UM TERMO INCONVENIENTE

Aqui no AUTOentusiastas tenho falado bastante sobre o termo que virou vício nacional: montadora. Intriga-me o  que teria levado alguém a verbalizar a atividade de fabricar automóveis com o sentido de ela ser realizada por uma montadora, uma empresa que monta, quando na verdade fabrica. A montagem existe, claro, mas como parte do processo de fabricação.

Mais intrigante ainda quando o termo parece ter saído da própria Anfavea, a Associação Nacional do Fabricantes de Veículos Automotores.

A primeira vez que ouvi falar em montadora foi numa entrevista coletiva da Anfavea, em 1982. Parece que foi ontem que ouvi o então presidente da entidade, Jacy Mendonça, dizer montadora. De lá para cá o termo tomou conta do vocabulário da imprensa e do ideário das pessoas

Curioso também é montadora ser sinônimo de fábrica de automóveis e veículos comerciais, pois quando se trata de qualquer outro produto é fábrica mesmo: fábrica de geladeiras, de fogões, de motocicletas, de computadores,. de aviões,. de brinquedos, de guarda-chuvas, de cosméticos e outros. Só quando é navio é que usa o termo estaleiro; montadora é que não.

Resolvi verificar como essa questão é tratada nos principais idiomas utilizando a ferramenta de tradução chamada Tradukka (www.tradukka.com), que reputo a melhor de todas até o momento. O site é peruano e de acesso livre, embora seu proprietário peça contribuição voluntária para manter o Tradukka, a exemplo de  Jimmy Wales, co-fundador do Wikipédia, no final do ano passado..

No Tradukka, escrevi os termos automaker, auto manufacturer, car maker, auto industry, automobile industry, automotive industry e electromotive force. Esta última foi para ver como nas outras línguas o "motive" é tratado devido ao termo "automotivo (a)" bastante usado aqui. Veja os resultados.

Português
Montadora, fabricante de automóveis, montadora, indústria automobilística, indústria automobilística, indústria automotiva e força eletromotriz.

Espanhol
Fabricante de automóviles, fabricante de automóviles, el fabricante de autos, la industria automotriz, la industria del automóvil, industria del automóvil e fuerza electromotriz.

Francês
Le constructeur automobile, fabricant d'automobiles, constructeur automobile, l'industrie automobile, industrie automobile, l'industrie automobile e force électromotrice.

Italiano
Automaker, auto fabbricante, auto maker, auto industria, industria automobilistica, industria automobilistica e forza elletromotrice.

Alemão
Autohersteller, Auto Hersteller, autohersteller, Auto-Industrie, Automobilindustrie, Automobilindustrie e Elektromotorische Kraft.

Holandês
Automaker, Autofabrikant, Autofabrikant, Auto-industrie, Auto-industrie, Auto-industrie e elektromotorische kracth.

Algumas traduções são estranhas e outras, repetidas pelo Tradukka,  inclusive não aparece o "usine" em  francês, bem utilizado lá. Mas ficou claro que em nenhuma das línguas observadas existe, mesmo que aproximadamente, a palavra montadora. Ou seja, é coisa só nossa. Até o Tradukka já foi contaminado.

O tradutor do Google foi também. As mesmas palavras em português resultam em montadora, fabricante de automóveis, montadora, indústria automobilística, indústria automobilística, indústria automotiva e força eletromotriz.

Sei que haverá quem me criticará, que estou implicando com uma bobagem, que qualquer termo serve, que tanto faz. Mas pergunto: que direito tem alguém, da indústria ou da imprensa, de informar errado? De passar às pessoas a noção de que a fabricação de um automóvel se resume em montá-lo?

Sobre automotivo (a), o termo é bastante usado em vez de automobilistico (a) com o beneplácito dos dicionários, quando nas línguas tratadas "motive" é motriz. Em português escreve-se força eletromotriz, termo de eletrotécnica, e não força automotiva. Assim, o automotive industry da língua inglesa soa melhor como indústria automobilística, felizmente bastante usado.

