IMPRESSÕES RÁPIDAS


O título já diz: são impressões de carros que dirigi, e, como tais, são minhas as impressões, portanto, certamente haverá os que tiveram as suas e discordem.

Cito só a primeira coisa que me vem à cabeça quando os vejo aqui e acolá. Uno Mille: êta carrinho duro. Cabrito. Cumpre o papel que o Fusca cumpriu. Espaçoso, econômico e resistente. E tem gente que reclama quando um carrinho leve desses não tem a direção hidráulica opcional, e aí me lembro de minha mãe - uma mulher delicada – quando ela guiava a nossa Veraneio sem a bendita direção hidráulica e constato que hoje em dia tem muita gente se afrescalhando demais por aí.

Novo Uno motor 1.4: o design que tentou ser mas não é. Porém, feio ou bonito, tanto faz. É um carro robusto e gostoso na cidade. Espaçoso, suspensão macia, motor esperto. Bom carro. Não o guiei na estrada.

Renault Logan 1.6: Suspensão excelente, muito macia e estável. Na estrada vai bem  Ótimo para táxi e para o pai de família que preza mais o espaço do que qualquer outra coisa. O banco traseiro é muito espaçoso. Se eu fosse rico, teria um desses para andar no banco de trás, tendo motorista particular.

Renault Sandero 1.6: bom que nem o Logan na cidade e muito bom na estrada. Para ambos falta a regulagem de distância do volante.

Renault Clio 1.0: baixinho bom de tudo. Capetinha. Dos pequenos é o melhor. É o que temos que mais se aproxima do espírito ágil do Mini atual.

Peugeot 207 XR 1.4: motor um pouco menos esperto que o 1.4 da Fiat, mas é suficiente. Bom de curvas, mas é arisco quando escapa, pois solta a traseira num zap, o que não é comum em carro de tração dianteira. Suspensão boa, firme sem ser ríspida. Viaja muito bem para o tamanho. Boa ergonomia.

Honda City EXL 1.5: suspensão dura. Bom de curvas de baixa, apesar de ser meio arrastador de frente.  Na estrada é um pouco sensivel a vento lateral, mas nada que comprometa. Pelo preço tem coisa muito melhor. Motor anda bem, mas, pelo preço...

Honda Fit EXL 1.5: igual ao City, como não poderia deixar de ser. Bom pra quem não percebe que o carro é desconfortavelmente duro e acha legal o design, que é mesmo legal. O motor tem um monte de tecnologia de comando variável e tal, que não se refletem em desempenho ou economia.

Honda Civic EXS: show de carro. Excelente na estrada. Quanto mais pisamos mais agarra. Suspensão um pouco mais firme que a do Corolla, mas, para quem gosta de fazer curvas, compensa. De motor eles regulam (isso para o Corolla 1.8).

Honda Civic Si: motor encapetado, anda pra burro, principalmente quando o comando passa para o seu "lado bravo". Aí ele nos empolga mesmo, é um esportivo de verdade - nesse estado ele bebe gasolina que nem um V-8 desregulado. Suspensão dura pacas. Na cidade de São Paulo ele sofre e a gente sente dó. Me desculpe, mas eu ficaria com o Civic comum, que em boas mãos dá trabalho ao Si em mãos regulares.

Toyota Corolla GLI 1.8: Muito confortável. Boa ergonomia. Excelente estradeiro. Econômico. Carro mais rápido do que pensam. É um tiozão que sabe onde pisa. Pena ter volante e pedal de freio tão leves que incomodam e tiram o prazer.

Nissan Tiida 1.8 S: bom de tudo: cidade e estrada. Na cidade roda macio e ágil, e na estrada é firme como um Civic. Tem a vantagem de ser um hatch, pois com o banco traseiro rebatido cria um espaço enorme atrás. Pena ter taxa de compressão tão baixa, pois fica meio gastão com álcool. Quando acertarem um melhor design para essa base, venderá bem mais.

Ford Focus GLX 2.0: bom de tudo. O melhor dos médios na estrada e nas curvas, sejam elas de alta ou baixa velocidade. O câmbio automático poderia ser mais esperto para reduzir, mas é um carro que merece o câmbio manual, já que o conjunto chega a empolgar. Ergonomia perfeita, fora o console central que é muito largo e tira espaço para as pernas.

Renault Mégane Grand Tour 2.0: boa de tudo, além de chic. Merece um estudo para se saber porque não vendeu tanto quanto merecia. Pena que agora só tem com motor 1.6.

Nissan Livina 1.8 S: boa, mas ergonomia não é seu forte. Suspensão boa na cidade e boa na estrada. Pra quem gosta de carro altinho, tudo bem.

Ford Courier XL 1.6: ainda a melhor picapinha pequena, já que roda macio, é boa de curva e tem a maior caçamba. Quem quiser ficar bacana no filme, que rode de outra coisa que não uma picape.

VW Saveiro nova: bonitinha e gostosa de guiar, mas, que caçambinha mixuruca! Não leva nem minha motinha Biz. Merece reestudo pela fábrica.

Peugeot Hoggar Escapade 1.6: o Bob diz que é excelente de chão. A caçamba, vi que é grande.

Ferrari F430: show. Na estrada parece que sua velocidade não tem fim, porque o motor empurra forte e a sensação de penetração aerodinâmica é de muita fluidez. É marcha atrás de marcha que vamos borboleteando e quanto mais anda, mais está em casa. Motor elástico e absurdo de giro. A estabilidade é primorosa e o modo como se comporta nas curvas é uma fartura de prazeres. Ao contrário do que pensam, ele avisa com boa antecedência sobre o que vai fazer.

Audi R8 V-8 4.2: ele é tão agarrado ao chão, tão bom de chassi e suspensão, que sobra carro, mesmo tendo 420 cv. Excelente em saídas de curva, mas eu ainda preciso experimentá-lo melhor, pois ele tem algo que me incomoda nas entradas de curva; parece que ele dá uma erguida estranha na traseira e parece que ela quer escapar. Talvez seja ainda falta de jeito meu. Com o F430 não precisei adaptar meu modo de guiar para saber certinho até onde eu poderia ir.

Lotus Exige: tudo perfeito. Ainda mais que gosto de carro minimalista, sem frescuras. Se eu tivesse bala para comprar qualquer carro do mundo, eu compraria o Exige, e daria fácil um drible em qualquer carro do mundo...

Porsche 911 Turbo: são 500 cv que vêm de supetão e cujos pneus não patinam, vai tudo pro chão. Um dragster. É bom usar pescoceira. Não tem pra ninguém em arrancada, até o F430 toma lenha e fica falando sozinho. E, por incrível que pareça, o Porsche é dócil, se você for dócil com ele, mesmo assim, fico com o F430; talvez seja tara e tara é tara e boa.

Porsche Boxster S: chassi rígido que parece feito de mármore; uma incrível engenharia da Porsche fazer um conversível assim. Esportivo excelente, bom e tudo, anda rápido, perfeito em curvas, pequeno, fácil de guiar, fácil de tirar tudo dele. É o Porsche dos meus sonhos, pois é mais raiz da marca, tem motor central-traseiro, como o primeiro 356, e é leve.

Ford Mustang atual: alavanca do câmbio manual deliciosa, curta e justa, com marchas próximas. Não gosto do design da traseira, que acho meio enorme, grande demais para um esportivo de motor dianteiro, que deve ter traseira enxuta, como o primeiro Mustang tinha. O eixo traseiro é rígido, porém leve, que só se atrapalha quando o piso é ruim mesmo. Fora isso, agarradinho, leve e ágil. Uma vez, no bairro do Itaim, vi uma loiraça descendo de um vermelho, que ela mesma guiava. Uau! Como eu estava a pé, fui tirar uma curiosidade: seria câmbio manual ou automático? Se fosse manual eu gamaria na loira. Era manual! Gamei, uai.

Chevrolet Camaro atual: apesar de ter o teto um pouco baixo, que nos abafa na primeira entrada, essa impressão logo passa. A suspensão traseira, independente, é primorosa. Acompanha cada depressãozinha do chão. Eu ficaria com ele, entre ele e um Mustang, só por causa da traseira melhor assentada e com melhor tração.

Dodge Challenger atual: um monstro, tanque de guerra, que faz certinho tudo o que lhe mandamos. O espaço no banco traseiro dá para duas pessoas na boa e viajando. Suspensão primorosa, boa até demais para carro americano. Depois vim a saber que ela é projeto da Mercedes e foi aí que entendi a coisa. Carro ideal para dois casais de malucos viajarem na lenha até que sejam presos e excomungados.

Ford Mustang década de 60: leve, ótima ergonomia, ampla e clara visão, motores V-8 ótimos, mas não invente de descer muito a lenha, porque por baixo é um Falcon e, sendo assim, quando está na reta fica leve, quando freia afocinha, quando entra na curva sai de frente e quando a gente conserta a frente ele sai de traseira. Tudo bem, isso é divertido, mas, que fique claro, é tipo pilotar uma carretera.

Chevrolet Camaro década de 60: prefiro o Mustang, que é melhor em tudo.

Dodge Challenger década de 60: prefiro o Camaro, que é melhor em tudo.

Porsche 911 década de 60: o 911 mais bonito. Ótima ergonomia. Todos os comandos em posição e peso ideais. Ainda era um esportivo leve. Um carro cheio de truques para se tocar no limite sem que a gente se esborrache. Na estrada ele não fica com a traseira plantada, ela da uma reboladinha que lembra o Fusca. Ainda lembra o Fusca em comportamento, claro que num nível imensamente superior.

Alfa Romeo Giulia GT década de 60: esse sabe fazer curva. Carro de corrida. É só colocar na pista com o setup original que já está certo. Ergonomia excelente. Motor elástico, macho, mas que não é de alto giro.

Alfa Romeo Duetto: bom que nem o Giulia, com a vantagem de ser conversível. Pena que não é muito bem amarrado e torce um pouco o monobloco, mas é pouco e vale a pena, porque viajar nele de capota arriada é coisa mesmo de cinema.

