FORD NEW FIESTA NACIONAL


O Ford New Fiesta com motor 1.6 Sigma TiVCT é o carro nacional cujo conjunto mais me agradou. Para o meu gosto ele é o que tem o melhor chão, boa ergonomia e uma das melhores relações entre peso e potência, alguns dos atributos que dou, pela ordem, mais valor em um automóvel. Além do mais gosto do tamanho dele: compacto, pero no mucho. Seu único porém fica para o aperto e o desconforto para quem vai no banco traseiro, mas até aí tudo bem, já que o Mustang, quando foi lançado em 1964, também tinha esse problema e mesmo assim foi um tremendo sucesso. O mesmo ocorreu com o Maverick aqui.

Único defeito: pouco conforto e espaço no banco traseiro
Vamos, caro leitor, sair juntos no carro; seguindo o passo a passo da coisa. Primeiro você tem que se ajeitar ao volante. O banco do motorista tem regulagem de altura, é anatômico e suporta toda as nossas costas. O volante tem ampla regulagem de distância e altura. Sobre os pedais pouco posso dizer, pois o New Fiesta que me veio tem câmbio roborizado, portanto, tem só dois pedais, e com ele não há necessidade, nem há como, de fazer punta-tacco. Pedais, OK, portanto. O volante tem boa empunhadura e há um encaixe para as mãos quando o seguramos na posição “15 pras 3”. E pronto! Não sei quanto ao leitor, mas eu ajeitei muito bem meus 1,80 m e 73 kg ali e me senti confortável. Viajei com ele e nem pensei em mudar a posição de encosto etc, e isso é bom sinal, pois quando a gente fica toda hora mudando a posição é porque nenhuma delas é boa.

Boa ergonomia e espaço para quem vai na frente
Depois de ajeitado ao volante o caro leitor sai guiando. Como não estamos num hot rod, e sim num carro de passeio, não é o caso de logo de cara sair empinando e deixando tiras negras de borracha pelo asfalto. Saiamos tranqüilos, nem velozes nem furiosos, sentindo o carro. O motor, fique tranqüilo, espere um pouco para acelerá-lo forte, pois te garanto que 130 cv dão conta fácil de um compacto de 1.153 kg. Vamos sentindo o volante e como o carro é de chão. O volante tem assistência elétrica variável. Em manobras ele é leve e conforme sobe a velocidade ele vai enrijecendo, a ponto de ficar nula quando na estrada. O sistema não filtra demais a percepção do solo e suas respostas são rápidas, mas sem exagero. No ponto para o porte e finalidade do carro.


Ele é macio de suspensão, sem deixar de ser firme, ágil. Passa bem por asfalto encaroçado e a sensação é de bom isolamento acústico e robustez. É um carro rápido; apontou, ele vai, e segue obediente para onde lhe mandam, sem balanços ondulantes de carroceria. Rola pouco, no ponto. A suspensão dianteira é McPherson com barra estabilizadora e a traseira é eixo de torção sem barra estabilizadora; sistema simples, mas muito bem acertado pela Ford. Praticamente neutro em curvas, tanto nas de baixa quanto nas de alta. Nas de alta, há que se notar, é ótima, e isso é mesmo a prova dos nove para avaliarmos o chão de um carro. Nada de obrigar a frente a entrar, ela entra com facilidade e precisão. Nada de balanços durante a curva e, caso haja ondulações na pista que causem alguma oscilação de carroceria, ele não perde a compostura e segue firme no trilho.

Quem gosta do comportamento do irmão maior, o Focus, vai gostar ainda mais do comportamento em curvas do New Fiesta, mesmo ele tendo a suspensão traseira menos sofisticada que a independente por multibraço do Focus. Como se vê, evoluíram muito nessa configuração McPherson/eixo de torção. Sendo assim, no dia a dia citadino e nas viagens o New Fiesta tem um comportamento irrepreensível e prazeroso, pois nos proporciona agilidade na cidade e descanso e segurança na estrada, sempre estando pronto para atender a manobras rápidas, desviadas evasivas, com rapidez e segurança.


Freios muito bons. A disco, ventilados, na dianteira e a tambor na traseira.

E vamos ao moderno motor Sigma 1.6 TiVCT, que rende 130 cv a 6.500 rpm (com álcool). O ótimo câmbio robotizado PowerShift DPS6, de dupla embreagem, faz trocas perfeitas, rápidas, e absolutamente sem soluços. Reputo-o como o melhor dos robotizados dentre os carros nacionais, mas ele não aproveita todo o potencial do motor, já que suas trocas são feitas a, no máximo, 6.200 rpm, portanto, 300 rpm abaixo da potência máxima. Curiosamente, cada marcha tem sua própria rotação máxima. Por exemplo: a 1ª leva o giro até 6.100 rpm, quando então entra a 2ª, e a 2ª leva a 6.200 rpm, ou algo perto disso.

A Ford divulga que a rotação de corte é a 6.720 rpm, mas isso vale para os carros equipados com o câmbio manual, o que dificulta crer que a aceleração de ambos seja, como diz a Ford, igual: 12,1 segundos de 0 a 100 km/h. Não tive como aferir, mas creio que esse tempo de 12,1 segundos deve valer só para o robotizado, sendo que o manual deve ser ainda mais rápido de aceleração. O manual tem 5 marchas.

O Sigma 1.6 TiVCT tem cabeçote, bloco e cárter de alumínio, tem duplo comando de válvulas, variável, tanto na admissão quando escapamento, e tem 4 válvulas por cilindro, ou seja, leve e moderno. Rende 81 cv/litro (com álcool) e é elástico, silencioso e econômico. O torque máximo é de 16 m·kgf a 4.000 rpm. Dispensa reservatório de gasolina para partidas a frio quando abastecido com álcool, pois tem um sistema que aquece a linha de combustível antes de ser injetado nos dutos.

Motor Sigma 1,6 TiVCT: 16 válvulas e duplo comando variável = 130 cv (81 cv/litro)
O motor em si já é bom e o câmbio robotizado coopera trabalhando com perfeição. Ele tem seis marchas e duas posições de tocada adiante: “Drive” e “Sport”, além de botões que comandam mudanças manuais de marcha. No Drive o câmbio funciona de modo, digamos, normal, mais tranqüilo, espera uma maior aceleração para então reduzir marcha e, quando tiramos o pé do acelerador, ele solta mais facilmente para uma marcha superior. Mesmo no Drive ele obedece o comando manual de mudança de marcha, que fica na lateral da manopla da alavanca de câmbio. Quando ele obedece nas reduções, ele mantém a marcha, o que é bom para descida de serra e aproximação de curva, mas logo ao acelerarmos ele assume como Drive de novo. Já na posição Sport ele já faz reduções com menor aceleração, fica mais nervoso, e quando tiramos o pé do acelerador ele não solta marcha, mantém na marcha em que está, e isso é bom, principalmente numa tocada rápida em estrada sinuosa ou em ultrapassagens em pista simples.

No Sport, uma vez que você comece a comandar as mudanças pelo botão, ele as obedece fielmente, e só volta a comandar as trocas se você atingir as tais 6.100 ou 6.200 rpm, e aí ele muda para marcha mais alta. Como se vê, com o robotizado ele nunca atinge sua rotação de corte. As trocas, por ter dupla embreagem, são muito rápidas e simplesmente não há soluços, as tais chamadas cabeçadinhas, aquele instante de ausência de torque durante a mudança. Nele, na troca, quando uma marcha deixa de empurrar, a seguinte imediatamente já entra empurrando, portanto, não há hesitação. Dos robotizados nacionais, sem dúvida que é o melhor. Parece que a dupla embreagem é a solução para o sistema. Apesar dele ser um pouco mais caro que o robotizado de uma só embreagem, é mais barato que o automático convencional. No caso do New Fiesta ele custa R$ 3.500,00, ao passo que o convencional custaria ao redor de R$ 5.000,00.

