NISSAN GT-R: PARTE 2


Voltando no assunto GT-R e as explicações do Sr Mizuno sobre o desenvolvimento do carro, levantamos mais algumas informações e detalhes do release da Nissan no lançamento do carro. Pelos comentários dos leitores no post passado, alguns acharam que foi mais um jogo de palavras que realmente uma grande sacada de projeto do carro.

Abaixo há duas imagens com um comparativo com alguns concorrentes, o primeiro mostra a posição do CG e a capacidade de tração, que juntos mostram que o GT-R aproveita melhor a transferência de carga nos pneus para gerar tração. O segundo mostra novamente a capacidade de tração, em função dos pneus traseiros, com a potência disponível no motor, fazendo um conjunto mais eficiente.




Sobre a questão da construção do carro e o peso elevado ser um ponto definido no projeto, também não acredito que na reunião de definições sobre os targets de projeto alguém tenha dito "Eu acho que o carro deve pesar exatos 1.740 kg". Não, com certeza, mas pelo conceito construtivo escolhido e as premissas de package e conforto, não seria muito diferente disso. Abaixo uma explicação dos materiais empregados na construção do carro.


Notem que a estrutura é de aço com alguns pontos em alumínio (em roxo). Um monobloco com aço e alumínio já é um projeto mais refinado, e há detalhes na parte dianteira e no assoalho em fibra de carbono, este estrutural e de baixo peso. Materiais nobres foram utilizados no carro, mas só em locais estratégicos, que justificam o ganho de desempenho com pouco aumento de custo.


O peso alto não é uma falha do projeto, é uma conseqüência das premissas utilizadas. Se a Nissan fosse fazer um supercarro de materiais nobres, seria como o Lexus LFA, que custa uma fortuna e não é tão mais rápido assim. Mas eles optaram por uma construção convencional, mais barata, e o elevado peso consequente foi usado a favor no desenvolvimento da dinâmica, em um trabalho genial de tração, suspensão e pneus.

A grande sacada da Nissan foi fazer o carro mais rápido e mais barato que o concorrente principal, o 911 Turbo, empregando soluções mais baratas (mas não menos engenhosas) e mantendo o carro confortável e de fácil pilotagem. Novamente no comparativo com os concorrentes, demos uma limpada na tabela que o Carlos nos mostrou na primeira parte do post, e com outras informações adicionadas. Fica bem claro que nesse aspecto, a Nissan foi bem-sucedida. Vale lembrar que o preço abaixo é no mercado americano. Como não temos informação do custo de fabricação dos carros e margem de lucro do fabricante, não podemos avaliar qual é mais lucrativo, mas essa nem é a questão, pois o que estamos analisando é a relação do custo-benefício para o comprador, que não está nem aí para o lucro do fabricante.

O Corvette ZR-1, um dos nosso favoritos, é mais rápido, mas já entra em outro conceito de carro, com construção diferenciada, materiais diferentes e outra visão de mercado. Mesmo assim, é mais caro que o GT-R, bem mais caro.

O desenvolvimento do GT-R foi feito muito em cima da tecnologia de pneus. A Dunlop desenvolveu uma linha especial para o carro, nas medidas 255/40ZR20 para a dianteira e 285/35ZR20 para a traseira. Notem que a diferença de largura é pequena, indício claro do equilíbrio do carro. A variação de carga vertical por transferência lateral e longitudinal nas quatro rodas é muito controlada, fazendo o melhor uso dos pneus e da tração integral.


Também houve um grande investimento no estudo da aerodinâmica no GT-R, principalmente na parte de fluxo interno (pelo cofre do motor e assoalho), que gera downforce nos dois eixos do carro, privilegiando ainda mais a tração em alta velocidade, obviamente não como um carro de corrida, como o Sr Mizuno comentou em um dos vídeos, no caso o Nissan de Le Mans.


Com a colaboração de um de nossos leitores, vejam abaixo o vídeo de Bruno Senna pilotando o 911 Turbo e o GT-R pelo programa de televisão inglês Fifth Gear. Reparem como ele fala sobre o comportamento o 911, com "a frente leve em velocidade e um pouco assustador no limite", enquanto que o GT-R "é muito mais fácil de guiar no limite, basta apontar a frente para entrada da curva e pronto, nem preciso olhar para frente!" E no fim do teste, o GT-R foi meio segundo mais rápido que o Porsche, praticamente pela metade do preço. Eis o grande ponto do GT-R.



Acima uma explicação da Nissan sobre a vantagem das características de tração do GT-R, que permite uma tocada diferente e deixando o carro frear mais dentro da curva e acelerando antes que os concorrentes, que é visível no vídeos que vemos do carro em pista. O Senna comentou que o Nissan freia muito bem, mas não tanto quanto o 911 Turbo, mas não é demérito pois o Porsche é um dos melhores carros em frenagem do mercado.

Enrolação ou não, o Godzilla é uma das melhores opções do mercado para alto desempenho, conforto, com preço inferior aos concorrentes.

