E O ÁLCOOL DISPARA

Foto: Tiago Queiroz/AE

A foto acima, publicada no jornal O Estado de S. Paulo, é de novembro do ano passado. Nas últimas semanas de dezembro o litro do álcool deu outra disparada e agora beira os R$ 2,00.
Duvido muito que esse último aumento tenha algo a ver com entressafra, com chuvas ou com a disparada do preço do açúcar no mercado internacional. Duvido de qualquer fator que não a ganância: em época de festas, quase todo mundo pega o carro para viajar e os donos de postos resolveram garantir seus panetones em cima do consumidor.
É a velha Lei de Gérson, já que ainda é possível encontrar álcool a preços decentes em alguns postos confiáveis da capital. Como ninguém trabalha para ter prejuízo, não resta outra alternativa senão concluir que alguns postos quiseram mesmo ganhar um extra.
Os consumidores donos de carros flex, também adeptos da Lei de Gérson, com certeza nem perceberam que o álcool deixou de ser vantajoso frente à gasolina aqui em São Paulo. Para eles, basta tomar ciência e completar o tanque de seus onívoros com gasolina na volta do feriado. Na próxima semana tudo se normaliza e logo terão a falsa impressão de que tudo vai bem nesse país.
Para os donos de carros movidos apenas a álcool (como eu), resta apenas aceitar o fato de que somos uma espécie em extinção. Ainda que nossos carros sejam mais eficientes, a indústria caminha sem volta para a produção de "onívoros" com taxa de compressão baixa demais para o máximo aproveitamento do álcool.
Afinal de contas, o que importa é levar vantagem.

FB

17 comentários :

  1. Fora o fato de se o álcool sobe a gasolina sobe também. É um círculo podre e vicioso.

    ResponderExcluir
  2. Bitu,
    Acontece assim aqui no Rio, as pessoas abastecem instintivamente seus flex com álcool, mesmo custando algo próximo de dois reais, apenas pelo fato do etanol ser “mais barato”.

    ResponderExcluir
  3. A maneira como a rica e diversa matriz energética do Brasil é tratada me dá nojo, asco.

    O único lado bom dos preços de combustível é que agora talvez dezenas de colegas meus entendam quando eu digo que carro flex é beberrão, pato manco.

    Se a Europa toda tem Diesel e Gasolina, porque no Brasil não poderíamos ter os dois também? Ao invés de maximizar as qualidades dos dois, optou-se por subaproveitar os dois (flex).

    Enquanto o consumidor brasileiro acha que leva vantagem no mês seguinte, está levando "bola nas costas" com os combustíveis mais caros do planeta.

    Se pensarmos economicamente, o último meio de transporte viável em São Paulo seria o automóvel. Mas quais são as alternativas?

    Nenhuma. Use bike? (hahahahaha) ou estação da Sé no pico?

    Eu quero a minha mãe!

    ResponderExcluir
  4. O mundo acabou, isso tudo só pode ser ilusão. Hummm.... não, é pior.
    Eu começo a achar que o povo em geral é burro porque gosta.

    ResponderExcluir
  5. Aqui em Goiânia também fomos brindados com esse presente de Ano Novo...

    Foi de R$ 1,64 para R$ 1,79 em TODOS os postos da cidade na noite do dia 30 para 31 de Dezembro...

    O que eu faço pra protestar contra isso ?

    Simplesmente ao invés de encher o tanque ao abastecer, quase sempre num único posto, eu agora pingo 10 litros por vez, em postos diferentes.

    Se todo mundo fizesse isso o faturamento dos postos cairia num primeiro momento, pois aquele cliente que enchia parou de encher naquele posto... o bolso é o local mais sensível num cidadão...

    ResponderExcluir
  6. O mundo acabou sim, e nós vivemos no ralo do que sobrou, o Brasil. Preço de combustível igual em todos os postos de Goiânia ? no mesmo dia ? puro cartel. Polícia neles !
    Bitu, acordamos o 1 de janeiro com a mesma sensação de pão e circo, correto ? um monte de bobagens de "reveiom", e tudo igual no dia seguinte.
    Impressionante como esse povo é besta.

    ResponderExcluir
  7. Jonas Torres02/01/10 01:35

    Nos caminhos que trafego por São Paulo ainda não vi álcool a mais de 70% do preço gasolina.

