UMA CONCESSIONÁRIA


Semana passada compareci a uma inauguração de concessionária Citroën no bairro da Casa Verde, em São Paulo. Chama-se Le Mans e faz parte do Grupo de mesmo nome que possui oito concessionárias da marca no interior do estado, tendo começado com Campinas em 2001. Simultaneamente à Le Mans da Casa Verde foi inaugurada outra no bairro da Vila Prudente.

De vez em quando chega o convite da assessoria de imprensa de um fabricante para cobrir uma inauguração de concessionária. Quando se tem tempo se comparece, pois não é assunto que tenha muito a ver com o jornalismo automobilístico.

Mas, o que justifica um post sobre esse assunto aqui neste neste blog? O que se desenrolou nessa inauguração é para ser contado.

Após a entrevista coletiva, houve a costumeira visitação às instalações da nova concessionária.  Enquanto caminhávamos, conversei com um dos filhos do diretor do Grupo e que é o gerente geral da casa, sobre o motivo de não haver nenhum carro exposto, no amplo salão de vendas, com películas escurecedoras nos vidros.

"Não oferecemos a película nas nossas concessionárias e nos recusamos a instalar mesmo que o cliente peça. Além de proibido, a instalação é problemática, especialmente no vidro traseiro térmico se por algum motivo ela se danificar e tiver que ser retirada, pois na maioria das vezes rompe-se algum filete do desembaçador. Preferimos não instalar e aconselhamos o cliente a não mandar fazê-lo em outro lugar", explicou.

Parabenizei-o, obviamente.

Continuando, perguntei com quantos litros no tanque um carro novo é entregue ao comprador. Resposta:

"Os carros saem com oito a dez litros de combustível. Não admitimos que um cliente pare no meio da rua por falta de combustível num carro acabado de sair de uma de nossas concessionárias".

Parabéns de novo.

Depois, no andar superior, onde fica a oficina desta concessionária, os carrinhos de ferramentas. dos mecânicos me chamaram a atenção. Tudo novo, de primeira qualidade. O chefe de oficina, vendo meu interesse, fez questão de me mostrar um. Ao abrir uma das gavetas, disse:

"Cada carrinho, cada mecânico dispõe de um jogo completo de ferramentas, inclusive torquímetro. Assim ele não perde tempo atrás de um e não tem desculpa para não usá-lo".

Perguntei-lhe, então, lembrando do post sobre fixação de roda,  se na Le Mans apertavam as rodas com torquímetro, ao que ele respondeu sem titubear, ao contrário do que normalmente ocorre quando alguém é perguntado à queima-roupa: "Todos os parafusos de  roda são torqueados, sempre".

Claro, mais parabéns.

Em resumo, essa visita serviu para me mostrar que há gente séria na reparação de automóveis, do que, aliás, nunca duvidei. O segredo é procurar pelo bom serviço. Procurando, acha.

BS

Endereços
Le Mans Citroën Casa Verde: Av. Engenheiro Caetano Álvares, 3450
Le Mans Citroën Vila Prudente: Av. Luiz Ignácio de Anhaia Mello, 2163

59 comentários :

  1. Legal Bob;

    Há tempos que as agências Citroen chamam a atenção pelo apuro visual e pela classe que se percebe ao divisar uma de sua lojas. Coisa de griffe mesmo, alguns pontos acima das outras marcas "generalistas".

    Estão até melhorando nas cores dos carros, pois a única coisa com cores mais vivas antigamente eram a disposição visual da marca em vermelho mesmo.(prata e preto, eram as únicas opções nos carros, o que cansava a vista)

    Seus test drives não são limitados a duas ruas ao redor da agência e inclusive tive a chave de um top a disposição para utilizar à vontade. Atendimento cordial - que deveria ser regra em qualquer comércio - e pequenos agrados como quitutes, café e apuro e elegância em outros aspectos tornam as lojas da marca francesa uma ilha de tranquilidade e sofisticação...repito, sempre um pouco melhor que as marcas mais conhecidas.

    Não sou um grande partidário dos carros deles, mas admiro a forma como tratam o cliente. Os elogios são merecidos.