Chevrolet Corvette pré-Sting Ray (pré-63): chassi de carrão americano da década de 50 com motorzão V-8, numa carroceria cheia de faz de conta. As saídas de ar – nos para-lamas dianteiros, atrás da rodas, que seriam para exaurir o ar quente do cofre do motor – são falsas, não sai ar. A borboleta da calota, imitando cubo rápido, é falsa, é só calota. A entradas de ar na frente do carro, que seriam para direcionar ar para refrescar os freios, são falsas, tampadas. Os pedais são tipo os da Veraneio, dá pra guiar de bota 7 léguas. A alavanca de câmbio é das melhores, faz um cláck gostoso que só ela. O fiadamãe é bonito pacas e gostoso de guiar, mas tem muita bugiganga falsa pro meu gosto.

Chevrolet Corvette Sting Ray década de 60: aí muda muito e já é um esportivo de verdade, além de lindo de qualquer ângulo. Dizem que havia o opcional de direção mais rápida e eu ainda não guiei nenhum com ela, e isso faz falta, já que é excessivamente desmultiplicada, e, na hora de corrigir a escapada de traseira dá um trabalho medonho, porque até colocar os pneus dianteiros no ângulo desejado já era hora para estarem apontando pro outro lado. É minha paixão de infância, daí que é difícil eu criticar o carro, me dói um pouco. Continuo apaixonado e boa, e me entendo muito bem com ele, obrigado.

Chevrolet Corvette Z06 512 cv: anda de botar medo. Acelerá-lo pra valer é como montar num furacão. É bom ter espaço pra isso, pois senão parece que vai varrer e levar no peito tudo o que se vê pela frente, e lados. Passei a vergonha de sair em 3a marcha e não perceber de cara, de tanto torque em baixa (tem 6 marchas). Faz o miolo inteiro de Interlagos em 4a marcha e tudo bem, ou melhor, vira Interlagos inteiro em 4a marcha e mesmo assim ainda vira mais rápido que muito esportivo metido a besta. A direção poderia ser um pouco "menos americana" e "mais europeia", ou seja, mais comunicativa, que transmitisse melhor o contato dos pneus dianteiros com o solo.

Nissan 350Z: pesado de frente, arrasta a frente nas curvas. Anda bem, bom carro, mas não empolga como os japoneses acham que deveria empolgar. Se afastassem mais para o centro do carro o excelente V-6, ficaria bom. Talvez tenham acertado a mão no 370Z.

Mazda Miata: o melhor esportivo japonês que guiei. Perfeito de chão. Motor não barbariza, mas é tão bom de chão, tão agarradinho e previsível, que é paixão à primeira curva.

VW Fusca, todos: vai saber por que é que eu gosto tanto de Fusca. Se você me perguntar, eu faço cara de idiota e não sei responder. Mas que eu gosto desse carro, eu gosto. Na roça não há nada melhor.

Ford modelo A: maneirinho de guiar e muito confortável. Se for sem capota, então, é gostoso pacas. Ideal para quem não sabe guiar carros antigos e quer guiá-los, porque esse é fácil.

Ford modelo T: esse demora pra gente guiar sem se atrapalhar, porque é tudo tudo diferente: o pedal da embreagem é o câmbio; apertando ele a fundo é 1a marcha e soltando ele todo é 2a marcha; no meio, segurando-o quietinho no meio, é ponto-morto. O acelerador é no bigode, o freio só finge que freia, já que é só uma cinta que segura o cardã, então, pra começar, procure um lugar amplo e deserto, se não quiser pular fora daquele troço desembestado.

Moto Triumph Boneville: moto dos meus sonhos. Clássica e de ótima ciclística. Relativamene leve, anda forte e não tem os inconvenientes abrutalhados que as Harley têm.

Sheik, meu cavalo véio: está ficando velho, barrigudo e safado. Ele, que quando jovem era fogoso de arrepiar, agora, quando saio pra andar, ele sai se arrastando quase morto de dar dó. Mas basta tomar o caminho de volta que ele torna a ser o que era, ergue o rabo e toco eu a fazer força pra segurar o bicho. Velhaco enganador, chantagista emocional.

Tem mais um monte de carros aí pra comentar, mas creio que o leitor já cansou de andar em tanto carro.

AK

112 comentários :

  1. Legal! Guiei apenas alguns desses carros.

    ResponderExcluir
  2. Ótimo, PK, ótimo. Divertida sua lista, e me surpeendi com várias passagens, como a do Z06. Continue suas impressões sobre outros veículos!

    Abraço

    Lucas crf

    ResponderExcluir
  3. Arnaldo, uma perguntinha aqui!. Oque é preciso para um condutor desenvolver a sua sensibilidade no momento em que está avaliando o comportamento de um ''cavalo mecânico''?. Quais os primeiros ítens a serem observados quando sentamos aos comandos de um veículo?. E ao coloca-lo em marcha, oque precisamos ficar atentos no que diz respeito ao comportamento dinâmico?. Desculpe se a pergunta é um tanto quanto inocente, mas existe algo além do conhecimento e uma boa dosse de talento?

    Abraços.

    Henrique

    ResponderExcluir
  4. Quando o cabra é bom na escrita e no volante, poucas palavras bastam para sintetizar com propriedade o comportamento dos veículos.

    Obrigado pelo passeio AK, listinha muito, mas muito legal mesmo.

    Gostaria de ter dirigido do final para a metade, só coisinha fina mesmo...

    Pergunta: um conhecido meu está decepcionado com o novo Focus - pois parece a ele - que a suspensão traseira é sensível como dos antigos escort's e têm tendência em sair de lado em tomadas mais agressivas. Como já andei em Focus 1.6 e 2.0 - mesmo sem explorar os reais limites - o achei bem neutro, obediente e tranquilo. Como sei também que esse sujeito não é tão atirado quanto eu ao volante, pergunto se não é meio cascata da grossa, visto que só ouço elogios do carro?

    Abraço, a 430 merece um post especial né?

    GM

    ResponderExcluir
  5. AK,

    Muito bom! Retrospectiva?

    Curti muito as partes do Challenger (Novo)
    "Carro ideal para dois casais de malucos viajarem na lenha até que sejam presos e excomungados" hehehe
    ...do Corvette Z06, O Corvette foi o carro que eu mais paguei um pau, assistindo ao GT1, que ronco é aquele (reduzindo)?
    ahhh... e do Sheik é lógico!

    Meu momento automobilístico (eu diria até no geral) mais alto em 2010 foi dirigir um R8 V10, que loucura AK! Fácil de dirigir, pena que não tive a chance de testá-lo numa estrada... Foi a primeira coisa que eu pedi quando entrei no carro, mas a pessoa que me proporcionou esta experiência já foi muito legal de lembrar.

    Ahh... e quanto aos Civics, penso que a diferença é enorme entre o EXS e o SI. Talvez o EXS tenha passado a impressão de andar mais do que ele realmente anda, não?

    Abs e Feliz 2011!

    ResponderExcluir
  6. Arnaldo,

    Essa sua lista é sempre enriquecedora a nós entusiastas!!! Especialmente por ser bem eclética!Se quiser pode fazer a continuação, pois está no lugar certo.... Quanto aos Renault Sandero e Logan 1.6, são os 8v? Se positivo, você os achou muito ruidosos em marcha lenta devido aos tuchos mecânicos? E o Novo Uno 1.4, toda a imprensa fala da alta aspereza de funcionamento deste motor, você percebeu algo gritante?
    Abraços e ótimo 2011!

    ResponderExcluir
  7. Ótimo post Arnaldo.
    É sempre bom ler as impressões de alguém que conhece do assunto

    ResponderExcluir
  8. Belo post, Arnaldo!

    Só discordo quanto ao civic SI. O meu andando com pé no porão (trackday girando entre 6000 e 8000 o tempo todo) fez 8 km/l, o que eu considero muito bom considerando o modo que eu andei.

    Já fiz viagem Brasília-Goiânia com minha então noiva (hoje esposa) a velocidades muito acima do permitido, com estrada praticamente vazia e ele fez 8,5 km/l, contando ainda um trecho em goiânia pegando engarrafamento.

    Aqui em BSB, que é plano e a gente pega poucos sinais de trânsito, consigo fazer de 11 a 12 km/l sem ar condicionado consistentemente (baixa pra uns 10 a 11 km/l com ar condicionado).

    Pra mim o carro tem o consumo muito bom levando em consideração o tanto que ele anda.

    ResponderExcluir
  9. Guilherme M.03/01/11 16:34

    O AK descreveu tão bem o R8 e a 430 que eu me senti dentro deles.

    Como ja disseram ai em cima, eles merecem um post só para eles.

    ResponderExcluir
  10. Procurae... o do R8... com as impressões de vários, que aqui colaboram.

    Abs

    ResponderExcluir
  11. Vou falar daquele que melhor conheço nesta lista, o Renault (ou Dacia, como muitos costumam dizer, querendo com isto depreciar o carro) Logan 1.6: surpresa positiva em todos os princioais aspectos. E como não passo dos 120Km/h, a tal insegurança que o Keler citou acima desta velocidade, nem vale para mim. Estou satisfeitíssimo com ele, e recomendo para qualquer um que me perguntar. A única crítica fica mesmo para a ergonomia dos botões dos vidros elétricos, e os retrovisores um tanto pequenos, coisas resolvidas no modelo novo. Uma curiosidade: ao contrário do que afirma o Keller, tenho visto muitas mulheres dizerem que o acham bonito (até mesmo o modelo antigo), coisa que dificilmente ouço um homem dizer.

    Mr. Car.

    ResponderExcluir
  12. PK, pode aumentar a lista... Acho que ninguém liga não!

