TOYOTA ETIOS 1.3 X, NO USO

Fotos: autor
                                          


Falta pouca coisa para que eu venha a considerar o Toyota Etios 1.3 X um compacto realmente bom, pouca coisa mesmo. Seu pequeno 4-cilindros, de 1.329 cm³, com 4 válvulas por cilindro, é econômico (alcançou nota máxima na categoria no Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular) e seu desempenho é plenamente suficiente para a proposta. São 90 cv a 5.600 rpm (com álcool) para um carro que pesa 945 kg, portanto, sua relação peso-potência é de praticamente 10 kg/cv, o que é considerado bom. Além disso ele é muito elástico. Seu torque máximo de 12,8 m·kgf vem a 3.100 rpm, o que é uma rotação até que baixa. Portanto, na prática, no dia-a-dia, no uso, é um motor que requer poucas mudanças de marcha e desempenha bem. É a mesma característica de comportamento tomada pela Volkswagen para os motores 1,6-l da linha Gol e Fox, por exemplo. 

Aliado a ele há um câmbio muito bem escalonado, de marchas que alguns desavisados chamariam de longas, mas que na real estão corretas. Esse câmbio, por sinal, é exatamente igual ao do modelo 1,5, mesmas relações. Sua 2ª marcha chega a 85 km/h e a 120 km/h, reais, seu giro está em 3.500 rpm em 5ª marcha. Vale notar que o 1,5-l, também quando com álcool, tem só 6,5 cv a mais que este 1,3-l, e na mesma rotação, portanto não há nada de errado em terem o mesmo câmbio, já que os motores, na prática, pouco diferem em rendimento. O 1,5-l também tem só 1,1 m·kgf a mais de torque, e na mesma rotação, 3.100 rpm. 

O resultado dessa boa combinação é um Etios 1.3 X que é ágil e pouco cansativo na cidade, e bom de estrada, já que viaja suave e silencioso quando em velocidades legais. Ah! E, como disse, gasta pouco combustível, o que agrada a quem preza baixo consumo e lhe proporciona boa autonomia, mesmo o tanque tendo só 45 litros de capacidade.

Volante só com regulagem de altura. Boa pega, mas leve demais

Sua suspensão é macia e robusta. Por sinal, cada vez mais me convenço que os nossos engenheiros de suspensão são os melhores do mundo. Nossa coluna vertebral deve muito a eles, já que carros compactos, robustos e macios assim, só os fabricados aqui. E ele é bom de curva. Praticamente neutro quando colocado no limite. É bem bom nas de baixa e razoável nas de alta. Curiosamente, o achei melhor de estabilidade direcional que o modelo sedã. Não tenho motivos técnicos para explicar essa impressão, já que a suspensão é igual, McPherson na frente com barra estabilizadora e atrás por eixo de torção, também com barra. O entreeixos bem mais curto (em 9 cm) do hatchback deveria produzir efeito contrário, mas é essa a impressão que ficou. A suspensão pouco foi erguida e tende mais para a macia, lembrando as dos Renault Logan e Sandero. Não é, portanto, um carro grudado ao chão, porém me parece correto para a proposta, pois não é um compacto que objetiva a esportividade.

                                      


O que neste me incomodou foi a excessiva leveza da direção, que tem assistência elétrica. A assistência é variável inversamente à velocidade, mas mesmo assim ela continua leve demais, principalmente na estrada. O curioso é que no Etios sedã que testei há um ano a assistência estava no ponto, ou seja, um pouco mais firme. O Bob também gostou e até a citou como ponto forte ao dirigir o 1,3 XS no lançamento há pouco mais de um ano. Temo que tenham recalibrado a assistência para pior. Temo que tenham obedecido a uma dessas “pesquisas de opinião” em que teimam em consultar gente que não é do ramo. 

O pedal da embreagem, acionada por meio de cabo, é leve e tem curso bem curto. O trambulador do câmbio é simplesmente excelente, a ponto de disputar o primeiro lugar com os Volkswagen Gol e Fox. O freio tem boa sensibilidade, é progressivo, sendo os freios dianteiros a disco ventilado e traseiros, a tambor. Um ponto a lamentar é ainda não terem corrigido a posição do acelerador em relação ao pedal de freio, estão muito distantes e o punta-tacco sai com bastante dificuldade. Não há apoio para o pé esquerdo, outra falha. São essas pequenas coisas que nos fazem lembrar que não estamos num carro italiano, no qual tais detalhes não seriam esquecidos, os que um autoentusiasta precisa para poder guiar como gosta. Falta-lhe “aquele algo mais” para que nos conquiste também pelo coração. Pela razão, sim, lhe sobram méritos.

Suspensão foi pouco erguida

Impressiona o espaço interno. É grande para o tamanho do carro. Dá até para viajar em cinco adultos, tal o espaço no banco de trás. Além disso, o ressalto do túnel central é mínimo. 

Eu atrás de mim

Alguns itens de baixo custo e que nos fazem muita falta: não tem regulagem de altura de ancoragem dos cintos dianteiros; por segurança deveria tê-la. Não tem regulagem da intensidade da luz dos instrumentos, que, apesar de ele agora ter fundo escuro — não é mais o branco que era, tal qual a balança Filizola —, ainda incomoda à noite. O quadro também está realmente mal-posicionado. Fui olhar a quantas rotações o motor cortava e tive que olhar de lado para isso, tirando meu olhar do foco principal, que era o que ia à frente; um fator de insegurança ao volante, portanto. Fora que, como já aqui disse, a visão deles é imprecisa por questão de paralaxe, pois só estando defronte a eles é que se tem maior precisão, já que os ponteiros ficam distantes do fundo do mostrador. Não se entende essa insistência da Toyota em manter um painel que foi defenestrado por todos. 

É a mesma velocidade nas três fotos

Depende do seu ponto de vista

Guarde estas fotos e use-as para explicar ao guarda

Os espelhinhos de vaidade não têm tampas, um incômodo. O volante só tem regulagem de altura — não chega a lhe deixar mal posicionado, mas também não lhe deixa na melhor posição. Os bancos dianteiros não são um atrativo do carro. São só passáveis. 

