HYUNDAI i30, TUDO O QUE SE QUER NUM CARRO

Fotos e vídeo: Paulo Keller



Há pouco mais de dois anos avaliei o Hyundai i30, 2-litros manual, pouco antes da chegada do 2ª-geração e a conclusão foi que estava explicado o sucesso do carro no mercado brasileiro. Agora é a vez da versão atual com motor 1,8-litro, chegada há relativamente pouco tempo (dezembro) em substituição à de motor 1,6-L de 128 cv, o mesmo do HB20 e Veloster, que não agradou muito, segundo ouvi dizer e ler. Pena, pois gostaria de tê-lo dirigido por não acreditar que fosse lento e desagradável como se dizia, mas não houve oportunidade.

Esse agora com motor de 1.797 cm³, 150 cv a 6.500 rpm e 18,2 m·kgf a 4.700 rpm, está na medida certa para quem procura um hatchback médio eficiente, espaçoso e confortável. Tudo o que considerei de positivo na versão testada antes — 1.975 cm³, 145 cv a 6.000 rpm e 19 m·kgf a 4.600 rpm —  se repetiu nesse, mesmo tendo perdido a suspensão traseira multibraço em favor do eixo de torção, justamente um dos pontos elogiados antes.

O motor é estado da arte, com tudo o que existe de melhor tecnologicamente falando, como duplo comando acionado por corrente, bloco e cabeçote de alumínio, 4 válvulas por cilindro com variador na admissão e no escapamento, e coletor variável. Só fica faltando mesmo a injeção direta.

O dono do show, visto sem a cobertura plástica

Seu preço público sugerido de R$ 91.900 — exatos R$ 20 mil mais que a versão básica — recompensa o comprador com praticamente tudo que se procura cada vez mais nos automóveis, de bolsa inflável até para os joelhos do motorista até câmera de ré (sob o emblema-logotipo, como no Golf) que mostra o que se passa atrás no monitor de 7 pol., por onde se navega pelo GPS e se controla o áudio. Considero espaço interno fundamental — não vejo motivo para quem se senta atrás ficar mal acomodado — e nisso o i30 atende muito bem, reflexo evidente do entreeixos de 2.650 mm (não mudou) e da boa largura de 1.780 mm, praticamente a mesma, apenas 5 mm mais. Essa grande largura logo se percebe visualmente, um traço marcante do modelo. E quem vai atrás notará o baixo túnel do assoalho e será alvo do ar-condicionado. Se quiserem tomar ar fresco, os vidros descem totalmente. Pena o passageiro do meio não dispor de cinto de três pontos, só subabdominal.

"Sentado atrás de mim", joelhos folgados

É muito agradável de dirigir. O câmbio automático epicíclico de seis marchas "da casa", da própria Hyundai (transeixo A6GF1) funciona com total precisão, a sexta é bem longa (v/1000 de 45,9 km/h) e a 120 km/h o motor está a apenas 2.600 rpm. A essa velocidade de estrada regulada pelo controlador o consumo esteve em 12,3 km/l, usando o ar-condicionado. Na cidade, sempre em torno de 9 km/l. Apesar do tanque de 53 litros, vai-se longe. Nada de botão "S", podendo-se trocar marchas manualmente pela alavanca trazida para o lado do motorista. Como não poderia deixar de ser (e deveria), sobe marcha para frente, reduz para trás — com nos controles remotos de TV e botoeira de um elevador.

Tudo simples, é possível trocar marchas manualmente pela alavanca

Notável, o motor "inflex" com taxa de compressão relativamente baixa, 10,3:1, requerer octanagem de apenas 91 RON, uma gasolina que nem temos mais no Brasil, em que o mínimo é 95 RON tanto na comum quanto na comum aditivada.

Rodas e pneus não mudaram, a mesma medida 225/45R17V (sul-coreanos Hankook Venus Prime) permanece e certamente contribuem para o bom comportamento nas curvas, apesar da perda da suspensão traseira multibraço. Agora o estepe é 100% operacional, até a roda é de alumínio (antes era temporário, fino, 125 mm de seção). A direção já tinha assistência elétrica, mas agora o grau de assistência é selecionável entre Normal, Conforto e Esporte. A relação baixa, 14,2:1 e o volante de 370 mm, mais o diâmetro mínimo de curva de 10,6 m, fazem do guiar na cidade ou andar (bem) rápido num trecho sinuoso um arranca-sorriso do autoentusiasta — até ao apoiar o cotovelo esquerdo na porta, graças à espuma macia ali.

Estepe 100% operacional e ferramenta bem alojadas


Bancos (de couro) com ajuste elétrico no do motorista são muito bem conformados e há uma verdadeira prancha onde deixar o pé esquerdo quieto. Os instrumentos são "Wolfsburg" na sua essência, até com os traços a 30 e 50 km/h, e o velocímetro perdeu a escala interna em milhas por hora, uma medida acertada, aquilo polui o visual e não há país de mph por perto. E o conta-giros está no nosso "off-side", ou seja, na esquerda.

Wolfsburg andou por aqui...

Há pequenos detalhes que sempre agradam. Por exemplo, ao ajustar a intensidade da iluminação dos instrumento há um sinal sonoro indicando que os limites forte e fraco foram atingidos. É uma bobagem, mas agrada. No centro do teto próximo ao conjunto de iluminação interna, um porta-óculos. Faixa degradê, claro que tem. Cinzeiro, naturalmente, e com uma eficiente tampa. Cinzeiro lembra cigarro e cigarro lembra teto solar inclinante-deslizante, um sempre útil equipamento até para não fumantes. Nesse i30 até a cortina sob o vidro se desloca eletricamente, e ela é dividida, uma parte recolhe para frente e outra, para trás.

Monitor de 7 pol.


A chave é de presença, com partida por botão. Não que eu aprecie isso, mas muitos gostam, é moderno. Mas há uma coisa que gosto pela  praticidade, o freio de estacionamento elétrico, que solta ao acelerar, não é preciso fazer nada.

O dirigir é tranqüilo. O motor é bastante suave e vai a 6.500 rpm nas trocas, quer automáticas ou manuais, com corte limpo. O rodar é firme sem ser desconfortável e ao trafegar sobre paralelepípedos o isolamento é dos melhores, mesmo com pneus de perfil 45. O carro não aparenta ter sido levantado para "maus caminhos", o que merece aplausos. O único senão, apenas questão de incômodo, é não haver batente hidráulico de distensão nos amortecedores dianteiros, ocorrendo a pancada seca quando a roda "cai" ao transpor uma lombada mais rapidamente. 

Há controle de estabilidade e tração, que pode ser desligado, e o controlador de velocidade fica no volante, à direita, simples de usar; a noite vira dia com os faróis de xenônio. A lamentar não ter luz traseira de neblina, que considero indispensável, mas há repetidoras das setas nos espelhos (veja a lista completa de equipamentos, bem como a ficha técnica, no final).

Boa aerodinâmica, Cs 0,30


O coeficiente aerodinâmico é dos melhores na classe, 0,300, resultando num bom valor final, considerando a área frontal (calculada, não informada) de 2,13 m². O porta-malas acomoda 378 litros, bom tamanho, bem próximo, por exemplo, do porta-malas do três-volumes Chevrolet Classic (ex-Corsa sedã), de 390 litros.

Acho que o i30 tem mesmo atributos de sobra para ser "adotado" por muitos, por mim inclusive.

BS

Veja o vídeo e mais fotos depois da lista de equipamentos: 





FICHA TÉCNICA HYUNDAI i30 2014



MOTOR

Instalação
Dianteiro, transversal
Material do bloco/cabeçote
Alumínio
Configuração / n° de cilindros / n° de mancais
Em linha / 4 / 5
Diâmetro x curso
81 x 87,2 mm
Cilindrada
1.797 cm³
Taxa de compressão
10,3:1
Potência máxima
150 cv a 6.500 rpm
Torque máximo
18,2 m·kgf a 4.700 rpm
N° de válvulas por cilindro
Quatro, atuação indireta por alavanca-dedo
N° de comandos de válvulas
Dois, corrente / cabeçote
Controle
Variador de fase admissão e escapamento
Formação de mistura
Injeção eletrônica multiponto no duto, coletor de comprimento variável
Combustível
Gasolina comum mínimo 91 RON
SISTEMA ELÉTRICO

Tensão
12 V
Gerador
Alternador de 90 A com gerenciamento
Bateria
45 A·h
TRANSMISSÃO

Rodas motrizes / câmbio
Dianteiras / automático epicíclico Hyundai A6GF1
Número de marchas
6 à frente + ré
Relações de transmissão
1ª 4,400:1; 2ª 2,726:1; 3ª 1,834:1; 4ª 1,392; 5ª 1,000:1; 6ª 0,774"1 ré 3,440:1
Relação do diferencial
3,270:1
SUSPENSÃO

Dianteira
Independente, McPherson, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
Traseira
Eixo de torção, mola helicoidal e amortecedor pressurizado
DIREÇÃO

Tipo
Pinhão e cremalheira, assistência elétrica, 3 modos de assistência
Diâmetro mínimo de curva
10,6 m
Relação de direção
14,2:1
N° de voltas entre batentes
2,7
FREIOS

