KEN, UM AMIGO QUE SE VAI


Kenneth R. Thompson (14/04/1949-08/01/2010 )
"Aquela moléstia", como dizia a minha primeira sogra, a dona Dalva, pelo  pavor só de dizer a palavra 'câncer' (ela morreu em 2007 com 102 anos) aprontou mais uma, desta vez para o meu grande amigo Ken, a família dele e, claro, para mim.
Uruguaio de nascimento por acaso, pois é filho de inglês e de escocesa, era um daqueles engenheiros fabulosos que não precisaram cursar uma faculdade, como Ferdinand Porsche. Sua infância e início de adolescência foram na Argentina.
Conheci-o quando me escreveu, por e-mail, e comentou o conteúdo de uma coluna minha em Quatro Rodas, no ano de 2004. No ato identifiquei um sujeito de elavado nível cultural e, pricipalmente, dono de uma redação, no idioma nativo, típico de escritor moderno, dos bons.
Fora o seu incrível embasamento técnico, que me surpreendeu e me deixou gratificado por tê-lo como leitor.
Desse contato inical a trocarmos telefones foi um pulo, seguindo-se um longo período de trocas de e-mails e  muito papo por telefone.
Mas foi só em janeiro de 2008 que finalmente fui à sua casa em São Lourenço da Serra, próximo a São Paulo, perto da rodovia Régis Bittencourt, ocasião em que conheci também sua simpática esposa Ana Cecília e uma filha, de um total de três filhos.
Nesse dia me fiz acompanhar do amigo e jornalista Fernando Calmon, dado que seu ex-cunhado que mora nos Estados Unidos (ficou viúvo da irmã do Fernando, mesma e desgraçada doença, aos 34 anos), conheceu o Ken através de mim e também tornaram-se amigos. Por isso Fernando sempre insistia em chamá-lo quando eu fosse à casa do Ken.
Chamou-nos logo a atenção seu laboratório, com toda sorte de equipamentos e máquinas-ferramentas e projetos no campo da eletrônica e da mecância automobilística em andamento. Um "Dr. Silvana" em versão hodierna...
O Ken se foi cedo demais. Quisera tê-lo curtido mais, mas a correria da vida atual não me permitiu
Transcrevo trecho de um dos muitos e-mails dele para mim para que o leitor tenha ideia de como ele escrevia, de seu estilo inconfundível:
"Glad you get a laugh out of the correspondence ! Without a sense of humour, life could be a grindingly painful experience, and living in Brazil, residents need all the humour they can get to tolerate endless "palhaçada política". Still, thinking better on this, I consider that you might require an even better sense of humour to stand living in England, as the weather is horrible, and there are no beaches, churrasco or caipirinha. It is also full of sixty million "Ingleses chatos" , a further almost insurmountable problem, unless you resort to a thermonuclear solution to the English difficulty. I think three well placed 3 megaton warheads might deal with them quite well, and also save the world from warm beer, another of their more notable gastronomic eccentricities."
Era a sua visão das coisas do mundo, sempre com um ótimo humor, junto com sua sabedoria. Nesse trecho ele fala um pouco de política e da vida
Um amigo novo, amizade feita eu já na terceira idade. Mas que amigo!
Descanse em paz, ou rest in peace, amigo Ken. Mas ainda nos veremos novamente.
BS

24 comentários :

  1. Olá Bob,
    Não posso deixar de ser o primeiro a comentar sua nobre homenagem ao Ken. Como entusiasta automobilístico aprendi muito com ele durante 10 anos de convivência (sou genro da Ana Cecilia). Mas muito mais além do que conhecimento técnico científico, adquiri uma nova forma de perceber a vida e as pessoas. O Ken e uma dessas pessoas que tranformam nossa percepção do mundo e comigo não foi diferente. Deixo aqui saudades e gratidão por ter conhecido pessoa tão especial.

    ResponderExcluir
  2. Olá Bob,
    Não posso deixar de ser o primeiro a comentar sua nobre homenagem ao Ken. Como entusiasta automobilístico aprendi muito com ele durante 10 anos de convivência (sou genro da Ana Cecilia). Mas muito mais além do que conhecimento técnico científico, adquiri uma nova forma de perceber a vida e as pessoas. O Ken e uma dessas pessoas que tranformam nossa percepção do mundo e comigo não foi diferente. Deixo aqui saudades e gratidão por ter conhecido pessoa tão especial.