Quando o governo Juscelino Kubitschek, no início de 1956, partiu para a fabricação de automóveis aqui, criou um grupo executivo para tomada rápida de decisões, sem os meandros da burocracia. Era o Geia, o Grupo Executivo da Indústria Automobilística. Não era automotiva.

Mas esse mal é menor, não há modificação da ideia como em montadora.

BS

74 comentários :

  1. Clésio Luiz31/01/11 09:24

    Montadora é só um dos termos que me incomoda toda vez que ouço. Os outros são voltagem e amperagem.

    Além disso, tem também o bando de analfabetos funcionais que anda trocando vírgula por ponto, mesmo é casos onde não se envolve motores de carros.

    E antes que alguém que se sentiu ofendido porque eu o chamei de analfabeto, saiba que termos técnicos não vão mudar porque o povão usa os termos errados.

    ResponderExcluir
  2. Bob, no meu blog costumo usar os dois termos.

    Honda e Yamaha são fabricantes, pois eles produzem aqui a maioria das peças utilizadas em suas motocicletas. Já Kasinski, Traxx e cia são montadoras, pois elas importam as peças e as montam aqui.

    ResponderExcluir
  3. Jackie Chan31/01/11 09:37

    Típico caso em que o termo, originalmente errado, repetido muitas vezes, acaba por se convencionar como certo. Outro caso que me vem são os termos "voltagem" e "amperagem", que eram tão repudiado pelos meus professores de eletrônica. Não adiantou. E mais recentemente, "presidenta".

    ResponderExcluir
  4. MotoReport
    Kasinski e Traxx são fabricantes que produzem motos a partir de peças importadas, mas nem por isso devem ser chamadas de montadoras. Se você assistir ao vídeo no site da Kasinski ouvirá que "A Kasinski é a primeira fábrica brasileira a dar garantia de três anos". É que 'montadora' enraíza-se cada vez mais e se passa a achar natural usar o termo.

    ResponderExcluir
  5. Clésio Luiz
    A coisa por aqui vai longe. Todo mundo usa o termo 'centralina', quando significa 'centralzinha' em italiano. As moças do tempo na tevê introduziram nova condição meteorológica, o tempo abafado. Pelo menos as emissoras de rádio em FM há tempo usam vírgula para separar parte inteira da fracionária ao informar frequência.

    ResponderExcluir
  6. Presidenta é feio mas não ta errado. E ta em voga visto nossa mandatária maior.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro que tá errado. Por acaso existe Estudanta? Delinquenta? Presidente é uma das palavras que não têm flexão de gênero, mas o brasileiro adora ficar inventando.

      Excluir
  7. Saudosista31/01/11 10:03

    Eu tento entender o porque dessa polêmica, mas as próprias indústrias automobilistas se intitulam como montadoras.

    A despeito do assunto, a própria VW:"Ao mesmo tempo, a Volkswagen posicionou-se, desde o princípio, como a montadora mais inovadora do Brasil, lançando novas tecnologias e
    estabelecendo novos padrões de consumo"
    Em: http://www.volkswagen.com/br/pt/Volkswagen_do_Brasil/historia_da_volkwagen/volkswagen_do_brasil.html

    Se a própria VW se acha uma montadora, nós, meros entusiastas, temos que a qualificar como fabricante?

    Será que hoje em dia não usam montadora como sinônimo de fabricante? Para nós pode ser uma ofensa, mas para eles...

    ResponderExcluir
  8. Jackie Chan
    Isso de presidenta é típico da propagação de termos errados.

    ResponderExcluir
  9. Bob, tenho um amigo na GM que a considera uma montadora sim. Aí perguntei pra ele então o que deveríamos fazer com as prensas, as ponteadeiras, as injetoras...

    Isso me preocupa também, as pessoas comprando essa idéia.

    ResponderExcluir
  10. Saudosista
    Foi como eu disse, a própria Anfavea introduziu o termo e usa-no até hoje, apesar de ser a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores. Mas vários veículos de imprensa já eliminaram 'montadora' dos textos, como o site Best Cars e as revistas Carro e AutoData. Diga, você alguma vez leu ou ouviu "garantia de montadora"?