    ResponderExcluir
  2. Legal Bob;

    Há tempos que as agências Citroen chamam a atenção pelo apuro visual e pela classe que se percebe ao divisar uma de sua lojas. Coisa de griffe mesmo, alguns pontos acima das outras marcas "generalistas".

    Estão até melhorando nas cores dos carros, pois a única coisa com cores mais vivas antigamente eram a disposição visual da marca em vermelho mesmo.(prata e preto, eram as únicas opções nos carros, o que cansava a vista)

    Seus test drives não são limitados a duas ruas ao redor da agência e inclusive tive a chave de um top a disposição para utilizar à vontade. Atendimento cordial - que deveria ser regra em qualquer comércio - e pequenos agrados como quitutes, café e apuro e elegância em outros aspectos tornam as lojas da marca francesa uma ilha de tranquilidade e sofisticação...repito, sempre um pouco melhor que as marcas mais conhecidas.

    Não sou um grande partidário dos carros deles, mas admiro a forma como tratam o cliente. Os elogios são merecidos.

    ResponderExcluir
  3. Bob, é bom ver que existem concessionárias em que pode-se ter alguma confiança.
    Levei um Corsa 1.4 para a revisão dos 10.000 km na Gran Leste. Cheguei lá e já falei que ia fazer a revisão de 3 x R$ 50,00 que consta no site da Chevrolet e que faz o que manda o manual do carro. Aí o cara falou que é a básica e se eu não ia querer alinhar, balancear, limpar bico e tal e falei que não. Limpar injetor já acho loucura, ainda mais num carro com 10.000 km e que só usa álcool. Aí falou que nessa revisão eles só trocam filtro de combustível e não trocam filtro de ar e falei que tudo bem, afinal não manda trocar no manual com 10.000 km e não ando em estrada de terra. Aí perguntei se o óleo e a mão-de-obra eram de graça, pois já tinha trocado o óleo (e filtro por opção) aos 5.000 km com eles mesmos e na ocasião disseram que trocando o óleo aos 5.000 km com eles, na revisão de 10.000 km o óleo e a mão-de-obra seriam de cortesia. Aí o cara ficou sem saber o que falar e disse que é só no pacote completo de revisão e tal. Talvez aquela revisão safada como ofereceram à um amigo meu que tem um carro idêntico e queriam mais de R$ 1.000,00 na revisão de 10.000 km dele. E acabou pagando 6 x R$ 100,0, pois somente R$ 120,00 foram para dar uma “sprayzada” nas saídas do AC, a tal higienização. Aí de lá mesmo da oficina liguei para a recepção deles e pedia para falar com a parte de manutenção e disse que meu carro tinha 5.000 km e como funcionava a troca de óleo e o atendente disse a tal historia do óleo e mão-de-obra grátis na revisão de 10.000 km (isso vale para troca de óleo de 15.000 km e revisão de 20.000 km e assim sucessivamente). Aí depois do marketing da promoção deles eu disse que na verdade estava lá fazendo a revisão dos 10.000 km e que o mecânico que atende disse não saber de nada. Aí o cara gaguejou e tal e falou que ia ver com a gerente e me ligava. Não ligou e no fim paguei R$ 130,00 em 3 parcelas. Nunca mais levo lá, até porque só levei por causa da tal promoção já que não é perto da minha casa. Embora a Itororó que é perto de minha de minha casa, eu também considere uma droga. Agora será que fizeram tudo como manda o manual a respeito das verificações ou o cara só trocou o óleo, filtro de óleo e filtro de combustível?

    ResponderExcluir
  4. Bom saber que estão melhorando de qualidade - a tempos ouço reclamações em relação ao atendimento pós-venda, ou seja, oficina.

    É melhorando que se conquista clientes. Produtos bons eles tem - só não são muito bonitos, mas são bons - e fazem curva que é uma beleza :D

    []s

    ResponderExcluir
  5. Estes dias foram feitas diversas críticas no Facebook à rede de concessionárias da Citroen, muitos dizendo que a má fama da marca é em grande parte pelas atitudes das concessionárias e que a Citroen deveria fiscalizar suas atitudes. Bom ver que o negócio está melhorando.

