SENNA, UM GÊNIO

Senna (foto veja.abril.com.bt)


Pelo que conheço de história do automobilismo, pelo que vi, li e ouvi dizer, cá comigo elegi os "meus" campeões de todos os tempos. Tazio Nuvolari no pré-Segunda Guerra Mundial, Juan Manuel Fangio nos anos 1950, Jim Clark nos anos 1960 e Senna nos anos mais recentes.

Bem, para isso, para que eu fizesse essa eleição, antes seria necessário definir o que é um campeão no esporte. E fui a isso buscando exemplos em outros esportes
.
De cara, como bom brasileiro, foi fácil a figura do Pelé surgir de estalo. Só sendo argentino para questionar a realeza do Pelé. Para a maioria dos hermanos, como o caro leitor sabe, o Maradona foi o melhor. É incrível isso, não dá mesmo para acreditar que assim pensem, mas é assim que é. Então, diante desse desvio ufanístico dos argentinos, costumo me divertir às suas custas sempre que para lá vou. O golpe é o seguinte: por exemplo, entrando num táxi dou uma de turista avoado e como não querendo nada vou falando que para mim o Pelé foi o maior jogador brasileiro. Veja, caro leitor, atenção, é preciso dizer "brasileiro" e não "do mundo". Daí, naturalmente, respeitosamente o taxista diz: "Mas, claro! Pelé foi o melhor jogador brasileiro! Grande! Magnífico!", e amavelmente ele se derrete em elogios ao nosso querido Pelé. E pronto! está feita a cama do sujeito, ele está prontinho para o golpe, e aí eu pergunto: "E para vocês? Qual foi o melhor jogador argentino?" O sujeito sem dúvida vai responder: "Maradona! Evidente!" E aí faço cara de tonto e pergunto: "Maradona? Quem é esse cara? Nunca ouvi falar."

As reações costumam, ao menos até agora, ser duas: ou o sujeito saca que é brincadeira e cai logo na risada ou ele franze o cenho e dá uma atarracada de raiva na direção. Daí, se não quisermos ir parar na delegacia e sermos linchado por policiais lá dentro, é bom ir falando logo que era brincadeira, un chiste, como dizem, e ir tratando de dar um jeito de arrumar estômago para elogiar efusivamente o baixinho esquisito deles lá.

Essa piada que volta e meia pratico com os hermanos serve de exemplo para nossas eleições de esportistas, se quisermos ser imparciais.

Para tanto, escolhi o que diferencia um campeão gênio de um bom campeão. Um campeão gênio deve fazer coisas inesperadas. Deve ser um artista que traga algo original. Deve, quando menos se espera, tirar uma carta da manga. Ele fazer o que se espera que ele faça, mesmo que isso seja uma coisa fantástica, fenomenal, não é o bastante. Não basta que ele faça uma coisa que eu vi que ele poderia fazer. Ele tem que fazer uma coisa que eu nunca imaginaria que poderia ser feita. O Pelé era assim. Ele via oportunidades que mais ninguém via. O Pelé entrava em campo e achava, naturalmente, que todos os outros eram uns pernas de pau. Fosse quem fosse, ele sabia que nenhum estava à sua altura. É assim que um campeão tem que olhar os outros. Respeitar o oponente, sim, mas nunca, no fundo, aceitar que este lhe possa fazer frente.

O Clay era assim. Não consigo chamar o Muhammad Ali de outro nome. Para mim ele é o Cassius Clay. A luta dele contra o George Foreman foi o maior exemplo do seu gênio. O Foreman vinha de derrotar o Joe Frazier logo no segundo assalto com um nocaute matador, e logo o Frazier, que até então fora o maior osso da vida do Clay. Então, me lembro bem, meu pai, também fã do Clay, e eu, ficamos apavorados. Pensávamos que o Foreman ia matar o Clay. Tudo nos levava a crer nisso. Mas acontece que o Clay era um gênio. Li um livro do Norman Mailer sobre essa luta. Ele era amigo do Clay e acompanhou os treinamentos e tudo, e disse que o Clay tinha uma meia dúzia de sparrings só para bater nele. Seus treinos eram absolutamente secretos e nem o Mailer podia entrar, tudo secreto. O Clay depois lhe contou a estratégia. Disse que bater ele já sabia melhor que ninguém e o que ele precisava era aprender a apanhar, daí que, simplificando a coisa, subia um sparring e lhe descia a lenha com tudo. Quando esse sparring cansava, caía fora e subia o outro que também descia o sarrafo no Clay. E assim ia.

Por essa o Foreman não esperava (dailymail.co.uk)

O Clay sabia que, se logo de cara fosse topar a troca de sopapos com o Foreman, ele levaria a pior, porque o Foreman era muito mais forte, com um poder de demolição nunca visto. O Clay teria que cansar o gigante. Bem, isso posto, o Clay se esmerou a levar pancada da pesada por longo tempo, daí essa seqüência de sparrings parrudos o socando e socando, e foi essa sabedoria que lhe permitiu se proteger da avalanche de socos que sabia que viriam do Foreman. Com isso, após uns sete assaltos o Foreman cansou, abriu o bico, e ao perceber a afrouxada o Clay pôde então virar o jogo e soltar sua magnífica metralhadora de jabs e diretos que logo derrubaram o touro.

Genial! Certo, genial, mas só o Clay para bolar e executar a tarefa. Só o Clay. Ninguém esperava por isso. Ninguém. Ninguém achava possível agüentar os murros do Foreman por sete assaltos.

O Senna era assim. Fazia coisas inimagináveis, estupendas. Esse era o seu encanto. Esperar pelo inesperado era o que nos fazia deixar de sair alguns domingos pela manhã para ficarmos no sofá diante da TV. Presenciar o inesperado era o que nos fazia colocar o despertador para tocar em frias madrugadas, era o que nos fazia pular da cama levando cobertas junto.