    Vale lembrar que o correto é calcular sobre o valor da gasolina aditivada, para assim tentar manter com a gasolina o mesmo poder de limpeza do álcool. Mesmo que empatar, melhor o álcool, pois quem vende gasolina com apenas 25% de álcool?

    Para quem não tem base de quando seu carro possa render com gasolina, vale apena pegar os dados de consumo do fabricante, testes ou o teste oficial do Inmetro. Pois há casos em que com gasolina se consegui muito mais autonomia que os tradicionais 30%.

    ResponderExcluir
  8. Depois de alguns meses vamos coletar informações sobre proprietários que tiveram Honda Fit à gasolina e agora têm o flex.

    Esses entenderão bonitinho o que estamos discutindo.

    ResponderExcluir
  9. Brasileiro típico02/01/10 11:29

    Meu carro é frékis i eu abasteço com arcu ou gasolina, excelente desempenho i economia. Não tem prejuizo, é só aligria!

    E que venha o carnaval!

    ResponderExcluir
  10. Eu não acho que isso seja Lei de Gérson, mas lei de mercado. Se a demanda aumenta, a tendência é que o preço suba. Posto não é instituição de caridade. Acho mais interessante focar em protestar contra combustível adulterado, preços iguais (cartel, proibido por lei) e principalmente: essa putaria de combustível ter 3 casas decimais quando o oficial no país são duas.

    ResponderExcluir
  11. Posto extra anhanguera:

    Gasolina 2.399, Gasolina Ad. 2.459 , alcool 1,77

    Proximo tanque vai ser de gasolina. êêêê que divertido.

    Eu espero de todo o coração que o preço dessa merda de alcool exploda, que esse governo maldito tire o alcool da gasolina e que os importados monocombustível comecem a pegar (dado que o alcool vai ser um mico) e o povo comece a ver como é bom ter um motor bem ajustado para um combustível com economia tipica de um motor moderno.

    PS: Fiquei extremamente surpreso em saber que um carro 1,6 Flex aqui em São Paulo, na gasolina bebe EXATAMENTE a mesma coisa que meu lada Niva 1.6 Carburado.

    ResponderExcluir
  12. Mas fazendo as contas é melhor ter um fréx ou um monocombustível que aproveita o melhor do combustível?

    Porque é engraçado como até mesmo os modernos motores japoneses que chegaram com a vantagem de serem econômicos e possuir potência similar agora não são mais.

    ResponderExcluir
  13. Aqui no RS o litro da cana está R$ 2,20...portanto por aí ainda está barato...

    ResponderExcluir
  14. Marcelo Augusto03/01/10 18:08

    O pessoal também é bem burrinho: quer rodar com álcool fazendo a mesma quilometragem do que com gasolina.

    Essa história citada do Old Fit x New Fit prova isso: o carro aumento a potência específica, a massa, piorou a aerodinâmica e ainda querem consumo igaul ao modeloe anterior?

    Um Kia Picanto somente a gasolina, faz a mesma quilometragem que o New Fit usando gasolina, segundo os dados do ranking do Inmetro. Onde está o prejuízo em o carro ter se tornado flex?

    ResponderExcluir
  15. @Marcelo Augusto,

    Outro exemplo pra ficar mais claro. Eu tive um Renault Clio 1.0 16V gasolina. Depois tive um ou Clio - igual - flexível.

    Com gasolina nos dois tanques, ambos com 50mil km, mesmo dono, mesma cidade e trajeto... o flexível consumia 15% a com gasolina que o antigo, monocombustível.

    Só pra lembrar também que o Fit ficou flexível ANTES de trocar de modelo... os últimos dos antigos já eram flex.

    Pra quem roda pouco talvez a diferença não seja "sentida", mas pergunte a frotistas daqui a 6 meses...

    ResponderExcluir
  16. Acredite...ao lado da casa dos meus pais, na Asa Norte (BSB), tem posto cobrando R$2.10 pelo litro de álcool...

    ResponderExcluir
  17. Ih! R$2,10 em brasília é coisa do passado, agora vai aumentar para incríveis R$2,23!!!

    Quero ver qual estado da federação supera o DF agora!

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.