De serviço
Hidráulico, duplo circuito em diagonal, servoassistido
Dianteiros
Disco ventilado de Ø 280 mm
Traseiros
Disco de Ø 284 mm
Controle
ABS, EBD
RODAS E PNEUS

Rodas
Alumínio, 7Jx17
Pneus
225/45R17V
PESOS

Em ordem de marcha
1.352 kg
CONSTRUÇÃO

Tipo
Monobloco em aço, hatchback, 4 portas, 5 lugares, subchassi dianteiro
AERODINÂMICA

Coeficiente de arrasto
0,30
Área frontal (calculada)
2,13 m²
Área frontal corrigida
0,639 m²
DIMENSÕES EXTERNAS

Comprimento
4.300 mm
Largura sem espelhos
1.780 mm
Altura
1.495 mm
Distância entre eixos
2650 mm
Bitola dianteira/traseira
1.569/1.577
CAPACIDADES

Porta-malas
378 a 1.316 litros
Tanque de combustível
53
DESEMPENHO

Aceleração 0-100 km/h (s)
10 s (estimada Ae)
Velocidade máxima (km/h)
210 km/h (estimada Ae)
CÁLCULOS DE CÂMBIO

v/1000 em 6ª
45,9 km/h
Rotação em 6ª a 120 km/h
2.600 rpm
Rotação em vel. máx., 5ª
5.900 rpm





EQUIPAMENTOS HYUNDAI i30 2014

Conforto e comodidade
Acionamento de alarme a distância
Active Eco Drive
Ajuste de altura e distância do volante
Ajuste elétrico dos retrovisores externos
Ar-condicionado automático digital com visor digital, duas zonas e saída para o banco traseiro
Computador de bordo com tela digital de 7 funções
Console central do painel com acabamento metalizado
Controle centralizado de portas e vidros iluminados com LEDs
Controle de cruzeiro
Desembaçador automático do pára-brisa
Destravamento do porta-malas a distância
Entrada para iPod, USB e Aux no painel central
Freio de estacionamento eletrônico
Ionizador e filtro anti-pólen no ar-condicionado
Iluminação no botão de partida
Navegador GPS
Painel de instrumentos com iluminação em LED
Partida por botão
Quatro alto-falantes e dois tweeters dianteiros
Reostato da iluminação dos insrtrumentos
Sistema de áudio Dolby Digital 5.1
Tela tátil de 7 pol., rádio integrado com leitor de DVD, MP3, Bluetooth e comandos no volante
Tomadas de 12 V (três)
Travamento de portas a distância
Volante de quatro raios com acabamento em couro
Bancos
Ajuste elétrico do banco do motorista
Apoios de cabeça (5) com regulagem de altura
Banco traseiro com descansa-braço central escamoteável e porta-copos
Banco traseiro dividido 60:40
Bancos de couro
Bolsas porta-revistas na parte de trás do encosto dos bancos dianteiros
Detalhes internos
Acabamento das portas com detalhes em couro
Acabamento metalizado nas portas
Console central com porta-objetos
Descansa-braço deslizante entre os bancos dianteiros
Espelhos nos pára-sóis com iluminação
Faixa degradê no pára-brisa
Iluminação do porta-malas e no compartimento do painel central
Lâmpada de aviso de cinto do motorista desatado
Porta-garrafas e copos nas quatro portas
Porta-óculos no centro do teto
Rede para fixação de objetos no porta-malas
Sapatas dos pedais com acabamento metálico
Teto solar panorâmico de acionamento elétrico inclusive da cortina bipartida
Faróis e lanternas
Faróis de neblina
Faróis principais bi-xenônio
Lavadores de farol
Sensor crepuscular
Carroceria
Anti-borrifo nas rodas dianteiras e traseiras
Grade dianteira com detalhes e logo cromados
Maçanetas das portas na cor da carroceria
Pára-choques na cor da carroceria
Retrovisores na cor da carroceria
Retrovisores rebatíveis eletricamente
Segurança ativa
ABS e EBD
Ajuste da altura de ancoragem dos cintos dianteiros
Câmera de ré embutida no emblema-logotipo
Controle de tração
Controle eletrônico de estabilidade
Defletor de teto com 3ª luz de freio em LEDs
Gerenciamento dinâmico do veículo (VSM)
Repetidoras de seta nos espelhos
Sensor de estacionamento na traseira
Segurança passiva
Barras antiinvasivas nas portas.
Bolas infláveis laterais dianteiras
Bolsa inflável para o joelho do motorista
Bolsas infláveis de cortina
Bolsas infláveis frontais
Célula de sobrevivência
Cintos de segurança dianteiros com pré-tensionadores
Cintos de segurança traseiros de três pontos e central subabdominal
Coluna de direção retrátil
Inibidor da bolsa inflável do passageiro
Segurança antiesmagamento em todos os vidros
Trava para crianças nas portas traseiras
Segurança patrimonial
Imobilizador de motor


Mais fotos:














(Texto atualizado em 19/05/14 às 18h25, correção do preço público sugerido, R$ 91.200 e não R$ 71.200, que corresponde à versão básica).

167 comentários :

  1. Olá Bob! Gostei muito do teste, o carro é uma beleza mesmo. Por que o estepe está coberto com aquele talco ou poeira branca?

    Renan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 19/05/14 12:27
      Acho que é efeito de luz da foto, não havia poeira.

      Excluir
    2. Tem cara de que foi usado. Tem a mesma poeira no pé o macaco e em volta do plástico do poço.

      Excluir
    3. http://2.bp.blogspot.com/-GakNy64gQlQ/U3oaa846nkI/AAAAAAAAPUo/FJIs_cbTSWA/s1600/Hyundai+I30+-+09.JPG

      Dê uma espiada Bob, parece que aplicaram algum produto no estepe.

      Excluir
    4. Anônimo 19/05/14 15:54
      Agora me lembro, o estepe havia sido consertado logo antes de me entregarem o carro, é sujeira (lama) mesmo.

      Excluir
  2. Pode ser um comentário meio inútil mas, acho engraçado como os dados de performance e consumo de um mesmo carro mudam de uma fonte pra outra, em alguns lugares os números diferem e muito da realidade, fácil de perceber isso no próprio volante, como tive a oprtunidade de constatar no i30 e no C4. Sei que normalmente estes números resultam de alguns cálculos, mas acho que falta uma certa precisão.

    ResponderExcluir
  3. Gostei da avaliação e também gostei do carro.
    Mas seu eu fosse comprar um modelo deste segmento, eu ficaria entre o Golf Tsi 1.4 e o Peugeot 308 THP, com tendência a optar pelo 308.
    E você Bob, numa comparação entre estes 3 modelos, qual seria o vencedor na sua opinião?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fábio Vicente
      Opiniões desse tipo só mesmo num comparativo, em função do resultado objetivo.

      Excluir
  4. E as opções de cores.

    Ha aproximadamente um ano atrás só tinha prata e preta. Será que já reviram isso?

    Aparenta-me ser um bom carro.


    Nas cores vermelha e e azul deve ficar lindo.

    Teria um.


    Michael Schumacher

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Schummy
      Agora tem branco também. Concordo, deveria haver mais cores.

      Excluir
  5. Bob, acho que você cometeu um erro quanto ao preço dessa versão avaliada. Possuindo todos os opcionais, igual a sua, com descarga em gás, ajustes elétricos do banco, entre outros, o preço da versão é cerca de 88 mil reais. A versão mais básica, sem boa parte dos itens destacados por você, aí sim custa 72 mil reais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 19/05/14 13:08
      ATENÇÃO: ESSA RESPOSTA VALE PARA TODOS OS LEITORES QUE FIZERAM O MESMO COMENTÁRIO

      Depois você comentou, falei com a Caoa e o preço do carro avaliado é bem mais, R$ 91.900. Quando retirei o carro a assessoria me passou o preço que divulguei. A você e aos outros leitores, minhas desculpas. Vou acertar o texto de acordo, informando ao final ter havido atualização.

      Excluir
    2. Ai, ai. 92 mil reais por um médio-compacto com motor 1.8, normal, de rua, nada de especial.... Isto dá, a dinheiro de hoje, quase 45 mil dólares. NÃO É SÓ O CUSTO BRASIL e todo mundo pode pesquisar para ver.!!! Entendo, sinceramente, extremamente demasiado. Não tem ninguém com revolver na minha cabeça para comprá-lo. Já sei, viu Bob. JÁ SEI! Penso, como o Milton Belli e outros cronistas, que a relação custo benefício SEMPRE deve ser observada, embora muitos comprem pela emoção e com estes não vamos discutir. Gosto é gosto e tá acabado. Mas que não leva minha grana não leva. Nem com reza brava!

      Excluir
  6. Caro Bob, uma pequena observação em seu excelente texto: as marcas no velocímetro ocorrem em 30 e 50 km/h, e não em 20. Fiquei com vontade de experimentar esse i30 pelas suas impressões. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fabio Ueda
      Esse foi erro digitação mesmo, estão claramente visíveis na foto do velocímetro marcas de 30 e 50 km/h, obrigado pelo aviso; já corrigi.