Sua velocidade máxima é limitada eletronicamente em 190 km/h.

Frente inspirada nos Aston Martin, tal qual o novo Fusion
Seria interessante testarmos o New Fiesta com motor 1.5-L (bloco e cárter em alumínio), pois seus 111 cv, quando com álcool, já bastam para crer que proporcionam um desempenho bastante satisfatório. Curiosamente, a Ford anuncia que o 1,5-L (só sai com câmbio manual de 5 marchas) tem praticamente a mesma aceleração que o 1,6-L, sendo o 0 a 100 km/h em 12,2 segundos para o 1,5-L e 12,1 segundos para o 1,6-L. Ainda acho que o 1,6 com câmbio manual é mais rápido que isso, ao menos "senti" que é.

O 1,5-L atinge 180 km/h, segundo a Ford. Desempenho geral, portanto, também plenamente satisfatório.

Concluindo, o New Fiesta 2014é um bem-vindo novo concorrente ao segmento. Vai disputar com Peugeot 208, Citroën C3, Hyundai HB20, VW Gol, Fiat Punto, entre outros. O leitor que, como eu, tem uma queda especial por carro bom de chão, deve experimentar um, pois, para mim, é o compacto referência dentre os nacionais. A versão avaliada, a SE 1,6, custa R$ 45.490.

E antes que queiram me lembrar do Punto T-Jet como carro bom de chão, sim, não me esqueci dele, ele agarra ainda mais, mas ele já parte para uma suspensão mais esportiva, mais firme, para quem não se importa de pagar um pouco mais em desconforto em troca de ainda melhor tocada esportiva.

AK

Um vídeo a seguir:




FICHA TÉCNICA FORD NEW FIESTA SE 1,6 POWERSHIFT

MOTOR
Denominação
Ford Sigma 1.6 16V TiVCT Flex
Tipo
4 cil. em linha, transversal, bloco e cabeçote de alumínio, duplo comando de válvulas, correia dentada, variador de fase na admissão e escapamento, 4 válvulas por cilindro
Diâmetro e curso (mm)
79 x 81,4
Cilindrada (cm³)
1.597
Taxa de compressão (:1)
12
Potência (cv/rpm)
130/6.500 (A), 125/6.500 (G)
Torque (m·kgf/rpm)
16/5000 (A), 15,4/4.250 (G)
Formação de mistura
Injeção eletrônica seqüencial no duto
TRANSMISSÃO
Câmbio
Transeixo robotizado de 6 marchas + ré, duas embreagens, trocas manuais por botão na alavanca, tração dianteira
Relações das marchas (:1)
1ª 3,917; 2ª 2,429; 3ª 1,436; 4ª 1,021: 5ª 0,867; 6ª 0,702; Ré 3,507
Relações do diferencial (:1)
4,105 (1ª, 2ª, 5ª. 6ª) e 4,588 (3ª, 4ª e ré)
SUSPENSÃO
Dianteira
Independente, McPherson, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
Traseira
Eixo de torção, mola helicoidal e amortecedor pressurizado
DIREÇÃO
Tipo
Pinhão e cremalheira, assistência elétrica
Diâmetro mín. de curva (m)
10,1
FREIOS
Dianteiros
A disco ventilado
Traseiros
A tambor
Controle
ABS, EBD e assistência à frenagem
RODAS E PNEUS
Rodas
Aço, 6J x 15
Pneus
195/55R15
CONSTRUÇÃO
Tipo
Monobloco em aço, hatchback 4-portas, 5 lugares, subchassi dianteiro
AERODINÂMICA
Coeficiente de arrasto
0,33
Área frontal (calculada, m²)
2,316
Área frontal corrigida (m²)
0,764
DIMENSÕES (mm)
Comprimento
3.969
Largura (com/sem espelhos)
1.978/1.787
Altura
1.464
Distância entre eixos
2.489
CAPACIDADES (L)
Porta-malas
281
Tanque de combustível
51,6
PESO (kg)
Em ordem de marcha
1.126
DESEMPENHO
Aceleração 0-100 km/h (s)
12,3 (G), 12,1 (A)
Velocidade máxima (km/h)
190 (G e A))
CONSUMO
Cidade, km/L (L/100 km)
11,4 (G), 7,9 (A) / (8,8 G, 12,6 A)
Estrada km/L (L/100 km)
13,9 (G), 9,9 (A) / (7,2 G, 10,1 A)
CÁLCULOS DE CÂMBIO
v/1000 última marcha (km/h)
37,8
Rotação a 120 km/h últ. marcha
3.170 rpm
Rotação à vel. máxima/marcha
6.200 rpm / 5ª


 

155 comentários :

  1. Menos, Keller, menos, he, he! Você quer desculpar o pouco espaço traseiro do New Fiesta, tudo bem, mas comparar com o Mustang...aquilo vendeu não APESAR do pouco espaço traseiro, mas sim por ser uma das coisas mais absurdamente lindas que já se desenhou sobre rodas, além, claro, da proposta diferente.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, ele não comparou o produto Mustang com o produto New Fiesta. Ele mencionou esta análise pelo fato de serem carros compactos, cada um à sua época, mas com espaço interno maior que os não-compactos.

      Abraço

      Excluir
  2. E sobre o acabamento Arnaldo, você acha que houve pioras significativas em relação ao antigo mexicano? Meu maior temor era de que o acabamento do nacional ficasse ruim como o do EcoSport, cheio de falhas, e uma visita rápida em uma concessionária, não pude reparar se houve uma grande queda no nível. Em uma convivência mais prolongada, como a do teste, teria sido ideal para reparar as diferenças.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Davi, não sou bom observador desse quesito, confesso. É melhor tirar suas conclusões com sua própria observação.

      Excluir
    2. Comprei um Titanium e estou adorando. N vi piora no acabamento. A unica coisa é a troca do emborrachado pelo plastico duro, algo que para mim n influencia em nada.

      Excluir
  3. O melhor compacto que a Ford já fabricou no Brasil,quem compra-lo,terá certeza de estar adquirindo um excelente carro,pois é moderno,motor de alumínio,como tem de ser,leve,ágil,econômico,e o Top com esse câmbio de 6 marchas,precisa dizer mais.....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OLá Anônimo29/05/13 12:48, por um acaso seu nome é César Urnhani? Sua fala me lembrou o AutoEsporte de domingo...

      Carlin Mineirin

      Excluir
    2. Auro Esporte, não. O nome é AutoJabá. Tudo lá é jabá. Até uma bicicleta quebrada se transforma em um veículo perfeito no programa.

      Excluir
    3. O programa pode ter seus erros, mas não tem nada de jabá ali. São ações comerciais e isso é devidamente informado ao final. Sejamos justos.

      Excluir
    4. E qual a diferença Bob da ação comercial para o Jabá?

      Excluir
    5. a Auto esporte na Tv tem mais propaganda do que o programa em si. Até nem tenho visto mais por este motivo. Quer informação muito mais completa, é só entrar aqui neste blog.

      Claudinho

      Excluir
  4. O mexicano também tem velocidade máxima limitada?

    ResponderExcluir
  5. Arnaldo,
    Tempos atrás vc fez um comentário sobre a característica negativa do acelerador eletrônico do atual Focus ser muito abrupto, inclusive dando uma falsa impressão e consequente decepção de que subiria de giro com o mesmo ímpeto inicial. No Fiesta vc sentiu essa mesma característica? E esse motor sigma, é um bom girador?

    Grande abraço.

