RODANDO COM O UP!

Fotos: Paulo Keller


Mal o up! foi lançado e publicado o post a respeito dele, recebi um para andar normalmente, no uso, como costumamos dizer. Era um high up!, topo da gama, acrescido do acabamento "colorido", pela foto acima, o red up! Carro com quase todos os opcionais, faltando pintura metálica ou a de cor amarelo Saturno e outros menores, sendo seu preço público sugerido R$ 41.900. Caro? Um pouco, mas não exagerado, levando em conta o conteúdo do carro.

Mais uma vez, só elogios para o novo Volkswagen. O projeto é muito bom, as mudanças para o Brasil, melhores ainda, e sua produção, em ótimo nível considerando estar no começo. A percepção de qualidade associada a estarmos andando em algo moderno dá plena satisfação. Entre seus destaques, o motor EA211 de três cilindros. Pode até ser um pensamento bem autoentusiasta, que poucos se darão conta, mas saber que está ali na frente um motor de alta tecnologia é bem prazeroso. Mais ainda ao vê-lo "trabalhar", deslocar o pequeno automóvel com uma desenvoltura incomum e até certo ponto incoerente para a sua baixa cilindrada, de tão boa.



A agilidade do up! no trânsito urbano o torna elegível para qualquer garagem. Não só pelo seus 3.605 mm de comprimento, mas também, e principalmente, seu diâmetro mínimo de curva, apenas 9,7 metros. A isso se junta o interior de visual agradável e bancos com anatomia e densidade de espuma corretas, com comandos leves e precisos, notadamente o câmbio e a embreagem. A direção de assistência elétrica é exemplar quanto à carga em qualquer velocidade e é rápida, sua relação é 15,5:1. As 2,9 voltas entre batentes podem parecer muito à primeira vista, mas o fato é devido às rodas esterçarem bastante— só assim se explica diâmetro mínimo de curva de apenas 9,7 metros com entreeixos de 2.421 mm, quando o Fusca com 2.400 mm entre eixos só conseguia realizar um círculo de 11 metros de diâmetro, apesar de não ter o acionamento das rodas dianteiras motrizes como o up! tem.

Balanço dianteiro bem curto ajuda a "mergulhar" nas curvas

Um atrativo do up! é parecer nascido para fazer curva. Como as ataca bem e como dentro delas mantém atitude neutra, incutindo total confiança. O acerto de suspensão impressiona pelos compromissos equilibrados de dinâmica e conforto e pelo isolamento dos ruídos sobre piso irregular. Certamente os pneus 185/60R15 da versão ajudam nesse resultado todo, mas não acredito que essas qualidades sejam tão afetadas com os pneus 175/70R14 do move up! intermediário (veremos num próximo teste). Mas pelo que notei no take up! na pista da Fazenda Capuava (veja o primeiro post) os pneus 165/80R13 deixam um pouco a desejar nesse aspecto.

O carro veio abastecido com gasolina e no trânsito urbano o computador de bordo sempre indicou no mínimo 14 km/l, foram várias vezes mostrando 15 km/l ou fração mais. Na estrada, 18 a 20 km/l sem dificuldade (sem ar-condicionado, ligando-o cai para faixa 17~18 km/l). Considerando a exclusiva gasolina brasileira, mundialmente falando, com 25% de álcool, um belo resultado. Com o tanque de 50 litros, vai longe (outra mudança na versão brasileira, na Europa é de apenas 35 litros).

Seria melhor a tampa traseira de vidro como no alemão? Há dúvidas

Fui experimentá-lo na Serra da Cantareira, em São Paulo, onde se chega a pouco mais de 1.000 metros de altitude, e a impressão é de não haver perda de potência (claro que há), tamanha a disposição do três-cilindros em baixa rotação. O carro anda solto e fácil com motor a 1.500~2.000 rpm, mas um pouco antes 4.000 rpm ele dá uma "acordada" convincente e que satisfaz. Chega rápido e sem esforço aparente a 6.800 rpm, a rotação de corte (corte limpo), chega a surpreender a facilidade com que chega lá. O som do motor o denuncia ser um três-cilindros, mas sem nenhuma vibração e com um som que muitas vezes lembra um 6-cilindros horizontais opostos de Porsche 911. Toda hora se acelera para escutar a melodia.

Em velocidades de estrada, apesar de eu achar que quinta poderia ser mais longa (disse-o no post anterior), o incômodo de estar a 4.000 rpm a 120 km/h é mais visual, olhando o conta-giros, do que propriamente motor estressado. Como eu havia dito, o motor esbanja potência em baixa rotação e caberia um reestudo da fábrica do escalonamento das marchas. A 140 km/h indicados a rotação é 4.500 rpm e nem assim o ruído do motor invade a cabine.

Um detalhe interessante: ao entrar num túnel e se perder o sinal do GPS, em vez de mostrar o mapa parado a imagem comuta para um...  túnel.

Na tela do navegador, imagem de um túnel

O computador de bordo, de série em todas as versões, com leitura no mostrador inserido no velocímetro, dá até velocidade digital. Aliás, o quadro de instrumentos do up! move up! e high up! é idêntico ao do XL1 (ver post), com a diferença de em vez do medidor de carga da bateria à direita estar o de quantidade de combustível no tanque. Aliás, o futurista VW começou a ser vendido na Europa, mas ao preço nada atraente de € 111.000, ou R$ 355.000.

Apesar de a aerodinâmica ter piorado com a elevação da altura de rodagem "para maus caminhos", passando de Cx 0,32 para 0,36, num dos meus testes habituais, baixar o meu vidro estando a 120 km/h, o up! brasileiro passou com louvor: o ruído de vento é apenas um leve murmúrio eólico, notável.

Ao ver o up! pela primeira vez notei que os faróis eram bem grandes em diâmetro e me indaguei como seria a iluminação. Nesses dias de avaliação pude dirigi-lo bastante à noite e veio a confirmação de os faróis serem mesmo excelentes.

Faróis grandes, excelente iluminação

Por todas as suas características, é mesmo o modelo que faltava na linha Volkswagen — na Europa e aqui.

BS

Nota: Para ficha técnica completa e lista de itens de série e opcionais, acesse o primeiro post, referente ao lançamento.

Vejam o vídeo a seguir, mas antes preciso lhes contar uma coisa. A imagem deste vídeo é HD, obtida com uma incrível câmera Sony Cyber-shot, mas o AUTOentusiastas não a comprou: foi um presente do nosso assíduo leitor que assina como 'Perneta' nos comentários, que ao nos oferecê-la perguntou se aceitaríamos, justificando "estarmos precisando melhorar a qualidade" dos nossos vídeos. Não só concordamos com a observação do 'Perneta' como aceitamos o oferecimento de bom grado. Alguns dias depois chegou-nos pelo PAC dos Correios — ele é de Novo Hamburgo, RS — uma caixa com o lindo e útil presente.

Mas, como sei que o 'Perneta' é do Sul, se não há outra identificação fora o nome ou pseudônimo no campo de comentários? Num belo dia de setembro de 2012 a esposa dele me escreveu um e-mail dizendo que iria presentear o marido, no dia do seu aniversário, com uma assinatura da revista Carro, na qual, como muitos sabem, sou editor técnico e colunista desde novembro de 2008. Mas ela queria dar também ao 'Perneta', junto com assinatura, um exemplar da revista com minha dedicatória na página onde há a minha coluna "Cá entre nós", onde consta o meu e-mail bobsharp@motorpressbrasil.com.br. Prontamente a atendi enviando a revista, com a dedicatória, por Sedex para o endereço do casal em Novo Hamburgo, mas endereçado à esposa, pois era surpresa. Claro que sei os nomes verdadeiros deles e sei também que de perneta ele não tem nada.

