RODÍZIO? NÃO, OBRIGADO.

Imagem: alvescar.com.br
Esquema típico de rodízio de pneus, usando o estepe e não.

Bem no começo deste ano falei sobre os pneus novos na dianteira e deu certa confusão, pois minha opinião conflita com a de fabricantes de pneus, que insistem em novos atrás. Seja como for, cada um é livre para adotar a solução que achar melhor. O que posso afirmar é que em 50 anos dirigindo (com CNH, fora alguns anos na clandestinidade...) nunca a minha escolha resultou numa perda de controle da traseira no molhado, nem mesmo ameaça.
Hoje o tema é não menos polêmico: fazer ou não rodízio de pneus. Pelo título o leitor já sabe que não faço. Vou dar meus motivos.
Todo pneu assenta no canto do carro em que ele está. Depois que assenta totalmente, o que ocorre dentro de 200 a 300 quilômetros, têm-se o melhor contato com o solo e  como consequência as melhores respostas às forças a ele impostas -- direção, tração, frenagem, força lateral em curvas. Faça-se o rodízio e durante aquelas centenas de quilômetros não se conta com a melhor aderência. Fora que, para assentar, haverá um certo e acentuado desgaste do pneu.
Por isso, minha sistemática sempre foi nunca fazer rodízio com o objetivo de obter desgaste igual dos quatro ou cinco pneus (um interesse inequívoco no caso de veículos 4x4). Pneu morre onde nasceu e ponto final.
Assim, num carro de tração dianteira típico, minha rotina típica de troca, considerando até 4 mm  (novo: 8 mm) de profundide de sulco, é:
- Primeiro par dianteiro, formando o par com o estepe (se der, se for de mesma rodagem)
- Segundo par dianteiro
- Terceiro para dianteiro. A essa altura considero o desgaste dos traseiros: se tiverem chegado a 4 mm de profundidade de sulco, é hora de trocar os quatro.
Mas, e se chegar um momento em que o dianteiros estão com, digamos, 6 mm e os traseiros com 4 mm? Vou comprar um par novo e colocá-los onde? Na traseira! Mas não pelos motivos alegados pelos fabricantes de pneus, e sim para não mudar a posição dos dianteiros que, com 6 mm, ainda são bons de molhado. Quando chegarem a 4 mm os traseiros estarão praticamente novos. Então, novo par dianteiro.
Pelos que os pneus duram atualmente, nesse processo o carro já deverá ter atingido 100.000 km
Mas há uma desvatagem em não fazer rodízio, por incrível que pareça: pode acontecer de o modelo de pneu que você usa sair de linha. Então, ou o carro fica com pneus de modelos diferentes, o que é feio e não é recomendável, ou se compra dois pneus sem necessidade, o que doi no bolso.
BS

45 comentários :

  1. Rodrigo Laranjo14/02/10 20:09

    Então está aí mais uma coisa que discordo de ti. Pra mim o vídeo do Cesar Urnhani no campo de provas da Pirelli é claro e objetivo sobre a vantagem de estar com os pneus novos na traseira.

    Ah, só pra informação, a outra coisa que discordo de ti é a questão do freio ABS.

    ResponderExcluir
  2. Bem convincente:

    http://www.youtube.com/watch?v=lD8_fOsIMq4

    Mas, será que não foi porque esses pneus novos não passaram pelos 200~300 quilômetros para assentarem?

    ResponderExcluir
  3. Olá, Bob. A vida inteira, desde que comecei a me interessar por carros, lá pelos meus 5 anos (e já se vão mais 41), inclusive em revistas sobre carros, a recomendação foi: pneus novos, na frente. E é assim que agiria. Digo agiria, pois como rodo bem pouco (cerca de 6.000Km por ano) e dirijo de modo bem suave, com a atual durabilidade dos pneus, nunca precisei trocar antes de vender meus carros. Quanto ao rodízio, todos os manuais dos carros que tive recomendavam e traziam o esquema de troca, exceto o manual do meu atual carro (Renault Logan 1.6 8v), que expressamente diz que não recomenda que se faça rodízio.