      Excluir
    2. Qual a finalidade dessas marcas vermelhas?

      Excluir
    3. Anônimo 19/05/14 17:20
      Na Alemanha e outro países europeus, 30 km/h em ruas residenciais e 50 km/h na cidade. As marcas servem com lembrete.

      Excluir
  7. Show !

    Uma dúvida, se fizermos a conversão do índice de octanagem, o RON 95 equivale a IAD 89,5...
    fazendo o contrário, IAD 87 é equivalente ao RON 92.... confuso, não fecha...

    a melhor fonte de informação sobre isto encontrei aqui http://transportpolicy.net/index.php?title=Brazil:_Fuels:_Diesel_and_Gasoline

    vemos que ele considera a gasolina tipo C como sendo IAD 87-RON 91

    ResponderExcluir
  8. Bob, parabéns pelas matérias do blog. Sou um leitor diário do site. Tomando o i30 como exemplo, que opera somente com gasolina, pergunto: esses veículos suportam a nossa gasolina (que possui 25% de etanol), sem danificar o sistema de alimentação, injeção e escape?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 19/05/14 13:34
      O álcool não faz o estrago que se imagina, tanto que silenciador de carro a álcool sempre durou mais do que nos carros a gasolina. O álcool só atacava a liga metálica de carburadores e bombas de combustível e também algumas borrachas, mas isso foi resolvido com banhos químicos e novos materiais. O maior dano da nossa gasolina era causado pelo elevado teor de enxofre, mínimo 600 partes por milhão, um absurdo, que agora não existe mais, estamos com o mesmo enxofre da gasolina européia, 50 partes por milhão.

      Excluir
    2. Tenta falar isso para o Alexandre ADG, aquele famoso da oficina High Torque de BH. o cara é fera, mas não concordo com tudo que ele publica na internet, Ele é categórico ao afirmar que 90% dos problemas dos automóveis atuais, são causados pelo uso de etanol. Já acho estranho, pois tive uma Ipanema só a álcool, que chegou a 200.000 Km, só com manutenção de rotina. Inclusive, nunca queimou bomba.

      Excluir
    3. Assim como acompanho o Autoentusiastas também acompanho o ADG da High Torque, e todas as vezes que o ADG reclama do Etanol é devido a tecnologia flex , que não passa de uma adaptação de fabrica.... pois a taxa de compressão dos motores flex nunca será a ideal para nenhum dos dois combustíveis utilizados.

      Excluir
    4. João Carlos21/05/14 04:03

      Thauã, o que ele acredita é o álcool misturado à gasolina dar os problemas de depósitos. Quando na verdade é culpa somente da gasolina. Somente apartir de 1 de janeiro que nossa gasolina melhorou e muito neste aspecto. Os carros desta data pra cá vão diminuir muito com problemas de depósitos.

      Excluir
  9. Bob, essa versão avaliada custa 72mil ou esse preço é da básica que não tem xenon e mais outros itens?

    ResponderExcluir
  10. Por que a preferência por aumentar marchas empurrando a manopla do câmbio para frente e vice-versa? Não é mais lógico ao contrário, justamente pela inércia da aceleração nos empurrar para trás e da frenagem, para a frente?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lorenzo Frigerio19/05/14 17:19

      Porque nos câmbios automáticos epicíclicos "pré-Autostick" ou "pré-Tiptronic", a sequência da alavanca, da frente para a traseira, é "P-R-N-D-3-2-1" ou "P-R-N-OD-D-2-1". Ou seja, quanto mais para trás, menor a marcha. Fazer ao contrário seria anti-intuitivo. A não ser, é claro, que o carro tenha uma engenharia "francesa", pois aí tem que ser diferente de tudo.

      Excluir
    2. Anônimo 19/05/14 13:36
      Por essa lógica, a de considerar inércia de frenagem como facilitador de reduzir tornaria complicado reduzir de 5ª para 4ª e de 3ª para 2ª nos carros de câmbio manual com padrão em "H". E o que dizer quando há borboletas, puxar sempre, seja para subir ou reduzir marcha? Sigo a lógica do controle remoto de TV e da botoeira dos elevadores...

      Excluir
    3. Nos câmbios "sequenciais", prefiro aumentar a marcha puxando o câmbio para trás e reduzir empurrando o câmbio para frente, como é nos carros de competições. Para minha cabeça é mais lógico, pois sou Piloto Privado e na aviação quando puxamos o manche para trás o avião sobe e quando empurramos para frente o avião desce.

      Excluir
    4. Anônimo 20/05/14, 23:30
      Como piloto privado você deve conhecer a regra "Balls to the wall", acelerador, mistura e passo tudo à frente na decolagem. Falo de propulsão (motor + câmbio), você deu exemplo de atitude do avião, uma coisa não tem nada a ver com a outra. Só em aviões operando em porta-aviões a manete acelera para atrás, para não haver risco de desacelerar por efeito da catapulta. Subir marcha puxando para trás é completamente ilógico.
      Bob Sharp - PP nº 9612.

      Excluir
    5. Bob, imaginando que o comando da função sequencial dos câmbios automáticos é meramente um comando eletrônico, seria fácil, entre as tantas configurações que os carros hoje permitem, que fosse configurável pelo motorista trocar marcha ascendente para trás ou para frente, atendendo a todos os gostos, bem como alternar as trocas entre direita ou esquerda nas borboletas.

      Cristiano

      Excluir
    6. Anônimo/Cristiano
      Corretíssimo. Já falei sobre isso algumas vezes aqui e até sugeri a alguns fabricantes. Um simples interruptor inversor no console resolveria, o que é + vira – ou vice-versa. Já nas borboletas está padronizado e não haveria sentido ou vantagem em alterar, uma vez que é sempre puxando.

      Excluir
    7. Bob, sou o anônimo de 20/05/14 23:30. Para mim é mais lógico aumentar marcha para trás, seja porque é assim no automobilismo, o que pode ter me acostumado a pensar dessa forma, seja pelas mesmas razões dos porta aviões:na aceleração seu corpo é projetado para trás, sendo mais fácil aumentar as marchas puxando a alavanca e, nas frenagens, diminuir empurrando a alavanca para frente.
      Bob, por que no automobilismo as marchas aumentam puxando a alavanca? Tem alguma razão técnica ou é apenas "convenção"?

      Excluir
  11. Carrão, só que não... Golf e Focus chamam para a briga. Por mais que seja primoroso, o prazer de acelerar um 1.4 turbo com DSG, deve ser inigualável... E exatamente por ser "inflex", com câmbio acertado e excelente aerodinâmica, esperava consumo melhor, coisa da ordem de 14 Km/l... 12,3 Km/l está empatando ou até perdendo para muitos "Flex" usando gasolina. Será que realmente carro só a gasolina, tem rendimento melhor que os malfadados bi-combustíveis? Não sei de onde surgiu isso, já tive carros idênticos, sendo um a gasolina e outro flex (Celta VHC)... ambos gastavam a mesma coisa, em algumas situações consegui médias melhores no flex (sempre usando gasolina, é claro). Penso que má fama, se deve aos primeiros sistemas, os "IAW 4aFB" da vida, amplamente usado na linha flex VW e Fiat. Bom, quanto ao i30. os tempos são outros. Se o primeiro vendia bem, é que naquela época, não existia nada melhor: Golf 4 e Focus 2... hoje, para ser um argumento convincente, talvez precisasse ser reposicionado em torno de R$ 60.000, não deixando chances para o Focus 1.6 manual. Mesmo assim tenho uma dúvida chamada Punto T-Jet.

    ResponderExcluir
  12. Oi Bob! Sempre acompanho os testes e os artigos do blog, vcs estão de parabéns pela qualidade das informações e iniciativa!

    Na minha opinião esse carro é lindo, por dentro e por fora. Mas pela sua impressão (não opinião pessoal, mas como avaliador técnico mesmo), ele esta no mesmo nível de "chão" que os concorrentes (leia-se Focus e Golf)?

    Abs,
    JC

    ResponderExcluir
  13. Belo post ,detalhamento perfeito !,gostei do vídeo e do porta óculos retrátil rsss, o carro está muito bom ,bem sóbrio nos detalhes sem invenções,só lamento também pelo terceiro cinto atrás ,um amigo meu trabalha de mecânico na Caoa e disse que se precisar o que é muito difícil , trocam até motor e o cambio na garantia, .

    ResponderExcluir
  14. Não dá para negar que é um carro lindíssimo, muito mais apelativo que Golf e Focus, seus rivais mais destacados.

    E é raro como político honesto, você simplesmente não o vê nas ruas (ao menos por aqui), o que traduz literalmente o quão equivocada foi a política da marca em substituir um bom carro, por um com mecânica mais raquítica, bem mais caro, apesar de bonito e claramente evoluído em diversos pontos importantes.

    Tivessem o cuidado em proporcionar um motor mais taludo de início, a história seria outra....

    Bom, para completar, creio que a ditadura das caixas automáticas (e isso a gente falava dos manuais trinta anos atrás) também tira um pouco do brilho desse carro, já que parece ser uma máquina deliciosa de dirigir.

