BMW K 1600 GTL: IDEAL PARA LONGAS VIAGENS

Fotos: autor

O motor de seis cilindros em linha, transversal, desloca 1.649 cm³ e rende 160 cv. Quando fiquei sabendo desses primeiros dados do motor, logo me veio a imagem das antigas italianas Laverda e Benelli, e também da japonesa Honda CBX 1000, motos de grande potência para a época, anos 1970, mas cujo motor pesado e com centro de gravidade alto tornavam-nas ruins de ciclística. Portanto, com esse meu antigo preconceito, e olhando para a K 1600 GTL, tive a impressão de que a moto seria pesada e desajeitada para a pilotagem. Mas bastaram alguns metros rodando para sentir que ela é bem mais maneira do que eu esperava; e bastaram algumas centenas de metros para sentir que ela acelera feito as mais fortes speed do momento. Vamos então saber por quê.

Mais uma obra-prima de tecnologia

O motor é mais uma obra-prima da BMW, que parece não cansar de nos surpreender com inovações tecnológicas. O tanque de combustível não é onde ele parece ser. A gasolina é armazenada mais abaixo, pois ali batendo com o nó do dedo escutamos um som oco. Sua bancada de cilindros é inclinada, certamente também para baixar o centro de gravidade da moto, e ele é todo de alumínio, assim como o chassis, portanto, é um motor leve. É o 6-cilindros, dessa faixa de cilindrada, mais compacto e leve do mercado, segundo a BMW. Motor, câmbio e alternador pesam, juntos, só 102 kg. O espaço entre as camisas dos cilindros tem somente 5 mm, o que coopera para que o motor tenha somente 55,6 cm de comprimento, o mesmo que muitos 4-cilindros do mercado. 

Como era de se esperar, por ter maior número de cilindros, seu funcionamento é incrivelmente suave. Parece motor elétrico, de tão lisa que é em rotação baixa. Em alta também praticamente não vibra, o que contribui para uma viagem pouco cansativa. E basta a primeira leve virada no manete do acelerador para sentir uma resposta imediata, uma subida de giro de moto speed. O conceito parece ser a idéia de colocar um motor de moto speed numa confortável e equipadíssima moto estradeira. Ela faz o 0 a 100 km/h em 3,4 segundos, segundo a BMW, que quanto à velocidade final só afirma que "ela passa dos 200 km/h", o que já é mais que o bastante para uma estradeira.

Ela, sem os três bagageiros. Notar a inclinação da bancada de cilindros.
O acelerador tem três modos de condução: Rain (chuva), Road (estrada) e Dynamic (lenha). De primeira saída, na cidade, é bom deixar o modo Rain, mais suave, mais calmo, o que não quer dizer que ela fica mansa, não. Qualquer acelerada basta para que ela saia feito uma bala. Com garupa é bom deixar sempre no Rain, já que nos outros dois modos uma acelerada mais decidida e sem aviso pode deixar a distraída companhia pelo caminho. O leitor que fique certo de uma coisa: nunca, seja lá em que situação for, você desejará mais potência do que a K 1600 GTL tem a oferecer. A 1.500 rpm ela já dispõe de 70 % de seu torque máximo, que é de 17,8 m.kgf, portanto, é mesmo uma tremenda potência logo de cara. Uma pessoa normal e racional diria que é um exagero, mas não como não sou um nem outro acho isso um prazer vulcânico.
 
Os comandos são práticos e de ótimo acabamento 
O acelerador deveria ter mola mais forte
Ela tem controle de tração. Tem mais é que ter. Não tem como não tê-lo. O motor ignora o peso da moto, 348 kg com o tanque cheio, e sobe de giro como se estivesse em ponto-morto. Sem controle de tração, um vacilo numa acelerada traz o chão para juntinho de você. Esse controle pode ser desligado, mas só acho recomendável fazê-lo num autódromo, já que isso é para tocada de máxima atenção e piso totalmente conhecido. A mola do acelerador deveria ser mais dura. Ela é muito branda e as respostas ao acelerador são muito rápidas, poucos graus de torção no acelerador já dão enorme diferença de potência, e isso acaba por deixar nosso punho e antebraços um pouco tensos na cidade. Na estrada, não, tudo bem assim. Na estrada também há o recurso do controle automático de velocidade, coisa que não gosto de usar em motos, já que temo relaxar demais na condução. Só o usei quando momentaneamente precisei tirar a mão direita do guidão. 