    Por coincidência estava eu a caminhar hoje de manhã em frente a um estacionamento e comecei a pensar no novo Fiesta. Dos compactos com motor de 1,6L é o que parece mais me agradar, na mesma linha das impressões do Arnaldo. Mas eu escolheria o câmbio manual. E, ora, para quem quer/precisa de espaço no banco traseiro, o que não falta é opção interessante de sedã compacto no mercado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caio, o acelerador é progressivo, suave, bom de dosar. Nada a ver com o Focus, ao menos o de 2 anos atrás. O novo Focus não sei como está. O motor é girador, sim. Ótimo.

      Excluir
  6. Antônimo do anônimo29/05/13 13:24

    Excelente matéria, excelente vídeo(precisamos de mais vídeos longos como este), e eu também, fico na curiosidade pelo 1.5, que seria a minha opção na faixa de preço dos 40 a 45k, na qual deve se situar meu novo carro...

    ResponderExcluir
  7. Acho que seria perfeito se o comando sequencial fosse pela alavanca e não pelos botões na mesma.

    De resto, que belo carro parece ser; e me parece que os dados de desempenho são bem subestimados em relação a aceleração...outras marcas (não conto qual para não ser censurado), emoldurariam esse quadro técnico com números de 8s de 0 a 100 (rs!).

    MFF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho um veículo da "malfadada marca" otimista, e o 0-100 declarado do meu veículo 1.6 com 30 cv a menos que o Fiesta (e praticamente o mesmo peso) é 1,5s mais rápido... Ford pessimista demais ou é a "minha" marca muito otimista? Acho que um misto dos dois.

      Excluir
    2. e o q isso tem haver?
      Galera quer carros com potencias altas, que façam 100km em poucos segundos, mas esquecem q o uso normal é no transito atolado de carros e buracos....
      Vai entender.

      Excluir
  8. E na questao de resposta em baixas rotaçoes, creioq seja o melhor nacional nisso... No 1.6 claro. Se colocar 4ª marcha em 2000 giros há resposta rapida e sem trepidaçoes?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anonimo, se fizer isso e pisar fundo o câmbio reduz. Não há trepidações, seja em qual situação for.

      Excluir
  9. Excelente o filminho! Poderia ser padrao nos testes de voces.
    Belas esticadas entre 160/180km/h hein !

    ResponderExcluir
  10. Achei estranho ,a Ford não costuma adotar barra de torção .
    "Frente inspirada nos Aston Martin, tal qual o novo Fusion"
    A Ford assim como outras fabricantes esta usando desenho semelhante a toda a sua linha,não que eu ache isso ruim,mas acho que poderia fazer igual a Renault e tentar produzir carros com desenho diferente um do outro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Junior Antonini31/05/13 09:17

      Speedster, no Brasil, a Renault tem desenhos diferentes porque vende carros da Dacia: Sandero, Logan e Samsung: Fluence. Os únicos genuínos Renault são Clio e Megane Grand Tour. Só por isso. A linha européia deles também adota um padrão visual.

      Excluir
    2. O Fluence é o Megane III, Renault portanto. Veja o painel, veja o para-lama.
      Nesta geração optaram por um desenho e nome diferentes no três volumes.

      Na Coréia o Fluence foi lançado primeiro como Samsung, da mesma forma que o Sandero foi lançado primeiro no Brasil como Renault. Questão de adequar investimento ao timing, não de origem de produto.

      Carlos

      Excluir
  11. No primeiro Focus a Ford diminuiu a potência nos automáticos, no fim das contas a troca em giro inferior tem o mesmo efeito. Seria interessante ver o gráfico de curva de potência. Mesmo com o câmbio no modo Sport a rotação de troca de marchas era a mesma?

    Cristiano

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falou tudo Cristiano...o tempo é o mesmo de 0 a 100...

      Excluir
    2. Cristiano, no Sport troca no mesmo giro.

      Excluir
  12. Respostas
    1. Marcelo,
      Sim, tem, tipo VW/Audi, com pé no freio a embreagem fica aberta para não desgastar discos, soltou o pedal ela fecha.

      Excluir
    2. Não é tipo VW/Audi...TODOS dupla embreagem fazem a mesma coisa.

      Excluir
    3. falando em efeito creeping, duas dúvidas:
      1) esse efeito é natural de um câmbio automático, em virtude de sua construção e funcionamento, ou é uma funcionalidade introduzida nos câmbios automáticos?
      2) no caso de a resposta à pergunta 1 ser que é uma funcionalidade introduzida, qual é a finalidade?

      Excluir
    4. É efeito natural dos conversores de torque dos câmbios automáticos, introduzido nos robotizados de duas embreagens mas não em todos de uma só, caso do ASG da Volkswagen e do Dualogic (tem no Dualogic Plus).

      Excluir
    5. Também tenho a mesma duvida do Marcelo. O comportamento é como nos automáticos,ou seja, tirou o pé do freio em D o veiculo se movimenta?

      Excluir
    6. Parabéns pelo ótimo post! Se não fossem os #$**#* que obrigaram o pessoal adotar a liberação dos comentários posterior a analise. O único porém de liberar os comentário depois é o que aconteceu agora comigo. Tive uma duvida que já estava muito bem respondida acima... mas não pude ver pois ainda não estava liberado o comentário. Desconsidera a pergunta por favor. Obrigado.

      Excluir
    7. Uknown,

      Até onde sei o creeping dos câmbios automáticos auxiliar muito na hora de manobrar (tal qual utilizar "meia embreagem" nos câmbios manuais), além de ajudar a segurar o carro parado em aclives.

      Excluir
  13. Barbaridade, que trabalho bem feito nesse carro!

    Empolgante a tocada no modo Sport.

    Motor girador mesmo. Qual seria a r/l dele?

    Abraço!

    ResponderExcluir
  14. "...até aí tudo bem, já que o Mustang, quando foi lançado em 1964, também tinha esse problema e mesmo assim foi um tremendo sucesso. O mesmo ocorreu com o Maverick aqui..."

    AK, permita-me fazer duas observações.
    Primeira, há um bom tempo falta ou excesso de espaço interno não é mais sinônimo para fracasso ou sucesso. Estão aí Smart, Fiat 500 e Mini para provar mais do que o necessário o quanto isso é verdade. Ainda mais nas grandes cidades onde em 90% do tempo, 90% dos veículos rodam somente com o motorista.
    Segunda: o Maverick nunca fez um tremendo sucesso aqui no Brasil. Ele faz sucesso hoje (e a Ford não ganha nada com isso), mas na sua época, foi totalmente recriminado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Creio que o único Maverick que fez sucesso "ontem", é o mesmo que faz sucesso hoje: o GT V-8 (agora não me recordo se houve GT com outro motor, como no caso dos Opala SS-4 e SS-6). O resto, é tratado como resto mesmo. Em tempo: devo ser o "um" entre o "milhão", que não tem no GT seu Maverick preferido. Adoraria ter o mais careta deles, o quatro portas na configuração banco dianteiro inteiriço e alavanca de câmbio na coluna de direção.

      Excluir
    2. Então somos dois.
      Certa feita me ofereceram um Super Luxo, V8 4 portas com câmbio automático de coluna. Um sonho.
      Existiu GT 4 cilindros, 78 e 79.

      Excluir
    3. Eu nem faria questão que fosse automático, CSS. E era mais uma dúvida que um esquecimento, sobre haver GT que não fosse V-8. Obrigado por confirmar. Em tempo: qual a razão de não ter ficado com o "sonho"?
      Abraço.

      Excluir
    4. CSS, minha mãe teve um Maverick e eu achava o máximo. Taí! Pra cima de mim ele fez sucesso.