23 comentários :

  1. Agora quem ainda não tinha entendido o post anterior não tem mais como discutir. Ninguém faz um carro de alto desempenho com 1740kg só pra ser diferente. Como o Milton bem ressaltou, isso é conseqüência direta de uma das premissas do projeto, o custo inferior ao dos concorrentes. Quem tem contato com engenharia automobilística ou simplesmente com materiais sabe o custo da utilização de materiais nobres em larga escala. E a tabela de dados mostra que eles atingiram os objetivos com louvor, sabendo aproveitar o lado positivo da maior massa do veículo e a distribuindo da melhor maneira possível.
    Está provado que só potência e baixo peso não fazem com que um carro seja o mais rápido. Tem muito mais coisa por trás, como a distribuição da carga estática nos eixos e a posição do CG e sua enorme influência na transferência de cargas. Isso sem falar nos pneus e em mais algumas dezenas de fatores...

    ResponderExcluir
  2. Ivo Junior23/12/09 07:44

    Parabéns Milton, gostei dos detalhes.

    Aliás, onde consigo mais fotos do GT-R (como aquela do drivetrain), com tamanho maior e esta resolução?

    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Ivo Junior23/12/09 08:02

    Milton, encontrei esses sites da Nissan:

    http://press.nissan-global.com/PRESSKIT/NISSANGTR/0710/ENGLISH/index.html

    http://press.nissan-global.com/NISSANGTR/EN/photographs3.html

    Valew msm assim. Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Fiquei matutando qual a diferença entre Usian Bolt e Kenenisa Bekele, respectivamente os melhores no 100m e 10000m rasos, atletismo.
    Bolt é muito mais pesado, mas seus músculos estão no lugar certo, para lhe trazer performance onde este se aplica, o mesmo para o Queniano. Ele não seria tão veloz, se tivesse 5kg a menos.
    Guardadas as proporções da comparação e, com liberdade para as desproporções de minha analogia, esta discussão a respeito do peso de supercarros esportivos está sendo bastante construtiva.

    CZ

    ResponderExcluir
  5. Ótimo post Belli! Assino embaixo sobre o conceito do carro, o peso inevitável, o refinamento de projeto, equilíbrio dinâmico.

    Agora, precisamos separar duas coisas: uma é o refinamento do projeto em si, no qual não há contestação. A relação de preço e desempenho do carro está aí para qualquer um ver. O equilíbrio dinâmico, a previsibilidade, tudo isso é ressaltado a cada teste que fazem.

    Agora, a outra é o trabalho de marketing em volta deste projeto refinado. Aí é que está o problema. Espero que vc. tenha percebido que minhas críticas estão neste segundo ponto, e que não tem nada direcionado nem ao carro, nem ao próprio blog!

    Infelizmente, minhas tentativas de expor a jogada do Sr. Mizuno na entrevista foram em vão. Desde o começo sabia que ia ser difícil porque ele misturou dois conceitos (massa e peso) que são facilmente "confundíveis" e atropelou vários conceitos de física em nome do "1406". Mas nisso, infelizmente estou falando sozinho.

    Nos gráficos da Nissan também vejo algumas incoerências e mais trabalho "1406", mas não vou entrar mais no demérito.

    O tempo de Nurburgring também tenho ressalvas. Nenhum piloto conseguiu chegar perto do tempo do GT-R nas mãos de Toshio Suzuki, todos ficaram a quase 20s. Mas engraçado como a bordo do Porsche GT2, BEM mais difícil de guiar, o Chris Harris ficou tão mais próximo do tempo do piloto de fábrica da Porsche (matéria do Driver's Republic). E no tempo final, o GT2 foi sete segundos mais veloz que o GT-R...

    Então é uma situação muito difícil apontar todos estes pontos nebulosos de divulgação. Porque parece que estou conspirando contra o GT-R, tenho a impressão que estas críticas não estão sendo bem-vindas, então deixemos a coisa bem simples: o GT-R é um carro fantástico, nisso todos nós concordamos.

    ResponderExcluir
  6. Ivo, exatamente no site da Nissan tem as fotos.
    abs,

    ResponderExcluir
  7. CZ, com certeza está, estou vendo muitas coisas bem interessantes nas peaquisas que fizemos para lançar estes dois posts.
    abs,

    ResponderExcluir
  8. Juliano, perfeitamente claro seu ponto, e acho muito válida suas constatações e críticas. Não me leve a mal, só estamos com visões diferentes sobre o assunto.
    E alias, "1406" foi ótima hehehhe.
    abraço.

    ResponderExcluir
  9. 1406, hahahahahahahahaha.

    Juliano, se serve de consolo, eu concordo contigo.
    O carro é bom? É! Custo-benefício ótimo? Sem dúvida!
    MAAAAAAS (sempre tem um mas) se analisarmos friamente não faz mais que a obrigação de andar tudo isso.
    Eu partiucipo de um fórum (www.preparados.com.br) onde vira e mexe rola uma discussão sobre o "gitiaru" e tem uns caras que devem ser pagos pela Nissan que vivem exaltando esse carro como se todos os concorrentes fossem mero lixo.