    ResponderExcluir
  13. Arnaldo Keller03/01/11 17:49

    Henrique,

    Essa sua pergunta me fez parar pra pensar, porque hoje avalio os carros naturalmente, já que há bastantes anos estou constantemente descendo de um carro e montando em outro. Hoje consigo arquivar as sensações que tive ao guiar tal carro e, ao sentar para escrever, toco a rememorá-las como se assistisse um filme.
    Bom, mas para se avaliar realmente um carro é preciso ficar com ele por alguns dias, andar com ele no seu trajeto diário, ir pro trabalho, etc, e, de preferência, viajar com ele - já que, como diz o Bob, carro e mulher a gente só conhece direito viajando.
    Isso para carro comum, para avaliar como ele realmente é em cidade/estrada. Carro comum em pista, tipo Interlagos, não quer dizer muita coisa, não, já que é uma condição específica e não dá pra saber se é duro ou macio, já que o asfalto é perfeito, etc. curvas sem rugosidades, etc. Além do mais, em pistas como Interlagos, grandes, espaçosas, o carro precisa ser muito potente para nos impressionar.
    O importante é a prática, o exercício, tal qual qualquer atividade, e variar de carro, para estar sempre comparando. E é importante vc se concentrar quando guia, tentar se desligar de tudo e sentir as forças que atuam em seu corpo. E nessas vc vai fazendo de cachola uma espécie de "check-list", testando cada situação, forçando situações, simulando.
    Agora, importantíssimo, não bancar o moleque idiota e fazer besteira. Sempre ir somente até onde vc tem certeza que dá e não vai dar merd... de jeito nenhum. Escolher lugar realmente próprio. Em suma, ser responsável. Tem muita história de jornalista que fez merd.., estampou carro por aí, muita história mesmo e não quero passar por isso.
    De qualquer modo, como tudo na vida, muita prática e dedicação. Dom, meu velho, conta, mas o que conta mesmo é a seriedade com que vc se dedica, e, só falar o que tem certeza, já que cada carro é resultado de muito trabalho sério e a gente sempre tem que respeitar o trabalho sério dos outros.
    Fazer um curso de pilotagem ajuda muito.

    Mister F. Finesse,

    Não faço idéia do que seu amigo andou aprontando com o Focus dele, mas, MFF, tudo tem limite. Talvez se ele tivesse feito o mesmo com outro carro ele não estivesse aqui pra nos contar, não é?...

    Fabio,

    O Si impressiona, anda pacas, mas o EXS não fica tão atrás, não, na hora do vamos ver. Não cabe aqui eu dizer como atestei isso, mas eles andaram perto um do outro, e isso em condições extremas, que são raríssimas de acontecer. Daí que, na prática, não sei se vale a pena a diferença de preço e comodidade.

    Thiago,

    Frescura. O pessoal anda muito sensível demais da conta. Ficam achando pelo em ovo, tanto para o motor Renault quanto para o Fiat.
    Só que tem uma coisa, o renault 1.6 16v dá uma estilingada boa mesmo, coisa que o 8v não dá, e na estrada isso faz diferença, tipo a diferença do motor que cumpre o seu trabalho para o que cumpre e além disso lhe dá prazer.

    Carlos Eduardo,

    O "meu" gastou. Vou fazer o que?
    Mas nada contra, pois, afinal, ele estava produzindo 200 cv e isso tem que custar alguma gasolina mesmo. Esse é um motor fantástico, que fico imaginando num esportivo leve, tipo Lotus. Seria só botar na pista, que o motor é de corrida.

    Fabio,

    O R8 é mesmo fácil de dirigir, como a maioria dos esportivos atuais. O galho é achar o limite deles, que está alto, bem alto.

    Mr. Car,

    Também gosto muito do Logan. Acho um ótimo carro. Quanto à opinião das mulheres, acho que elas gostam mesmo é de vc e querem te agradar...
    Que seja, uai, melhor procê.

    ResponderExcluir
  14. Ih, Arnaldo, te chamei lá em cima de PK... foi mal, embora admire muito o primo.

    Abraço

    Lucas crf

    ResponderExcluir
  15. Lucas,

    Eu também admiro muito o meu primo. Antes todos os meus primos fossem iguais a ele, mas acho que foi só esse que prestou.

    abraço,

    ResponderExcluir
  16. Luiz Dranger03/01/11 18:30

    Arnaldo, belo post!
    By the way, estou relendo o seu livro. Ótimo
    Abr
    Luiz

    ResponderExcluir
  17. Guilherme M.03/01/11 18:44

    Valeu pelo toque Fábio, é que faz pouco tempo que eu entro no blog.

    ResponderExcluir
  18. Gostei do post, na lata, sem firula. Só da metade pra baixo que não li, pois supercarro não é muito acessível.

    ResponderExcluir
  19. Junior-Big03/01/11 19:10

    AK,

    Eu chego lá!
    Até o momento avaliei o Mille e o Fusca de sua lista... rs

    Abraços, um ótimo 2011

    ResponderExcluir
  20. Incrível é a decisão da Honda de interromper a fabricação do Civic Si aqui no país, alegando baixo volume de vendas!

    Agora, não sei se perceberam mas o Logan está caindo no gosto dos Taxistas aqui no Rio. Essa reestilização incrementou a frota.

    ResponderExcluir
  21. Júnior Valias03/01/11 19:40

    Arnaldo, Nunca me canso de ler suas impressões. Desde os tempos daquele jornal Primeiramão que leio e releio seus textos até decorar. Atualmente estou com um civic, que considero um estradeiro, mas ruim na cidade, pq o painel é muito grande e a gente não enxerga a frente nem os buracos nas esquinas; e um FIT 1.5 (modelo antigo) que peca apenas por ter o câmbio curto do 1.4 e cansa na estrada. Abraço!

    ResponderExcluir
  22. Grande Arnaldo...como falamos no Salão, um dia iremos andar de Lancer Evo X e talvez até com o I-MIEV elétrico....vc vai ver e se surpreender...inclusive o dono do carro(EVO) não anda mais de Modena, falou que ficou muito sem graça frente ao Evo...exagero em partes mas...na cidade, é o demonio.
    Principalmente nos quesitos de handling....o limite é muito acima do que vc já viu em qualquer sedan...acredite.

    Abraço

    ResponderExcluir
  23. Nicolas, é verdade mesmo que o Si já era? É de fonte confiável? Se for, podemos esperar, é bem capaz dos usados subirem de preço...

    Abraço

    Lucas crf

    ResponderExcluir
  24. "Ferrari F430: show. Na estrada parece que sua velocidade não tem fim," ah vá? é memo?

    ResponderExcluir
  25. Parabéns AK, acompanho o autoentusiastas desde o início e esse foi um dos textos mais legais por aqui. Comecei lendo descompromissado e terminei rindo com algumas impressões suas. Rindo é claro no bom sentido, conseguiu ser engraçado mas passar a idéia que desejou.

    ResponderExcluir
  26. Lucas, se o SI sair de fabricação, despenca o preço dos usados, pelo simples fato dos donos arrebentarem o carro dirigindo achando que estão em um F1 o tempo todo.

    Infeliz realidade a dos esportivos nacionais...

    ResponderExcluir
  27. Grande Arnaldo, parabéns pelo post, a descrição dos supercarros foi ótima!
    Quanto aos "normais": Não gostei do Novo Uno, achei que o espaço interno não é tão bom quanto o do antigo, mas as soluções de design interno foram boas. O Clio infelizmente não tem mais a regulagem de altura do volante, o que significa que minha perna bate no volante toda hora. Por isso sou fã dos Logan e Sandero, onde não tenho esse problema e (no Logan) ainda tem uma bat-caverna para levar as tralhas da filhota. Fusca é Fusca e vice versa, mas ainda voltarei a ter uma Variant, que acho mais gostosa na estrada. Quanto ao Tiida, no Salão gamei no modelo sedan, pelo mesmo motivo do Logan mais o câmbio de 6 marchas.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  28. Hein Lucas, eu li essa informação na internet, em alguns sites.

    Dê uma olhada no link abaixo:

    http://carmagazine.uol.com.br/lancamentos/new-civic-si-deixara-de-ser-fabricado-no-brasil

    Vlw!

    ResponderExcluir
  29. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  30. Falar mais o q??? Rs
    Já pensou como deve andar a nova F-458 Italia? Sempre leio que muito superior a antecessora...
    Show de post Arnaldo!
    Pode aumentar a lista!
    Abraços

    ResponderExcluir
  31. Já dirigiu um Dogde Charger R/T Rallye anos 70?

    ResponderExcluir
  32. Valeu AK! Quem sabe o que ele fez com o carro para declarar isso...(se estivesse em um Pug, ainda estaria correndo para pegar a traseira dele).

    E se é para compartilhar impressões rápidas; fica este último post:

    http://meuamigodelata.blogspot.com/2011/01/impressoes-focus-sigma-x-golf-tech-x.html

    abraço

    GM

    ResponderExcluir
  33. Eneégles Steo04/01/11 08:13

    uma biz não caber no saveiro, só pode ser a estendida, saveiro de fresco.
    no saveiro de verdade, cabine simples, com jeito cabe até superesportiva.

    ResponderExcluir
  34. Marcelo Augusto04/01/11 09:34

    O bom da direção assistida é proporcionar relação de direção mais rápida, ideal. Se o carro proporcionar relação até 17:1 sem assistência e sem ficar pesada demais em manobras, perfeito. Caso contrário, qual o problema ou "frescura" em se aplicar assistência?

    O Fiat 147 tinha relação de 17:1, mas devido a reclamações de direção pesada em manobras, mudaram para 21:1. Esse valor -salvo melhor informação - ficou até hoje para o Mille. Quem desejar melhor relação precisa da direção assistida, qual o problema? O Celta que também não é nem um elefante, tem relação pra mais de 20:1, muito desmultiplicada e pesada, antes era preciso instalar direção assistida como acessório, a fábrica acordou e agora é possível adquirir de fábrica. Frescura?

    O Fusca tinha relação de 14,4:1, relação perfeita e sem necessidade de assistência devido ao peso de manobra.

