E FOI APROVADO...

Foto: www.fenamoto.com.br

... o Projeto de Lei do Senado n° 203/2001, que regulamenta, entre outros serviços usando veículos de duas rodas. o de mototáxi. Nem sei se daria para ir para o elenco do Jack Palance. pois tenho quase certeza que a moda não começou aqui. Deve ser coisa de América Latina, tipo Bolívia, ou mesmo América Central. Não sei, vou dar uma pesquisada. Mas, convenhamos, não existe nada mais impróprio do ponto de vista de utilização do que a mototáxi.

Mas antes vem o pior. Se o serviço existia na clandestinidade, é porque era utilizado, o que exibe de modo cabal o desprezo da administração pública por algo tão essencial que é o transporte de passageiros urbano e até o interurbano. Na mesma linha dos furgões de passageiros servindo de ônibus, que só surgiram por carência de transporte coletivo em ônibus ou, melhor ainda, sobre trilhos, mesmo de superfície: bondes. Falei nisso há dez dias, não é preciso me alongar.

Sobre "pegar" um mototáxi, não existe aberração maior. Os mototaxistas que ganham a vida prestando esse serviço que me desculpem, mas não dá para aceitar. Salvo as grandes motos estradeiras, o lugar para o passageiro é impróprio em si mesmo. Embora possa ser agradável para alguns ou algumas em determinadas circunstâncias, a proximidade passageiro-motociclista, estranhos um em relação ao outro, tem um quê de constrangedor.

Há a questão do peso adicional e significativo nas motos de baixa cilindrada, a maioria absoluta, longe de ser um exemplo de segurança. A frenagem, por exemplo, deteriora-se marcadamente. Tem também a questão da distribuição lateral de peso, em que um garupa não-habituado pode comprometer a estabilidade do veiculo. E há aspecto das intempéries, que limitam o uso da motocicleta.

Nem é necessário discorrer sobre o risco a que está sujeito o passageiro -- não pela moto em si, que não considero veículo perigoso, mas por quem a está pilotando. O caso da não utilização do freio dianteiro já comentei neste blog e diz tudo.

E assim, por inépcia, burrice ou qualquer que seja o adjetivo, as administrações públicas só vão ajudando a baixar o padrão de vida da população. Este de regulamentar o motortáxi foi mais um caso. Qual será o próximo?

BS

24 comentários :

  1. Marlos Dantas22/07/09 19:29

    Lembrei-me imediatamente da questão do uso exclusivo do freio traseiro quando um entregador de gás me trouxe um botijão. Justamente a única coisa que estava boa na moto (em péssimo estado, como um todo) era o freio dianteiro, perfeito por nunca ter sido usado (segundo o próprio entregador)...

    ResponderExcluir
  2. "Acredite se quiser", não?

    ResponderExcluir
  3. TADEU BATISTA22/07/09 20:02

    Houve um caso no Rio de um "moto-taxista" que violentou uma estudante num terreno baldio após ela ter tomado a moto para ir à escola. Ele alegou ter ficado “excitado” por estar próximo ao belo corpo da garota.

    ResponderExcluir
  4. É um absurdo! bando de desmiolados!
    Acho engraçado que para certas coisas é tudo bem rápido....

    Querem transformar o Brasil em uma "Colômbia regulamentada", já temos guerrilha, moto táxis, áreas florestais sem nenhuma vigilancia e fiscalização... Só falta o Evo Morales!

    ResponderExcluir
  5. TADEU BATISTA22/07/09 20:13

    Anderson, também temos o narcotráfico. Só falta mesmo o Evo!

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Mas o Evo Morales não é boliviano?

    ResponderExcluir
  8. Todos sabem que o cinto de segurança é obrigatorio para carros. E para motos o capacete.

    Tambem todos sabemos que o cinto de segurança é auto ajustavel.

    E o capacete ?

    Capacete é igual roupa, cada cabeça tem a sua numeração. Então o moto-taxista vai andar com 5 capacetes sobressalentes: PP, P, M, G, GG ?


    Provavelmente o profissional vai ter um G, ou um M. Se ficar apertado no "passageiro" tudo bem.

    E se ficar folgado, e se ficar BEM folgado ?

    Uma queda e todo o trabalho de desenvolvimento do capacete vai para o bueiro !