Assim foi que, como presente de aniversário, o 'Perneta' ganhou uma assinatura da Carro e uma revista com minha dedicatória. Nesse exato dia, 14 de novembro de 2012, ele completava 37 anos e eu, 70.

Obrigado, Perneta, em meu nome e dos nossos editores. Esse é o primeiro vídeo feito com o seu valioso presente.

Um grande abraço!
Bob

Vamos ao vídeo agora:


209 comentários :

  1. Corsário Viajante07/03/14 12:14

    Não tenho dúvidas que é um excelente carro.
    O grande "senão" para mim ainda é o preço e as versões mal distribuídas. Mas isso, lógico, varia de acordo com o bolso de cada um.

    ResponderExcluir
  2. Eu discordo da reportagem quanto ao preço. Acho sim exagerado um carro subcompacto como esse custar quase 42 mil reais, mesmo se considerar ser a versão topo de linha.
    Por esse preço a concorrência oferece carros com mais espaço e motores mais potentes, com nível de equipamentos semelhantes, como por exemplo o Palio 1.6 16v e o Fiesta 1.5 16v. Na própria vw compra-se o Gol 1.6 por esse preço. Não duvido das qualidades do carro, mas a única coisa em que o vejo sobressair sobre os outros é o desempenho nos testes de impacto.
    Uma dúvida. A matéria diz ser um high up, porém as fotos são de um red up. A avaliação foi feita em qual modelo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu disse logo no primeiro parágrafo que era um high up! com acabamento red up!.

      Excluir
    2. Corsário Viajante07/03/14 13:21

      A meu ver se sobressai em praticamente tudo se considerarmos sua concorrência como Celta, Palio Fire, Clio e March 1.0. Frente à esses o produto é muito superior.
      O problema é que, pelo preço de qualquer versão com AC e direção elétrica, chega muito perto - ou mesmo ultrapassa - um monte de modelos que são muito interessantes, como vc bem disse Fiesta, Palio, Uno, Etios, HB20, march 1.6, dentre outros.
      Outro problema são as versões confusas e desconexas. Qualquer versão, exceto a take up, se equipada da mesma forma, alcança mais ou menos o mesmo preço, o que torna meio desnecessário tantas versões, até pq nenhuma é "completa", sempre falta alguma coisa ou tem algum opcional caro como o próprio maps e more que custa muito caro, ainda mais se lembrarmos que para tê-lo temos tbm que adicionar predisposição para ele e caixas de som!
      Já disse e repito, tinham que ter simplificado em três versões, uma para frotistas como a take up, outro com acabamento para público geral mas com tudo opcional e uma de topo, com tudo de série. Move up ,High Up e as BRWs tornam tudo confuso e se sobrepõem de forma irracional.

      Excluir
    3. Bob Sharp,

      Ainda não vi pessoalmente o acabamento desse carro, mas apenas para frisar, meu Palio Essence também tem um acabamento muito bom e ainda é 1,6 16V. Um foguetinho e com ótima estabilidade.

      Excluir
    4. CCN 1410
      É claro que seu Palio é o que você diz ser.

      Excluir
    5. João Carlos07/03/14 18:26

      Gosto é gosto. Mas, dentre os hatchs pequenos, acho o melhor custo-diversão o March 1,6.

      Excluir
    6. Ao menos me pareceu muito melhor que o europeu, que nem era muito economico, nem muito estável, nem muito prático e também bastante caro. Acho que as 4 portas e outras mudanças no motor e suspensão (além dos pneus) devem ter dado resultado.

      Do preço, as versões de topo acho que estão aí para quem quer um 1.0 equipado e assim não é nada absurdo (embora faça pouco sentido para quem quer um carro mais potente). O problema é mais com as de entrada, que deveriam concorrer com carros bem mais baratos. Esse tipo de confusão é comum na VW, vide Polo/Golf/Fox.

      Excluir
    7. Concordo com o amigo João Carlos, pois além de o march 1.6 ter um desempenho digamos "decente" apresenta motor muito tecnológico e econômico também, isso por um preço mais em conta. A volks sempre tem dessas, quando ela faz um carro bom joga o preço lá nas nuvens, como por exemplo novo golf e esse up, assim inviabilizando a compra.

      Excluir
    8. Sou obrigado a "engrossar o coro"..., é MUITA grana por um subcompacto 1.0, exatamente por esse motivo a Volks está investindo forte na publicidade de que é um carro "descolado" de forma a cativar o consumidor na base do "não pense quanto custa, compre pra ser o primeiro da sua turma a ter um". Ainda acredito que existam opções tão boas quanto e muito mais racionais no custo/benefício que o Up! E numa categoria "de entrada" pra mim, custo/benefício é imprescindível...

      Excluir
  3. Faço sempre questão de comentar sobre o Up quando leio testes sobre ele. Pode ser só um exagero meu mas eu achei esse carro simplesmente sensacional, ainda mais na categoria de entrada do nosso mercado. Pode ser porque sou grande fã da Volkswagen, mas nesse carro eles realmente acertaram em cheio,com fortes vantagens em relação ao modelo europeu (vidros traseiros "usáveis", porta malas maior, maior tanque de gasolina, comando pros dois vidros dianteiros na porta do motorista...) e aliado à alta tecnologia no motor, monobloco e em todo o processo de produção. Lembro que uma vez, no lançamento do novo Gol em 2008, li que a Volkswagen pretendia nivelar os carros da marca no nível do Polo pra cima (em relação a construção e acabamento), e conseguiu com Gol, Voyage, Saveiro e Fox, ainda que os 3 primeiros não tenham a solda a laser usada no Polo, e espero que agora o objetivo seja nivelar do Up pra cima. Estão de parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. David
      Voce disse que guiou o Up e gotou demais.
      Tenho um Gol 1.6 e acho muito bom de dirigir...
      Vale realmente o que pedem?

      Excluir
    2. Tb tenho um Gol 1.6 power 2013, o carro é bonito e bom de dirigir, mas poderia ser 16v, porque em giros altos é fraco deixa a desejar e outra coisa que é uma m*** é o acabamento interno, barulhento, bancos mancham, vidros eletricos sempre param de funcionar e qualidade dos materiais muito pobre.

      Excluir
    3. Felipe
      Concordo, esse motor EA111 bem poderia ser de 16 válvulas. Não me canso de dizer isso para a VW.

      Excluir
    4. Felipe e Bob, concordo com vocês que a hora desse EA111 8 válvulas já passou, mas parece que finalmente teremos boas novas em breve! http://carplace.virgula.uol.com.br/exclusivo-flagramos-o-novo-motor-1-6-16v-do-gol/

      Excluir
    5. Anônimo, depende do orçamento e dos opcionais. Uma versão intermediária, bem equipada, fica na casa dos 35/36 mil, cerca de 3 mil a mais que a concorrência. Pro que eu aprecio num carro e considero importante, eu acho que vale a pena pagar o dinheiro a mais. Mas pra outros ainda pode ser mais negócio continuar indo de Palio Fire ou Classic, ainda mais enquanto as concessionárias não concederem os tradicionais descontos na linha (o que eu creio que não deve demorar muito).

