GOL RALLYE E TRACK: MAIS DO MESMO

Gol Rallye, em quarta versão, e a novidade Track

A Volkswagen termina de atualizar sua linha Gol lançando o modelo “aventureiro”, o Rallye (acima, à esquerda), agora em sua quarta versão. Só que ele chega acompanhado do Track (idem, à direita), que pretende atrair pela simplicidade e menor preço. Enquanto o Rallye parte de R$ 45.850 e tem apenas motor 1,6, o Track traz motor 1,0, “decoração” mais simples e preço a partir de R$ 33.060. Como quase todos os “aventureiros”, a inspiração vem mais do marketing do que da engenharia. 

Tecnicamente, os dois novos Gol só diferem dos modelos convencionais devido a sua maior altura do solo. Enquanto o novo Track tem 23 mm a mais de vão livre do solo (vem com aros de 14 pol. pneus de perfil 70), o Rallye é ainda mais elevado (28 mm a mais de altura) devido a suas rodas maiores, de aro 16-pol com pneus 195/50R16. Curiosamente, o novo Track traz pneus de uso misto (algo como 60% asfalto e 40% terra), enquanto o Rallye tem pneus para asfalto. Ou seja, como se trata de uma versão mais acessível, a Volkswagen acredita que o Track será mais ferramenta de trabalho ou terá real uso em estradas de terra, o que raramente ocorre com os “aventureiros urbanos” e até com os utlitários esporte. 


Ambos têm a nova frente da family face VW, assim como a recente arquitetura eletrônica que permite recursos adicionais como o pisca-3 (com um toque na alavanca, a seta dá três piscadas e pára, útil numa mudança de faixa, por exemplo) ou o acendimento automático e intermitente das luzes de freio em frenagens de emergência (iguais ou superiores a 0,7 G de desaceleração) e, se o carro vier a parar, acende-se o pisca-alerta. 
 
Altura de rodagem maior vai bem nessas condições
Existe ainda o ECO Comfort, um conselheiro profissional que dá dicas preciosas no painel, no estilo “não acelere o carro parado” e outras pérolas de sabedoria automobilística. Felizmente é um opcional. 

Dinamicamente, pouco muda nestes aventureiros. A Volkswagen, como de hábito, trabalhou bem as suspensões mais elevadas, inclusive colocando barras estabilizadoras de maior diâmetro na dianteira de ambos, o que diminui a rolagem (inclinação da carroceria em curvas). Assim, quase anulou este efeito que se torna mais evidente em carros com suspensão elevada.

Identificação da nova versão Track
Como vai ser obrigatório no próximo ano, os dois também saem de série com freios ABS e bolsas infláveis. Motores e relações de transmissão continuam os mesmos, tanto no Rallye 1,6 (104 cv a 5.250 rpm e 181 km/h de máxima, usando apenas álcool), como no Track 1,0 (76 cv a 5.250 e 160 km/h, também com álcool). 

Como na terceira versão do Rally, de 2010, continua opcional o câmbio robotizado ASG (foto ao lado), por mais R$ 2.730. Há mais opcional complementar para este câmbio, um volante com borboletas para trocar as marchas. O restante é decoração, como faixas, faróis auxiliares e até uma grade exclusiva no Rallye. Aliás, esta versão mais cara teve maiores privilégios, desde o tecido dos bancos, sapatas de pedais especiais e também uma frente mais caprichada. A dianteira do Rallye praticamente reproduz a da Saveiro Cross, com grandes faróis auxiliares com duplo facho. Ou seja, existe alto e baixo, respectivamente de longo alcance e neblina, a boa solução surgida com o CrossFox em novembro de 2011.


E assim o Gol Rallye teve uma boa "cirurgia plástica facial", deixando o carro bastante intimidante e imponente. Aliás, o conjunto ficou agradável independente dele se destinar ao “fora de estrada leve”. O Rallye também combina bem com o asfalto, salvo pela suspensão elevada. Acho que Volkswagen deveria pensar num opcional inverso para o Rallye: uma suspensão rebaixada. Assim, este Golzinho lembraria um pouco os saudosos GTS e GTi, ainda mais se tivesse outra opção, a de um motor mais fortinho.

A maior altura de rodagem no Track é bem visível
 Já o Track também teve uma decoração de bom gosto, inclusive com aerofólio assim como o Rallye, apesar de ter uma aparência mais simples. Mas, é uma estratégia de marketing válida, a de se ter um “aventureiro” de entrada para buscar consumidores com contas bancárias não tão gordas. E a diferença de preço do Track para um Gol realmente básico se justifica por um interior mais charmoso e até pelos faróis auxiliares um tanto tímidos. Afinal, para se chegar ao Rallye, considerado o topo da linha Gol, a diferença de R$ 12.800 é bem puxada.  
 
