1988

Sou paulistano da Lapa, mas fui criado no Ipiranga até os sete anos de idade. Com a família da minha mãe estabelecida em Santo André e a família do meu pai estabelecida em São Bernardo do Campo, nada mais natural do que nos mudarmos para a região do ABC paulista. E foi isso que aconteceu em 1988, há exatos 23 anos.

Ano novo, casa nova, vida nova: pretendíamos morar na Vila Bastos em Santo André, mas quis o destino que viéssemos parar no centro de São Bernardo do Campo. E foi aqui em São Bernardo que completei meus oito anos de idade, cidade na qual criei meu principal círculo de amizades.

Um dos passeios favoritos era acompanhar meus pais até o supermercado Eldorado, dotado de uma enorme loja de brinquedos, ou seja, havia ali uma infinidade de miniaturas Matchbox, mas naquela época ainda eram os originais, aqueles que aguentavam muita porrada e não abriam o bico de forma alguma. Eram mais duráveis, mas o preço fazia jus à fama.

Certa vez, pedi um Matchbox novo, mas a solicitação foi recusada pela querida mãe: o preço do carrinho de metal estava além da nossa curva de restrição orçamentária. Não que fôssemos miseráveis, mas a mãe tinha ciência de que era um presente digno para uma ocasião especial e não uma simples ida ao supermercado. Nisso o pai fala:

"Felipe, leve um pôster. Veja, ali tem uma coleção só de supercarros!"

E lá fui eu escolher o tal pôster. Não era um Matchbox, mas era muito melhor do que voltar para casa de mãos abanando. De um jeito ou de outro eu sairia no lucro.

Os pôsteres ficavam expostos em molduras, cobertos por capas plásticas, e cada um tinha um número. Embaixo do mostrador ficavam os pôsteres devidamente enrolados e plastificados, com o número correspondente em um círculo na ponta para identificação.

Analisando o mostrador, havia uma infinidade de modelos: Lamborghini Countach (que eu nem sabia o nome, sabia apenas que era a versão da "Super Máquina" de fricção fabricada pela Glasslite), Porsche 959 (que eu achava feio) , Ferrari GTO e até mesmo o famoso Ferrari 308 GTS do detetive Magnum, com as enigmáticas lanternas traseiras circulares acesas, como se estivessem convidando para uma volta.

Mas foi o carro das fotos desse post que mexeu realmente comigo: o Ferrari F40. Praticamente tudo naquela foto me atraía: as lanternas no mesmo estilo do 308 GTS apontando para o alto no enorme capô traseiro aberto, exibindo as partes íntimas do bicho. A imensidão da asa traseira, as rodas de cinco pontas, a largura dos pneus...

Quando cheguei em casa abri o pôster e aprofundei a análise, tentando imaginar qual era a funcionalidade de cada detalhe. Aquele tanque brilhante próximo à vareta de sustentação do capô, seria o reservatório de combustível? As duas entradas Naca do capô dianteiro se juntavam por trás dele: seria para ventilar o interior? Como pode um carro tão caro e exclusivo ter janelas de correr, como um  Gurgel BR-800? Onde foi parar o revestimento das portas?

O detalhe mais enigmático: há duas "cornetas" de tamanhos diferentes penduradas no capô traseiro, para que elas servem e por que são assimétricas? "Hei de descobrir para que serve tudo isso" - pensei, traçando um objetivo técnico já aos oito anos de idade.

Meu pai não sabia responder às minhas perguntas, mas percebendo que o pôster iria se desfazer em poucos dias, mandou emoldurá-lo e logo em seguida o pendurou no meu quarto, em meados de 1988.

Passaram-se os anos e o Ferrari resistiu bravamente a todas as fases da minha vida, incluindo a fase "germânica" de adoração a Volkswagens, Porsches, Audis, BMWs, Opels e Mercedes, geralmente acompanhada de uma chatice ignorante que nos faz torcer o nariz para tudo o que é italiano, principalmente se ostentar um cavalinho rampante. Torcia sim o nariz para todo e qualquer Ferrari "novo", mas o F40 permanecia em meu coração.