      Excluir
    5. Maverick lindão é 4 portas mesmo. E mesmo assim era apertado atrás.

      Excluir
    6. Mr. Car , CSS João e qualquer sacristão que pronunciar a heresia de achar o Maverck 4 portas mais bonito que o Coupe
      Tenham santa Paciência!!!

      Excluir
    7. Pois é, Mr. Car.
      Foi mais ou menos como a história do Arnaldo e seu XK120.
      As prioridades da vida eram (são...) outras e eu não dispunha do valor pedido pelo proprietário. Mas era um belo exemplar.
      Se o dono do blog permite, deixo-te o link da foto de um belo exemplar de GT 4 cilindros, com a inscrição original 2.3 L OHC.
      http://2.bp.blogspot.com/-tx7uL7ZTgkM/TeBFHHecbOI/AAAAAAAABBI/pZGnySo93m8/s1600/Maverck+GT+4.jpg

      Excluir
  15. 1) Gostei da dupla relação de diferencial e de propositadamente terem posto a sexta com a relação (pouca coisa) mais longa. Boa notícia saber que vai a pouco mais de 3 mil rpm a 120 km/h;

    2) Porém, em parte por males do flex, esse consumo está meio alto mesmo com gasolina. Já era para os carros atuais fazerem mais de 15 km/l na estrada sem maiores esforços, ainda que A no Inmetro. Tudo bem que a medida do instituto em questão é propositadamente pessimista, mas ainda assim fica a impressão de que não teremos quilometragens por litro muito melhores que as divulgadas;

    3) Arnaldo disse algo interessante sobre o carro não estar erguido e mesmo assim não pegar o fundo em terrenos ruins. Fica-me a impressão de que investiram em posicionamento de órgãos mecânicos, de maneira a evitar, por exemplo, um silencioso que esteja posicionado excessivamente abaixo do assoalho;

    4) Vendo a ficha, notei que seu Cx de 0,33 é o mesmo do Etios hatch, sendo que o Fiesta teoricamente tem uma forma mais adequada para cortar o ar. Fica-me a impressão de que a Ford não embutiu um número grande de trapaças aerodinâmicas no desenho que lhe permitissem baixar uns pontinhos. Quem sabe em um Fiesta Mk7 tenhamos as tais trapaças em profusão e quem sabe o Cx indo para 0,30. Aliás, essas trapaças estão aumentando sua popularidade, vide o Mercedes CLA marcando apenas 0,22 sendo que seu desenho geral não difere muito daquele de um Classe C;

    5) Outra surpresa é ver o quanto que estão se popularizando em carros mais baratos as vedações duplas nas portas. Já as vemos no Fiesta, mas também no Onix e no HB20. Talvez as estejam adotando por tornarem um arrombamento por entortamento de porta mais difícil (vide Uno original e Corsa B, que tinham também o agravante de um vão de porta que permite no mínimo meter uma falange inteira e firmá-la para proceder ao entortamento), o que barateia o seguro;

    6) De fato, como já disse o Arnaldo, o espaço traseiro do Fiesta é problemático. Não sei o que deu na cabeça do pessoal da Ford para não fazerem um banco traseiro mais amplo, ainda mais que um carro feito sob a diretriz One Ford teoricamente teria de reunir os melhores atributos em cada quesito, o que significaria aqui que a intervenção dos engenheiros brasileiros, quando o projeto ainda estava em seu estilo original, deveria ter proporcionado o tanto de espaço interno e porta-malas que os carros pequenos nacionais costumam ter (uma vez que programados para que sejam o único carro de uma família que não tem como adquirir outro). Na versão sedã, há o agravante de o teto cair ainda mais rente sobre a cabeça dos ocupantes e mesmo alguém abaixo de 1,70 m ver sua cabeça perigosamente perto do forro;

    7) Gostei dos 10,1 m de diâmetro de giro, ainda mais pensando que o carro calça pneus de 195 mm de largura e rodas de aro 16. Tudo bem que alguns lembrarão que é a mesma medida do Omega A, mas aquele carro era excepcionalmente bom nesse quesito para algo grande e tinha a tração traseira favorecendo a que se conseguisse maior grau de esterçamento. Como aqui falamos de um carro pequeno de tração dianteira e desfavorecido por rodonas e pneus largos, vamos considerar que conseguiram um bom compromisso (ainda que eu considere mostra de bom projeto um pequeno que tenha menos de 10 m nesse quesito).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O item 6 do Anônimo 14:55 matou o carro. Podem ver que não vende. É inadmissível um carro do século XXI com este aperto.

      Excluir
    2. João Guilherme Tuhu 29/05/13 21:35

      O pior de tudo é que se pensarmos que aqui no Brasil há muito talento acumulado na arte de fazer um carro pequeno servir bem a uma família e ser o único na garagem, é um desperdício sem tamanho não o terem utilizado para fazer o Fiesta Mk6. Se para brasileiros já é um problema aquele banco traseiro apertado, imagine para povos com maior média de estatura.
      Dessem aos brasileiros a parte do projeto concernente a medidas internas, com certeza teríamos um Fiesta mais espaçoso tanto no habitáculo quanto no porta-malas. Isso tudo só ajudaria a agregar atributos para o modelo, uma vez que ninguém ligaria de ter um carro pequeno com acabamento de padrão europeu e espaço interno de padrão brasileiro.

      Porém, já que a Europa entrou na onda de desperdiçar medidas (vide carros médios com 4,3 m de comprimento e médios grandes com mais de 4,7 m de comprimento que não são mais espaçosos que antecessores na casa de 4,1 a 4,2 m e 4,4 a 4,5 m, respectivamente), resolveram desperdiçar 3,96 m com um banco traseiro problemático e um teto que cai na cabeça dos passageiros de trás.

      Excluir
    3. Disseste tudo, anônimo. A Ford deu um tiro no pé.

      Excluir
    4. mesmo apertado no banco de traseiro, está vendendo bem. Para solteiros como eu, é um carro pratico, agil, compacto e econômico.
      Comprei o top e estou adorando, mesmo que os preços no país sejam altos.

      Excluir
  16. ...AK.
    Esse exemplar da placa FHU-4758, é de frota de imprensa? Ontem ele estava aqui perto da minha casa (no RS) com um jornalista da televisão local.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CSS
      Sim, frota de imprensa. Devolvemos o carro na 5 feira passada.

      Excluir
    2. Filipe_GTS29/05/13 17:37

      Sempre noto essas placas também.
      Esses dias um cara aqui de SC comprou um Gol "G6" Power completo de tudo, com todos opcionais, baixa quilometragem (menos de 10.000 rodados).
      Letra inicial da placa "F" (lembrando que SC é M ou L).
      Falei: tá na cara que é da frota de imprensa.
      Não deu outra, na mesma loja tinha mais alguns (devem ter comprado de leilão).
      Vendo alguns testes, notei que os Gol da época do lançamento tinham todos placas assim.
      Por mais que esses carros passem por avaliação criteriosa antes de entregar pros jornalistas, creio que alguns destes façam os mais diversos tipos de testes com os carros... Pra mim é tipo carro de locadora.

      Excluir
    3. Essas são as iniciais que estão sendo emplacados os carros em São Bernardo do Campo ,onde estão as fábricas da VW e Ford..O que não significa que todo carro com placas FHU é da frota da marca.

      Excluir
  17. Nada a ver com o post ,mas acho que o cofre de alguém vai engordar, vejam a noticia :
    http://www.estadao.com.br/noticias/geral,juiz-manda-criar-inspecao-veicular-em-128-cidades-de-sp,1036409,0.htm

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou do Vale do Paraíba. Querem fazer essa joça de inspeção em cidades com menos de 15 mil hab. Espero que o MP, sempre fraco, inútil e inoperante quando precisamos deles, seja igualmente fraco nesse caso, pelo menos.