      Excluir
    6. O problema é que ao que se pode ver, ele nivelarão também os preços, e acima do Polo...

      Excluir
  4. O conjunto rodante parece seguir a receita dos Golfs "sapao". pneus altos, pra conforto e superar buracos. A tampa traseira de vidro talvez crie um conjunto estranho quando o proprietario colocar pelicula. O motorzinho eh realmente um avanco tecnologico.
    ass. Thiago

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para que colocar película? Ah, já sei, é para o carro ficar "lindão" e o motorista, "cegão".

      Excluir
    2. Nao estou sendo pro ou contra pelicula. Nao falei dela especificamente. Mas que quem definiu por ou nao a tampa europeia pode ter considerado esse ponto.
      Ass. Thiago

      Excluir
    3. Bob, concordo, mas 90% vai colocar a película. E todos sabemos como funcionam os negócios. Se as pesquisas indicam que vai ser assim, poucos vão contra a maré. Ficaria estranho mesmo o filme com a tampa de vidro, ainda que uma versão com ela e as 2 portas poderia custar o mesmo que carros como Celta e Palio e oferecer ao comprador um carro muito mais moderno.

      Mas mesmo que o comprador seja solteiro ou um casal sem filhos, vai querer 4 portas porque é questão de status e de revenda e assim já sabemos onde para.

      Excluir
    4. Nunca fui nem a favor, nem contra a colocação de película, mas acabei colocando pois onde moro o sol é muito forte e sempre acabava ficando com o braço esquerdo queimado além de passar muito calor, quando fiz algumas pesquisas descobri que existia uma película que filtrava os raios uv e alteravam muito pouco a visibilidade e nesse um ano que já estou usando vem cumprindo bem o que promete.

      Excluir
    5. Meu carro é 2002 e tá com uma película já velha e bem gasta. Quase não se percebe ela com os vidros fechados, pois dá para ver tudo dentro do carro. Mas ela faz, mesmo no estado que está, uma grande diferença em dias ensolarados. É muito perceptível a diferença se ando com os vidros abertos ou fechados. Eu, que tenho pele bastante clara, estaria certamente com um braço bem mais bronzeado que o outro.

      Excluir
    6. Uso carro sem película (usava antes) e em dia de sol realmente faz diferença. Mas nada disso seria necessário se usassem aqui os vidros verdes mais fortes como usam fora do Brasil. Como aqui já vão colocar filme de qualquer forma, nossos vidros verdes são quase incolores e no sol incomodam

      Excluir
  5. Bob parabéns pelo post.É possível transformar este motor em um dois tempos, como foi postado anteriormente sobre um motor de um outro veículo. Se sim, teríamos um "DKW" de comando duplo ? Com ficou a inclinação das bandejas em relação a suspensão tropicalizada ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas qual seria a vantagem de transforma-lo em 2 tempos?
      Melhor seria comprar logo um DKW Belcar, nao acha?

      Excluir
    2. Antonio, vou lhe responder dentro do que me lembro de ter lido aqui no AE, os mais letrados que me corrijam depois. Mas pelo que entendi dos posts técnicos, os motores 2 tempos não têm válvulas, e sim janelas nos cilindros e a mistura ar-combustível é aspirada para dentro da câmara de combustão através do cárter. Sim, quando li achei isso uma coisa louca diante do (pouco) que sabia sobre motores. Parece que o escape também é por janelas nos cilindros. Quem abre e fecha estas janelas nos tempos certos é a própria cabeça do pistão. Assim sendo, não haveria vantagem nenhuma em ter simples duplo comando, num motor que não tem válvulas! Confere?
      O que talvez chegaria perto da vantagem de duplo comando, é o sistema que a Yamaha tinha na década de 80 em suas motos dois-tempos, o YPVS, que é uma válvula na janela de escape que abre automaticamente a partir de uma certa rotação; quando ela abre a área disponível para escape dos gases torna-se maior, assim restringindo menos o fluxo e adequando o funcionamento do motor ao alto regime de giros. Função análoga ao de um comando variável...

      Excluir
    3. Antonio Ancesa
      Todo motor 4-tempos pode se tornar 2-tempos se a relação entre virabrequim e comando de válvulas for tornada 1:1 em vez de 2:1 e se for acrescentado um compressor de deslocamento (blower) para encher os cilindros de ar no fim do curso de escapamento. No final dos anos 1980/início dos 1990 a Toyota andou experimentando um seis-cilindros 2-litros de duplo comando de válvulas com exatamente essa operação. / Os braços de suspensão dianteira têm inclinação discreta.

      Excluir
    4. Bob, mesmo com válvulas no cabeçote e tudo? Caramba, eu achava que 2T era obrigatoriamente com janelas...

      Excluir
    5. Bob Sharp agradeço o esclarecimento e a paciência.

      agent008 obrigado.

      Anônimo07/03/14 13:22 leia o post que o Bob citou, ai você vai saber qual a vantagem do motor 2 tempos.

      Excluir
    6. ao agent008 e ao anonimo 07/03/14, se houver interesse leiam o texto e o comentário do Bob Sharp no mesmo texto.
      http://www.autoentusiastas.blogspot.com.br/2013/01/jaguar-dois-tempos.html

      Excluir
  6. Bob, em termos dinâmicos, como se comporta o carro carregado (4 passageiros e respectivas bagagens ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acyr
      Muito bem, resguardado o comportamento de todo carro pequeno quando bem carregado.

      Excluir
  7. Bob, o up! no modelo básico, entrada de linha eu imagino que será o mais vendido. Está no teu cronograma fazer uma avaliação deste modelo comparando com os modelos intermediários e os topo de linha ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porcodio
      Sim, vamos pedir um take up! básico.

      Excluir
  8. Otimo! Carrinho bacana apesar do preço, parece que de fato é uma boa evolução.

    O Fox Bluemotion com esse motor ficou 29kg mais leve (de 1022 para 993 quilos) e melhorou um bocado o desempenho. Um Gol com esse motor na cidade (de 919kg para 890kg) ficaria excelente e um Voyage na rodovia (974kg para 945kg e arrasto de 0.31) ficaria no mínimo interessante.

    Ainda não sei o que estão esperado para aposentar o EA111 1.0.

    Mendes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mendes
      Acho que é uma questao de tempo e escala de producao.
      Doravante o motor como novidade deve ficar mais um tempo restrito ao UP.
      Coisas do Marketing

      Excluir
    2. Mendes
      É como diz o leitor em resposta ao seu comentário, questão de tempo.

      Excluir
    3. Bob, ainda no assunto quanto ao número de cilindros em motores 1.0, seria interessantíssimo um post sobre o Twin Air da fiat, que tem apenas dois.
      José Filho

      Excluir
    4. O Gol também tem mercado mais conservador, que pode torcer o nariz para o 3 cilindros por melhor que ele seja. Acho que ele ainda deve ficar um bom tempo com o EA 111 e, quando desfizerem os mitos (3 cilindros não anda, não dura, etc.), aí talvez coloquem esse motor nele.

      Para esse tipo de comprador o mercado fala muito mais alto do que o entusiasmo ou a razão, mesmo que estejam falando a maior abobrinha.

