BISCAYNE, BÁSICO E BELO





Carro básico, para minha felicidade e entendimento, é algo como esse Biscayne, um Chevrolet destinado a frotistas, mas que era vendido normalmente nas concessionárias da América do Norte.
Foi produzido de 1958 a 1972. Apenas no primeiro ano era um modelo com bastante itens de conforto e enfeites no acabamento, muito próximo ao Impala e Bel Air, com os quais dividia quase tudo, de painéis de carroceria a chassis e trens de força.
A partir do ano seguinte o erro de posicionamento de mercado foi corrigido, e a divisão Chevrolet o fez o carro grande de entrada, e assim foi até a descontinuação.
Um bom e claro exemplo do que se chama badge engineering, ou engenharia de emblema, quando se cria um novo modelo com base em um carro já pronto, pois era até facilmente confundido com o Impala, para pessoas menos atentas e conhecedoras.
Esse que fotografei no já comentado (aqui e aqui) encontro semanal de Old Town, é um modelo 1965 com motor de 396 polegadas cúbicas de cilindrada (6,5 litros), absolutamente perfeito, e com pneus maiores que os originais, o que dá uma bela ajuda no visual do conjunto todo.
As rodas de aço estampado pintadas na cor da carroceria, com calotas centrais, conhecida como pratinho de cachorro (dog dish) são um show à parte para quem gosta de muscle cars, os carros de alta potência, musculosos.
JJ

7 comentários :

  1. Esse evento de Old Town é da hora, a Auto & Técnica foi a primeira revista brasileira a cobrir o evento,os organizadores tem um exemplar e eu uma fotinho memorizando a ação...num das vezes que eu fui 2 carros me chamaram a atenção: um Chevelle 70 SS 454 e um Superbird,ambos literalmente 0 km....

    ResponderExcluir
  2. Quando morei nos EUA, tinha uns Biscaynes "à paisana" da polícia rodoviária que infundiam o terror no coraçãozinho dos motoristas. Com aquele visual de falso bom moço, nem precisava ter um big block embaixo do capô.

    ResponderExcluir
  3. Clésio Luiz07/02/10 16:33

    Eis um modelos pouco comentado, do qual eu só tinha ouvido falar (e muito pouco).

    Juvenal, você poderia citar outros modelos de entrada como o Biscayne?

    ResponderExcluir
  4. Clésio Luiz,

    Não sei se o Juvenal está no ar, então tomo a liberdade de mencionar um outro modelo de entrada da linha Chevrolet: o Delray, que ficava um degrau abaixo do Biscayne e cuja produção foi descontinuada em 1959.

    ResponderExcluir
  5. bom mesmo era teer direçãommanual de seis voltas e freios a tambor com um só circuito e sem servo...e 373 cavalos....mas esse 65 é um dos amais belos Chevies de todos os tempos, lindo na sua simplicidade despojada dos penduricalhos cromados e faizas brancas. e ddeve ter um som...de motor.
    m

    ResponderExcluir
  6. Com certeza, eu sou um dos ignorantes que provavelmente já confundiu dezenas de Biscaynes da vida como sendo Impala... Nunca havia reparado na diferença. Esses modelos 1965 são muito bonitos. E um verdadeiro "carro de macho", com muito motor, mas direção e freios precários. Adorei! rsss...

    ResponderExcluir
  7. JJ,

    Coisa linda! Chevy fullsize é muito legal, principalmente com um big block, e ainda mais no pobre Biscayne!

    MAO

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.