CANADA AUTOSHOW 2010


As competições do passado tem sua memória preservada.
São muitas fotos e imagino que seja melhor dividir este post em vários, conforme marcas ou assuntos. Bom, first things first. Agradecimentos ao RP (Ron Padua), nosso simpaticíssimo amigo entusiasta "canadense por adoção". Por mais que o email diminua a distância, conversar ao vivo e acores é insubstituível! E um "local" sempre traz mais detalhes, explicações e história do que estamos apenas vendo como turistas ocasionais.

Foi muito legal estar no Canadá justamente na semana inicial dos Jogos Olímpicos de Inverno, realizados em Vancouver, na costa oeste. O país inteiro estava naquele clima olímpico, muitos adereços vermelhos e brancos, o mote "We believe" estampado em vários lugares e todas as TVs sintonizadas nas competições. Claro que isso pouco tem a ver conosco, moradores de um país tropical, mas é inegável a beleza dos jogos de inverno e a combinação homem+tecnologia, presente em quase todos os esportes de inverno.
Cores? O passado é que tem mais diversidade e criatividade.
Qual a diferença do Salão canadense e o nosso? Sinceramente, elegeria atitude. Inúmeras vezes eu me recordo de tentar conhecer um carro para uma possível futura aquisição e tudo parecia complicado. Os estandes no Brasil tem mais beleza e menos cérebro nas atendentes, o que pode ser o objetivo de muita gente que vai ao salão muito pouco interessado em carros e mais interessado na festa e nas modelos. Lá tem uma ou outra modelo, principalmente nos poucos estandes onde o acesso é limitado (Lamborghini, Ferrari e Porsche), mas no geral tinha muita gente que entendia dos carros, era muito educada e cortês e, principalmente, estava lá pra te convencer que aquele era o melhor produto. Sabia vantagens em relação aos concorrentes na ponta da língua e não se alterava com algum fiel admirador de outra marca.

Claro, a sociedade lá tem bem menos diferença entre os pobres e os ricos e ninguém olha feio pra você ao entrar em um Corvette, por exemplo. Ao contrário, a cara de satisfação do pessoal de apoio ao ver um sorriso inocente de um garoto de 7 anos ao volante de um carro em que nem alcança os pedais é enorme! Logo vem a lembrança de uma foto dessas de um carro de sonho de criança que virou realidade do adulto. Mesmo um sonhado Corvette que começa aos 50.000 dólares, cai a menos de 10.000 em menos de 10 anos. Aqui, normalmente sonhamos com algo menor, que custa o dobro e ainda com o dobro da idade. (Tenho pensado cada vez mais sobre isso e começo realmente a me incomodar com essa disparidade. Não somos ricos, carro não é luxo e teremos que pensar muito seriamente sobre o futuro que queremos. Um dia a maré muda. Argentina, Chile e México tem carros a 50% do que pagamos aqui. Não podemos ser tão diferentes ou tão mais ricos...).
A GM ainda tem muitas marcas coexistindo no seu estande.
Voltando ao tema... a área total acho que passa a do Anhembi, mas o local é dividido em vários espaços menores, fica difícil julgar. Fui próximo ao meio-dia, poucos dias após a abertura, em pleno Valentine´s Day. Não consigo julgar se estava mais ou menos cheio do que deveria, mas foi agradável. Umas poucas filas de 5 ou 6 pessoas para sentar ao volante de um Corvette ou Camaro, mas normalmente era chegar e entrar. Alguns estandes eram complicados e congestionados, principalmente Audi e Mercedes, talvez por interesse renovado em carros menos "grandes e gastões" ou pelos supercarros apresentados. Notei que o BRANCO era a cor da vez. Já tínhamos notado isso em lançamentos de carros, confirmei essa tendência. E praticamente todos os carros tinham a plaquinha de especificações técnicas ao lado com o PREÇO! Falavam do preço inicial e do preço do modelo apresentado, com todos os opcionais que tivesse. Bem honesto.
Porsches, tudo branco!
Mais brancura na Audi.
Eram dois espaços grandes, em prédios diferentes, ligados por um complicado caminho de escadas rolantes e fitas, mais as exposições menores em salas tipicamente de reuniões de negócios e apresentações corporativas (acarpetadas, inclusive). As americanas GM e Ford tinham espaços parecidos. O foco deles ainda é carro grande e picapes, mas a Ford trazia Fiestas e Focus novos em destaque. GM tinha o Cruze quase sem ninguém em volta e estranhei o pouco interesse no Volt. Estava lá em um canto, mas nada de mais. Bom, talvez seja isso mesmo, não tem nada de mais nesse carro mesmo, oras!
RAM, tudo full-size.
A Chrysler estava acanhada, mas a RAM tinha um enorme espaço, adequado ao público. Lembrem-se das dificuldades do Canadá, carros 4x4 são uma necessidade básica. Como eles usam e abusam do sal, os carros sofrem demais. Mesmo solas de sapato ficam esbranquiçadas e os carros ficam muito sujos muito rápido.
Uma parte do espaço dedicado a Carroll Shelby
A seção inicial em homenagem a Carroll Shelby estava fantástica. Seguida pela seção de carros de corrida históricos. E no espaço de antigos premiados, um senhor de fala mansa explicava a história dos vários carros expostos, demonstrando um cuidado com a história e sua preservação.

