UMA FRASE PARA HOJE

"Car is a symbol of progress and the liberator of mankind, rescuing us from ignorance and darkness" - LJK Setright.
tradução:
"O carro é um símbolo do progresso e o libertador da humanidade, nos salvando da ignorância e da escuridão."
Setright já foi comentado nesse blog pelo MAO e não repetirei.
A frase acima é minha lembrança aos que acreditam que é possível viver sem carro e continuar levando uma vida normal, nesse Dia Mundial sem Carro.
Uma utopia no mesmo nível do comunismo ou do capitalismo como a solução de todos os problemas do mundo.
Demorará muito para perceberem que a solução é sempre o equilíbrio e o meio termo?
JJ

8 comentários :

  1. JJ,

    CLAP,CLAP,CLAP, de pé.

    Muito bem dito!

    MAO

    ResponderExcluir
  2. JJ, tirou as letras do meu teclado.

    Na grande maioria dos deslocamentos que faço pela cidade, deixo meu carro num estacionamento e vou de metrô.
    Também costumo dizer que ando de graça de ônibus. O que pago para o cobrador é o preço para que o motorista passe todo o estresse do trânsito da cidade por mim.

    O resultado é que quase sempre vou e volto mais rápido e mais barato do que se fosse de carro.
    Porém, meu carro é um a menos parra entupir diariamente as ruas.
    Meu grande lucro pessoal é também um pequeno lucro para todos.

    Lucro muito pessoalmente ao mesmo tempo que faço a minha pequena contribuição para um bem comum.
    Cada um tem o direito de fazer o mesmo ou não.

    Entusiasmo, ao meu ver, está relacionado a prazer.
    Se não é para ter prazer, posso muito bem viver sem o carro.

    Síndrome de abstinência é coisa de viciado afastado da droga.

    Se alguém tem prazer em tirar o carro todos os dias da garagem pra ficar preso três horas em média num trânsito parado com um caminhão jogando fumaça preta de diesel na ventilação do carro, que faça bom proveito.

    Concordo com o Colucci que o "dia sem carro" é palhaçada, mas se cada um abrisse mão um pouquinho do seu direto indivdual, todos colheríamos muito mais do que aquilo que abrimos mão.

    ResponderExcluir
  3. Rodrigo Laranjo22/09/09 18:45

    Hoje o dia foi agitado!

    ResponderExcluir
  4. muito bem descrito, JJ.

    acabou de passar aqui perto da minha casa (Asa Sul, Brasília) um grupo de ciclistas gritando "menos carro, mais bicicleta". não sabia se ria ou se chorava desse bando de gente vestido de dançarina do Faustão e repetindo um bordão tão quixotesco quanto obscurantista...

    ResponderExcluir
  5. É isso ai Juvenal, quase todas as coisas na vida são facilmente resolvidas com uma simples "regra de três".

    ResponderExcluir
  6. JJ,

    I couldn't agree more!
    (desculpem o estrangeirismo, mas desconheço em português uma expressão que seja tão forte para destacar que concordarmos enfaticamente com determinado assunto...)

    Além disso, esses ecochatos estão errando o foco, pois os carros poluem muito menos quando comparados ao que se produz de gases tóxicos na produção de energia elétrica mundialmente. Aliás, a eletricidade é, coincidentemente, pregada como "energia limpa" pelos veículos elétricos...

    ResponderExcluir
  7. Ecochatos muitas vezes não sabem nem a bandeira que defendem.

    Defendem os carros elétricos, mas esquecem que eles consumirão uma BOA quantidade de energia produzida por termoelétricas (na maioria dos países assim alimentados) que continuam e continuarão queimando o quê mesmo???

    O carro movido por células de hidrogênio... Não é barato extrair hidrogênio de diversas reações químicas e sempre sobra alguns sais. O que fazer com estes sais?!?

    Hidrogênio obtido pela eletrólise da água é fácil. Mas demanda um BOM tanto de energia para tal. E essa energia virá de onde mesmo?!?

    Ah... Ia me esquecendo...

    Sabe a famigerada energia atômica que o mesmo Greenpeace escomungava pouco mais de 20 anos atrás? Pois é... Agora eles parecem estar de namoro.

    Será que eles esqueceram que a energia atômica produz o tão famigerado lixo radiativo? Ou será que eles não sabiam o que defender na época?

    Não todas as pessoas... Mas a maioria das que defendem de unhas e dentes qualquer coisa ligada a ecologia/meio ambiente/poluentes e áreas correlatas, sequer sabem o que estão defendendo. Bando de "Maria vai com as outras".

    Não sou a favor de ligar o "phoda-se" e largar os motores da forma que estiverem. Mas quase todo lar do mundo possui um treco conhecido como "fogão a gás". Nunca vi nenhum tipo de fiscalização para isso... Nem para aquecedores de água a gás. Quer seja para residências, quer seja para restaurantes.

    Também nunca vi nenhum governo impondo regras tipo que devemos utilizar recuperadores de calor no banheiro e aquecedores solar para evitar o consumo excessivo de energia para aquecer água. Eu mesmo fiz uma "tranqueira tecnológica" para pré-aquecer água na chácara dos meus pais, gastando uma merreca e sem usar fogo... Só energia solar e coisas comumente encontradas em sítios e fazendas.

    Nego tem que parar de achar culpados e procurar pensar em saídas práticas, baratas e de fácil implementação.

    Na nossa sociedade onde o automóvel, querendo ou não, é sinônimo de estatus e poder, JAMAIS que uma idéia dessas será bem vinda...

    Afinal, a maioria absoluta da massa compra carro para quê? Deixar estacionado em casa que não é!

    Desculpem-me o tom e o livro. Mas "algumas coisas" me irritam.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.