GOSTINHO DE INFÂNCIA


O ano de 1968 foi um ano revolucionário. Ano da Revolução Cultural, da Revolução Estudantil na França, da Primavera em Praga, do AI-5, dos astronautas da Apollo-8 declamando o Livro do Gênesis em órbita lunar na véspera do Natal.

No cinema, 1968 foi o ano de uma obra histórica: “2001 – Uma Odisséia no Espaço”.

Um filme infantil deste mesmo ano bebeu de algumas fontes anteriores, criando uma obra deliciosa de ser vista, e nem por isso alienada de uma mensagem de repulsa à repressão.

“O Calhambeque Mágico “ (“Chitty Chitty Bang Bang”) é a confluência de estilos entre o musical fantasia de “Mary Poppins” com os filmes sobre carros e automobilismo, como “Grand Prix”. É diversão para crianças, das pequenas até as mais crescidas.

Em muitos aspectos de sua realidade fantástica, dando personalidade ao carro, precedeu “Se Meu Fusca Falasse”, que viria no ano seguinte.

Porém, numa época carregada de idealismos políticos, este filme não escapa da propaganda. A aventura contada no filme leva os personagens até uma Bulgária fictícia, onde os governantes não toleravam crianças, e a população tinha que mantê-las escondidas. A partir da interferência destes personagens, cria-se uma revolta popular que depõe seus governantes.

Era uma mensagem direta para os povos do outro lado da cortina de ferro.

O começo deste filme é de um entusiasmo automobilístico de primeira linha. Dá vontade de comprar um carrinho velho, caído, e restaurá-lo com gosto.

Assisti a este filme ainda muito pequeno, e não tive mais a oportunidade de vê-lo, nem nas incontáveis reprises da “Sessão da Tarde”. Mesmo assim, ele ficou entre minhas lembranças de infância.

Este final de semana, tive a alegria de encontrar esta versão em DVD, e pude relembrá-lo mais uma vez. Incrível como mesmo passados mais de 35 anos que o assisti, muitos detalhes ainda estavam perfeitos na memória.

Por quase duas horas, voltei a ser criança.

3 comentários :

  1. Rapaz! Voltei quase 30 anos no tempo lendo este post. Tinha até me esquecido desse filme...

    ResponderExcluir
  2. Road Runner, como costumam dizer os confeiteiros, um bolo começa a ser devorado com os olhos.

    De pequenos assistindo filmes que estimulam nossa imaginação e brincando que pegamos um gosto que no acompanhará pelo resto da vida.

    ResponderExcluir
  3. A trilha sonora é muito bonita ,Dick Van Dicke trabalhou muito bem nesse filme,tb era moleque qdo o vi no cinema , acho que tem no emule o dvd.....

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.