EU TIVE UM SONHO

Foto: bradleystokejournal.co.uk
 Sonhei que só se vendia gasolina nos postos para veículos com motores de ciclo Otto e óleo diesel para motores de ignição por compressão. Gasolina, sem etanol ou com no máximo 5%, como aliás é hoje a gasolina da Fórmula 1, que tem precisamente 5,75% de etanol na gasolina, isso desde a temporada de 2008.
Sonhei que poderia viajar pelo países vizinhos a dentro e reabastecer sem nenhuma dificuldade e com a certeza de estar usando a gasolina especificada para o meu carro -- e sem a menor inveja dos brasileiros que têm carros a diesel e não têm o problema em reabastecer seus carros fora dos nossos limites territoriais.
Sonhei que carros importados poderiam sair rodando dos navios ou de dentro dos contêineres e receberem carga de gasolina encontrável nos postos -- eles devem ser transportados praticamente secos, por questão de segurança -- e depois encostarem num posto e terem seus tanques abastecidos. Sem necessidade alguma de recalibração das centrais eletrônicas que gerenciam a mistura ar-combustível para ficarem aptos a rodar no país.
Sonhei que os apaixonados por carros antigos não tinham nenhum tipo de problema de funcionamento dos motores desenhados para gasolina sem etanol, que hoje enfrentam problemas sérios com o material emborrachado de diafragmas de carburadores e bombas de gasolina devido ao ataque químico do etanol, e que funcionam mal devido à mistura ar-combustível pobre em função de um quarto da gasolina ser etanol (um quinto, deste fevereiro até maio).
Sonhei as octanagens das nossas gasolinas eram as mesmas do resto do mundo desenvolvido sem o recurso da quarta parte de etanol, resultando em níveis de consumo mundiais e não os que vemos por aqui e que tanto apreciamos -- e nos surpreendemos -- quando dirigimos no exterior.
Sonhei que os preços dos derivados de petróleo obedeciam aos ditames dos mercados internacionais do petróleo e do câmbio e não também ao humor de fazendeiros e usineiros, que sobem preço ao bel-prazer,  na maior cara de pau, isso consequentemente influenciando o preço da gasolina.
Sonhei que o comércio varejista de combustível era 100% honesto, que o produto que se comprava nos postos era aquele especificado, sem nenhum tipo de adulteração. Que não era preciso jamais desconfiar de um posto de bandeira branca -- embora posto com bandeira conhecida não seja garantia de honestidade faz tempo.
Sonhei que o nosso interior era verdejante mas não de cana-de-açúcar e que por isso odor no ar era o dos campos americanos e sul-americanos, notadamente argentinos e uruguaios, não o enjoativo doce desta planta. E que nunca havia fuligem no ar empesteando tudo e todos, por vezes enfraquecendo a luz do sol, resultado das queimadas. E que se viam por aqui, em grande quantidade, as paisagens bucólicas do gado vacum nos pastos.
Sonhei que quem quisesse poderia ter seu carro a diesel, numa escolha absolutamente natural, sem a ridícula proibição brasileira de automóveis com motor Diesel -- caso único no mundo.
Mas acordei.
BS

30 comentários :

  1. REALMENTE AQUI NO BRASIL MUITAS COISAS SÓ SE REALIZAM EM SONHO, E O MAIS ENGRAÇADO E QUE NOSSO GOVERNO FAZ UMA PROPAGANDA QUE NÓS SOMOS AUTO SUFICIENTES EM PETRÓLEO, QUE NÓS SOMOS UM GRANDE PRODUTOR DE ÁLCOOL(AGORA O NOME FOI INTERNACIONALIZADO, GANHOU NOME MAIS POMPOSO, CHAMA-SE ETANOL), QUE E ISSO QUE AQUILO, É TUDO BALELA,SE FOSSE-MOS TÃO AUTO SUFICIENTES ASSIM, NÃO PAGARIAMOS ESSA ROUBALHEIRA QUANDO ENTRAMOS EM UM POSTO PARA ABASTECERMOS E ALÉM DISSO, UM COMBUSTÍVEL DE MÁ QUALIDADE CHEIO DE ENXOFRE E ÁGUA.
    PARA MIM O PIOR E SABER QUE BEM AO NOSSO LADO, EM PAÍSES VIZINHOS, POSE-SE COMPRAR VEÍCULOS DE PASSEIO A DIESEL DE VÁRIAS MARCAS E MODELOS
    E QUE O PRÓPRIO COMBUSTÍVEL EM SI E SUPERIOR AO NOSSO, POIS NÃO CONTÉM ENXOFRE,A PETROBRÁS HÁ ANOS DIZ QUE VAI ACABAR COM O USO DO ENXOFRE NO DIESEL, MAS COMO TUDO AQUI E RÁPIDO , TALVEZ ELES O FAÇAM QUANDO NÃO PRECISEMOS MAIS USAR COMBUSTÍVEIS A BASE DE PETRÓLEO, É AI JÁ ERA!
    OUTRA COISA QUE ME CAUSA ESTRANHEZA
    E O FATO DE SE CONSEGUIR RETIRAR PETRÓLEO EM AUTO-MAR E NÃO SE CONSEGUE RETIRAR UM PRODUTO QUÍMICO E DEPOIS COLOCAR OUTRO QUE NÃO PREJUDICA NOSSA SAÚDE, ESSA E A NOSSA PETRÓBRAS AUTO SUFICIENTE, GRANDE CAIXA ELEITORAL E CAIXA DOIS DO GOVERNO E SUA CORJA.

