MCLAREN MP4-12C

Existem centenas de websites e blogs de notícias automotivas com atualizações instantâneas de tudo que se passa nesse mundo. A velocidade é tamanha que tudo fica velho rápido demais. Outro efeito disso, pelo menos para mim, é uma ansiedade latente e uma sensação de que estou sempre atrasado sobre as últimas novidades. Por isso o AUTOentusiastas não se preocupa tanto com notícias, ou com a velocidade em falar sobre elas. Aqui menos significa mais.



Mas hoje - na realidade óntem - tive problemas com a internet e não consegui publicar esse post - foi revelado o novo McLaren MP4-12C e isso não é qualquer notícia. Então resolvi fazer um apanhado geral e alguns comentários sobre esse carro.

O 12C é o terceiro carro a ser fabricado pela McLaren. Os outros dois foram o icônico F1 e o fantástico Mercedes SLR. Para quem não sabe, a Mercedes (Daimler) é dona de 40% da McLaren, outros 30% são de investidores do Barém (no Golfo Pérsico), 15% da Grupo TAG (Saudita) e 15% do Ron Denis.

Fazer um carro sucessor desses dois modelos é uma responsabilidade e tanto. Mas antes de falar do 12C é necessário entender onde ele se posicionará. Assim as expectativas podem se ajustar à realidade.

O F1, the king of all supercars, foi um carro exótico (tinha revestimento do cofre do motor com folhas de ouro) posicionado no topo da cadeia alimentar num espaço reservado a uma minoria: Bugatti EB110, Jaguar XJ220, Ferrari F40 e mais recentemente Porsche Carrera GT, Ferrari Enzo, Maserati MC-12, Bugatti Veyron, Pagani, Koenigsegg e Aston ONE-77. O McLaren F1 teve apenas 107 unidades produzidas, das quais apenas 79 foram road cars; o resto foi de versões para pista, incluindo as 5 unidades LM.

O SLR também faz parte dessa liga, mas com um volume mais alto. Até agora foram produzidos mais de 2.100 unidades. Ele continua em produção até completar as 75 unidades da série limitada Stirling Moss - ainda não falamos sobre esse carro no blog.

Num sub-segmento mais abaixo, ou menos lá em cima, estão GTs como os Ferraris 599 GTB e 612, Lamborghini Murciélago e Aston Martin DBS - deve ter outros. E no segmento "de entrada" estão o novíssimo Ferrari 458 (aquela que o Juvenal não gosta dos donos), 911 Turbo, Audi R8, Aston Martin DB9 e alguns outros. É nesse segmento de entrada em que o 12C vai brigar.

Segundo a McLaren, esse segmento cresceu de 8.000 unidades em 2000 para 28.000 em 2007 - após a crise atual ninguém sabe como vai ficar. O segmento cresceu grande parte pelo aumento da oferta de modelos. A McLaren espera vender 1.000 unidades do novo carro em 2011 - isso mesmo, estão mostrando o carro agora para vender toda a produção de 2011 antecipadamente - a um preço ao redor de 160.000 libras, algo próximo dos 500.000 reais (lá na Inglaterra). O primeiro F1 a ser entregue foi vendido em 1994 por 634.500 libras. Dá para entender a diferença.



O 12C tem um layout básico: motor central-traseiro com tração traseira, suspensão duplo A nas extremidades e dois lugares lado a lado. O motor é uma nova unidade projetada especificamente para esse carro, um V-8 3,8-litros a 90 graus com quase 600 cv e mais de 60 kgfm obtidos com a ajuda de dois turbos. Um canhão que manda toda essa potência para as rodas através de uma, também nova, transmissão de 7 marchas e dupla embreagem (como as DSG da VW). Deve passar dos 320 km/h e fazer de 0-100 km/h em torno de 3 segundos.

