SONS

Foto: www.asme.org


Acho que todos concordam que o som é uma das coisas mais importantes na nossa vida. Todos temos sons guardados na memória que remontam aos nossos primeiros anos de consciência do mundo ao redor. É som que nos deixa em contato com o mundo quando não vemos ou avistamos alguma coisa, por exemplo, um barulho estranho na casa ou no carro.

Compartilho com o leitor alguns sons que marcaram nesses meus 71 anos, com os quais, estou certo muitos irão se identificar. Dado o tipo de blog que o AUTOentusiastas é, sons ligados ao automóvel, claro.

Um dos primeiros sons marcantes, ou o primeiro, foi de carro de corrida. Em 1946 a família se mudou de um apartamento em Copacabana para uma casa na Gávea. Eu tinha quatro anos. Em 1949, com em todos os anos, houve a corrida no Circuito da Gávea, o Grande Prêmio Cidade do Rio de Janeiro, em março. Acho que foi a primeira corrida que assisti (houve Gáveas em 1947 e 1948, mas não lembro se as assisti). Nossa casa ficava numa transversal da rua Marquês de São Vicente e ficava a 100 metros dela, que era parte do circuito. Eu tinha 6 anos, completados em novembro.

Pois bem, o berro do motor do Maserati do italiano Luigi Villoresi, que hoje sei se tratar de um 4CLT San Remo, 8 cilindros em linha de 1.490 cm³ com dois compressores, quatro válvulas por cilindro, 290 cv, até hoje está indelével na minha memória, guardado junto com o odor do escapamento, que trazia do motor uma mistura queimada de gasolina, álcool e benzeno impregnada com o óleo lubrificante à base de óleo de rícino que era alucinante. Villoresi venceu, com Giuseppe Farina, Ferrari, em segundo.

O Maserati 4CLT de Villoresi na curva da rua João Borges; note o calçamento de paralelepípedos e os trilhos do bonde (foto do meu irmão)


Outro som memorável é o do motor do primeiro Fusca lá de casa, um 1953 oval, esfriando após ser desligado e estalando por um bom tempo, um som metálico (cléc-cléc-cléc) que nos foi explicado na concessionária Rio Motor como sendo da contração das partes quentes. Acho que tinha a ver com a liga metálica da carcaça, uma liga de alumínio e magnésio. Depois, em outros modelos, como o 1953, sumiu.

Nosso primeiro Fusca, 1953, motor ficava estalando após se desligado (arquivo pessoal)

O som do motor de partida do motor Ford flathead é outro que ficou na cabeça, como se o motor de partida fosse projetado para produzir aquele ruído específico — óóóóóóó... — só os Ford e Mercury tinham aquele som.

Bem mais tarde, anos 1970, sempre que meu irmão ia lá em casa, eu já morando num apartamento na mesma rua, terceiro andar, quando ele ia embora eu escutava, da sala, ele mover lateralmente duas ou três vezes a alavanca de câmbio do Fusca 1968 dele para certeza de estar em ponto-morto antes de ligar o motor. Foi um som que ficou.

Quando os câmbios não tinham a primeira sincronizada os dentes das engrenagens de primeira eram retos — os das outras marchas, helicoidais — e ela "cantava", como até hoje com a maioria das engrenagens de ré. Ao arrancar, sempre aquele cantar de engrenagem, passando segunda não tinha mais. Ficou só no DKW mesmo quando a primeira passou a ser sincronizada, único caso que conheço. Som arquivado.

Alguns sons de escapamento são memoráveis. O Peugeot 203 tinha um que era peculiar ao tirar o pé do acelerador, que li numa revista americana da época como sendo "ra-ra-ra-ra noise". O Fiat 147, assim que surgiu, tinha um som de escapamento peculiar —  "invocadinho", como dizia minha mulher.

Som de escapamento "rá-rá-rá" do Peugeot 203 (fwallpapers.com)

Alguns sons de aspiração são incríveis. O do DKW, por exemplo, era único, doce, agradável. Hoje se procura trazer de volta para dentro do carro este som, de maneira artificial, quem começou foi a BMW no Z4. No DKW era "ao natural", dele próprio.

Meu sócio na concessionária, já Volkswagen depois que o DKW parou de ser fabricado em novembro de 1967, pediu para colocar um Weber 40 DCOE no carro DKW dele, sem filtro de ar, só com as duas cornetas. Um dia fui com o carro dele para casa almoçar e ao passar diante de um quartel da Polícia Militar na rua São Clemente, em Botafogo, um policial me deu ordem de parar. O motivo, disse, era o escapamento aberto. Só depois que ele viu o carburador e acelerei o motor ele se convenceu que o escapamento estava normal. O som de aspiração naquela condição era mesmo bem elevado.

Outro som que me ficou foi o do Maverick Quadrijet que pilotei para a equipe oficial Ford, a Mercantil Finasa-Motorcraft. Na primeira andada no carro, treino para a 12 Horas de Goiânia, em julho de 1974, o som daquele V-8 5-litros assim que saí do box e comecei a acelerar na reta, até hoje ecoa na minha mente. Me senti num carro da Nascar!

O Maverick Quadrijet no treino, na corrida recebeu número 3 (arquivo pessoal)

Outro som que considero atraente é o de qualquer motor no fim de giro, havendo ou não corte. Este, aliás, para mim tem que ser sujo, limpo não tem graça. Pelo menos que seja como alguns que tenho visto ultimamente, primeiro é sujo, depois fica limpo. Acho incrível como ainda tem gente que não faz isso, não gira o motor até o fim com medo de danificar o motor. Não danifica!

O engraçado é que ir ao limite de rotação, até na última marcha, é corriqueiro em corrida, mas me lembro de ainda adolescente já fazer isso, até na bicicleta com motor Victoria. Simplesmente gostava. Achava (e ainda acho) incrível mentalizar o motor em regime elevado, o sobe e desce dos pistões, o abre e fecha de válvulas, a admissão de mistura (ou ar), os gases queimados deixando o motor.