    MFF

    ResponderExcluir
  15. Alessandro19/05/14 14:17

    Me permita uma correção. O básico custa 71.900 e esse top é 85.000. Só for branco enfiam mais 5.000.

    ResponderExcluir
  16. Bob, o que V. acha deste monte de "sacos de ar" rodeando o motorista? Não chega a ser perigoso? Primeiro porque passa a sensaçao de invencibilidade ao condutor, o que pode incentivar maluquices, segundo porque são dispositivos explosivos, que podem detonar fora de hora ou de modo incorreto, causando até ferimentos. Isso pra não falar no custo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 19/05/14 14:24
      Eu não gosto de bolsas infláveis, mas há quem faça questão delas e as fábricas atendem a esse anseio.

      Excluir
    2. Bob,
      Quer dizer então que as bolsas laterais não são importantes para a segurança? Pode explicar melhor o porque não gosta?

      Excluir
    3. Aff... isso já foi abordado inúmeras vezes......
      Anônimo 19/05/14 18:38 só um aviso: deixe-ô pensar como ele quiser. Se vc as acha importante, fique com elas, mas respeite quem pensa diferente.

      Excluir
    4. Depois que vi um Fusion capotado na estrada, com todos os Airbags inlfados e o motorista em pé ao lado do carro, passei a dar mais valor ao acessório.

      Só fica a pergunta: se ele não tivesse esse monte de airbags estaria correndo feito louco?

      Fato é, nem sempre o acidente é causado pelo condutor, muitas vezes um motorista imprudente te coloca em condições de risco. Eu prefiro ter.

      Mas isso é papo pra outro post.

      O I30 é fantástico. Gostaria muito se tivesse a versão Wagon como no modelo anterior. Com certeza teria um na minha garagem.

      Excluir
    5. Desculpa anônimo 01:53 mais eu não acompanho tanto assim o blog e não li. Só queria saber, porque se não faz diferença não vou gastar uma nota a mais para ter 7 airbags!!

      Excluir
    6. O problema é o air-bag estourar na cara de alguém que usa óculos. Pode ser pior do que não tê-los. Ademais, um acidente é sempre uma incógnita. O Bruno 20/05/14 13:02 viu o carro com todos os air-bags acionados e o motorista vivo. Eu já vi carro com air-bag que não sobrou ninguém, e tbm já vi Fiat Uno com 2 adultos e 3 crianças dentro, arrancar a roda dianteira de uma carreta Volvo FH e todos sobreviverem bem. Enfim, em acidente é melhor procurar ao máximo não se envolver neles.

      Excluir
  17. o anterior já era muito atrativo pelo que oferecia em relação ao preço, porém era feio, na minha opinião, o no mínimo sem apelo visual. o atual manteve as vantagens e ficou belo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anterior: bom, não tão bonito, barato.
      Atual: bom, bonito e caro.

      Excluir
    2. Caríssimo!

      Excluir
  18. Pra mim pesaria E MUITO o fato de ser Hyundai... espero que com a mudança para HB o atendimento comercial (péssimo desde a compra até o PV) tenha melhorado, assim como a questão assistência e falta de peças a disposição. Agora, se os preços praticados ainda forem os mesmos de quando esse i30 chegou, é caro, muito caro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiro comentário lúcido que vi dos leitores..... Entendo que o AE não comente preços mas não concordo. Respeito, entretanto.

      Excluir
  19. Eu gosto mais do design do modelo antigo, tem mais personalidade. Esse modelo novo virou um HB20 gordo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, Carlos, o HB20 que é um i30 magro. O i30 foi lançado antes e foi a base do design do HB20.

      Excluir
  20. O Bob sabe como nos "prender" aqui no Ae a cada dia. Olha aquele Audi alí nas fotos. Logo logo um post a respeito e eu aqui já com ansioso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quase um teaser do Bob...coisas do marketing e de teoria da comunicação. Aqui é o lugar certo deste comentário...

      Excluir
    2. Também aguardo um post e mais fotos daquele Audi.


      Gosto muito de carros vermelhos, muito bonita para veículos com apelo esportivo, como o A3 Sedan, qie tem dimensões "compactas", se comparado ao A4 e irmãos maiores, que não acharia bonito em uma cor tão viva.

      Michael Schumacher

      Excluir
  21. Muito legal o teste Bob. Você sabe se o Civic 2002 também conta com ausência do batente hidráulico de distensão nos amortecedores? Pergunto porque o meu também bate seco no retorno ao passar por um obstáculo um pouco mais rápido. Pensava se tratar de algum problema, mas saiu da revisão (onde pedi atenção especial nisso) e o "problema" permanece. Lucas (Vitória-ES)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucas Pereira,
      Não me lembro mesmo.

      Excluir
  22. Esse carro vai ser distribuído por aqui pela CAOA?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Certamente, como vários outros.

      Excluir
  23. Bob, quando você disse que prefere o repetidor de seta no para-lama por proporcionar melhor visualização pra quem está para trás do retrovisor, no i30 anterior a Hyundai conseguiu contornar esse problema colocando dois leds voltados para trás na extremidade do pisca, o resultado é ainda melhor que se fosse no para-lama. Nesse novo modelo não sei como ficou...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. RLPlantino
      Todas as repetidoras nos espelhos são visíveis por trás, não só no i30 anterior, como nesse. O problema é que no pára-lama se vê muito melhor, pois é uma luz que faz corpo com o carro, não algo fora piscando.

      Excluir
    2. E fica na mesma faixa lateral imaginária que vai do pisca da frente até o de trás, e o pisca no retrovisor não está nessa mesma "faixa" e muda de "tamanho" conforme o ângulo que se vê o carro; de frente é maximo, de lado é médio e de trás é minimo chama menos a atenção, no paralama ele tem tamanho fixo de qualquer ângulo e reforça a informação da seta de direção.
      Para mim pisca no retrovisor é modismo, na lateral é segurança e deveria ser item obrigatório.

      Lucas Sant'Ana

      Excluir
    3. Concordo em que os repetidores laterais devam ficar na lateral do veículo. A pergunta é: Porque aqui no Brasil isso é artigo de luxo?

      Excluir
    4. Estou estudando a compra, para daqui 1 ou 2 anos, de um Honda Civic da geração atual. Descobri que a versão mais básica não tem isso nem no para-lama!!! Simplesmente não tem o item!!! Como pode isso???

      Excluir
    5. Imagine q ridículo, pagar mais de 60 mil num Civic desses, chegar na casa do meu sogro e pará-lo ao lado do Fiat Prêmio dele, ano 88, 1,3-L, q tem as repetidoras.

      Excluir
  24. Bob,

    Tem certeza que esse modelo que vem com 7 airbag, teto solar e bancos de couro custa 71,900,00? Eu acho que nesse preço é o de entrada, se puder confirmar agradeço. Parabéns pela reportagem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não: Este modelo beira os 90 mil reais (absurdamente caro e com concorrentes mais fortes, como Audi A3, VW Golf e Ford Focus Titanium).

      Excluir
    2. Esse I30 é como o Mastercard: não tem preço. Virará sapato nas css. Apesar de suas qualidades.

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  25. Pneu com perfil 45 na buraqueira brasileira é certeza de prejuízo.

    ResponderExcluir
  26. Reconheço as qualidades do carro, mas ainda não consigo gostar a ponto de comprar um Koreano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 19/05/14 15:39
      Dizia-se exatamente a mesma coisa de carro japonês...

      Excluir
    2. Amigo, você deve estar confundo a Coreia do Sul com a China...

      Excluir
    3. Bob, como sou relativamente novo, tenho 30 anos, não me lembro dessa resistência aos carros japoneses, o que se mostrou injusta (tenho um Corola e acho o carro excelente para o fim que se destina).

      Anônimo 20/05/14 02:30, não estou confundindo Coréia do Sul com a China. Apenas estou dizendo que ainda tenho "preconceito" contra os carros coreanos. Com relação ao I30, até penso que ele foi uma opção interessante, lá no começo, quando dizia que sua qualidade era equivalente aos carros da Alemanha, mas mantinha o preço de carros nacionais. Agora, por R$ 91.900, deixa de fazer qualquer sentido para mim.

      Excluir
    4. Temos um Kia Soul. O carro em si tem tudo para ser considerado excelente. Menos um detalhe importantíssimo: pós-vendas. Chega a ser risível o tratamento dado aos que levam seu carro para a revisão. Humilham os clientes e se sentem ofendidos se reclamamos. Pelo que sei ocorre o mesmo com o Hyundai.
      As japonesas, até onde sei, tratam o cliente como cliente... simples assim e tão complicado assim. O cara vai, gosta, volta, troca por outro mais novo, volta de novo... vira fã.