    Estes dias fui instalar um acessório em uma ccs da Citroen e queria acompanhar o serviço (mania de mecânico e dono preocupado). O atendende disse que o "chefe da oficina" não havia deixado e então falei que não faria o serviço. Ele (vendedor da seção de acessórios) disse que falaria com o gerente e este autorizou que eu acompanhasse o serviço. "Quem não deve, não teme", como diz o ditado. Gostei da atitude do funcionário, que conseguiu satisfazer a vontade do cliente, e que garantiu que caso precise retorno ali. As revisões do meu último VW foram feitas em concessionária diferente da que comprei justamente por não deixarem acompanhar o serviço.

    ResponderExcluir
  6. Excelente!
    Pena que esse apuro visual, técnico e metodológico não se extenda as concessionárias cariocas. Já tive um Citröen Xsara GLX 1,8 16v e só passei apertos e descaso quando precisei de qualquer serviço da concessionária. Esse grupo muito bem poderia se instalar, num futuro próximo, na capital fluminense. Seria muito benvindo, além de quebrar alguns paradigmas e parâmetros já estabelecidos no mercado de serviços carioca. Sinceramente, aqui esse mercado parece estar no estágio final de uma doença irreversível...

    ResponderExcluir
  7. Acho ótimo quando a concessionária faz questão de aproximar o mecânico do cliente. Dá mais transparência ao processo, diminui os mal entendidos e humaniza o procedimento.

    ResponderExcluir
  8. Acabei de adquirir um C4 em uma concessionárias Citroen em Brasília, comprei o carro porque realmente é bom, mas veio com tanque seco, vendedor não conhecia o veículo, não sabia sequer como funcionavam os comandos, fume aplicado nos vidros, lendo o texto vejo a diferença absurda entre um atendimento e outro, no mais a loja muito atrativa, limpa, bonita.

    ResponderExcluir
  9. Pois é... Muito bacana mesmo encontrar um lugar que goste realmente de lidar com carros.
    Infelizmente é a falta de paixão que faz com que todos os serviços prestados, em qualquer area, não seja de qualidade.
    Um mecânico que não gosta de mecânica, um médico que não gosta de medicina, ou qualquer profissional que não gosta da sua profissão, prejudicam a qualidade dos serviços, criam uma reputação negativa da sua classe, jogam os salários no chão e prejudicam inúmeros consumidores que realmente carecem de um atendimento de qualidade.

    Como dito no texto. Achar o bom serviço que é o segredo.

    ResponderExcluir
  10. As concessionárias não costumam deixar os clientes entrarem na oficina durante o serviço por normas de segurança, mas se conversar com jeito consegue-se sem problemas.

    Se não deixar mesmo, tudo bem, só tirar o carro e ir pra próxima.

    []s

    ResponderExcluir
  11. A película insulfilm não é proibida!!!

    Bob Sharp: Qual a sua opinião sobra a recente onde de carros PRETO-FOSCO? Pintados e "envelopados" nas ruas, geralmente com grandes rodas também pretas ou cromadas. Para quem adora carros brancos....hehehe

    ResponderExcluir
  12. Bob,

    Muito legal saber que existe gente séria no mercado!! Resta saber se o padrão se manterá ao longo da vida da concessionária.

    Na Honda nunca tive problemas. Sempre me entregaram no prazo, com o serviço bem executado e nenhum centavo a mais do que o que consta na tabela afixada na parede da concessionária. Gasto extra só com uma solicitação minha de um jogo de tapetes de borracha, porque os originais de carpete ficam fedendo nessa época de chuva (entrar no carro com os calçados molhados).

    ResponderExcluir
  13. BOX666
    Não é proibido, mas se o carro vem com vidros de transparência 75%, como todos os esverdeados hoje, e o limite legal é 70%, só se pode aplicar película de 6,66% de redução, praticamente transparente. Mais escura que isso deixa o carro ilegal. Não gosto de preto nem brilhante, o que dira fosco. Mas gosto é gosto.