      Excluir
  9. Bob, se um automóvel tem 100cv medidos em uma cidade localizada ao nível do mar, qual a potência do mesmo em uma altitude de 900m (Curitiba por exemplo) ou La Paz a 3600m? Há uma perda significativa de potência? Obrigado pela atenção, Ney.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perde-se aproximadamente 4% a cada 1000 metros. Exemplo: 100 cv no nível 0 iria para 96 cv no nível 1000, 92,16 cv no nível 2000, 88,47 cv no nível 3000 e assim por diante.

      Excluir
    2. Anônimo das 13:12,

      Claro que o Bob irá responder com muito mais propriedade, mas eu vivo numa cidade do Ecuador (o país) a 2.500m de altitude, onde trouxe meu ex-Vectra A 96 pra passar umas férias comigo aqui!
      Ao chegar nos Andes Peruanos o velho Vectra sofreu em termos de potência com a falta de oxigênio nos quase 5.000m de topo. Não sei se é pelo fato da Injeção do carro ter um sensor MAF, mas a correção da ECU pra a falta de oxigênio foi muito boa, tendo em vista que não houve nenhuma falha, anomalia, luzinhas no painel, nada! Porém a perda de potência foi inevitável, estimo que mais de 50% durante a passagem nos Andes.

      Abraços,
      Robson

      Excluir
    3. Media de 1CV para cada 100m.

      ISM

      Excluir
    4. Anônimo 7/03 13:12 e outros
      A perda é de 1% de potência para cada 100 metros de altitude. Em La Paz chega a perder 36%.

      Excluir
    5. A ABNT mede os cavalos em uma média da altitude das maiores cidades do Brasil, portanto até uns 500 metros acredito que não se perca nada.

      Excluir
  10. Também gostei muito dele no geral, gostei mesmo, mas por quase R$ 42.000,00 não dá para encarar carro 1.0 (só se fosse turbo). O March 1.6 SV atual custa menos que isso na tabela oficial, fora negociação. O nacional, talvez beire esses R$ 42.000,00, ou nem chegue a isso. E vem aí o Novo Ka, que com motor 1.5 e mesmo quando bem equipado, teoricamente no máximo chegará perto do preço do New Fiesta de entrada, os mesmos quase R$ 42.000,00 desse up! top de linha. É por eles que que estou esperando para ver quem vai substituir o Logan. O up! teria grandes chances sim, mas se fosse turbo, ou pelo menos um 1.4 com uns 100 cavalinhos. Levo em conta também que uso o carro praticamente só em rodovias. No uso urbano, realmente, um 1.0 já dá conta direitinho, tanto mais em cidade plana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na minha opinião um 1.0 moderno dá conta até da estrada. Basta não ter medo de usar rotação até mesmo para simples subidas.

      Excluir
    2. Dá, até dá. Também dá para um sujeito que ganhe R$ 5.000,00 viver com R$ 3.500,00, ou alguém fazer um cruzeiro na terceira classe do navio, ao invés de ir na primeira. Algumas coisas pioram, mas dá, he, he!

      Excluir
  11. Um pequeno grande carro.
    Jorjão

    ResponderExcluir
  12. Eu gostei bastante do carrinho quando pude dirigi-lo, mas só o trocaria pelo meu Gol se eu tivesse outro carro. O up! é muito pequeno para ser o único carro da família.

    ResponderExcluir
  13. Lorenzo Frigerio07/03/14 14:27

    Bob, o Fox Bluemotion também tinha esse câmbio curto?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lorenzo Frigerio
      É exatamente o mesmo câmbio do Fox BlueMotion. Mas, atenção, não é curto, pelo contrário. À velocidade máxima em 5ª o motor está a 5.500 rpm, longe de 6.250 rpm, está longo. O que sugiro à VW é mexer no escalonamento de modo que a velocidade máxima seja atingida em 4ª a cerca de 6.500 rpm e a 5ª proporcione 120 km/h a 3.600~3.700 rpm.

      Excluir
  14. ao entrar num túnel e se perder o sinal do GPS, em vez de mostrar o mapa parado a imagem comuta para um... túnel.
    A primeira coisa que pensei quando abri a foto e vi a imagem foi no Enduro, clássico do Atari 2600... a semelhança é notável, só faltou o carrinho e um joystick.

    Ainda tenho sérias restrições ao preço e especialmente a nomenclatura das versões (entendo que faz parte da mística do carro, ser um produto descolado e tal, mas os tradicionais CL, GL, GLS cairiam melhor.do que o atual, que só vai criar confusão na cabeça do consumidor)... fora isso tiro meu chapéu pra VW acertou na mosca com esse carrinho.

    E uma coisa que tive chance de confirmar: é BEM melhor ao vivo que em fotos... Bob, já imaginou ele em versão de pista?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leonardo
      Se já imaginei o up! em versão de pista? Claro!

      Excluir
  15. Falando em ar condicionado, aquelas saídas de ar sobre o painel, há uma boa climatização da cabine? Elas não jogam o ar no corpo dos passageiros, mas é direcionável?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thiago
      O fluxo de ar é normal, sem problemas.

      Excluir
  16. O chevette também faz o giro completo em 9,7 metros!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poderia ser até menos se a GM quisesse, pois não há o acionamento das rodas dianteiras. O do novo Renault Twingo, de motor traseiro, é 8,65 metros.

      Excluir
    2. O March é 9 m, também incrível. É De Dion a suspensão traseira do novo Twingo? Tem bagageiro na frente?

      Excluir
    3. Bob, não esqueçamos que o formato da suspensão também pode melhorar ou piorar as coisas. O Fusca, como sabemos, gira em 11 metros e isso se deve aos braços arrastados com barras de torção na frente. Quando a VW alemã criou versões com suspensão McPherson (e, portanto, braços que ficavam mais para dentro das rodas e perpendiculares às rodas), isso permitiu reduzir 1,5 m de diâmetro de giro nos 1302 e 1303 da vida.
      Talvez não se tenha conseguido fazer o Chevette virar menos pelo formato dos braços dianteiros de suspensão. Temos o exemplo do Omega A e seus 10,1 m de diâmetro de giro, que podem ser entendidos pelo fato de a suspensão dianteira ser McPherson (aqui vamos pensar no formato dos braços, a exemplo dos Fuscas 1302/1303) e também termos as rodas dianteiras livres de tração. E isso porque ele tem a penalidade dos 2,73 m de entre-eixos.
      Ainda assim, há casos de carros modernos de tração traseira que vêm apresentando maus diâmetros de giro. Os BMWs mais recentes não estão virando tão justinho quanto seus antecessores dos anos 1990, apresentando por vezes o diâmetro de giro que veríamos em carros de tração dianteira de tamanho equivalente, o que anula as vantagens intrínsecas (aqui podemos evocar o exemplo do Citroën DS e seus enormes 3,12 m de entre-eixos acompanhados de tração dianteira, mas mesmo assim conseguindo 11 m, bons para as penalidades que ele possui e que me fazem crer em algo no formato da suspensão dianteira).

      Porém, também fico aqui pensando se o tipo de direção não pode favorecer diâmetro de giro menor. Sempre tenho a impressão de que carros que usam setor e sem-fim ou esferas recirculantes conseguem esterçar mais as rodas do que aqueles dotados de pinhão e cremalheira (ainda mais quando vemos que boa parte dessas caixas de direção atravessa o carro de um lado ao outro).