Interior típico da marca no segmento, simples porém bem-feito
A intenção da VW é conseguir uma fatia de 12% no mix do Gol com estes “aventureiros”. Uma meta ousada, já que o CrossFox representa de 8% a 10% dos Fox. Mesmo assim, é bom lembrar que a liderança do Gol por 26 anos tem suas razões. Uma delas é a de se manter sintonizado com o consumidor normal, ainda que boas parte dos entusiastas não se entusiasmem tanto com carros “altinhos”. Eu sei, eu sei... tem muita gente que realmente precisa de uma suspensão mais alta, devido aos caminhos que percorre ou ao uso que faz do veículo. 

Para estes consumidores, a Volkswagen oferece mais estas duas opções, carros com uma boa decoração, mas um visual quase clean em matéria de penduricalhos de plástico.

JS




FICHA TÉCNICA VW GOL RALLYE E TRACK




Rallye (I-Motion)
Track
MOTOR
Instalação
Dianteiro, transversal
Material do bloco/cabeçote
Ferro fundido/alumínio
Configuração / N° de cilindros / n° de mancais
Em linha / 4 / 5
Diâmetro x curso (mm)
76,5 x 86,9
67,1 x 70,6
Cilindrada (cm³)
1.598
999
Taxa de compressão (:1)
12,1
12,7
Potência máxima (cv/rpm)
101/5.250 (G), 104/5.250 (A)
72/5.250 (G)   76/5.250 (A)
Torque máximo (m·kgf/rpm)
15,4/2.500 (G), 15,6/2.500 (G)
9,7/3.850      10,6/3.850
N° de válvulas por cilindro
Duas, atuação indireta por alavanca-dedo
N° de comandos de válvulas / localização
Um, correia dentada / cabeçote
Formação de mistura
Injeção eletrônica multiponto no duto
Gerenciamento do motor
Magneti Marelli 9GV
Bosch ME 17..5.24
Combustível
Gasolina comum e/ou álcool
TRANSMISSÃO
Rodas motrizes / câmbio
Dianteiras / manual (robotizado)
Dianteiras / manual
Número de marchas
5 à frente + ré
Relações de transmissão (:1)
1ª 3,455; 2ª 1,954; 3ª 1,281; 4ª 0,927; 5ª 0,740; ré 3,182 (1ª 3,455; 2ª 2,250; 3ª 1,517; 4ª 1,026; 5ª 0,740; ré 3,182)
1ª 4,167; 2ª 2,300; 3ª 1,433: 4ª 0,975; 5ª 0,776; ré 3,182
Relação do diferencial (:1)
4,188
4,929
SUSPENSÃO
Dianteira
Independente, McPherson, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora de 20 mm Ø
Traseira
Eixo de torção, mola helicoidal e amortecedor pressurizado
DIREÇÃO
Tipo
Pinhão e cremalheira, assistência hidráulica
Diâmetro mín. de curva (m)
10,8
Relação de direção (:1)
14,9
N° de voltas entre batentes
3
FREIOS
De serviço
Hidráulico, duplo-circuito em diagonal, servoassistido
Dianteiros
Disco ventilado de 256 mm Ø
Traseiros
Tambor de 200 mm Ø
RODAS E PNEUS
Rodas
Alumínio 6Jx16
Aço 5Jx14
Pneus
195/50R16
175/70R14
PESOS (kg)
Em ordem de marcha
1.018 (1.030)
974
Carga máxima
432 (420)
440
CONSTRUÇÃO

Tipo
Monobloco em aço, hatchback 4 portas, 5 lugares, subchassi dianteiro
AERODINÂMICA
Coeficiente de arrasto (Cx)
0,369
0,346
Área frontal (m²)
2,08
2,03
Área frontal corrigida (m²)
0,768
0,702
DIMENSÕES EXTERNAS (mm)
Comprimento
3.924
3.907
Largura com/sem espelhos
1.659 / 1.898
1.659 / 1.893
Altura
1.491
1.488
Distância entre eixos
2.468
Bitola dianteira/traseira
1.434/1.410
1.440/1.418
CAPACIDADES (L)