Motor que satisfaz pela boa potência e por consumir pouco combustível

O motor, por outro lado, como já disse, é um primor. Sua taxa de compressão, de 12,2:1, é a usual para os flex. Tem boa pegada e acelera muito bem. O que é de lamentar é seu corte vir muito cedo, a 6.000 rpm, quando ele ainda tinha muito a dar, já que sua potência máxima vem a 5.600 rpm. Então, por exemplo, numa ultrapassagem, esticando marcha, logo vem o corte, quando o giro ainda estava subindo com muita alegria, quando se sente que ele tinha tudo para subir a 6.500 rpm tranqüilamente, e em seguida, a marcha acima entrando, o giro estaria mais alto, com mais potência fornecida. Isso certamente nem é notado pela grande maioria dos motoristas, já que poucos sabem aproveitar um motor, mas certamente incomoda o autoentusiasta. 

Falta regulagem da intensidade da luz dos instrumentos

Em marcha-lenta o giro fica a 1.000 rpm, muito alto. Um dos dois deve estar errado, o motor ou o conta-giros. Com o ar-condicionado ligado, fica a 1.100 rpm.

Recantos úteis para organizar coisas

Os pneus Bridgestone 175/65R14 se mostraram ótimos, seja no seco ou na chuva intensa. O limpador único de braço pantográfico é referência no segmento, em que a palheta que efetua movimento de translação em vez de apenas descrever um arco proporciona varredura ideal. No vídeo ao final pode-se ver bem isso.

Como se vê, o Etios 1.3 X é um carro com pontos bastante altos e outros bem baixos. Como os pontos baixos são de fácil correção, além de custarem pouco, temos aí um compacto que teria futuro para cair no gosto de um autoentusiasta, desde que a Toyota fique atenta às nossas necessidades. Por enquanto, ele só tem tudo para agradar a grande maioria, essa das pesquisas misteriosas, e vender bem.
Um vídeo:


Para mais informações, vale ler o posts que já publicamos sobre ele. Entre com 'Etios' na ferramenta de busca na página principal do AE, em cima e à direita.
Preço sugerido: R$ 35.690
 
Mais algumas fotos:
Excelente limpador único de braço pantográfico
Cintos dianteiros sem regulagem de altura
Marcha-lenta de 1.000 rpm?
Quebra-sol sem tampa no espelho de vaidade
Porta-malas de 270 litros

FICHA TÉCNICA ETIOS
Hatchback
Sedã

Básico
X
XS
XLS
X
XS
XLS

MOTOR
4 cilindros em linha, duplo comando de válvulas no cabeçote, corrente, 4 válvulas por cilindro,atuação direta sem compensação hidráulica de folga, bloco e cabeçote de alumínio; instalação transversal
Cilindrada
1.329 cm³
1.496 cm³
Diâmetro e curso
72,5 x 80,5 mm
72,5 x 90,6 mm
Taxa de compressão
12,2:1
12,1:1
Potência
84 cv (G) e 90 cv, (A)
92 cv (G) e 96,5 cv (A)
Rotação
5.600 rpm
Torque
11,9 m·kgf (G e 12,8 m·kgf (A)
13,9 m·kgf (G e A)
Rotação
3.100 rpm
Formação de mistura
Injeção eletrônica seqüencial no duto
Combustível
Gasolina E22 a álcool (flex)
TRANSMISSÃO
Câmbio
Transeixo dianteiro de 5 marchas manuais, tração dianteira
Relações das marchas
1ª 3,545:1; 2ª 1,913:1; 3ª 1,310:1; 4ª 0,973:1; 5ª 0,804:1; ré 3,214:1
Relação do diferencial
3,944:1
SUSPENSÃO
DIANTEIRA
Independente, McPherson, braço triangular inferior, mola helicoidal e amortecedor pressurizado
Barra estabilizadora
Não
Sim
TRASEIRA
Eixo de torção, mola helicoidal e amortecedor pressurizado
Barra estabilizadora
Não
Sim
DIREÇÃO
Tipo
Pinhão e cremalheira, assistência elétrica indexada à velocidade
Diâmetro mínimo de giro
9,6 m
9,8 m
FREIOS
Dianteiros
A disco ventilado
Traseiros
A tambor
RODAS E PNEUS
Rodas
Aço, 5J x 14
Alumínio, 5,5J x 15
Aço, 5J x 14
Alumínio, 5,5J x 15
Pneus
175/65R14
185/60R15
175/65R14
185/60R15
DIMENSÕES
Comprimento
3.777 mm
4.265 mm
Largura
1.695 mm
Altura
1.510 mm
Distância entre eixos
2.460 mm
2.550 mm
PESOS E CAPACIDADES
Peso em ordem de marcha
915 kg
940 kg
945 kg
965 kg
955 kg
965 kg
980 kg
Porta-malas
270 litros
562 litros
Tanque de combustível
45 litros
GARANTIA
3 anos ou 100.000 km
TROCA DE ÓLEO
10.000 km ou 1 ano
REVISÕES
10.000 km
CORES
Branco, preto, cinza, azul (sedã e hatchback), verde e vermelho (hatchback)