Os freios têm ABS. Ao frearmos somente o dianteiro ele também freia o traseiro, mesmo que você não pise no pedal do traseiro. Ao frearmos o traseiro ele só aciona o traseiro. Gostei da solução.

A suspensão, de sistema Paralever na traseira e Duolever na dianteira, tem ajuste eletrônico de dureza. Ela, mesmo no modo mais “soft”, macio, é um pouco dura, mas isso é característica boa, que lhe dá uma tocada mais esportiva que as concorrentes do segmento; é mais ágil para as manobras evasivas e também para as manobras esportivas, e sua ciclística é excelente. A moto se torna leve, fácil de tocar.
 
Suspensão dianteira Paralever
Fiz uma pequena viagem de 150 km com ela numa manhã de domingo. A bolha pára-brisa tem sua altura regulável, eletricamente, através de um botão no manete esquerdo, e logo achamos sua posição ideal para as condições. Com ele podemos rodar com a viseira do capacete aberta. Não peguei chuva, mas ele em sua posição mais alta certamente nos abrigará de chuva leve na estrada. Os manetes e o banco podem ser aquecidos. O banco é amplo e muito confortável, e entre o assento do piloto e o do garupa há um providencial degrau que nos escora nas aceleradas. Quando colocamos o bagageiro traseiro, o (a) garupa tem um encosto para as costas, o que lhe proporciona uma viagem mais descansada. Há também dois outros bagageiros, um de cada lado. Para rodar pela cidade tirei os três.

Conforto não falta
O galho é que o motor é tão potente, empolgante e suave, a estabilidade, tanto direcional como em curvas, é tão boa, e a bolha é tão eficiente na proteção do vento, que se o piloto der bobeira estará a uma velocidade com a qual pode não estar acostumado sobre duas rodas. Sendo assim, cuidado. Não é moto para motociclista de primeira viagem. Não é mesmo. A K 1600 GTL é moto para experientes, além de exigentes, e que podem pagar R$ 108.500,00 por ela.

Ela tem sistema de som. Na cidade funciona que é uma beleza. Dá, sim para escutar as notícias pelo rádio e dá sim para escutar de modo agradável as músicas do pen drive. 

Se eu fosse fazer uma longa viagem de moto e quisesse o máximo conforto em alta velocidade, desconheço outra moto que possa oferecer tanto conforto aliado a velocidade quanto esta.

As seis bocas são para que saibam que ali tem um  6-cilindros...

AK



FICHA TÉCNICA BMW K 1600 GTL


MOTOR
6 cil. em linha, transversal, DOHC 24v, refrigeração a líquido
Taxa de compressão
12:1
Formação de mistura
Injeção eletrônica
Ignição
Eletrônica digital
Cilindrada
1.649 cm³
Diâmetro x curso
72 x 67,5 mm
Potência
160 cv a 7.750 rpm
Torque
17,8 m·kgf a 5.250 rpm
TRANSMISSÃO
Câmbio, nº de marchas
Seis
Transmissão secundária
Cardã
QUADRO
Tipo
Dupla trave de alumínio
SUSPENSÃO
Dianteira
BMW Motorrad Duolever com regulagem eletrônica de compressão da mola e 125 mm de curso
Traseira
BMW Motorrad Paralever com regulagem eletrônica de compressão da mola e 135 mm de curso
FREIOS
Dianteiro
2 discos flutuantes de 320 mm Ø e pinças de 4 pistões opostos
Traseiro
Disco único de 320 mm Ø e pinça de 4 pistões opostos
PNEUS
Dianteiro
120/70-17
Traseiro
190/55-17
DIMENSÕES
Comprimento
2.489 mm
Largura
1.000 mm
Algura
1.465 mm
Distância entre eixos
1.680 mm
Altura do assento
750 mm
PESO E CAPACIDADES
Peso em ordem de marcha
348 kg
Tanque de combustível
26,5 litros
DESEMPENHO
Aceleração 0-100 km/h
3,4 segundos
Velocidade máxima
Acima de 200 km/h
PREÇO
R$ 108.500,00


36 comentários :

  1. Pode soar como heresia, mas como não sou lá fã de moto nem nada, imagino as maravilhas que um motor destes aí faria sob o capuz de um carro pequeno e leve, coisa de 800 kg no máximo.
    Deve ficar no mínimo interessante, ainda mais se for alguma coisa de motor traseiro.
    Talvez um Dardo com uma suspensão atualizada e um propulsor deste aí!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pensei exatamente a mesma coisa, imagina o ronco desse seis cilindros pequeno a 7000 rpm com o escape aberto, em um carro todo aliviado para usar em track days

      Excluir
    2. Rafael Ribeiro15/05/13 12:43

      Charles, é exatamente o que eu estava enquanto lia o texto!