Porta-malas
285
Tanque de combustível
55
DESEMPENHO

Aceleração 0-100 km/h (s)
10,6 (G) e 10,3 (A); (11,1 (G) e 10,9 (A))
14,4 (G) e 14,1 (A)
Aceleração 0-1.000 m (s)
32,4 (G) e 32,1 (A) (33,3 (A) e 32,9 (G))
36,1 (G) e 35,6 (A)
Retomada 80-120 km/h, 5ª (s)
15 (G) e 14,8 (A); (15,2 (G) e 15 (A))
20,6 (G) e 19,6 (A)
Velocidade máxima (km/h)
179 (G) e 181 (A) (179 (G) e 181 (A))
158 (G) e 160 (A)
CÁLCULOS DE CÂMBIO

v/1000 em 5ª (km/h)
35,5 (35,5)
28,8
Rotação em 5ª a 120 km/h
3.380 (3.380)
4.170
Rotação em vel. máx., 5ª
5.100 (5.100)
5.550



















87 comentários :

  1. Melhor seria se a VW apoiasse competições regionais de rally e de pista onde inúmeras equipes usam seus carros e ainda levam o logotipo mesmo sendo absurdamente ignoradas.

    ResponderExcluir
  2. Oliveirajc16/05/13 12:18

    Esse Rallye é bom pra SP. Andar rápido em SP com essas valetas, lombadas e ondulação que pega até no assoalho, só assim mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oliveirajc, concordo plenamente, para andar em São Paulo uma suspensão mais alta é fundamental. Não cabe pensar como europeu aqui. São Paulo tem um pavimento diferente de asfalto, é parecido, mas muito, muito pior. A única discrepância da versão track é ter pneus caríssimos em um carro de entrada, e aposto que este preço não deve incluir ar condicionado.

      Excluir
    2. Oliveirajc16/05/13 13:06

      Pneu caro pra quem - como eu - não espera chegar no TWI fica complicado. Esse Rallye ainda bem não ter pneu de uso misto.

      E o carro um pouquinho mais alto não afeta tanto assim pra quem gosta de andar rápido em estrada.

      Excluir
    3. Pavimento de concreto é perfeito pro Brasil. Praticamente não requer manutenção. Ops... O problema é que é mal executado, então só duraria 6 meses.

      Excluir
    4. Infelizmente é a nossa realidade. E cada região de SP é de um modo, uns piores, outros piores ainda, são raros os mais ou menos. Acho que é por isso que a PM daqui usa Palio Adventure.

      Deveria haver uma etapa do WRC aqui em SP. Vou mandar um e-mail com a sugestão.

      Excluir
  3. não é so culpa das montadoras, é do consumidor que prefere pagar mais para ter adesivos de aventura ao invés de pagar mais com carros com algum tempero como era os Gols GTS/GTi e os equivalentes da concorrência. Assim como matamos as peruas em favor de aberrações como strada CD e a provável futura saveiro CD , matamos os carros que realemnte valiam os reais a mais. Agora moda é roda grande e adesuvo de aventura de gente que nem sabe a diferença entre conduzir no asfalto ou na terra/lama

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, realmente a Strada CD é bizarra. Desenho Horrível. Tenho uma. Parece um remendo. Mas vemos aos montes por ai, pois é o único carro no país, por menos de 50 mil que se consegue carregar 4 pessoas + tralhas e tranqueiras. Infelizmente é isso, seria ótimo que tivésse concorrentes pois pagar quase 50 mil pra dirigir um palio é dureza.

      Excluir
    2. Muitíssimo bem colocado. Compartilho da mesma opinião.

      Excluir
    3. Uma boa perua poderia levar 5 pessoas + tralhas e tranqueiras.....

      Excluir
    4. Experimenta levar umas latas de tinta na mala de uma perua pra ver o que acontece.

      Excluir
    5. Não entendi a colocação, Gustavo. Já carreguei latas de tintas em Celta, Clio, Classic e na Palio Week. Todos alugados, obviamente. Mas sempre foi uma coisa bastante tranquila. Será que você queria dizer de latas abertas? Mas aí a caminhonete só ajudaria a não fazer bagunça dentro do carro quando a tinta vazasse, e como caçamba também tem que ser limpa, o trabalho seria quase o mesmo. Ou seria para fazer entregas? Nesse caso, não é melhor a cabine simples ou uma moto?

      Excluir
    6. Não falei aberração quanto ao desenho ou me desfazendo da camioneta, A strada cabine simples sem duvida nenhuma é a melhor pick-up pequena que temos. Mas a CD não carrega 4 pessoas com o "conforto" que uma perua faz e não têm caçamba que uma pick-up normal têm, é muito reduzida tirando o fato que não teria altura e alguns ângulos para comportar a carga um pouco maior, uma perua mesmo das mais pequenas têm o porta mala = da strada cabine dupla. Para o trabalho já pensei numa dessas pois tenho dois carros, uma pick-up para o trabalho e uma carro normal para a familia que acaba rodando muito pouco e tinha pensado nela para unificar, mas desisti. E pelo menos aqui não vi nenhuma CD trabalhando, maioria que vejo a imensa maioria é strada Simples e a saveiro em menor numero. As pessoas que vejo com a strda CD são geralemnte aqueles que compram Adventure e os equivalentes da concorrência.