EQUIPAMENTOS ETIOS
Hatchback
Sedã

Básico
X
XS
XLS
X
XS
XLS
APARÊNCIA
Acabamento cromado da tampa do porta-malas
S
S
Acabamento interno das portas de tecido
S
S
Acabamento preto na coluna central
S
S
S
S
Defletor traseiro
S
S
S
Difusores de ar com acabamento cromado
S
S
Grade dianteira na cor da carroceria
S
S
S
S
S
S
Maçanetas externas e carcaça dos espelhos na cor da carroceria
S
S
S
S
Maçanetas internas com acabamento preto fosco
S
S
Manopla do câmbio com acabamento especial
S
S
Pára-choques na cor da carroceria
S
S
S
S
S
S
S
Rodas de aço de 14" com calotas integrais
S
S
S
S
S
Rodas de alumínio 15"
S
S
Volante com acabamento prata fosco
S
S
S
S
CONFORTO E COMODIDADE
Abertura elétrica do porta-malas
S
Abertura interna da portinhola do tanque de combustível
S
S
S
S
S
S
S
Abertura interna do porta-malas
S
S
S
S
S
S
Acelerador de comando eletrônico
S
S
S
S
S
S
S
Acionamento elétrico dos vidros dianteiros e traseiros
S
S
S
S
Ajuste de altura do volante de direção
S
S
S
S
S
S
Aquecedor
S
S
S
S
S
S
S
Ar-condicionado com filtro de pólen
O
S
S
O
S
S
Assistência elétrica de direção indexada à velocidade
S
S
S
S
S
S
Banco traseiro rebatível
S
S
S
S
S
S
S
Bancos revestidos com tecido especial
S
S
Chave com comando de abertura e fechamento de portas
S
S
Console central com dois porta-copos dianteiros e um traseiro
S
S
S
S
S
S
S
Conta-giros
S
S
S
S
Pára-sóis com espelho
S
S
S
S
S
S
Porta-malas com iluminação
S
S
S
Travas elétricas
S
S
S
S
SEGURANÇA
Alarme de cinto não atado
S
S
S
S
S
S
S
Alarme de portas mal-fechadas
S
S
S
S
S
S
S
Alarme periférico antifurto
S
S
Bolsas infláveis frontais
S
S
S
S
S
S
S
Cintos dianteiros com pré-tensionador e limitador de força
S
S
S
S
S
S
S
Desembaçador do vidro traseiro
S
S
S
S
S
S
Faróis de neblina
S
S
Freios ABS com distr. eletrôn. forças fren.
S
S
S
S
S
S
Imobilizador de motor
S
S
S
S
S
S
S
Jogo de tapetes (4 unidades)
S
S
S
S
S
S
S
Limpador e lavador do vidro traseiro
S
S
S
Terceira luz de freio (conjunto de LEDs)
S
S
S
S
S
S
S
ÁUDIO
Antena
S
S
S
S
S
S
S
Dois alto-falantes e dois tweeters
S
S
S
S
Rádio/toca-CD com MP3 e entrada USB
S
S
S
S








– Não disponível    S de série    O opcional











84 comentários :

  1. "Sua suspensão é macia e robusta. Por sinal, cada vez mais me convenço que os nossos engenheiros de suspensão são os melhores do mundo."

    Fato. Tenho uma revista "Veículos importados" de 1997, que tratava do novo modelo Mercedes Benz Classe E.
    Lá foi dito que a suspensão do carro, visando durabilidade, foi desenvolvida com ajuda da engenharia brasileira da empresa e o carro foi testado nas estradas brasileiras, justamente em razão da má qualidade do piso.

    Marco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi igual o trabalho feito na suspensão do antigo Uno, hoje Mille Fire. Quando veio da Europa sua suspensão era muito frágil para o nosso asfalto de ótima qualidade, e ai foi adotado a suspensão por fecho de molas que tornou o carro robusto como conhecemos hoje.

      Excluir
    2. Aquela suspensão do Uno europeu é muito parecida com a do Palio Fire.

      Excluir
  2. Arnaldo,

    Como tem o erro de paralaxe na leitura dos instrumentos, vai ver eles corrigiram a leitura para que está do banco do motorista.... Como a foto do contagiros com o motor em marcha lenta foi batida de frente para o instrumento, e este marcava 1000 rpm, vai ver que olhando do banco do motorista o ponteiro fique entre os 500 e os 1000, ou seja, uns 750 rpm bem mais coerentes. Precisava ver com um Gps se essa minha teoria também bate para o caso do velocimetro.

    Não acho o carrinho feio, apesar de muitos torcerem o nariz. O que mata mesmo é esse painel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se eu entendi bem o seu raciocínio, então os 1000 rpm mostrados na foto "de frente" do painel estariam errados, e a rotação "certa" seria 750 rpm, aproximadamente? Se a Toyota fez isso mesmo, que solução porca!

      Excluir
  3. Rapaz, péssima a escolha de cores do velocímetro e contagiros. Para mim que sou daltônico (e antes que falem qualquer coisa, pouco mais de 10% da população masculina é) os ponteiros são praticamente invisíveis.
    Só notei que estava marcando alguma velocidade, depois de algum custo, porque o Arnaldo comentou a foto.

    ResponderExcluir
  4. Vender bem ? Nem em sonho essa coisa emplaca.

    ResponderExcluir
  5. .Ótimo post. Esse carro levanta muita curiosidade e irritação, pois muitos ficam tentados a comprá-lo, mas aí se deparam com a falta de itens de conforto que comprometem a segurança ativa.
    Pena, pois parece mesmo um bom carro. Conhecidos meus que compraram também destacam vários pontos positivos. Mas, o painel realmente mata o carro. Aliás, ficou bem claro o erro de paralaxe nas fotos, boa sacada do post.

    Desconfio que a Toyota ainda vai pagar caro por esse painel. Quando alguém sofrer algum acidente e alegar que a causa foi desvio de visão para poder ler os instrumentos, essa questão vai ser bem revista. Se um tapete que enroscava o pé foi danoso, imaginem um painel que exige que se tire a vista da estrada para poder ser lido. Ainda que só seja vendido em países emergentes.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nesse caso vai chover pedido de indenização pra Citroen e Renault também... Painel central é ruim, mas culpar o fabricante por acidentes alegando isso é demais.

      Excluir
    2. Quem acha o painel central do C4 ruim nunca dirigiu o carro mais que um dia. A visualização da velocidade é muito mais fácil e desvia menos a atenção do que os painéis com a dita posição normal.
      O mostrador fica bem avançado na painel, no pé do para-brisa, não é preciso "olhar de lado" para consultar a velocidade.
      Mas claro, painel central tem que ser digital.

      Excluir
  6. Claudio Fischgold08/12/13 14:25

    Para mim, o difícil de engolir, é uma empresa querer fazer "economia de tostões" colocando o painel no centro. Considerando que volante, pedais, porta-luvas, airbags, etc... continuam sendo posicionados de acordo com o lado do motorista, colocar os mostradores no centro é somente economia não justificável. Só que com uma agravante, levantada neste blog; o desvio do olhar para checar os relógios é muito maior em relação à estrada do que em painéis à frente do volante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aliás, sequer "economia de tostões" é, pois o painel do Etios daqui é diferente do usado no modelo indiano. Por lá, os instrumentos mudam de posição, assim como as saídas de ar centrais (aquelas que ficam empilhadas). Logo, a Toyota está gastando mais com o Etios do que gastaria em um carro que tivesse saídas de ar centrais paralelas e mostradores na frente do motorista.
      O tamanho da burrice da Toyota está impresso se pensarmos que esses mostradores, caso se mantivessem na altura que estão, mas do lado do motorista, seriam praticamente um HUD e tirariam boa parte do impacto que o Peugeot 208 trouxe ao ser lançado. Seria uma belíssima contribuição para a segurança ativa, ainda mais que bastaria só baixar os olhos, fora não haver paralaxe.