    ResponderExcluir
  4. Bera Silva14/02/10 21:37

    Haveria algum problema em se usar pneus de mesmas medidas, porém de marcas diferentes nos eixos? Por exemplo: um carro popular (4 pneus 165/70 - Pirelli hipotético) que gastasse o par da frente e eu trocasse por um 165/70 seja Michelin ou "argentino do supermercado" ou qualquer outro. Existe alguma diferença de estabilidade e/ou segurança, sensível ao motorista comum?

    Um abraço

    ResponderExcluir
  5. Bob, e o que você me diz de fazer o balanceamento com o conjunto roda/pneu montado no carro? Há tempo não sou a favor do rodízio de pneus por ter lido essa recomendação em um manual da BMW, mas é sempre a mesma história quando vou fazer alinhamento e balanceamento: tenho que ficar de olho no funcionário da loja que teima em fazer o rodízio, não importando meu pedido. É como se fosse uma ação automática.

    Como sempre, um post relevante. Parabéns!

    ResponderExcluir
  6. Fernando,
    O pior é quando o funcionário teima em, além de mudar os pneus de eixo, mudar-los de lado (direita para esquerda e vice-versa).

    ResponderExcluir
  7. Rodrigo Laranjo,
    Os efeitos de falta de aderência teriam de ser opostos, isto é, a frente deveria ir embora decisivamente, com acentuado esterço para dentro da curva. O vídeo não exprime a verdade.
    ABS: acabei de dirigir, na Argentina, a picape VW Amarok. Uma tecla no console aciona o ABS para piso de pouca aderência e irregular, com mudança do software. De novo: o dia em que o ABS não for mais "enganado" pelo piso irregular (que domina a Pátria Amada), aceitá-lo-ei.

    ResponderExcluir
  8. Luiz D.,
    Como o vídeo foi realizado no campo de provas da Pirelli, acredito que os pneus estivessem assentados.

    ResponderExcluir
  9. Anônimo,
    Eu desconhecia essa recomandação para o Logan. Bom isso.

    ResponderExcluir
  10. Bera Silva,
    Não há problema, mas por uma questão de princípio e até de estética deve-se evitar misturar marcas de pneus. Pode haver alguma diferença, mas não a ponto de comprometer a segurança.

    ResponderExcluir
  11. Fernando,
    Olhe só, eu desconhecia esse fato da BMW também. E é como você disse, uma ação automática. Não gosto do balanceamento no carro, pois em geral só um plano, o estático, é balanceado. Há que se balancear os dois planos, estático e dinâmico. Aproveitando, o estático é o que equilibra as masssas em torno do eixo, e o dinâmico, ao longo do eixo. No balanceamento no carro em geral, com eu disse, só se balanceia o plano estático, correspondente ao pick-up da máquina aplicado verticalmente à suspensão. Para o dinâmico o pick-up tem de ser aplicado lateralmente. Mas esse tipo de balanceamento tem o inconveniente de fazer as planetárias do diferencial funcionarem sem óleo. Elas só recebem óleo quando o carro se movimenta, o óleo sendo pescado pela caixa de satélites em movimento. A coisa fica complicada também quando há diferencial autobloqueante no eixo motriz, pois as duas rodas giram juntas. Nada como um bom balanceamento com a roda fora, feio numa máquina bem calibrada.

    ResponderExcluir
  12. Obrigado pela atenção, Bob. Abraço!

    ResponderExcluir
  13. AndersonTS14/02/10 22:54

    Oi Bob!

    Mais um assunto polêmico, mas concordo contigo. Há uns anos atrás, meu pai foi fazer uma revisão antes de uma breve viagem no final de semana seguinte e o funcionário da loja resolveu fazer o rodízio dos pneus. Meu pai pegou o carro e notou o comportamento ruim. Numa curva feita do mesmo jeito de sempre, ele quase perdeu a frente e ia no poste. Sorte q estava em velocidade adequada ao local e só. Voltou na loja e exigiu o retorno dos pneus a posição anterior. O carro parecia outro! Assentado no chão, sem sequer se parecer aquilo que demonstrara. Comportamento irrepreensível!

    Rodízio? Só se for na churrascaria, pizzaria...