    ResponderExcluir
  11. Fábrica só existe na hora do feirão...

    ResponderExcluir
  12. Vamodoido
    ...as fresadoras, as aplainadoras, as retíficas de virabrequim e de comando de válvula, os túneis de pintura, as transportadoras aéreas...

    ResponderExcluir
  13. E veja que ironia, esse amigo é da Engenharia Experimental. vive no meio de máquinas e equipamentos poderoso...

    ResponderExcluir
  14. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  15. Vamodoido
    Boa, "Feirão de fábrica". Aí não é montadora.

    ResponderExcluir
  16. De minha parte, nos sites, anúncios e outros materiais que escrevo, nunca houve o uso do termo "montadora". Automaker é fabricante de automóveis.

    Montagem é assembly. A Mercedes, a Ford, a Volks, a Kasinski não são "car assemblers", são car makers. O processo de fabricação usa uma "assembly line" ou linha de montagem.

    Mas, sinceramente, Bob, apesar dos meros 26 anos de idade, já concluí que o brasileiro não FALA português, e sim REPETE frases e expressões prontas.

    Um exemplo é o uso da expressão "no aguardo". Se o espadachim fica "em guarda", porque o remetente do email fica "no aguardo"?

    Quando voltarmos a PENSAR no que realmente estamos falando, vamos parar de falar besteiras como "equipe de resgate", "montadora", "eixo de cames".

    E uma sugestão a todos que desejam escrever melhor, é o Dicionário de Questões Vernáculas do professor Napoleão Mendes de Almeida. Não há referência melhor.

    ResponderExcluir
  17. Bob Sharp,
    Estou terminado de ler o livro do Sydney Latini "A Implantação da Industria Automobilística no Brasil. No livro, ele utiliza exclusivamente o termo "Indústria Automobilística", mas ao se referir aos fabricantes, alterna entre "fábricas" e "montadoras".
    A segunda expressão parece perfeitamente aplicada quando trata das empresas que trabalhavam em regime de "CDK" até final dos anos 50 (Não será daí que o termo ganhou força no Brasil?). Mas ele chega a se referir às fábricas instaladas nas décadas de 50 e 60, ainda que pouquíssimas vezes ( rapidamente conferi duas, pg 136 2 281). Com a leitura, outro fato que parece que reforçar o termo é a opção do GEIA pela implantação do modelo horizontalizado copiado dos EUA e Europa, incentivando o surgimento dos fabricantes nacionais de autopeças.
    Mas, concordo que nunca é tarde para se corrigir um erro.

    ResponderExcluir
  18. Rômulo Rostand
    O livro é de 2007. O autor já estava contaminado...

    ResponderExcluir
  19. Conversando sobre esta questão com um amigo recentemente, disse a ele: Então vamos deixar de nos referir às construtoras como tal, já que eles apenas encaixam os tijolos, um a um, usando cimento.

    Ele justificou o fato de chamar os fabricantes de montadores, com a situação de peças fornececidas por terceiros para serem apenas montadas no veículo na linha de produção.

    ResponderExcluir
  20. Leonardo Andrade,
    Essa de resgate é de doer. Em Search and Rescue, Busca e Salvamento, o segundo termo virou 'resgate' sem a menor cerimônia. Nos aviões da FAB há uma seta indicando 'Salvamento' para abrir a capota em caso de acidente. Se não me engano, no Rio os carros dos bombeiros que aqui em SP são de resgate, lá são de salvamento. Eu era leitor assíduo da coluna "Questões Vernáculas" do Prof. Napoleão no Estado de S. Paulo. Receba os parabéns do AUTOentusiastas por preservar a qualidade da escrita.

    ResponderExcluir
  21. Raphael Hagi,
    Construtoras projetam, batem estacas, usam guindastes, pintam. Fale com seu amigo para visitar uma fábrica de automóveis e verificar se apenas os montam.

    ResponderExcluir
  22. Acho que o pior mesmo é ver o comercial da Honda ou Yamaha, não lembro, dizendo que a moto tem XXX cilindradas. O povão é burro mesmo, e o pessoal da indústria sabe disso.