    ResponderExcluir
  35. He he... praticamente testei junto na medida em que ia lendo...
    Ano passado, não tive grandes oportunidades, porém, não posso deixar de registrar que em janeiro testei um punhado de carrinhos em Guaporé (caramba! já faz um ano e parece que foi ontem...) cortesia do maluco do Paulo Trevisan e, das crianças disponíveis o Reynard Ford do Rubens B, by Arisco, ganhou meu coração. Inesquecível.

    ResponderExcluir
  36. Aqui no Rio, tem realmente mt Logan taxi como o colega acima mencionou! Mas o que me surpreente é o numero de Livina circulando por aqui. Meu primo tem um Livina SL 1.8 AT e vai mt a Sao Paulo e diz que la quase nao se ve Livina ... porq sera???

    O carro eh fantastico e o preço é otimo!

    ResponderExcluir
  37. Arnaldo Keller04/01/11 10:19

    Luiz Dranger,

    Relendo o livro? Gostando? Obrigado por me dizer isso; fico contente.

    Anônimo que não lê sobre supercarros,

    Conheço um bocado de gente que lê sobre aviões de caça e não os acham acessíveis também. É legal saber, pois os supercarros de hoje serão os carros comuns de amanhã. Pegue um Honda Civic e o coloque na 24 Hs de Le Mans da década de 30 e veja se ele não a venceria, e de ar/cond ligado...

    Junior Big,

    Para certas condições, o Uno e o Fusca são ideais. Cada carro com sua utilidade. Não há um ideal para tudo. Dependendo de onde e para que foram testados, poderiam ganhar de qualquer outro.

    Junior Valias,

    bem lembrado, e me esqueci de comentar que a coluna A do Civic atrapalha a visão na cidade. Na estrada, tudo bem, mas na cidade atrapalha.

    911 Turbo,

    Pois é... estou esperando vc me arrumar um Evo, como disse que arrumaria. Fiquei todo animadinho aí e nada até agora. Mas ainda tenho esperanças.

    Bianchini,

    sou um entusiasta do Logan. A suspensão é perfeita para o nosso asfalto, muito confortável e parece robusta. É muito espaçoso. Carro ótimo para a família. carro que vai direto ao que interessa a muitos.

    Rafael,

    o Charger R/T guiei na época. O pai de um amigo que corria de kart comigo tinha um, e meu pai tinha um Dart cupê. Não preciso dizer o que acontecia, mas dentre Dart, Maverick e Opala, fico com o Opala 6-cil.

    Marcelo Augusto,

    nada contra a direção assistida, e sei muito bem que ela permite que a resposta ao volante seja mais rápida. Já comentei algumas vezes isso e isso a gente sente bem nos esportivos antigos com motor V-8, tipo Corvette, cujas respostas são lentas.
    Só que acho que o homem em geral está ficando franzino de dar dó, muito cheio de firulas, muito frágil. Talvez seja porque morei em fazenda por 28 anos e tenha convivido com gente mais rústica.
    Coloque aí sobre suas impressões a meu respeito: sou um cara rústico. Leia o clássico A Cidade e as Serras, do Eça de Queirós, livro que li há 30 anos e reli mais uma ou duas vezes, e certamente vai entender perfeitamente o que eu disse e não vai tentar distorcer o sentido.

    ResponderExcluir
  38. AK, desculpe-me, mas pra eu acreditar, só mostrando na pista, conforme seu relato, o Si é meio beberrão, lógico, "cavalo que não bebe não anda..."
    A estilingada do bichão dos 6000 aos 8 mostra pra que veio, vc mesmo falou que se trata de um motor de corrida, sem falar da suspensão, penso que num trecho de serra, se um louco tentar acompanhar um Si com um EXS, na primeira transferência de peso, se não der merda, quem tiver com o EXS vai tirar o pé... AK, não estou aqui pra contrariar, mas são as minhas impressões. A versão 1.8 passa ser bastante divertida também, porém a matemática da coisa é outra. Civic 1.8 é freguês até de Polo 1.6 na estrada, já o Si, que dó do Polinho...


    Guilherme, por nada.

    Nicolas, C'est fini?
    Que M!!! Único esportivo no Brasil... ontem mesmo encontrei um 2008 por 60k... fiquei pensando... pensando... iiii pensou demais já... deixa.

    MFF, qd vc fala do Pug, é do 206,5, certo?

    Abs

    ResponderExcluir
  39. Preguiça de botar meu nome04/01/11 10:56

    Arnaldo, entendo quando você diz que um ELX bem tocado acompanha um Si mal tocado. Você, como verdeiro conhecedor, sabe que até um Uno Mille bem tocado pode dar sufoco num Si mal tocado numa descida de serra... Isso não denigre o carro!

    Sem falar que o Si vem amarrado de fábrica. Com admissão diferente e Hondata, coisas que não custam nem 4% do valor do carro, ele vai a 220-230hp sem problemas. E aí eu quero ver ELX acompanhar... Vejam o video http://www.youtube.com/watch?v=uSywVAtINrM

    Fiquei na dúvida em relação ao Camaro... Ele é tão bom assim mesmo? Ao que parece ele é feito em cima do Holden Monaro, cuja versão sedan 4p é adorada nos quatro cantos do mundo. Já o Camaro não recebeu tantos elogios... Americanizaram o acerto?

    De resto, parabéns pelo artigo. Muito legal MESMO. Só acho que você ainda precisa andar num 4x4 japa sério tipo EVO ou STi. Os japas criaram uma escola própria de eficiência aparentemetne asséptica mas que, por incrível que pareça, é apaixonante. Palmas pra eles!

    ResponderExcluir
  40. Fabio,

    Não se desculpe. Vc tem mais é que dar a sua opinião e boa. Não sou dono da verdade, sei bem disso.
    Os comentários estão aqui pra isso. Essa é a utilidade deles.
    Ninguém é infalível.
    Faça o favor de dar a sua opinião. Todos agradecem.

    ResponderExcluir
  41. Grande lista Arnaldo, pelo menos sei agora o que esperar de alguns nacionais.
    Marcelo Augusto, a posição do motor conta muito, lembre que os tração dianteira além de puxar o carro tem que ainda esterçar e com o conjunto motor/câmbio em cima para ajudar e que pesam uns bons 100 quilos num popular.
    O Fusca tem motor no eixo traseiro, o que facilita as coisas tanto para manobrar como para ser um meio de transporte barato e confiável na zona rural. Tanto que o X-12 da Gurgel tinha duas alavancas de bloqueio de roda que o tirava de encrencas que um Defender ou um CJ5 que contam com motores fortes, tração nas quatro e reduzida pensam duas vezes antes de entrar numa, e com guincho.
    Com a ditadura da divisão do espaço os motores estão cada vez mais em cima do eixo dianteiro, e alguns conceitos elétricos chegam ao extremo de ter o conjunto motor-câmbio-suspensão embutido nas rodas, já que antigamente com os motores longitudinais, tanto de tração dianteira como traseira, somente um ou dois cilindros do bloco ficavam em cima do eixo (para motores em "V" dobre o número...).
    E a reclamação de direção pesada é porque ninguém mais dá aquele tótozinho no acelerador na hora da baliza e a mulherada agora está ficando com problemas na coluna. E como médico recomenda direção hidráulica leve, a desmultiplicação começa a ficar cada vez mais exponencial.

    []´s e feliz ano novo para todos

    ResponderExcluir
  42. Fábio: exatamente...mas o 206 era ainda pior.

    Quando você entra um pouquinho mais forte em curva de terra, você sente aquela escapada de leve do seu tração dianteira (só falemos destes aqui), o eixo traseiro ratificando de leve a curva, o volante aliviado de peso e a necessidade natural de corrigir bem de leve com acelerador e volante....isso com uno, gol, corsa, spacefox, fiesta e outros mais normalzinhos. Claro que as velocidades são contidas, aproveita-se até o cascalho das beiradas para treinar o reflexo em buscar o carro de volta.

    Mas no 206, fui fazer o mesmo e fiquei sem ação, pois ele desgarrou de forma abrupta demais, percorrendo todo o vértice totalmente atravessado em atitude que me deixou até atrapalhado no uso dos pedais. A janela do caroneiro virou pará brisas e o bicho não dava sinais de retomar o prumo, só conseguir corrigir no volante e tocar no pedal após a frente retomar o norte, de tão surpreendido e pego com as calças na mão que fiquei.

    Quem viu a cena - fugi logo do local - deve ter se impressionado com a "habilidade" do motorista, mas a verdade é que o carro me pregou uma bela peça e por sorte não entrei nas valetas, apenas girei o volante e esperei a derrapada acabar com a tensão estampada.

    Aprendendo a respeitar, verifiquei que em asfalto seco ele continuava vivo demais "lá atrás", basta aliviar o pé,tocar no freio, ou dar excesso de comando na direção que ele "vêm de lado" e avisando a traquinagem mesmo. Se estiver bem acordado e avisado do que ele pode fazer, dá para divertir, mas sempre procure um lugar adequado para isso.

    ResponderExcluir
  43. Arnaldo Keller04/01/11 11:15

    Preguiçoso,

    Amarrado o Si a 8.500 rpm? O carro é bom mesmo.

    Gostei mesmo do Camaro, mas vc quer compará-lo a que carro? Ele tem o jeitão dele e eu gosto. Todos os 3 são bons, Camaro Mustang e Challenger. vai de gosto e só. Agora parece que logo sai o Z28 e aí melhora, parece que terá mais de 500 cv.
    Gosto de carro japa também, sem problemas. Procuro não ter preconceitos.

    ResponderExcluir
  44. É decepcionante mesmo: depois de interromperem o Golf Gti, e a vez de aniquilarem o Civic Si...

    As fábricas só querem lucro em escala!

    ResponderExcluir
  45. AK, você está certo amigo;

    Civic Si a mais de 100mil reais novos é dose né?

    É ótimo - emotivo - te deixa ligado ao volante,de olhos arregalados e a mão suando para cambiar na velocidade da luz.

    Mas a versão civil "pelada" deve andar bem também e ainda sobra troco para comprar uma boa steetfighter japonesa como uma kawa Z-1...ou quase isso!