    ResponderExcluir
  14. Valeu por responder. Tenho um Versailles com pelicula G5 nos vidros,coloquei por necessidade mesmo, o carro estava um forno qdo pegava sol (os vidros verdes não davam conta) já que me u ar condicionado pifou. Mas fica meio dificil ver os retrovisores a noite - esse carro tem quebra-vento e eles ficam na frente dos espelhos.

    Não siu xiita como o Bob, mas tb sou contra pelicula escura demais, é feio e perigoso.

    ResponderExcluir
  15. Pois é Bob...poucos tem esta noção de que o vidro já vem escurecido de fábrica e qualquer película mais escura já deixa fora da regra.

    Por falar em película: pedi para colocarem mais clara (na ccs Citroen - foi "cortesia") e eles colocaram bem escura...Vou ter que mandar trocar. Não sei como conseguem dirigir com os vidros tão escuros durante à noite.

    ResponderExcluir
  16. Absalão Bussamra24/01/11 16:26

    Bem que o sr. Ségio Habib, proprietário da imensa maioria das concessionárias Citroën, poderia fazer uma visita à Le Mans e aprender como se trata o cliente.

    ResponderExcluir
  17. Muito bom. Se a PSA quiser melhorar a participação da Citroën no mercado brasileiro, faria bem em adotar os padrões dessa concessionária em toda a sua rede.

    ResponderExcluir
  18. NÃO me levem a mal mas...quando é nova fica tudo lindo....depois esquece...

    ResponderExcluir
  19. Bom saber disso. Trabalho sério deve ser sempre mostrado.

    Bob, sei que nem gosta muito disso, mas aproveito para um elogio; Apesar de acompanhar suas matérias há algum tempo e, agora os posts, estou sempre me surpreendendo com seu poder de sintese e bom senso em saber o que merece destaque. Admirável também sua disposição em produzir excelentes trabalhos e mais ainda a simplicidade e atenção
    que dedica a seus leitores, do mais leigo ao mais aprofundado no assunto. Certamente, sua genialidade também se manifesta no gerenciamento do tempo. Não deve ser nada fácil lidar tão bem com tantas coisas assim. Esta semana no AE então. Parabéns!

    ResponderExcluir
  20. Bob, vejo que muitos usam a película nos vidros sob alegação de conforto termico.

    Andei lendo na internet que muitos tiram o forro do teto e colocam a manta termica, semelhante a que se vê em alguns telhados de casa. Custa barato e aparentemente funciona melhor do que colocar esse saco de lixo auto-colante nos vidros.

    ResponderExcluir
  21. Olha Caio...posso dizer que a película mais escura ou mais clara dá na mesma se a questão for temperatura interna pois já tive carros com ambas (50% e agora mais escura - que vou mandar trocar).

    A única vantagem é que o sol não pega tão diretamente no interior e principalmente nos ocupantes, é como se estivesse de óculos de sol. Em contrapartida à noite é muito ruim, com chuva então é péssimo.

    ResponderExcluir
  22. Paulo Levi
    Sem a menor dúvida. Mas não basta boas instalações, é preciso focar no interesse do cliente e no rigor técnico. E ísso é ridiculamente fácil.

    ResponderExcluir
  23. Rômulo
    Agradeço suas palavras. Tudo isso que você disse se resume em fazer o que se gosta e ter o prazer de fazer bem feito.

    ResponderExcluir
  24. Caio Ferrari
    Essa alegação é desculpa esfarrapada para justificar o carro "lindão", ficar na moda com os sacos de lixo nos vidros, tenha certeza. Sou extremamemte calorento, mais que a média, e jamais senti calor em carro com ar-condicionado.

    ResponderExcluir
  25. Filipe
    A fabricante de vidros para automóveis e fornecedora da indústria automobilística, a Saint-Gobain Sekurit, já disse: o interior de carro "filmado" fica mais quente.