    ResponderExcluir
  23. A idéia que tentei passar a ele foi de que usar material de terceiro não pode desqualificar a condição de construtora, assim como não deve desqualificar o fabricante do automóvel.

    Bob, sobre visitar as fábricas, gosto muito de Chevrolet, sabe se existe alguma maneira de visitar a fábrica? A FIAT faz isso, está aqui perto de casa... mas não tenho vontade de visitá-los.

    ResponderExcluir
  24. Felipe,
    Essa de xxx cilindradas é das maiores imbecilidades que noa assolam. É assim nos anúncios da Honda e até no Auto Esporte da Globo. Queria ver algúem dizer que a estrada de São Paulo ao Rio tem 405 distâncias...

    ResponderExcluir
  25. Guilherme M.31/01/11 12:15

    Chega a me doer os ouvidos quando ouço montadora. E o pior é que eu ja ouvi gente usando como exemplo de que as fabricas apenas montam, por causa da Autolatina(?)!!!
    O Cara estava dizendo que a todo o carro era fabricado por terceiros e que todas as "montadoras" eram a mesma empresa, a Autolatina.
    Vamos dar um crédito, pois o sujeito que me falou isso, ja estava com bastante sangue no seu álcool (isso mesmo, não o contrário). Até deu vontade de explicar a ele o que realmente foi a auto latina, mas apenas concordei e fiz cara de interessado para não acabar brigando com um bêbado.

    Mas voltando ao assunto, de certo as prensas, e todo o ferramental presente na fábrica só monta peças de terceiros. Aliás, o certo é fabricante, pois o local onde é feito o produto se chama fábrica. Se apenas montasse, o nome do local seria caixa de Legos ou Playmobil.

    Presidenta é outro termo que me dói os ouvidos. Pois os termos terminados em ante, ente, inte, são derivados do particípio ativo do verbo ser ou estar. Ou seja, o estudante é o ser que estuda, participante é o ser que participa, e presidente é o ser que preside algo. E não existe participanta, estudante e nem presidenta. Vocês podem tentar justificar pelos termos prefeita, juíza, governadora, mas vele lembrar, que esses são títulos concedidos aos representantes do Estado e/ou da lei,e não existe representanta.

    ResponderExcluir
  26. Raphal Hagi,
    Tudo bem, respeito sua vontade, sei você está aí ao lado da Fiat. Escreva para o assessor de imprensa da GM, Adriano Griecco, adriano.griecco.com, para informações a respeito de visita à fábrica.

    ResponderExcluir
  27. Uai, Bob. Parece que você lamenta o fato da minha preferência em ir até fábrica da GM em São Paulo... ou seria melhor conhecer as duas?

    Soube que a situação de visitar a FIAT enquanto indivíduo seria um pouco mais complicado, pois dão preferência à grupos de estudantes...

    ResponderExcluir
  28. Os fabricantes não fazem distinção entre serem montadoras ou fábricas, eles mesmos usam os dois nomes e eu particularmente não vejo problema nisso.

    http://www.fiat.com.br/mundo-fiat/institucional/dimensoes-da-fabrica.jsp

    ResponderExcluir
  29. Raphael, ainda vou te ver de Fiat um dia,rs

    ResponderExcluir
  30. "Performance" soa feio, desprestigia o português e ainda por cima parece esnobe.

    Por que não usar a palavra "desempenho"?

    ResponderExcluir
  31. Raphael,

    Passei quase 3 anos indo no espaço da Localiza na fábrica da Fiat em Betim e nunca consegui uma visitinha sequer. O que me restava era ver os carros zebrados passarem na porta, ou fazerem testes na pista na frente da fábrica.

    ResponderExcluir
  32. ADG, saiba que o Diego errou ao comentar sobre os suportes de motor que comprei para o meu Omega. São originais, vieram do interior de São Paulo. Detesto adaptações, evito ao máximo, por isso "importei" as peças de tão longe, em BH não existe mais. Sobre ter FIAT, sem problema algum, teria um Uno Economy sem remorso. A coisa pega quando sai do Uno, pois prefiro outros modelos, nem sempre Chevrolet.