      Excluir
    4. Anônimo 7/03/14 18:50
      Sim, suspensão traseira De Dion e não tem porta-malas dianteiro. Haverá post sobre o carro no domingo.

      Excluir
  17. 1) Caro Bob, não é caro um up pelo preço do 500? Qual é mais urbano, potente, completo e divertido?
    2) Aposto mil reais que nenhum de vocês autoentusiastas do blog, que elogiam tanto os chineses nos posts, tem um na garagem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O 500 está por R$ 44.500,00 no site da Fiat, mas não duvido que saia negócio por algo como R$ 2.000,00 menos. E por um tantinho apenas mais que um up!, seria minha escolha entre os dois. Ainda por cima é uma das mais felizes (re)criações da onda retrô, da qual sou bastante fã.

      Excluir
    2. Anônimo 7/03/14 14:53
      São carros completamente diferentes. O 500 é um 2+2, tem motor 1,4-litro de 88 cv, anda um pouco mais. / Nada a ver sua "aposta", desculpe. Achei o Audi A3 Sedã excelente e não tenho um, e teria um chinês, qual o problema?

      Excluir
    3. Anônimo das 14:53, o Bob já teve um Lada Samara zero, o Arnaldo um Hyundai Excell zero e o Josias tem um Subaru Vivio. Acho que eles tem experiência de sobra para falar sobre carros que na época eram tão ou mais desconhecidos que os chineses de agora.

      Excluir
    4. As pessoas reclamam de produtos chineses, mas não existiria esses produtos se ninguém os comprassem. A China faz de tudo, desde coisas simples e baratas até produtos originais com qualidade excelente, é só pagar que eles fazem.

      Excluir
    5. Anônimo 7/03/14 20:39
      Ontem minha mulher foi comprar um aspirador de pó. Preços variavam de 250 a 280 reais. Acabou comprando um chinês, no Extra, por 100 reais e que funciona muito bem (boa sucção). Enquanto o Brasil não passar por uma "reformatação fiscal", que erradique o Custo Brasil, nossas perspectivas são sombrias.

      Excluir
    6. Bob, formatação fiscal nenhuma vai deixar nenhum país competitivo como a China. A hora de ser conservador é essa. Deveríamos todos tentar evitar a "chinalização" do mundo. Se deixar eles farão absolutamente tudo e de um jeito impossível de concorrer, pois usam trabalho em condições que nem precisa explicar. E não é só o trabalho, os impostos e taxas lá são impossívelmente baixos e o governo trabalha para que as empresas tenham infraestrutura a ponto de mesmo com a distância os preços serem baixíssimos.

      Tudo isso tem um propósito. Eles não vão trabalhar praticamente de graça e colocando sua população em estado semi escravo para sempre. Já estão comprando indústrias ocidentais e logo vão fazer delas o que quiserem. Também é bem óbvio que vão nacionalizar (é um país comunista, não esqueçam) muitas empresas quando tiverem controle quase total da produção mundial de industrializados e vão aumentar os preços como bem entenderem (como já acontece, muitos produtos chineses já vêm tendo preço similares ou até maiores que os produtos tradicionais).

      Não duvido da capacidade de fazer coisas com qualidade deles, mas é sempre tudo objetivando domínio de mercado e não realmente fazer um bom produto. Por isso nenhum deles é destaque em qualidade, vide os iPhones da vida que vivem dando problema e são produtos premium de alta qualidade.

      Quanto aos carros, eles por enquanto nem compram suas próprias marcas. E não acho que dá para comparar com Subaru, Hyundai e nem Lada. O Lada o Bob teve por ser representante, o Subaru e o Hyundai NUNCA foram carros ruins e entusiasta de verdade (e não "entendedor" de carro) sempre soube disso.

      Logo eles devem atingir qualidade talvez até das melhores em seus carros, mas todos esses problemas vem à tona. EUA e Europa já aprenderam uma amarga lição em fazer tudo na China, tanto que o Made in USA está voltando à moda por lá. E nós, o que vamos fazer?

      Excluir
    7. Na mosca! Aguardem mais uns anos, e não décadas, para verem os chineses cobrarem o que quiserem por produtos até de qualidade, e o ocidente vai fazer o quê? Reconstruir todas as fábricas que fecharam e se foram para a China? Seremos (o ocidente) uma grande Detroit?
      Quanto ao up! gostei do carrinho, novo parâmetro para a categoria, mas como sempre VW, caro! Não estou menosprezando a tecnologia moderna, que tem seu custo, mas quanto ele custa na europa? E quanto custam os concorrentes lá?
      Mauro

      Excluir
    8. Mauro
      O up! de 60 cv, o mais barato, custa na Europa o equivalente a R$ 37.950.

      Excluir
    9. Mauro, exatamente isso. E nos produtos onde eles já possuem monopólio já é assim. A qualidade lá embaixo e os preços são iguais ou maiores de quando existiam os equivalentes feitos no Brasil ou em outros lugares. Consta que já tem sido assim com roupas e calçados, especialmente os de marcas mais conhecidas. De qualquer forma, quando eles não cobram o que querem, os revendedores acabam alinhando os preços com os produtos feitos em outros lugares de qualquer forma (afinal ninguém parece mais ligar se vem da China)

      E corremos todos o risco de virarmos Detroit. Nossa indústria de calçados sofreu muito com os Chineses nos últimos anos, dizem que boa parte já faliu ou se mudou para lá

      Quanto ao preço do up, o Bob está certo. Na europa ele também começa de um preço mais elevado

      Excluir
  18. Eu não concordo que R$ 42.000,00 seja justo. Basta olhar para os lados e ver que se compra carros maiores, motores mais potentes, carro de categoria superior por preço similar. Não sei se eu dou muito valor para meu dinheiro, ganho pouco ou os outros não dão valor ao dinheiro ou ganham muito. KKKKK.
    Em relação ao motor, (deixo claro que não dirigi o carro) não vejo tanta evolução como alardam.
    Acontece que este motor foi projetado fazendo uso de novas soluções, não vem ao caso ele ter 3 ou 4 cilindros . Os demais motores 1.0 usados nos carros no Brasil são todos de projetos mais antigos e de projetos onde se parte do mesmo bloco do 1.0 a até 1.8 como no caso dos motores da GM. Se a GM, por exemplo fazer um 4 cilindros para ser unicamente 1.0, poderia usar bloco mais baixo, mais curto e mais estreito. Bielas e pistões mais leves. A biela do 1.0 GM é a mesma que vai no motor 1.8. E assim vai por todo motor. Seria pelo menos 30 a 35 kg mais leve. O que este motor 3 cilindros da VW faz é perder ou consumir menos potência para se manter em funcionamento, Já os demais ainda penam com perdas internas devido a dimensões genéricas para atender mais modelos. Qualquer motor 1.0 sendo de 2, 3 ou 4 cilindros que seja projetado para ser ser um motor 1.0 ou no máximo 1.2 terá rendimento similar ou melhor que este 3 cilindros da VW. Na verdade eu queria ver o motor Renault 1.0 16v com algumas modificações só para ver no que dava. Entre elas.

    Comando de geometria variável. Hoje já temos empresa no Brasil com tecnologia para fabricar comando de válvulas variável para aplicação em motor de 8 ou 16v de apenas 01 comando.

    Pistões e bielas mais leves.

    Coletor de escape tubular com geometria otimizada.

    Maior taxa de compressão.

    Creio que com estas modificações o salto de potência e torque pode ser grande. E ainda assim continuar um motor muito elástico e econômico.