      Excluir
  7. vitor marques08/12/13 14:51

    eu tenho um etios 1.5 xls, a questão do velocímetro você se acostuma fácil pois não é necessário desviar muito a atenção, mas o conta-giros é impossível por ser realmente afastado do motorista e o corte vem muito cedo. e até agora não consegui fazer um punta-tacco pois a posição do acelerador e ruim mesmo.

    ResponderExcluir
  8. Corsário Viajante08/12/13 15:19

    O Etios tinha tudo para ser meu próximo carro. Motor eficiente, econômico, custo acessível, parece projetado para rodar 200.000km sem encher o saco. Não é grande a ponto de atrapalhar na cidade nem pequeno a ponto de ser ruim para viajar.
    POr fora é feio, mas é feio de uma forma quase engraçada, excêntrica, eu toparia na cor azul.
    Mas por dentro não dá, não dá mesmo. Painel com erro de paralaxe ou difícil de ver o giro? Não rola para quem gosta de dirigir. O próprio AK falou, tem defeitos que a gente tolera, e defeitos que cortam o barato. O interior do Etios é o maior corta-baratos que eu já vi.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corsário
      O problema do quadro de instrumentos central é menor. O grande erro no Etios é serem o velocímetro e o conta-giros analógicos e não digitais como no Citroën C4 Picasso, por exemplo, em que basta um relance para se ter a informação procurada.

      Excluir
    2. Falou tudo. Estou planejando trocar de carro nos próximos meses, e nem cogito o Etios (que já vi de perto), apesar de todas as qualidades citadas. Nem ligo muito para o exterior (afinal, tenho um Logan do "antigo", he, he!), mas este interior do Etios é,digamos, "iningolível", he, he, he! E pelo mesmo preço, tem uma opção que considero muitíssimo boa, e está bem cotado na lista de possíveis substitutos ao Logan: Nissan March 1.6 S.

      Excluir
    3. O jeito é comprar aqueles contagiros enormes com shift light, que os carros preparados e os vileiros usam.... e fixar bem atrás do volante. Só que vai ficar bem xuning!

      Dá até pra por aquelas colunas de instrumentos com uns 2 ou 3 reloginhos, dando pra puxar sinal do tanque e da temperatura do motor... mas aí é refazer o painel.

      Excluir
    4. Mr. Car tem um excelente substituto: Nissan March 1.6 S. Comprei um. Prêço muito bom, comparado ao Etios. O March é perfeitinho, em tudo: dirigibilidade, motor, espaço interno (pra classe deles), consumo (muito bom), torque na rotação ideal. Fiz o teste drive, gostei e comprei. Surpreendo-me ainda mais com ele no dia a dia. Aliás, é como os carros da Nissan (tenho 2), quanto mais dirige mais gosta.

      Excluir
    5. Corsário Viajante09/12/13 13:38

      Bob, esta seria uma das várias soluções possíveis. Não vejo problema em ser no meio, poderia até ser algo legal, diferente, excêntrico, mas desde que o uso fosse viável.
      Mr. Car e anônimo 12:17, tbm pensei no March, mas no SV. O que pesa contra para mim é que mudará ano que vem quando for fabricado aqui, pois rodo muito e fico muito tempo com o carro, então sou muito sensível à manutenção e disponibilidade de peças.
      Anônimo 16:43, nem precisa disso, é só comprar um GPS e fixar na frente do motorista, ou baixar um daqueles aplicativos de celular que "conversam" com o carro e mostram tudo, inclusive rotação, e fixar com ventosa no vidro. Soluções "pós-vendas" existem várias, mas eu pelo menos não vou escolher por um carro que exija este tipo de coisa.

      Excluir
    6. Endosso plenamente a compra da alternativa, March 1.6 S, comprei para a minha filha e adoro "roubar" emprestado... super ágil, menor raio de curva que já vi, motor forte e econômico, bom na cidade e estrada... Pode comprar sem medo!

      Excluir
    7. Foi minha dúvida final na compra do carro: Etios ou March (1.6). Li diversas avaliações (ambos pareceram bons para o q eu queria e são de duas marcas de respeito), olhei na concessionária (aqui o Etios perdeu muitos pontos comigo, a mexida black piano ficou com aparência de limpeza de sujeira, além de ter ficado longe do meu gosto), medi meu bolso (aqui o March ganhou pontos comigo) e minhas necessidades (empate). Fiquei com o March e estou gostando muito

      Excluir
    8. Corsário Viajante20/12/13 12:28

      Fiz test-drive nos dois. Os bancos de ambos são incrivelmente altos, chega a ser irritante. Além disso em ambos o encosto é regulado por um sistema horrível, que deixa o encosto bobo e vc tem que ficar pulando para ajustar, deveria ser por catraca milimétrica (acho que chama assim). NO march o banco ainda me parece muito estreito, não consegui ficar numa posição boa de dirigir.
      Nenhum tem regulagem de profundidade no volante, só de altura, mas o sistema da toyota é melhor eo volante não "cai" como o da Nissan ao ser destravado.
      Em compensação, o motor da Nissan é mais empolgante, inclusive pelo barulho que emite, uma espécie de assobio conforme enche, dá vontade de pisar. O da Toyota é transparente, não chamou minha atenção nem pro bem nem pro mal, me parecem dois bons motores mas o da Nissan tem um toquinho bem pequeno mais entusiasta - foi o que senti no curto test-drive.
      Agora, os painéis... A nissan coloca um mini-micro-ridículo conta-giro num cantinho, com um computador de bordo pequeno e de operação complicada. O do Etios é menos pior ao vivo do que imaginava, até toparia o painel, mas realmente fica sempre meio estranho, não dá muita certeza. Como bem disseram, este painel, do jeito que é, atrás do volante seria legal, ficaria similar ao do 208.
      De forma geral, os interiores são ruins, mas a Toyota fez algumas coisas horríveis como botões de vidros sem luz nem sequer grafismo, é só um pedação de plástico preto.
      No fim, os preços são muito similares, mas nenhum me empolgou, principalmente pelos péssimos bancos com pouca ou nenhuma regulagem.