    Alessio, exatamente. Me disseram que visitar a fábrica sem participar de um grupo de estudantes ou sem ser convidado pela fábrica é bem mais complexo.

    ResponderExcluir
  33. ADG, não adianta usar textos do site dos fabricantes para argumentar essa situação. Os textos são produzidos pelo pessoal de comunicação e marketing, que provavelmente estão alheios à esta discussão. Infelizmente, como disse o Bob no texto sobre recalls, o pessoal anda se preocupando apenas com o dinheiro do salário, a qualidade do trabalho é mero detalhe.

    ResponderExcluir
  34. Opa, bacana que você tenha encontrado os suportes de motor originais, tudo fica muito melhor com peças corretas.

    ResponderExcluir
  35. "Montadora" era a antiga Brasmotor, simplesmente pegava as peças do Fusca e "montava".

    Já a VW projeta, modela, corta, estampa, solda... ou seja, "fabrica", portanto...

    ResponderExcluir
  36. Bob, lembrei de um termo que me assola: os Mariners, Fuzileiros Navais Americanos, são chamados simplóriamente de "marinheiros" nos telejornais.

    ResponderExcluir
  37. Fabricante ou montador, por mim tanto faz, desde que fizessem o serviço direito, coisa que não andam fazendo!

    ResponderExcluir
  38. Acho que o único jeito de justificar o uso do termo "montadora" em referência às fábricas de veículos no Brasil seria em função do vício das mesmas de "montar" nos seus consumidores - carros muito caros, com preços em alguns casos até 3 ou 4 vezes maiores do que os praticados no exterior, atendimento ruim, etc...

    ResponderExcluir
  39. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  40. acho que neste caso, montadora tem o mesmo significado que fabricante, e quem chama assim tem noção de que a "montadora" fabrica os carros, nada que preocupe. mesmo que empresa/firma, loja/comércio, pode não ser a mesma coisa ao pé da letra, mas todo mundo entende.

    se bem que do jeito que coisa anda terceirizada, até que cai bem.

    ResponderExcluir
  41. Não vejo problema nenhum o nome montadoras. Afinal são multinacionais, os projetos vem lá de fora e elas apenas "montam"aqui.

    A unica FABRICA que existiu no Brasil foi a Gurgel. E lá se vão muitos anos...

    ResponderExcluir
  42. Fabricar é uma coisa, projetar é outra. Vejo assim.

    ResponderExcluir
  43. Pessoalmente, o problema que vejo neste tipo de discussão é que ela leva certas pessoas a dar asas à "policarpo-quaresmice"...

    Como seria Gurgel em tupi-guarani? :)

    ResponderExcluir
  44. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  45. Raphael Hagi
    Lamento realmente, mas o fato de você querer vir a São Paulo para visitar a GM, quando fábricas de automóveis desse porte são todas praticamente iguais, viu uma, viu todas. É fato, geralmente fábricas preferem grupos a visitas individuais, mas isso não é regra inflexível.

    ResponderExcluir
  46. Exatamente. Quem escreve textos institucionais é o pessoal do marketing. Eles são os mais influenciados pela moda. Falo com conhecimento de causa pois já fui redator de agência de propaganda.

    ResponderExcluir
  47. Inteligente é ser cardiaco e fumar aos quase 70 anos.

    ResponderExcluir
  48. ADG HIGH TORQUE
    Não fazem distinção entre montadoras e fábricas porque a contaminação é descomunal. Veja se lá fora alguma fábrica se auto-denomina montadora. Isso não existe. No máximo, unidade de manufatura e unidade de montagem. Mas a empresa é sempre fabricante de veículos, automaker.

    ResponderExcluir
  49. Sério esse negócio de elevadores?

    Putz, eu jamais iria querer alguém como o Bob (ou alguém como ele) pra síndico do meu prédio....O cara ia encher o saco e multar pelas mínimas coisas.... Ia ter que mudar de lá!! hehe

    ResponderExcluir
  50. Perneta
    Aqui no AE e onde quer que eu escreva, performance nunca. Certíssimo você. E o que dizer de "test-drive"? Por que não escrever simplesmente "Venha testar um", "Venha fazer um teste" ou "Venha experimentar"? A Honda, na programação dos lançamentos nunca diz "test-drive", mas experimentação. Mas pior mesmo é "teste-drive". Aí doi...

