MCQUEEN'S MACHINES


Poucas pessoas na história do cinema estiveram tão ligadas ao mundo dos carros como Steve McQueen, principalmente após seus dois grandes sucessos, Bullitt e Le Mans. Alguns de seus carros e motos estão expostos em museus e participam de eventos, e alguns deles pudemos ver ao vivo, como parte da Peregrinação do mês passado.

Exposto no Petersen Automotive Museum, o famosos Jaguar XK-SS verde escuro abre a seção dedicada aos carros de astros e famosos. O XK-SS é a versão de rua do vencedor Tipo D, com abertura para o passageiro, para-brisa emoldurado completo e sem a divisão do habitáculo que separava o lugar do piloto e do passageiro na versão de pista, e sem a "barbatana" traseira. A fabricação foi limitadíssima e, para completar, um incêndio na fábrica destruiu alguns carros não acabados.



Também é difícil não associar o Porsche 917k ao ator. O carro usado no filme Le Mans, hoje de propriedade do comediante Jerry Seinfeld, outro colecionador de muito bom gosto, estava exposto no Concurso de Elegância de Pebble Beach. O 917k teve em seu invejável currículo duas vitórias seguidas em Le Mans (1970 e 1971) e inúmeras outras mundo afora, sendo um dos mais vitoriosos carros de corrida de todos os tempos. Seu comportamento não muito cristão e chassi não muito rígido exigiam dos pilotos o talento não apenas necessário para vencer, mas para sair vivo do carro. Como disse o piloto Brian Redman, "a primeira vez que guiei um 917 achei o carro diabólico.... meu melhor momento em um 917 era quando eu saía do carro após a corrida".


Em 2007 foi leiloado por US$ 2,3 milhões um Ferrari 250 GT Lusso que pertenceu a McQueen. Um dos mais lindos modelos já criados pela Ferrari.


McQueen também foi um grande apreciador da velocidade em duas rodas. Expostas também no Petersen Museum, duas Indians, uma 1912 Single e outra 1927 Big Chief demonstram tal apreciação, e favoritismo pela marca.


Recentemente foi lançado o livro McQueen's Machines, que conta a história dos carros e motos que o ator colecionou durante a vida, inclusive o fato curioso que McQueen nunca conseguiu ter um dos carros que fizeram sua fama, o Mustang GT 390 do filme Bullitt.

12 comentários :

  1. Mister Fórmula Finesse02/09/09 11:04

    Esse era dos nossos, pena um câncer (malditos cigarros) o ter levado daqui com apenas 50 anos.

    E tinha ótimo gosto para carros, motos (e mulheres) evidentemente. Acho que exemplos recentes de atores que ganham horrores e são verdadeiros entusiastas poderíamos citar Jonh Travolta e o seu gosto por aviões e Nicolas Cage por carros. Claro que devem existir outros, mas o meu momento "Caras" lembra só destes.

    Se eu fosse ator e ganhasse vinte milhões de dólares por filme como alguns, nem prestaria pensar na coleção que eu faria...e nem da pista que seria construída - mesclando trechos das mais famosas do mundo - para poder brincar com os colecionáveis.

    Continue acelerando forte lá encima Steve!

    ResponderExcluir
  2. Milton,

    Voce sabe quem cuida dos carros e direitos comerciais de McQueen hoje? A Microsoft!

    Mr Finesse: McQueen nao morreu de cancer devido ao cigarro. A causa foi que ele foi exposto a asbestos que mata qualquer um.

    O XK SS e um dos carros mais lindos que a Jaguar ja fez. Foram feitos 25 deles e nove destruidos no incendio Foram feitos mais D Types, 53 no total porem apenas 18 foram entrados oficialmente pela fabrica. Tenho um livro em casa com os detalhados detalhes sobre o carro e um video do Alain de Cadenet dirigindo um D Type.

    Um abraco a todos.

    ResponderExcluir
  3. Mister Fórmula Finesse02/09/09 14:05

    Obrigado pelo esclarecimento Scheidecker;

    Apesar que no desenvolvimento do câncer, indivíduos fumantes e expostos a asbestos apresentam risco muito maior do que só fumantes ou só expostos, com ou sem asbestose, evidenciando o papel sinérgico entre a fibra de asbestos e os carcinógenos presentes no tabaco. (isso eu estudei agora para conhecer melhor a causa da morte, autoentusiastas é cultura)...

    Sempre pensei que era efisema, mas mesmo assim, morte ao cigarro (rs).

    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Me lembro do Emerson dizendo que o 917 era uma cadeira elétrica, depois de guia-lo pela primeira vez...

    ResponderExcluir
  5. Mr.Finesse,

    Cigarro e um lixo, sem duvida! E uma delicia morar nos USA para nao fumantes onde a lei proibe cigarros a menos de 25 ft de distancia da entrada dos predios!

    Um dos meus colegas aqui teve que operar o cerebro segunda feira devido a um derrame causado por cigarro. Apenas 38 anos!

    Cesar:

    De todas as piores cadeiras eletricas foi a versao sypder SUNOCO do 917 que corria aqui na CAM AM e despejava 1400 HP em algumas versoes do motor. Isso na epoca onde nao havia chassis de carbono, eletronica, controle de tracao, etc. Loucura, loucura total.

    ResponderExcluir
  6. muito legal a historia....macqueen fez um enorme sucesso ! e gostava muito de carros...rsrsrsrsrs

    ResponderExcluir
  7. O trecho:

    "Seu comportamento não muito cristão e chassi não muito rígido exigiam dos pilotos o talento não apenas necessário para vencer, mas para sair vivo do carro."

    É simplesmente demais!