    ResponderExcluir
  26. Olá Bob. Recentemente comprei um Peugeot 207 e seguindo a sua sugestão optei por não instalar películas nos vidros. Em minha opinião, o carro fica menos quente quando pega um sol forte, além de se tornar um pouco mais exclusivo nas ruas, já que até agora em minha cidade não vi nenhum 207 que não esteja com os vidros escurecidos. È incrível como hoje em dia os carros com vidros "normais" são raros de serem vistos nas ruas e geralmente estão nas mãos de mulheres ou pessoas de mais idade.

    ResponderExcluir
  27. Johnny Carvalho
    Parabéns pela inteligante decisão. Realmente carro sem película virou exceção, noto isso também. E de noite todos os "filmados" com a janela do motorista meio-aberta para poder enxergar um pouco melhor.

    ResponderExcluir
  28. Aqui em Campinas temos mais carros com filme dirigidos por mulheres que por homens, elas justificam falando que a segurança aumenta pq podem parar no semáforo e os tranqueiras não as vêem... sei lá se é história ou não, mas tem sentido.

    ResponderExcluir
  29. Nunca usei película em nenhum carro meu. Além de atrapalhar a visibilidade, vira um forno, ao contrário do que dizem como argumento de venda. Previro um bom vidro verde, transparente e limpo. Fica muito mais bonito.
    Pior que isso é carro preto, sem ar condicionado e couro. Passo longe...

    ResponderExcluir
  30. Pois é...comprei um CIVIC 2008 lindo, com 7.500 Km (!!!), mas não consigo dirigi-lo à noite, pois é totalmente impossível enxergar com segurança através daquelas paredes pretas que vieram nas janelas. Meu dilema...tiro a película e arrebento o desembaçador traseiro ou continuo não enxergando á noite ?

    ResponderExcluir
  31. :) "Saco de Lixo" foi boa...

    Um dos carros da família infelizmente tem Isulfilm (contra minha vontade). À noite simplesmente não dá para ver absolutamente nada pelos retrovisores.

    É impressionante como no Brasil essas modas idiotas pegam. Praticamente todo mundo, de todos os perfis e idades, manda pôr nos vidros essa desgraça que ninguém nunca conseguiu explicar pra quê serve... A única desculpa que ouvi foi de que, por segurança "não dá para o bandido saber quem e quantos estão no carro" (!?). Claro, ele vai pensar que são Jack Bauer, Rambo, Jason Bourne e Capitão Nascimento...

    Acho que os únicos que têm interesse nessa porcaria são os zero-à-esquerda que usam carro como motel sobre rodas a qualquer hora do dia.

    ResponderExcluir
  32. Anônimo 25/1 9:08
    É uma justificativa comum, mas quem a defende se esquece que os marginais enxergam quantos estão no carro pelo para-brisa.

    ResponderExcluir
  33. Aléssio Marinho
    Parabenizo-o por não escurecer os vidros do seu carro.

    ResponderExcluir
  34. Anônimo 25/1 14:03
    Aconselho-a seguir a sensatatez, arraque tudo. Se danificar algum filete do desembaçador, menos mal, pois o ar-condicionado mantém esse e todos os vidros desembaçados. O importante é a sua tranquilidade e segurança.

    ResponderExcluir
  35. Uniblab
    Estou até hoje para ver melhor definição do que "saco de lixo" para esse verdadeiro lixo em áreas vidradas do automóvel.

    ResponderExcluir
  36. Marcelo Augusto25/01/11 19:58

    Por isso que vejo tantos obstáculos móveis à noite: só pode ser os "filmados".

    ResponderExcluir
  37. Sobre a concessionária. Seria legal pedir para alguém visitá-la daqui um bom tempo e constatar o serviço ou se foi só conversa de inauguração.

    Sobre peliculas. Não tenho no meu carro. Como já dito, fica horrível (gosto pessoal), atrapalha a noite, além de embaçar muito mais facilmente.

    Ultimamente, devido ao calor, tenho usado ar condicionado direto e mesmo sem film, o interior do carro fica agradável. Óbvio que se o carro ficar horas sob o sol, a AC demorará um pouquinho para fazer efeito, mas nada diferente que carros com película.