A Victoria "no talo" defronte de casa (arquivo pessoal)

Já não tão agradável é o som de coisa quebrando no carro, mas ficam na lembrança do mesmo jeito. Caso de quando "demoli" o câmbio do Citroën 11 do meu tio Paulo, ao soltar o pé da embreagem bruscamente (por ordem dele, meu instrutor, mas não era para ser brusco) quando descia uma ladeira em primeira com o pé na embreagem  e ouvi o estalo e em seguida pedaços e engrenagens caindo na rua. Ou quando uma biela do Fiat 147 todo mexido numa Mil Milhas resolveu ir passear, isso a pleno diante dos boxes de Interlagos, um "pam!" que não esqueço.

Há também o "som do silêncio" que a Ford dizia ser o do Galaxie (e era verdade), mas que em outras circunstâncias pode ser apavorante, com ao fazer uma alça à moda com meu Fiat 147 de frota da fábrica, pneus gritando e de repente, silêncio: óleo. Que rodada!

Outro exemplo não de silêncio, mas de redução de ruído, que assusta, é comandante de avião estar tirando uma pestana regulamentar e um motor pára: acorda na hora!

Por falar em avião, e pedindo licença para fugir do tema automóvel, assistir uma decolagem noturna de um quadrimotor a pistão é um espetáculo que todos deviam assistir pelo menos uma vez na vida, como a desse Super Constellation da australiana Qantas. Note o fogo saindo dos escapamentos:





Voltando à terra, mas aos trilhos, outro som da minha infância que dá saudade é o das locomotivas a vapor, que reputo de rara beleza, como podem ser vistas neste vídeo de 9min38seg:





De volta às nossas quatro rodas e para terminar este post, nada como ouvir o som de um Porsche 911 GT3, motor de aspiração atmosférica, pilotado pelo mestre Walter Röhrl no Inferno Verde:



BS

99 comentários :

  1. Do som do DKW e dos motores diesel Scania, tanto dos caminhões Vabis quanto os aplicados nos ônibus Ciferal, são memoráveis.

    Os Scania, em particular, possuem um som formidável, encorpado, de força, um típico "cléc, cléc, cléc, cléc", nunca mais ouvido a partir dos anos 90 nos motores mais atuais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa lembrança Mendonça esse castanhar dos motores Scania era proveniente do atrito dos tuchos e comando de valvulas ,depois de 98 ele sumiu porque passaram a ser usados tuchos com a area de contato com o comando de valvulas roletado para diminiuir o atrito e aumentar a suavidade da operação.

      Excluir
    2. Scanias e Volvos têm os melhores sons de caminhões e ônibus que conheço. Comparando-se ao horrível ruído alto, grosso e estridente dos ônibus da Mercedes, a coisa fica ainda mais evidente.

      Excluir
    3. Quando estavamos em alguma rodovia em que havia aclives acentuados, ao gostava do barulho dos Scania 113H quando passava ao lado deles, dava para perceber que estavam utilizando toda potencia disponivel, parecia um leão rugindo ao lado.

      Excluir
    4. O barulho do motor 13 litros dos Scanias do início da década de 90 são realmente lindos.

      Excluir
    5. Eduardo os motores de 13lts entraram em operação agora em 2014 para saber a diferença entre eles ´facil ; 111 onde os dois primeiros numeros indicam o motor e o ultimo a geração da cabine (motor 11lts cabine da geração 1 ) 112 cabine G 2 ,112 H ( turbo,) 112 HW (turbo +intercooler ),113 e finalmente os 124 que adotaram a letra T para cabine bicuda e R para frontal e P frontal sem leito.Atualmente só usam como identificação o tipo da cabine com a potencia do motor e náo fazem mais cabine T ou bicuda.
      em tempo essas denominações valem para os motores 6 cil os V8 usam outros codigos.

      Excluir
    6. O som dos motores Scania mais antigos eram demais. Quando criança, lembro-me que juntamente desse som, ao andar nos ônibus da Viação Cometa (os "Flecha Azul", como eram chamados pela viação), além do característico som do motor Scania havia um outro, provavelmente vindo da transmissão em movimento, que nenhum outro ônibus tinha.

      Excluir
    7. Totiy, vc está certo. Pensei uma coisa e escrevi outra. Refiro-me ao T113HW, depois dele os modelos R dominaram...

      Excluir
  2. Os Detroit Diesel, som inesquecível .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem som de cortador de grama ou de moedor de cana. Mas é legal.

      Excluir
    2. O velho FNM também "fala grosso" !
      Jorjao

      Excluir
    3. Concordo o barulhao do FMN é incrivel.
      http://www.youtube.com/watch?v=BbyZD9LaD3E

      Excluir
  3. O "clek clek" da alavanca de cambio do Opala também é incrível!!!!

    ResponderExcluir
  4. Sons que ficaram na memória :
    Interlagos em 1990 quando vi primeira vez um F1 passar. Era a tyrrel de Satoru Nakagima
    Dodge polara, com seu som de descarga de privada, de tantos que meu pai tinha.
    Um avião bonanza taxando no aeroclube de americana. Fantástico
    Os turbo hélice dos Electra, meu despertador por muitos anos em que nasci e cresci no planalto Paulista
    O delicioso som 2T de uma yamaha RD 350 embaralhando em médios giros com acelerador pouco aberto
    O som das 750 honda k1 de duas válvulas, umas das mais lindas sinfonias tocadas em 4 cilindros em giro maior.