Ninguém esperava que ele conseguiria segurar o Nigel Mansell lá em Mônaco, o Mansell com um Williams muito superior ao McLaren do Senna. Entravam colados no túnel a milhão e saíam do túnel feito bala de canhão, e o Senna escorando o Leão babando atrás. Uma sutil bobeira e já era. Ninguém esperava que ele conseguiria alcançar o Alessandro Nannini lá no Japão, em 1989, após a suja fechada do Alain Prost na entrada daquela chicane. O Senna pediu e os auxiliares de pista o ajudaram, empurraram seu carro, o carro pegou, o Senna driblou as barreiras da chicane num zap e foi voando para os boxes, onde trocou o bico do carro e saiu feito louco. Nunca na minha vida vi, e provavelmente nunca mais verei, uma pilotada absurda como aquela. O Nannini estava muito à frente, muito. Outro piloto nem tentaria alcançá-lo, mas o Senna, sim, foi atrás e pilotou acima dos limites da física, ao menos para a minha noção de física. O Fangio teve uma passagem semelhante em 1957, em Nürburgring, onde se coroou com o título daquele ano, mas essa história depois eu conto. Mas acontece que as leis do Senna eram outras; as dele eram as de um gênio. A pista se afunilava adiante, tudo zunia ao redor, marchas sendo trocadas a mil, marchas subindo e marchas descendo, perfeitas, câmbio manual, numa precisão e velocidade atômica, as visões laterais eram riscas, curvas surgiam do nada, tamanha a velocidade, direção no muque, nada de assistência, o volante vibrando duro, e de carona mal identificávamos a curva e já estávamos saindo dela em busca de outra, curva atrás de curva, motor quase explodindo nas retas, reduzidas no limite de giro, freadas malucas, freadas que não chegavam a frear o que achávamos o necessário para que a curva pudesse ser encarada, e mesmo assim, entrando na curva numa velocidade acima do possível, ele a fazia e já se lançava adiante. Antes de fazê-la ele já a havia feito e já sabia exatamente como estaria ao sair dela. Foi magistral. Lembro de ter acordado minha esposa por não ter contido meus urros lá no sofá, torcendo e torcendo pra valer, torcendo por ele, torcendo porque ele merecia; era a genialidade humana se expressando, a arte pura da pilotagem, a sabedoria, a ousadia; era a sorte de poder presenciar algo impensável. Foi o privilégio de presenciar um gênio viver o seu momento de gênio, a sua hora e sua vez. Artistas geniais, como Van Gogh ou Cèzanne, artistas que tiveram a ousar imagens ainda impensadas, cientistas como Einstein, que ousaram um mundo ainda impensado, são, antes de tudo, símbolos de coragem. O Senna era, antes de tudo, um corajoso. Recomendo que um piloto de F-1 nunca veja essa passagem do Senna no Japão, nunca. A não ser que ele seja outro gênio do mesmo nível, coisa bastante improvável, sua moral irá lá para baixo, pois nunca se imaginará capaz de fazer o que ele fez. Nunca.

Tela de Cèzanne (www.zeno.org)

AK


P.S.: O tricampeão Jackie Stewart caiu no meu conceito quando recentemente disse que achava o Prost melhor que o Senna. Disse que o Senna se arriscava demais. Acho que o Senna tinha coragem para ir além dos limites que o Stewart achava possíveis. Só isso. O Stewart foi bom, foi ótimo, mas não foi gênio nem teve a coragem do Senna. Gênios do automobilismo, para mim, só Tazio, Fangio, Clark e Senna. Os outros que os olhem de baixo, como os antigos gregos olhavam para os deuses no Monte Olimpo.

P. S. II: Se o caro leitor achar um vídeo dessa alucinante perseguição ao Nanninii, por favor, passe cá o link. Se não achar também, tudo bem. Tudo ainda está bem gravado na minha cachola, as emoções, tudo, inclusive minha sincera gratidão a esse corajoso gênio.


(Atualizado em 6/05/14 às 13h10, correção de informação, o piloto que Senna superou no GP do Japão de 1989 era Alessandro Nannini)

93 comentários :

  1. Opa... nem li até até o fim ainda, mas em 89 ele foi na caça do Alessandro Nannini depois da batida com o Prost.

    ResponderExcluir
  2. Grande Arnaldo, boa tarde!

    Lindo texto e bela história do Clay, obrigado! Mas vou fazer algo que odeio... "corrigir" uma informação: em 1989 o Senna perseguiu o Alessandro Nanini na Benetton e não o Larini.

    Forte abraço!!!!

    Alan

    ResponderExcluir
  3. Arnaldo , segue : http://www.youtube.com/watch?v=_f3cpvsSxIg

    Abração, Umbertão das minis.

    ResponderExcluir
  4. O tricampeão Jackie Stewart subiu no meu conceito. Até que enfim alguém que saiu da manada e teve coragem de dizer que acha outro piloto melhor. Ultimamente quem não acha e diz que o Senna foi o melhor piloto do mundo é execrado. E concordo com ele, também acho que Prost foi um piloto melhor que o Senna. Não é só coragem e arrojo que faz o grande piloto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não concordo com vc Anônimo 06/05/14 12:15. Muito menos com o Jackie, que de forma bossal tentou entrevistar o senna, disse isto a ele e ouviu dele o que não queria. Esta entrevista o mundo tem e o Jackie ficou com a cara no chão. Falar agora é fácil com senna morto. Também concordo com o AK ( ufa!) que o Senna nos surpreendia. Sempre gostei mais do Piquet, mas confesso hoje, depois de anos, que me recordo muito mais das corridas do Senna que as do Piquet. Porque será? Talvez, realmente, porque o Senna não se explicava. Pelé foi um Gênio e Maradona talvez melhor que ele e certamente melhor que Zico, por incrível que pareça. Nunca vi algo parecido em um jogador como foi Maradona. Não vi Pelé Jogar como muitos não viram gênios antes dele. Se Senna foi o melhor? Confesso que jamais pensei que diria isto, mas penso hoje que foi. Me desculpe o Piquet, por quem tenho a maior admiração. Mas fazer o que Senna fazia, até hoje ninguém fez. Como ningiém fez o que Maradona fez em 86. Até hoje.