    Ao anonimo do civic:

    Para tirar a pelicula do vidro traseiro faça o seguinte:

    1. Pegue um saco de lixo preto o o coloque no vidro do carro, pelo lado de dentro, óbviamente. Umedeça o vidro para "colar" melhor.

    2. Ligue o desembaçador e deixe o carro um pouco sob o sol. Se o sol não estiver muito quente, ajude com um secador de cabelos.

    3.Puxe devagar a película que ela sairá com cola e tudo. Os filetes do vidro não seráo danificados.

    Fiz isso em dois carros meus e deu certo.


    Marco

    ResponderExcluir
  38. Marco
    Também pensei nisso. Daqui a seis meses vou dar uma chegada lá. Obrigado pela útil dica de como retirar o filme do vidro traseiro. Muitos leitores se beneficiarão.

    ResponderExcluir
  39. Não tenho películas no meu carro.

    A única "utilidade" que vejo nesse produto é tornar o carro um motel móvel.

    Fora que tenho 9 graus de miopia. Se tivesse película estaria cometendo um crime.

    ResponderExcluir
  40. Ih, provavelmente vão me bater... rsrsrsrs

    Tenho os vidros do carro "filmados", menos o para-brisas, nada muito escuro (G20), mas que, quando o carro está parado na rua, a noite, impede que o "meliante" consiga ver as caixas de som no tampão traseiro, posto que no lugar do rádio fica uma tampa "camuflando".

    Ainda, no caso de uma tentativa de quebra dos vidros para furto, como dificulta que eles "estilhacem", acaba por gerar um trabalho a mais para caboclo, que nem sabe ainda se achará algo dentro do carro.

    Esse é o único motivo para uso, já que a questão da segurança do motorista já foi ultrapassada.

    ResponderExcluir
  41. Sergio,
    Nada justifica perder visibilidade plena. Se você quer película para tornar o vidro temperado mais resistente, à prova de vandalismo, pode mandar aplicar película transparente.

    ResponderExcluir
  42. Pois é, minha mãe encheu o saco para colocar isto e agora para retirar vai ser complicado para não danificar o desembaçador traseiro.
    O visual ficou bom, não incomoda o braço quando estou dirigindo de dia mas quando chove a noite torrencialmente aí a coisa fica "preta".

    Só por vingança o próximo carro vai ser sem película e duas portas!
    Pelo menos aprendi algo, carona não pode dar opinião e se achar ruim anda a pé.

    ResponderExcluir
  43. Bob, veja essa.
    Nesta semana comprei um Corsa Hatch para a minha esposa. Fomos à concessionária retirar o carro(CCV Curitiba, a mesma que citei no post sobre serviços pós-venda) e iniciou-se o ritual: cafezinho, sorrisos, laço vermelho sobre o carro, parabéns. E uma informação: o carro tem 3 litros de combustível (uma pão-durice sem tamanho mesmo para um carro pequeno, de R$ 35 mil).
    Demos a partida e saímos. Três quadras depois, o motor apagou: pane seca.
    Ligo para a loja e 15 minutos depois vem uma dupla de "técnicos" com um balde cheio de... etanol. Não deixo colocar no tanque, pois haviam acabado de pedir para utilizar gasolina no primeiro abastecimento. Os dois vão embora e voltam meia hora depois com gasolina. O motor funciona e vamos embora, não sem antes voltar à loja e pedir uma reparação mínima: um tanque cheio de gasolina, que foi devidamente ressarcido no dia seguinte.
    O que me impressiona é como eles conseguem destruir a experiência de compra do cliente por conta de algo tão simples de se prevenir. Ainda que embutissem o custo do tanque cheio no preço, deixariam o cliente satisfeito e evitariam crises e danos à imagem - tremenda falta de visão.
    Quanto à Le Mans, um exemplo a ser seguido.

    ResponderExcluir
  44. Sandro
    Como tem concessionário burro, é impressionante. Dá tristeza saber que há pessoas sem um mínimo de visão empresarial. O caras jogam contra si mesmos!

    ResponderExcluir
  45. Eduardo Martins
    É assustador mesmo.

    ResponderExcluir
  46. Na minha opinião existem películas e películas.