Apenas relembrando, o F1 era equipado com um motor BMW V-12 6,1- litros a 60 graus com 619 cv e 66,3 kgfm e com uma transmissão manual de 6 marchas. Pesava 1.140 kg, graças à estrutura e carroceria em fibra de carbono - o F1 foi o primeiro carro de rua a ser constrído dessa maneira. Mas acho que o que torna o F1 mais especial é a posição central do motorista que visava um perfeito equilíbrio de massas e a melhor visibilidade para atacar curvas para ambos os lados. Isso já revela a estirpe do modelo e o por quê de sua existência. O F1 atingiu a velocidade recorde de 231 milhas por hora, quase 370 km/h, em 1993. Ele foi idealizado, projetado e desenvolvido pelo Gordon Murray, o "gênio da camisa florida", que não participou do novo modelo MP4-12C.

Mas o que esse novo McLaren tem de novidades? Selecionei o que realmente achei interessante. Vamos aos principais pontos.

Como não poderia ser diferente, ainda mais agora com restrições fortíssimas a emissões de CO2, o baixo peso foi o foco central do novo projeto. Apesar de que por aqui todos os leitores já saberem, não custa falar de novo: baixo peso melhora a performance dinâmica em tudo - aceleração, retomada, dirigibilidade, frenagem, consumo de combustível e emissões. Então não há por que adicionar peso que não seja realmente necessário. Já dizia o Colin Chapman: "to add speed, add lightness" - para aumentar a velocidade, adicione leveza.

Então a McLaren resolveu inovar e fazer o que algum marqueteiro deu o nome de MonoCell. É uma estrutura central, célula de sobrevivência, feita em peça única - única - de fibra de carbono, como num Fórmula 1. Todo o carro é montado ao redor dessa peça que pesa apenas 80 kg e leva apenas 4 horas para ser feita - a estrutura do F1 levava dias. Nas extremidades dianteira e traseira são fixadas estruturas de alumínio projetadas para absorver impactos e de fácil substituição. A McLaren não informou o material dos paineis da carroceria.
Esse MonoCell proporciona o máximo de rigidez torcional que se traduz mum melhor comportamento dinâmico. Com isso a McLaren traz a fibra de carbono para o segmento "de entrada" e de maior volume. Para mim esse é o principal ponto do 12C. No entanto a McLaren não divulgou o peso do carro.



Outro ponto que eu ainda estou tentando entender melhor mas me interessou é uma função chamada Brake Steer, ou tentando traduzir, esterçamento pelo freio. O sistema detecta quando o carro entra forte demais numa curva e provavelmente sairia pela tangente e automaticamente aplica pressão no freio da roda interna traseira. Esse efeito evita a tendência do carro em sair de frente e o coloca de novo nos trilhos. Praticamente é o que qualquer sistema ESP - controle eletrônico de estabilidade - faz. Talvez a diferença do novo sistema esteja em antecipar a saída de frente, enquanto nos ESPs o sistema atue apenas depois que o carro já está saindo. Um ponto a ser checado. Ainda com relação aos freios, o 12C usa discos de alumíno forjado que pesam 8 kg menos que os discos de carbono, estes opcionais.

Mais um gadget - dispositivo - tecnológico está ligado à transmissão. A seleção das marchas é feita por borboletas na coluna de direção com acionamento tanto puxando quanto empurrando - lado direito sobe marcha e lado esquerdo desce.
É no acionamento dessas borboletas que está o Pre-Cog, de pre-cognition, ou pré-reconhecimento. O acionamento é de duplo estágio, mais ou menos como no disparador de máquinas fotográficas. Um leve toque, acionando o primeiro estágio apenas, pré-seleciona a próxima marcha, para cima ou para baixo - seria ajuste automático de foco numa máquina fotográfica. Nesse momento, graças à dupla embreagem, a próxima marcha já fica engatada de acordo com a intenção do piloto antes que algum sensor tenha que entender a necessidade de redução ou ascensão. Na hora da mudança comandada pelo piloto, com uma pressão mais forte na borboleta, a marcha certa já está engatada e o tempo gasto nessa troca é o mínimo possível. Gostaria de experimentar esse dispositivo embora ache que quase ninguém vai usar na vida real.
Não há alavanca de marchas e nem versão manual. Economia de peso em mecanismos e na pedaleira. Além disso a ausência de pedal de embreagem permitiu juntar mais os dois lugares trazendo-os mais para o centro longitudinal do carro, o que é muito bem-vindo para melhorar o comportamento dinâmico.