O pôster não resistiu a uma reforma no meu quarto, mas dada sua importância ele não poderia ser simplesmente descartado como se fosse um simples quadro velho. Passou a fazer parte da decoração do meu escritório e sua presença é tão natural que há dias em que eu sequer noto a sua presença. Mas com certeza sua ausência seria notada num piscar de olhos.

É 2011, ano novo, casa nova e em breve, vida nova: a família vai aumentar e precisamos de mais espaço, pois minha esposa dará a luz a mais um (a) entusiasta entre julho e agosto. E acredito que o pôster deixará o escritório e fará parte da decoração do novo (a) entusiasta, cumprindo a sua função de doutrinador.

A única diferença é que eu saberei explicar a ele (a) para que servem as tais "cornetas" assimétricas. E assim evolui a nossa espécie.

FB

33 comentários :

  1. Adoro posts desse tipo! Parabéns!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. EU sei que não tem nada a ver , tenho um amigo bem de vida que já teve FERRARI E PORSHES, encontrei com ele no final do ano e após esses anos perguntei com que bolido ele diveria , estranhei o fato dele dizer que tinha um golf e um civic e perguntei sobre qual esportivo ele tinha e ele me respondeu que era melhor ter esses carros em posteres ou miniaturas da matchbox pelo alto custo de manutenção.

    ResponderExcluir
  3. Não tenho a menor ideia do por que das cornetas assimétricas... poderia explicar?

    ResponderExcluir
  4. São para direcionar o ar para dois radiadores atrás das rodas traseiras... agora, a pergunta leva a outra... qual a função de cada radiador destes? Intercooler? Oleo do motor?

    ResponderExcluir
  5. Bacana o post. Algo simples que literalmente fez diferença na sua vida.
    Agradeça sua mãe!

    ResponderExcluir
  6. hehehe... Muito bom FB!!!

    Totiy, conversando com o meu mais novo camarada, um grego doidera, que já passa dos 60 e adora falar de seu barco, a primeira coisa que ele lembrou sobre ter uma Ferrari foi o custo de manutenção, depois lembrou que não há coisa melhor para atrair os olhares da mulherada... hehehe... Ele teve uma 360 Spider.
    Abs

    ResponderExcluir
  7. um kra q compra uma ferrari e reclama do preço da manutenção tem q ser obrigado a andar d ônibus lotado pelo resto da vida.....

    como já diria a minha avó: 'quem ñ tem condição q ñ se estabeleça'

    ResponderExcluir
  8. Francisco V.G.06/01/11 14:21

    Bitu
    Parabéns à você e sua família por mais um (a) integrante na família. Entre julho e agosto, é? Se for menina e ainda mais leonina, você está frito, meu caro. Na minha casa tenho um "exemplar" desses e o bicho é dose... De resto, é só alegria.

    ResponderExcluir
  9. Hummm... isso me fez lembrar que preciso perguntar onde foi parar o quadro do Countach vermelho e rodas campagnolo que ficava no meu quarto na casa dele (pais separados)....

    ResponderExcluir
  10. Reynaldo Cruz06/01/11 15:50

    Olá Felipe, desejo que voce tenha a mesma sorte que tive ao perceber logo cedo que minha filha odiava boneca e roubava os carrinhos dos irmãos. Hoje é super interessada em tudo que tenha rodas e motor e é tb uma leitora assídua deste
    blog, ou seja uma alegria para um pai. Em compensação os irmãos nem imaginam porque troca-se o óleo de um motor!!! É a vida... Parabéns pelo post e pelo futuro herdeiro do poster e de sua caixa de ferramentas, voce vai ver, rsrsrsrs

    ResponderExcluir
  11. Anônimo

    Tudo indica que cada corneta direciona o fluxo de ar que entra pelas entradas Naca a dois radiadores (um de óleo do motor e o outro de óleo do transeixo).

    Os intercoolers ficam na parte de cima do motor.

    FB

    ResponderExcluir
  12. Bitu, se for menina não se esqueça de plantar o pé de jabuticaba quando nascer!