      João Paulo

      Excluir
    2. Lorenzo Frigerio29/05/13 17:14

      Criar inspeção em todo estado através de liminar é a coisa mais absurda e insustentável que se pode fazer. Não dou uma semana (por causa do feriado) para ela cair. Sem ser advogado, já dá para dizer que só uma lei ordinária pode criar essa inspeção.

      Excluir
    3. Lorenzo, o pior é que há lei nesse sentido: o CTB, art. 124, XI, prevê a inspeção veicular:

      "Art. 124. Para a expedição do novo Certificado de Registro de Veículo serão exigidos os seguintes documentos:
      ...
      XI - comprovante de aprovação de inspeção veicular e de poluentes e ruído, quando for o caso, conforme regulamentações do CONTRAN e do CONAMA."

      Só depende da regulamentação dos dois órgãos mencionados no inciso para ser aplicado onde quer que seja.

      Excluir
  18. Agora entre o new fiesta e o Pug 208, da uma briga boa hein???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniel,
      Realmente, dá mesmo.

      Excluir
    2. essa é minha grande duvida.
      Porém no caso do peugeot e pegaria o griffe manual, e no caso do new fiesta pegaria o automatizado.
      Pra mim o pug esta muito bem servido no interior e equipamentos, ja o que pesa muito pro new fiesta é o motor mais moderno que com uma cavalaria de dar inveja nos 1.6 VHT...
      Vocês que tambem dirigiram o 208 manual, em comparação ao patamar do Nfiesta, ele se comporta bem? Ou realmente o curso longo do cambio e a relação longa de marchas deixa a desejar?

      Excluir
  19. Você estava andando com alguma janela aberta?
    Percepção de muito barulho interno.

    Esse câmbio é o mesmo princípio que os DSG da VW? Achei ele bem interessante, se comparado com os robotizados, que acho uma porcaria.

    Parabéns pela matéria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É exatamente o mesmo princípio do DSG. A diferença é que essa transmissão usada pela Ford é de projeto Getrag, enquanto a da VW é de projeto Borg Warner.

      Excluir
    2. Anônimo,
      O post é do Arnaldo, mas respondo à segunda pergunta. Sim, é a mesma arquitetura do DSG da VW.

      Excluir
  20. Bob,

    Não entendi o motivo de o câmbio PowerShift não permitir que se chegue à rotação de potência máxima. Seria incompetência ou idiotice por parte dos engenheiros?

    O Dualogic agrada bastante nesse ponto, pois no modo manual permite que se chegue a rotação de corte do motor, não passando a marcha superior automaticamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Douglas
      O post é do Arnaldo, mas posso responder. Nem eu entendi por que a programação do câmbio não deixa o motor chegar à rotação de potência máxima, muito menos à rotação de corte. Completamente absurdo, erro primário.

      Excluir
    2. Porque a segunda é engatda com o giro menor e consequentemente preserva o conjunto. E não muda nada no 0 a 100....é só ver a curva de torque e potencia...se a 6100 ou 6700 a potencia é a mesma, para que segurar?
      Todos os DSG/PDK e afinas de dupla embregaem tem limitador de torque e potencia nas primeiras marchas...
      Eric

      Excluir
    3. É para a proxima marcha ser engatada em um giro inferior...e preserva o conjunto.

      Excluir
    4. Lorenzo Frigerio29/05/13 17:17

      Imagino que isso tenha a ver com o proporcionamento de cada marcha em relação à anterior, para que cada nova marcha já comece num giro predeterminado, levando ainda em conta outros fatores, como a resistência do vento com o aumento da velocidade.

      Excluir
    5. Antônio martins29/05/13 20:55

      1) Um câmbio que não permite usar a rpm de potência máxima, e;.

      2) Quem conhece um mínimo de como dar máximo desempenho, sabe que deve-se fazer as trocas de marcha a até em média 10% a mais da rpm de potência máxima.

      Não sei se é erro primário como diz o Bob, ou tentaram preservar a longo prazo câmbio/motor.

      Acredito que não tenha relação com a caixa, mas fica a pergunta. No Audi A1 que o senhor andou - também de embreagem a seco - também era assim?

      Excluir
  21. E eu ainda to querendo ver a avaliação do Punto 1.6 16v.

    ResponderExcluir
  22. Pelo preço, faltou as borboletas no volante, ergonomicamente, infinitamente melhor.
    Acho este carro bacana, mas é muito caro pelo tamanho e pelo que oferece em acabamento.
    A Ford teve uma bela de uma oportunidade de transformar este New Fiesta em um líder de vendas dos compactos, substituindo o velho Fiesta por este, é claro, colocando o preço dele. Este carro é um compacto, pura e simplesmente, deve se esquecer esta "estória" de Compacto Premium e o colocar em um patamar que não é o dele, com preços de médio na versão completa. Este carro é minúsculo, vide na filmagem, como um cara de 1.80m ficou no banco traseiro.
    O motor ficou muito bom, principalmente nesta versão, com comando de corrente e muita tecnologia.
    Vamos ver a durabilidade deste motor, se realmente aguenta, não faz como os novos 1.6 e 1.0 da Volks, que são de vidro.
    Parabéns pela matéria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O DS3, o mini, acho que são compactos "premium". O Fiesta, bom é um fiesta... é um compacto segundo nossos padrões e nada mais. Bonitinho, interessante (fora coisas como freios do tipo tambor traseiros, por favor, nessa faixa de preço), mas é um compacto comum...

      Excluir
  23. Amigos, as rodas são de diâmetro 15" e não 16". Resumindo Belo Post...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 29/05/13 17:13
      De fato. O erro foi meu, que compilo as fichas técnicas, não do Arnaldo. No Titanium é que é aro 16. Quase não há diferença em raio dinâmico, 1% menor com o aro 15. Os dados de rodas e pneus e os cálculos de câmbio foram corrigidos na ficha técnica, números são praticamente iguais. Obrigado pelo alerta.

      Excluir
    2. OK, Capacidade! É pq já estou "de olho" nesta versão... Só a titulo de informação as rodas são de liga e não de aço, nesta versão. Fiquem com Deus...

      Excluir
  24. Lorenzo Frigerio29/05/13 17:20

    Acho incrível que um automóvel dotado de tantas soluções "high-tech", como comandos variáveis e câmbio robotizado, possa ter algo tão jurássico como freios traseiros a tambor. Aliás, já notei que os carros da Ford costumam ter freios bem "econômicos" para o tamanho dos carros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece Hyundai, saí dessa Ford!

      Excluir
    2. Lorenzo, creia, os a tambor na traseira são perfeitamente satisfatórios.

      Excluir
    3. Não tem problema, até porque os freios traseiros precisam de menos potência do que os dianteiros.

      Excluir
    4. Lorenzo,

      Das experiências que tenho com os Fords modernos, nunca reparei em qualquer insuficiência de frenagem, pelo contrário, são sempre muito bons!

      Não vejo porque deva haver este preconceito contra os freios traseiros a tambor. Se houver boa margem de segurança contra o fading, boa modulação no pedal e boa potência de frenagem, não há do que reclamar.

      Excluir
    5. Lorenzo, lembra da "masturbação técnica"? Freio a disco na traseira num carro como o Fiesta seria algo do tipo. Dificilmente esse freio traseiro vai sofrer de "fading". Embora seja cada vez mais comum 4 discos mesmo em carros pequenos, o tambor no freio traseiro do Fiesta não deixa o carro menos seguro.