    Esse é o Brasil do Lula, do Sarney, do ex-presitente agora senador Collor, Maluf e assim vai LONGE .... !

    Não porque o Lula vem do "povo", e no povo tem motoboy/moto-fretista para caramba. Ele não poderia não sancionar essa lei.


    PALHAÇADA !

    ResponderExcluir
  9. Colombia, Boliva, Brasil...
    Se juntar os três não dá um!!!

    ResponderExcluir
  10. Inacreditável! Não faltava mais nada. Verdadeiro lixo.

    ResponderExcluir
  11. A regulamentação do moto-táxi é o primeiro passo para um processo de evolução no transporte de passageiros no Brasil.

    Explico: Daqui a alguns anos, após vários acidentes trágicos e diante da evidente inadequação do moto-táxi ao transporte de passageiros, o governo aprovará legislação regulamentando o uso do tuk-tuk-táxi (sabe aqueles triciclos indianos com faróis de lambreta? Pois é...). Anos mais tarde, quando finalmente as autoridades enxergarem que o tuk-tuk-táxi também é inadequado ao propósito a que se destina, o Senado aprovará novo Projeto de Lei estabelecendo os requisitos mínimos dos táxis -- que, não por coincidência, serão as características do Tata Nano, que até lá já será um projeto antigo, mas que tomará conta das nossas ruas e dos pontos de táxi. E as pessoas comemorarão a nova Lei, que nos colocará em par de igualdade com os melhores países em desenvolvimento do sul da Ásia.

    E, quando esse dia chegar, um de nós lembrará do tempo em que nossos táxis eram confortáveis Santanas (e nós nem achávamos grande coisa). E, nesse momento, alguém bem mais novo fará pouco da nossa lamentação e dirá que não passa de saudosismo de gente velha.

    ResponderExcluir
  12. É mais fácil regulamentar o moto-táxi deo que fazer um estudo sério e sem ideologismos terceiro-mundistas do transporte coletivo. É bem mais fácil culpar o condutor do transporte individual do que gastar dinheiro com corredores elevados para o transporte coletivo, metrô e etc...

    ResponderExcluir
  13. Clésio Luiz23/07/09 10:07

    Eu me lembro de ter moto-táxi em país de primeiro mundo. Assim como lombada, buracos e radares. Mas ninguém fala deles quando se discute o trânsito desses lugares.

    ResponderExcluir
  14. Clésio Luiz23/07/09 10:10

    O que não quer dizer que eu concorde com eles. Esse caso do moto-táxi, por exemplo, é desagradável. Alem de andar "encochando" um macho, tem a questão da higiene do capacete. Depois de uma dia de serviço, imagine como não ficar o cheiro? E o grude? Ou será que eles vão se dar o trabalho de limpar todo dia...

    ResponderExcluir
  15. Rodrigo Laranjo23/07/09 10:32

    O Brasil precisa se decidir se quer ser Cuba ou EUA.

    ResponderExcluir
  16. É mais fácil fazer o tal do 'favela-bairro' do que uma política de longo prazo para extinção das favelas. E chamem de comunidade, nunca de favela, porque é politicamente incorreto.

    É mais fácil regularizar essa outra aberração que é o moto-táxi do que ter que mexer com interesses de empresários de ônibus. As linhas só funcionam bem onde tem bastante entra-e-sai de passageiros. Em muitos casos, um deslocamento de 15 km te obriga a 2passagens.

    Mas tem o outro lado da moeda, o sujeito compra um carro 0km de 60 mil reais, paga mais de 2 mil reais de IPVA de cara, e é obrigado, meses depois, a submeter o carro a uma vistoria obrigatória PAGA, mesmo o carro tendo meses de uso.

    Constrói algum tijolo fora do lugar na sua cobertura pra ver se não descobrem e vem cobrar no dia seguinte ?

    ResponderExcluir
  17. Bob, me parece que mototáxi é atividade regular há décadas nos países do Oriente (Tailândia, Cingapura, Malásia, etc.).

    A moto, especialmente a de pequena cilindrada, é um veículo completamente inapropriado para a função, porém extremamente prático e barato de ser usado.

    Pra pegar ônibus, tem que ir ao ponto mais próximo, esperar pelo coletivo, perde-se tempo nos sucessivos embarques e desembarques, perde-se muito tempo nos congestionamentos, e muitas vezes tem de descer e esperar outro ônibus que vá para perto do destino final.