Mercedes, disputada por causa do supercarro SLS AMG
Os orientais não têm a mesma exposição que aqui, pelo que percebi. Até encontrei meu adorado Honda Civic Si, confirmando que até a roda é a mesma da versão vendida aqui (mas lá tem a bela versão cupê). Mas atraía o interesse apenas de jovens recém-entrados na faculdade, com suas roupas de skatistas e bonés virados pra trás. E os carros da Honda estavam sem a "bola" de câmbio, pra evitar molecagens desse público. Pra mim, patético. Entrar no carro e ver o câmbio com a rosca à mostra é lamentável.
Hyundai apresentava seu novo Sonata, cópia descarada do Mercedes sedã-cupê CLS. E o novo Tucson, pra não deixar dúvidas em quem acha que o carro que será montado aqui é um carro "mundial" e atualizado. Acho que eles só usarão a estranha denominaçao ix35 na Europa. Nao achei o cupê esportivo Genesis Coupé em exposição.
Desculpem, mas praticamente pulei Toyota e Lexus, mas procurei o controverso super esportivo recém-lançado. Em vão. Nada de LF-A. Acho que estavam ocupados demais com os recalls...
Na Ford, o estranho Focus novo (gosto dos outros, mas este não ficou bom ao vivo), o pequeno Fiesta (novo também, não o nosso), Mustangs (mais, já tinham vários na seção Carroll Shelby), principalmente o badalado Five-O (5.0), a fantástica F150 Triton (laranja, como tem que ser), o Fusion igual ao nosso (muito presente nas ruas), o belo Taurus (acho um carro com chances de repetir o sucesso do passado da Ford em sedãs full-size típicos dos americanos) e, estranhamente, a Edge nova e a velha lado a lado (é fabricada no Canadá). A Ford vive um momento ótimo nos EUA e Canadá. Saiu com a imagem de única sobrevivente da crise, tem carros ótimos e não sofre com reações locais como a GM, depois que fechou uma planta no Canadá.
VW, estande simples de carros legais mas cada vez mais parecidos no visual.
Nenhuma grande novidade na VW, mas o Jetta Cupê conceito é bem bonito (não sei o nome do carro, mas claramente é assim que deve ser lançado). Pena que os carros da marca estão ficando tão parecidos. Estranhei não ver uma Amarok, dado que o mercado curte picapes.
A BMW estava presente, obviamente, mas trazia em destaque apenas as aberrações. X5 e X6 "M", o série 5 Gran Turismo e híbridos. Ainda bem que tinha um Z4 pra eu sentir como eu visto o carro (deu pra perceber uma certa queda pelo modelo, não?), apesar da denominação estranha sDrive35i ou algo assim...
Ah, tinham os pequenos estandes de tuning e acessórios como aqui, usando carros caros e com resultado final bem discutível (Cayenne com o porta-malas lotado de caixas de som, por exemplo).
Era possível fazer test-drive de alguns modelos em um local próximo. Agendava-se ali mesmo e depois bastava ir ao local.
Poucas motos e aqueles enormes triciclos canadenses com duas rodas à frente (mas pilotado como uma moto) marcavam presença. Como, dentre as poucas motos, estava minha mais nova paixão (BMW S 1000 RR), adorei. Em um verde cítrico bem alemão...
Desculpo-me pelo atraso e prometo voltar quase que diariamente com fotos do que interessa: carros!
MM

6 comentários :

  1. Que coincidência! Estou preparando um post sobre a supervalorização de alguns carros usados.

    ResponderExcluir
  2. MM,

    Pelo que foi escrito, o Salão do Automóvel brasileiro tem bastante espaço para melhorar. Realmente, é deprimente perceber o desinteresse em fornecer informações técnicas no salão nacional. Se você se mostrar mais interessado em um modelo da concorrência então... Pela cara do representante concorrente, fica evidente que o sujeito não vê a hora de você sumir da frente dele. Grande preparo do pessoal, perdem uma excelente oportunidade de defenderem o veículo que representam e, quem sabe, conseguir mudar a opinião até.

    Tá certo que a cor branca é muito mais agradável que o preto ou prata, mas daí a todos usarem essa cor para apresentar os modelos? Parece que hoje em dia não pode haver diversidade, tem que seguir um padrão e ponto...

    Sobre preços dos automóveis nacionais, prefiro não comentar. É simplesmente deprimente ver o que se compra "lá fora" com o dinheiro dos modelos nacionais...

    ResponderExcluir
  3. Mister Fórmula Finesse22/02/10 17:57

    Lindas imagems MM...têm coisa ali de encher os olhos e palpitar o coração!

    ResponderExcluir
  4. MM,

    Nunca pensei em visitar um Salão no Canadá. Mas confesso que adorei o seu post.

    Manda mais sobre a homenagem ao Shelby.

    Abraço

    PK

    ResponderExcluir
  5. PK,

    não fui lá pra isso, mas, dada a feliz coincidência, por que não?

    MM

    ResponderExcluir
  6. Um TTRS!!
    Quero ver um post sobre esse carro, 5 cil, turbo, 335 cv(se não me engano) e põe até o Cayman no bolso.
    Adorei o post, queria ver tudo isso ao vivo.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.