    ResponderExcluir
  14. Aqui troca-se o pneu apenas quando ele está próximo de um relativo alto índice de desgaste.

    Rodízio? Nenhum dos carros passa por isso. É trocar os pneus (com a clara preferencia para a dianteira) e alinhamento/balanceamento.

    Marcas diferentes? Nunca. É o mesmo pneu, mesmo modelo, mesmo tudo. Nada de Pirellis na frente e Xing Lings na traseira.

    Calibragem e alinhamento ok, não há com que se preocupar.

    ResponderExcluir
  15. Coloquei 4 pneus novos na minha fielder 06/06 da Continental. O carro ficara ótimo. Na revisão dos 70 mil, eles fizeram o rodízio, foi a autorizada, achei que estava correto.Até hoje eles estão assim. Mas o desempenho piorou. Antes eram melhores. Percebi uma piora no equilíbrio do carros nas curvas; abs...Ewerton.

    ResponderExcluir
  16. Jonas Torres15/02/10 00:18

    Bob,

    Quando as rodas estão balanceadas a divisão de massas do conjunto roda/pneu fica equilibrada, com o desgastar uniforme da banda de rodagem o equilibrio de massas continuaria mantido.

    Isso posto, gostaria de saber se é realmente necessário balanceamento a prazos como 10 mil km sem o carro apresentar nenhum sintoma de desbalanceamento.

    ResponderExcluir
  17. Será que a recomendação do rodízio vem das empresas fabricantes dos pneus para assim acontecer um maior desgaste e venderem mais?

    ResponderExcluir
  18. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  19. Desde a minha infancia/ adolescencia/aborrecencia/ juventude, ouvi que pneus novos SEMPRE na frente.
    Agora na terceira/melhor idade, veio a história de pneus novos instalados atrás.
    Fica difícil assimilar.
    A propósito, alguem tem alguma informação sobre a marca de pneus Maxxis?
    Romeu

    ResponderExcluir
  20. Jonas,
    Os pesos equilibram uma determinada massa, formada pelo pneu e pela roda. Se o pneu se desgasta, teoricamente aqueles pesos se tornam excessivos. Entretanto, se não há nenhum sintoma de desbalanceamento, é desnecessário balancear. E tem mais, alinhamento e balanceamento são operações totalmente independentes, que oficinas e centros automotivos insistem em oferecer como necessariamente juntos.

    ResponderExcluir
  21. Anderson TS,
    Que história incrível essa do seu pai! Que os leitores se baseiem nela. Obrigado pela colaboração.

    ResponderExcluir
  22. Romeu,
    Não conheço esses pneus. Vamos ver se algum leitor conhece e nos passa a informação.

    ResponderExcluir
  23. Interessante que o fabricante coloca essa informação dos pneus novos atrás com a justificativa de "perder a traseira" em qualquer situação.

    Ocorre que isso varia pelo tipo de veículo, tração e distribuição de pesos. Onde entra a recomendação do construtor do veículo? Manual neles!

    Sem contar que o próprio Bob relatou que em seu tempo de habilitação não enfretou tal adversidade relatada pelo fabricante ao usar os pneus novos na dianteira -e imagino que o Bob conheça os limites dos carros que teve em mãos- .

    Aliás, o que leva um fabricante a fazer um vídeo para botar medo no condutor/consumidor?

    Pergunto ainda:

    A maioria dos carros com tração dianteira tem tendência a perder a frente em situações limite. Um pouquinho de aderência a mais na traseira em relação à dianteira poderia potencializar esse efeito?

    ResponderExcluir
  24. " O vídeo não exprime a verdade" -Bob Sharp.

    Assino embaixo.

    Teste recente de Revista de circulação nacional revela a verdade :

    1-Quatro pneus novos : aquaplanagem a 100 Km/h, controle a 90 Km/h

    2-Dois novos na FRENTE e dois meia- vida ou dois gastos atrás : controle do carro até 80 km/h

    3-Dois novos ATRÁS e dois meia- vida na frente : perde-se o carro a partir de 70 km/h. Nem foi testado dois gastos na frente.

    Contra números frios, não há vídeo que resista,ora pois .