      Excluir
    5. Certo Bob! Diziam que japonês não prestava! Vc está certo! Diziam e riam deles o tempo todo e no início não prestavam mesmo. Meu avô detestava produto japonês e amava tudo que era americano e com razão!!!!!!!! Daí veio a Honda na década de 60 e ganhou TUDO nas pistas de motociclismo. Depois lançou a moto do século em 69, eleita pelos jornalistas do mundo, a CB750 four e junto com mais vários modelos dela, Kawasaki, Suzuki e Yamaha, quebrou a industria motociclística mundial na década de 70. Nos anos 70, 80 e 90, ganhou TUDO no automobilismo, inclusive F1. No final da década de 80 e de 90 em diante, reconhecidamente, junto com Mitsubishi e outros, fez os melhores e mais duráveis carros de passeio, um sem número de esportivos e é tida nos USA e muitas partes do planeta, como os melhores e mais duráveis carros do mundo!!! Uma trajetória de mais de 60 anos ( só da Honda), com pelo menos 40 de sucesso!! Por favor me ajude a entender: o que foi que a Hyundai fez mesmo para merecer nossa confiança? Ganhou o que mesmo? Que produto se mostrou superior ou melhor que os concorrentes, avaliando não em uma dirigida, mas a, pelo menos, médio prazo? E não é para discordar de vc que escrevo isto não. Sei que vc é MACHO para publicar pontos de vista antagônicos e suportar idéias contrárias. Sem ofensas e em bom nível, claro. Tudo de bom e sucesso!!!. Somos seus fãs!

      Excluir
    6. Semana passada eu conversava com alguns amigos sobre essa questão do pós-venda, atendimento da Honda e da Toyota e coisa e tal. A conclusão que chegamos é que elas não estavam fazendo nada de mais, mas sim, as outras é que NÃO estavam fazendo o que deveriam. Aí fica fácil, né?

      Excluir
    7. Anônimo 20/05/14 14:16
      A Hyundai não fez nada, nem de longe, parecido com a Honda. O que houve foi um plano de educação e comunicação, incluindo informática, iniciado em 1960 que tornou a nação competente.

      Excluir
    8. Certo, ok, Bob. A NAÇÃO!! A Hyundai não fez mesmo NADA, nem de longe, mas muito de longe mesmo, algo sequer parecido com o que a Honda fez. Mas já que vc MUDOU o assunto de Hyundai para nação, temos mesmo que concordar que a A COREIA, captaneada pela Hyundai, UMA GRANDE EMPRESA naquele então ANÃO de país, pobre, sem nada, devastado por guerras, fez MUITO. Teve GOVERNO decidido, APRENDEU inglês, desenvolveu o estudo, o ensino, a educação em todos os níveis e se tornou uma POTÊNCIA, fazendo desde umas das melhores TVs do mundo a navios, carros e tudo o mais que se possa querer de moderno. E a gente aqui chupando dêdo, vendido que estamos, isolados e absolutamente sem cultura e educação alguma. O eterno gigante bobalhão adormecido. Apenas acontece que em CARROS ela tem concorrência. E sem entrar no mérito de quem é melhor ou pior, não tenho QUALQUER motivo para sair da HONDA e entrar numa Hyundai, ainda mais com os preços que este braço automobilístico DA EMPRESA HYUNDAI, RELATIVAMENTE RECENTE e DESCONHECIDO, pratica. Nos USA, QUEIMADA QUE ESTAVA, passou a dar 10 ANOS de garantia aos seus produtos que são lá, mais baratos que os demais!!! Mas isto LÁ, ONDE CONSUMIDOR É GENTE. Aqui, não sei saído de onde, a não ser da insatisfação geral do consumidor com QUASE TUDO que é vendido aqui, a Hyundai chegou pondo BANCA ( que não tem!) e PREÇO ( que não provou ainda merecer ter). Creio que justamente porque somos, primeiramente, extremamente mal atendidos por todos os fabricantes. Segundo porque neste país TUDO pode ser comprado. TUDO! Desde síndico a presidente, passando por imprensa, juízes, polícia, tudo. Terceiro porque viram o que era vendido aqui e o preço cobrado e, claro, resolveram nadar de braçada neste mar de TROUXAS. Não passamos de VIRA-LATAS PARA TODOS ELES, UM PAÍS SEM LEI, SEM ESCRÚPULOS, sem crítica e auto-crítica, de portas abertas a qualquer um que se disponha a jogar o jogo e pagar o preço. E que preço, hein? Continuo a dizer que não escrevi para te desagradar ou ser contrário. Se vc entender que compromete seu site de alguma forma, sinta-se confortável para não publicar.

      Excluir
    9. A Hyundai tem um braço forte no setor naval, construindo navios. De acordo com o que vi num programa, é o estaleiro mais rápido do mundo, pois constroem dividindo a embarcação em mais partes e conseguem uni-las facilmente ao final.
      Não é só tecnologia, é processo.

      Excluir
    10. Certo. Não so na área naval, mas faz também escavadeiras, pás carregadeiras e um sem número de coisas.Todo mundo viu e sabe que a Hyundai é uma empresa grande, tem processo e tudo. Mas e daí? Processo? Fábrica de vaso sanitário tem também. Todos que trabalhamos com engenharia sabemos disto. Agora, isto a credencia a cobrar AQUI tanto assim por veículos que vende a ponto de ultrapassar Honda e Toyota, como se melhor que elas fossem? O que fez EFETIVAMENTE no ramo automobilistico para isto e onde PROVOU isto? Lá fora ela não tem nem 1% da BANCA que tem aqui. Por que o Sr acha que é? Para mim é um grande SE COLAR, COLOU, coisa para país de terceiro mundo engolir como se fosse o melhor do mundo. Não é. Pode até vir a ser um dia que o mundo muda muito. Por mim vou esperar. E neste preços, espero até o final dos tempos.

      Excluir
  27. Samuca - Puma GTI19/05/14 16:18

    Bob, como sempre muito bom o post. Eu tenho um i30 2010 automático, o modelo "completíssimo" assim chamado pela Hyundai, comprado zero km. Considero um excelente carro, eu ando muito em rodovias e estou plenamente satisfeito, inclusive com a assistência técnica. Até agora uma só peça teve defeito e foi prontamente trocada. Sou sério candidato a trocar o meu 2010 pelo modelo novo aqui testado. Só que há um grande problema. Na concessionária me informaram que o preço do carro que você testou, Bob, é de 92.000 reais. O preço de 71.900 reais que consta aqui se refere ao modelo de entrada, que tem só duas bolsas de ar frontais e não tem teto solar, nem ar condicionado digital, nem bancos de couro, nem xenônio e outros mimos a mais. Considero que, por 92.000 reais tenho várias outras opções melhores em outras marcas. O modelo de entrada, apesar de ser ofertado com pequeno desconto, ainda considero caro pelo que oferece, e a concorrência está acirrada. Se existir mesmo este carro testado, zero km, por 71.900 reais, eu troco o meu já !

    ResponderExcluir
  28. Samuca - Puma GTI19/05/14 16:21

    E só tinha preto e prata, mesmo ! Além disso, o carro de entrada também não tinha os bancos de couro.

    ResponderExcluir
  29. Hugo Capeto19/05/14 16:25

    Esse carro custa a bagatela de 86.000,00 reais. Preço que, é bom deixar sempre claro, belisca um Golf Highline 1.4T DSG bastante equipado, inclusive com teto solar.
    Esse carro das fotos. Esse carro descrito no texto.
    Parece aquelas propagandas maldosas, de revista, que colocam um Corolla Altis, todo esplêndido e majestoso nas imagens, com preço de Corolla GLi e com a remissão "*imagens meramente ilustrativas".
    No mais, excelente avaliação, como de costume.
    É um carro muito bem construído e bastante completo e, agora ainda mais satisfatório, com o moderno 1.8. Não sei por que não meteram o pé no peito da concorrência e já não colocaram o motor 2.0 flex que equipa o Elantra.
    Por sinal, sempre vale ressaltar que o i30 1.6 16v (e também o Veloster 1.6 16v) não são NADA lentos, nada "mancos" (como dizem os bestas por aí) e NADA ruins, mostrando-se ótimos veículos, rápidos, confortáveis e econômicos pro uso padrão.
    Andar de Veloster ou i30 1.6 num track day é certeza de "vergonha", mas acho que esse não é o ponto crucial pra se escolher um carro.
    Finalmente, sempre é correto lembrar que o Golf 1.6 Mi (8v/101cv) adotou uma legião de fãs ao longo do início dos anos 2000, mostrando que a potência "numérica" (de ficha técnica) não é tudo (frente a Astra com motores 1.8, 2.0 e 2.0 16v).

    ResponderExcluir
  30. bob, chegou a receber meu comentario sobre o indice de octanagem.... nao sei se deu problema na hora de enviar ou ainda esta contigo !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 19/05/14 17:03
      Recebi e respondi um sobre gasolina com álcool atacar peças, e respondi. Foi sua pergunta?

      Excluir
    2. Na verdade não foi... Eu havia questionado o índice de octanagem da nossa gasolina (ainda tenho dúvidas).
      No Brasil, a octanagem é expressa em IAD = Índice Antidetonante
      Nossa gasolina tipo C comum tem Anti-knock index (IAD/AKI) = 87, o que equivale a RON = 91....
      Neste link, encontrei ótimas informações... (http://transportpolicy.net/index.php?title=Category:Fuels) (http://www.epa.gov/otaq/regs/fuels/additive/e15/index.htm)
      Aqui é minha dúvida, AKI = 97 é equivalente a RON = 91... e não RON = 95 !