      Excluir
    6. Corsário Viajante02/06/13 18:17

      Entendo o argumento técnico, mas porque não pode ter? Meu Polo 2009 tem, pq um carro "premium" de 2013 de mais de cinquental mil reais não pode ter?
      Poxa, entendo soluções mais simples em carros mais simples, mas é como o vidro a manivela...

      Excluir
  25. Tanta tecnologia para um consumo tão modesto?
    Andaram economizando em alguma coisa aí!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu achei estranho também, pelo fato de ser 6 marchas, mas a 120km/h estar a 3200 RPM, pelo que falou no vídeo...é um câmbio meio "curto".

      Excluir
    2. Corsário Viajante29/05/13 21:18

      Pois é, tbm achei curta por ser a sexta marcha.

      Excluir
    3. Corsário e Anônimo
      Acham a sexta curta? Num carro de motor 1,6? Estar a menos da metade da rotação de potência máxima a 120 km/h? Não acho. Em 5ª nem atinge rotação de potência máxima à velocidade máxima..

      Excluir
    4. Poderia ser bem melhor, no New Fit automático de 5 marchas a 120 reais está a 2600 rpm. Tá certo que a rpm de potência máxima é a 6000 rpm, mas a versão 1,5 de comando bravo (6600 rpm na máxima com 120 cv) - que o Brasil exporta pra Argentina - o câmbio é o mesmo.

      Por ser um câmbio de 6 marchas poderia ser melhor. Mas já está tudo errado mesmo - motor que não chega à máxima (sic) - quem tá ligando pra isso?!

      Excluir
  26. Andei no Fiesta Titanium c/Powershift do test-drive. A única coisa que não gostei (além do preço, pra ser óbvio) foi do banco relativamente curto. Mas tirando isso, é um carro muito agradável de dirigir. Provavelmente será o próximo carro que comprarei, mas com câmbio manual.

    ResponderExcluir
  27. Alguém poderia informar a r/l desse motor?

    ResponderExcluir
  28. Já andei, como passageiro, em Gol bola turbo de bem mais de 300 cv que tinha freios slotados na dianteira e traseiros a tambor, e freava muito bem a mais de 180 km/h. O freio traseiro sempre deve ser mais fraco que o dianteiro.

    McQueen

    ResponderExcluir
  29. Antônio martins29/05/13 19:42

    Fiz um "test-drive" num igual a esse, SE. Minha mãe foi junto, ela não tem lá muita mobilidade, achou falta da alça de teto. Achei que pelo fato das bolsas de cortina não daria pra ter alça. Mas não tem nada haver.

    E o espelho esquerdo é plano.

    Os caras fazem economia em tudo.





    ResponderExcluir
  30. Dos compactos premium, este é o carro a ser batido no momento... acredito que vá roubar clientes preciosos de C3 e Punto..... bem agressiva a estratégia da Ford... a única coisa que não gostei é que preferia a frente do mexicano.

    Abs

    ResponderExcluir
  31. Olá, Arnaldo! Muito legal o vídeo-teste (deu para sentir bem o carro). O carro é bacana mesmo e parece ser muito bom. Gostei! Quero pedir, para que os leitores de o Autoentusiastas tenham uma comparação de igual para igual, de você fazer um teste num Peugeot 208 automático. Muitos leitores, assim como eu, sentiram que o blog AE está devendo um teste drive mais minucioso no 208, pelo menos para igualar a esse teste feito no New Fiesta. Parabéns mais uma vez pelo vídeo! O AE é o melhor site de carros do Brasil. Abraços a todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seria muito bom o AE fazer um tête à tête com os dois carrões automáticos! Que o leitor julgue o melhor.

      Excluir
  32. Parece mesmo ser um carro de entusiasta, motor girador e câmbio robotizado que faz o serviço a contento. Tudo bem que 190 km/h é velocidade pra caramba, nem mesmo em Interlagos usa-se tudo isso, mas me incomoda o fato de ser limitada. Deixe a cavalaria trabalhar solta à vontade! Estranho o fato de o câmbio PowerShift não permitir que o motor vá sequer até a rotação de potência máxima.

    ResponderExcluir
  33. Arnaldo,
    A título de curiosidade: você sabe dizer se o ABS já é o de nona geração? Você fez a comparação com o atual Focus, tal qual o da mamis? Em que aspecto exatamente você o achou superior em curvas?
    Valeu pelo vídeo.
    Avatar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Avatar, nas de alta eles fazem juntos, mas nas de baixa o Fiesta me pareceu mais rápido. São impressões. Não estavam juntos, não desci de um e montei no outro. São só impressões. "Menos bom" que o Focus ele não é, disso sei. E olha que o Focus está entre os melhores.

      Excluir
  34. E palmas para a Ford, que teve a confiança de oferecer um carro rec-em lançado para avaliação do AE. Já a HMB... há meses espero a avaliação do NB20 3 cilindros.

    ResponderExcluir
  35. Belo carro, ótimos motores, o Powershift como novidade, preços razoáveis. Repuseram o marcador de temperatura no painel, ufa! Ponto a favor.
    Ponto contra: é apertado demais. Parece carro dos anos 80. Para essa moçada de hoje, grandona, não vai resolver. O espaço pra cabeça e pernas é mínimo.
    Resumo da ópera: não compraria. Chega de aperto.

    ResponderExcluir
  36. Corsário Viajante29/05/13 20:59

    Gosto das avaliações aqui do AE, sem aquelas chatices de lambedor de painel ou de alisador de vincos.
    Estou gostando muito deste fiesta, em especial na versão titanium, com o que aparenta ser excelente conjunto motor-câmbio e bastante equipamentos de segurança.
    Se a titanium fosse uns cinco mil mais barata, arriscava a ir numa ford conhecer de perto. COmo não é, vou empurrando com a barriga com meu Polo atual.

    ResponderExcluir
  37. Essa foi de doer, não atingir a rotação de potência máxima...

    Será que foi coisa de engenheiro brazuca?

    Depois falam que Chinês é quem não sabe fazer carro...

    Claro que vocês não vão publicar isso, né?

    ResponderExcluir
  38. O problema é que com essa onda flex com motores que funcionam com qualquer porcaria no tanque as fábricas adotam como proteção uma mistura rica, só que com isso perde-se muito em autonomia e também potência pois a mistura estequiométrica não é perfeita. Inclusive o próprio mecânico da FORD me disse isso, e em alguns casos como carros com motor rocam 1.6 flex para passar nas normas antipoluição a I.E. foi alterada para empobrecer a mistura até 4000rpm e depois engorda de novo. Por isso muitos modelos mono combustível como FOCUS, CIVIC,COROLLA chegavam a 15-17K/L na estrada!!!!!!!

    ResponderExcluir
  39. Ficou muito bacana o vídeo, Arnaldo.

    ResponderExcluir
  40. analisando os hatch nacionais do ponto de vista custo benefício, para a compra do meu primeiro zero kilometro, cheguei as seguintes conclusões, baseadas no meu poder aquisitivo:

    entre punto 1.4 atractive e new fiesta 1.5 eu vou de fiesta 1.5, pois além das qualidades destacadas neste post ele é mais completo que o fiat.

    entre os populares hb20 1.6, onix 1.4, dentre outros, vou de nissan march 1.6 embora ele não tenha abs tem um preço melhor do que a concorrência e um conjunto muito bem acertado e caprichado, desde a mecânica.

    ResponderExcluir
  41. Muito bom o video. Parabéns! Fornece uma noção muito boa do carro e das trocas "macias".
    Ótimo ver que o nosso mercado está evoluindo em qualidade.
    Por outro lado ao entrar no site da Ford americana, vemos o quanto estão na nossa frente. Sem contar o preço né, lá tem a opção Fiesta ST com motor 1.6 Ecoboost 197 hp (200cv), deve ser um foguete e pelo mesmo preço do modelo avaliado... $21k.