    Apesar do Steve McQueen ter sido uma pessoa um tanto quanto difícil de se conviver, tenho uma grande simpatia por ele. Foi um autoentusiasta de verdade, ávido por velocidade. No filme Bullit, ele só não fez todas as cenas da antológica perseguição porque o diretor não permitiu... Se não me engano, o Charger R/T foi usado novamente no primeiro Vanishing Point, de 1971.

    Aliás, os filmes Bullit, Le Mans e Vanishing Point (este a regravação mais recente, de 1997) foram praticamente os primeiros DVDs que comprei. Não são obras primas do cinema, mas misturam bem carros a uma história convincente.

    ResponderExcluir
  8. Amigos,

    Pelo menos o filho do McQueen, Chad ficou com 2 de seus Porsches. O 911 que aparece no comeco do filme Le Mans e o 550 Spyder igual ao do James Dean e Arkus-Duntov.

    Para quem se lembra do filme Karate Kid, Chad aparece la e faz o papel do Dutch. Um dos moleques invocadinhos da turma do William Zabka que era o bully do Daniel Sam.
    Aquele que tinha o cabelinho oxigenado e um dos ultimos no torneio.

    O Chad se arrebentou em Daytona em 2006 e quebrou uma boa quantidade de ossos. Voltou um ano depois mas agora esta a fim de ser dono de equipe pelo o que eu ouvi recentemente de um colega.

    Nada mal para um menino que teve como um de seus professores Jack Ickx e teve a oportunidade de andar no 917 em cima do colo do pai durante uma das filmages de Le Mans.

    ResponderExcluir
  9. RR

    Obrigado!
    Quanto ao Vanishing Point, o carro principal do Kowalski é um Challenger. Se aparece um Charger preto no filme, ai eu já não lembro hehe

    abs

    ResponderExcluir
  10. MB

    O Charger preto aparece na versão "humanizada" do filme (1997), com o Viggo Mortensen.

    Terrível, prefiro a versão original de 1971.

    FB

    ResponderExcluir
  11. Paul Newman gostava da coisa tb ,pelo menos em termos de racing cars....qdo ele foi correr em Lemans em 1970 com uma 917 com cameras espalhadas no carro já pensando no filme a seguradora da Warner embarreirou,dizendo que era peirgoso demais,então ele acabou correndo numa 908 spyder e se não me engano chegou em oitavo lugar...mais info em http://www.porsche917.com.ar/elfilm.htm ....

    ResponderExcluir
  12. RoadRunner,

    Eu também sou um fanático no que se diz a Steve McQueen, seus filmes e carros...Tive a sorte de dar uma boa olhada no livro de Matt Stone, fotógrafo e amigo pessoal de McQueen, enquanto aguardava meu vôo de retorno, em uma livraria dentro do aeroporto de Cumbica,SP. Pena o livro custar tão caro, mas é uma excelente opção para autoentusiastas como nós !
    Quanto aos carros do filme Bullitt, é sabido que haviam dois veículos idênticos de cada modelo, e que somente um Ford Mustang sobreviveu com menores escoriações (o outro, que quase caiu na vala depois da perseguição, e ambos os Charger R/T 440, foram destruidos e vendidos a um conhecido ferro-velho em Hollywood), os Mustang GT 390 tiveram as alterações estéticas (rodas, volante, grade lisa, cor verde escuro e ausência de emblemas) e funcionais (carburador quadrijet, escapes duplos dimensionados, suspensões inteiramente retrabalhadas), todas elas sugeridas por McQueen, que sabia ser aquele o carro que seria seu no filme, e que também tinha a perfeita noção do trabalho que o Mustang lhe traria contra o Charger na antológica cena de perseguição das ruas em Frisco...
    Algumas curiosidades sobre a cena: inicialmente seria McQueen a pilotar toda a sequência, enquanto o motorista do Charger (que não era um ator, mas sim piloto de provas cedido pela Chrysler especialmente para o filme) foi quem deu as primeiras dicas de condução para o Steve, aliás existe uma série de imagens que aparecem como bônus no DVD original de relançamento, onde se vê McQueen e seu amigo piloto "brincando" num autódromo particular com os carros do filme, impressionante...
    Os poucos momentos em que McQueen não pilota o Mustang é quando o retrovisor interno está fora do campo de visão de seu rosto (são poucas as cenas mesmo), e a cada decolada do chão que o Mustang dava , descendo a rua em perseguição ao Charger, praticamente parava tudo para arrumar a suspensão dianteira e desamassar ou mesmo trocar o cárter do motor, que ia pro beleléu, diferente do Charger, que apenas perdeu várias calotas no decorrer da sequência...
    No final da cena era para o Charger ser arremessado da Golden Gate Bridge, mas a prefeitura não permitiu tal cena, e no improviso acabaram criando um posto de gasolina donde lançaram o Charger com cabos de aço e explosivos para o "gran finale".
    Quanto ao único sobrevivente do filme, um Mustang, o mesmo foi adquirido logo depois da filmagem por um sujeito que o levou para o Havaí, e o carro nunca mais foi visto novamente...Reza a lenda de que ele teria sido incendiado dentro de um galpão, nunca confirmado...Pode ser verdade, já que o carro original, cujo serial number é conhecido dos colecionadores, nunca mais foi documentado, e nem apareceu em qualquer lugar...
    Pelo menos existem os "tribute cars", perfeitos, rodando por esse mundo afora (e meu amigo Cleber fez um deles, no caso, um Dodge Charger 68, pintado de preto por conta do filme) !!!!
    Portanto o Charger 68 usado ( e destruido) no remake de "Vanishing Point" não é o mesmo do filme Bullitt, apenas uma referência a ele, já que o diretor é um Mopariano fanático...
    Grande abraço a todos !!!

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.