      Pelo AKI = 87 estamos como os EUA
      Pelo RON = 91 estamos abaixo da Europa

      Chile = Valor mínimo según rotulación Gasolina 93, 95 o 97… RON
      Japão = Regular: 89; Premium: 96 min... AKI (3% de etanol)
      Coreia do Sul = Regular (91); Premium (94)… RON
      União Europeia = mínimo 95… RON (até 10% de etanol)
      Índia = mínimo 91... (RON)
      EUA = 87/89/91... AKI (10% de etanol...aprovado 15% para veículos fabricados a partir de 2001)
      Austrália = 91/95/96...RON (10% de etanol)
      Brasil = a comum/aditivada tem IAD = 87, Premium tem IAD = 91, Podium possui IAD = 95

      Excluir
    3. Anônimo 19/05/14 22:01
      Realmente seu comentário anterior não chegou, este o primeiro.
      Esqueça essa besteira de AKI/IAD, é coisa de EUA e Brasil apenas. O mundo gira em RON. Anote:
      87 IAD = 91 RON
      91 IAD = 95 RON
      93 IAD = 98 RON
      95 IAD = 102 RON (Podium)
      Se um motor requer 95 RON, creio que 95% dos motores do mundo, use gasolina comum, preferencialmente aditivada, que atende perfeitamente.
      Esse assunto de IAD/AKI é tão absurdo que conhecido site inglês publicou matéria dizendo a gasolina super americana era pobre em octanas, tinha só 91 octanas enquanto a inglesa tinha 95 — no que foram imediatamente avisados que eram iguais.

      Excluir
    4. Valeu Mestre !!!

      Considerando que 87 IAD = 91 RON, por dedução, podemos então afirmar que nossa gasolina comum tem a mesma octangem da comum dos EUA, mas que é inferior a Europeia, uma vez que esta última tem RON = 95.

      Excluir
    5. Exatamente, e por esta razão muitos motores turbo têm problemas aqui, notadamente os VW TSi, são projetados para gasolina de octanagem maior do que a nossa comum, e consta do manual e da portinhola de abastecimento o aviso GASOLINA 95 RON, mas grande parte dos proprietários ignora.

      Excluir
  31. Lorenzo Frigerio19/05/14 17:23

    "Tudo o que se quer num carro", ótima síntese. Mas o bom senso tem seu preço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caraca, Lorenzo! Desta vez concordei com vc!!!

      Excluir
  32. Perdão, Bob: Mas o i30 completo supera os 84 mil reais. A versão de 71 mil reais não vem nem com bancos em couro - tampouco, ESP, ASR, Airbags laterais, Airbags de Cortina, Airbags de Joelho e outros mimos. Com teto, chega a absurdos 88 mil reais. Focus Titanium e Golf deixariam o consumidor que gosta de uma pegada esportiva mais felizes por conta da maior eficiência extrema - até mesmo o Cruze Sport6 LTZ se torna melhor opção ao i30 topo de linha no quesito custo x benefício. Bom, se for o senhor cidadão comum, o i30 irá agradar também. Mas para quem gosta de uma pisadinha, garanto que Golf e Focus são melhores opções (e mais em conta). Valeu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. João Simonetti
      Por favor, veja resposta a um leitor dada às 17:51

      Excluir
  33. Esta correto o dado da capacidade da bateria? Apenas 45 Ah, capacidade inferior aos populares equipados com A/C.

    ResponderExcluir
  34. Concordoque a luz traseira de neblina é importante, mas como pouquíssimos brasileiros sabem utilizá-la melhor que não esteja disponível, já que para os maus motorista os momentos que ela atrapalha são muito mais freqüentes do que quando auxilia.

    ResponderExcluir
  35. Melhor carro da hyundai, na minha opinião (não gosto de SUV de um modo geral e não gosto dos sedans da marca).

    Mas concordo com o comentário mais acima: depois do Golf VII, fica difícil olhar com carinho pra outro hatch

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com os dois comentários.

      Excluir
    2. Discordo dos três.

      Excluir
    3. Discordo dos quatro.

      Excluir
  36. Impressão minha ou brasileiro está rico mesmo para pagar 92K em um carro médio??
    Sei que paga quem quer ou pode mas a coisa está estranha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu caro, parece que um novo patamar foi estabelecido e isso me deixa assustado.

      Excluir
    2. É só não comprar.

      Excluir
    3. Tá dureza, o Fit novo por absurdos 67 mil, com ágio de 2 mil reais ainda em cima e fila de espera. Preços aqui nunca vão cair, e por culpa dos consumidores mesmo. Quem pagar 92 mil nesse carrinho aí merece tomar tapa na cara.

      Excluir
  37. Esses dias tava vendo um HB20 e um i30, um atrás do outro no sinal. Os carros são idênticos, mudando só a escala. O carro deve ser muito bom mas 90 paus é demais.

    ResponderExcluir
  38. Poderiam ter usado o motor do ix35 - não sei se seria viável tecnicamente. Uns bons cavalos a mais, flex (que que a maioria dos compradores preferem), além de facilitar a manutenção por ter mais peças já disponíveis. Essa cavalaria a mais poderia ate ser usada para justificar esses 90 mil reais, que acho caro apesar do belo carro e vários equipamentos. Mas o fato é que a CAOA matou o carro com uma politica de preços absurda no lançamento (hatch médio com motor fraco e mais caro), que na geração anterior era campeão de vendas e hoje micou. Cresceram o olho demais, agora já é tarde para reagir, a concorrência veio pegando pesado. Uma pena pois essa geração é muito mais bonita.

    ResponderExcluir
  39. Estou começando a concordar com o Bob sobre a teoria de que a Volkswagen está subsidiando o preço do Golf enquanto ele é importado da Alemanha. E o custo-benefício dele está bem melhor do que o dos outros concorrentes.

    Além disso não é "flex". Um privilégio só dele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mesmo que não esteja subsidiando, é certo que a margem de lucro é pequena.

      Excluir
    2. Até a hora de cotar o seguro... aí você cai de costas.

      Excluir
    3. Um seguro que não é pago para o fabricante. Seu comentário não tem sentido.


      Alessandro

      Excluir
    4. Ah, não tem sentido, é? Quer dizer então que o valor a ser pago pelo seguro não entra na conta do custo-benefício? A não ser que você não o faça, né?, hehe...
      Menino, não importa para quem se vai pagar o quê, importa que o dinheiro vai sair do seu bolso, e isso é o que importa. Portanto... entra no custo.

      Excluir
    5. Mas e se o dinheiro não sair??

      Excluir
    6. Se o dinheiro não sair? Simples, é porque você não pagou. E se não pagou, das duas, uma: ou o papai pagou pra ti ou tu és um tremendo caloteiro.

      Excluir
    7. Anônimo 21/05/14 12:43
      A segunda opção. Quer trocar de carro?? =D

      Excluir
  40. Esse carro é bonito, bem construído e acabado, mas possui dois defeitos: um se chama Golf e o outro, se chama Focus.....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah vá !
      Isso nao é defeito
      Os caras da Hyundai que se cocem para fazer algo melhor ainda que a concorrencia...

      Excluir
    2. Gonzalez19/05/14 20:22 O defeito se chama preço...

      Excluir
  41. Marcus Lahoz19/05/14 20:54

    Lindo carro. Seria minha 3a. opção no segmento (golf e 308 thp antes). Acho apenas uma pena a hyundai ter lançado o 1.6 com valor tão alto, perdeu a liderança.

    Fora isso otimo texto. Realmente torna este carro uma opção a se pensar.

    ResponderExcluir
  42. Esse carro é excelente. Já tive um i30 da geração anterior e um Elantra, que não tem o mesmo acerto do i30 mas também é um bom carro (salvo engano, nos EUA o i30 é Elantra GT). Recomendo os automóveis da Hyundai, muito bem construídos. Apenas lamento pela precariedade do pós-venda (minha experiência), mas parece que estão melhorando. E o consumo (do Elantra) também não agradou.

    ResponderExcluir
  43. Bob, 91.000,00 no i30 ou 96.000,00 no gof GTI?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele não poderá responder, pois foge a ética do site como explicado..
      Mas eu te digo: Golf, sem pensar duas vezes...

      Excluir
  44. Bob espero ver o do Azera.muio bom.Bob qual seria a função de um teto solar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. welyton
      Deixar o sol entrar por cima e com a função inclinante acelerar a extração do ar interno.

      Excluir
    2. Teto solar é para países de clima muito frio e/ou com baixa incidência solar. No Brasil, só serve para fazer graça mesmo!

      Excluir
    3. Anônimo
      Pelo jeito, você nunca experimentou dirigir com teto solar. Sugiro que o faça.

      Excluir
    4. O meu Accord tem teto. Realmente ajuda a tirar o ar quente enquanto o carro gela com os vidros fechados, que aqui no Rio não dá para ficar parado de vidro aberto sem sobressalto. Mas acaba que entra o sol e incomoda. Daí a gente só usa mesmo de noite ou em dia fresquinho, sem sol forte. Particularmente eu gosto mas se não tiver também falta não faz. Mas tá longe de ser para " fazer graça", ô anonimo das 8;57. Já as crianças amam e vivem querendo por a cara do lado de fora. Nunca deixo, claro. O mundo mudou. Vai que me prendem como Nazista por isto....