Agora falando um pouco do design.

É muito óbvia a semelhança com o F1. A McLaren diz que tudo nesse carro foi definido pela função. Como o F1 também foi feito assim o atual diretor de design da McLaren, ex-Ferrari, justifica a semelhança como sendo uma consequência natural. Embora as dimensões do 12C não tenham sido divulgadas, elas deven ser muito parecidas com as do F1. O F1 tem 4.288 mm de comprimento com um entre-eixos de 2.718 mm. Para dar uma nocão do que isso representa, o F1 é menor que um Civic mas tem um entre-eixos maior. Com isso as rodas ficam nas extremidades o que melhora o comportamento dinâmico. O 12C tem praticamente o mesmo perfil do F1.



Mas para mim, olhando as primeiras fotos, falta personalidade. Imagino que quem compra um carro assim quer algo mais extravagante, mais original, mais look at me!. Tentando justificar essa sensação, a McLaren diz que designs mais exóticos tendem a cansar mais rápido. Acho que isso depende. Esse 12C me lembra alguns carros como o Lotus Exige, o Audi R8, e o Ferrari 458. Aprendi que design não se avalia por foto. E que também não se deve formar opinião no primeiro contato. Existem tantos carros que quando lançados são rotulados como feios e depois acabamos nos acostumando e até gostando.
Mas o fato é que esse carro não causa suspiros ou queixos caídos. Mesmo com as portas tipo tesoura abrindo para cima. Aliás, essas portas são assim para facilitar a entrada e saída dos ocupantes em lugares mais estreitos - me lembrei da dificuldade de entrar no 944 com a porta toda aberta e imagino que seia muito mais difícil se não houvesse espaço para abri-la. O F1 também usava portas tipo tesoura.
Talvez essa cópia do F1 tenha sido estratégica mesmo, intencional. Afinal não vejo motivo para não usar as credenciais do F1. Só não acho elegante ficar dissimulando isso.



O interior me pareceu muito bem-resolvido. Ultrafuncional, simples e bem feito e sem exageros. O cockpit abraça o piloto deixando todos os comandos à mão. O para-brisa com a base bem baixa, também como no F1, e os vidros laterais devem proporcionar uma boa visão. A tela no console central foi colocada na vertical para ocupar menos espaço e deixar os ocupantes mais juntos. O marqueteiro de McLaren justifica a posição como sendo mais intuitiva, como nos telefone celulares. Como esses marqueteiros me irritam!!!!



Por agora, com informações limitadas, ao menos ficam registradas algumas impressões. E fica um sonho: testar esse carro pelo AUTOentusiastas em 2011. Será que até lá já teremos todo esse cacife?

13 comentários :

  1. Concordo plenamente. Engenharia parece interessante, o design interno também, simples e bonito...

    Agora o exterior... por fotos falta sal e originalidade... ao vivo as coisas podem mudar...

    ResponderExcluir
  2. Desenho bastante sem graça, parece apenas mais um entre os concorrentes diretos. Se não prestar atenção da a impressão de ser uma F-360 ou F-430 personalizada.

    Parece ter sido feito pra vender e não pra entrar pra história.

    O novo Mercedes, substituto do SLR, me parece bem mais interessante nesses aspectos.