    Fabio

    ResponderExcluir
  3. Bob,

    Meus sentimentos a ti e à família pela perda do amigo. Somente pela pequena amostra de texto que vc. publicou, dá pra sentir o quão especial é o Ken.
    Certamnete nos encontraremos todos, e assunto não irá faltar...

    Mário Buzian - Ivoti/RS

    ResponderExcluir
  4. A pedido do Miguel Azevedo, publico seu comentário sobre o Ken:
    "Bob,
    Tive o privilégio de conhecer o Ken atraves de você e trabalhar com ele em um projeto para a Federal Mogul Corporation. O lado pessoal você e outros descreveram bem. O perfil profissional, técnico, deixa comigo.
    O Ken era um pensador original. Daqueles capazes de exaurir o conteúdo técnico de qualquer assunto em discussão e ir além, muito além...E esta era a parte que impressionava, porque o Ken era capaz de "dar nó em pingo d'água" tecnicamente! Este tipo de pessoa é uma raridade e eu tive o privilégio de conhecer não uma, mas duas destas preciosidades:
    A primeira, o Prof. Urbano Ernesto Stumpf durante minha estada no CTA. A segunda, Ken Reginald Thompson. Ambos deixaram gravadas indelevelmente suas imagens em minha memória para todo o sempre.
    See you soon, Ken.
    Godspeed.
    Miguel Azevedo
    Ann Arbor - Michigan - EUA"

    ResponderExcluir
  5. Bob,

    minhas condolências à família, ao senhor e a todos os amigos do Ken.

    ResponderExcluir
  6. Dr Rafael Gonçalves Veras Gomes08/01/10 14:23

    Tive a sorte de conhecer o Ken em outubro, pouco após o diagnóstico e no início do tratamento (apesar de médico, o conheci fora da profissão, através de sua cunhada, também médica e amiga de trabalho). Os contatos diretos foram muito breves, porém pude notar a presença de uma figura humana singular e maravilhosa, dono de caráter e inteligência notáveis, que viveu e morreu forte e digno como um guerreiro ! Descanse em paz!

    ResponderExcluir
  7. Não pude deixar de comentar que ainda ontem tambem perdi um grande amigo no auge dos seus 30 anos, triatleta, gente boa, alto astral para a "mesma e desgraçada doença".
    Que Deus os abençoe. Oldparts.

    ResponderExcluir
  8. Ola Bob,
    Meu nome e Mario e tive o privilegio de conhecer o Ken aprox. 20 anos, uma visita na sua casa nao tinha hora para acabar, conversavamos ate de madrugada e quando sai parece que tinhamos esquecido de falar alguma coisa. Vou sentir muito sua falta.

    ResponderExcluir
  9. Ás vezes eu acho que Deus puxa para perto dele as pessoas diferenciadas,talvez seja esse caso citado pelo Bob, o chato é que ficamos sem o convívio com elas , mas para quem Crê nas promessas um dia nos reencontraremos......

    ResponderExcluir
  10. Triste sexta-feira, essa em que recebi a notícia de que meu grande amigo já não está entre nós.
    Ken você deixou uma lacuna, uma ausência sentida, um copo vazio, um espaço que não se pode preencher. Amigo querido,muitos finais de semana estivemos juntos...churrasco,caipirinha, cerveja gelada, e muita conversa sempre densa, pois sempre você discutia qualquer assunto com um teor científico que lhe era peculiar.
    Como disse acima, meu marido Mario,saímos de sua casa, de madrugada, com a sensação de que faltava algo,para falarmos, pois você sempre tinha algo a mais para acrescentar e aprofundar os temas discutidos.
    Perdemos a sua presença, o gosto de sentarmos juntos,de ouvir suas críticas cheias de bom humor ( a última foi em relação a doença, recebida como um pacote indesejado) mas não perderemos NUNCA a memória desses momentos desfrutados em sua companhia. Muito triste ter que dizer: Adeus amigo querido!