      Excluir
    2. Talento natural vs Treino/Estudos...
      Prost, Nick Lauda, assim como a nova leva de pilotos tem raramente o talento natural... São como ratos de laboratorio correndo em seu labirinto, podem serem bons, mas não passam de treinamento. Sentar num carro qualquer, e tirar o maximo dele não é para qualquer um.

      Excluir
    3. Anônimo 06/05/14 12:15 assino em baixo!!!!!!
      http://www.dailymotion.com/video/xsf1tf_1986-hungria-piquet-x-senna_sport

      Excluir
    4. Concordo com o Anônimo 12:15.

      Criou-se uma espécie de "zona de exceção" pra onde vão todos os que se atrevem a não gostar do Senna, como se ele corresse sozinho.
      Era bom? Não, era ótimo. Mas também haviam outros pilotos que, se não tão estelares, também faziam as manhãs de domingo valerem a pena.

      Excluir
  5. Posso estar enganado, mas a perseguição do Senna não foi em cima do Nicola Larini, mas do Alessandro Nannini, tanto que o Senna foi desclassificado naquela prova por cortar as chicanes, e a vitória caiu no colo do Nannini, da Benetton - e acho que foi a única de sua carreira na Fórmula 1.

    ResponderExcluir
  6. Arnaldo tenho respeito pelo jack stwart, mas ele e o prost são dois falsos insuportáveis que não gostavam do senna, tinha que rezar na cartilha deles, senão não era o melhor. Não é atoa que a Betise hoje mulher do Patrick Head deu o chega pra lá neles no enterro. Pq estes dois nunca se conformaram que o senna foi melhor que eles
    Abraço

    ResponderExcluir
  7. Concordo com tudo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nao concordo com nada!

      Excluir
    2. Concordo com uma parte e discordo com outra parte!

      Excluir
  8. Agradeço aos leitores que me corrigiram. A perseguição foi ao Alessandro Nannini e não ao Nicola Larini. Me desculpem, confiei demais na minha memória e os nomes soam parecidos. Vou corrigir já. Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Arnaldo, só fazendo outra analogia com Pelé, no jogo do Santos na Colombia, onde houve uma confusão enorme em campo e o juiz acabou expulsando Pelé, a torcida não se conformou e exigiu a volta do rei, então trocaram o juiz e ele voltou ao campo para terminar a partida. Pois bem, deveriam trocar o infeliz que desclassificou Senna naquela corrida para que pudesse seguir com os pontos ganhos na pista.

      Excluir
    2. logo depois o Nannini teve o antebraço quase amputado em um acidente de helicóptero e deu seu lugar na Benneton para um alemão novato.. um tal Schumacher...

      Excluir
    3. O acidente do helicóptero foi numa aterrissagem. O pai do Nannini estava no solo e teve a presença de espírito de pegar o braço do filho e o colocar num balde de gelo para levar junto para o hospital. Reimplantaram o braço.

      Excluir
    4. Presença de espirito é para os fracos... isso aí é a materialização do espírito numa estátua do tamanho do cristo redentor.

      Lucas Franco

      Excluir
  9. Não era o Larini, era o Naninni, de Benetton. A diferença de carros era enorme, assim como a de pilotos.

    McQueen

    ResponderExcluir
  10. Tinha 11 anos nessa época.
    E lembro perfeitamente.
    Baita saudade, Senna...

    ResponderExcluir
  11. Ligada ao ímpeto do Senna ao partir para a caça ao Nannini há uma cena que ficou gravada para sempre na minha memória. O cameraman da FOCA, nos boxes, mostrou o engenheiro-chefe de motores da Honda, Osamu Goto, com uma expressão de admiração ímpar assim que o Senna reassumiu a liderança.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Osamu Goto, esse é meu parente! haha

      Ass.: Guilherme Keimi Goto

      Excluir
    2. Daniel San07/05/14 19:24

      Bob,tenho até hoje um VHS da temporada de 1989,com comentários do Reginaldo Leme,e nele aparece a imagem do Osamu Goto,com um sorriso,admirando a manobra do Senna. Não é à toa que o Fangio havia dito que teria feito a mesma coisa que ele,justificando a manobra seguida daquela recuperação espetacular. Até hoje dá saudade daquela corrida que tive o privilégio de assitir.

      Excluir
  12. Arnaldo o video mostra parte da bela perseguição ao nannini http://www.youtube.com/watch?v=sRS1Qs2bIwQ
    Abraço

    ResponderExcluir
  13. AK
    Que post,hein!
    Só outro gênio para lembrar assim do Senna e ainda colocar o Clay no mesmo texto. Outro exemplo de coragem no campo da ciência é o incrível Galileu Galilei.
    Parabéns e obrigado!
    AAM

    ResponderExcluir
  14. Um grande campeão, entre outras façanhas, tem que ser capaz de me fazer acordar cedo para ver suas corridas, depois de chegar às quatro da matina em casa, num porre homérico, vindo da noitada de sábado. O Senna fazia. Só ele fazia. Só ele fez. Valeu, Ayrton. Valeu muuuuuuuuuito, valeu meeeeeeeeesmo! Como disse Tina Turner: Simply the best, better than all the rest.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mr. Car
      Quantos anos voce tinha nessa época?
      Noitadas, bebedeiras, mulheres....
      Vc me parecia ser bem certinho !
      Me surpreendo sabendo que Mr. Car. E também sexo , baladas e rock and roll !
      He he he !