    Agora é aguardar as impressões dos felizardos que avaliarão o novo McLaren na pista pra ver no que deu. Mestre Bob está com o passaporte em dia ? :-)

    ResponderExcluir
  3. Mister Fórmula Finesse10/09/09 13:54

    Sendo herdeiro da tradição e da excelência mecânica do assombroso F1, creio que esse novo McLaren já sairá com uma vantagem "psicológica" grande em relação aos seus pares da mesma categoria de preço, falo em preço porque ao que parece seu refinamento mecânico tornará quase que vulgar um 911 ou um Gallardo...

    Motor compacto, auxiliado por dois turbos, lembram muito o mal fadado Jaguar XJ220 que foi - junto com o F1 - um dos únicos e últimos superesportivos ingleses de fato.

    Hoje carros como o Aston Martin Vantage de 510 cavalos ou os novos Jag's com quase a mesma potência, apesar de serem maravilhosos, são "civis" demais para ingressar no super clube, por isso acho que esse novo McLaren está sendo aguardado com muita atenção. Não será a perfeição em forma de manufatura do F1, mas com certeza será um carro marcante que provavelmente roubará muitos potenciais donos de Ferrari, principalmente na Inglaterra.

    O visual não é matador, mas ao vivo dever ter uma harmonia incrível.

    O blog têm material humano de qualidade o suficiente para fazer uma grande avaliação de um carros desses sem dúvida, é a nossa querida Top Gear/Fifth Gear!

    ResponderExcluir
  4. É óbvio que o objetivo foi criar um baby-F1 e capitalizar em cima disso.
    É um carro pro entusiasta, não pra quem quer aparecer.
    Vai incomodar e muito essa nova Ferrari.

    McQueen

    ResponderExcluir
  5. o painel me fez lembrar o do smart.. não sei porque.

    ResponderExcluir
  6. Clésio Luiz10/09/09 19:24

    Eu achei bonito, só o pseudo parachoque/entradas de ar frontais é que ficaram estranhas, o resto é de muito bom gosto. Atrativo sem ser apelativo, e com certeza muito funcional.

    Quem quiser um carro "cheguei" que compre um Ferrari.

    Vamos ver quem se vencerá nas pistas. O Novo Ferrari pequeno vem aí, então com certeza será briga de gente grande.

    ResponderExcluir
  7. Um belo carro ! simplesmente maravilhoso!

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Dois ditados no design automotivo:

    "O bom estilo é aquele que você tira os logos e emblemas, e continua reconhecendo qual é o carro".

    "Um bom estilo é aquele que, em vista lateral, com 3 ou 4 linhas desenhadas no papel é possível dar identidade ao carro".

    O carro parece bonito, competitivo e bem feito, mas carece de personalidade. E as entradas de ar na dianteira e interior são os ítens com mais personalidade na minha opinião.

    ResponderExcluir
  10. Pra quem diz que parece um Ferrari, olhem o 360 Modena. É muito "annabe" McLaren F1. oO 430 e 458 apenas continuaram, portanto o MP4 é um baby F1.

    Achei fantástico, sem frescuras, com um painel simples pra não tirar a atenção do motorista/piloto.

    ResponderExcluir
  11. Um belo carro, mas perdeu a identidade será que vai para as pistas?

    ResponderExcluir
  12. O novo McLaren "de rua" lembra sim um Ferrari, mas é muito mais parecido ao mítico F1. As linhas básicas são as mesmas, formando um conjunto equilibrado. Gostei.

    Incrível a célula básica ser fabricada em apenas 4 horas.

    Sobre o AUTOentusiastas testar o carro em 2011, pessoal qualificado para isso tem de sobra na equipe, do road test, passando pelo texto e finalizando com as fotos. Ficaria um teste muito bom, sem dúvida!

    ResponderExcluir
  13. Post muito bem escrito. Concordo plenamente que o design de um carro deste nível deveria ser melhor, como você disse "...algo mais extravagante, mais original, mais look at me!"
    Como todos os carros desenvolvidos pela McLaren, a performance é o ponto forte do carro.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.