    Insisto, qualquer motor 1.0 de 4 cilindros que for bem projetado pode ser igual a este VW 3 cilindros. Falta é vontade de fazer. Creio que outras marcas vão seguir a moda e partir para motores de 3 cilindros, mas podem fazer o mesmo serviço num de 4 cilindros, mas não estariam na moda. Por coisas assim que eu tenho admiração pela Porsche. Não se entrega fácil as firulas da moda.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez não seja moda exatamente, mas sim redução de custos, e a engenharia tanto da Volks quanto da Hyundai são boas em redução de custos - quantas peças a menos o 3 cil. tem, em relação a um 4 cil? Eu pessoalmente esperaria ver o uso de loga duração desses motorzinhos 3 cil. do Up e do HB20 -- não quetro ser cobaia da VW nem da Hyundai.

      Excluir
    2. Real Power
      Dirija o carro e depois conversamos. Nesse assunto não cabem achismos. A redução de atrito com um cilindro menos é um fato indiscutível.

      Excluir
    3. Há alguns detalhes que explicam a popularização dos três cilindros em carros 1.0 e isso vem desde a segunda metade dos anos 1990 (quando o Corsa B europeu ganhou um motor 1.0 12v). Um dos motivos é permitir uma cilindrada individual maior que a maior possível com quatro cilindros, o que permite atingir rendimentos melhores (fica na casa ideal de 300 a 350 cm³ por cilindro, contra a média de 250 cm³ de um 1.0 tetracilíndrico).
      Além disso, o compartilhamento de peças que haveria em um tetracilíndrico usando mesmas bielas (o exemplo do Família I da GM) vai mais além e pode ser estendido a válvulas, pistões periféricos e outros detalhes. Não esqueçamos que está para ser lançado o EA211 de quatro cilindros e 1,6 l, que usará muitas peças que já são produzidas para o tricilíndrico. Logo, o motor chega já com uma rede estabelecida, mesmo que inédito.

      Além disso, peças a menos significam atrito a menos e menor peso na frente. Já guiei o up! e a as vibrações inerentes a tal tipo de configuração (uma explosão a cada 240º, contra os 180º dos quatro cilindros) estão muito bem absorvidas pela coxinização. Já vi motor tetracilíndrico mais vibrador em carro mais sofisticado que um up!.
      Logo, não acho assim tão problemático termos um motor tricilíndrico, ainda mais quando ele é modular com unidades tetracilíndricas. Aliás, brasileiros estão acostumados com motores modulares desde o lançamento do Opala, apenas não tendo se dado conta de que aquelas duas unidades eram modulares entre si e têm diversas peças intercambiáveis.
      Ainda nessa história de motores tetracilíndricos, temos o caso mais recente da BMW, cuja linha de motores começa com um 1.5 tricilíndrico recentemente lançado que basicamente é o 2.0 com um cilindro a menos e a metade perfeita do 3.0 que vemos nos modelos mais modernos de BMW e Mini. No caso dessas marcas, provavelmente os donos irão agradecer bastante por praticamente todas as peças serem iguais e um 3.0 só ter manutenção mais cara por ter mais peças, e não por elas serem obrigatoriamente mais caras.

      Excluir
    4. Bob, dirigi um HB20 1.0 e não gostei nada. Pelo que os jornalistas diziam foi grande decepção. Espero não ocorrer o mesmo com o UP!.
      Em relação a menos atrito em um motor 3 cilindros, ok, pode ser menor que outro de 4. Mas vamos a alguns fatos. A GM vem fazendo um ótimo trabalho nos motores V8. Aumentou potência, diminuiu consumo e emissões. Tudo isso sem tirar 1 cilindro do V8. Ela reduziu o atrito com melhor acabamento das superfícies de componentes como virabrequim e comando. Otimizou o sistema de lubrificação. Passou a usar tuchos roletados, molas de válvulas cônicas, etc etc. Os anéis foram outro componente que baixou muito o atrito. Para ter ideia os anéis são responsáveis por cerca de 37% de todo atrito do motor. Não importa o numero de cilindros. Se reduzimos o numero de cilindros, mas mantermos a mesma cilindrada, temos que aumentar o curso e o diâmetro. Que de certa forma aumenta o atrito o atrito pois o anel passa a ter maior diâmetro e percorre maior distancia pelo maior curso. Em um motor normal, cerca de 40% da sua potência é consumido para manter ele em funcionamento, disso tudo 15% dessa potência é consumida apenas pelos anéis. Nisso que eu falo que qualquer motor que seja resultado de um projeto moderno terá menos atrito pois fara uso de anéis de baixo atrito, cilindros com superfície extremamente controlada. A redução de atrito ou perdas vem desde um bom sistema de lubrificação e arrefecimento. Se o "caminho" a ser percorrido pelos líquidos forem bem projetados. Assim se eu puder escolher entre um 4 cilindros e um 3 cilindros moderno, eu fico com o 4 cilindros. Nem do ronco eu gostei. não afina. Por isso viva a concorrência e a variedade de modelos e motores. R$ 42.000,00 num UP!, nem a pau Juvenal.

      Excluir
    5. Lorenzo Frigerio08/03/14 03:12

      Real Power, o EA-211 tem toda essa redução de atrito que você citou E um cilindro a menos: menos partes móveis e menor custo de fabricação. Na verdade, o custo de fabricação só por conta disso deve ser tão menor, que compensa o desenho exótico das polias e o maior número de válvulas, e ainda sobra na redução do custo final do agregado para a fábrica embolsar um lucro. Do lado do consumidor, a redução de peso significa maior economia e desempenho do veículo, e menor número de anéis e bronzinas daqui a muito tempo, quando for fazer o motor. Quanto ao motor V8, trata-se de uma comparação completamente inadequada, pois estes são usados em carros do outro lado do espectro de luxo e esportividade. Entretanto, um V6 atual tem a potência de um V8 LT-1 usado nas Corvette e Impala SS do meio dos anos 90, o que já é um bocado de cavalaria para a capacidade de pilotagem de 99,99% das pessoas. E apesar de serem DOHC, também custam menos para produzir.

      Excluir
    6. Por mim, em vez de tirar um cilindro, colocava mais dois! Teria um V6 bem interessante. E deixava com menos de 2 litros. Arrancava uns 150 cvs com injeção direta e partia para o abraço. Detestei esta falta de atrito como argumento. Só pode ser argumento de custo. Mais nada. Ficou tão Antientusiasta que dá até sono.......

      Excluir
  19. Leo Cordeiro07/03/14 15:16

    Apenas uma observação: a versão take up! não vem com computador de bordo como afirmado no post.Ele está presente a partir da move up!.Ademais, gostei bastante do carrinho por ser pequeno,ágil,econômico,seguro e super atual e em sintonia com a VW mundial.Tudo que um comprador,particularmente para uso urbano,precisa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leo Cordeiro
      Como sempre, baseio-me na informação da fábrica, que diz ter o computador de bordo em todos. Pode ser um engano dela, acontece bastante.

      Excluir
  20. Leo Cordeiro07/03/14 15:19

    Ao Thiago Pereira,todos os testes que li a respeito do carro afirmavam que o ar condicionado é mais do que suficiente para refrigerar o carrinho.Eu,particularmente não direciono o ar diretamente sobre mim e os passageiros,mas costumo jogá-lo para cima de forma que fique melhor distribuído pela cabine.