      Excluir
  4. Que que custa, nem precisa enfeitar muito, não deve ser difícil dar um tempero leve num motor da linha para uns pangarés a mais, algum bom ajuste de suspensão nada de complicado e caro, cola uns adesivos e pronto versão TS e pode lucrar 10mil reias a mais bem fácil...

    ResponderExcluir
  5. Com tanta buraqueira e lombadas, a suspensão elevada é uma necessidade para quem usa o carro diariamente.Sempre tive autos gol, atualmente uso um g4 com suspensão mais alta e numca mais aconteceu de bater carter ou escape.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fera
      É isso mesmo
      Tambem ando a milhao na cidade (sempre apertado de tempo) e prefiro suspenssao mais alta. Muito mais facil de passar lombada , subir em calcadas e guias e nao se preocupar com buracos.
      Acho que essa é uma tendencia sem volta das montadoras. eles fazem muitas pesquisas e sabem o que a maioria dos consumidores querem num carro.

      Excluir
    2. Isso aí.. carro agora tem que subir em calçadas e ser apto a "andar a milhão" em ruas da cidade.

      Por pessoas assim que o trânsito brasileiro encontra-se desta maneira.

      Excluir
    3. Eu então teria q ter 2 carros. Um só pra selva (cidade) e outro só para a civilização (estrada).

      Excluir
  6. Interessante que os compradores destes carros nunca vão usar suas "joias " na terra ou lama, acham que estão em um carrão chique e seria um sacrilégio sujar a maravilha na lama, além do que são feios pra caramba altos, pneus de camionete e cheios de faixas de gosto duvidoso. Mas tem quem compra !!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até porque esses são aventureiros urbanos, como o CrossFox. Colocá-los na lama é o mesmo que destruí-los.

      Excluir
  7. Tenho uma dúvida e agradeceria se alguém pudesse elucidá-la. Quando tirei minha carteira, só se podia utilizar o pisca alerta quando o veículo estivesse parado e fora da pista. Caso contrário era considerado infração e multa. Faz algum tempo que noto que cada vez mais motoristas, ao frearem, também acionam o pisca alerta. O que eu achava ser ilegal. Não nego que em alguns casos essa prática possa ajudar mas, em outros pode ser desastrosa. Imagino que numa situação de neblina, ao frear e acionar o pisca alerta, você possa induzir um motorista que venha atrás a acreditar que seu veículo está parado no acostamento e que ele está saindo da pista, jogando seu carro na contra mão e, talvez causando um sério acidente. Pois bem, esclarecendo minha dúvida, hoje em dia não é mais infração ligar o pisca ao frear? Se ainda for infração, não podemos ser multados ao conduzir o novo gol, que liga os piscas sozinho? Se alguém puder esclarecer, obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Posso estar equivocado, me corrijam caso eu esteja, mas creio que o pisca-alerta deve ser usado apenas com o carro parado, mas não necessariamente fora da pista. Caso ocorra uma emergência e seja necessário parar na pista acho prudente acionar o pisca.

      Excluir
    2. O Gol aciona pisca após parada completa, já Bravo, Jetta e muitos outros pisca alerta ao frear forte/urgência.

      Excluir
    3. Rubens Fezter
      A regra de uso do pisca-alerta é em imobilizações ou situações de emergência (Art. 40, V, alínea a do Código de Trânsito Brasileiro), e nada é dito sobre o carro ter de estar fora da pista. Há dois tipos sinalização de emergência em freadas fortes, a em que o pisca-alerta é imediatamente acionado, e a que primeiro acendem-se as luzes de freio de maneira intermitente, acendendo-se automaticamente o pisca-alerta se o carro vier a parar (tipo do Gol). Um exemplo de situação de emergência é o carro ter um problema qualquer e precisar ir lentamente para o acostamento. O pisca-alerta pode e deve ser ligado nessa situação, pois o carro se torna um obstáculo. Portanto, ninguém poderá ser multado em carros que tragam esse sistema de segurança, qualquer que seja o tipo.

      Excluir
    4. Obrigado Bob, agora vejo que faz tempo que não faço o melhor uso do pisca-alerta. Nada como um blog como o seu para ajudar a todos numa condução cada vez melhor e mais segura.