      Excluir
    2. Fernando M. Sahade06/05/14 22:07

      De novo o "amigo" do Mr. Car, aquele camarada que nunca aprendeu a pontuar...

      Excluir
  15. O que admiro muito em Senna e em M.Ali, que só vi lutando em documentários, foram suas vidas fora do esporte ou após a aposentadoria. Infelizmente o Pelé, mesmo que tenha sido o atleta do século, nesses pontos deixa a desejar, e muito.

    Sei que outros super atletas também deixaram a desejar, mas logo o Pelé? Sempre que surge um novo craque, ele o diminui! Quando acontece algo de importante no Brasil, ou no mundo, ele se esquiva ou miniminiza o fato ...

    ResponderExcluir
  16. Arnaldo, uma das melhores frases que li sobre Ayrton Senna foi publicada pelo Lemyr Martins, a época reporter da revista Quatro Rodas.
    Ele escreveu que Senna via um tunel onde os outros pilotos enxergavam apenas uma fresta. Por aí, a gente tem uma idéia da coragem e da audacia do nosso grande campeão.
    Que me desculpe os que questionam a genialidade de Senna, mas ele é o maior sim. O cara respirava F-1, e raramente via-se ele fazendo qualquer coisa que não estivesse ligada à sua profissão - ou melhor ofício, como ele gostava de definir. Mesmo em seus momentos de folga, o que se via ou ouvia falar era em alguém buscando a perfeição. Se existiu alguem que poderia ser comparado à ele, seu nome é Nikki Lauda.
    Agora, se Jack Stewart acha Prost melhor do que Senna, podemos então coloca-lo no mesmo balaio dos argentinos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcus Lahoz06/05/14 16:11

      No linha direta, o Reginaldo e o Galvão falaram que o Senna saia do autódromo domingo com as fichas de telemetria dele e do Prost, jantava vendo os números e ao final falava: vou passar o Prost em tal situação.

      O cara não descansava jamais.

      Excluir
  17. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  18. Bom, algumas coisas me fugiram da memória, tinha 9 anos em 89. Mas neste último sábado a globo exibiu o documentário Senna, e tudo aflorou na mente: essa prova de 89, os outros campeonatos, a rivalidade com Prost, as puxadas de tapete do Jean Marie, a superioridade das Willians quando era permitida a suspensão ativa, e a dor de ver aquele acidente ao vivo...

    E que corrida ele fez em 89! Depois o Prost foi correndo choramingar pra direção da prova que o Senna voltou.

    ResponderExcluir
  19. Fica a dúvida se Senna seria permitido hoje, com as regras e punições atuais. Naquele tempo lembro de ver Senna e Prost trocando farpas sempre que se encontravam. Hoje coisa menor vale punição de tempo, no mínimo.

    Ainda gosto muito do esporte e sigo com gosto, porém o final de 80 início de 90 foi realmente memorável.

    ResponderExcluir
  20. Rafael Ribeiro06/05/14 14:13

    Quase 20 mil pessoas, no vigésimo aniversário de sua morte, compareceram ao autódromo onde Ayrton morreu, quinta-feira passada. Isso por si só dá a dimensão de seu carisma e prestígio junto ao público. Se ele foi melhor ou não, jamais saberemos, mas que assim o é considerado pela maioria dos apaixonados do esporte, não há dúvidas... Pelo menos entre aqueles que tiveram o privilégio de vê-lo em ação.

    ResponderExcluir
  21. As viúvas vão me matar,mas Lauda,Prost,Schumacher são melhores que Senna , sem contar Cancioneiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo, da minha parte não há problema algum. Eu canso em dizer que não existe o melhor, mas os melhores.
      Brasileiro confunde o significado de "o melhor" com o "aquele com o que eu mais me identifico".

      João Paulo

      Excluir
    2. Eduardo06/05/14 14:16 Também acho o Schumacher um pouco melhor.

      Excluir
    3. Speedster
      Foi sem duvida um grande piloto,, mas tenha dó!
      Shumacher melhor...... sim era melhor que o Barrichelo.
      Verdade seja dita: Levou um pau danado do Nico Rosberg
      Saiu da F1 pianinho e de cabeca baixa .....

      Excluir
    4. "Saiu da F1 pianinho e de cabeca baixa "
      O cara conseguiu passar Juan Manoel Fanjo ,veja bem ,não estou falando de carisma ,estou falando de pilotagem ,abraço .

      Excluir
    5. Speedster,
      nós também estamos falando de pilotagem. E lá eu falei de carisma?
      Cuidado com os números. Eles não contam tudo, vc sabe.

      Excluir
    6. Melhores em que, afinal? Teu critério é bem falacioso, já de cara eu noto.
      Nenhum desses que tu citou foi genial. Melhores que muitos em muitos aspectos, mas nunca geniais.

      Excluir
  22. concordo, jackie perdeu a chance de ficar quieto.
    não sou religioso mas a vida do Senna me traz algum fuzuê na alma.

    ResponderExcluir
  23. Tem a corrida completa de suzuka em onboard... :

    http://www.streetfire.net/video/japan-1989ayrton-sennas-onboard-camera-for-the-whole-race_part-1_2431260.htm

    ResponderExcluir
  24. Arnaldo e senhores, eu incluiria nesse rol de pilotos, o nome de Gilles Villeneuve, de tocada arrojada, genial nas manobras e ultrapassagens e que morreu pelos mesmos problemas que o Senna. Gambiarras nos parafusos do cinto da ferrari. Durante um acidente, os parafusos inferiores quebraram e os dos ombros não, fazendo o cinto quebrar o pescoço do jovem talento, cujo corpo foi catapultado do carro. Há um vídeo em que ela dá show de ultrapassagens no Prost, inclusive.