    ResponderExcluir
  2. André Andrews13/02/10 21:35

    Como é triste a nossa realidade. Por falar em autonomia, estou sofrendo com o Fit e seu tanque de 42l eodando no etanol. E o pior, a função autonomia do computador de bordo é imprestável, nunca vi igual: marca até 0 km de autonomia (coisa que muitos carros não fazem), mas mesmo em 0 ainda restam 6 litros no tanque. Já andei pesquisando, todos são assim, quando acende a luz reserva restam 8l, vc muda para a autonomia e restam 20 km pra rodar.

    ResponderExcluir
  3. No papel, a historinha do etanol e suas maravilhas ambientais é fantástica. O problema é quando temos o mundo real e esse absurdo de abusos que usineiros cometem.

    E como foi frisado no texto, temos carros com consumo de combustível terrível, que não funcionam bem com álcool nem com gasolina, por terem que ser "patos" e fazer um pouco de tudo.

    Enquanto lá fora há motores com injeção direta, turbo, câmbios com dupla embreagem e sistemas start stop, o máximo de tecnologia em motores que encontramos por aqui é um tanquinho pra o carro pegar no "frio". Até os cabeçotes com 4 válvulas por cilindro foram abandonados paulatinamente pelas fabricantes de maior volume de vendas.

    ResponderExcluir
  4. André Andrews,
    Realmente, 42 litros para etanol é muito pouco. Tinha que ser pelo menos de 55 litros. de maneira a aproximar do poder calorífico da gasolina em volume.Quanto ao problema do computador de bordo, recomendo que você fale com a Honda. Eles têm como e têm que resolver isso.

    ResponderExcluir
  5. erlanbiker,
    Isso aí, está tudo errado.

    ResponderExcluir
  6. Já não sonho com mais nada, só peço: peço que se houver reencarnação, na próxima eu não nasça fora do eixo Dinamarca/Finlândia/Noruega. Lembram do aviso "deixai toda esperança, ó vós que entrais", no portal do inferno da "Divina Comédia" de Dante? Pois é: adaptando a frase ao Brasil, ela ficaria assim: "deixai toda esperança, ó vós que nascestes brasileiros".

    ResponderExcluir
  7. É um problema que levaria decadas pra se resolver. Vai ser mais fácil termos carros elétricos rodando de maneira comum nas nossas vias do que rever a gasolina pura em nossos tanques ou diesel em carros que não tenham reduzida ou que não sejam utilitários.

    É uma pena, mas sempre vale a pena sonhar.

    ResponderExcluir
  8. o álcool era muito bom quando não existiam carros flex... era uma opção pra quem tinha coragem, e para carros modificados...

    atualmente perderam o respeito com o consumidor, daqui a pouco compraremos gasolina com 50% de álcool, já que praticamente estão considerando 100% da frota carros flexíveis.

    ResponderExcluir
  9. Parece-me que todas as refinarias estão reformando suas torres para melhorar a qualidade de nosso Diesel.
    Espero que seja para o mais breve possível e que também chegue a autorização para venda no país dois veículos movidos a esse combustível.
    Nossos bolsos agradecerão.

    ResponderExcluir
  10. Infelizmente o Brasil continua sendo um país desigual e injusto.

    As vezes perco a vontade de viver nesse país infestado de injustiças.

    Já passei por uma grande injustiça em 2009 em função de autoridades brasileiras que só defendem quem tem um estabelecimento ou alto poder econômico.