    60 mil reais versus quase 108 mil....(hiato muito grande).

    abraço

    GM

    ResponderExcluir
  46. MFF,

    Na verdade temos um 307 em casa, por isso que perguntei, porque no caso do primo maior, ele avisa bem e passa muita segurança nas curvas feitas à moda. Também né... Não dá pra comparar a diferença dos entre-eixos destes carros.
    Infelizmente, este 307 já alcança os 70k e no teste dos 60k já se mostrava bem cansado de suspensão, sendo que esta já passou por modificações para atender nosso solo de 2005 pra cá (versões estas que conheço pra falar, namorada - 2005, irmã - 2007, cunhado - que tem o mais novo 2009)
    Ela pretende trocar agora em 2011, 4 anos com o francês, já deu pra quem não gosta de se preocupar com manutenção, veremos se aceita minhas sugestões e não compra aquele trambolho do Aircross, que ela tem mostrado interesse.
    Abs

    ResponderExcluir
  47. Preguiçoso de novo04/01/11 11:40

    Arnaldo,

    Difícil achar carros que se comparem ao Camaro pois, pelo preço dele no Brasil, existem poucas opções esportivas e você não andou em todas...

    Nos EUA o preço é uma barganha mas a realidade deles é outra!

    Acho que só conseguirei ter uma idéia desse carro depois de andar em um. ACHO que eu vou gostar mas não se amaria. Não faz muito o meu estilo, prefiro carros de corrida pra andar na rua hehe.

    ResponderExcluir
  48. Preguiçoso again04/01/11 11:44

    Ué, sumiu um comentário meu grandão aí em cima... Nao era ofensivo nem nada... Whatever.

    Fórmula Finesse, o que você reclamou no 206 é justamente o que me faz achá-lo divertido... O Ka XR original era muito pior (melhor na minha concepção) nesse sentido.

    Mas para quem não está habituado esse comportamento de traseira é realmente perigoso.

    É por isso que trackday é uma coisa importante e deveria ser obrigatória para os entusiastas... Somente dentro de uma pista com segurança é possível forçar esse tipo de situação para que você possa, através da instrução e repetição, entender as forças que agem no carro nesse momento para prever o comportamento e contorná-lo, utilizando isso tudo a seu favor em nome da segurança ou da diversão.

    ResponderExcluir
  49. Fabio: o aircross é bom de dirigir, estável....e lento! (dá uma olhada no blog)

    Peguem um Bravo - loucura seria um T-Jet - e sejam muito felizes ao invés de gastar o mesmo em uma "aventureira"!

    No blog também o Bravo hoje...

    abraço

    ResponderExcluir
  50. Preguiçoso,

    Não tirei seu comentário. Por favor, repita-o.
    Algo técnico ocorreu.

    ResponderExcluir
  51. O Bravo sim seria uma opção, mas quem vai comprar é ela, eu posso no máximo sugerir ou escuto algo do tipo "desculpa, mas quem vai pagar este carro?"
    Ela como uma boa leonina, esquece que quem fez a manutenção do 307 nestes 4 anos fui EU e quem pagou o último carro "da casa" fui EU também, mas é assim mesmo...
    Na vida temos que ser tolerantes, cada vez mais...

    Abs

    ResponderExcluir
  52. Preguiçoso: você está certo, em pista, um tração dianteira que goste de sambar é o ideal; mas nem tanto para não perder tempo no cronômetro. Não sou expert, mas de neutro para levemente traseiro deve ser uma boa regulagem.

    No cotidiano, mesmo que você esteja acostumado as reações do carro, é sempre interessante que ele seja mais permissível, pois têm dias que a gente não está aquelas coisas...

    Já andei com pneus gastos atrás extamente para aprender a ser mais progressivo nesse tipo de correção, e em curva "particular" e molhada (menos velocidade para quebrar o atrito, menos perigo).

    Mas é claro que eu precisaria de um bom curso de pilotagem para corrigir possíveis vícios que sempre existem.

    ResponderExcluir
  53. Preguiçoso04/01/11 13:02

    Tem algum tipo de filtro contra alguma palavra que eu escrevo, não é possível.

    Postei novamente o comentário, ele aparece para mim porém logo depois, no próximo reload, ele sumiu.

    Vou tentar postar com assinatura.

    ResponderExcluir
  54. MFF,

    Curso de pilotagem é legal... Mas trackdays com bons instrutores suprem muito bem essa carência.

    Experimente!

    ResponderExcluir
  55. Postando pela 3ª vez...

    Arnaldo, achei que tivesse sido apagado pq falava demais do Si...

    Vamos lá, deixa eu re-escrever... É coisa pra burro!

    Bom, o motor original gira e empurra bastante, mas é amarrado pela fábrica. É a matéria-prima perfeita para o entusiasta, pois com pequenas modificações mecanicas associadas aos recuros que a eletrônica desse motor oferece você transforma o carro.


    1 - Admissão é muito restrita. Troque por CAI ou SRI e o carro passa a respirar muito melhor além de ganhar um ronco de admissão ótimo que só aparece quando vc quer.

    2 - Descarga é restrita no coletor. Trocar o coletor e o resto é caro, dá algum resultado mas traz barulho e ressonância. Trocar só do coletor pra trás só faz barulho. Melhor deixar original

    3 - Existe um equipamento chamado Hondata Flashpro (google it) que se conecta na central do carro e te dá acesso a praticamente todos os parâmetros de acerto. Fantástico

    4 - O carro já tem sonda wide-band e knock-sensor. Vc acessa esses dados pelo Hondata e ainda define margens de aprendizado e tolerância. Faca, queijo, manteiga, pão e chapa quente na mão do esfomeado...

    5 - A entrada do VTEC nesse motor não é um ponto fixo, é uma janela. O acionamento dos comandos de alta depende de rotação, pressão de óleo, TPS, MAF e outras coisas. Dá pra brincar muito com isso e eles já trazem bastante ganho a partir de uns 4.000rpm

    6 - Além do VTEC tem o iVTEC que são as polias variáveis de admissão e escape. Controladas eletronicamente e programáveis via Hondata.

    Tá cheio de Si com essas modificações (e algumas variações em torno delas) com potências que vairam de 210 a 250hp, sem mexer em nada sério. O do video que eu postei ali em cima tem Unichip ao invés do Hondata, é outra ferramenta que traz resultados semelhantes. Tem 228hp.

    E a mudança no acerto eletrônico desses carros junto com peças simples para fazê-lo respirar melhor transformam o motor e o carro.

    O Si vem pronto para o entusiasta modificá-lo ao seu gosto.

    Porém, é carro pra quem gosta MESMO de andar, de carrinho de corrida, de motor girador, etc. Quem só quer andar um pouco rápido mas prefere luxo, mimos e conforto tem uma série de outras opções em faixa de preço parecida. Audi A3 turbo DSG sendo o maior exemplo, mesmo sendo um pouco mais caro.

    ResponderExcluir
  56. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  57. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  58. Alguem afinal sabe onde tem curso de pilotagem aqui no Rio de Janeiro? Sou doido para fazer um curso desse!

    ResponderExcluir
  59. O Guto tinha uma escola de pilotagem, não sei se ainda está ativa. Procure informações com a FAERJ.

    Caso não haja cursos no RJ, em SP tem duas ou três escolas. Os cursos são rápidos, poucos dias. Dá pra dar um pulinho lá e fazer se houver interesse. Acredito que na FASP você conseguirá essas informações.


    O Google te ajuda com os trackdays. Basta procurar lá "Trackday NDA" que é feito em Interlagos e "Oktane Trackday" que é feito em Jacarepaguá.

    Também existem eventos em Curitiba mas como ainda não tive a chance de andar por lá não posso garantir se são apropriados para novatos.

    Os de Brasília, pelas informações que eu recebi e pelos videos que eu vi no youtube, ainda carecem de um pouco de organização e não se equiparam ainda aos Trackdays da Oktane (referência) e NDA (excelente também).

    E não precisa de carrão nem precisa ter carro mexido pra andar em autódromo... Numa pista de corrida até Uno Mille 4 marchas faltando um cabo de vela fica extremamente divertido, principalmente pra quem nunca andou!

    ResponderExcluir
  60. Vlw Villa, vou dar uma ligada na FAERJ e depois eu posto aqui para deixar o pessoal avisado e atualizado!

    As aulas sao feitas no proprio carro ou eles tem uma pista com carros preparados? Acredito que meu Gol CHT 1.0 seja parecido com o mille 4 marchas sem 1 cabo de vela! hahaha to zuando, mas 52 cvs nao empolga ninguem!

    ResponderExcluir
  61. Villa e Preguiçoso
    Não há nenhum tipo de filtro ou moderação, análise prévia de conteúdo, neste blog. Às vezes aparece mensagem de texto grande demais, que não dá para processar, mas mesmo assim entra. É a primeira vez que tenho ciência desse fato.
    Bob Sharp
    Editor

    ResponderExcluir
  62. Preguiçoso, não confunda o comportamento arisco do Old Ka devido aos eixos proporcionalmente largos e nas extremidades do carro, junto da conveniente distribuição de peso e acerto by Mr. Perry-Jones (o responsável pela personalidade dos excelentes Mondeo e Focus MK1)!

    No caso dos Peugeot 206 e 206,5 a tal "traseirada" não tem nada a ver com acerto dinâmico, é apenas um comportamento anômalo devido à particular geometria da suspensão traseira de eixo de torção.

    Ao invés de subir e descer perpendicularmente ao solo como uma mcpherson, ou em ângulo raso como demais veículos, a suspensão dos Peugeots tem um ponto de pivotagem muito próximo às pontas de eixo, e inclinado de tal maneira que tem sua geometria perturbada por demais toda vez que a traseira "perde peso".

    Isso significa que em uma freada mais forte ou numa entrada de curva mais fechada, a transferência de peso para a frente é multiplicada de forma exponencial e sem muito aviso, parecendo praticamente ejetar a carroceria para cima, elevando o centro de gravidade e reduzindo enormemente o peso sobre os pneus traseiros - o que em última instância significa redução no atrito dos mesmos com o solo.