    ResponderExcluir
  21. vitor marques07/03/14 15:37

    ainda acho o toyota etios 1.5 muito mais atraente pelos R$ 42.000

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Etios atraente?
      Aff !!!!!!!

      Excluir
    2. Além disso, a versão hatch é mais aerodinâmica que o up!, registrando 0,33 de Cx mesmo tendo 16 cm de altura livre do solo. Tudo bem que quando você olha o carro, nota uma série de trapaças aerodinâmicas, uma vez que a forma de caixote dele por si só não permitiria cortar o ar tão bem quanto corta.

      Excluir
    3. Trapaças ou técnica???

      Excluir
    4. Anônimo 7/03/14 17:12
      Não vejo nada repulsivo no Etios. Já dirigiu um?

      Excluir
    5. Sem sombra de dúvida!
      Temos tres carros, um deles é um Etios hatch 1.3X com ar e direção.
      Na cidade, faz 13,7 gasolina e 9.1 no alcool.
      Na estrada, 14,8 gasolina e 10,8 no alcool.
      Em TODO abastecimento, calculamos os números na bomba, km rodado x litros abastecidos de cada carro.
      Isso já virou um hábito e uma brincadeira aqui em casa, entre eu, a minha mulher e minha filha disputando para ver quem é mais economico. Mas, como eu não consigo dirigir de forma mais calma, sempre sou o mais gastão, fazendo uma média de 0,5/,0,7 km/litro pior do que a minha mulher, que é sempre mais ponderada no acelerador.
      Aliás, esses números de consumo acima são meus.
      Na estrada ando sempre a 120,130 km/h e com potencia de sobra para qualquer tipo de ultrapassagem em pista única.
      O único que consegue acompanhar o consumo do Etios é o nosso Honda Fit EX 1,5 2007, que é tambem muito bom nisso.
      Alem do ótimo consumo, o Etios oferece a vantagem da cilindrada que permite viajar em rotação um pouco mais baixa e com sobra de potencia para as ultrapassagens, sem aquele uso "desesperado" do cambio, em geral necessário em carros 1.0, especialmente em pista única.
      De quebra, escolhendo o Etios, ganhamos um belo espaço interno, sem ter os enroscos dos pés ao sair do banco traseiro que experimentei quando fui conhecer o Up! na concessionária. O porta malas do Etios é um pouco maior tambem, se bem que a VW fez milagre com o tamanho do porta malas no Up!
      Não dirigi o Up! ainda, mas a estabilidade do Etios é muito boa, com um ligeiro sobresterço no limite, o que me agrada quando estou andando sozinho.
      O Etios é muito gostoso de dirigir em ritmo normal tambem, porque o casamento motor/cambio é muito bem acertado. Fica fácil dirigi-lo de forma suave, ele tem torque no lugar certo, ou seja, a tocada econômica acaba sendo instintiva.
      Segurança 4 estrelas no LatinNCap, indice baixo no Cesvi, alem da qualidade da mecanica Toyota.
      E por tudo isso, paguei R$ 33.500,00, quase um ano atrás.
      Hoje, a tabela está por volta de R$36.000,00, mas tem muito "choro" aí.
      Mas, nem tudo são flores!
      Alguns detalhes me irritam profundamente, por exemplo:
      O painel é muito ruim à noite, design horrível mesmo. E nem tanto pela localização.
      Chega a ser vergonhoso para a Toyota!
      Pilotar usando o punta tacco, é IMPOSSÍVEL!
      O acabamento interno tem boa qualidade, mas de gosto muito conservador.
      Quanto à aparencia externa, poderia ser melhor, mas não me desagrada, não!
      Mas, é como já disseram aqui.
      Neste preço, considerando os preços do mercado brasileiro, o Etios é a escolha mais acertada.
      Paulo Franco

      Excluir
  22. Bob, obrigado pela avaliação.

    Me parece que o Up é o carro de entrada a ser batido, você concorda?
    É o perfeito substituto do Mille, proeza não atingida pelo Novo Uno. Penso com carinho em um Up para substituir meu Mille 2007 daqui a alguns anos.
    Bom espaço interno, pequeno, econômico, desempenho razoável somando aos bons atributos mecânicos de plataforma+carroceria e conjunto Powertrain.

    Pode ser besteira de entusiasta, mas a piora em 13% na força de arrasto aerodinâmico é algo que me incomoda. Não que seja um valor alto, mas é ruim saber que poderia ser melhor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caio, imagine então o cx do Cross Up! Esse asfalto das nossas ruas é de chorar...

      Excluir
    2. Caio Ferrari,
      Cada vez que penso em "suspensão para maus caminhos" espumo de raiva. É por isso que digo que o Jorge Ben Jor é mentiroso e devia ser preso, ao cantar "Moro/Num patropi/Abençoado por Deus..." (rs)

      Excluir
    3. E para andar na São Paulo das enchentes, logo logo os carros terão que ter snokel, igual o Troller e as Triton Savana

      Excluir
  23. Saudações, Bob!

    Dúvida: No outro post o número de voltas de batente a batente foi informado sendo de 3,9 (que parece muito) e neste de 2,9 (que parece pouco). Qual deles? Obrigado e ótimo post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que 3,9 para sem direção assitida, e 2,9 para direção assistida (elétrica)....

      Excluir
    2. Adlei Brex
      3,9 voltas é com a direção sem assistência.

      Excluir
  24. Rafael Ribeiro07/03/14 16:09

    Achei o Up! muito atual e atraente, atendendo a uma demanda por carros menores, mais leves, confortáveis e práticos para o trânsito caótico dos grandes centros.

    Mas o preço... A versão testada, por exemplo, é cerca de R$4.000 mais cara do que um HB20, também com motor 3 cilindros e com os equipamentos equivalentes, sendo que este último tem um interior mais elaborado e dá a sensação de pertencer a uma categoria superior. Ainda há muitos outros carros nesta mesma faixa de preço que tem porte e desempenho superiores. Só para citar alguns, Peugeot 208, New Fiesta, Citroen C3, que em suas versões de entrada tem os mesmos equipamentos do Up! em sua versão mais completa (exceto o navegador, que é opcional).

    A VW colocou a maior margem de lucro possível e imaginável (o que acho legítimo, todos queremos o maior lucro, o maior salário...), na expectativa de que o aspecto novidade, sua tradição e seus fãs possam assegurar grandes lucros o quanto antes. Creio que assim que a demanda inicial for atendida e outras novidades surgirem, haverá descontos, promoção de juros zero e etc, e a tendência é do preço pouco ou nada subir nos próximos dois anos. Cabe ao mercado decidir se ele "vale o quanto pesa"...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafael Ribeiro
      Exato, fora que ninguém compra carro com uma arma de fogo apontada para a cabeça...

      Excluir
    2. Rafael, tem ainda um ponto interessante, que o up, ao contrário dos concorrentes, pelo jeito não está sendo vendido com "ágio", e as vezes até se consegue algum desconto. Essas informações peguei da internet, de relatos de pessoas que foram à VW conhecer/comprar o carro. É uma realidade bem diferente da que teve o HB20 e Onix, que tinham fila de espera e sobrepreço.
      Por isso que eu sempre olho esses preços sugeridos pelos fabricantes só pra basear um pouco, mas o preço REAL tem que ser na concessionária.