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. Ola Bob, eu sou a enteada do Ken que voce conheceu quando foi para Sao Lourenco em janeiro de 2009. Quero lhe agradecer do fundo de meu coracao pela linda homenagem que fez aqui no site e no velorio dele. Infelizmente e com muita tristeza eu nao pude dar adeus a esse grande homem que apareceu na vida de todos de minha familia e principalmente de minha mae, pois estou no exterior, mas me disseram o emocionante "Bravo, bravissimo" que disse em sua partida. Hoje estou mais do que triste, estou inconformada com a vida, porque temos que sofrer e morrer? Essa pessoa muito querida e que gostava demais, morreu vitima dessa doenca que tanto me arrepio quando escuto: cancer. Meu padrasto, um homem maravilhoso, o homem mais inteligente que conheci, um homem que jamais esquecerei se foi, mas querendo viver, lutou e foi guerreiro ate o fim. Descanse em paz Kenneth Reginald Thompson!!!
    Voce foi um grande homem que passou na minha vida, o mundo perdeu muito em nao ter conhecido voce!!! Saudadessssssssssss!!!! Voce nao merecia ter ido assim!!!!

    ResponderExcluir
  13. Perdi um tio meu a poucos dias,em decorrencia da mesma doença.

    Minhas condolências à família e aos amigos,dessa pessoa que aparentemente foi um grande homem...

    ResponderExcluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  15. Querido Bob:

    Sou a filha do Kenneth que o senhor conheceu no velório. Agradeço muito sua presença e sua homenagem tanto escrita como a dada em nosso último adeus.

    Meu pai e eu tivemos uma relação complicada, e infelizmente só refizemos nosso relacionamento nos últimos 20 meses. Eu sempre visualizei meu pai como uma pessoa que viveria até a idade avançada, e que ensinaria o meu filho Arthur (seu primeiro neto biológico) a fazer bombas e explodi-las no jardim.

    Infelizmente a notícia da doença veio, e a previsão de curtíssima sobre-vida. Pudemos pelo menos aproveitar ao máximo este pouco tempo, mas faria de tudo para ter mais.

    Existem horas que choro muito quando relembro o sofrimento dele, e outras horas penso que pelo menos ele não teve um sofrimento estendido....

    Na minha despedida dele na tarde do dia 2/01/2010, eu disse a ele para se cuidar e se alimentar bem, dei-lhe um beijo e o Arthur também, o Arthur recebeu muitos beijos dele neste momento. De uma certa forma senti que aquela seria a última vez que o veria com vida.

    Ele lutou até o final, com muita garra e suportando dores horríveis como se fossem picadas de alfinete. Ele fez um gesto obsceno para Deus e imagino que seja onde ele estiver (no workshop do céu talvez) ele está fazendo a mentalização de transferência do câncer para todos os políticos de Brasília. Eles que se cuidem!

    Obrigada novamente pela homenagem em memória dele.

    Um grande abraço,

    Teresa

    ResponderExcluir
  16. O irmão do Ken, Andrew, pediu-me que publicasse esse comentário:
    "Prezado Bob
    I read your note on Ken, my brother, today. All I can say is thank you, and that is a massive understatement! It really meant a lot to me to see those words and that humour. I'm afraid my portunhol is not good enough to respond on the blog itself, so that's why Im going this
    route!
    I'm based in the (currently frozen) UK, but I do get out to Brazil every now and then (I was able to see Ken in December) so it would be great if one day our paths cross. If you are ever in the UK, do give me a shout!
    Andrew Thompson"

    ResponderExcluir
  17. Anônimo,
    Não me conformo com o fato de apesar de mais 60 anos em pesquisas, não se se descubra a maneira de evitar a multiplicação desenfreada de células. Lamento a perda do seu amigo, uma pessoa tão jovem.

    ResponderExcluir
  18. Obrigado, Pedro Henrique. A família há de ver a sua mensagem.

    ResponderExcluir
  19. Teresa,
    Obrigado por nos contar detalhes pessoais do relacionamento de vocês, mas que servem para entendermos tudo um pouco mais. Que o seu pai descanse em paz.

    ResponderExcluir
  20. Mario,
    Saí da casa dele aquele dia com esse mesma impressão, a de haver muito o que ainda conversarmos. Uma pena ele ter ido tão cedo.

    ResponderExcluir
  21. Sumaya,
    No momento em que o caixão começou a descer para o crematório veio não só a mim, mas a todos ali, a sensação exata de que um bravo estava nos deixando.

