliza três diferenciais. Um para cada eixo e um central, que pode ser bloqueado para distribuir igualmente a força para ambos os eixos, com 25% da potência total para cada roda. Nos pisos com maior aderência, esse diferencial compensa as diferenças de atrito, e distribui a força de acordo com a necessidade. Isso trouxe a característica de segurança em pisos molhados nunca experimentada antes. Não há escorregadas andando a velocidades bem acima das normais dos outros carros com tração em duas rodas, e qualquer motorista mediano podia se sentir um grande controlador de carros com um Quattro.

E ainda hoje, quando somos ultrapassados em estrada molhada por um carro com todas as rodas tracionando, lembramos desse pioneiro espetacular, um carro que no ano que vem completa 30 anos e já pode ser importado legalmente.



Para mais detalhes, os sucessos nas provas de rali, o modelo Sport de menor entreeixos (acima) e muito mais, clique aqui.

Nota: as fotos de estúdio são do site uk.autoblog.com e os wallpapers do netcarshow.com

JJ

7 comentários :

  1. Sem dúvida um clássico!
    Já cheguei a sonhar com essa belezinha.
    Bem que a Audi podia voltar ao WRC com essa mudança de regras que está por vir.

    Quanto será que morre pra trazer um deses pra cá?

    ResponderExcluir
  2. O carro da 1º foto me parace um passatão iraquiano

    ResponderExcluir
  3. Junior-Big01/08/09 13:44

    Como se não bastasse toda essa tecnologia o Quattro era um carro muito bonito como todos os outros da marca até hoje! Beleza essa que os "seguros" da Volvo deveriam aprender!

    ResponderExcluir
  4. JJ,

    Bem lembrado sobre o Mustang da Ferguson Formula.

    A C&SC avaliou o carro recentemente, reportando uma transformação absurda.

    Grande post!

    MAO

    ResponderExcluir
  5. Esqueci de dizer, o mustang que a C&SC avaliou era 429...Rock'n'roll.

    MAO

    ResponderExcluir
  6. Eu já tenho um...
    EM escala 1:18! rs

    ResponderExcluir
  7. De fato, de vez em quando vejo Imprezas na estrada mudando de faixa na chuva como não ousaria mudar.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.