    ResponderExcluir
  5. Sons que me são inesquecíveis:

    1) Motor 151-S da linha Opala. Mas tem de ser o 151-S mesmo, pois o quatro cilindros normal não tem o mesmo som devido aos tuchos hidráulicos;

    2) Aspiração de ar do Suzuki Vitara;

    3) Ronco do motor CHT da Ford. Esse, aliás, deve ter ficado tão marcante que vemos sons parecidos saírem dos escapes de Fords mais modernos (especialmente os Rocam);

    4) Motor Família I da GM. É um ronco sussurrado ao longo de toda a faixa de uso normal da unidade. A 120 km/h, boa parte dos veículos com essa unidade estarão perto de 4 mil rpm, mas não gerarão um ruído chato que invade o habitáculo, pois é de um padrão sonoro que soa menos alto do que aparentemente soaria um ruído mais estridente. Acaba sendo a comprovação do que se vê no manual do proprietário de alguns Chevrolets (especialmente Corsas B mais antigos), em que se falava que a 120 km/h o que predominava era o ruído dos pneus. E de fato, é o que acontece (podendo ser majorado ou minorado conforme o tipo de pneu que se monta nas rodas do veículo);

    5) Ruídos de motores a diesel com common-rail. Só se ouve aquele barulho típico de diesel em marcha lenta. Ao se acelerar, chegam a ficar mais silenciosos que boa parte dos motores a gasolina;

    6) Ruído de Harley original de fábrica. Som agradável, grave e que não incomoda nem um pouco, ainda mais quando comparamos com o ruído agudo e estridente típico de uma moto esportiva de quatro cilindros em linha. Porém, sempre há um manolo que monta um escape aberto na moto do fabricante americano e põe tudo a perder, gerando um ruído insuportavelmente alto e desarmônico que se propaga por vários e vários quarteirões, enquanto uma Harley original só é audível por no máximo uns 100 metros adiante de onde está o ouvinte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou mais o som do 250-S com um belíssimo 6x2.
      Ah este sim....

      Excluir
    2. Anônimo 12:35

      O motor CHT tem um uivo característico quando está frio, quando quente, pode-se ouvir as válvulas trabalhando... som bem legal.

      Não entendi bem seu comentário a respeito do som do motor GM Família I, mas tenho um Classic VHC e acho o som do motor bem bonito a partir dos 3 mil giros até o corte a 6800. A 120 km/h ronca alto mas não incomoda por ser um som abafado... O escapamento desses motores tem um som meio embaralhado fazendo com que eu os identifique de longe... Notei também que quando abastecido com álcool o som de aspiração e bicos injetores é mais pronunciado na fase fria.

      Excluir
    3. Anônimo 20/03/14 07:47, é justamente essa característica de ronco sussurrado que é a graça do Família I. Quando um Corsa B está a 120 km/h, ainda dá para se ouvir o som sem precisar aumentar o volume a um ponto insanamente alto, bem como dá para continuar conversando sem problema. Há carros mais caros que nessa mesma velocidade são mais ruidosos e produzem sons mais agudos (que auditivamente parecem estar mais altos mesmo que registrem o mesmo tanto de decibéis de um ronco mais abafado).
      E aí acaba chamando a atenção, pois justamente é o ruído dos pneus que se torna o predominante em tal velocidade, com o som do motor sendo ouvido bem de leve. Caso alguém esteja incomodado com o ruído do pneu, basta trocar por um pneu mais silencioso e o carro em seu geral ficará ainda mais agradável auditivamente falando.

      Excluir
    4. Os VHC mais novos realmente têm um barulho bonito. Já o resto dos Família I não sei de onde o cidadão achou legal

      Excluir
    5. Anônimo 19/03 12:35,
      Provavelmente você se refere ao som dos 151-S com carburador DFV/Weber 446, que era do tipo duplo corpo de acionamento simultâneo. Esse, de fato, tem o mais belo som dos motores 4 cilindros da Chevrolet. Como curiosidade, todos os motores 151 da Chevrolet saíram de fábrica com tuchos hidráulicos.

      E concordo totalmente com a maravilha sonora que é o som das Harley com escapamentos originais. Tanto é que a Harley patenteou esse som, uma marca registrada da marca.

      Excluir
  6. Olha é ficção mas o barulho de automovel que mais tenho na memoria é o barulho que o delorean fazia quando andava no de volta pro futuro

    O barulho do Scania do cometa com o turbo cantando é inesquecivel também

    Todos com a sua mágica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leister

      Ao que consta, o som do Delorean nos filmes, vem de um Porsche 928 V8. Carro pelo qual sou apaixonado (assim comopelo Delorean DMC10). Ambos, excelentes representantes da primeira metade da década de 80, quando era criança, na idade que o que mais marca mesmo são os sons.

      Abraço

      Excluir
    2. Vou procurar este som eheh obrigado

      Excluir
  7. Bob, o de Petrópolis19/03/14 13:12

    Sons que eu lembro:

    1 - Minha mãe ao me levar para a escola, ao trocar de marcha no Fuscão 72 soltava a embreagem de uma só vez: tinha um som com "pra ta ta ta..";
    2 - Meu fusca 67, 6V (Volts mesmo, não válvulas): Nhé, nhé, nhé - Se não ligasse no terceiro nhé, não saía do lugar - a bateria arriava;
    3 - Trééééc - Som da primeira da Fiat 147 80 arranhando. Tive depois uma 85 que era a mesma coisa;
    4 - Cheiro de Fusca - cheiro de gasolina misturada com o curvim e os plásticos do carro;
    5 - Escapamento Kadron, no mesmo Fusca acima: estava a 40km/h mas parecia estar a 200. Sem contar o indefectível cheiro de tinta queimada (do próprio escapamento e do paralama traseiro);
    6 - Nhéc Nhéc das molas traseiras da Fiat 147, que rangiam mesmo com o carro parado (se é que me entendem).

    Bob, a propósito, sairá o post sobre transformação de motores 4T em 2T?

    Abraços do seu cliente mais chato e que não paga nada para ler aqui...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bob, o de Petrópolis
      Só para você saber, a primeira do 147 e até que chegasse o câmbio Termoli no Uno em 1988, de entrada do seletor alta, o que você escutava não era propriamente a primeira arranhando, mas uma peculiaridade de projeto em que a coroa dentada da luva sincrônica, que fazia parte do arranjo da ré, ao se movimentar em direção à engrenagem de 1ª tocava na engrenagem intermediária da ré, escutando-se o "nhéc". Sobre o 4T > 2T, aguarde, haverá o post.