    Detalhe importantíssimo : apesar de colocar os novos na frente render 10 Km/h mais na mesma situação, a revista que fez o teste orientou os motoristas a usarem novos atrás.

    Bob, nosso Ecosport XLT 2.0 câmbio manual, Pirelli , com 36.000 km, pede 4 novos,( serão três novos, mais o estepe sem uso) não há 1 mm de diferença entre os dianteiros, já perto do TWI, e os trazeiros,só um pouquinho melhores. Tu pode dar uma pista do que houve?

    ResponderExcluir
  25. Corrigindo, o vídeo não foi feito pela fábrica. hehehe

    ResponderExcluir
  26. A Renault não recomenda fazer rodízio em nenhum dos seus veículos (os manuais estão disponíveis para baixar no site da marca).
    A Chevrolet recomenda que se use pneu reserva com mais de 6 anos apenas em emergência e em baixa velocidade. Caso o pneu reserva tenha medida diferente dos demais, há algum problema de deixar no estepe um pneu com mais de 5~6 anos?
    Outra dúvida: Por que um pneu pode ficar escamado, fazendo ruído semelhante ao de rolamento ruim?

    ResponderExcluir
  27. Romeu,

    Andei pesquisando e vi que são pneus produzidos em Taiwan e importados por uma tal Brazil Tires Maxxis (http://www.braziltires.com.br/novo/index.html). Também vi na rede que eles firmaram parceria com a BS Colway (http://www.gazetadopovo.com.br/economia/conteudo.phtml?tl=1&id=859415&tit=BS-Colway-vai-importar-pneus-de-Taiwan), o que pra mim não soa bem. Se vale minha opinião, não arrisco quando o assunto é pneu. É das economias mais porcas que se pode fazer. Michelin, Pirelli, Goodyear e Firestone já conhecem nossas belas condições de combate, digo rodagem.

    Espero ter ajudado. Abraço!

    ResponderExcluir
  28. Jonas Torres15/02/10 17:07

    Valeu Bob!

    Romeu, Fernado

    Eu conheci um caso sobre estes Maxxis. Um conhecido comprou um TR4 que saiu de fábrica com um problema de trepidar volante e puxar volante. Foi tentado de tudo, de troca de rodas a ajustes de alinhamento/cáster/convergência conforme manual do fabricante. Um dia alguém falou que o problema poderia ser os pneus, e era mesmo. Trocou os 4 (que ainda eram novos)e acabou o problema na mesma hora, e os que estavam no carro eram das marcas famosas (não sei qual, infelizmente). Aí vem a surpresa, ele colocou no lugar justamente os Maxxis, perfeitos!!

    ResponderExcluir
  29. Bem, na verdade eu passei esses ultimos dias pesquizando pneus.
    Eu estava precisando de dois pneus 185/70/14.
    Encontrei esses Maxxis mais em conta que os das marcas tradicionais.
    Em algumas lojas me informaram que o pneu era muito bom, que inclusive a GM está usando essses pneus atualmente na linha de montagem.
    Na internet a unica informação é que eram assistidos pela rede BS Colway, (o que não é muito recomendavel) e fiquei na duvida.
    Por isso coloquei aqui o meu pedido de informações sobre a marca.
    Hoje pela manhã, consegui um bom preço (semelhante ao Maxxis) em dois Bridgestone de modelo atual.
    Já estou de sapato novo.
    Obrigado Bob, Fernando, Jonas, pelas dicas.
    Romeu.

    ResponderExcluir
  30. Jonas, já aconteceu isso comigo uma vez, e com pneus Goodyear NCT5. Um ou dois deles vieram deslocados. Acho que isso pode ter acontecido com seu amigo também. Se for o caso, qualquer pneu em perfeita condição teria resolvido o problema. Não creio que tenha sido especificamente por serem da Maxxis. Contudo, isso serve pra mostrar que mesmo as marcas tradicionais estão longe de não apresentarem problemas.

    Voltando ao meu caso, fui à loja na qual adquiri os pneus com duas notas fiscais comprovando dois balanceamentos malsucedidos e requisitei a substituição dos pneus dianteiros. Depois do gerente andar com o carro e comprovar as trepidações, acabou autorizando a troca e o veículo ficou impecável. Como o carro era daqui de casa desde zero e estava em ótimo estado, o pessoal da loja nem tentou culpar os componentes da direção ou da suspensão.