    É um comportamento estranho, arisco e pouco previsível, do qual falo com propriedade por estar acostumado a lidar com ele quase que semanalmente nos 490km que separam o Rio de Janeiro de Belo Horizonte pela BR-040.

    Sabendo dosar, em piso seco, pode ser até interessante, pois consegue-se contornar curvas em velocidades bem acima das regulamentares com praticamente apenas uma cutucada com o pé esquerdo no freio, mantendo o pé direito no porão e mínimos movimentos do volante.

    O problema é quando temos uma condição mais grave como uma frenagem de emergência, ou em piso de baixo atrito... A sensação é de que mesmo em freadas "médias" a traseira torna-se excessivamente leve, pendulando por livre e espontânea vontade para o lado de fora da curva - ao contrário do Old Ka, onde esse tipo de comportamento aparece até mais cedo, porém é linear e contornável até o fim.

    Nos Peugeot a sensação de controle é mínima, e tentativas de correção que não sejam com alívio do freio + pressão no acelerador só resultam em mais penduladas sem controle, onde o carro oscila não apenas horizontalmente, mas também verticalmente.

    Apesar da condução "à moda" na estrada por 1 ano e meio ininterrupto, os únicos sustos que sofri (com dois Peugeot 206 diferentes) foram justamente suas respectivas perdas de controle em percurso urbano, com frenagens na chuva seguidas de um "sobresterço surpresa" em relativamente baixa velocidade.

    ResponderExcluir
  63. Bob, eu acompanho e escrevo aqui desde o início, praticamente, só que quase nunca faço login pra assinar meus posts.

    Conheço pessoalmente alguns que aqui escrevem, fui instrutor do CZ no seu primeiro trackday, etc.

    Também foi a primeira vez que eu vi isso acontecer.

    ResponderExcluir
  64. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  65. Transeunte,
    Já vi isso acontecer do meu lado...
    Na época eu andava forte, mesmo que fosse pra buscar pão, mas as pessoas não acreditavam num Golzinho que eu tinha, mas o carro não tinha nem suspensão, nem freios originais, um rapaz quis acelerar com um Pug 206 1.6 16v, crente que naquele momento ele iria deixar o Gol Bola pra trás... (Nota: eu não estava tirando racha, eu sempre andava forte, o cidadão viu passar e "se doeu") Bom, nem deixou pra trás, como não freiou quando precisou... Aquela avenida, que eu já conhecia bem, termina com uma descidinha e um semáforo, sempre com uma fila de carros, eu parei e ele entrou pra dentro de uma praça com a traseira rabeando pra todo lado, aquilo foi assustador. Entre essas e outras, que hoje eu procuro tirar o pé quando percebo que alguém "se doeu" por me ver passar em velocidade acima do fluxo, principalmente em meio urbano.

    Mas me diz uma coisa, da forma que descreveu, parece que todo carro com eixo de torção sofre deste mal e a coisa não é bem assim, concorda? Talvez uma soma de fatores...

    Sds

    ResponderExcluir
  66. Transeunte, o Preguiçoso aí em cima sou eu!!

    Já andei bastante de 206, mas a maioria era 1.4. Achei o carro bem "tail-happy", principalmente em frenagens como você bem explicou. Não o achei particularmente perigoso, pelo menos não em uso civil com esse motor fraquinho.

    Concordo só em partes com a imprevisibilidade desse comportamento... Pode dar susto num desavisado (não é o seu caso), mas acho que é questão de conhecer o carro e respeitar os próprios limites... Eu particularmente adorei a forma como esse carrinho aceita provocações pra desequilibrar a traseira propositadamente.

    Lembre-se que o Ka XR é deliciosamente progressivo até a hora em que te morde. Não foi a toa que o HCC cunhou e difundiu o termo "Katequizar" hahahaha. Me lembro de algum jornalista automotivo que escreveu algo como "é impressionante como o Ka XR te leva do Ás ao Asno". Nada mais verdadeiro!

    Morro de saudades do meu até hoje!

    ResponderExcluir
  67. Fabio,

    Não é todo carro que possui eixo de torção que tem esse comportamento, acredito em uma série de fatores - principalmente a geometria desse eixo de torção em particular. Mas também posso estar enganado e a "culpa" estar apenas na calibragem das barras traseiras (o Peugeot 206/206,5 não usa molas), excessiva taxa de retorno do amortecedor e até mesmo os MALDITOS pneus Pirelli P6000 que vem de fábrica...

    Pra matar a charada, ambos os 206 Hatchbacks que tivemos em casa sofriam desse mal, mas o 206 Station Wagon que veio depois, muito menos. Segundo revistas especializadas, havia uma recalibração da suspensão que deixava a perua alguns cm's mais baixa que o Hatch, e imagino que os amortecedores fossem diferentes também.

    Mesmo com pneus maiores (195 x 175) a Station tinha um comportamento bem mais linear, conseguia fazer alguns belos pêndulos na Estrada Fróes e na antiga Serra entre Pendotiba e Piratininga, em Niterói (RJ).

    A Station até dava suas reboladas, mas penso que, no limite, o "peso extra" na traseira apesar de aumentar a inércia do sobresterço, ao menos dava ALGUM atrito na traseira e a tornava mais linear quando no limite.

    Villa,

    Você está certo que o carro não é particularmente perigoso, porém acho no mínimo "estranha" a forma como ele progride em situações de limite. Eu já tive um Old Ka que fazia curvas na mesma serra acima de lado e/ou com apenas 3 rodas no chão, e mesmo lenhando bem nunca me deparei com sobresterços tão agressivos e desproporcionais como nos Hatches Francêses em questão.

    Talvez seja o trauma da 2ª vez que levei esse susto com o 206 no molhado: Envolveu um rodopio completo na horizontal seguido de outro, só que na vertical, você sabe como é! rs

    Mesmo assim é um carro muito bom mesmo, como confirma um recorde pessoal na descida de BH para o Rio em 3h45min num 206 1.4 gasolina como o seu. O problema do carro é precisar frear forte, ou reduzir em piso ruim..

    []'s!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez ninguém vai ler mas a SW usa suspensão multi link, portanto bem diferente do 206 normal e pode ser que o comportamento melhor venha daí. Uma pena o 206 fazer isso, porque dentro do previsível é muito bom de fazer curvas e passa uma sensação muito boa

      Excluir
  68. Transeunte

    Apenas corrigindo: a suspensão traseira dos Peugeot 206 (e 207 "Brasil") é 100% indepentente, pois adota braços arrastados e não eixo de torção.

    FB

    ResponderExcluir
  69. O 206 é um tanto delicado mesmo, mas sendo bem linear na direção, dá para andar bem forte também.

    Eu o provoquei demais em piso de baixo atrito e quase rodei, fiz o mesmo no asfalto mas ainda tive tempo de buscar antes que criasse problemas. Depois, fiquei mais um ano andando quente - mas com muito preciosismo na direção - com esse 1.6 e com um 1.0.

    Como não tive que empreender frenagens de emergências ou desvios de trajetórias, não tive mais problemas. Mas se acontecesse, sei que teria mais trabalho com ele do que com qualquer outro pequeno.

    ResponderExcluir
  70. Bitu,

    Então tá explicado porque o 206 SW é tão melhor de curva que o HB, excelente contribuição, valeu! :)

    ResponderExcluir
  71. Já o 307 sim é eixo de torção e tem um comportamento irrepreensível.

    Estou certo quanto ao eixo, FB?

    Sds

    ResponderExcluir
  72. Corrigindo, "quanto ao esquema de suspensão adotado"

    ResponderExcluir
  73. Transeunte

    Me referi ao HB mesmo, braço arrastado.

    Digo isso porque o esquema McPherson dianteiro/eixo de torção traseiro é uma coisa tão "universal" que volta e meia cometemos enganos e injustiças, deixando de citar a sempre bem vinda IRS.

    Tanto que foi escopo de uma discussão recente em nosso grupo: praticamente todos (eu incluso) consideravam a hipótese do eixo de torção, quando o Bob nos explicou que não, que ali havia uma boa suspensão independente.

    Fábio, não sei sobre o 307, mas acredito ser eixo de torção.

    FB

    ResponderExcluir
  74. Ok, obrigado pela correção!

    ResponderExcluir
  75. Arnaldo,
    Já tinha lido o seu livro, mas a releitura está mais gostosa. Tenho prestado atenção às nuances que passaram batido na primeira vez. Vai virar livro de cabeceira de automóveis junto com o do Peter Egan.
    Parabéns e um abração
    Luiz

    ResponderExcluir
  76. Li agora um comparativo antigo no BCWS, que esta suspensão do 206 chega a esterçar as rodas traseiras, como no Citroen ZX, para evitar saídas de traseira, este tipo de solução parece não levar em conta quando passa do ponto que pode ser corrigido.
    Acho que está aí a explicação das traseiradas do pequeno hatchback.

    ResponderExcluir
  77. Felipe Bitu e Transeunte
    O 307 é eixo de torção atrás.

    ResponderExcluir
  78. AK
    Parabens pelo post! Saboroso e leve : um otimo resumo de uma ampla gama de automoveis..
    Ha muito queria saber a opiniao de vcs sobre um carro que sonho em ter: Honda SI.
    Vcs foristas do AE alem do profundo conhecimento tecnico sao motoristas muito acima da media e alguns pilotos com experiencia..
    Assim , por favor, sugiro que todos publiquem suas impressoes dos carros ja guiados / testados !
    Nos leitores agradecemos !

    ResponderExcluir
  79. Arnaldo Keller04/01/11 20:23

    Legal que tenham confirmado minhas impressões sobre a traseira arisca do 207. Notei isso quando numa curva o carro da frente fez lá uma besteira inimaginável e tive que frear com brusquidão.
    Passei a ficar mais alerta com o bichinho, mesmo assim aprovei a compra, quando o namorado de minha filha depois quis comprar um. Ele é muito gostosinho de guiar.