      Excluir
  8. O que mais me ficou na memória foi o som dos DKW, talvez por ser tão peculiar. Gosto também do Fiat 147, e claro, jamais poderia faltar o "clek clek" do câmbio do Opala. De avião, o ensurdecedor barulho dos turboélice do Lockheed Electra sendo acionados um a um. Perdi a conta de quantas tardes do domingo passei no restaurante no segundo andar do Santos Dumont, cujos aviões chegavam bem perto da sacada para embarque e desembarque dos passageiros. Meu pai ia lá só para ouvir e ver suas decolagens enquanto tomava umas biritas. Gostava tanto que algumas vezes comprava uma passagem para São Paulo, chegava lá, comprava outra, e voltava. Nessas ocasiões minha mãe (que tem pavor de avião) nunca me deixou ir junto, he, he!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o som da carburacao 4-drupla do seu 2300 sugando enormes quantidades de ar?
      Este sim.....

      Excluir
    2. O meu ainda não tinha essa configuração.

      Excluir
    3. Realmente Mr.Car, aquele PÓPÓÓÓÓÓ do Fiat 147 é inesquecível!

      Excluir
  9. O meu som inesquecível é o som do V8 318 do Dodge Charger R/T. Apesar de o carburador DFV estrangular o carro, o som ficou marcado em minha mente.
    Outro som que eu gosto é do motor Zetec 16v 1.8 da linha Escort - neste caso, sou suspeito pra falar... rs.
    Porém, nenhum som me apavora mais do que o som de um motor quebrando. Vi isso algumas vezes em outros carros e na família, tivemos um Fusca que acabou por danificar o 3º cilindro por insuficiência de lubrificação, exigindo depois uma retífica completa de motor. Causou-me um tremendo trauma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fábio, você precisa escutar este Zetec com TBI de Mondeo, taxa alta, escapamento todo em 2.25", abafador intermediário de 2.5" e cano reto no final.
      Em lenta na rua quase não tem diferença, em garagem apertada você escuta bem já. Andando com baixo giro e baixa carga não tem nada... Agora, pisa em uma subida ou deixa o giro subir em uma situação de carga média. O berro fica apavorante.
      Você precisava escutar.

      Pra quem é de São Paulo, passar no túnel do aeroporto de Congonhas e esticar uma segunda é uma diversão o quanto ressona lá.

      Excluir
    2. O barulho do relógio de painel dos Escorts também era bem legal

      Excluir
  10. Bob
    Voce que entende de aviacao, o que acha que aconteceu com o 777 da Malasia-airlines???
    Quanto misterio , nao ?

    ResponderExcluir
  11. Pra mim, um som marcante é o motor do Chevette, fazendo aquele ronco grave...

    ResponderExcluir
  12. Som que não esqueço eram os caminhões Chevrolet "Detroit"urravam como um animal feroz!!o belo som do escape do escort CHT,um "tzzzzzz",inesquecível.....Scania "jacaré"também é inesquecível,era um som que impunha poder!!!!como que dizendo"eu sou o bom da boca"rsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O fato do motor Rocam dos Fiesta e Eco terem ronco parecido com o do Corcel 1.6 CHT, que usava comando lateral, carburador, platinado, condensador...seria mera coincidência?

      Excluir
    2. Eu acho que não. Provavelmente a Ford quis transportar um som familiar aos brasileiros, mais ou menos como a Porsche transportou para os boxers refrigerados a água um som bem parecido com o dos modelos refrigerados a ar.

      Excluir
  13. Falando em aviação, o som que não sai da cabeça são os reatores Rolls Royce Tay rugindo a pleno durante as decolagens do Fokker 100, e depois o tom sendo alterado na redução para potência de subida.
    Nos carros, o som do V8 da Mercedes SEC 1982 que era do meu pai e que mantenho atualmente com meu irmão. A 2 marcha cheia, alcançando o limite do giro, é uma coisa linda, o som chega a ser dramático de tão musicado.

    ResponderExcluir
  14. O silêncio instantâneo de quando tirava o pé do acelerador da minha Chevy II Nova com câmbio "hidramático" e alavanca na coluna de direção.

    Eduardo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Som interessante que se tem ao tirar o pé do acelerador também temos no up!. Deve ter gente que não está conseguindo economizar combustível só para dar uma aceleradinha a mais, tirar o pé abruptamente e ouvir aquela "rouquidão" que ocorre nesse carro quando a rotação cai subitamente. O mesmo deve valer para o Fox Bluemotion.

      Excluir
    2. Belo carro Eduardo.
      Meu avô teve uma 1963 SW vermelha com interior vermelho, que era lindíssima.
      Motor 6 em linha e cambio automático na coluna , tinha um 3# banco no porta-malas.
      No inicio dos anos 80 eu era moleque e ja era um carro antigo, mas dirigi algumas vezes no sitio... Direção hidraulica levíssima , sem ar condicionado e com freios a tambor frente e traseira
      Saudades ... pena nunca mais vi esse carro, nem mesmo em encontro de antigos..

      Excluir
    3. Belíssimo.

      Vendi para sair de um sufoco financeiro, era meu único carro, fiquei à pé. O comprador o destruiu em um acidente poucos meses depois, junto com meu sonho de comprá-lo de volta.

      O meu era 68, verde, seis em linha, ainda com freio a tambor nas quatro (segundo um mecânico amigo, o mesmo da C10). Lembro da luz de teto, que parecia o casco de um barco.

      Direção levíssima, assustadora em velocidade. Freada forte também era uma aventura, porque travava fácil o tambor e jogava ramdomicamente para o lado. Curva rápida também era complicado, se fosse para a esquerda tinha que se cuidar para não escorregar no "sofá" até a posição do passageiro, que vinha junto quando tinha que ajustar o banco do motorista.

      Não tive como sustentá-lo, foi um sonho que tentei realizar no momento errado. E que infelizmente a mulher não entendeu. Hoje estou sem ambos.

      Eduardo.