    ResponderExcluir
  25. Tem esse, com uma boa entrevista:
    http://www.youtube.com/watch?v=ouf1ybLjaik
    e esse, na câmera onboard:
    http://www.youtube.com/watch?v=uMQgoOaqPnw

    ResponderExcluir
  26. Lorenzo Frigerio06/05/14 15:48

    Não sou um grande seguidor do esporte ou da Fórmula 1, mas aqui vai. Em todas as áreas, em algum momento, alguém se sobressai. O futebol não teve só Pelé, mas também Garrincha, mesmo que por breve tempo. A Fórmula 1 teve Gilles Villeneuve, além de todos já citados. Senna foi o que foi, mas pagou caro por isso, tal qual Villeneuve e Jim Clark. Alguns campeões têm talento, outros são esforçados, outros têm talento e são esforçados. John McEnroe, Ivan Lendl, Pete Sampras...
    Alguns, além disso,são loucos.Talvez isso polarize e cative os brasileiros no caso de Senna.
    No caso do boxe, acho que vale lembrar os treinos especiais do Holyfield para conseguir derrubar o Tyson, que em seu tempo só era considerado inferior a Ali.
    E quanto à luta de Ali com o Foreman, vi o filme "Quando Éramos Reis", e a coisa podia ter acabado ali para Ali. O que aconteceu foi tão absurdo que pareceu marmelada... o fato é que Ali nunca apanhou tanto em sua vida. Creio que recebeu uma exígua reserva divina para queimar naquele momento e virar a luta, mas esse triunfo viria a lhe custar caro..
    Gostaria de saber a opinião do Arnaldo sobre o "Alemão", que calçou os chinelos de Senna e daí prosseguiu para ser campeão sete vezes. E Vettel, tão jovem, com quatro campeonatos, sendo que Senna só alcançou o primeiro aos 28 anos. A Fórmula 1 era mais competitiva e tinha um nível mais alto antes? Como avaliar isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh Lorenzo; ficaria surpreso se vc não opinasse, mesmo confessando que pouco entende. Vc opina e dá pitaco em tudo, né?

      Excluir
    2. Lorenzo Frigerio06/05/14 17:50

      Anônimo das 16:42, opinar é para todos, mesmo que seja uma bobagem total. Eu podia tê-lo feito anonimamente, tal qual você... ninguém poderia usar os seus termos, pois não saberiam quem sou. Não preciso de saco de lixo preto no meu vidro. E você, já deu pitaco em alguma coisa com algum nome ou nick permanente, ou só trolla os outros?

      Excluir
    3. É Anonimo 06/05/14 16:42. Chorou, mas nao vai nem dar pra ver suas lagrimas ocultas. Relaxa.

      Thiago Teixeira

      Excluir
    4. Lorenzo, acho que o grande mérito do Alemão foi saber montar a equipe Ferrari com os melhores da época, mas não me lembro de tê-lo visto fazer nada de anormal na pista. Era dedicadíssimo e tudo mais. O que estranho é que hoje ele está lá lascado de cama, coitado, e ninguém está dando muita bola. Imagine se fosse o Senna nessa situação. Muita gente sofreria junto.
      Quanto ao Vettel, parece que ele ainda tem o que provar, apesar de ser tricampeão. Esquisito isso, não?

      Excluir
    5. Tetra, Arnaldo. Já é tetra.

      Excluir
    6. Pode parecer até heresia, mas morrer fazendo aquilo que amava talvez tenha sido o melhor destino possível para o Senna, pois quando não pudesse mais correr ou deixasse de ser competitivo, com certeza ele ficaria frustado, teria talvez o mesmo destino do Schumi, que fui atrás de encontrar desafios em outros esportes até se arrebentar.

      Excluir
    7. Senna pilotava muito bem na pista molhada e dava show nas ultrapassagens,já Schumacher ultrapassava e acabou não tinha jeito,o próprio Schumacher reconhece que aprendeu muito com Senna.

      Excluir
    8. Só corrigindo o nome : Juan Manoel Fangio.

      Excluir
    9. Ruy, é aquela coisa do céu nórdico. Eles aceditavam que só quem morresse dignamente em combate teria o direito de se banquetear nos salões de Valhalla com Odin. A morte por velhice era considerada indigna. Para algumas pessoas, a velhice seria algo inaceitável, uma frustração sem limites, depois de uma juventude obcecada pela vitória. Como ele mesmo diz, A vitória é uma droga, ela vicia e te faz buscar mais e mais. Prum cara que disputou 162 corridas, foi pole em 61, venceu 41 e abandonou 47! Ele ganhou 1/3 das provas que completou, é um feito e tanto, numa época recheada de grandes talentos. A concorrência era forte, muito mais que era na era Schummy.

      Lucas Franco

      Excluir
  27. Marcus Lahoz06/05/14 16:09

    Neste dia 01/05 fiquei colado na tv vendo as corridas do Senna, e depois o Linha de Chegada, e por fim alguns documentários (minha esposa quase pediu divórcio).

    Mas o Prost definiu bem como enxergavam a diferença entre ele e Senna. Prost um robô; Senna um Samurai. Por isso a Honda gostava tanto do Senna.

    Sinceramente Senna foi o último dos Gênios da F1 (a meu ver o maior de todos). Dificilmente teremos outro, hoje a F1 é bem automatizada, troca de pneu sempre na mesma volta, combustível o cara sabe até qts ml tem gasto por curva, milhares de regras que inibem as disputas (encostar roda é algo considerado homicídio na f1 de hoje), pilotos obrigados a falar o que a assessoria de imprensa manda (guarde sua opinião para você).

