REGULAMENTADO!

Foto ilustração:http://www.saoluis.ma.gov.br

A notícia vem do Distrito Federal: a profissão de "flanelinha" acaba de ser regulamentada pelo governo do DF. É incrível mas é verdade.

Como funcionará? Simples. O motorista não é obrigado a pagar nada ao "flanelinha" e este não poderá coagir o motorista para que lhe pague para "dar uma olhada" no possante.

É isso aí.

BS

36 comentários :

  1. Vão pagar imposto de renda igual a gente?

    ResponderExcluir
  2. Resumindo, na prática, nada muda. Continuará a mesma porcaria de sempre: um nó cego faz de conta que cuida do seu carro e você faz de conta que aceita isso...

    ResponderExcluir
  3. Antônio Martins10/07/09 01:42

    Daqui a pouco é o cara da balinha no retrovisor, o "sujador" de para-brisa etc. Tudo isso é crime de extorção, está no Código Penal:


    Art. 158 - Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, e com o intuito de obter para si ou para outrem indevida vantagem econômica, a fazer, tolerar que se faça ou deixar fazer alguma coisa:

    Pena - reclusão, de 4 (quatro) a 10 (dez) anos, e multa.

    ResponderExcluir
  4. sinceramente não sei se a lei ajuda ou atrapalha, mas já passei por experiências muito desegradaveis com flanelhinhas, eles não respeitam ninguem, na hora pensei até em fazer "justiça com as próprias mãos" mas depois como todo o brasileiro, acabei deixando pra lá, o que é errado, pois assim esses vagabundos continuam fazendo o que querem

    ResponderExcluir
  5. Carlos Galto10/07/09 08:33

    Tá. E quem vai fazer a fiscalização dos Flanelinhas, com F maiúsculo, agora???

    Ou se eu não pagar 15 mirréis na frente de uma boate no RJ vou ter de voltar no dia seguinte e dar uma sessão de porradas no BANDIDO, esse todo maiúsculo, que arranhou em volta de todo o meu carro???
    Diferentemente do Anderson, que está certo, eu não tive tantos escrúpulos pois ralei MUITO, diferentemente do Flanelinha, pra conseguir o meu carro e um Meliante vir e arranhá-lo todo!!!

    E continuamos na bandalheira!!!!!

    ResponderExcluir
  6. Carlos Galto10/07/09 08:46

    Aqui em Botafogo, onde trabalho, existem certas ruas que não são "Vaga Certa", o nome das áreas demarcadas "oficialmente" como estacionamento pago pela prefeitura do Rio, pois existem vários prédios residenciais sem garagem, o Bob Sharp deve conhecer. Por conta de protestos de moradores desses prédios a prefeitura não cobra em algumas ruas. Doce ilusão... Em TODAS as ruas existem os flanelinhas. Ou você encontra cones demarcando as vagas e TEM de pagar pra retirar os cones ou TEM DE DEIXAR AS CHAVES com o flanelinha!!! Que geralmente está na rama, ou cheio de cana ou com uma garrafinha plástica cheirando cola de sapateiro...
    O mais interessante é na rua Bambina, onde existe uma delegacia da Polícia Civil e mais a frente a base central da Guarda Municipal, exatamente a rua onde temos de deixar as chaves do carro com o Flanelinha, agora oficialmente...
    A gente tá phudido nesse país mesmo!!!

    ResponderExcluir
  7. o povo tem que se revoltar e enfiar a porrada nesses caras, até mesmo porque se esperarmos pela policia estamos ferrados!

    ResponderExcluir
  8. Na prática não vai mudar nada. Mais uma lei que só serve para florear papel.

    ResponderExcluir
  9. Na ultima corrida da Stock car o segurança particular queria que eu pagasse, antecipadamente, R$30,00 para ele olhar meu carro, que estava estacionado uma rua abaixo da entrada do autodromo de interlagos. Enquanto eu dizia para ele que pagaria na volta e certamente não seria R$30,00, outro me pediu para que falasse baixo senão os outros motoristas não iriam pagá-lo!!!
    Percebi que o agito era grande, e que eu poderia ter o carro avariado por aqueles FDPSs e estacionei 4 ruas para abaixo da praça Enzo Ferrari, na maior tranquilidade
    Infelizmente essa merda é terra de ninguém. Aqui no Brasil, pobre pode tudo. E o pior que quando a população pressionar quando a situação estiver fora de controle, virão os defensores dizendo que "é o jeito do cara ganhar dinheiro"... Daqui a pouco vão defender bandidos, pois roubar é a unica maneira do cara garantir a renda.