      Excluir
  15. Todo carro tem aspiração atmosférica não? Mesmo os turbinados tem de ter ar para respirar, não funcionam na Lua.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na lua não tem atmosfera, deve ser por isso que não funcionam lá.

      Excluir
    2. Capitão obvius ao resgate!

      Excluir
  16. O som do Quatro Cilindros Chevrolet, que me acompanhou nas 5 Caravans que mamãe teve (de 78 a 86)... vem daí minha adoração por esse motor, é uma lembrança gostosa da infância.

    Já mais velho, o som do boxer 1600, presente no meus dois primeiros carros (um buggy vermelho e um Gurgel Tocantins branco), além do ruído mais erótico de todos: CBX 750F com escape 4x1... uma trinca de Helena Ramos, Aldine Müller e Darlene Glória na Sala Especial da Record sequer chega perto.


    PS.:
    Bob, foi impossível não lembrar de você ao ler isto: http://flaviogomes.warmup.com.br/2014/03/opalas-na-pista/#comments

    ResponderExcluir
  17. A. 19/03.14 14:42
    Aprenda, estamos aqui para instruir também. Diz-se que as aspiração é atmosférica para especificar que a aspiração do motor baseia-se na pressão atmosférica e não em nada acima dela, como ocorre quando um dispositivo fornece ar ao motor em pressão superior à atmosférica, como os compressores ou os turbocompressores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então ensino o certo, não o errado. Então diga que é naturalmente aspirado, que a o termo mais amplamente utilizado e é correto, ao invés de querer escrever bonito e dizer algo que é impreciso.

      Excluir
    2. Bob, nesse daí sapatada dará!

      Yoda

      Excluir
    3. A. 20/03/14 13:13
      "Naturally aspirated", construção de frase em inglês, que macacos de imitação lêem em revista americana e usam aqui por ignorância? Aqui no Ae, não. Se você não gosta de 'aspiração atmosférica', problema meu é que não é. Deixe de ser ignorante e procure gastar seu tempo com coisas mais sérias.

      Excluir
  18. Bob, eu adoraria ter escutado estes antigos quadrimotores a pistão. Deve ser única a sinfonia.
    Quantos sons eu não tive a oportunidade de escutar....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dizem que o som dos B-29 era lindo, do chão. Ouvi isso de japoneses idosos sobreviventes de seus bombardeios, então é sem dúvida opinião isenta.

      Excluir
    2. Há exatos 20 anos estive em St. Marteen nas Antilhas Holandesas e sentado na praia comecei a escutar um ruido. Ruido de filme mesmo. Era um DC-3 passando por cima do resort onde estava. Para quem curte aviação como eu, é de arrepiar da ponta do pé ao ultimo fio de cabelo. Ainda mais quando não se espera um voando!

      Excluir
  19. Bob,
    Como os tempos mudam, em 1974, Após as 12 horas, na volta para casa da equipe Mercantil Finasa os três Mavericks da equipe passaram pela Avenida Anhanguera. Principal avenida de Goiânia e centro comercial,

    ResponderExcluir
  20. Para mim o som automotivo mais memorável de todos os tempos é o "estalido" da alavanca de câmbio do Opala.
    Aproveitando o assunto, tenho saudades do tempo em que conseguira reconhecer os modelos mais comuns pelo ruído da batida da porta. À noite, como o quarto onde dormia era voltado para a rua, podia ouvir os carros que estacionavam na rua silenciosa. Reconhecia os modelos pelo ruído da porta. Os mais fáceis de distinguir eram o Opala, o Chevette, o Monza, a linha Corcel II e a linha Parati e Voyage da primeira geração, cujo ruído era bem diferente daquele produzido pela porta do Gol. Hoje em dia os ruídos são todos iguais, sem personalidade...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem vários ruídos de porta diferentes hoje, só que existem tantos modelos a mais de carro que é quase impossível reconhecer todos eles. Além do mais, uma preocupação bem secundária a personalidade no ruído da porta...

      Excluir
    2. O Chevette e o Monza são os mais fáceis de identificar pela batida da porta, um "CLÉCK" bem agudo e alto...
      Dos modernos, me chamou atenção a batida de porta do HB20, parece sugar a porta sozinha e um ruído macio, de borracha boa.

      Excluir
  21. Eu tinha medo mesmo era dos grunhidos dos Passat até 78,não sei se é porque eu era criança ,mas eita que ronco bravo!,agora sinto saudades dos estalinhos da Ipanema que tive ,adorava tirar o pé em quinta marcha e acelerar devagar para ouvi-los e sentir o carro sendo puxado.

    ResponderExcluir
  22. Bob...

    Som de motor diesel de verdade é uma maravilha! Alguns motores são simplesmente musicas para os ouvidos como o Navistar DT444/Powerstroke 7.3L da F-250 americana. O Powerstroke 3.0 da Ranger nacional, o "rosnar" do MWM D-229 6 cilindros aspirado (Ford F-11000/13000 de 83 em diante e F-14000) ou quem sabe o ruido tipico dos tranquinhos F-1000 D-229 aspirados com bomba Bosch em linha.

    O Detroit 4.53T é um outro som inesquecível. Recentemente desci do carro no meio do transito seo para pedir para o motorista de um D-60 Detroit acelerá-lo para eu escutar!

    ResponderExcluir
  23. Som que me emociona sempre é ir chegando no autódromo e ouvir ao longe o barulho dos motores do carros treinando na pista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa Perneta. Eu sempre me esqueço desse barulho, mas é só se aproximar de um autódromo que vem mesmo uma sensação emocionante do barulho dos carros andando. E pode ser qualquer carro, desde que dando o máximo de si. Só que dá uma vontade de entrar na pista... Nem sempre é possível, mas ainda assim vale a emoção

      Excluir
  24. Um dos sons que mais quero ouvir de novo é de um audi S2/RS2.
    O dia que me desfizer, se esse dia chegar, sentirei saudades do ronco do meu 325i manual hahaha!