      Excluir
    9. Eu também pensava que esse sistema "milimétrico" fosse melhor, até me acostumar com o do Palio que deve ser desse sistema ou semelhante. Ele é muito mais prático.

      Eu gostei muito de dirigir o Versa. Interessante é o motor depois das lombadas que enche rápido. Em terceira, ele é superior ao meu Palio 1,6-l em segunda. Pena que ele é muito compridão, hehehe...

      Excluir
  9. AK e Bob: como é que fica a questão da legislação em relação a esse cinto de segurança sem regulagem de altura, que lembro ter lido em algum lugar que o cinto deve ter pelo menos dois pontos de ancoragem disponíveis (como ocorre no Uno, em que na coluna existe um orifício coberto por uma tampa para se modificar o posicionamento do cinto). No Etios parece que não há esse ponto extra.
    E será que o problema da paralaxe do quadro de instrumentos não se resolveria orientando o fundo dos mostradores para o lado do motorista? Quero dizer, não o quadro todo, somente sua parte interna, como se fosse a regulagem de um retrovisor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É facultado ao fabricante dispor ou não de ajuste de altura de ancoragem do cinto na coluna, inclusive mais um ponto de fixação. Mas é sempre bom se contar com esse ajuste, sem dúvida. / Sua sugestão resolveria em grande parte o problema de leitura, embora o ideal mesmo fosse partir para o digital, talvez até mais barato hoje que o analógico.

      Excluir
    2. Acho muita má vontade da Toyota não ter adaptado alguma peça de prateleira, afinal, ela tem modelos com painel central e mostrador digital. Custaria tanto adaptar isso dentro do quadro do Etios?

      Excluir
    3. Bob, pela altura em que estão os mostradores do Etios, se eles estivessem do lado do motorista teríamos o mesmo efeito que há no Peugeot 208 no que tange à rapidez de consulta.

      Excluir
  10. Obrigado pela análise Arnaldo!

    É um automóvel para colocar na balança - não, não aquela do painel! - os diversos pontos analisados no momento da decisão de compra. Claro, sem esquecer também dos pontos à longo prazo (manutenção, seguro, depreciação etc).
    Uma pena que no dia do vídeo estava chovendo e o trajeto não favorecia uma aceleradinha a mais...

    Este automóvel parece boa compra para "frotistas" (boa mecânica), desde que tenha preço competitivo frente as demais opções. Poderia pulular nas ruas, sendo um verdadeiro popular ($) - o primeiro carro de muitos, assim como FIAT Uno desempenhou tal papel anos atrás, e neste papel mais do que o VW Gol (o VW Fusca reinou "literalmente sozinho" em sua época sem concorrentes).

    Apesar do Brasil fazer parte do BRIC, acho que por aqui o Toyota Yaris teria melhor aceitação. Os consumidores concordariam em pagar um pouco mais e levar algo que tivesse mais a imagem que esperam da marca. Vejam só:

    Toyota Yaris
    http://www.toyota.com/yaris/photo-gallery.html
    Logo seria chamado de "Corollinha", não duvidem.

    E por curiosidade, vejam isto:
    Etios Motor Racing Trophy
    http://www.toyotaetiosmotorracing.in

    Etios Motor Racing India
    http://www.youtube.com/watch?v=Sa4XKn68bUE
    http://www.youtube.com/watch?v=7kdd0QqFwjc
    Etios (sedan) e Etios Liva (hatchback).

    Toyota Etios Motor Racing Bangalore Launch (sedan / hatchback)
    http://www.youtube.com/watch?v=yxn9hsock6U

    Toyota Etios liva TRD Concept Car (hatchback)
    http://www.youtube.com/watch?v=0UyjyJfGVZo

    Toyota Etios Motor Racing Trophy - 2013 - The Practice
    http://www.youtube.com/watch?v=t4kNTnLJO6A

    Toyota Etios Motor Racing Car On Race Track - Hot Lap Demonstration
    http://www.youtube.com/watch?v=ou2B6oxhjcM

    E para terminar, uma olhadinha no facelift 2013 lá da Índia:
    Etios/Liva - Facelift Review (2013)
    http://www.youtube.com/watch?v=DuMgLfWMMCI
    Não ficou mal! Quer ser um Toyota Camry, olhem só...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sei que sou um chato, mas realmente não me conformo, e vou bater sempre nesta "tecla": o último link sugerido pelo Allan, mostra os Etios indianos com seus interiores clarinhos. Só isso, já os deixa bem mais agradáveis que o nosso! O mesmo ocorre com o Logan e o Versa, por exemplo. Visitem sites desses carros no exterior, e confiram. Lanço aqui a campanha "Interiores claros para o Brasil, JÁ, AGORA, IMEDIATAMENTE, PARA "ONTEM"!!!

      Excluir
    2. Pior que a Parati G2 daqui de casa tem um interior bem mais claro que os carros normais e de fato deixa o carro até bem agradável. Diferencia (positivamente) das massas.

      Nada contra interior preto, não ditaria minha escolha ao comprar um carro.

      Mendes

      Excluir
    3. Como carro pra brasileiro tem que ser pau pra toda obra, é dificil alguém gostar de interior claro, que suja fácil quando se leva criança, peão, amigo porco, etc e tal...

      Mas parece que aos poucos a moda está pegando por aqui: a manolada está botando couro creme nos bancos (couro não suja igual tecido), e está até abdicando das peliculas nos vidros para exibir o interior!

      Excluir
    4. Anônimo 08/12/2013 19:47 hs: se a maioria dos brasileiros é porco, além de não impor regras dentro de seus carros, isto não me inclui. No meu carro, entre outros cuidados, não se come, não se bebe nada além de água pura, não se transa, não se coloca pés nos estofados ou no painel, etc, etc, etc...Isso de "suja fácil" depende de ter ou não um dono porco. Carro meu não suja.