    ResponderExcluir
  10. Juliano,
    voce não está sozinho sozinho no seu ponto de vista. Garanto que vários outros leitores concordam com vc, assim como eu. Realmente é uma discussão de alto nível e construtiva. Porém, acho que essa disputa de alguns quilos e centésimos de segundos não é para nós. Como assim? Só pilotos de alto nível é que conseguem explorar GTRs e porsches em seu todo potencial. Para nós, mortais, o carro mais rápido vai ser, sem dúvida, o que for mais fácil de dirigir, o mais dócil, o mais intuitivo. E na rua e nas estradas, essas características ficam potencializadas, pois entram outras componentes que favorecem carros fáceis de dirigir, como piso imperfeito, cansaço do piloto.
    Nunca tive o prazer de dirigir um porsche ou o GTR, mas acredito que para motoristas normais e em situações normais, o GTR seja melhor. Pesando duas toneladas ou não.

    Abraço

    Lucas

    ResponderExcluir
  11. Marcelo Augusto23/12/09 16:18

    Interessante que num esportivo o objetivo é ser mais rápido em várias provas padrão, que na luz da razão apenas nos dão a noção de como o carro é mais ou menos, não é um dado para a vida prática.

    Com o Nissam surgiu um dado prático: ser mais rápido que seus concorrentes em um dado trecho. Que poderia até não ser um autódromo.

    Um automóvel mais ligeiro e mesmo assim mais dócil que alguns famosos esportivos. Sem perder a funcionalidade e custando "pouco".

    ResponderExcluir
  12. E além da técnica interessantíssima, acertaram no design. O carro é monstruosamente agressivo, sem ser horroroso.

    ResponderExcluir
  13. O que posso dizer é que a Nissan fez um belo trabalho. O GTR é rápido de retas, e rápido, muito rápido de curva. Belo brinquedo!

    ResponderExcluir
  14. Jonas Torres23/12/09 21:56

    Pelo vídeo do Senna, o comportamento preciso do GTR faz o 911 parecer ter voltado a usar semi-eixo oscilante traseiro...

    ResponderExcluir
  15. A pergunta que não quer calar é:

    Irá a Porsche trabalhar num 911 pra dar o troco no GT-R ou vai fazer de conta que não é com ela?

    ResponderExcluir
  16. Não querendo ser um Nissanzista, mas acho q as pessoas sabem q msm na pista do programa Top Gear ele foi mais rápido q muitos esportivos de ponta (Carrera GT, Murcielago, SLR...), se é q esse dado por ser levado em consideração.

    Mas o carro foi projetado para bater o 911. O motor 6 cilindros está-la por causa da distribuição de peso, assim como outras características q lembram aos Skylines GT-R. Mas na verdade o carro poderia mto bem ter outro nome.

    A série GT-R sempre ficava entre os esportivos mais pesados do Japão. E não sei se os japoneses entenderam, mas tiveram que acostumar com a idéia de que o pesado GT-R era tão rápido quanto um NSX.

    Agora a Porsche vai ter q s virar para achar mais segundos com a receita do 911, ou fazer outro carro porque modificar a receita desse clássico ninguém vai deixar.

    ResponderExcluir
  17. Alan Lopez24/12/09 01:26

    apreciem

    http://www.youtube.com/watch?v=4OTUHgTAMMU

    ResponderExcluir
  18. Alan Lopez24/12/09 01:26

    apreciem

    http://www.youtube.com/watch?v=4OTUHgTAMMU

    ResponderExcluir
  19. Não acho que esteja preocupada com o tempo.
    Tambem não acho que sejam concorrentes, afinal tem um publico diferente na minha opiniao.
    O 997.2 veio com modificacoes e ainda não parece ser mais rapido.
    A velocidade vira naturalmente e a proxima geracao do GT-R tambem ira evoluir e sempre será assim.
    Alias a Evo conseguiu ser mais rapida em Nur com um 997 GT3 na chuva.

    ResponderExcluir
  20. Alaoe Esposito24/12/09 11:34

    É Miltão só os números não conseguem trasformar um carro em Mito ou agregar valor, a história conta muito principalmente nas pistas.A nova geração de Super Carros precisa construir a sua história,principalmente com confrontos diretos como a Corvette vem fazendo.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  21. Se pensarmos muitos especialistas falaram sobre o problema do Caparo T1, q tem menos de 1kg por cavalo. Nas curvas de baixa velocidade e na chuva ele se torna muito difícil de ser guiado. Mas este carro é leve demais.

    E é verdade q a versão V-spec do R35 foi mais lento que a versão normal no circuito de Tsukuba?

    ResponderExcluir
  22. A Evo andou num Spec V e foi mais rapido, nao muito. Ate porque as alteracoes foram apenas refinamentos, nas palavras deles.
    O grande problema eh o preco do Spec V, quase o dobro do normal, sem ter a mais pra isso.
    Ai eles colocaram em duvida se o Spec V eh caro, ou o GT-R basico esta barato demais...

    ResponderExcluir
  23. Hum...A V-spec só é mais leve e traz mudanças na suspensão.
    Mas levando em consideração a teoria de Mizuno, diminuir o peso não faria tanta diferença?

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.