    ResponderExcluir
  42. Pessoal do Autoentusiastas, existem previsões de fabricar o New Fiesta Sedan no Brasil?

    ResponderExcluir
  43. Bruno Souza30/05/13 02:20

    O "antigo" Fiesta era tão bom de espaço interno, fácil acesso; maior porta-malas; motor sem manutenção de correia dentada. Fica claro que esse carro mudou da água para o vinho, poderia ser vendido com outro nome pois nem lembra o modelo antigo; não é como um 208, um Polo (pra ficar na categoria) que logo detecta-se a linhagem.

    Tudo bem que em nome do "design" e da "segurança" toda nova geração perde sobretudo em espaço, mas o New Fiesta perdeu demais. Ou melhor, não perdeu nada, pois é outro carro sem ligação alguma com o "velho" Fiesta.

    ResponderExcluir
  44. Bom, será meu primeiro carro! Vou de Titanium, chorar por preço de carro neste pais é chover no Alagado!kkk Pensando bem ha tanto do que chorar neste pais... bom minha unica duvida é, manual ou automatizado? Como será meu primeiro não tenho parametros para nada, nunca dirigi carros automaticos, automatizados ou roboticos, só manuais, sempre no trabalho.
    Parabens ao Arnaldo e a AE, como não entendo muito de Autos estava esperando esta analise de vocês e a opnião da galera aqui que parecem ser bons entendedores do assunto... Não que isso vá ser fator desicivo em minha compra mais, houvir opniões de quem entende sempre ajuda! Ha, e pra vocês por este preço (54 Mil) existem muitas opções de um zero melhor?
    Obrigado!
    Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corsário Viajante30/05/13 11:53

      A melhor opção é aquela de que você gosta e pode comprar...
      Faça test-drive no Fiesta e nos seus concorrentes para tirar a dúvida.

      Excluir
    2. Valew Corsário,
      Ja dei uma olhada neles de perto, 208, c3, New Fiesta, e o que mais me interesou foi o Fiesta Nacional, mais sabe como é... Depois de anos ralando e juntando uma grana, da aquele frio na barriga de fazer uma boa escolha...

      Valew!

      Excluir
    3. Corsário Viajante02/06/13 18:12

      Hehehe te entendo, passei por isso uns anos atrás, tinha um gol pelado de tudo que tinha comprado com meu pai, e fui comprar meu primeiro carro, com meu dinheiro e tal... Realmente é assustador! Eu pensei bastante e acabei comprando um carro que pouca gente gosta, mas que me serve como uma luva. Por isso meu caro, Se o que mais gostou foi o Fiesta e não precisa de espaço atrás e pode pagar... Eu pulava de cabeça! Abs!

      Excluir
    4. JF

      Não dirigi o New Fiesta com motor 1.5, mas deve andar bem e é mais barato. São 111 cv e com o ótimo chão que o carro tem deve fazer um bom conjunto.

      Excluir
    5. Obrigado Corsário e Arnaldo!

      Vou fazer um teste neste 1.5!!! Bom que sobra uma grana!

      Abraços!!!

      Excluir
  45. Bob... Tem que ver com a Ford pois esse motor Sigma ele possui correia dentada e não corrente no comando de válvulas. Depois que fizeram essas alterações de passar para 1.5 e colocar o comando variável no 1.6 não sei se mudaram esse sistema. Lembro que quando foi lançado no Focus o Sigma era correia dentada para 160 mil km.

    ResponderExcluir
  46. Muito boa a avaliação. O vídeo é fantástico, é como fazer um test drive após ver o carro na concessionária, inclusive o motor foi mostrado. Carro que veio para sacudir o mercado, espero que a Ford melhore o pós venda.

    ResponderExcluir
  47. Depois de muitos anos estou vendo algo no segmento melhor que o ultrapassado, porém excelente e injustiçado Polo....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corsário Viajante30/05/13 15:03

      Eu também. Detalhe: tenho um Polo...

      Excluir
    2. Pode me por no bolo também... Gostei demais desse Fiesta. Andei no "chicano" e achei muito bom, as economias que fizeram não afetaram o principal (mecânica), então continua muito bom. Se eu pensar em trocar meu carro, deve ser num desses.

      Excluir
    3. Eu também. Detalhe: tenho um Polo (2)
      Mas o 208 já é melhor que o Polo.

      Ricardo2

      Excluir
  48. Maverick sucesso? Quando? Onde?

    ResponderExcluir
  49. pra mim o melhor da categoria, depois deste teste decidi qual vai ser meu próximo carro.
    excelentes vídeos.
    gostei do motor,nivel de potencia e estabilidade, esse cambio fantástico.

    ResponderExcluir
  50. Estava ansioso esperando essa avaliação para perguntar:

    E agora BOB?!

    208 ou New Fiesta ?

    Abraços,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo,
      O Peugeot, por só um motivo: espaço no banco traseiro. Eu havia notado isso no mexicano É apertado demais.

      Excluir
    2. Grande BOB!

      Nao foge da resposta. Essa foi a minha escolha mesmo.

      To com o 208 desde 17 de abril e gostando muito do carro.

      Nao pela questao do espaço interno (pois nao tenho filhos nem acessórios s.a.), mas pelo lance do volante, posição de dirigir, desing...

      Inclusive é tão bacana de dirigir o carrinho, que optei por voltar ao cambio manual (5 anos depois de andar em um Corolla 03 AT), e tambem pq o cambio de 4 marchas da PUG é muito ultrapassado.

      Imagina se ele tivesse esse cambio da Ford?

      Parabens pelo BLOG!

      Abs,

      Excluir
    3. e como estão as respostas do motor no 1.6 manual?

      Excluir
  51. façam também do fusion titanium e cloquem video tbm muito nom

    ResponderExcluir
  52. Gustavo Borges30/05/13 20:35

    Bob,como voce acha que roda o New Fiesta em estradas de terra?
    nada muito radical,so pequenas vias de terra batida nao muito ruim,pois quando fui fazer um test drive,o fiesta raspava bastante em algumas lombadas mais irregulares

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gustavo, peguei estrada de terra e sem problema algum. Vai mesmo na boa.

      Excluir
  53. Gustavo,
    Dirigi pouco o carro, o Arnaldo é que fez a avaliação, e ele não notou nada anormal nesse ponto. Mas vale o que você notou, claro, e isso indica que a altura de rodagem não foi alterada em relação ao carro original.

    ResponderExcluir
  54. Junior Antonini31/05/13 09:36

    Carro superlativo. Realmente, o lamentável é o corte em rotação tão baixa. Se o Duratec consegue girar 7500rpm sem grandes alterações, esse aí poderia tranquilamente cortar em 7200rpm. Não é nada mais do que o Zetec-S 1.4 em versão 1.6 :D

    ResponderExcluir
  55. Pelo meu ponto de vista:

    -Ao começar e ler e me deparar com isso: 1.153 kg e 130CV pensei, poxa deve ter uma bela aceleração no manual.

    Ai vem o tal do melhor câmbio robotizado, pensei, deve ser bom mesmo, até no robotizado, ok.

    Agora mais pra frente, 12,1 segundo para atingir os 100km/h, ruinzinho demais. Ah no manual deve ser melhor.. Sei sei...

    Bom prefiro o meu carro ainda. A propósito, um Escort Zetec 1.8 16V de 1997, peso de 1150 kilos e potência de 115CV. Como acelera? Prefiro nem falar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. grechejr

      Também tenho um Escort desses...

      Excluir
    2. como se fossemos sempre depender desse 0 a 100.... transito caotico, mal consigo chegar a 50km/h..... vai entender esse povo.