    Esse país é nojento. Você passa horas numa rua sem ver uma polícia. Quando vê, os caras estão atrapalhando o trânsito, digo, fazendo ronda e não param carros que estão acima da velocidade ou cometendo infrações logo ao lado.
    Outro dia ví o absurdo de um rapaz passar ao lado da viatura com uma lata de cerveja na mão dando uns goles enquanto dirigia e a viatura não o parou!!!
    Tem horas que ser brasileiro cansa...

    ResponderExcluir
  10. Prefiro pagar um estacionamento.

    Uma vez fui num cliente novo, e ainda não conhecia bem a região. Parei o carro, e quando já estava trancando, vi o flanelinha já se aproximando.
    Olhei em volta e vi um estacionamento. Entrei no carro, e coloquei no estacionamento.
    Quando saí a pé do estacionamento, o flanelinha me faz sinal de braços abertos como que dizendo "que é isso, companheiro? ".

    Era o que faltava.
    A via é pública e os flanelinhas sempre se fizeram de donos dela. Agora oficializam a prática.

    Daqui a pouco vão oficializar pedágio cobrado por malandro nas calçadas pra quem anda a pé. A legalidade é a mesma do flanelinha.

    ResponderExcluir
  11. Aqui em Alfenas, cidade onde resido, a situação é crítica na praça central da cidade e em portas de festas. Moro bem de frente a praça principal, meu prédio tem apenas uma vaga e possuímos mais de um carro. Achar lugar pra estacionar, de dia, em frente ao prédio é quase milagre. Normalmente temos que recorrer ao pátio da igreja matriz, bem no miolo da praça, onde ficam sempre um anão de uns 25 anos, mal encarado e drogado, e um moleque duns 14 anos, também cheirador de cola e fumante.
    Somos sempre coagidos a pagar para estacionar e ainda comprar uma balinha deles. E o pior é que eles sabem onde moramos e fazem ameaças do tipo: "Qualé tio, tu mora ali no prédião e não vai dar um cafézinho?"
    Atualmente, quando estamos sem vagas, paro na rua de baixo, tá bem difícil.

    ResponderExcluir
  12. Marlos Dantas10/07/09 12:58

    Também prefiro pagar um estacionamento. Apesar do estacionamento não ser nenhuma garantia de segurança, mas os riscos são bem menores que deixar o carro na rua, sozinho ou “na mão” de flanelinha. Mas deixar a chave do carro nem pensar! Só se o estacionamento for idôneo e caso eu já esteja habituado a estacionar nele.
    Aqui no RJ, além das represálias dos flanelinhas contra os carros e/ou seus donos, existe a associação deste tipo de “profissional” com criminosos. Certa vez ao para o carro numa rua, para levar minha mãe ao médico onde não havia estacionamento nas proximidades, um flanelinha já de idade e etilista (pra não dizer cachaceiro), jurou vigiar o carro direito. Quando eu estava deixando o carro aparece um homem esbravejando, dizendo que o som (de boa marca, com MP3, etc) acabado de ser comprado e a caixa acústica que estava na mala haviam sido roubados. Até esse ponto nada de espantoso, situações do tipo ocorrem todos os dias no RJ... O porém era que as chaves estavam com o flanelinha e o veículo não apresentava nenhum sinal de arrombamento nas portas ou no porta-malas e “fenômenos” assim não eram incomuns nos carros “vigiados” pelo senhor etilista. No mesmo instante entrei no carro e fui até um estacionamento que ficava um pouco distante, mas ao menos a salvo dos comparsas do flanelinha. Quando saí com o carro o flanelinha disse, já com a voz enrolada de tão embriagado: “Olha lá, o cara tá indo embora! Que roubo que nada... Você está espantando minha freguesia!”.

    ResponderExcluir
  13. Todos
    Até agora todos os comentários mostram um problema muito mais sério do que se supõe e que considero uma das grandes pragas nacionais. Foi por isso que este post foi tão curto. Não era mesmo preciso escrever muito. E o governo do DF tem a cara-de-pau de regulamentar a atividade.