    Sem contar claro que o valor fora da realidade gasto por grandes escuderias (se é que se chamam escuderias). Um verdadeiro absurdo a Mercedes com a fortuna deles concorrer com uma Marusia (que não tem ligação com a fabricante de carros, e se tivesse não tem como comparar a Marusia com a Mercedes).

    Aproveitando, o GP da espanha este final de semana deve ser o mais chato do ano, normalmente este circuito é chato e agora com a ditadura da Mercedes será mais monótono ainda.

    De qualquer forma, ótimo texto. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcus, concordo com tudo. De todas as regras que pasteurizam o esporte e nivelam por baixo, a pior é esta estúpida limitação de combustível. Numa corrida vc proíbe o piloto de acelerar! Concordo com o chefão da Red Bull (o austríaco da empresa de energéticos, não da equipe), que disse numa entrevista após o GP da Austrália que a F1 moderna está deixando de ser corrida de automóveis para se tornar uma gincana de economia de combustível...

      Excluir
  28. Fino relato, AK! Quero ler Fangio em Nürburgring na ponta da sua pena.

    ResponderExcluir
  29. E isso ai AK
    Nada como falar ou ler com quem realmente entende
    Sua lista de gênios bate 100% com o que sempre imaginei que fossem os melhores pilotos de todos os tempos
    E o melhor vc os colocou numa categoria a parte... Nao como os melhores pilotos mas sim como gênios ao volante
    Muitas vezes, ou na maioria das vezes, esses caras nao tinham o carro mais rápido ou o melhor conjunto. Porém faziam a diferença toda e superavam adversários com talento e ousadia infinitos
    E horrível ficar discutindo lista de melhores pilotos , pois sorte escuto umas besteiras cabeludas...
    Se bom se todos pudessem ler seu texto
    Abraços

    ResponderExcluir
  30. Discutir sobre F-1 e principalmente sobre Senna é tarefa difícil. Nesse país latino (me entristeço amargamente de ter nascido em um), uns o idolatram e não admitem opiniões contrárias e outros que não são fãs fazem de tudo pra diminuí-lo. Não há discussão saudável. 90% dos que assistiam F-1 na época não assistem mais. E 90% dos que assistem hoje, assistem com os mesmos olhos de quem vê jogo do curíntia.
    É isso.

    ResponderExcluir
  31. Senna é o Maradona da F1, ambos foram indiscutivelmente os melhores mas as circunstâncias os impediram de ter grandes números (como os de Schumacher e Pelé).

    ResponderExcluir
  32. Respeito muito o Senna foi sem dúvida um grande piloto co mo também foram inúmeros outros, Emerson, Piquet ,Lauda, Vileneuve, Shummacker e etc.par não citar muitos
    Agora, se comparar piloto de épocas diferentes, com carros e tecnologias e contratos diferentes ja é um sério risco de cair no descrédito o que dirá comparar com esportes totalmente dependentes da habilidade pessoal do participante, como futebol,basquete, principalmente entre outros?Aí a coisas ficam muito ruins para quem esta comparando. Ou o Pelé, Maradona, Zico ou Zidane tinham umas maquininhas para faze-los correr mais ou ter mais habilidade de dribles que os outros? Ou as chuteiras, os tamanhos de campo ou bola que usavam eram diferentes ou permitiam traquitanas das equipes e as regras podiam ser quebradas na moral? Fica muito difícil cair nesta cilada é desconhecer habilidades e diferenças que somente o tempo vai corrigir. Vejam o caso do Vettel. Era considerado um novo Shumaker(nos velhos tempos, pois no fim da carreira foi superado pelo companheiro de equipe) e no entanto esta sendo vencido sistematicamente por um estreante. Em esporte como os de corridas de carro fica mais crível falar em melhores carros não em melhores pilotos.O Senna além do mais foi um sujeito totalmente sem ética, ganancioso e arrogante. Se não fosse isto teria reconhecido sua inferioridade e não teria forçado o carro inferior e estaria entre nós até hoje.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lauro, no futebol e em qualquer outro esporte também há grandes diferenças causadas pela qualidade e tecnologia dos materiais utilizados. Por exemplo: Leônidas da Silva (o craque da Copa de 1938) carregava dois quilos em cada pé (meião, caneleira e chuteira da época) e sua chuteira entortava e arrebentava (literalmente desmanchava-se) durante o jogo. Cristiano Ronaldo, por sua vez, leva menos de 200 g de uma chuteira moderna que molda-se a seu pé e permite chutes precisos. Ou seja, não dá nem para comparar.

      Quanto ao Senna não reconhecer sua inferioridade, foi isso que o fez superior. Afinal, ele poderia ter ficado na Toleman, depois na Minardi, depois na Marussia, etc. Ele forçava os carros além do máximo: foi assim que ele terminou o GP de Mônaco em 2° pela Toleman, em 1984.

      Excluir
  33. Como diz o AK existiram e existem ótimos e excelentes pilotos,mas meu filho de dez anos sabe quem foi Senna.

    ResponderExcluir
  34. Essa corrida passou esses dias no SportTV2, mas a verdade é que Senna demorou um bocado até dar o bote em Prost, voltas e mais voltas, na saída da chicane da batida, o McLaren do baixinho sempre retomava mais velocidade, Senna se aproximava nas curvas mas sem ameaçar....a tentativa foi no único lugar possível para ultrapassar, em manobra temerária mas com Prost facilitando, já que ele não tomou a linha do meio da pista para dar o lado de fora para Senna tentar...Senna tentou, como não poderia ser diferente, mas Prost deu a fechada criminosa.

    O carro de Nannini era bem inferior, muito inferior, era questão de chegar e ultrapassar como Senna fez, pois ele ainda teve que ir nos boxes trocar o bico, e conseguiu pegar o Nannini com um trem de corrida demencial (em relação aos outros carros/pilotos, porém, com as mesmas parciais de perseguição a Prost)....