      Excluir
  56. Bob, muito se comenta sobre a troca antes da rotação de potencia máxima. Pergunto: isso pode ser alterado via software, com uma atualização da central eletrônica feita pela Ford?

    ResponderExcluir
  57. Arnaldo gostei demais da avaliação ! Sou leitor assiduo do autoentusiastas , continuem com esse padrão como você o fez dessa vez mostrando os detalhes do carro e depois pisando fundo . Se puderem avaliem para nós com video o Camaro , o atual 300c e o Kia Cadenza por favor .

    ResponderExcluir
  58. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  59. Sinceramente não sou muito fã do site. Frequento diversos sites do gênero e não consigo digerir as opiniões tão fortes dos autores dos textos. De qualquer forma, pra mim é estonteante um texto com tamanha qualidade. Voltado ao público do site (entusiasta), não perde tempo explicando o que não há necessidade de ser explicado (como em revistas). Meus parabéns, Arnaldo Keller, e obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Naufragados, nós aqui é que agradecemos. Obrigado.

      Excluir
  60. Fiz teste drive hoje no Titanium com câmbio Powershift: o carro é sensacional. Muito bem recheado de equipamentos. Acima da média em todos os sentidos. Apertado atrás, mas não digo que é defeito, mas sim que faz parte da proposta do carro.

    Ricardo2

    ResponderExcluir
  61. Só não entendi o motivo do tom de "demérito" do câmbio por este realizar as trocas antes do regime de corte. Se o regime de potência máxima chega aos 6500rpm, porque fazê-lo chegar aos 6750rpm?

    Observe os pontos:

    1) A troca é feita muito próximo do limite de potência máxima (um gap de cerca de 300rpm)

    2) A troca ocorre de modo "instantâneo" porque a marcha seguinte está encaixada e é feita eletronicamente (na teoria, mais rápido do que um humano faria e com probabilidade de erro nula)

    3) São 6 marchas no powershift (o que faz o giro subir mais rápido e alcançar os regimes de maior desempenho).

    Portanto, o esperado é que o powershift acelere mais rápido. Se isso não ocorre, então o dupla embreagem apresenta algum tipo de perda.

    ResponderExcluir
  62. Pedro de Albuquerque15/06/13 20:27

    O preço desse automatizado está no mesmo patamar dos automáticos, esse R$ 5.000,00 foi chute muito alto, no Fit custa R$ 3.000,00.

    Muito bom o conjunto, pena ser um 2+2 lugares.

    ResponderExcluir
  63. Chão (primeiro parágrafo) seria o assoalho?

    ResponderExcluir
  64. Olá gostaria de umas opiniões, qual carro comprariam no valor em torno de 50 mil reais.Pode ser usado ou novo.

    ResponderExcluir
  65. Boa tarde,

    Estou prestes a comprar meu primeiro carro zero e estou muito na dúvida entre o Fiesta Rocam Hatch 1.6 Completo Top de linha que sai por volta de R$ 36.000,00 e o New Fiesta 1.5 2014 liso preço base, mas já com as maiorias das opções de série como freio abs, air bag duplo, ar, trava elétrica, etc por R$ 38.600,00.

    Andei num New Fiesta e fiquei maluco nele. Mas ainda tenho dúvidas se vale a pena pegar o liso e modelo novo vs. modelo antigo e completo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Va de new fiesta, o antigo modelo saira de linha

      Excluir
    2. Pelo amor de Deus Leonardo, fica com o New Fiesta...

      Excluir
  66. Gostaria de comentar alguns detalhes importantes em relação ao câmbio powershift,e que o "Unknown" também colocou:

    1-Os testes de desempenho na aceleração 0-100 km/h dependem muito de até três fatores,que são:combustivel utilizado(álcool, gasolina podium,gasolina comum) e nível(cheio,1/2 tanque ou tanque vazio),CONTROLE DE TRAÇÃO ON/OFF,calibragem dos pneus.
    Ví com os meus olhos um SE 1.6 Powershift com 100% álcool,1/4 da tanque,pneus calibrados corretamente,controle de tração OFF fazer 0-100 em 9,5 segundos.O mesmo carro com 3/4 tanque e 100% gasolina(de procedência duvidosa),pneus descalibrados de propósito e controle de tração ON fazer o mesmo teste em 14 segundos.
    Então,muito relativo.....

    2- O powershit faz a troca da 1° para a segunda em 6200 rpm.Da 2° para 3° em 6500,da 3° para 4° em 6500 e assim por diante.JAMAIS o câmbio deixaria entrar na rotação de corte JUSTAMENTE PELO CORTE e o TRANCO que ISTO PRODUZ.....Seria absurdo você acelerando tudo e o câmbio trocar a marcha com o motor CORTANTO!!!!COMPLETA PERDA DE ACELERAÇÂO SENHORES!!!Isto é ACERTO e não erro primário!
    Que este 1.6 com curso bem curto(curso menor que o diâmetro do pistão) poderia girar a mais de 7000 RPM não tenho dúvida.....,mas para que afinal??Deixa isso para uma versão puramente esportiva,como o ST,infelizmente indisponível por aqui.....

    No mais,parabéns pelos testes.

    ResponderExcluir
  67. Que o carro é cheio de tecnologia embarcada ninguém discorda. Mas minha pergunta é: de que adianta dizer que o powershift é um câmbio moderno frente aos seus concorrentes se o funcionamento dele está sendo massivamente questionado por seus proprietários lá fora onde já está no mercado a pouco mais tempo. É o mesmo câmbio do Focus e ambos, Fiesta e Focus, têm as mesmas críticas, inclusive a ford trocou varias unidades desses carros. Procurem em inglês "new fiesta transmisson problems" e vão constatar. Veja essa por exemplo, de 2011 "Ford quietly replacing Fiesta transmissions on owner complaints" (http://jalopnik.com/5774473/ford-quietly-replacing-fiesta-transmissions-on-owner-complaints) E no Brasil já começaram reclamações desse tipo. Lamentável lançarem o carro aqui sem resolver o problema e alegar que é normal do funcionamento do carro...

    ResponderExcluir
  68. Prezados,

    Estou planejando comprar um New Fiesta 1.6 SE mas estou na dúvida pois nunca tive um carro automático ou automatizado:

    Qual a melhor compra? N.F 1.6 SE manual ou o automatizado? quais as vantagens? O cambio vale a diferença de preço das versões ?

    Conto com a colaboração de todos.

    Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu vou entrar na fila pelo N.F 1.6 SE manual devido as reclamações do cambio automatizado

      Excluir
  69. Alguém pode me ajudar? Estou com um 1.6 Manual (2014) e estou fazendo, com gasolina, a média de 9,5Km/L. Me expliquem uma coisa, por acaso o "Relação das marchas" é o quanto o conta-giros deve estar para eu evoluir a marcha? Desculpem a pergunta, mas é que realmente não sei, e pode ser que eu esteja trocando errado, por isso o alto consumo/L. Vlw abraço

    ResponderExcluir
  70. Parabens pela reportagem/teste. Achei muito esclarecedora. Sugiro colocar a câmera talvez 5 cm acima da posição utilizada de forma que possamos ver a estrada a frente. Acabei de encomendar um 1.6 Titanium com PowerShift. Fiz um test-drive e achei ótimo.

    ResponderExcluir
  71. Arnaldo, a janela estava aberta nesse vídeo?
    Achei um pouco barulhento. O que poderia dizer sobre isso?
    Estou interessado no 1.6 SE, mas ando preocupado com o isolamento interno, pois viajo muito e acharia interessante um carro que a 120 km/h, fizesse menos barulho internamente.
    Esse é o unico ponto que me deixa na dúvida quanto ao New Fiesta.

    Podem me ajudar?

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.