      Excluir
    5. O Jetta oferece a opção de interior claro e certamente é a opção mais vendida. A maioria das BMW que vejo também tem interior claro. Mas a mesma VW também oferece o extremo oposto. O Polo vinha com interior todo preto, inclusive a forração do teto. Reconheço que era bonito, mas ainda prefiro o interior creme do Jetta. A outra opção de interior oferecida pela VW na sua linha "premium" é o Café, que é oferecido no Tiguan. No caso do meu carro (Fluence) e também dos Toyota, o acabamento mais claro é oferecido na versão topo de linha, ainda que no Renault seja cinza claro. A própria marca francesa oferece interior creme nos Fluence extrangeiros, o que cairia como uma luva num interior que não e exatamente carismático.

      Lucas Franco

      Excluir
  11. Pois é, todos os defeitos foram comentados e se fossem corrigidos, certamente o carro seria um sucesso de vendas.

    Quanto ao painel, eu acredito que a ideia foi do "Grand Chefe", e certamente os engenheiros tem receio em criticá-lo e ele vai ficando assim mesmo.

    ResponderExcluir
  12. Fiz o test drive do Etios Hatch e se trata de um veículo extremamente agradável em termos de dirigibilidade. Mas o fator externo do projeto foi preponderante para preteri-lo, apesar da superioridade técnica frente aos concorrentes. Uma dúvida, choveu granizo durante o vídeo? Eduardo - Joinville

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Edyardo, o microfone da câmera estava ruim. Acho que esse barulho.vinha do interior da máquina. Troquei de máquina. Os próximos devem vir melhores.

      Excluir
  13. Antônimo do Anônimo08/12/13 18:37

    Um bom veículo...
    MAS...
    Esse painel... Não dá. O conta-giros é difícil de ler pela distância, ok, concordo... mas o marcador de combustível é IMPOSSÍVEL!!!!
    Como o próprio BOB já disse, os citroéns, só pra citar exemplos recentes com quadro de instrumentos centrais, tinham eles com boa visualiação, e se não me engano em alguns haviam as principais luzes espia e conta-giros em frente ao motorista...
    É um bom carrinho, mas pra mim não será opção até a toyota dar um (BOM) jeito neste painel de instrumentos... ou transformando em digital, deixando mínimamente legíveis instrumentos ESSENCIAIS como o marcador de combustível, ou fazendo a coisa certa e colocando ele na frente do motorista, que é de onde não deveria ter saído...

    ResponderExcluir
  14. Parece que passaram a aplicar a mesma pintura do exterior no "cofre" do motor e não somente o primer. E é como disseram aqui, parece-me um bom carro, gostoso de dirigir e durável. Mas tem muitas coisas chatas e difíceis de conviver no dia a dia, a começar pelo painel.

    ResponderExcluir
  15. Puxa Sr Keller, finalmente consegui ver sua imagem, que bom! Gosto muito de suas postagens e essa avaliação ficou perfeita, futuros compradores deste simpático carrinho vão agradecer a você. Minha carreta da JOLIVAN é da frota 1233 escrito bem grande na porta, Quando estiver nas estradas da vida manda uma buzinada e um aceno que eu e o bruto vamos ficar muito felizes. abraços e bom combate.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Luciano, tudo é possível nesta vida, inclusive as coisas boas, não é?
      Jolivan 1233. tá anotado. Se nos encontrarmos a gente para num posto pra tomar um cafezinho. Sei que vc tem muito o que contar de experiências interessantes. Se vc me deixar guiar o teu bruto, eu deixo vc guiar o carro que eu estiver. Espero estar com algum mais apimentado que este do post, e sei que vc vai dar conta de tocar à moda. E deixe o bruto comigo, que eu me entendo com ele.
      Boas viagens. Siga tranquilo.
      abraço,
      .

      Excluir
  16. Olha, vcs certamente já perceberam no trânsito alguns carros apresentarem um ruído metálico (estalo) quando o motorista retoma a velocidade sem reduzir a marcha (retoma a velocidade com o carro no giro da lenta, em 3a. marcha, por exemplo, a 15 km/h). Por isso, acredito que a lenta do Etios seja alta para atender aos motoristas preguiçosos, uma vez que deixaria o motor acelerado e, consequentemente, não prejudicar os componentes do trem de força. Corrijam-me, por favor, se me equivoquei.

    ResponderExcluir
  17. Minha experiência com esse carro: Banco Ruim, não tem vidros elétricos, acabamento MUITO pobre (até mesmo para a categoria), péssimo painel e acabamento pobre = Projeto feito para países em desenvolvimento. Na faixa de preço temos outras opções. Ah, é um Toyota ?? Bom, isso só mostra a preocupação da marca com o Brasil... ou seja, nenhuma para essa categoria! Tenho pena de quem comprou esse carro e pagou esse valor.

    ResponderExcluir
  18. Um carrinho muito gostoso de dirigir , um pecado não ter a opção de cambio automatico , se tivesse disponivel já nessa versão x 1,3 por uns 2 a 3 mil reais , já tinha um na minha garagem . Ao invés de lançarem aquela droga cross , botassem um cambio automatico no 1300 e no 1500 , com a fama de incribaveis da toyota , inclusive de otimos cambios , apesar de antigos cairia como uma luva . Um etios X 1,3 automatico por 36900 ficaria perfeito .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corsário Viajante09/12/13 13:43

      Seria algo bem interessante mesmo. Infelizmente é mais uma idéia legal que a toyota irá ignorar.

      Excluir
    2. Pensei nisso também, câmbio automático. O galho é que no Brasil o câmbio automático sempre vem atrelado a um monte de perfumarias que muitas vezes não queremos e muito menos desejamos pagar para tê-las.
      Se fosse um opcional totalmente em separado, sim, seria ótimo. Na cidade ficaria ideal.

      Excluir
  19. Rafael Ribeiro08/12/13 21:37

    Não compro carro que não me agrade em TODOS os aspectos. Ganho dinheiro com muito esforço e suor, e como carro é sempre caro (ainda mais no Brasil), só compro um que me deixe plenamente satisfeito quanto à desempenho, conforto, estilo, consumo, durabilidade, dentre outras qualidades. Por seus deslizes, o Etios definitivamente não me conquistaria, mesmo com suas qualidades. E olha que já fui um feliz proprietário de Toyota. Esse eu passo...