    ResponderExcluir
  80. Charles Henrique04/01/11 20:44

    Arnaldo, ví que falou do clio 1.0, já guiou o Novo Ka 1.0 ?

    Ele é durinho, e faz curva para kct sem ter que "apelar" para barras estabilizadoras como o clio.
    Nos que possuem direçao assistida o prazer de lenhar se multiplica sendo a relação diretissima, com apenas duas voltas e meia entre batentes.

    O DNA da "Katequização" se manteve entre as versoes antigas e novas.

    Se eu fosse o senhor pegaria o 1.0 para testar durante um tempo e depois pegaria um KAnhão 1.6.

    Esse sim Arnaldo canhão forte, cambio 4+E, cento e sete cavalos na cana. Oito ponto nove quilogramas por cavalo. 8,9 kg/cv.
    No minimo respeitavel para um carro de menos de 40000 reias.

    Give it a try on NewKa

    ResponderExcluir
  81. Alertas para futuros domadores ou gerador de debates.

    Não importa: as impressões do AK foram uma deliciosa leitura.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  82. Charles Henrique,

    Ainda não guiei o Ka novo, não, porém de cara não gostei do painel, que tem uma quina que mira bem na minha rótula, defeito do New Fiesta também. Um totó de frente e a rótula vai parar no banco de trás.
    Será que os crash-tests não apontaram isso?
    Quanto à direção direta, rápida, tenho lá minhas ressalvas. Acho isso ótimo para tocar em pista, mas não gosto dela muito rápida para o dia a dia. Principalmente em estrada, fica cansativo, o carro fica nervosinho demais. Não sei se é o caso do KA.
    Pelo que vc disse, e pelo jeito sabe do que fala, esse KA 1.6 deve ser carro de entusiasta. Na primeira oportunidade, testo um.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
  83. AK,

    O Ka XR antigo foi durante muitos anos o melhor driver's car do Brasil. Sobrava muito chassi para a pouca potência do carro. Resolvi isso no meu com 0,5 bar de pressão positiva num turbo grandinho: 180hp, 23,6kg de torque totalmente progressivos, se comportava como um 2.0 16v forte. Mais de 50.000km rodados sem nenhum defeito. Nenhum mesmo. Vendi o carro com 115.000km rodados com o powertrain absolutamente perfeito.

    O Ka novo é muito bom, melhor numa série de aspectos mas perdeu o comportamento psicótico do primeiro. Ficou mais comportado (seguro) e continua sendo o mais entusiasta dos pequenos.

    Já essa questão do painel eu posso falar com propriedade pois trata-se da minha profissão... O seu incômodo em relação ao painel é digno, mas por incrível que pareça quem sofre mais com isso não é a rótula e sim o quadril. Em impactos frontais da perna com o painel a energia se transmite e na grande maioria das vezes a fratura é no colo/cabeça do fêmur ou no acetábulo, que é o receptáculo do fêmur na bacia. Se você analisar os relatórios de Crash Test europeus vai notar isso com clareza.

    Pela minha casuística pessoal te digo que isso é previsto com muita precisão. Muitas vezes quando eu atendo um paciente vítima de colisão em um automóvel que exista na Europa eu vou checar na internet os resultados de crash-test e eles acertam até o lado do corpo que sofre as lesões mais graves. É impressionante.

    ResponderExcluir
  84. Villas,

    O KA véio eu sei que é bom. Gosto muito. Na verdade, gosto ainda mais do Fiesta véio. Alguns dizem que se comportam igualmente, mas não sei não.
    Legal saber que o novo é bom também.
    Agora... 180 cv e 23 kg num KA! Karamba! E 50 mil km sem problemas. Parabéns, tens juízo, sabes cuidar.
    Então, OK. Não é a rótula, é a cabeça do fêmur que vai pro saco. E ninguém se toca? fica por isso mesmo?

    ResponderExcluir
  85. Villas,

    O KA véio eu sei que é bom. Gosto muito. Na verdade, gosto ainda mais do Fiesta véio. Alguns dizem que se comportam igualmente, mas não sei não.
    Legal saber que o novo é bom também.
    Agora... 180 cv e 23 kg num KA! Karamba! E 50 mil km sem problemas. Parabéns, tens juízo, sabes cuidar.
    Então, OK. Não é a rótula, é a cabeça do fêmur que vai pro saco. E ninguém se toca? fica por isso mesmo?

    ResponderExcluir
  86. Villas,

    O KA véio eu sei que é bom. Gosto muito. Na verdade, gosto ainda mais do Fiesta véio. Alguns dizem que se comportam igualmente, mas não sei não.
    Legal saber que o novo é bom também.
    Agora... 180 cv e 23 kg num KA! Karamba! E 50 mil km sem problemas. Parabéns, tens juízo, sabes cuidar.
    Então, OK. Não é a rótula, é a cabeça do fêmur que vai pro saco. E ninguém se toca? fica por isso mesmo?

    ResponderExcluir
  87. 180cv com 0,5 bar é um ótimo número!
    Meu Gol andava com 1 bar, mas eu mandei um câmbio com 118000 pra casa do K... mas na época eu pedia pra quebrar diariamente e meu carro tinha muuuito chão... coisa pra segurar 300cv, apesar de ter 208cv/305Nm. Às vezes bate uma saudade da churrasqueira.

    ResponderExcluir
  88. Lê-se "apesar que tinha", onde "apesar de ter"...

    Meu carro andava com uma GT25, vc disse que tinha uma turbina grande (que justifica a potência com somente 0,5 bar), qual era? não sofria com lag?

    ResponderExcluir
  89. Tenho um Mazda miata 1995. Sem dúvida é uma delícia de guiar. Marcha curta, colado no chão. Entra nas piores curvas sem mexer nada.
    O carrinho é bom mesmo sem capota, pois não faz barulho nenhum.

    ResponderExcluir
  90. Keller, preocupação existe e é por isso que eles classificam os carros com estrelinhas no EuroNCAP... Isso é assunto pra mais de metro, talvez meio complicado pra falar sobre isso em mensagens aqui... Ainda mais que eu to mandando umas mensagens maiores que o teu artigo hahaha.

    Fábio, eu montei o meu carro em 2006, não sei se lembro de tudo de cabeça. Pelo que me lembro (posso estar enganado nos eixos) o eixo frio era 42,5mm com carcaça A/R 0.48 e o eixo quente era 48,5mm com carcaça A/R 0.47 Era da MasterPower, vendida como GT25 mas era uma salada...

    Lag de fato era muito pouco, mas não vamos confundir lag com threshold. Ela já reduzia o vácuo a partir de uns 2000rpm, a pressão começava a ficar positiva lá pelos 2.500 e o "meioquilo" vinha nos 3.000rpm... E do jeito que eu gosto: absolutamente linear e sem "pegada" de turbo que só serve pra desequilibrar o carro e maltratar a transmissão. Mas tinha bastante ponto em baixa rpm e o carro era leve com caixa muito curta, então ficou um kapetinha mesmo. Delícia total. Andava de 5ª entre 30 e 200km/h e fazia 0-200 em 22s.

    Se ainda tivesse Ka XR antigo a venda, 0km, eu comprava pra montar um igualzinho.

    ResponderExcluir
  91. ahhh entao era a mesma turbina que eu tinha no Gol, não tem lag nenhum, quando vc falou, eu pensei que fosse maior, esta turbina fica ótima para motores de 1.6 a 2.0L, seu carro desenvolveu uma potência boa com 0,5 bar, acredito que devido a taxa de compressão maior, meu carro só atingia 180cv com 0,7 bar. Eu já curtia um câmbio um pouco mais longo, no caso um câmbio PX, estourava giro em quinta com o velocímetro apontando 6h, era bem engraçado, mas tempo eu nunca marquei.
    Às vezes bate aquela vontade de andar com o carro, mas pro dia-a-dia, como eu utilizava, não dá... embreagem de cerâmica sem assistência hidráulica, inclusive lembrei dela no post em que o Bob citou a embreagem da F40. Pra vc ter uma idéia, voltei este carro pro original em 2006 e tenho a perna esquerda mais forte até hoje... kkkk
    Com quem vc montou seu carro?
    Abs

    ResponderExcluir
  92. MFF, vou chutar qual é o problema no Focus do seu amigo: pneus Firehawk. Lixo. muitos modelos 2009 saíram com esse estorvo.

    ResponderExcluir
  93. Fabio, o desenho do projeto, escolha do coletor, turbina, bicos, velas etc. eu fiz junto com alguns amigos mais experientes. Foi o meu primeiro turbo. A montagem, que é simples, foi feita na oficina que dobrou o escape e a pressurização.

    Inicialmente eu mesmo acertei apenas com HPI, já que a injeção do carro era bem permissiva ao turbo. O carro era forte mas não era linear e era ruim de baixa.

    Passei no Dino e tinha 200hp e 27kg de torque com 0,7bar. Aí tirei o HPI, coloquei um dosador fixo e fiz o acerto eletrônico decente com Unichip na oficina MultiTurbo no Rio de Janeiro. Estabeleci 180hp como meta (por segurança) e fomos baixando a pressão até chegar nisso. O carro ficou ótimo de baixa, liso como se fosse original e, mesmo tendo perdido 20hp e mais de 3kg de torque nos picos, ficou muito mais rápido em 90% das situações e incomparavelmente mais gostoso em 100% das vezes.

    Acerto é TUDO.

    ResponderExcluir
  94. Ah... Faltou um detalhe fundamental: embreagem ORIGINAL.

    Aguentou os 115.000km do carro, os mais de 50.000 com turbo e jamais pediu arrego. O carro foi vendido com a embreagem original de fábrica. Nunca patinou nem trepidou. Nada nada nada.

    Inacreditável!