      Excluir
  45. Um belo carro, o 1,6 não emplacou principalmente pela alto preço (que ainda é cobrado) e pouco desempenho. Eu não trocaria o Golf pelo i30 nunca.

    ResponderExcluir
  46. Meu deus, onde vamos parar? 90 mil por um hatch médio, carros quase populares em outros mercados... E a dó que dá colocar uma nave dessas no trânsito com os motoboys, flanelinhas, kombis velhas e motoristas de SUVs urbanos... Carros superfaturados... Mas finalmente ao menos estamos atualizados com o resto do mundo. Tenho gosto de ver nas ruas Golf, Cruze, 308, Focus, I30, Bravo. Depois de ter Monza, Escort Zetec e Astra, desci para Fox 1.6 por achar muito dinheiro para o uso essa nova safra de carros MÉDIOS com preço de Omega de antigamente... Com a diferença comprei uma NC700X pra escapar dos engarrafamentos. Mas o I30 é um belo carro, com tudo o que se espera desse segmento, exceto o preço. O que os leitores acham que seria um valor justo, uns 45 mil? Não riam por favor... Bob, excelente texto como sempre.

    Mauro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em 2003 paguei R$ 33.000,00 por um Focus 1.8 GLX. Daí, nota-se mais de 100% de inflação nos 11 anos...

      Excluir
    2. Olha, eu não sei se este comentário vai passar, mas eu entendo que o valor está demais. Aliás, tudo aqui está demais. São todas as empresas cobrando muito, na base do " se colar colou" , e o pior é que cola, tem trouxa para tudo e pronto! Dinheiro é dinheiro e se nosso real vale 0,45 cents de dólar, 45 mil dólares é grana para comprar UM MUNDO lá fora!! Se depender de mim os caras vão falir! Só comprei meu Omega em 2012 porque o preço dele AQUI estava MAIS BARATO que na Austrália!!! Apenas comparei o meu 2011/11 com um 2012/12, porque comprei zero e não achei lá na Holden, na época, um 2011/11 zero vendendo. Mas eu paguei 44 mil dólares AUSTRALIANOS que na época valiam MAIS que 45 mil dólares AMERICANOS pelo cambio de então. Hoje, este omega com motor V8 de 6 litros, custa uns 30% mais que o V6, é vendido nos USA por 45 mil dólares e chama-se lá Chevrolet SS lá. São menos 10 mil dólares que o MESMO CARRO VENDIDO NA PRÓPRIA AUSTRÁLIA. Portanto, penso que este Hyndai está CARÍSSIMO, assim como estão caríssimos os demais carros nacionais, e além de tudo a Hyundai AINDA não tem a fama que muitas outras tem. Pode até ter qualidade, estão falando maravilhas, mas eu quero esperar e ver para crer. Neste preço eu nunca compraria. Entendo que tem opções muito melhores até em categorias diferentes. Um Accord 4 cilindros de 178 cvs, por exemplo. Tá na mesma faixa. Quem paga 93, paga 100 e leva um SENHOR automóvel. E não sou eu que digo que o Accord é espetacular. É o MUNDO. E tá PROVADO!

      Excluir
  47. Não consigo gostar das linhas, na minha opinião, rebuscadas de uma grande maioria dos carros modernos.
    Sei que isto é verdade porque logo após ler este artigo olhei na minha garagem e vi que os carros que eu escolhi, são bem mais sóbrios (Jetta e meu velho Omega), já minha esposa adora esta profusão de vincos e nervuras, ela tem uma (argh! Captiva V6, bom motor num carro péssimo). O I30 esta na lista dela, embora eu prefira o Golf, mas vale tudo para ver a Captiva ir embora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo Alvaro. E concordo, deveras, que o Captiva é um carro grandão, sem espaço, beberrão, meio bossalzão nas curvas, como quase todo SUV. E também gosto do meu Omega. Parece ser o mesmo motor, mas que diferença de carro, hein?

      Excluir
  48. Nunca entendi o por quê da versão anterior com motor 1.6 flex foi tão crucificada. O Cerato utiliza o mesmo motor e é só elogios por aí.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo, quem teve o i30 2.0 (e suspensão traseira independente) sabe por quê.

      Excluir
    2. Foi crucificada pois perdeu o 2.0 pelo 1.6 e o preço aumentou MUITO!

      Excluir
  49. Lá pelos anos 90 meus sonhos de consumo eram as versões de topo, porque, eram elas que tinham, além dos melhores motores, ar-condicionado, trio elétrico, direção hidráulica e tudo o mais que me atrai. Hoje em dia, tenho me sentido mais atraído pelo custo/benefício das versões básicas que, apesar de nem sempre terem o melhor motor oferecido ao modelo, tem tudo o que pra mim é suficiente, mesmo em alguns dos carros mais baratos do mercado. As versões de topo tem cobrado cifras astronômicas por coisas que não faço a menor questão.

    ResponderExcluir
  50. Hyundai tem belos e bons carros, mas um péssimo pós venda. Tenho duas HR, veículo muito bom para o trabalho, mas não tenho como manter revisões na css, qualquer peça, quando tem, é caríssima. O atendimento em geral nas css é muito ruim. Tenho uma HR 09 e uma 13, essa última foi realmente a última, pois quando precisar trocar ou comprar outro utilitário não será da Hyundai, com certeza, não pelo carro, mas pelo pós venda e absurdo nos preços de peças.

    ResponderExcluir
  51. Tive o prazer de conhecer o modelo básico, 69.900,00, na cor preta, porém, achei muito caro em relação aos concorrentes, além disso, estão cobrando 5000,00 a mais pela cor branca, um absurdo. Quem sabe no futuro, a CAOA venha a fabricar este modelo em Anápolis-GO, como fez com o iX35 flex, e que não repita o erro de fabricar aqui e cobrar preço de importado.

    ResponderExcluir
  52. Pode ser muito bom, pode ser o melhor do melhor, mas nunca será bonito. Desenho muito ruim, envelhecerá rápido e enjoa como todo Hyundai moderno.

    ResponderExcluir
  53. Acho o carro feio, assim como todos os Hyundai. As linhas são muito rebuscadas.

    Mas isso não o torna melhor ou pior. A questão é: 92 paus é quase o "vermelhinho" da foto, não?

    E comparando médios, por esse valor, sou bem mais um Golf. O Focus (preferido) nem comento porque o Titanium é absurdamente caro e não vale os 90 mil pedidos.

    Sobre o teto solar, concordo com o anonimo acima. Em locais com temperatura mais baixa é legal. No Brasil, na primeira semana vc o abre pra tudo. Vai comprar pãozinho, abre o teto. Na segunda semana, apenas abre a persiana. Depois não abre mais nada e anda com o AC direto.


    Marco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marco
      Só gosta de teto solar quem aprecia o dirigir a céu aberto. Há muitos anos comprei um Fusca alemão 1967 porque queria teto solar e a produção do nacional com o equipamento já havia terminado, além de serem todos 1200. Abria o teto todo dia de manhã indo para o trabalho, com o sol ainda baixo. É muito bom!

      Excluir
    2. Dirigir a céu aberto signfica mais poeira e mosquitos na cabeça, cusparadas ao passar por coletivos, câncer de pele, calor ou frio extremos... e tudo às custas de maior preço e menor rigidez torcional!

      Excluir
    3. Anônimo 21/05/14 14:49
      Então quer dizer que você é um dos que têm medo de câncer de pele — "aí! ui! que sol, meu Deus!" — e provavelmente dirigir escondido por sacos de lixo com essa justificativa. Me corrija se eu estiver errado. Quanto a cusparadas, depende por onde você circula, certo? Temperaturas extremas? Para que serve o ar-condicionado com aquecedor? Para terminar, aprenda mais uma: carro de teto solar é mais rígido torcionalmente que um sem, em razão da estrutura adicional para o sistema.

      Excluir
    4. Corsário Viajante22/05/14 10:13

      Meu carro tem teto solar, e uso todo dia, há cinco anos.
      Só não uso ao meio dia, mas de resto é excelente, especialmente na estrada, onde basculado permite circulação de ar e evita o uso de A/C.
      Entendo quem não goste, realmente tem alguns inconvenientes (embora nunca tenha levado cusparada) mas tem gente que gosta de exagerar.

      Excluir
    5. Bom, quando vc. vai entrar no carro que ficou horas no sol, abrir as janelas é muito bom, mas o teto solar é excelente. O ar quente vai embora... e ainda vc. tem a vantagem de andar por aí com ventilação natural sem precisar ficar com os vidros laterais abertos, o que aumenta a segurança. Teto solar é muito legal!

      Excluir
    6. O problema é que quase não existe a opção por aqui e, nos pouquíssimos modelos em que é disponível, seus olhos são literalmente furados quando se vê o que cobram pelo opcional. Para quem quer muito e não tem grana para comprar um carro que o possui restam os instaladores "por fora". E aí, vai ter coragem de meter a serra tico-tico no teto do seu carro? Tô fora!