    ResponderExcluir
  14. Cadê o nosso Stallone Cobra???

    ResponderExcluir
  15. o pior é que eles não respeitam nem os homens, imaginem as coitadas das mulheres....

    o pior de tudo é que eu aposto que se um dia eu me irritar e agredir um vagabundo desses, é bem capaz de vir a policia ou eu me encomodar e responder processo.

    ResponderExcluir
  16. pois é, pra resolver esse problema só o Stallone Cobra, Chuck Norris, Conam, Lindomar (o sub-zero brasileiro)...

    a próxima vez que vierem me coagir vou falar a seguinte frase: "com louco eu não negocio, eu mato!"
    salve Stallone!

    heheheheh

    ResponderExcluir
  17. Deputado Afanásio10/07/09 13:42

    flanelhinha?
    isso é vagabundoooooooooo!
    sem vergonhammmmmmmmmm!!!

    ResponderExcluir
  18. Já ouvi de vários que não admitem nem abaixar o valor que o motivo é que metade fica para 'os caras', ou seja, quem faz vista grossa quando deveria coibir.

    Se tiver estacionamento perto, não hesito.

    ResponderExcluir
  19. Um amigo meu fez o seguinte uma vez, nada aconselhável é claro: Colocou na sua carteira uma identificação de policial e um telefone com câmera no bolso. Foi estacionar o carro na frente de um teatro e o o flanelinha veio cobrar 20 reais, o dono do carro disse que só pagava na volta e não aquele valor..." ah seu dotô, mas sabe né? o que pode acontecer com o carro?"...ele pegou o telefone, apontou na cara do marginal e bateu uma foto, depois mostrou a identificação de policial para o abobado: "se algo acontecer ao meu carro, juro que não precisa ser hoje, mas eu vou te quebrar as duas pernas seja aonde estiver, eu ou os meus colegas te acharão...". Nunca mais o cara apareceu para incomodar.

    ResponderExcluir
  20. O lance perto do autódromo, conforme comentei acima os caras pareciam "do bem", mas não quis arriscar. O engraçado foi ver carros e mais carros parados em cima da calçada, obviamente sob a orientação de flanelinhas com multas no vidro. Ou seja, além do cara ter pagado uns $30 ainda levou uma multa de brinde. O interessante é ver que a CET permitiu que todos parassem para depois sair multando. Poderiam muito bem ter orientado os motoristas a não pararem por lá. Minha solidariedade para os cariocas, dado que a situação lá parece ser bem mais complicada que em SP.
    Eu estou adotando a filosofia de usar transporte público para me locomover na cidade. As vezes demora mais, as vezes vou em pé, mas não precisar dirigir neste trânsito caótico nem me preocupar em onde parar o carro é algo que para mim, não tem preço. Só saio de carro a noite, quando vou a algum lugar com estacionamento SEM manobrista ou para ir viajar, onde posso, verdadeiramente, ter algum prazer em tirar o carro da garagem.

    Sair de casa sem ter que se preocupar com trânsito ou com meu carro é uma tranquilidade que ônibus lotado nenhum consegue me roubar.

    ResponderExcluir
  21. alguem alguma vez ja tentou ligar para o 190 e denunciar um flanela por extorsão para ver se a policia vai atender a ocorrência?

    ResponderExcluir
  22. pois é, não dá pra entender, tanta profissão ai aguardando a regulamentação a muitos anos, e agora resolveram regulamntar os moto taxis, flanelinhas...
    só faltam regulamentar a "profissão" de mendigo que pede dinheiro, vendedor ambulante, traficante....

    vou morrer e não vou ver tudo!

    ResponderExcluir
  23. Eu nunca pago flanelinha.

    Falo que não tenho dinheiro, só cartão. Pergunto se o flanelinha aceita cartão. Obviamente eles ficam sem resposta. Digo que vou passar a mais na conta de onde estou indo para pagá-los na volta.

    Na volta eu entro no carro e saio rapidamente ou então finjo uma dificuldade de manobra e peço "ajuda". O babaca fica lá fazendo seus sinais de macaco analfabeto enquanto eu arranco tranquilamente sem pagar nada.