    ResponderExcluir
  25. Realmente curioso como os Zetec tem um ronquinho de escapamento idêntico aos CHT. Achei que a impressão era só minha, mas pelo visto não.

    Uma sinfonia é quando se vem com um turbinado, turbina pequena, meio pé, e uma subidinha... Ah, o sibilo da turbina (sendo mais preciso, o compressor) aspirando, que coisa maravilhosa. Tive um santana com uma ihi, cuja aspiração ouvia—se de longe.

    Um ronco que jamais esquecerei foi o de minha marea 2.0, equipada com filtro mais livre. Como roncam maravilhosamente esses fiats 5 cilindros!!!

    Agora, como o ronco das motos bmw 2 cilindros se parece com o das antigas cb 400/450! Vi ontem uma f 800r de escapamento esportivo, e foi inevitável a volta no tempo.

    Há outros vários barulhos memoraveis, como os AP de Kadron Box (pelo menos em BH, febre!), os monzas e kadett já com algum desgaste na descarga, o batidao das xl 250, que era bem diferente do barulho de sua sucessora, a xlx. Isso sem falar nas 2 tempos, agrales e dts.

    Abraço

    Lucas CRF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Volvo 5 cilindros, dependendo da versão, também canta muito bonito e lembram os Fiats 5 cilindros

      Excluir
  26. ...o "relógio" do comando 250-S em marcha lenta........e também, no silêncio com o carro desligado, o "verdadeiro" relógio quartzo da Caravan que parece uma bomba que vai explodir ! !

    m.n.a.

    ResponderExcluir
  27. Me lembro de um Maverick V8 automatico de um tio, que estava todo original e nem se escutava o motor funcionando, mas um dia o escapamento estourou e nesse dia minha vida começou. Aquele gló-gló-gló borbulhando debaixo do carro me paralisou, e ainda hoje ecoa nos meus ouvidos.
    Outro que deixou saudades era o da Suzuki GT 750, 3 cilindros 2 tempos, pura sinfonia.

    ResponderExcluir
  28. Um motor que acho incrível ouvir funcionando é o dos caminhões FNM! Para mim, o mais incrível de todos.

    ResponderExcluir
  29. Sobre os sons (e aproveitando a deixa do Constellation), um que não posso deixar de comentar, por ser uma das minhas lembranças mais caras de infância é aquele dos motores do Electra II que a Varig usava na ponte aérea Rio-São Paulo. Um ruído potente, gentil e que embalava os passageiros. Mais bonito que isso só estar naquela salinha que esse avião tinha no fundo na subida ou descida pelo Pão de Açucar!!! Um grande abraço à equipe do Autoentusiastas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. jvdacosta
      Eu só sentava na salinha e saboreava um Campari, com um Marlboro como companhia. Que tempos! Mas a boçalidade acabou com isso.
      Abraço!

      Excluir
    2. Marlboro estou fora.

      Campari eu te acompanharia. Melhor ainda meio-a-meio com vodca, mais suco de laranja e bastante gelo. De preferencia ouvindo uma boa música, ou um bom ronco de motor, pra ficar no tema do "post".

      Excluir
  30. Bob, vou te dar uma dica. Procure no Youtube por F430 Novitec. É uma Ferrari 430 preparada com turbo, num vídeo onde só mostra o painel dela fazendo acelerações até a velocidade final. Para você que, assim como eu, gosta de corte sujo é um verdadeiro extase. Chega num momento inesperado ainda por cima e, como sobra potência, é feito de forma forte (como se o motor quisesse dar mais ainda)

    A propósito, corte sujo ajuda muito em situações de emergência ou onde o motorista está dirigindo rápido e não pode olhar toda hora para o conta-giros. O corte sujo nunca passa desapercebido, enquanto que o corte limpo pode passar bastante tempo sendo ignorado, além de ser infinitamente mais legal

    ResponderExcluir
  31. http://m.youtube.com/watch?v=hWrwloX6H9U#

    ResponderExcluir
  32. Vw ar com dois pares de 48w ida, cornetas abertas, meio curso acelerador acima, acionamento equalizado, lindo!!!!!
    Um rugido macio e encorpado, grosso, progressivo que vai afinando aos poucos, assovia no final
    Fusca95

    ResponderExcluir
  33. Como esse post me fez lembra minha infância, que delícia! Quando os motores tinham som de motores! Outro dia um engraçadinho quis pressionar o carro da frente e ficou acelerando seu Fox (não sei se era mil ou 1.6), que cena triste, o som parecia de uma enceradeira que minha mão tem, ou de do ixer da minha esposas, só um zunido sem graça, apagado...

    ResponderExcluir
  34. Bob, acho que vale uma menção que esses Super Constellation utiliza 4 motores radial Wright R-3350 de 18 cilindros, com 54,8L de deslocamento. Eram superalimentados por um compressor mecanico e os gases de escape tinham "regeneração" (o Turbocompound), onde cada 6 cilindros girava uma turbina, acoplada a um conversor de torque ia ligado ao virabrequim, dando algumas centenas de cavalos a mais no eixo.

    ResponderExcluir
  35. Gosto muito do barulho do motor do Civic Si. Ele sobe a rotação brincando e parece uma sinfonia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Abaixo do VTEC ele é bem sem graça, quando entra o VTEC realmente é o mais próximo do braulho de uma Ferrari que se tem (tirando algumas motos)

      Excluir
    2. A. 20/03/14 13:58
      Você precisa olhar esse motor de outro ângulo. É de dupla personalidade mesmo, até 5.500 rpm é um bom 1,6-l, próprio para o uso normal e muito elástico, agradável de andar. Não foi feito para "ter graça" do ponto de vista autoentusiástico. Isso vem depois e somente quando se quer.