      Excluir
    5. Nunca me passou pela cabeça a situação de eu estar numa neblina e achar que alguém a frente esteja no acostamento só por estar com o pisca ligado. Se vejo a frente algum pisca alerta ligado a frente, reduzo a velocidade redobrando a atenção para não sair da pista e nem colidir com ele, pois pode ter acontecido qualquer coisa, inclusive ele estar na contra-mão.

      Excluir
    6. Aqui na terra onde todos os habitantes são apaixonados por carro (é o que diz a propaganda), o pisca-alerta serve para você fazer várias coisas:
      - Parar em fila dupla;
      - Parar no meio da rua para a dona fofa descer;
      - Deixar o carro na calçada enquanto você vai na padaria rapidim.

      Excluir
    7. Daniel
      Eu tambem utilizo bastante nas estradas.
      Quando dirijo com neblina e quando faco uma freada mais forte.
      abracos

      Excluir
    8. Corsário Viajante16/05/13 19:30

      Dirigir na neblina com pisca-alerta ligado NÃÃÃÃÃÃÃOOOOO!!!!

      Excluir
    9. Quando em situações de neblina encontro alguém com pisca-alerta tenho logo a providência de ultrapassar ou distanciar-me do indivíduo. Na maioria das vezes o veículo encontra-se a uma velocidade perigosamente baixa por que os sacos de lixo que ele colocou nos vidros pioram ainda mais a situação.

      A acuidade visual diminui bastante, e a intermitência das luzes resultam na perda da noção de distância.

      A mesma coisa acontecem com veículos parados, à noite e/ou com neblina, onde desligam as luzes de posição (que tem justamente este fim) e ligam o pisca alerta ???!!!!.

      Pisca-alerta somente em situações de emergência, e andar em neblina não é emergência.

      Excluir
    10. Anônimo 16/05/13 17:43

      Cara, pisca alerta na neblina é horrível para que vem atrás.

      Acho que você deveria usar só se parar na neblina.... Vide o "A Maldita Neblina"

      Excluir
    11. Anônimo 16/05/13 17:43 por favor, na neblina, use apenas seus faróis (de neblina também, se os tiver). Esqueça o pisca-alerta. Chuva forte também.

      Excluir
  8. Rachei de rir com a descrição do ECO Comfort...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sempre achei uma palhaçada de marqueteiro esse ECO Comfort... imagino os Engenheiros VW 'da antiga' tendo que engolir isso a seco para satisfazer a galera 'descolada' do Dep Marketing.

      Excluir
  9. Versão "aventureira" tem de montão, mas um Sportline e um GTI que é bom nada.

    ResponderExcluir
  10. Os carros estão muito bonitos e bem construídos ,porem suspensão elevada eu não gosto,nunca tive um carro assim e não pretendo ter,com suspensão igual dos blue motion ficaria legal e um motor 2.0.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Filipe_GTS16/05/13 13:40

      Exatamente, a suspensao da linha ''bluemotion'' ja ajudava. Alias, alguem sabe nos informar o que muda? Somente molas e amortecedores?

      Excluir
    2. Filipe_GTS16/05/13 13:40 Ótima pergunta,Bob se puder responder ou que tiver a informação,agradecemos.

      Excluir
    3. No Gol nada, apenas pneus verdes e calibragem dos mesmos.

      Já Fox e Polo altura, amortecedores para compensar pneus mais duros por conta da calibragem (são verdes e mais estreitos e altos.

      não sei se estou correto.

      Excluir
    4. Filipe GTS e Speedster
      Não tenho como dizer nada agora, preciso conversar com a engenharia para ver o "grau de desarrumação" ou se houve correção pela maior altura de rodagem..

      Excluir
  11. Há TRACK 1,6?

    "acendimento automático e intermitente das luzes de freio em frenagens de emergência" - este dispositivo faz parte do ABS, tenho um Gol com a nova arquitetura eletrônica, pisca três entre outras coisas, mas a função acima não existe devido carro não ter freios com ABS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anonimo 16/05/13 13:33
      Track só 1 litro. Não se o ABS está associado ao dispositivo de piscar luzes de freio, pois ele é baseado em desaceleração, não em atuação do ABS. Mas vou verificar junto à Volkswagen.

      Excluir
    2. Sim, mas acredito que o módulo do ABS e sensores nas rodas é que medem a desaceleração, independente do ABS atuar ou não. Por isto meu carro não tem. (deve funcionar quando detectada desaceleração à partir ou maior de valor estipulado, mesmo que tenha desacelerado bastante mas ainda sem precisar acionar ABS) - Não deve estar vinculado à velocidade apenas do "painel" e sua abrupta diminuição.