    O resto é história, a corrida de 1988 foi bem melhor em termos de espetáculo, pois Senna falhou e largou lá de trás!

    MFF

    P.s: Senna sempre foi melhor que Prost, a máscara de Vettel está caindo, como caiu a de Schumacher quando foi espancado pelo metrossexual Nico. Todos os anos elegem o melhor piloto da história..rsrsrs (Sebastian foi o último eleito ano passado).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Lauda era melhor que o Prost. O Lauda cansou de deixá-lo para trás na época do McLaren Tag-Porsche. O Prost fazia a pole e o Lauda largava em sétimo, por aí, e daí o Lauda vinha e vinha e papava o Prost.

      Excluir
    2. Nico não é melhor que Schumacer. Era apenas uma geração que se ia e outra que chegava. Ninguém é o mais rápido eternamente.

      Excluir
  35. No Brasil há muito de um nacionalismo passional sem sentido. O brasileiro quer saber se tem brasileiro ganhando alguma coisa , então ele se sente bem e começa a contar vantagem. Nunca fui fã da personalidade do Senna, mas eu admirava sua "loucura" pelo esporte. Infelizmente ele morreu depois de pegar a Tamburello com pneu frio , com uma linha fechada e com a cabeça quente por causa da Galisteu. Virou mais uma vítima da Tamburello e o brasileiro não quis e nem quer aceitar até hoje.

    Acho que ele foi sério demais. Por isso admiro o Piquet, engraçado, grande conhecedor de mecânica, admirado por muitos, caga e anda para quem não gosta dele, mulherengo, autêntico. Piquet é sensacional, não só como piloto mas como pessoa também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só gostaria de saber de onde você tirou isso, sendo que até mesmo o Piquet disse que aquela curva é praticamente uma reta. Cada uma...

      João Paulo

      Excluir
    2. O interessante é ver tantas teses dos "haters" de Senna. A comparação dele com Prost (pra mim um ótimo piloto e melhor ainda estrategista) pra mim não é séria, quem conhece minimamente a F1 da época sabe que sem Jean-Marie Balestre e a imbatível Willians de 1993 talvez ele nem fosse tri. Quer uma comparação realista entre eles? Basta ver Suzuka 1988, mesmo carro e o humilhado Prost sem saber como explicar como havia deixado Senna tirar uma diferença de 17 segundos...

      Excluir
    3. Falando nele, Pergunta pro Piquet a recordação que ele tem da Tamburello. Sofreu um acidente lá em 1987 e ficou todo torto, na curva quase reta. No limite em que se anda num F-1, qualquer coisa é muita coisa e pode te mandar direto pro ralo. Mas o Piquet teve suas doses de genialidade, como aquela ultrapassagem no Senna em 1986 que nunca mais veremos igual. Só que não era a mesma coisa, não tinha a mesma ousadia, não eram vitórias tão avassaladoras ou desesperadoramente dramáticas. Títulos mundiais decididos nas últimas provas na falha dos rivais. Isso tirou parte do brilho do Piquet. As vitórias do Senna tinham esse aspecto teatral, dramático, cativante. A corrida nunca estava perdida.

      Lucas Franco

      Lucas Franco

      Excluir
  36. Antonio Pacheco06/05/14 21:28

    Belo texto! Confesso que sou mais um fã incondicional do Senna, assisti a quase todas as corridas reprisadas pelo Sportv2 no último dia 01/05. Aliás, para quem é fã, o canal brindou os 20 anos de maneira brilhante.
    Por ser fã, podem achar minha opinião parcial. Prost era muito bom, muito técnico. Mas Senna era mais arrojado (coisa que não existe e não pode ter mais na F1 de hoje em dia). Aquele grande prêmio de Donington Park em 93 foi especial não só pela primeira volta especial do Senna mas pela corrida toda em si. Não me lembro de algum outro piloto (Prost, Piquet, Mansell e etc) ter vencido uma prova dando uma volta no segundo colocado com um carro inferior. Falando nisso, a primeira volta do Barrichello ele passou até mais gente, porém os carros do pelotão intermediário eram bem inferioes às Williams que podemos dizer que eram de outro planeta. Vou encerrar por aqui se não escrevo mais na resposta do que o que o AK escreveu no texto inteiro.

    ResponderExcluir
  37. Satoru Nakagima06/05/14 22:28

    Sou mais ser Um Barrichello vivo do que um Senna morto!

    Nakagima

    ResponderExcluir
  38. Ok, mas Prost ganhou 4 títulos e Senna ganhou 3, e os 4 do Prost foram com o Senna na pista, babando atrás dele.
    Imagine como vc se sentiria com o Senna babando atrás de vc... é amigo, o Prost não era nada fraco.

    McQueen

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prost nao era nada fraco nao...
      Mas Senna sempre foi muito mais forte!

      Excluir
  39. Ele era mesmo mestre - Arnaldo e Bob, o que vcs me dizem disso aqui:

    http://www.megacurioso.com.br/veiculos/24133-video-com-ayrton-senna-mostra-como-os-pilotos-desaceleram-antes-das-curvas.htm

    Agora, se possível, uma palhinha sobre essa técnica e sobre como o Senna a dominava...abs e valeu

    Franco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Punta-taco, como toda pilotagem esportiva requer... logicamente só pode ser feita em carros com cambio manual.
      Consiste em frear e acelerar (ao mesmo tempo) antes da reducao de marcha para a tomada de uma curva por exemplo.
      Essa técnica ja foi, por varias vezes, explicada e esmiuçada aqui no blog .
      De uma pesquisada no campo "buscar"
      Mas esse vídeo é uma senhora aula e bem melhor que ficar na teoria....