    Será que só pessoas endinheiradas continuarão tendo espaço nesse país com autoridades arrogantes, podres e nojentas?

    Espero que nenhum entusiasta passe pelo que passei no ano passado.

    Abraços a todos.

    ResponderExcluir
  11. Impressionante é a economia do meu carro com essa nova proporção de 20% de alcool na gasolina. Não sei ao certo o que acontece, mas o carro está muito mais econômico.

    ResponderExcluir
  12. Dener,
    Eu não estranharia se isso viesse a acontecer. A matriz energética brasileira é mesmo completamente torta. Por isso acho que ainda vou sonhar muito...

    ResponderExcluir
  13. Anderson,
    Incrível, não? Agora imagine com no máximo 5% de etanol.

    ResponderExcluir
  14. SFQNS,
    Já não era sem tempo!

    ResponderExcluir
  15. Pelo que percebi muita gente está tendo problemas de consumo em carros flex, já andei e verifiquei que pra um carro 1.8 esses motores gastão muito além do que deviam, pois carros antigos carburados dão essa media de 8 km por litro, mas nesses não existe a mágica flex, que pra consumir dois combustíveis baixa-se a taxa de compressão e está pronto, com isso temos carros que com o sistema flex chegam a consumir igual ou mais que um 6 cilindros.

    ResponderExcluir
  16. Zé da Silva14/02/10 11:05

    Bob
    Que bom que vc ainda consegue sonhar, mas convenhamos em um país onde quem autoriza a mudança ortográfica é semi-analfabeto, e onde uma" coisa " ( collor) é eleito para a academia alagoana de letras ( nunca esceveu nada ), esperar o quê ?

    ResponderExcluir
  17. erlanbiker. Complicado comparar consumo. Carros carburados da década de 80 tinham uma determinada média num determinado trânsito, que hoje está muito pior. Portanto, um carro que fazia 8km/L em SP, deve fazer uns 6km/L hoje.

    Tem mais: Os flex já tiveram sua taxa bem aumentada. Dos 10,5:1 já passaram para 12:1 ou mais faz tempo, e ainda assim não houve nenhum ganho expressivo em economia. (O consumo do EA111 velho para o VHT é quase identico!)

    Vejam: eu tenho um Mille Flex e, verdade seja dita, economizei tanto que mais valia viajar com ele para campinas do que de ônibus.
    Mas não me agrada saber que em pleno século 21 tenho um motor ajustado "meia boca" só para atender a uma demanda mercadológica. Penso o seguinte: Antes da onda Flex em 2003, o alcool custava algo como 80 centavos e a gasolina mais de 2,00. A esmagadora maioria da frota era gasolina. Alguém morria por causa disso? Porque diabos hoje as pessoas precisam economizar SEMPRE? Será que não dava para ter um carro a alcool monofuel e, num momento ou outro de alta, pagar um pouquinho mais caro para rodar do que o cara que tem carro a gasolina? Será que alguém vai morrer por causa de uma diferença de 1 centavo por km rodado? Alguém passará fome por causa disso???

    Mais engraçado ainda é o pessoal ficar fazendo continha para ver qual compensa mais, para economizar sempre e ficar dirigindo de maneira incorreta, disperdiçando combustível. Ou pegar o carro para ir até a padaria, a 1km de casa.

    Quanto ao nosso combustível ruim, com alcool, enxofre, mijo ou qualquer outra porcaria, e a preços altos... MALDITO MERCADO REGULADO! Brasileiro em geral AMA um governo paizão e controla tudo. Taí amigão, o preço é esse. A petro é nossa e esse é o preço a se pagar. Não tá contente? Pense duas vezes antes de votar em 2010.

    ResponderExcluir
  18. Bob,
    Belo sonho.
    O que temos aqui é resultado de um monte de coisas, falta de política energética, é uma delas, curto prazismo, esperteza também.
    Estou passando o carnaval na Argentina, aqui a coisa é vista bem pior, o diesel deles tem muito mais enxofre que o nosso, alguns fabricantes tiraram seus motores diesel daqui, alto custo de garantia, que eles não tinham obrigação de dar, fosse o diesel minimamente decente.
    Mas... a grama do vizinho nos parece sempre mais verde...