    ResponderExcluir
  51. Não tenho nada contra estrangeirismos, performance é até uma palavra bonita; uma coisa ridícula é escrever "50% OFF" nas vitrines, quando querem anunciar um promoção.

    Modinha que começou em shopping centers (termo não usado no Exterior, lá é shopping mall) chiques. Só mesmo no BRAZIL.

    ResponderExcluir
  52. Termos que realmente só confundem: Outro dia estava discutindo com um aluno o uso de certas palavras. Monta-se uma lasanha, cuja massa comprada. Nesse caso quem fez a massa é fábrica ou montadora? Segundo o aluno, nem uma nem outra, é pastifício. (!)
    Pior, pelo menos para mim, é a confusão entre ponto e vírgula. Muitas vezes já ví pessoas usando o ponto para separar casas decimais e depois esquecerem o que estavam fazendo, olharem aqueles dois números separados por um ponto (que, no padrão brasileiro é um sinal de multiplicação) e multiplicarem. Ficamos com absurdos do tipo: 10/4=2.5, mas como2.5=10, 10/4=10!
    Fazendo esse tipo de confusão, não é a toa que nossos engenheiros não conseguem fazer uma ponte que fique no lugar, um prédio que pare em pé , um metrô que sustente a terra acima dele ou cujas estações fiquem pelo menos dois dias sem apresentar infiltrações.

    ResponderExcluir
  53. Joel Gayeski
    Exemplo perfeito de montadora, a Brasmotor. Também a Vemag, que montava Studebaker.

    ResponderExcluir
  54. Vamodoido,
    Outro bom exemplo, marinheiros em vez de fuzileiros navais. Também, planta em vez de fábrica, unidade fabril (de plant).

    ResponderExcluir
  55. anônimo 31/1 15:02
    Boa, sua interpretação de "montar"...

    ResponderExcluir
  56. Alan,
    Entender, todo mundo entende, mas isso não justifica exprimir de maneira errada. E as novas gerações, vão crescer achando que automóveis são apenas montados?

    ResponderExcluir
  57. BOX666
    Então você acha correto chamar dois elevadores se vai utilizar apenas um? O consumo de energia adicional, que é rateado entre todos os moradores, inclusive o próprio, não lhe diz nada? Sobre a indústria automobilística daqui, todas têm engenharia de projeto e desenvolvimento, o que nada tem a ver com a atividade de uma simples montadora. Como é possível você não saber disso? E a palavra performance, como você a lê, per'fór'mance ou per'formance? Esse é apenas um motivo para usar desempenho no lugar.

    ResponderExcluir
  58. Bob, esse é apenas um dos pequenos e incômodos erros que temos na nossa língua.

    As palavras em inglês apropriadas ao nosso idioma também são desnecessárias dada a extensa relação de palavras que existem na língua portuguesa. Isso também é culpa de um ensino precário nas escolas e de uma exacerbada falta de nacionalismo, que somada à americanização do mundo, nos presenteia com as, ao meu ver, inaceitáveis expressões de origem saxã.

    Acho uma beleza ouvir "Guanabara", "Guarujá", "Tupiniquim", "Ipanema" "Piracicaba" e outras. Será que sou o único?

    Grande abraço

    ResponderExcluir
  59. Uniblab
    É comum tradutores experientes, ao verter assuntos de indústria automobilística para o inglês, usarem a palavra 'assembler' por motivo de no original estar montadora. Bonito isso, não?

    ResponderExcluir
  60. Anônimo 31/1 16:27
    Então você me conhece, hein? Mas por que então o anonimato? Mas me conhece superficialmente, porque não sou cardíaco, tenho coração perfeito. Apenas tive você sabe o quê e foi feita a correção, sem cirugia. Vamos, apresente-se!

    ResponderExcluir
  61. Eduardo Zanetti
    Concordo plenamente, parabéns.