      Excluir
    7. Tomar cusparada usando teto solar... Este cara deve ser neurótico de guerra... E ainda tem medinho de sol, usa protetor solar, protetor labial....Menino criado com vó e a base de leite ninho..Nunca deve ter brincado na rua e nem deve saber o que é um carrinho de rolemã. O teto é legal sim. Muito mais legal ter do que não ter. Se não tiver, não digo que faça fallllllllta ( aqui no Rio), mas tendo a gente usa e é gostoso sim. Com o tempo vamos nos acostumando às hs boas de usar e formando memória. Não dá trabalho algum, é elétrico, só apertar um botão e ele abre e fecha. E o meu é Honda, não dá problema, não vaza, não faz barulho, não chateia nem amola. Igual a tudo no carro. Como dizia meu avô; uns gostam dos olhos.Os outros das remelas......

      Excluir
  54. Bom, muito bonito, muito eficiente, mas a Hyundai bebeu muito na fonte dele para fazer o HB20 e agora temos um carro muito parecido com o outro. Continuo com meu Focus powershift 2.0. Testei o Hyundai e a suspensão dele está anos atras do Focus, friso para o uso no dia a dia da cidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, sim... normal que a gente prefira o carro que possuímos.
      E pessoalmente, nada a ver isso de um se parecer com o outro ser algum demérito para o modelo em questão. Na vida nada se cria, tudo se transforma.

      Excluir
    2. Pois é, acho uma tolice esses comentários do tipo "Golf parece o Gol", "i30 parece o HB20", tentando reduzir o valor percebido do produto... ainda que possa haver elementos comuns, são carros e propostas completamente diferentes. Só quem avalia carros apenas pela estética chega a conclusões como essa. Cada marca possui o seu "ID", a sua identificação, a sua "family face", conforme adotado pelos fabricantes. Isso existe em outras indústrias e produtos, não apenas com automóveis.

      Excluir
  55. João Carlos20/05/14 19:34

    Nenhum carro vale o que custa no Brasil. Mas esse aí bateu o recorde, embora não saibamos o real preço praticado na concessionárias.

    O melhor custo benefício em carro médio é o 308 e o C4, mas só vale pra quem gosta de carro e não do "último lançamento".

    ResponderExcluir
  56. Neste novo modelo não há o que reclamar da beleza do i30.
    Mas achei bastante fraco os números de autonomia para um 1.8 6AT à gasolina.
    Os números de desempenho que tenho visto são bastantes fracos, principalmente no 0-100 km/h ao redor de 12s é muito alto para um carro equipado com um 6AT.
    A curva de desenvolvimento de torque perde fôlego logo após os 6.000 rpm e cai bruscamente o que denota componentes dinâmicos um tanto "pesado" e, portanto, pouco refinados.

    Melhorou bastante alguns pontos em relação ao modelo anterior, mas nada que convença pelo que oferece.
    Não é "puxar a sardinha" para a concorrência, mas não vejo atributos neste modelo que justifique o preço cobrado ...

    ResponderExcluir
  57. Valeska Popozuda a Intelectual23/05/14 16:09

    É um carrão sem dúvida nenhuma e cheio de mimos.

    Dureza é se acontecer um acidente, como aconteceu com um de uma dona daqui do prédio e ter que esperar três meses por um para-lama, por um precinho na casa dos 4k!

    Tanto Hyundai quanto Kia precisam rever esses custos, do jeito que está, prevejo nuvens nebulosas para ambas.

    A Jac, neste ponto está um pouquinho melhor, mas é coisa mínima.

    Por isso o Focus e o Golf são melhores, mas é coisa mínima. Que bom.

    Valeska Popozuda a Intelectual

    ResponderExcluir
  58. Não entendi essa do estepe ser igual aos outros pneus. Acabei de chegar de uma loja da Hyundai e o carro ofertado possuía estepe temporário. Vocês sabem dizer se isso vem a ser opcional?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Calmon
      Agora quem não entendeu fui eu. Sempre verifico essa questão do estepe nos carros que testo e esse tinha estepe totalmente igual às demais rodas. Vou verificar com a Caoa.

      Excluir
  59. Parei de ler quando vi o preço, vai continuar encalhado!!

    ResponderExcluir
  60. Bob; Ia me esquecendo. Parabéns pelo vídeo e pela forma com que ele foi feito. Deu uma nova dimensão na reportagem. Ficou um contato mais próximo, mais humano, mais legal. Aproxima a gente daquilo que vc quer dizer e mostra muito daquilo que vc escreve ou fala. Ficou muito bom, viu. Continuem com os vídeos, se possível neste formato mais humanizado, mostrando a cara, colocando os pontos de vista. Creio que vc acertou a mão. Saindo do assunto preço que já encheu, não creio no zero a 100 abaixo de 10 segundos, ainda mais na casa de 9. Duvido muito. Mas como vc vai checar, depois passa para a gente. Também fico meio cético com este carro passando dos 200 por hora, mesmo lá no final do giro, em canto de cisne. Como as coisas mudaram, hein? Durante décadas a barreira dos 200 era o que separavam os carros andões dos demais. 200 agora pode ser atingido por um 1.8 que mamães e vovozinhas usam para levar as crianças na escola, fazer mercado, cabelo e unha!

    ResponderExcluir
  61. Bom carro. Mas a CAOA sempre quer impor carros pretos ou prata, ou cobrar 5 mil a mais por um branco. O vendedor tem a ousadia de dizer que lá na Korea a fábrica só tem duas linhas de montagem e que para pintar de cor diferente tem-se que parar a linha. Que mentira! O que dizer do americano que importa da mesma fábrica, tem oferta de 8 cores e paga metade do preço pelo carro?

    ResponderExcluir
  62. "http://carroonline.terra.com.br/noticias/ultimas-noticias/i30-e-reprovado/?rlabs "

    Vejam o resultado do "teste do alce" com o i30... risco de vida declarado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Danilo Grespan
      Oh, que perigo, que risco de vida!!! — matéria sensacionalista desses suecos, nada mais. Note no vídeo que, depois de desviar para esquerda, as rodas esterçam para a direita para, em seguida esterçarem para esquerda novamente. Como assim, travou a direção? E o "piloto" dá uma ordenhada de vaca...Não merece crédito.

      Excluir
  63. Prezado Bob, este é o mesmo motor que vinha no Elantra 2011 com "divulgados 160 cv"? Meu questionamento é em relação a divulgação de litragens (ex: o motor tem 1330 cm³ e divulgam 1.4) e potências (diversos carros da Hyundai como por exemplo o Veloster). Não há nenhuma validação nas informações que um fabricante divulga, ou seja, o que ele afirmar vira lei? Acredito que este assunto já tinha sido abordado anteriormente mas gostaria de saber sua opinião. Grato!

    ResponderExcluir
  64. Anônimo 27/05/14 18:02
    Houve um Elantra para mercado americano com esse motor de 1.797 cm³ e 147 cv, mas lá os motores são ligeiramente menos potentes por conta das leis de emissões. Não tenho dados do Elantra comercializado aqui. Quando às cilindradas (evite usar litragem, que é aplicável a volumes de tanques e reservatórios) arredondadas para cima, é prática comum marqueteira. O motor E.torQ Fiat 1,8 é na verdade 1,75 litro (1.747 cm³). Como leitor do Ae você será levado a erro nisso, pois sempre informamos a cilindrada em centímetros cúbicos. Os fabricantes e importadores não mentem potência, primeiro porque os produtos têm de ser homologados pelo governo. segundo, porque há meios de se comprovar se a potência anunciada é verdadeira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiramente agradeço pelas respostas e pela orientação quanto ao uso da "litragem". Como leitor regular de algumas publicações (Carro, Quatro Rodas) vi algumas ocorrências da divulgação "otimista" das potências do já citado Elantra 2011, do Veloster e do atual Azera. Nada contra o fabricante destes veículos, que inclusive admiro e considero muito bons. Acredito que a prática marqueteira de "aumento" da cilindrada e de potência também se aplique aos números de consumo e do 0 a 100 km/h divulgada pelos fabricantes. Mas isso é assunto para uma outra ocasião mais apropriada. No mais valeu pelas explicações/orientações e parabéns pelo blog.

      Excluir
    2. bob eles podem até não costumar mentir a potência.mas e o caso do veloster que diziam ser de 140 cv mas é na verdade 128cv.o que você acha sobre isso?

      Excluir
    3. Welyton
      Esse caso foi informar motor errado, não era o de injeção direta de 140 cv, mas o de injeção no duto de 128 cv. De qualquer maneira, um erro inadmissível.

      Excluir
  65. Camaradas

    Não é um sistema perfeito, pois o preço do cavalo não é tudo em um carro, mas eu costumo fazer uma conta simples. Preço/potência:

    i30 - 92k/150 = R$ 613,00/cv
    Fluence GT 85k/180 = R$ 472,00
    Jetta TSI - 100k/200 = R$ 500,00.

    O Jetta TSI tem um cavalo bem caro, mas o do i30 é demais, custa 22,5% mais que do VW.

    Normalmente, quando um carro cai na bocadopovo como tendo bom custo/benefício, tem preço do cavalo abaixo dos 450 cruzeiros.


    Forte Abraço a todos

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.