    ResponderExcluir
  13. qdo criança eu tinha uma f40 vermelha e uma diablo amarela, ambos d ferro....

    tinha tbm um pôster q veio junto com um álbum d figurinhas. eu PRECISAVA achar esse álbum, tem mta coisa legal lá, da virada dos 80 pros 90, mas, com ctza o tempo já deu cabo dele... era um pacote com alguns pôsteres (f40, pininfarina mythos, honda gold wing... são os q lembro agora), um álbum e uns moldes d plástico prá colocar massinha e fzr os carrinhos, lembro q eu precisei fzr um 'acordo' com minha mãe: se ela comprasse eu ñ encheria o saco na hr d ir na escola (criança em idade pré escolar é fogo, né....rsrsrs)

    ResponderExcluir
  14. Ótimo post.

    História sempre é bem vinda!

    ResponderExcluir
  15. Aí sim é um orgulho p/ nossa espécie!

    E pau no c* dos pais q perderam seus filhos p/ Restart...

    ResponderExcluir
  16. Olá boa noite! Ótimo Post Felipe. Sabe quando estou escrevendo para o meu blog a sensação de que tenho é de que estou escrevendo para o meu filho...no futuro
    Ás vezes eu penso que um dia quando ele já souber ler, vai perder algumas horas e ler o meu Blog...
    Talvez ele tire o sarro do velhinho por falar de coisas que já não existem mais mas só isso para mim vai ser um presente...
    Forte Abraço!

    O Especialista
    www.carroceria.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. nossa que show! eu tinha esse poster também no quarto quando criança, esse carro foi e ainda é o ícone dos supercarros.
    nunca soube também porque as cornetas eram assimétricas

    ResponderExcluir
  18. Legal o post (o poster também) me lembrou um fato curioso de cerca de um mês atrás, tenho uma grande coleção de miniaturas 1/18 que hoje toma um quarto com cerca de 750 desses modelos, entre carros e motos, devidamente expostos em prateleiras de vidro dentro de um armário branco, meu sonho se realizou, mas enfim vamos ao fato: Durante o retirar das miniaturas de suas caixas para expô-las fui vendo uma a uma, um retrovisor quebrado, um carro estranho, uma moto legal, uma antigona, vários porsches, Veyron, Mercedes, BMW aos montes, algumas ferraris... e uma F-40, quando a desembalei fiquei segurando por um tempo, admirando sua beleza, que carro lindo, magnifico, me lembro tbm, que a F-40 foi a capa da primeira 4 Rodas que comprei na minha vida, numa banca de jornais a 2 quadras da praia em Ubatuba... linda, inesquecível como deve ser, mesmo em miniatura seu desenho é um deleite, seu poder desabroxa ao olhar, acho que a Ferrari nunca mais poderá fazer algo tão marcante quanto foi a F-40, sem frescuras, sem ar, sem rádio, sem nada... puro prazer, para os sentids, e para os olhos... fiquei me imaginando tendo uma real na garagem, acho que me mudaria para a garagem.

    ResponderExcluir
  19. Ah, na casa dos meus pais ainda existem dois desses poster nas paredes do meu quarto e de meus irmão, um corvette e um 911 cabriolet, lindos.

    ResponderExcluir
  20. João Gabriel Porto Bernardes06/01/11 22:37

    Que época boa! eu me lembro bem desses posters no Carrefour aqui em BH...Não eram apenas os carrinhos Matchbox,mas tinham os carrinhos da Rei e Siku também,como você disse eram carros,só para ocasiões especiais,eu mesmo ganhava as vezes 2 ou 3 no aniversário,dia da criança e natal...Eram bons,tinham chassi de ferro e eram reproduções fidedígnas dos modelos ,nada de pinturas,rodas perfil baixo ou rebaixados,assim foi até mais ou menos 2000,depois virou esses troços de mal gosto que vendem hoje por 5 reais cada um...Quanta saudade desses tempos...Obrigado por fazer relembrar! Abraços!

    ResponderExcluir
  21. Bitu,
    Um poster como esse, por mais bonito que seja, seria apenas uma folha de papel se não fosse a história dele e o que ele tem significado para você desde os oito anos de idade. Ele é uma herança de família, e sendo assim o lugar certo para ele é mesmo nos domínios do futuro herdeiro. Que seja muito bem-vindo!