    ResponderExcluir
  62. A primeira vez que li esse assunto, passei a utilizar na mesma hora. Para o tal do CKD não seria correto utilizar montadora? Algumas vezes parece ser mais fácil, prático ou de melhor leitura utilizar montadora, sendo um pouco difícil adaptar a frase pra fabricante.

    ResponderExcluir
  63. Dizer (per-fór-mance) me parece mais adequado, já que se fala assim em Ingles. O problema dos elevadores é de falta de educação mesmo, onde moro, sempre tem um infeliz que fica segurando o mesmo num andar, daí chamar o que vier primeiro. Isso podeiria ser facilmente resolvido, com algum dispositivo que impedisse dois elevadores de pararem no mesmo andar (acho até que já existe isso)

    Não concordo com todas as opiniões do Bob, mas ele é uma enciclopédia viva, tanto de automóvel como de experiencia de vida, e isso merece respeito.

    ResponderExcluir
  64. Anônimo 31/1 18:02
    É apenas questão de hábito. Se é uma empresa dedicada apenas a montagem de CKD, não produz mais nada, aí é montadora. Mas certos hábitos são mesmo difíceis de serem mudados.

    ResponderExcluir
  65. Outro hábito difícil de mudar é o famoso câmbio "mecânico", em oposição ao seu equivalente automático. Na verdade, mecânicos todos os câmbios são, tanto os automáticos quanto os manuais.

    ResponderExcluir
  66. BS

    Já que o sr. falou nisso, nunca reparou em brasileiro que lê em inglês na Internet sem ser plenamente alfabetizado nas duas línguas escrever teoreticamente? :)

    ResponderExcluir
  67. Uniblab,
    Nunca vi, mas é perfeitamente possível. Boa essa. E não existe o "Vou estar enviando"?

    ResponderExcluir
  68. Tem um texte irônico na internet sobre o gerúndio.. É muito engraçado. Algo do tipo: "esse texto é pra você estar deixando sobre a mesa de quem costuma estar falando dessa maneira para que ele possa estar vedno..."

    ResponderExcluir
  69. Bob,
    Já que o erro "vem de cima", da própria Anfavea, o acrônimo da associação deveria ser mudado para Anmovea...
    Não faz muito tempo, me deparei com a inscrição "original de montadora" na embalagem de papel cartão de um filtro de ar da marca Tecfil, nesta ocasião até digitalizei a embalagem e mandei a imagem por email para o PK. Outra gafe em embalagem de filtro (não me lembro de quê) foi da Mahle-Metal Leve que, além de fazer citação à montadoras (não me recordo a frase exata), mas também, nas especificações, indicava o filtro a vários Fords dotados de motor VW AP 1.800, detre eles o Escort "Guia"...

    ResponderExcluir
  70. Bob

    Não sabia dessa da Brasmotor. Vivendo e aprendendo.
    Estrangeirismo é um porre. Tá, eu sei inglês mas aqui se fala PT-BR e não EN-EN ou EN-US.
    Recebo aqueles emails do Peixe Urbano com "50% off", é de doer.

    Eduardo Zanetti
    Tu não és o único. Já cansei de ser chamado de chato por falar "bolsa inflável", "freio anti bloqueio" e outros.

    Marlos Dantas
    Devem ter traduzido OEM ao pé da letra, uma vergonha+

    ResponderExcluir
  71. Marlos Dantas
    E a Fiat deveria mudar o nome para Miat...

    ResponderExcluir
  72. Como estamos no país dos impostos, vale a pena destacar que montagem é considerado, para o IPI, sinônimo de fabricação. Não importa se só montou ou fabricou e montou. Montagem e fabricação constituem fato gerador do IPI, sem distinção do que foi produzido/montado.

    ResponderExcluir
  73. Anônimo 4/2 17:44
    Seu comentário pode ser intepretado de duas maneiras. Uma, que um imposto prevalece sobre a verbalização de uma atividade e que portanto pode-se chamar fábrica de 'montadora', que está certo. Outra, ser um absurdo inominável um ministério considerar irrelavante o método de produção de um automóvel. Qual das duas?

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.