      Excluir
    3. Se é heresia, Charles, então já são dois hereges. Acho bonita, e só. Nada onde, entre outros inconvenientes, eu tome chuva, fique na mão se furar um pneu, o comportamento do carona influa na dirigibilidade, e onde eu sirva de pára-choque em caso de acidente, me convence. E com esse dinheiro, dá para ir de BMW também, só que com teto e quatro rodas. Nem que seja um semi-novo, he, he!

      Excluir
    4. Pelo amor! Senão tem o que falar fica queto!

      Excluir
    5. Também pensei nisto quando falaram da matéria do serie 5 e até sugeri um BMW com cerca de 1200 kg e 200 a 300 cvs. Mas creio que devo ter magoado o autor ou o artigo, pois fui censurado. Devo ser de novo, mas vcs já deram o recado e o texto passou. 350 kg em uma moto não é pouca coisa. O motor forte dá mesmo a sensação de que ela é fácil de pilotar.A Gold Wing também é assim. São deliciosas mesmo mas não podemos nos enganar. Em muitas situações este peso é perigoso. Esta bicha em uma curva apertada, derrapando ou em situação de emergência faz os quilos aparecerem e seu controle é difícil pacas. Sou motociclista a 40 anos e tenho 50 anos. Comecei de mobilete, cinquentinha, etc. Tenho motos grandes a mais de 20 anos.

      Excluir
    6. Pensei na mesmíssima coisa! kkkk

      Excluir
    7. Lorenzo Frigerio15/05/13 15:14

      Esse motor ia bem num Renault Rabo Quente.

      Excluir
    8. Charles,

      Pensei também. E essa de lembrar do Dardo, motor central-traseiro. ia ficar legal. Opa se ia!

      Excluir
    9. Anônimo de 50 de vida e 40 de moto. Aqui dos editores do AUTO entusiastas vc não tomou bronca nenhuma. A sua idéia de um esportivo leve tem todo o nosso apoio. Passe o abaixo-assinado aqui que a gente assina.

      Excluir
    10. Corsário Viajante15/05/13 20:13

      Mais um pra assinar...

      Excluir
    11. Ao Anônimo15/05/13 13:16:
      Acho que reunimos fácil uns 300 que pensaram nesse motor em cima de 4 rodas...

      Excluir
  2. Caramba 108 mil pratas em uma motocicleta! Ingênuo que sou, ao início do texto imaginava algo na casa de 50 mil. :-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eheheh..se custasse cinquenta mil, até eu - neófito no gênero - teria uma!

      MFF

      Excluir
  3. Simplesmente fantástica, como não posso comprar fico sonhando. Espero que ao entrar na aposentadoria (falta muito ainda) possa desfrutar do prazer que só uma moto deste calibre pode proporcionar.

    ResponderExcluir
  4. Essa moto de perto me pareceu tão absurda quanto as Super Teneré 750 me pareciam quando novas.
    É uma maravilha da engenharia de veículos a combustão e tem que custar isso mesmo.

    ResponderExcluir
  5. Ernesto Jr15/05/13 13:08

    Tem uma aqui na minha cidade .... Na sala de estar na casa do dono kkkkkkk

    ResponderExcluir
  6. Esse motor, que tem bons números de potência e torque tem elasticidade para ser usado em um carro? Os regimes de uso em um automóvel são bem mais baixos. Os consumidores achariam estranho andar a 7000 rpm o tempo todo na cidade. Pra um carro de competição, seria uma boa.

    Lucas Franco

    ResponderExcluir
  7. Kawasaki KZ1300 seis cilindros, a CBX 1000 com seu motor que parecia pendurado...a própria Gold Wing com todos seus 1800 centímetros cúbicos. Isso tudo é uma divina heresia sobre motos, mostrando que para quem faz questão de viajar sobre duas rodas - com o máximo conforto - todo tipo de reator sob as pernas (opa!)é bem vindo.

    Pessoalmente sou partidário das leves trails, e de um outro tipo de condução...mas é de deixar de água na boca imaginar uma longa viagem montado na big bimmer!