    ResponderExcluir
  22. A todos os amigos, muito obrigado pelas felicitações.

    Convém esclarecer: já tenho uma filha de 10 anos e no começo dessa semana eu disse que quando ela completar 18 anos ela vai ganhar um Fusca azul (por causa daquela brincadeira de levar um tapa sempre que surge um Fusca azul).

    Ela disse "não quero" e eu já me zanguei, perguntando "você prefere andar a pé ou de Fusca azul?".

    A resposta veio bem no pé da orelha: "Fusca azul o que pai, eu quero é FERRARI!"

    É quase uma obsessão dela, que surgiu depois que ela viu um Ferrari urrando a plenos pulmões na Via Anchieta.

    E não tem mais conserto: eu até tento empurrar um Porsche 911, falando isso ou aquilo do amado carro alemão, e ela diz: "quero a Ferrari".

    Entusiasta de 911 com filho ferrarista é quase um palmeirense com filho corinthiano... Mas temos de respeitar sempre.

    FB

    ResponderExcluir
  23. Felipe Recife-PE07/01/11 04:17

    Não precisa ser tão rico assim pra ter um carro bom e rápido, comparado aos que se tem nas ruas. Existem BMW 325 e Mercedes 190 às dúzias, em bom estado, e custando coisa de 20 mil. Não precisa ser milionário, basta saber escolher. E outra. Se vc é rico de verdade, vc não reclama da manutenção de um carro como esse. o problema é mão de obra que saiba mexer neles. Eu mesmo, se tivesse condições teria um ALFA SZ e um lacia Stratos para o Fim-de-Semana, mas no momento estou andando de ônibus. Esse ano, pode ser que a coisa melhore e eu adquira um carro, que com certeza vai ser um importado, pois não vejo carros de nível no brasil. Pense bem, cavalo anda, cavalo come. não pode ter aquilo que não se pode mater, pois é o mesmo que não ter.

    ResponderExcluir
  24. Bitu, parabéns pela(o) nova(o) entusiasta!!
    Também tenho um de 8 que odeia quando ganha um Hot Wheels daqueles coloridões e sem pé nem cabeça... Gosta mesmo dos carros "comuns", de preferência muscle cars e superesportivos. E sempre compra pra mim algum GT ou turismo de corridas, que coleciono. E ainda me deu de presente o SP2 de natal!!
    Eu me lembro da tua fase alemão-total em que, se não me falha a memória, vc tinha um Santana e participava do fórum do Carsale e tinhamos grandes discussões com os irmãos "fordistas" Smith (um era o Mark).
    Tenho dois pôsters que o meu filho herdou e não se desfaz de jeito nenhum, o da Contach e o da Ferrari 312T2 do Lauda...

    ResponderExcluir
  25. B2, por um breve instante achei que esse post era pra noticiar que viria UM autoentusiasta bituzinho edition....hehehehehehe

    Belo post!

    ResponderExcluir
  26. FB,

    Bela história com muitas emoções. Entusiastas desde sempre, como devemos ser...
    Parabéns!
    MRA

    ResponderExcluir
  27. Também tenho um pôster da F40, mas o meu é beem mais simples, rsrsrs
    É exatamente esssa foto aqui: http://cache2.allpostersimages.com/p/LRG/7/791/BPCI000Z/posters/ferrari-f40.jpg

    Eu não morro de amores pela Ferrari, mas a F40 é um dos modelos que mexe com meu raciocínio, hauehauehuahuehuaheua :D

    ResponderExcluir
  28. FB,

    Ontem assisti o filme Le Mans, retrata a rivalidade da epóca Ferrari vs Porsche... que filmaço heim!
    No caso, os Porsche levam a melhor, graças ao destemido Michael Delaney, interpretado pelo Steve McQueen... um dos mais famosos autoentusiastas, olha que história maneira a deste cara...
    http://www.mcqueenonline.com/lemanshv.htm

    Vc falou do Eldorado, lembro desta época, em que eu ía pra pista de skate de SBC pela pista do trólebus... aliás, eu e mais um bando... ahahah... eee tempo bom!