      Excluir
  40. AK,
    Muito boa a história do Clay. Não conhecia.
    Quem também usou esta técnica foi o Holyfield, em sua primeira luta com o Tyson.
    Quando o touro cansou de bater, foi nocauteado.
    E quanto ao Senna, sem comentários. O melhor disparado.

    Moy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Moy, a do Hollyfield contra o Tyson foi outra. Ele sacou que o Tyson só sabia bater quando andava para a frente. Não sabia bater recuando. Então o Hollyfield, que também era forte feito um touro, sempre avançava, fazendo o Tyson recuar. Um primo meu, ex-campeão paulista de boxe amador, me disse isso; ele sacou a jogada do Holly.

      Excluir
  41. Pessoal, a questão é simples, se o Senna estivesse vivo, e ainda pudesse pilotar em plena forma, ele pegaria a Willians do Massa do jeito que está, e venceria muitas as corridas e talvez até o campeonato. O talento dele era incontestável, e cá para nós, não existia piloto melhor naquela época. Me lembro direitinho. acompanhei a maioria dos GPs de 86 a 94, dos meus 10 a 18 anos. (por acaso não assisti o fatídico GP de San Marino de 1994) Lembro-me perfeitamente de corridas memoráveis, como a citada perseguição ao Naninni, uma das mais sensacionais que vi até hoje... me lembro de outra, mas antiga (me perdoem a falta de memória, mas eu era muito novo) onde Senna, com sua fraquíssima Lotus preta, conseguir um 2º lugar segurando um pelotão inteiro, de 4 ou 5 carros (inclusive eu tinha uma réplica de brinquedo dessa Lotus). Ninguém conseguia ultrapassá-lo. Na temporada de 91, na minha opinião, a melhor de todas, Senna tinha um carro muito inferior, às Willians com suspensão ativa, e aproveitou as oportunidades, brechas, chuvas, vacilos, e as trapalhadas dos adversários (especialmente de Mansel, bom piloto, mas trapalhão, seu pior adversário era ele mesmo), para ganhar campeonato. O Heptacampeão Shumacher, pode ser o maior vencedor de todos os tempos, mas sempre tinha nas mãos um carro superior aos dos adversários e se valia de algumas trapaças de equipe (como fez a Benetton em 1994, que removeu um filtro da entrada do tanque, para permitir reabastecimentos em tempos recordes). Quando dirigiu um carro inferior, na temporada de 2012 não conseguiu nada. Qual outro piloto, que ganhou um campeonato com carro inferior? Só se for da época em que não era nascido... Talvez Fangio, Fittipaldi. E é por isso que mencionei com a atual Willians de Massa.. Senna ganharia corridas com ela. Aquela temporada de 94, nem deveria ter acontecido... . Muitos de nós brasileiros endeusamos tudo que é estrangeiro... mas a sucessão de erros que aconteceu em Ímola, se fossem aqui no Brasil. A Formula 1 nunca mais viria para cá.

    ResponderExcluir
  42. Senna foi um ótimo piloto mas não correu sozinho... Prost, a sua maneira um tanto fria para alguns, também era um bamba no volante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leonardo Brito07/05/14 11:09 Prost não foi um piloto ruim ,mas teve uma senhora ajuda do Balestri, e bota ajuda nisso .

      Excluir
    2. Senna foi o melhor da melhor geração que o automobilismo já conheceu.

      Excluir
  43. Já que falaram aqui do Gilles Villeneuve ,vejo a ultima parte de Senna na F-1 parecida com a de Gilles ,Senna tentando recuperar o prejuízo atrás de Schumacher e Gilles atrás de Didier Pironi ,ambos sofrendo trágicos acidentes ,interrompendo suas brilhantes carreiras .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Speedster, e o Schummy fazendo das suas na época. Lembra do bocal maior do tanque, proibido? Lembra do assoalho irregular?
      Me mordi de de raiva quando soube que o Senna morreu sem saber que andava sendo enganado pelo alemão. Ele morreu sem saber disso.

      Excluir
    2. Daniel San07/05/14 19:19

      Arnaldo,e ainda tem um detalhe:Com todas as jogadas do alemão ele ganhou o campeonato daquele ano por apenas um ponto para o Damon Hill,e ainda por cima,jogando sujo,jogando o Benetton pra cima do Williams do inglês. Se para o Hill a diferença foi tão pequena,imagine se fosse contra o Senna? O alemão não teria a menor chance,pois o Ayrton ia achar o caminho das pedras pra acertar aquele carro,sem sombra de dúvida.

      Excluir
    3. Arnaldo Keller07/05/14 18:58 Concordo ,nesse período da F-1 o Schummy ficou parecendo até o Dick vigarista.

      Excluir
  44. Na página da Wikipedia que relata essa corrida consta que depois da batida, "Senna drove like a man possessed". Sem mais.

    ResponderExcluir
  45. O que todos nós desejávamos ter acontecido : http://spitzehacke.files.wordpress.com/2012/04/1-formula-alone-oleg-konin.jpg .

    ResponderExcluir
  46. Olá Pessoal, todos bem? Mais uma vez, ótimo texto, AK! Obrigado!

    Não sei se já foi postado, mas, temos no Youtube a corrida completa em Suzuka de 1989, para deleite dos fãs (eu, por exemplo). Basta acessar o seguinte endereço:

    http://www.youtube.com/watch?v=tCnZpcInpJc

    Este link contém a parte 1 da corrida. Todas as outras 6 partes aparecerão na sequencia (lado direito, listagem de vídeos). Basta seguir a nomenclatura do título do vídeo!

    Um abraço à todos Autoentusiastas!

    ferytk

    ResponderExcluir
  47. O Alonso é o mais próximo de gênio que temos hoje na F1. Infelizmente as pessoas nao reconhecem o talento de quem tem uma personalidade diferente do que elas esperam, vide o Alonso e o Rogério Cena (gênio do gol).

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.