    Fico por aqui. Abraço!

    ResponderExcluir
  31. Ando com um Santana 1.8 e acabei por não fazer os rodízios. Os traseiros gastam pouco e em 4 anos, ainda estão com boa profundidade nos sulcos, mas os dianteiros já foram trocados duas vezes, sempre Slick.
    Notei que a aquaplanagem existe sim no pneu muito liso, mas em velocidades pouco recomendadas e em pistas em condiçoes ruins. Normalmente, após dar uma aliviado no acelerador, retoma-se o controle da direção. Em tempo, nunca sentí saídas de traseiras no uso normal, e apenas as vezes, quando provocada a frente sai um pouco, mas pela quase total área de contato, sempre com fácil correção.

    ResponderExcluir
  32. Bob,

    Baseando-me em uma matéria sobre pneus do Fusca Itamar, publicada na Fusca&CIA, resolvi trocar os pneus Kelly 165R15 do meu VW 1994 pelos Bridgestone B381 (175/65R15). Houve um ganho significante em estabilidade, mas você ainda não falou qual seria a calibragem ideal tanto com o veículo vazio como com o mesmo carregado.

    Aguardo essa informação preciosa.

    ResponderExcluir
  33. Também não faço mais rodízio de pneus, justamente pelo que o AndersonTS comentou: na única vez que fiz isso, senti que o carro ficou meio "bobo" por um tempo, até os pneus se assentarem corretamente. Não cheguei ao extremo de perder controle em curva, mas senti que o carro ecorregava um pouco além do esperado em curvas mais rápidas.

    Outro porblema de se fazer rodízio usando o estepe é que um dos lados do carro (o que não usar o estepe no rodízio) ficará com pneus mais gastos do que o outro.

    Pneus com mais de 5 anos de uso, mesmo com profundidade de sulcos boa, ficam com a borracha mais dura, perdendo aderência e se degradando mais rapidamente, em especial com velocidades mais elevadas. Essa é uma característica natural da borracha: esta vai endurecendo ao longo do tempo, perdendo sua elasticidade original.

    ResponderExcluir
  34. Marconi,
    Desculpe, deveria ter informado isso.
    Use 16/22 diant/tras até 3 ocupantes, 18/26 carga total. Se for rodar rápido em estrada, adicione 2 libras em cada um, independente da condição de carga.

    ResponderExcluir
  35. O artigo me pareceu pouco técnico e com nítida inclinação pessoal. A palavra "assentar" é pouco específica e não quer dizer muita coisa, é vazia, mas impressiona e causa até uma certa impressão de credibilidade.

    Embora não consiga achar um motivo para não fazer rodízio, posso concordar que um pneu novo vai demorar algumas dezenas ou poucas centenas de quilômetros até ter sua aderência máxima. Mas única e exclusivamente pelo revestimento externo da banda, de menor aderência que o composto do pneu.

    Depois disso, se o carro for corretamente alinhado, balanceado, calibrado e o desgaste dos pneus for uniforme, não vejo motivo do pneu obrigatoriamente ter que morrer naquele lugar. Aliás, trocá-lo de lugar não vai torná-lo menos aderente e necessitar de outro período de "amaciamento", como citado. Não entendi - ou porque não ficou claro, ou simplesmente porque o argumento não foi dos melhores - porque um pneu tem que "assentar" naquele canto e morrer ali.

    Com a única ressalva de mantê-lo rodando no mesmo sentido, creio que o rodízio iguala o desgaste dos 4 pneus, equilibrando os 2 eixos na questão aderência futuramente. E esta, sim, é uma recomendação típica visando interesses econômicos, já que você provoca a troca de 4 pneus quando o TWI for atingido!