    Abs

    ResponderExcluir
  29. puuuts... agora que percebi, foi malz rapaziada, contei o final do filme sem querer, não foi de sacanagem... Desculpaeee quem ainda não assistiu.

    ResponderExcluir
  30. FB,

    Sua história me lembrou das tardes que passava na casa de meu avô, Mecânico da DKW e Ex-Instrutor de Mecânica no SENAI-RJ, tambem na mesma época em torno de 1989 quando tinha uns 6 anos de idade:

    Como sempre gostei de ler, vivia pegando coisas da estante - adorava os fasciculos da Enciclopédia CONHECER, que minha avó, professora, sabiamente me indicava a ler - até que uma vez descobri um livro grande, pesado, de capa cinza com garrafais letras pretas na lombada onde estava escrito ENCICLOPEDIA DO AUTOMÓVEL.

    Tratava-se de uma edição de pelo menos uma década atrás (acredito que dos anos 70 ou 60 tanto pelos desenhos como pelos carros mostrados), e que me fascinou desde a primeira orelhada.

    Ela contava tudo sobre automóveis, desde a invenção das primeiras máquinas a motor às inovações tecnológicas desenvolvidas no automobilismo - minha paixão desde que me entendo por gente, mesmo que todos meus familiares e amigos da escola só se interessassem por futebol, vai entender.

    Lembro que a li inteira, por completo, e que o tempo passava rápido enquanto descobria com a maior curiosidade possível todas as explicações técnicas do funcionamento de motores de 2 e 4 tempos, tipos de suspensão, ângulos de convergência, cambagem, e os então grandes mistérios da condução de veículos, onde eram detalhados procedimentos arrancada (que nem sabia do que se tratava, mas jamais esqueci a explicação de acelerar com o pé na embreagem e "largar" soltando o freio de mão), frenagens, controle em curvas com subesterço e sobresterço, direção na chuva (devo ter sido um dos poucos que se preocupava com aquaplanagem aos 8 anos de idade) e ia até a história propriamente dita de modelos célebres, e que se não me engano terminava com projetos do "futuro", onde era citado o então revolucionário protótipo Bertone Carabo, que sempre achei muito similar com outra paixão minha, o Lamborghini Countach.

    Obrigado por me fazer desenterrar essas excelentes lembranças da minha infância, hoje diretamente associada ao carro vermelho que ilustra o Post, o quarto do herdeiro, e que tambem estava na capa da primeira Revista sobre automóveis que me recordo ter lido.

    Quanto ao enigma das cornetas assimétricas que descem da tampa do motor: São dutos de ar para refrigeração dos radiadores de óleo do motor (maiores, no lado do passageiro) e do óleo da transmissão (menores, no lado do motorista).

    A F40 usa sim dois intercoolers, mas esses são maiores, de cor prateada, e ficam montados na horizontal acima do motor, em posição bem central no veículo, logo atrás da cabine.

    []'s!

    ResponderExcluir
  31. Bitu... Uma coisa é fato: A sua filha tem melhor gosto que você. A não ser que o tal do porsche seja o CGT... hehehehe

    []'s

    ResponderExcluir
  32. O amigo que comprou a 4R da F40 fez-me lembrar da revista do meu pai... eu devia ter 6 anos... e a revista me rendeu "boas broncas", após quase se desfazer de tanto que passei as páginas... fiquei de castigo um bom tempo sem ver 4 rodas... mas, até hoje eu também acho que a F40 é a melhor Ferrari de todos os tempos, performance é o que importa.. painelzão com revestimento feio, sem forro de portas... eu também não entendia aquilo... um carro tão caro e com um acabamento... sem acabamento, melhor dizendo. Mas, é o verdadeiro espírito de um puro-sangue. A verdadeira Ferrari, para mim.

    Um abraço,

    ResponderExcluir
  33. Era uma vez...

    Lembro desta F40, na 4 Rodas, belíssima e potente. Mostrei a revista para o meu pai (eu, empolgadíssimo!), olhou e setenciou: prefiro o Monza...

    Sacrilégio!!!!

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.