      Sei que neste modelo o ABS é de série, mas em outros textos aqui do AUTOENTUSIASTAS que falam dos novos Gol/Voyage/Saveiro deu a impressão que independente destes novos modelos terem ou não ABS eles teriam a função, parece que na prática não é isto.

      Excluir
  12. Eu gosto do pacote visual destes dois modelos, o que me desagrada, entretanto, são as especificações técnicas "aventureiras".
    Os faróis auxiliares ressaltados, proeminentes, os arcos de roda com acabamento plástico nas extremidades, o contraste causado pela confluência dos materias, até os grafismos, todos são elementos que poderiam cair muito bem em uma versão esporte (e até aqui eu poderia estar tanto descrevendo este novo Gol quanto um XR3 ou GTi) sem essa apelação descabida ao fora-de-estrada.
    Até o nome Rallye poderia ficar num Gol assim, afinal, rali é a primeira forma existente de competição automobilística e não necessariamente remete ao terreno dificultoso, enlameado, como se configurou no imaginário popular. Faz sentido mesmo que fora do contexto "off-road" que estes aventureiros urbanos querem transpirar. Não vamos longe para mencionar as versões de homologação dos próprios carros de rali, com seu caráter de rua infinitamente mais esportivo do que fora-de-estrada.
    É uma pena que a VW (e outras marcas inseridas no mesmo segmento) destinem os seus mais interessantes e bem pensados interiores e arremates a estas versões pretensiosas, enquanto que o mesmo esmero poderia ser dado à civilidade dos automóveis "de estrada". O carro esporte de entrada virou o aventureiro, e quem não é otário fica condenado a chupar o dedo.

    ResponderExcluir
  13. Bob,

    O TRACK tem rodas aro 14, pela foto são do mesmo modelo opcional para o Gol 1,0 "normal", e na ficha técnica confirma aro 14.

    Lógica estranha uma versão RALLYE com aro 16 e perfil de pneu mais baixo, é cada coisa. Um aro 14, 15 no máximo seria melhor para conforto e para enfrentar os tais caminhos que supostamente o carro encontrará. Pedras e este perfil acho que não combinam, por mais que tenham evoluído os pneus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 16/05/13 13:46
      Você tem toda razão, mesmo que os nossos pneus sejam muito resistentes de flanco atualmente.

      Excluir
  14. "A Volkswagen, como de hábito, trabalhou bem as suspensões mais elevadas, inclusive colocando barras estabilizadoras de maior diâmetro na dianteira de ambos, o que diminui a rolagem (inclinação da carroceria em curvas)."

    Fica a dica para quem quer dar uma melhorada na suspensão de seu G6 "comum", bastanto instalar estas novas barras e ficar com o melhor do carteado nas mãos.
    Ou, ainda, uma idéia para quem quiser colocar molas e amortecedores do G6 comum no Rallye e ganhar um visual interessante e de quebra ter o melhor interior.

    PS: Uma dúvida que tenho é se o Fox Bluemotion já é lugar comum ou é coisa sendo lançada. Vi um ontem saindo de uma CSS VW e achei bem interessante, até porque não vi nenhum outro nas ruas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagina o que ficou duro com aros 16, perfil baixo e novas barras, deve ser ótimo...

      Excluir
    2. Se com aro 13 já eh duro ! O estranho é ser duro e ter uma rolagem de carroceria descomunal ao contornar curvas.

      Excluir
    3. Já lançaram o Gol "G6"?! Nossa, pularam 3 gerações então...

      Excluir
  15. Poxa, vim quente ler este artigo levado pelo nome "Track" que a VW deu pro Golzinho, aí descubro que é uma versão de suspensão elevada e 1.0? Quanta decepção! Pra mim um gol "pista" ia vir no mínimo com suspensão rebaixada e alguma pimentinha no motor... Ô inocência...

    ResponderExcluir
  16. Filipe Scalioni
    Pensei a mesma coisa quando soube da versão, mas há dirt track e tarmac track...

    ResponderExcluir
  17. Por que Track? É p/ concorrer c/ o Tracker da GM, aquela versão off-road do Celta VHC...

    ResponderExcluir
  18. Um cambio manual no Rallye caia bem, gostei da relação do cambio automatizado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A relação não é a mesmíssima do manual?

      Excluir
    2. Speedster e anônimo logo abaixo
      Existe manual no Rallye, está na ficha técnica. As relações do ASG estão em negrito. Primeira quinta e diferencial são iguas, 2ª, 3ª e 4ª do robotizado são mais curtas.

      Excluir
  19. O que mata são esses nomes "family face" "ECO". Tudo modinha, sem sentido algum pra automóvel.