    Se a idéia for trocar apenas 2, economizando a cada troca, faz-se o rodízio para evitar ter pneus gastos na traseira, eixo responsável por boa parte da estabilidade do veículo - seja ele de tração dianteira ou traseira. Contrariamente ao que afirmou o Alexei, o vídeo, embora feito por uma fábrica de pneus, demonstra sim a realidade e vai contra interesses econômicos destas, já que a troca 2 pneus é menos interessante financeiramente para elas do que a troca dos 4.
    Aliás, este é apenas UM dos vídeos que recomenda esta atitude ao trocar apenas 2 pneus.

    Mas eu entendo como pessoas de uma escola mais antiga e saudosista tenha dificuldades em aceitar esta e outras questões...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo em "gênero , número e grau"!

      Excluir
  36. Só rodo na cidade, não piso fundo há tempos e qdo fiz rodízio no meu Civic não notei nada de diferente em seu comportamento, só que meu irmão - que é metido a playboy - pegou-o emprestado e depois me perguntou o que tinha acontecido c/ o carro, pois achou que a estabilidade havia piorado. Ou seja, rodízio só faz diferença p/ pé-de-chumbo.

    ResponderExcluir
  37. Continuo preferindo colocar pneus novos primeiro na dianteira.
    Aqui no Recife, quando chove é para alagar tudo e eu prefiro controlar o escorregamento da traseira, que perder o carro em aqua planing.

    ResponderExcluir
  38. Há tempos que sou o responsável em casa pela manutenção dos carros (estes sempre de tração dianteira infelizmente).
    Eu solicitava rodízio quando os pneus dianteiros sofreram desgaste irregular, no equívoco intuito de utilizá-los por mais tempo no eixo traseiro, onde eu achava que de alguma forma acertaria este desgaste irregular, pois nos carros em questão, não existia regulagem para alinhamento traseiro (ou o carro estava no gabarito ou o carro estava realmente torto) e a diribilidade é mais afetada com pneus "tortos" na dianteira.
    Sem problemas de desgaste irregular, a decisão foi sempre trocar os dois dianteiros e em determinada troca, analisando o desgaste dos pneus traseiros (custo x estabilidade), a troca dos 4.
    Estou com um carro que fiz rodízio, sem trocar pneu algum, para simplesmente postergar a troca dos 4. Questão de $$$ mesmo.
    Decisão de troca imediata - algum pneu atingiu TWI. Troco no mínimo o par.
    Rodízio como na figura da esquerda, nunca vi e na minha opinião o resultado não tem como ser bom.
    Como o Road Runner falou sobre a questão do endurecimento da borracha... Sempre na primeira troca comprei um pneu e utilizei o step e nunca tive problemas. Mas este problema aconteceu (e a coisa era feia heim!) no carro da minha namorada, pois ela roda muito estrada e também dirigi mais suavemente, então esta troca demorou pra acontecer, o carro com um pneu novo + step puxava absurdamente para o lado do pneu novo, "resolvi" o problema colocando estes pneus no eixo traseiro.

    ResponderExcluir
  39. Oi,

    Gostaria de uma informação sobre os pneus da FIELDER que roda original com 195/60/15, mas quero colocar atrás pneus 205/60/15 ou 205/65/15. Pergunta vai me dar algum problema.

    Rodizio, aprendi com o tempo e com a vida que pneus novos devem ser usados atrás. Como só uso pneus mais largos atrás não faço rodizios e faço uma super economia, pois so compro pneus de 2 em 2, quando os da frente se vão só preciso comprar 2. E quando os de trás acabam já usei mais de 4 pares na frente...

    Aguado resposta para minhas perguntas e saber se a minha atitude é valida...???

    ResponderExcluir
  40. Fiz rodizio de pneus no meu Symbol depois de terem rodado 30 mil km e fiquei surpreendido pelo excesso ruido que o carro passou a fazer ao rodar.Não tive dúvida e recoloquei as rodas em suas posições originais.Isto confirma que pode haver uma substancial mudança de comportamento do carro após esta prática.

    ResponderExcluir
  41. você demorou para fazer o rodízio e agora os pneus que estavam na roda livre já estão "escamados"... vai fazer barulho até o fim da vida infelizmente. A diferença é que na frente é mais perceptível. Tentei essa de não fazer rodízio e me dei mal também. Esta postagem do Bob não foi das melhores na minha opinião.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.