    CZ

    ResponderExcluir
  19. Sobre computadores de bordo que dizem que o tanque está vazio quando ainda há combustível, isso não é privilégio só do Fit. Alguns aqui devem ter visto o desafio do Top Gear em que Jeremy Clarkson guiava um Audi A8 4.0 TDI no trajeto Londres-Edimburgo-Londres em apenas um tanque de combustível, distância total de 1.287 km.
    No trajeto de volta, em uma hora em que já estavam perto de Londres, o computador de bordo falava que não havia um litro sequer no tanque, sendo que ainda havia (como se podia conferir pela câmera instalada no tanque). Faltavam 56 km para o posto de combustível de onde haviam partido na ida. E Jeremy Clarkson conseguiu fazer todo o trajeto com apenas um tanque, tendo registrado média de consumo melhor que as conseguidas pela Audi (que inclusive havia alertado o pessoal do programa sobre a loucura que seria tentar fazer esse trajeto em apenas um tanque).

    ResponderExcluir
  20. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  21. Caro Bob,

    Infelizmente, creio estarmos mais distantes de realizar esse sonho seu, e meu também, do que Martin Luther King Jr. esteve ao proferir seu famoso discurso quase homônimo. Uma pena!

    Sem mais, fico por aqui. Sempre fã de seus textos. Abraço!

    ResponderExcluir
  22. Bob, infeliz realidade a nossa. Mais infeliz abastecer "gasolina", pagando R$2,59 o litro e obter um produto misturado, incorreto, adulterado... deixar R$100,00 num posto e nem completar o tanque, e sair de lá com a "pulga atrás da orelha" sem saber se o que está usando é ou não gasolina. Triste. Abraços tristes.

    ResponderExcluir
  23. Bera Silva14/02/10 21:21

    Faltou comentar sobre a ineficiência da Petrossauro de fornecer diesel com menos enxofre. Faltou mencionar também a mistura compulsória do biodiesel (mais caro) ao comum. E o desvio do programa de biodiesel que seria de produzir combustível, para consumo local, em regiões remotas que já dispõem de matérias-primas.

    ResponderExcluir
  24. Caio Ferrari,

    concordo com você. O pessoal quer economizar dinheiro, mas dirige de maneira a gastar muito mais combustível do que se deveria...padrão gersoniano total... Ignorânte que quer levar vantagem.

    Enquanto todo o processo de produção e ditribuição do etanol continuar dependente de máquinas pesadas movidas a diesel, o discurso ecochato nunca fará sentido. Mesma coisa dos veículos elétricos ou híbridos.

    ResponderExcluir
  25. Bera Silva, não é ineficiência não. Isso se chama "governo fiscalizando a si próprio". Ele sabe muito bem dos custos de se refinar diesel com menos enxofre, portanto prorroga a medida o quanto for conveniente para si próprio.

    ResponderExcluir
  26. Bob,

    Do primeiro abastecimento em Fevereiro para cá, notei uma diferença absurda no funcionamento liso, desempenho em média rotação e consumo do carro à gasolina.

    Não foi apenas uma redução de 25 para 20 % não.

    Anda-se a 130-140/160-170 pelas subidas/descidas mineiras com acelerador e consumo de 110/140 de antantes.

    Sugiro alguma matéria a respeito, antes que emporcalhem essa nova mistura.

    Abraço,

    ResponderExcluir
  27. Belo post Bob, me parece uma versão atual de uma coluna do Best Cars, lembra dela?
    O tempo passa e nada muda... jeito é continuarmos sonhando...

    ResponderExcluir
  28. Que coisa, hein? A que ponto chegamos "neste país"...

    Tudo que o Bob escreveu ter sonhado no texto, é totalmente inatingível no Brasil, ao menos por um bom tempo. Por outro lado, é a pura realidade de nossos vizinhos portenhos. Triste e dura realidade...

    ResponderExcluir
  29. Marcelo R.17/02/10 11:16

    Bob,

    Acho que faltaram algumas coisas no seu sonho... rsrs

    Encontrar peças boas e de qualidade, a um preço justo e a hora que quisermos, para não sermos obrigados a trocar de carro por pura falta de peças de reposição ou pelo medo de ficar sem elas (falo por experiência própria);

    Pagar um preço justo por um carro 0KM, e não o absurdo que nos cobram aqui. Além disso, carros ao nível dos vendidos no dito 1° mundo, e não os refugos reciclados e depenados que nos vendem no Brasil;

    Motoristas mais conscientes e mais bem preparados, que realmente saibam o que é um carro e não se deixem levar pelos marqueteiros de plantão, em suas escolhas;

    A abolição da lei de Gérson...

    Bom, deixa eu parar por aqui senão escrevo um livro... rsrs

    Falou e fiquem com Deus!

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.