    João Paulo

    ResponderExcluir
  20. Sinceramente podiam ter sido dispensados os contornos de caixa de roda em plástico preto à moda Uno 1.6 R e Corsa 94... Transmite-me uma leve impressão de visual datado, de anos 90, mas enfim.
    No mais, vejo que as duas versões podem conviver (assim como Strada Trekking e Adventure) - uma versão mais econômica, outra mais sofisticada, mas ambas com (quase) o mesmo propósito...

    ResponderExcluir
  21. O asfalto fica ruim? Coloca mola mais alta. O asfalto piora? Aumenta mais ainda. Colocou lombada e quer passar com tudo? Mola mais alta! Ah, as molas estão mais altas, então eleva as lombadas (mesmo pq nenhuma parece seguir a normatização).

    Não sei se esse ciclo tem fim, ou se daqui alguns anos estaremos todos rodando de "big foot".

    Pior no meu caso, carro europeu baixo, tenho que trafegar com cuidado e quando freio numa lombada quase batem na traseira e ainda têm a pouca vergonha de me criticar, como se eu fosse culpado pelos problemas viários e não tivesse o direito de desviar ou frear neles.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corsário Viajante16/05/13 19:28

      O pior é que a turminha não aprende. Quer o carro alto para passar voando na lombada. Depois reclama que a suspensão não dura nada... Povo estranho este!

      Excluir
    2. Hugo16/05/13 16:10 Pois é, logo vai ser preciso uma escada para entrar nesses carros, e o carro com cada vez mais uma aerodinâmica pior.

      Excluir
  22. Hoje, infelizmente, um carro um pouco mais alto é interessante para qualquer capital, com suas valetas, buracos e alagamentos, ou estradas federais cuja administração permaneça com o Dnit. Particularmente, cansei do Gol! Já tive quase todos os modelos. O mercado brasileiro está melhor pelo menos neste ponto: quantidade de modelos disponíveis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe que também cansei do Gol? Com R$ 45.000,00 eu não ficaria com "mais do mesmo": experimentaria um Peugeot 208.

      Excluir
  23. Esse tipo de carro é ideal para utilizar como carro de trafego urbano e misto no exercito.

    Militar Anonimo

    ResponderExcluir
  24. Achei essa combinação do painel mais escurecido da versão Highline com as colunas e tetos revestidos em preto muito interessante, poderia ser estendida para toda a linha talvez como opcional, para não desagradar aqueles que preferem cores mais claras para ampliar a sensação de espaço. Além de serem mais belos (ao meu ver), também imagino que sejam mais, vamos dizer, tolerante à sujeira, ainda que o teto seja uma parte difícil de se sujar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Problema que não existe só o Sul e o Sudeste no Brasil. Pegue um carro com interior todo preto e entre nele depois de o mesmo passar toda a tarde no sol...

      Excluir
    2. Davi Reis16/05/13 18:32 Carro com interior todo preto deve ser desagradável,se você vivesse um pouco dos anos 80 e visse os acabamentos em marrom, não falaria isto,abraço.

      Excluir
    3. Sim sim, concordo com ambos, por isso seria interessante apenas como opcional, pra quem gostaria assim, do mesmo jeito que antigamente existiam diferentes opções de cores para o interior dentro da linha Volkswagen mesmo. Um exemplo que eu não me esqueço nunca é o Gol GL 1.8 91/94 que tinha a opção de ser todo preto mesmo (como um que temos aqui em casa), o que até cansa um pouco mesmo, e um bege ou creme, algo assim. Acho que no modelo novo do Gol não cansaria tanto como os modelos antigos por causa dessa tonalidade dupla no painel, com azul na parte superior e no acabamento das portas.

      Excluir
  25. Nos dois motores, curso maior do que diâmetro. Bleeergh...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Melhor torque em baixa é ruim?

      Excluir
    2. Não condiz com uma sigla " RALLYE ". O Peugeot 106 europeu era Rallye. Até o nosso Fiat 147 era Rallye. Não é regra que apenas um maior curso resultará em maior torque. Este é um artifício de engenheiros preguiçosos. Ao meu ver sempre será um motor frágil e que gosta de ficar "parado" , é um motor que não se pode passar dos 3500 RPM. Tudo bem para carros de uso urbano pesado, mas não manchem as siglas !

      Excluir
    3. Ace
      Como é que é? Não pode passar de 3.500 rpm!!!?? A 6.500 rpm a velocidade média de pistão é de apenas 18,8 m/s! Reveja seus conceitos.

      Excluir
    4. Oliveirajc17/05/13 19:47

      Acho que é por isso que o trânsito não anda...