    Uso uma não muito escura pra me ajudar na fotofobia que mesmo com óculos escuros me incomoda muito, já que Brasília é um inferno quando se fala de luminosidade. Não me prejudica ao dirigir a noite e dá até pra enxergar as mulas que só andam de farolete ou com os neblinas

    Já aquelas super escuras não dá mesmo. Fica uma baita parede preta.

    ResponderExcluir
  47. Bob, ao começar pelo nome esta concessionária já agradou... hehehe

    Daniel, concordo com você, existem películas e películas, no meu carro utilizo, inclusive no parabrisa, uma tipo específico metalizado sem pigmentação, que filtra os raios UV em 99% e não diminui minha visibilidade.

    Sempre tive carro com filme nos vidros, mãããs estou convencido de não colocar película no meu próximo carro. Questão de estética mesmo, aprendi a apreciar o veículo sem a tal película.

    Quanto ao comentário do Marco, não sei de onde ele tirou esta informação, mas não procede. O filme é retirado com mais facilidade em dias chuvosos, se o filme for de boa qualidade, muito provavelmente não arrancará nenhum filete, nem deixará resíduos de cola no vidro. É necessário jeito para retirar a película, tipo a técnica para retirar adesivo chato, sabe?

    Abs

    ResponderExcluir
  48. Daniel,
    O único critério para películas é a transparência luminosa resultante do vidro mais a película, que tem mínimo legal. Não há fotofobia que resista a uma lente G-15 Bausch & Lomb e os vidros verdes originais filtram mais de 90% dos raios UV.

    ResponderExcluir
  49. Fábio,

    Ao esquentar a película, você "amolece" a cola, que ficará grudada na propria película. Se você puxar a película "a frio", voce ficará com um monte de plástico nas mãos e um vidro todo grudento, principalmente se a película estiver meio velha.

    A "técnica" para retirar adesivos é essa também. Você aquece o adesivo com um secador de cabelos e ele sai facinho facinho. Experiencia propria.

    Se ainda assim alguem ficou com dúvida, basta fazer o teste num dos vidros laterais, que nao tem filetes.

    Abs,

    Marco

    ResponderExcluir
  50. Apenas ajudando a divulgar:
    http://www.meufocusraulseixas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  51. Gosto muito do AE, mas não me conformo com esse lado Xiita do Bob quanto aos filmes, uma coisa é pegar esses carros com filmes G5, G20, que realmente atrapalham a todos e deveriam ser proibidos mesmo. Outra é por um filme claro que protege os ocupantes do sol e de vidros estilhaçando (como já aconteceu comigo num Voyage e com uma amiga em um Corsa Classic).

    Troquei os filmes dos meus 3 carros pelo mais claro disponível e não me arrependo. É outra coisa, posso ver tudo em qualquer situação, seja chuva, dia, noite, dilúvio, mesmo que a aparência dele seja de "vidro sujo".

    para finalizar, irei colocar a película transparente antivandalismo nos parabrisas como forma de maior proteção.

    ResponderExcluir
  52. Precavido
    Nada justifica perder visibilidade, por pouco que seja, por isso sou xiíta, radical nessa questão. É um atentado contra a condução segura, motivo para existir transparência luminosa mínima aqui e no resto do mundo. Não é necessário colocar a película transparente anti-vandalismo no para-brisa, que é de vidro laminado.

    ResponderExcluir
  53. Marco,

    Faça como quiser, estou repassando a informação que tive com uma pessoa que trabalha com películas há muitos anos e inclusive dá cursos pra quem quer trabalhar com aplicação de película. Sempre mandei meus carros lá, porque tem muitas opções, já que é a loja da distribuidora, não vem ao caso fazer propaganda.
    Este cara já removeu filme do vidro traseiro de dois carros meus, um com filme de baixa qualidade, carro este que comprei de um vizinho, neste ficou toda a cola no vidro e ele teve que retirar com uma lâmina. No outro carro deu problema de bolha num filme que eles mesmos colocaram, o filme saiu facilmente sem deixar resíduos (trocaram em garantia, filme com garantia de 10 anos). Detalhe, ele conseguiu tirar sem estragar nenhum filete em ambos os casos, usando a técnica que falei, umedecendo e não com o aquecedor. Aliás, acho que vc já deve ter visto, eles trabalham com um aquecedor muito mais potente, que um simples aquecedor de cabelos, utilizado para moldar o filme ao ângulo do vidro.
    Sds

    ResponderExcluir
  54. Bob, sabemos que o parabrisa é laminado, mas isso não impede de uma pedra atravessá-lo. Já o filme antivandalismo sim.