      Excluir
    3. Bob, foi justamente isso que quis dizer (apesar que estava falando mais do 2.0 do Si, um tanto diferente em comportamento/barulho comparado ao antigo 1.6). Realmente é um motor com duas fases bem distintas, sendo que o 2.0 K20 do Si é ainda mais esquizofrênico num bom sentido. O 2.0 é super elástico e silencioso antes do VTEC, enganando completamente e deixando tudo desavisado. Ao entrar o VTEC, é um urro de Ferrari em miniatura e que exige usar os giros mais altos possíveis tanto pelo prazer como pelo desempenho

      O 1.6 era um pouco mais barulhento no uso normal e um bom tanto menos elástico (apesar de ainda ser bom). Isso disfarçava um pouco menos ele, além do que o barulho era diferente no VTEC. O 1.6 mais parecia um motor de corrida, o 2.0 lembra motos esportivas e Ferraris V8

      Mas é realmente essa a idéia, ter dupla personalidade como se disse. Excelente, porque se economiza e se dirige calmamente como com um motor para o dia a dia. Mas, quando se quer, se tem um motor nervoso e extremamente entusiasta

      Excluir
  36. Seleção dos mais memoráveis....vale à pena assistir um por um Bob!

    Ferrari 355 + Escape Kreissieg: http://www.youtube.com/watch?v=At7UuZm8VYc

    Range Rover Sport + Escape Magnaflow: http://www.youtube.com/watch?v=ZJgaQV_4STA

    Lambo Countach + Escape Kreissieg: http://www.youtube.com/watch?v=RwTaQ-rHdUo

    Fiat Marea 2.4 + Escape de competição: http://www.youtube.com/watch?v=lGVs0OZ9j_w

    Saab 96 2T de Rallye: http://www.youtube.com/watch?v=dXVRdSbKDT8

    BMW M3 CSL Supercharger: http://www.youtube.com/watch?v=ZkIx7YBjVJM

    Mercedes C200 ADAC Procar: http://www.youtube.com/watch?v=sTnqPVFhrFI

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito boa essa lista de vídeos ,Pisca
      Legal ter voce postando comentários novamente.
      Acho que o AE não só é memorável pelos seus redatores, mas também pelos seus leitores.
      Muitos tem grande conhecimento de técnica e história automotiva, aprendemos e enriquecemos nossos conhecimentos com suas postagens e comentários.
      Não desmerecendo nenhum leitor, muito pelo contrário, mas temos ótimos comentários de leitores do naipe de : Lorenzo Frigério; 911Turbo; 250GTO; Daniel Araujo; Lucas CRF; Perneta; Corsário Viajante; Antonio Filho; Marcos Alvarenga; MFF; Road Runner; Brauliostafora; Agustine; Pisca e etc etc...
      Cada um dentro da sua experiencia e vivencia com as mais diversas marcas e tipos de automóveis.
      Abraços

      Excluir
    2. Legal esse elogio aos leitores do AE.
      Concordo que o pessoal que le está bem acima da media em conhecimento. Acho que sao mais seniors e experientes.
      Bem lembrado os nomes acima, tambem acho que comentam de forma inteligente.

      Excluir
    3. Countach com Kreissieg é monstruoso.

      Excluir
    4. Anônimo20/03/14 12:02

      Muito obrigado pelos elogios fião! Na verdade eu jamais deixei de seguir o AE, apenas deixei de comentar por um momento....mas to sempre aqui.

      E p/ demonstrar meu agradecimento, vai uma listinha nova c/ mais sons incríveis p/ vcs curtirem aí:

      Ford Falcon Argentino motor 6 cil. c/ escape direto: http://www.youtube.com/watch?v=fdUB-e2TSgQ

      Matra V12: http://www.youtube.com/watch?v=-q4fPOXXDHk

      Mazda 787B: http://www.youtube.com/watch?v=Go3Fgd1wgic

      Mercedes-Benz S600 V12 + Escape direto: http://www.youtube.com/watch?v=I5ZIomet8Yk

      Harley Davidson Fat Boy + Escape Vance&Hines: http://www.youtube.com/watch?v=cTgB53JuiHo

      Freightliner Argosy: http://www.youtube.com/watch?v=z3bLqjPBlx8

      International 9800 Cummins: http://www.youtube.com/watch?v=OmxFiOF7OFg

      Brabham BT49: http://www.youtube.com/watch?v=jpc5Wdqm7Ao

      Edonis SuperCar...Got Turbo? http://www.youtube.com/watch?v=5KmDK6a3Jcs

      Fusca + Motor a Ar 3,500cc aspirado: http://www.youtube.com/watch?v=UQ4vf5FZLQM

      Excluir
    5. Muito obrigado, anônimo!!! Um grande abraço!

      Excluir
  37. Constellation é para mim um dos dois aparelhos mais bonitos de todos os tempos. Parece um Galgo, extremamente elegante. O outro é o Concorde.
    AAM

    ResponderExcluir
  38. Quando criança (12 anos) , ficava na varanda de casa em SP esperando os Electra da Varig da ponte aérea passar . Hoje , praticamente todo dia , abro o capô , dou a partida e umas aceleradas no motor da minha BMW E36 M52 manual , só para escutar a sinfonia ...

    ResponderExcluir
  39. Antonio Pacheco20/03/14 10:15

    E eu pensando que era meio doido, ao ficar imaginando o funcionamento do motor enquanto dirijo, principalmente em alta rotação.
    Falando em sons, tem alguns que marcam: motor MWM da F1000 em baixa rotação; Fiasa 1300 em alta rotação (o motorzinho que gosta de girar, mesma coisa do fire 1.0 do palio fire...); som do motor ap 1.8 nos Escort/Verona/Apollo (o escapamento da ford deixava o som grave, rouco porém suave, uma delícia para os ouvidos) e vários outros.
    Os carros novos praticamente não tem barulho característico. Mas um ronco original muito bom, dos atuais, apesar de baixo, vem dos carros da Mitsubishi. O meu fluence tem um som parecido, mas como é muito silencioso, só aproximando do escapamento e acelerando para ouvir um pouco, mas também é interessante.