    ResponderExcluir
  22. Cale:

    Amigo Ken eu só tive quatro encontros com você.
    Duas vezes na casa da nossa amiga Irai, uma em minha casa e mais uma agora em Dezembro de 2009, eu não tenho o que dizer pois todos aqui já falaram tudo sobre você, só posso dizer como nas duas reuniões das Jurássicas na casa da Irai onde outros que também lá conheci e conversávamos e (como diz o Heraldo da Marilim) o Ken é o nosso Professor Pardal, quem não sabe o que o Prof. Pardal aprontava nos laboratórios de sua casa nas Revistas de historinhas do Disney e assim carinhosamente
    nos referíamos ao Ken nestes encontros e eu sempre ao nos despedir sentia o mesmo que muitos já falaram aqui, faltou falar algo ainda com ele.
    Em quatro encontros somente o quanto consegui aprender com ele.
    Como ele dizia AGORA TENHO ESTA MELECA para brigar, mas como sou descendente de Escocês um Highlands vou brigar e não vou deixar me vencer fácil não.
    Vejam um dos e-mails do Ken para mim.

    Caro Cale,
    Só uma rapida; não tem perigo de encher meu saco. De qualquer maneira, sou decendente do lado maternal de um monte de Escoceses dos Highlands, que primeiro Romanos e depois nogentos Ingleses tentaram matar. Ninguem consegiu, e de igual forma, alguns tumorzinhos malignos não vão conseguir me tirar desta para outra.
    Meu novo visual me poupa tempo e xampu, como também sumiram os cabelos grizalhos. É so vantagem.
    O Tiago Arancam é excelente tenor, e tenho dois CD dele.
    Grande abraço,
    Ken

    Meu amigo como sei que você gosta de CLASSICOS ai vai um link para quem está aqui
    deste lado ainda ouvir e você pode agora ouvir ao vivo, sei que você vai gostar.
    Que você tenha uma boa viagem e vai preparando tudo ai, pois nós também iremos para onde você está não sabemos quando, mas que vamos, vamos.

    Pavarotti Last Performance "Nessun Dorma" @ Torino 2006

    http://www.youtube.com/watch?v=O0Sx5lbVlQA&feature=related

    Carlos Czymoch ( Cale ), Leni e filhos.

    ResponderExcluir
  23. Oi Bob!

    Sua homenagem foi belíssima! Com certeza meu pai está lisonjeado como também todos nós da família. Agradeço muito sua presença no velório e na cerimônia de despedida. É muito doloroso continuar a vida sem meu pai. Sentirei muita falta de sua presença, de suas conversas, de seu humor refinado e sua sabedoria perspicaz, sua criatividade e inteligência... são muitos os adjetivos. Me sentia tão segura com ele por perto e sabia que podia contar com ele para qualquer coisa que precisasse. Tenho orgulho de tê-lo tido como pai e só lamento não ter tido o privilégio de poder ter passado no mínimo mais vinte anos ao seu lado. Sempre achei que ele viveria para ser um velhinho muito simpático que seria a alegria da atual e futura geração da família. Eu acredito que nada desta vida é perdido e que em algum momento no futuro nossos caminhos cruzarão novamente. Até lá ficarei com as carinhosas lembranças dele e muita saudade.

    Quero dividir com você um relato enviado por um primo muito querido do Ken, o Alan. Ele conseguiu colocar em palavras de uma forma muito bonita o que ele sente pela perda do Ken. Nós da família compartilhamos estes pensamentos:

    "On the 31st december night I was told that he was very ill...It came like a shower of cold water...This is more sadening to me than most can imagine, because I had really recently "discoverd" him. I had very little contact with him if any before...just some scarce history and faint memories of the vespa tricycle on which my brother and me were taken to se a pig at The Thompsons place and maurice swiming on high waves in parada 39 or so...Ken was just a far away relative...until the email group was formed, then I felt a very strong connection with him finding lots of things in common, being him of a grater witt that made me follow, sometimes having a tough time to do so, but I was amazed at him and the likehood of thoughts, difficult to transcribe but there was a syncronic understanding.
    We sent mails to ourselves other than through the Barbain group too...very substancial, mails about life, more than technical issues...I really felt connected to him In a way that I have not felt with others...What I feel now besides sorrow is a sence of unjustice, not fair, I wish I had connected earlier in life and that he lived to be a very old and wise man...and that I had had the chance of meeting him as I had with Jim and family...
    Regardless, I know, that our contact, as brief that it was, has left a mark, that will go with me to the end...My wishes? That I will meet him somewhere, someplace, sometime....I still have lots to chat with him...lots!!!
    It feels in a way, not true, not possible...
    A great hug and love to you all, his family...
    Alan."

    Um abraço,
    Vicky

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.