    ResponderExcluir
  95. Caramba, inacreditável mesmo!
    O meu carro teve três embreagens de cerâmica. A primeira (Displatô 900lbs) patinou no primeiro dia, a segunda (Displatô 1200lbs), ficou dura a ponto de dar receio de entortar o pedal e depois que fiz com a pessoa certa e a embreagem certa (Displatec 960lbs), ficou perfeita, apesar que todas endurecem depois de um tempo de uso. Da forma que eu usava o carro, embreagem original não aguentaria jamais, andava com 1 bar para rodar sem dó mesmo (APzero style... kkk), 305Nm de torque. Inclusive numa dessas, eu banguelei uma 3ª e acabei tendo que fazer o câmbio todo (este câmbio estava com uns 120k).
    Falando em acerto, meu carro foi remapeado, seguindo uma receita do preparador, mas com o módulo AVB (AP até 97) não ficou bom, trocamos pelo AVP, que tem o dobro de memória(>98) e adicionamos um HIS analógico para controlar um bico extra posicionado junto à válvula de prioridade. O acerto do meu carro era realmente um luxo, tendo em vista o que faziam na época. Mistura ideal tanto em baixa, quanto sob pressão, fora o consumo, andando de boa 7km/L no álcool com um carro com mais de 200cv é lindo, lógico que para conseguir este consumo, tinha que andar muito de boa.
    Abs

    ResponderExcluir
  96. A Renaut deveria voltar a disponibilizar o 1.6 16 V no Logan, sem aumento significativo de preço. O 1.6 8 válvulas é ruidoso demais e tem baixa potência específica. Depois de uma certa Km, o comando de válvulas, que não é roletado, ao contrário do 16 válvulas parece bateria de escola de samba...

    ResponderExcluir
  97. Fábio,

    Por essas e outras que não deixo o meu delicioso Uno Cabriolet 87. Com os seus 59 cv e cambio de 5m do mille, anda esgoelado até a alma na quinta, mas de vez em quando pra dar uma relaxada dou um passeio legal com ele. Agora que fizeram uma tesourinha aqui na cidade, de vez em quando vou dar umas voltas lá só pra sentir o bichinho quicar a traseira...

    ResponderExcluir
  98. Arnaldo, sobre a Ferrari F 430 ( no seu livro, para quem não leu AINDA, você desce para os Andes com outro Ferrari.. rs), tudo bem que você tem aceleração de moto mesmo bem acima de 200, tem o diferencial eletrônico para ajudar a virar o carro dentro das curvas, tem o Manettino para calibrar o carro para ´sua mamma andar' , mas e aquele pedal que ficou faltando?

    Não fica igual Holandesa de 3 peitos ( vacas holandesas , apenas vacas,ok... rs )

    Muito bom post!

    ResponderExcluir
  99. Caramba Villa, gostou mesmo do Civic SI do Paulão hein?

    Pelo que voce relatou da GT25, é muito parecida com a K16.

    ResponderExcluir
  100. Bussoranga, o Paulão não é o único do Brasil com Si mexidinho...

    O clube é grande. :-)

    ResponderExcluir
  101. Alexei,

    vaca de 3 peitos ainda dá tanto leite quanto uma de 4, mas corre o riso de perder mais um e aí, com 2, ferrou, cai a produção. Daí que a de 3 peitos perde muito seu valor de venda e morre de velha na propriedade. pois ela continua produtiva.
    Bom, sobre carros: gosto mesmo é com alavanca e pedal de embreagem, mas não sou tonto de dizer que esse é o modo mais rápido. mas sinto falta, mesmo. Hoje mesmo o Bob e eu guiamos bastante essa F430 e o Bob volta e meia levava a mão direita pra cima do console procurando a alavanca. Eu ria toda vez.
    O Ferrari do livro é um Maranello. Motor na frente é gostoso. Pra estradão é o máximo.

    ResponderExcluir
  102. Entende tudo de vaca e de mamites esse Arnaldo. Desisto aqui e agora de provocá-lo pecuariamente !!!!!!

    HOMBRE!!!! então vossa excelência( agora apanho!!) e Bob estavam se divertindo a bordo de uma F 430 hein?

    Que essa diversão devidamente filmada, fotografada e principalmente passada a texto por 4 mãos, vire um post antológico para o Auto Entusiastas...

    Sobre o motor dianteiro da Maranello te levar inteiro e descansado ao destino Argentino, convenhamos que o objetivo final da viagem mais que homologava a pressa e escolha do carro.

    ResponderExcluir
  103. Falaram no novo Ka... Como tenho um, acho que posso dar uns pitacos.

    Tenho o 1.0 original de motor e chão, que deve chegar próximo dos 70 cvs no álcool.

    Consumo cidade/estrada é o mesmo, por incrível que pareça... Em torno de 10 km/l.

    Quanto ao comportamento dinâmico, não canso de falar que é o melhor carro de curva que já tive.

    Esse começo de ano fui para o litoral norte, indo pela Mogi-Bertioga (com chuva) e passeando por lá na serra de boiçucanga-Maresias e posso atestar que, principalmente descendo e nas curvas de baixa, muito carro com motor maior não vem junto.

    Quando pega uma subida, aí o 1.0 sofre um pouco, mesmo mantendo rotações altas, mas basta ter paciência e esperar a próxima perna da curva que o carrinho já fica todo contente.

    O melhor, é que é um carro que faz tudo isso muito longe do seu limite, ou seja, dá uma bela diversão sem fazer qualquer loucura ou ilegalidade, basta tocar direitinho.

    ResponderExcluir
  104. Sergio,

    Cuidado com essa serrinha de Boissucanga-Maresias. Ela é traiçoeira pacas. Acaba freio, mesmo quando está seco há lugares úmidos, tem muita gente lenta que aparece do nada, há locais com muitas folhas que escorregam.
    Brinque nela na subida, mas desça com calma e pensando nos prazeres das praias.

    ResponderExcluir
  105. Jeff Craig08/01/11 16:09

    Prezado Arnaldo Keller :
    Cara, foi o melhor artigo resumido sobre performances automotivas nesses meus quase 42 anos de vida. Nunca li nada tão bem escrito, com tão boas idéias, algo tão honesto, verdadeiro, imparcial mas com paixão, sobre uma visão rápida, mas geral, ampla e irrestrita de muitos dos automóveis que vemos, sonhamos e pilotamos (quando temos acesso). Cara, muito obrigado mesmo. Continue escrevendo assim. Brilhante ! Parabéns !

    ResponderExcluir
  106. Jeff Craig08/01/11 16:38

    Arnaldo Keller, vc poderia complementar suas impressões com Maverick 302, Landau, Corcel 1 e ll (série campeões), Opala SS e 250-S álcool, Alfa B e TI-4 2300, Citröen's Pallas e C5, BMW M5 2007 e Mercedes C63 AMG e CLS 65 AMG ?

    Grato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ClS 65 amg nunca existiu, pra ter o motor v12 da 65, tem que ser da classe S, Sl ou CL.

      Excluir
  107. Arnaldo Keller08/01/11 20:00

    Alexei,

    produzi leite por mais de 30 anos. Entendo é de vaca, isso sim, muito mais que de carro.
    O post do F430 que vc pediu, já está no ar, como deve ter visto. Espero que goste.
    Só de´pois que escrevi esse conto do Maranello é que fiz essa viagem de carro. Já conhecia bem a região, mas de trem e avião. Fui de Toyota Corolla, que não é um Maranello, mas o danadinho foi muito valente e confortável, tocando o tempo todo a mais de 160 km/h, na boa.
    Dizem os poetas que o destino não importa, mas isso dizem por dizer. É bom ter um bom objetivo, o mais duro é o escolher direito.

    Sergio,

    as dicas da serrinha Maresias-Boissucanga foram minhas.

    Jeff Craig,

    Menas, meu chapa, menas!, mesmo assim agradeço, fico envaidecido.
    Sobre os carros que comentou:
    Maverick 302: bom motor, que vira bem e dá bom torque, e, grande vantagem, esse motor é muito sub-aproveitado, já guiei 302 preparado, com uns 380 cv, que era um espetáculo e mantinha boa confiabilidade. Quem manja diz que o Maverick é melhor estruturado que os Mustang da época. Eu não sou fã, porque o acho pesado e frentudo nas curvas, fora um eixo rígido muito pesado na traseira, mas isso tudo dá pra acertar, mas tem que mexer e gastar um bocado, mesmo assim, vc gasta uma grana pesada e no fim sobra um Maverick e só.
    Landau tive 2, só pra viajar, quando minhas filhas eram pequenas. Pra elas, ótimo, pois tinha muito espaço e conforto. Já pra mim, ele balançava na estrada, quando acima de 120. Muito molão, muita massa em balanço, pendurada atrás do eixo traseiro, então, não tem jeito. Mesmo assim guardo boas recordações, todo mundo dormindo esparramado nas viajens, fora eu.
    Bom, tem uns aí da sua lista que não guiei e deixo outros para outro post. OK?

    ResponderExcluir
  108. Caraca que resumo perfeito de cada carro !
    Fui buscar algum detalhe para o meu Prisma...rs e ver o comportamento se bate com minha opinião mas não encontrei nada...rsrs
    Ai fica só nos demais blogs com detalhes e detalhes técnicos e o famoso resumo perfeito fica devendo !
    Igual esse blog com precisão de avaliação e objetivo acho que vai ser dificil ..
    Parabens !!

    ResponderExcluir
  109. Arnaldo, tudo muito legal...só discordo de 2 coisas:
    -Motor central no 356? Mesmo o Pré A já era pendurado como o Fusca, talvez a intenção tenha sido dizer Porsche 904 ou 914...aí sim com grau de parentesco com a Boxster.
    -Alfa Giulia sprint GT, motor não girador? Bom o bialbero não gira como um esportivo japonês de hoje, mas pra época, década de 60, o que passasse de 5000rpm em termos de pico de potência já seria considerado girador, certo? Pra ser exato 5500rpm nos motores 1600 e 1750, pouca coisa a mais na 2000. Mais que qualquer americano acima da média dos europeus da época. Sua melhor qualidade era a robustez.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.