    ResponderExcluir
  40. Ah... os sons! sei que vou sair um pouco do âmbito automotivo, mas quando cheguei em Brasília, em 1985, aos 9 anos de idade, vindo do interior de Goías, a noção que tinha de som de avião, era dos pequenos monomotores, que sobrevoavam a cidadezinha que morava. Nunca tinha visto nem ouvido o som de um jato comercial. Fomos ao aeroporto de Brasília, o mirante ainda era descoberto, e observei um 727 da Cruzeiro decolando, o que era aquilo! barulho de um trovão contínuo, hora grave, hora estalado, os vidros das janelas ao redor vibravam... Que espetáculo ver aquele avião em uma bela decolagem, inclição absurda, quase vertical, e um sutil rastro de fumaça preta deixada pelas tres JTD-8! Logo depois um "breguinha" (737-200) da Varig, não menos barulhento, só que um chiado forte... foooohhhh! Os one-elevem também nos acordavam na madrugada!... Os 707s, como quatro flautas graves, marcando toda sua trajetória, com a fumaça preta - acho que gastava só na decolagem, todo o combustível que A330 gasta hoje para cruzar o oceano (tá certo, exagerei!)... Já os gigantes DC-10, subiam num silêncio sem graça, apenas um leve ronco e nada de rastro de fumaça, mesmo em plena potência! Sim os mais legais, eram os mais fumacentos e barulhentos! Já partindo para os automóveis, gosto do som do Opala/Omega 6 bocas, com escape aberto... é musica... Marea também é melodia, não sei para que abafar uma música tão bonita! Alfa 164 V6, é show... Detesto o som do motor boxer a ar da VW, mas se juntarem os coletores de escape, num abafador único fica legal, (não digo aqueles da Variant e da TL, mas o do Puma! escapemento kadron? é isso?) o ronco vai de grave a um agudo empolgante! Apesar de ser sem graça o barulho de um quatro cilindros, meu 206 sem silencioso final (expulso pela corrosão) também vai ficar na memória, Barulhinho legal, só na acelerações e desacelerações! Gosto do som de caminhões também... Uma scania 113 com escape diretão, arrepia, acorda vizinhança! é show! ! Quanto ao estalos no motor... Os dois escorts que tive, com motor CHT, também estavam muito, depois de desligados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Escapamento da marca Kadron, código K-550, o famoso escape do Puminha. Som legal.

      Excluir
    2. Pois é Jesus Nascimento, vc acredita que os 727 ainda assombram o aeroporto de BSB às 6:00 da manhã? São dois cargueiros que saem bem cedo balançando as janelas do meu prédio a uns 10 km em linha reta... É um som diferente, mesmo!

      Excluir
  41. Que coisa linda esse post, complementado pelos vídeos simplesmente sensacionais! Meu pai sempre falava dos Super Constellation, da revolução que foi quando apareceram (esse avião nunca vi ao vivo, infelizmente...)

    No meu caso, os sons que ficaram gravados na memória de forma muito forte são: o som dos motores 151-S dos Opala/Caravan, equipados com os carburadores DFV/Weber 446; e o som de engate de marchas nos câmbios de 4 marchas "varetados", também dos Opala/Caravan, com seu "tic-tic" característico (não sei porque o pessoal fala "cléc-cléc"). E, para minha total decepção, o câmbio de meu SS-4 1980 não faz esse "tic-tic" ao engatar marchas... Preciso resolver esse problema logo!

    Outros sons que considero especiais são:
    - o som dos aviões T-6 em apresentações acrobáticas
    - o do motor V12 dos Ferrari Testa Rossa 1957
    - o som dos Mopars equipados com 440 Magnum ou 426 Hemi, ambos sons característicos e diferentes entre si
    - qualquer som de V8 americano bem preparado também me causa torcidas de pescoço, onde quer que eu esteja
    - levar os motores modernos ao limite de giro é simplesmente felomenal!!!

    ResponderExcluir
  42. Bob, adorei essa postagem dos sons! Me lembro do motor dois-tempos do DKW do meu pai, que fazia pop, pop, entre a troca de marchas. E o som do Super Connie, o "Constelejo", como meu pai, pronuncia o nome dessa maravilha da Lockheed é inigualável. Como eu gostaria de ter voado naquele avião! Falando de motos, saudade do som da minha Yamaha RD-350 em velocidade de cruzeiro, ou acelerando a toda — a "fazedora de viúvas", como se referiam alguns a ela, exageradamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luiz
      Tive a sorte de fazer Rio-Recife-Rio num, Panair, 6 horas de vôo, decolagem de SDU. E saudade da minha RD 350 também, que motor incrível!

      Excluir
  43. Lorenzo Frigerio20/03/14 21:18

    Um dos roncos mais impressionantes que já escutei foi o do Pontiac Formula 455 de um amigo, depois que tiramos o panelão do filtro. Nós nos divertíamos acelerando o carro pela av. Europa dos anos 80, porque aquilo chamava absurdamente a atenção, aquele 2o. estágio cavernoso do Rochester Quadrajet abrindo para alimentar um motor de 7,5 litros.

    ResponderExcluir
  44. Pois é,

    Cê tá velho!

    Mas num tá surdo!!!

    Televox.

    ResponderExcluir
  45. Motoqueiro Fantasma20/03/14 21:43

    Bom mesmo era o som da Honda 750 Four!

    Ligando, em lenta ou em alta! Com aqueles trombones cromados passando por baixo do motor e despejando a sinfonia lá atrás...

    Essa sim!!!

    Motoqueiro Fantasma

    ResponderExcluir
  46. Maravilhoso este post! Tão bom que não resisti. Vou fazer meu primeiro comentário aqui no Ae. Existe um som que também é maravilhoso: traz um prazer especial na hora de dirigir e em alguns motores pode ser mais gostoso e em outros menos, mas sempre adoro. É o som de acelerada entre as trocas de marcha (alguns chamam de bombada e outros de repique). E nas reduções de marcha é quase que obrigatório, senão fica muito sem graça (e ainda evita trancos). Se um dia eu comprar um automático vou sentir muita falta desta sensação e vou sentir que perdi meu estilo ou personalidade na direção.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.