      Excluir
  26. A VW continua a padecer do velho problema: faz ótimos veículos e tem péssimos preços. Só vende bem ainda pela qualidade e pela fama. Mas como perdeu mercado nos últimos anos....

    ResponderExcluir
  27. Não vejo nada de interessante nesse farol de milha/neblina da VW, só serve para você perder um dos 2 na hora que eles se fazem necessarios...

    A porpósito, não é lei que hajam 2 e não apenas 1 luz de ré?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo Freire,
      Acha cabível usar os dois tipos de farol simultaneamente? Não há como, é uma situação ou outra. Luz de ré, mínimo uma, conforme Resoluções 227 e 383 do Contran.

      Excluir
    2. Andar numa estrada de terra a noite, quanto mais luz melhor Bob. E na estrada também [claro, sabendo fazer a comutação para não pertubar quem vem em sentido contrário].

      Excluir
  28. O Rallye é bem interessante: proposta aventureira "calçada" em pneus Pirrelli P7; excelentes somente no asfalto... É aparentar o que não é, apenas. Se rebaixasse a suspensão e trocasse a decoração, teríamos o GTI. Se colocasse o 2.0 do Golf, ou seja, conseguindo do disponível na linha de montagem atual, já estaria muito bom.

    O Track é interessante; acredito que o 1.0 dá conta do recado... Mas não entendo porque a VW não disponibilizar o 1.4 na linha de passeio, não limitando-o somente à Kombi.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luiz Felipe,
      segudo a VW, o 1.4 ficaria com o mesmo preço do 1.6, o que é bem plausível, pois se tratam do "mesmo" motor e ficariam na mesma faixa de tributação.

      Excluir
  29. Qual é a marca/modelo de pneus que estão usando nesses modelos? Já que é uma versão pseudo-aventureira, porque não colocaram uns desses pneus que tem os logotipos pintados de branco tipo um Pirelli Scorpion ATR ou BF Goodrich T/A...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na foto 5 é Scorpion Atr, como é aro 14 logo a medida é 175/70r14, só exite esse modelo com letra branca (para carros de passeio) na medida 205/60r15. Ja o aro 16 é P7, pura ironia da Vw!!! O Scorpion aro 16 não existe nessa medida usada, apenas 205/60r16...

      Excluir
    2. Pernenta
      Oficial: Pirelli Scorpion ATR no Track e Pirelli P7 no Rallye.

      Excluir
  30. Sinceramente pagar 45 mil e um Gol para passar rápido em lombadas é engraçado. Existem ofertas muito melhores no mercado por esse valor: Ford New Fiesta SE 1.6 16V, Peugeot 208 Allure, Citroën C3 Tendance 1.5 e Punto Sporting 1.8 16V

    ResponderExcluir
  31. Só gostei da grade e das rodas do Rallye. Prefiro comprar um Trend 1.6 2 portas e colocar essas rodas e grade nele e ainda sobra um bom trocado.

    ResponderExcluir
  32. isso só faz os seguidores do gol parar de compra,só faz um ano que comprei o meu
    e agora já saiu outro deixando o meu mais barato quando for trocar vou comprar outro que não mude tão rápido fazendo o meu dinheiro render mas

    ResponderExcluir
  33. Saí de um GOL G4 (zero que rodei por 3 anos) com a certeza que não compraria o geração 5 (carros que utilizo para trabalho na empresa) pois sinceramente o carro é muito "descompassado" .Tirei o GOL TRACK em Agosto de 2013, confesso que quando vi pessoalmente (branco) me apaixonei pelo carro, como muitos dos meus amigos me dizem: (não parece ser um gol). Estou chegando a primeira revisão do carro agora em Fevereiro extremamente feliz e satisfeito. Muitas coisas mudaram e uma delas é o silêncio no interior, o conforto em dirigir com o câmbio fantástico, o acabamento e o ar condicionado que gela muito e não fica toda hora desligando com o acionamento do acelerador (coisas irritantes que a versão 4 e 5 tem). Paguei 37 mil pelo carro com todos os opcionais incluindo sensor de estacionamento com informação de distância no rádio, rodas de liga leve etc). Esta semana mais uma surpresa (após os 6 mil rodados) o carro começou a ter outro consumo de combustível chegando as seguintes médias: etanol com ar (8,5 cidade 9 cidade/estrada e 10,5 estrada) etanol sem ar na estrada (11:5) e olha que não o testei com gasolina ainda. Resumindo, fora os números excelentes, ser o carro de maior comércio e um dos menores em desvalorização o carro realmente me surpreendeu. Espero ter ajudado.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.