    Se todos agissem como eu esses merdas não existiriam, o problema é que o povo brasileiro é GADO e IMBECIL... Não raciocina no que faz e acaba financiando esses parasitas.

    TRINTA REAIS para parar na rua num evento de duas horas? Puta que o pariu, nem os Valet Parking de restaurantes em que a conta de um jantar de casal sai por 800 reais cobram isso!!!

    ResponderExcluir
  24. a maioria dos que pagam flanelinhas não tem seguro do carro e acha que o flanelinha vai ajudar a cuidar do carro....
    realmente se ninguem desse dinheiro para essa gente esse tipo de coisa não existia, o problema é que se precisar estacionar no mesmo lugar e o cara lembrar de você ele pode aprontar alguma...

    eu desprogramei o alerta sonoro de acionamento/desacionamento do alarme e deixei somente o alerta luminoso, justamente pra poder sair de fininho muitas vezes....
    a que ponto chegamos!

    ResponderExcluir
  25. Guro,
    Há cartas nos jornais de leitores que reclamaram a PM pergunta se o flanelinha está ameaçando, caso contrário dizem que não pode fazer nada. Acho que o único jeito é dizer que você matou um... aí vem até a Globo.
    Achei o máximo a sua solução de eliminar o alerta sonoro do alarme. Muito bem-bolado!

    ResponderExcluir
  26. Não li todos os comentários, mas vale o aviso: em bairros de alta circulação e vida noturna, como vila olímpia e vila madalena (SP), muitos dos flanelinhas atuantes são bandidos.

    Alguns fazem o golpe de segurar a maçaneta do passageiro (escondido) no momento do acionamento da trava, para que esta não trave as portas.

    Outros aproveitam o direito de poder ficar parado em uma rua escura para arrombar tranquilamente um carro.

    Outros abordam moças que voltam sozinhas ao carro na madrugada, uma espécie de "assalto informal".

    O que escrevi acima não é preconceito. É pós-conceito, infelizmente.

    Fiquem atentos.

    ResponderExcluir
  27. Flanelinha bom é flanelinha preso, junto com quem regulamentou essa profissão de merda.

    ResponderExcluir
  28. Esse é o Brasil do Sarney!

    ResponderExcluir
  29. Caro anônimo, se todos agissem feito você, o problema ainda não estaria solucionado. Os caras cobrariam de antecipado (como fizeram no autodromo e eu não paguei) e caso você não pague, os caras detonam seu carro.

    Não adianta cara, sem uma polícia e um governo atuante, seremos sempre alvo dos caras. Em terra sem lei, quem quer te fuder, sempre sai ganhando.

    ResponderExcluir
  30. Flanelinhas de Brasília ganham mais do que muitos profissionais formados em universidades, é só "ser amigos dos homens"!

    ResponderExcluir
  31. Sou desta cidade vergonhosa, no setor bancário sul de Brasília é uma bagunça de carros e os flanelinhas cobram para vigiar os carros. Se não pagar eles fazem ameaça de tudo que é tipo, ou seja, a gente paga para que eles não destruam os nossos patrimonios que foram conquistados com muito trabalho. Pelo menos o meu mille foi com 5 anos de muito trabalho para poder pagar a vista.
    Já vou fazer a minha lista para saber em quem eu NÃO vou votar.

    ResponderExcluir
  32. Vergonhoso! "Nunca antes na história destepaiz..."!

    ResponderExcluir
  33. Vergonhoso é pouco. Aqui em Caxias do Sul - RS também se sofre muito com isso.
    Sinceramente, a vontade é dar de relho nesses vagabundos.

    ResponderExcluir
  34. Bom, falaram da cidade de vocês entao deixe falar da minha.

    São Paulo Capital, um bom exemplo é o parque do Ibirapuera, antes da Zona Azul era a FESTA MASTER dos flanelas. É chato dar grana de graça para o Kassab, é mas com a presença dos marrozinhos os malandros flanelas se afastaram um pouco. Aparentimente, nao sei realmente mesmo.

    Soda viu !

    ResponderExcluir
  35. Aqui em SC isso ainda não existe, mas em Blumenau, as moças da zona azul ganham por advertencia produzida. Resultado: elas estão sempre dentro de lojas esperando você sair de perto.

    Enfim, o que dizer de um país onde tentaram criar o dia nacional do catador de lixo (isso é sério!)?

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.