    MFF

    ResponderExcluir
  8. Eis que você vê a engenhosidade da Motorrad em fazer um motor transversal de seis cilindros em linha e acoplá-lo a uma transmissão por cardã e pergunta-se por que raios a divisão automobilística não transplanta essa solução para seus carros em vez de fazer a besteira de criar um modelo de tração dianteira com a marca BMW.

    ResponderExcluir
  9. Arnaldo, você devia testar a Hoda Goldwing. Pois nos comparativos entre motos feitas pra andar por horas a fio na estrada ela costuma ganhar da concorrência.

    De quebra também é 6 canecos e tem um motor tão suave que dá pra ligá-lo com uma moeda apoiada "de pé" nele que ela não cai.

    ResponderExcluir
  10. Até o preço é de BMW! Bela moto, mas definitivamente não faz parte da minha lista de desejos.
    Para não sair da marca, sou muito mais um Série 1.

    ResponderExcluir
  11. Arnaldo, que loucura! No bom sentido, claro. É uma moto-avião, um sonho, uma perdição total. Motociclista desde os 15 anos, adorei a matéria.

    Entretanto, comprar uma moto dessas aqui no Brasil seria suicídio. Não pela possibilidade de acidentar-se, mas pelos ladrões dessas "superbikes". Ao preço de R$ 108.000, a BMW K 1600 GL é um tremendo chama-ladrão.

    O jeito é sonhar, ou fazer como meu primo, que viajou à Califórnia e lá alugou uma supermoto para matar a vontade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. alex alves25/02/14 22:33

      leitão , ladrão não rouba para passear , ele rouba para ter lucro fácil . é possível imaginar peças desta moto sendo vendidas nas robautos da vida ? por isso o seguro dela fica na fixa de 4.500,00

      Excluir
  12. Arnaldo
    Sou mais chegado na sua Triumph Bonneville!
    Jorjao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente, Jorjão, não tenho uma Bonneville. Só amo ela. Em breve uma matéria sobre ela. OK?

      Excluir
  13. Eu acho que eu me arrebentaria com uma dessas!
    Mas na verdade eu nao sei, na verdade eu só acho!

    ResponderExcluir
  14. Para aqueles que se impressionaram com o valor. Aqui está a solução...

    https://www.freitasleiloesonline.com.br/homesite/lotesdetalhes.asp?codleilao=547&lote=290

    AR.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi vendida por 37500+5%. Valor mais aceitável.

      Excluir
  15. Não é o tipo de motocicleta que me chama a atenção, mas só de ver um motor 6 em linha em produção eu já me animo um bocado (esse tipo de configuração pessoalmente é minha favorita, vindo em seguida os 5 cilindros em linha e logo após o V10).

    108 mil em uma moto não é pouco dinheiro, mas para quem tem e quer expoente em conforto sobre 2 rodas, desembolsa essa quantia sorrindo e sorrirá mais ainda a cada momento que desfrutar da moto, isso sem dúvidas.

    Alguns com esse dinheiro comprariam um carro, mas eu se fosse ficar com a marca provavelmente compraria uma F800R (para a cidade e um bom conforto/desempenho/segurança em rodovia) e o resto do dinheiro compraria uma Série 3 seminova (ou com bons anos de uso, o que desse pra comprar com a "sobra")

    Mendes

    ResponderExcluir
  16. bom o tamanho do motor num eh uma surpresa, pois eles ja fizeram um v12 de 6L com 60 cm de comprimento (mclaren f1).
    e realmente essa moto ter motor até demais !!! 0-100 em 3.4s com 348 kg + piloto.


    ResponderExcluir
  17. Hmmmmm, será que cabe num SP2?

    ResponderExcluir
  18. Enquanto motos ganham motor de 6 cilindros, carros o perdem. Paradoxo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa essa! Tem razão. Vai entender... Já tem carro com 3-cil e daqui a pouco teremos moto com V-12.

      Excluir
  19. Rui Osorio31/03/14 18:06

    Moto é pra quem curte. Quem não gosta que vá ler sobre carros. Eu gosto dos dois. São coisas completamente diferentes e não se excluem mutuamente. É uma bobagem ficar trocando motores de um pra outro, até pq o da moto tem mais tecnologia do q um carro de rua precisa. Esta moto é maravilhosa, tanto quanto uma Ferrari, uma Lambo ou um Aston Martin, só que estes custam 10x mais.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.