    Se não me engano, podemos aplicar películas com 50% de transparência nos vidros laterais, não é proibido, mesmo que vc e outros não gostem ou concordem com isso.
    SDS

    ResponderExcluir
  55. Precavido
    Se você acha que pedra atravessa vidro laminado e deixa de atravessar se houver uma película adicional, vá em frente. Não, não se pode aplicar película de 50%, é proibido. A transparência míníma no para-brisa e vidros laterais dianteiros é 70% considerando vidro e película juntos. Se os vidros já são de 75%, todos os esverdeados hoje, só é possível película de 6,7% para respetiar o limite, goste você ou não.

    ResponderExcluir
  56. Realmente, parabéns ao pessoal da Le Mans por esse posicionamento de bom-senso, sobre as películas.

    Esse negócio de vidro escurecido com película é mais um daqueles "modismos-quase-unanimidades" sem justificativa. Como era há um tempo atrás com as terríveis bolas de engate.

    Em Campinas onde moro vejo que são principalmente carros de mulher que tem as películas mais fortes... Na minha opinião a alegada questão da segurança é bem questionável, pois se por um lado a película dificulta que um bandido veja quem está no carro, por outro lado ela também serve para esconder o bandido caso ele consiga entrar!

    Tem mais duas coisas importantes que se perdem com o uso indiscriminado dessas películas:
    Primeiro, perde-se a capacidade de enxergar o trânsito por através dos carros. Muito útil por exemplo se 2 carros à sua frente na estrada alguem freia bruscamente, ou ao tentar cruzar uma rua movimentada com carros estacionados no meio-fio perto da esquina.

    E segundo, o mais importante: o trânsito fica mais desumano ao se ver apenas carros, sem o elemento humano. Me refiro a coisas simples que deixam de existir, como um motorista gesticular para o outro que está dando passagem a ele, e o outro acenar de volta agradecendo. Não apenas isso se perde, mas sinto que vai-se ao outro extremo, pois alguns motoristas protegidos pelo "anonimato" passam (talvez inconscientemente) a dirigir de maneira mais ofensiva.

    ResponderExcluir
  57. Alexandre, Parabéns! Melhor abordagem sobre o uso de películas que eu já li. Não lembro de ninguém ter comentado sobre o "elemento humano", talvez algum comentário mais breve do AK.

    O Bob já tinha me convencido a não utilizar mais este "acessório" e você fortaleceu a idéia.

    Sds

    Sds

    ResponderExcluir
  58. Alexandre,
    Concordo com o Fabio, seu comentário é perfeito. Vou além, com os vidros escurecidos os riscos para os policiais numa abordagem são muito altos, pelo que estão evitando fazê-la. Não sei como as polícias toleram isso.

    ResponderExcluir
  59. Fábio e Bob Sharp, obrigado!

    Hoje em dia tem que ter bastante convicção para "ser diferente" e usar os vidros sem película... Pois o tanto que meus amigos já tentaram me convencer nesses ultimos anos de que eu devia colocá-las (por estética ou segurança/privacidade) não é brincadeira... E isso porque meu carro já tem vidros verdes!

    (Aliás, taí uma coisa que ficou esquecida no tempo, os vidros verdes, antes um opcional luxuoso, hoje ninguem nem repara mais neles)

    Aproveitando o assunto, vocês tem conhecimento de como é o uso de película nos vidros em outros países? Elas são permitidas? Eu estive em Portugal e acho que não reparei em nenhum carro que estivesse usando-as.

    Sds,

    AFJ

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.