    ResponderExcluir
  20. Fiz o teste drive no Etios. Sem olhar o painel, que já achava horrível, gostei do comportamento dinâmico, suave nas trocas, o câmbio muito bem resolvido em conjunto com o motor da conta do recado...Mas precisava olhar para o painel e parecia que nada estava no seu lugar, nem relógios, nem marcador de combustível (mínimo, com barrinhas) pois é, pelo valor cobrado pela Toyota, ao menos um painel decente esse carro deveria ter. A vendedora tentou justificar dizendo que era só acostumar, mas como dirigir para frente olhando para o lado? Com ela calada, devolvi o carro muito decepcionado, uma pena!

    ResponderExcluir
  21. O senhor disse em outra avaliação que o motor sobe e desce de giros rápido, como se o volante motor fosse leve. Será que é isso que influencia na marcha lenta ser tão elevada para os de hoje?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também notei isso, na lenta sobe e desce de giros num beliscar. Também tenho a sua dúvida, e aí Arnaldo?

      Excluir
    2. André e Anônimo,

      vou dizer o que? Vou dizer que sei o quanto pesa o volante desse motor e depois opinar se esse peso está certo ou errado?
      A subida e descida de giros dele é normal. Nada de mais.
      O mais provável é ser erro do conta-giros, que está lá mais como peça decorativa. Afinal é pra isso que serve para 99% dos motoristas.

      Excluir
    3. Minha dúvida era se volante aliviado pode deixar a calibração da lenta mais alta, e não do carro em si.

      Tinha notado isso no 1,5, o mesmo em que na sua avaliação passada

      Excluir
    4. Anônimo, eu te entendo, mas não posso crer que tenham sido obrigados a isso. Pelo ouvido se nota uma lenta normal, serena e lisa. Uma belezinha. Bom motor. Isso a Toyota sabe fazer muito bem.

      Excluir
  22. "Temo que tenham obedecido a uma dessas “pesquisas de opinião” em que teimam em consultar gente que não é do ramo."

    Perfeito comentário, Arnaldo. Um dos melhores exemplos é quando os "entendidos" comentam: só de você olhar o freio o carro pára! Resultado: carros com péssima modulabilidade do freio, inevitavelmente travando as rodas numa frenagem de emergência. É perceptível como alguns carros mudaram (para pior) o acionamento dos freios ao longo dos anos. Astra e Palio são alguns deles. Mas o esperto consumidor brasileiro gosta, afinal só de você olhar para o pedal o carro pára....

    Aliás, ser enganado é o tesão nosso. Vide os ponteiros da temperatura encostados na parte fria e o do nível de combustível que custa a sair da posição cheio mesmo depois de rodar bem.

    Abraço

    Lucas CRF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucas, sobre freio que para só de você olhar (ou mesmo pensar sem de fato ter acionado), fico com algumas preocupações, especialmente no caso da GM, pois esta sempre teve tradição de freios com ação bem pronta, mas facilmente moduláveis.

      Excluir
    2. Lucas, outros melhoraram isso. O do Corolla, por exemplo, era ralou, travou. Já agora está bem bom.
      Em vez de gastarem uma grana com essas pesquisas escalafobéticas, bastaria seguirem o que o AUTOentusiastas recomenda e boa. Não é?

      Excluir
    3. Ô se é! Puxa, se lessem (pode até ser que leem, mas se dessem a devida atenção) quanta coisa iria melhorar. Aceleradores eletrônicos com regulagem decente, câmbios bem escalonados, diminuição em algumas dimensões, catalogo realmente variado de cores e acabamentos( não, aquela babaquice do uno de zilhões de combinações idiotas não vale) e o mais importante: a volta de versões com cambio manual. Tô pedindo muito?

      Abraço

      Lucas CRF

      Excluir
    4. Não, Lucas, você não está pedindo muito, não. E por mim coloque a tração traseira em carro pequeno e barato. Um Chevettinho moderno, aí...

      Excluir
  23. O carro é muito bom ,mas vou chover no molhado aqui ,esse painel é muito esquisito ,imagina esse carro num track day ,como seria a interação do piloto com os indicadores o tempo todo ?

    ResponderExcluir
  24. Esqueci de comentar sobre o espelho no para sol ,o que vai ter de mulher batendo o carro...rsrsrs.

    ResponderExcluir
  25. "tal qual a balança Filizola "...rsrsrs, isso termina com a moral de qualquer painel de carro!

    Bem, para quem não gosta de beleza, muito conforto ou status, mas gosta realmente de guiar, o Etios é uma boa pedida.

    Andei forte com o 1.5 e gostei muito dos comandos primários, e da pegada robusta do motor que está sempre presente, ele é bom de tocar, incentiva o dirigir para quem gosta...pena ser tão...indiano!

    MFF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corsário Viajante09/12/13 13:45

      MMF, só existe um detalhe, vou repetir, quem gosta de guiar normalmente gosta de ver de forma clara e direta a velocidade, o giro...
      Eu sei, vc vai responder como da outra vez, "toque de ouvido"... hehehehe
      Abraços!

      Excluir
  26. 6000 rpm pra um motor japonês é decepcionante pra quem conhece carros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É como ir embora bem no melhor da festa, bem quando o bicho está pegando. É por aí.
      Mesmo assim, esse motorzinho é tão bom que deixa o Etios rápido. Mas nesas pesquisas nenhum "potencial comprador" deve ter chegado nem perto das 6.000 rpm, com medo do "motor estourar".

      Excluir
    2. O que ajuda também é a pouca massa do carro. Não acho esse motor isso tudo.

      Excluir
  27. ele ainda usa tanquinho de gasolina?
    o estepe fica no lado de dentro ou é por bandeja?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corsário Viajante10/12/13 11:00

      Duas ótimas perguntas. Também gostaria de saber!

      Excluir
    2. Mantém tanquinho e estepe dentro.

      Excluir
  28. 1) Gostei do mecanismo do limpador único de para-brisa. Abrange uma belíssima área e praticamente faz pela via barata aquilo que um Mercedes W124 faz com um braço que se ergue e volta;

    2) Esse painel Filizola é problema dos bons mesmo. Além do erro de paralaxe na leitura, a solução adotada para o modelo 2014 piorou ainda mais a coisa. Por que dificultar a vida do motorista ao sonegar algo tão simples quanto uma regulagem de intensidade da luz?

