CONVERSA DE PISTA

Michael Schumacher durante evento promocional da Ferrari (foto Ferrari F1)

Michael Schumacher está em coma induzido após sofrer acidente quando esquiava em Meribel, na França. Prognósticos sobre sua recuperação são reservados.

O heptacampeão mundial de F-1 está internado no Hospital Universitário de Grenoble (França) em coma induzido, condição que os médicos locais adotaram como melhor solução para avaliar as conseqüências de um acidente quando o alemão praticava esqui na neve na estação francesa de Meribel. Na queda Schumacher chocou-se contra uma rocha em uma área não aberta a esquiadores amadores e, segundo o professor Jean-François Payen, que assiste ao piloto, “se ele não estivesse usando capacete ele estaria morto a esta altura dos acontecimentos”. Para aliviar o inchaço e melhorar a irrigação sanguínea do cérebro Payen e o professor Stephan Chabardres também decidiram por induzir o corpo do piloto a temperaturas mais baixas, forma de reduzir a necessidade de oxigenação cerebral, o que também contribui para aliviar o inchaço.

Até ontem à noite os médicos que atendem Schumacher evitaram dar maiores detalhes sobre os próximos passos a serem tomados e explicaram que em casos semelhantes a avaliação é feita em intervalos horários, ocasião em que é checada a evolução do quadro clínico do paciente. A indução ao coma é expediente normal em situações parecidos e já foi utilizada em casos que envolveram o austríaco Karl Wendlinger e pelo mexicano Sérgio Pérez, após ambos terem se acidentado em Mônaco. No caso de Michael Schumacher dois fatos sugerem otimismo quanto à sua recuperação: até o o momento foi descartada uma nova cirurgia e o seu bom preparo físico. De qualquer maneira, sua situação é grave.

Entrevista exclusiva com Michael Schumacher (foto Acervo O Estado de S.Paulo)

Tive a oportunidade de conviver com Michael Schumacher durante os anos que acompanhei o Campeonato Mundial de F-1 in loco. Apesar de seu estilo agressivo e contestado quando estava ao voltante do seu carro, fora dele o alemão sempre se mostrou uma pessoa afável e educada. Algumas de suas atividades extra-curriculares foram reveladas em uma entrevista exclusiva que realizei após um treino livre em Maranello e publicada, entre outros veículos, na edição de 29 de março de 1996 do jornal O Estado de S.Paulo.  Mais do que um encontro profissional, a ocasião consolidou uma relação tão profissional quanto amistosa, algo demonstrado em outras entrevistas exclusivas que fiz para a Telefe (televisão da Argentina onde trabalhei por vários anos) e para o publicações japonesas e até mesmo em breves mas agradáveis encontros em salas de embarque pelo mundo afora. Por tudo isso e, principalmente, por se tratar de um semelhante, torço para sua plena recuperação.

Freios eletrônicos põem a F-1 em estado de choque

A possibilidade real de instalar controles eletrônicos dos freios nas rodas traseiras dos modelos 2014 da F-1 deixaram as equipes e projetistas da categoria em estado de alerta sobre o comportamento dos carros e a possibilidade de ajustes e balanceamento executados durante a corrida.  Sabe-se que nos Audi e-tron da categoria Endurance, cujos regeneradores de energia estão instalados nas rodas dianteiras, o simples alívio do pedal do acelerador produz um efeito que chega a dispensar o uso dos freio em determinadas ocasiões, tamanha a eficiência do sistema. Supõe-se que num sistema convencional os pilotos tenham mais sensibilidade para avaliar o comportamento do carro as freadas e o processo em si. A adoção de sistemas conhecidos como “brake by wire”, porém, cria um novo ambiente de trabalho, por assim dizer, que trará novas oportunidades técnicas, estratégicas e a capacidade de avaliar a habilidade dos pilotos de maneira inédita.

Acelerando

Ao final de um ano marcado por uma grande perda pessoal e dificuldades que mexeram com o mundo do automóvel em planos burocráticos e práticos, as oportunidades de juntar-me ao time do AUTOentusiastas e participar ativamente de mais um Congresso da SAE Brasil serviu para manter o tanque cheio e seguir adiante. Agradeço ao apoio dos idealizadores deste portal e aos leitores que contribuíram para tornar esta coluna cada vez mais popular. Deixo aqui os votos de um feliz 2014 para todos e a sugestão para assistir, clicando aqui,  ao vídeo da Ferrari e da Shell sobre os preceitos da F-1 do ano que começa amanhã.

WG


A coluna "Conversa de pista" é de total responsabilidade do seu autor e não reflete necessariamente a opinião do AUTOentusiastas.

6 comentários :

  1. É como dizia o Raulzito em seu magnífico tango "Canto Para Minha Morte": "O escorregão idiota num dia de sol, a cabeça no meio-fio"...Resta torcer para que o alemão drible a morte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mr. Car,

      Apesar de tudo, vale a pena viver...

      Abraço e feliz 2014.

      WG

      Excluir
  2. Wagner,

    Obrigado por mais esta excelente matéria, e que em 2014 possamos desfrutar de suas excelentes matérias...

    Saúde á você!!!!

    E que Michael Schumaker tenha uma execelente recuperação!!!!

    Abraços,

    Marco Antonio....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marco Antonio,

      Agradeço as palavras de incentivo e os votos de um 2014.

      QUe o novo ano traga boas notícias em quantidade e qualidade.

      Abraço,

      Wagner

      Excluir
  3. Lorenzo Frigerio31/12/13 20:12

    Lembro-me que há uns 20 anos o Príncipe Charles perdeu um amigão quando foram esquiar "off piste", e tal qual o Schumachão ele também era excelente esquiador. Esperemos que o Alemão se recupere totalmente, pois o cara é como um animal selvagem... "meio vivo" não é uma opção.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.