    Aqui em São Paulo, fora do horário de pico, não é difícil perder duas horas pra sair da Zona Norte e chegar em alguns lugares da Zona Sul, num trajeto de 20 km.
    Nesse mesmo tempo dá pra ir e voltar de Campinas, num trajeto 10 vezes maior.

    Mototáxi, além de muito mais rápido, sai mais barato, e são duas coisas que o povo assalariado enxerga à primeira vista.

    ResponderExcluir
  18. Eu não me arrisco andar de moto nesse trânsito maluco nem se a moto for minha e eu a estiver guiando.
    NUNCA que eu iria arriscar a minha pele na garupa da moto de um desconhecido, e ainda colocar um capacete que várias pessoas já usaram, cheio de seborréia, piolho, micose, aids...hehehheheehe

    Me desculpem os moto taxistas, mas se dependerem de mim e das pessoas próximas a mim, vão todos morrer de fome.

    ResponderExcluir
  19. Meus amigos, vocês ainda não viram nada... Aqui no interior da Bahia, o moto taxi é mais antigo que a própria terra... E acabou evoluindo para motos com "side cars" em fibra de vidro, acoplados em CGs acabadas. Sem a mínima engenharia.

    Sei que existem muitos problemas em relação ao moto taxi, mas também sei que, em muitos lugares, acaba se tornando uma das poucas opções viáveis. E, infelizmente, esta é a realidade em muitos lugares deste imenso país.

    ResponderExcluir
  20. Guilherme,

    Realmente tem essa questão, muitas coisas que não fazem sentido em alguns estados fazem todo o sentido em outros.
    Claro que essa solução é uma paliativa, já que não é possivel deixar as coisas como realmente deveriam ser.

    O Brasil poderia muito bem ser dividido

    ResponderExcluir
  21. O Brasil caminha rapidamente para obter o record de mortes em acidentes de motos. Ao mesmo tempo que se proibe os fretados no centro expandido da capital de S.Paulo, se criam 10 novas linhas de onibus, para "compensar" e agora vêm essa aprovações "genial" de moto-taxis.
    Será que é condição "sine qua non", ser burro e safado para ser legislador neste país ?

    ResponderExcluir
  22. É o maldito mal do brasileiro, conseguir as coisas de um jeito facil.

    Compra uma moto velha, e começa a transportar pessoas, ganhando dinheiro sem esforço.

    E pior a atitude do Governo, que sempre busca soluções fáceis para se resolver os problemas...

    Tenho um moto 125 cc, que uso no cotidiano para trabalhar e estudar, e sei muito bem que é um veículo que deveria ser usado apenas em locais de vias com no máximo 70 km/h, e apenas uma pessoa na moto.
    Já dei carona algumas vezes, mas é terrível. Aumenta em muito a chance de desequilibrar e acabar caindo.

    Já citando sobre o freio dianteiro, concordo com o Bob, é raro achar um motociclista que usa um. A minha moto, foi escolhida a "Top" justamente por causa do freio dianteiro ser a disco. Segurança em primeiro lugar!

    ResponderExcluir
  23. Nico fora da lei24/07/09 19:04

    mas esse nosso país tá virado no samba do criolo doido!!!

    ResponderExcluir
  24. Pretensa economia em engenharia de transito e soluções verdadeiras.

    Mas isso cria gastos financeiros e sociais enormes através do SUS que trata as vítimas dos acidentes que acontecem todos os dias e do INSS que acaba sendo obrigado a sustentar uma massa enorme de inválidos ou pretensos inválidos, fora outros benefícios aos quais os deficientes possuem direito.

    Engraçado que esse lado da moeda nenhum político ou repórter comenta.

    Não passa nenhuma semana sem que eu opere alguma vítima de acidente de moto no RJ... Na grande maioria das vezes são pessoas com no máximo 26 anos de idade e a grande maioria trabalha como motoboy ou mototáxi... Isso pra não falar daqueles que ganham até "cartão fidelidade" da Ortopedia pq é só a gente consertar alguma coisa para eles quebrarem outra logo depois!

    Essa lei é patética, mas eu já não consigo mais me impressionar nem tenho forças para me revoltar no país capitaneado por um idiota que tem orgulho em dizer que o primeiro diploma da sua vida foi o de Presidente da República.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.