    3) No vídeo ouvi muito barulho de pingo de chuva batendo no teto do carro. Tudo bem que é um veículo dos mais simples, mas pelo visto não deve ter qualquer isolamento acústico no teto. Arnaldo, você confirma isso?

    4) Que bom ver que no modelo 2014 pintaram o cofre na mesma cor do veículo. Aquela coisa só no primer do modelo 2013 só serve mesmo para que alguém saiba se um Etios foi ou não batido, e só;

    5) Arnaldo, você falou que o Etios foi pouco erguido. Agora fico na dúvida sobre se o indiano tem os braços de suspensão retos ou se também recebeu esse pouco erguimento. Pelo que sei, o normal de altura livre do solo de qualquer Toyota é 16 cm (até mesmo no Japão, quando olhamos as fichas técnicas, vemos esse valor). Salvo engano, a plataforma do Etios é derivada da usada no Yaris da geração passada, o que gerará a pergunta sobre se nesse ponto foi carryover do modelo em questão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, esse barulho de cláck, cláck, vinha do microfone interno da câmera. No carro ia tudo muito bem.
      Troquei a câmera. Os próximos vídeos devem vir melhores. Sorry.
      Pingos de chuva no teto. Não notei, mas não excluo essa possibilidade, já que anos atrás notei isso em um Civic da geração anterior quando foi lançado. Me desculpe por não poder afirmar com total certeza, mesmo porque não peguei chuva brava.
      Costumo reclamar de carro erguido, mas desse não está erguido a ponto de eu reclamar, e olhe que sou meio chato quanto a isso, sei que fico martelando nessa tecla. Por mim, pode ficar como está. Na Índia deve ser a mesma coisa. Lá a coisa também não está pra peixe.

      Excluir
  29. Toda fábrica faz o carro pra ter lucro observando o que ficou sabendo do público alvo por meio de pesquisa. Desnecessário, pedante, jogar pra torcida, que para virar carro de entusiasta precisa mudar o carro segundo conceitos de outros. Se este carro não agrada ao entusiasta, é só dirigir-se à concorrência, um March 1,6 agrada mais na classe e custa pouco, por exemplo. Cada um na sua, comprando o que lhe convém.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. JCO, o que você chama de pedantismo é pura opinião técnica baseada em nossa experiência. Os leitores deste blog aqui chegam em busca disso e é isso que procuramos oferecer.
      Pesquisas de opinião devem ser feitas sobre cores, tecidos, tato, decoração, espaço interno, multimídia, design, etc, mas para como será dirigir um carro, isso deve ficar para quem sabe.
      Quando a gente pega um carro pra guiar, de cara notamos se ali teve mão de quem sabia tocar ou não.
      .

      Excluir
  30. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  31. Mr. Car Se quer um carro com interior claro pega um Gran Siena com acabamento sublime.

    Cerberosph

    ResponderExcluir
  32. O painel não é o mais frustante. O pior é o punta-tacco que, pra mim que tenho 1,98, não há jeito de sair. Mesmo para os 'normais' quase impossível como disse o Arnaldo.
    É claro que são poucos os compactos que vão me dar uma posição satisfatória de dirigir, mas o Etios sacrificou claramente alguns centímetros preciosos do trilho do banco em benefício do passageiro traseiro. Minhas pernas ficam desconfortavelmente flexionadas enquanto há um caminhão de espaço atras de mim. No Fit, por exemplo, isso não acontecia e eu sentava atrás de mim tranquilamente.
    Um elogio, o mecânico gostou muito do acesso para manutenção do motor; tudo muito bem disposto.
    Meu pai, não entusiasta, é proprietário de um XLS. Se tiverem alguma dúvida ainda é só mandar.

    ResponderExcluir
  33. A impressão que dá é que a Toyota quis reinventar a roda. Fez umas bobeirinhas só pra aparecer diferente, mas sem sentido algum.

    João Paulo

    ResponderExcluir
  34. Corsário Viajante10/12/13 11:15

    Vou perguntar sério, embora pareça impróprio, não é, ok?
    Quanto ele pagou e porque escolheu especificamente o Etios?

    ResponderExcluir
  35. Nada impróprio, afinal estamos aqui pra isso. 36k (se quiser te digo como). Ai o meu velho, 68 anos, não entusiasta, aplicou o famoso custo/benefício (36k / Toyota +1.5 + "completo"+ prata) e fechou o negócio.
    Discurso da concessionária do interior paulista onde fizemos o negócio: "precisamos nos livrar dos Étios pra aumentar o estoque de Hilux". KKKKKkkkkkk.

    ResponderExcluir
  36. A Toyota está dando um tiro no pé com esse carro. É só consertar o painel. Aí venderá bem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso aí.

      Foi o único motivo para não comprá-lo, mas ninguém tira a teimosia desse japas.

      Excluir
    2. Eu comprei o 1.5 XLS e digo que o carro é muuito bom, a questão do painel é muito individual, eu e minha esposa nos adaptamos muito bem. O carro é muito agradável de guiar mesmo na cidade, um foguetinho, a suspensão é ótima, econômico, com espelhos elétricos, limpador do para-brisa abrange uma área maior do que os outros carros, ABS, Air Bag duplo, porta-malas elétrico totalmente forrado, volante em couro, Cd Player com entrada USB, as únicas coisas que achei estranho é o lugar que botaram o macaco - embaixo do banco do motorista e a alavanca que destrava o tanque que fica no assoalho junto a porta do motorista o que não interfere em nada. Eu antes de comprar achava o carro feio por fotos e filmagens, porém quando vi e andei não tive a menor dúvida em comprar, sem falar na pechincha do preço. A cada dia que passa tenho notado mais Etios nas ruas. Eu tinha um Ágile e não sinto falta nenhuma, apesar de possuir mais itens de série.

      Excluir
  37. Fazia tempo que não lia uma matéria tão bem feita e rica em detalhes importantes.
    Realmente vocês escreve muito bem e entende de automóveis... e bem que poderia dar uma aula para a Autoesporte.

    Abraço

    ResponderExcluir
  38. O teste de 60000km da revista quatro rodas informa que o Etios é o carro que mais agrada aos motoristas. É a qualidade que não da pra ver, só dá pra sentir.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.