      Excluir
  25. Bob, some-se aí o fato de que o up! brasileiro é 0,04 pior em Cx também pelo fato de no para-choque frontal não haver o mesmo defletor que há no europeu, aqui com o óbvio motivo de se ganhar mais ângulo de ataque. Com esses balanços curtinhos, não sei se era necessária uma elevação de altura livre do solo tão grande quanto a sofrida pelo modelo brasileiro, uma vez que tais balanços por si só permitem ângulos de ataque e saída bem favoráveis. Pelo comprimento desses balanços, arrisco-me a dizer que em 99% das vezes em que se encarar uma valeta (mesmo das mais inclinadas), as rodas dianteiras (ou traseiras, caso alguém vá de ré) serão a primeira coisa a atingir o solo (em vez dos para-choques ou o assoalho, o mais comum de acontecer com balanços longos). Logo, daria para aproveitarem essa vantagem do balanço curto e elevar menos a suspensão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho certeza de que tudo isso foi considerado pela VW, afinal todos lá têm pós-graduação em Brasil. O defletor-lábio dianteiro fatalmente tocaria o solo com facilidade.

      Excluir
    2. Sim, claro que a VWB tem uma boa experiência, mas não pude deixar de achar estranho o carrinho perder 0,04 de Cx, quando o normal com elevações de altura parecidas é 0,02. Tudo bem que da porta dianteira para trás difere bastante do europeu, mas ainda assim o formato básico é mantido, o que me faz suspeitar que há algum detalhe qualquer do projeto brasileiro que o faça ter desempenho aerodinâmico pior (talvez a traseira do europeu tenha alguma trapaça aerodinâmica qualquer que não vemos no daqui).
      E aqui também continuo com a crença de que daria para ter mantido o para-choque dianteiro sem defletor mas ter adotado uma elevação de altura livre menor justamente pelo fato de os balanços dianteiro e traseiro irrisórios por si próprios permitirem melhores ângulos de ataque e saída para uma mesma altura livre. A base dos para-choques, com uma elevação de altura um pouco menor que a adotada, ainda assim ficaria bem longe do chão e bastante protegida pelas rodas. E nessa, talvez o carro ganhasse um pouco a mais de aerodinâmica sem se tornar um raspador compulsivo de valetas.

      Excluir
    3. Lorenzo Frigerio08/03/14 03:19

      Anônimo, a perda de 0,04 de cx na adaptação deve-se à combinação do aumento da altura com a retirada do defletor. Na verdade, para você entender melhor é o contrário: o defletor só faz efeito quando o carro é suficientemente baixo no solo. Por isso, quando você aumenta a altura de rodagem, o defletor passa a ser inútil, mas ainda assim tem um custo que a fábrica optou por eliminar.

      Excluir
    4. Acho que a elevação de altura aqui é quase sempre necessária, pois mesmo não tendo balanço grande pra raspar em valetas, a altura livre é o que faz o carro passar pelos "dejetos viários" (lombadas, quebra-molas..), imagina o up com 4 pessoas passando por uma tralha dessas?

      Excluir
    5. Lorenzo, ainda assim é estranho que o carro tenha perdido 0,04 de Cx. O normal com elevação de altura livre seria 0,02.

      Excluir
  26. Tenho o FOX Bluemotion motorizado com o EA211 e o que o BS disse é a mais absoluta verdade: dá gosto rodar com o carro. Tenho um outro carro com motorização BEM maior (Ford Duratec), mas não me dá tanto prazer de dirigir quanto a dupla FOX+EA211.

    E isso sem mencionar a economia!

    ResponderExcluir
  27. É um baita carrinho, referência absoluta no segmento - o que destoa é o preço, a esses valores, o Up mais interessante são os intermediários para baixo.

    MFF

    ResponderExcluir
  28. Eu acho que vai vender bem, espero que as locadoras disponibilizem assim aproveito alguma viagem e fico com um para testar.

    Sobre comprar carros pequenos ou grandes, não tem absolutamente nada a ver. Se for assim com 42000,00 os leitores compram uma Veraneio em bom estado e usa o resto da grana pra encher o tanque, daí podem sair por aí desfilando no trânsito caótico de São Paulo com um carro gigantesco. Cada um tem uso para o carro e para muitos um Smart bastaria, mesmo custando muito caro, para outros, só a citada Veraneio e adivinhem... ninguém tá errado.

    ResponderExcluir
  29. Não acredito em motores 3 cilindros, assim como nos 80 hp declarados. Muito marketing; e muita verdade oculta. Assim como também não me convenci, mas admito que seja por ignorância ou até que eu me prove o contrário, a respeito do 1.4 TSI do Golf. Creio sim que cause empolgação, como atestado pelos que escreveram vários artigos, e que de fato seja um bom carro. Mas para mim a lógica matemática fala mais alto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lorenzo Frigerio07/03/14 17:44

      "Lógica matemática" é em grande parte empírica. E no caso do turbo, deixa de existir. O motor 3 cilindros dá mais potência que o EA-111 de idêntica cilindrada porque é mais moderno. O desenho dos cabeçotes e do sistema de alimentação é que faz a mágica.

      Excluir
    2. Mendonça
      Que desconfiança de tudo, hein! Há algo em que você acredite?

      Excluir
    3. Mendonça, justamente pela lógica matemática é que os motores modernos são mais eficientes! Tenho certeza que a termodinâmica e a cinética ainda são válidas desde quando estudei na faculdade...

      Excluir
    4. Qual a sua lógica matemática? Dos anos 30 quando os motores rendiam uma potencia especifica de 30cv/L?

      Excluir
    5. Veja o vídeo abaixo. Este motor tem potência maior que a declarada na ficha técnica:
      https://www.youtube.com/watch?v=3ldU8hDpZFI

      Excluir
    6. Não vou dizer que não tenha muito malabarismo com número em motor, mas essa desconfiança parece mais de "entendido" de carro do que de entusiasta. Se o desempenho testado e medido foi melhor, fim de papo. Dirige um Golf TSI que vai ver que chega mesmo a empolgar em arrancadas.

      Excluir
    7. Caro Mendonça,

      O avanço em termos de motores, hoje, é notável. Repare, no vídeo, que o Bob faz uma ótima relação entre o motor do UP e o do antigo Passat TS.

      Leo-RJ

      Excluir
    8. Dei um up à consorte, e até agora guiei o carrinho mais do que ela. Tamanho o prazer na condução dele. Acredito sim nos valores informado. E cabe também ressaltar que a diferença no desempenho do carrinho, abastecido com etanol, é bem perceptível. Como o confrade diz acreditar na lógica matemática, também eu o faço, e para mim é simples: menores massas móveis no motor devido a menos componentes em movimento, menores atritos devido aos materiais e tecnologias empregados, temperatura de cabeçote otimizada (mais fria) devido ao duplo circuito de arrefecimento com válvulas termostáticas operando em temperaturas diferentes (mais quente no bloco, menos quente no cabeçote) - dentre outras melhorias neste motor, tudo isso leva ou ao menor desperdício de energia cinética (menor massa e menores atritos), ou à queima mais eficiente da mistura ar/combustível (temperatura do cabeçote menos quente), e aí passa-se a acreditar nos números pois são, sim, factíveis. E o carro é muito leve, o que acentua a percepção. Abraço

      Excluir
  30. Também estou muito feliz por ter encontrado uma oportunidade de retribuir para uma turma que admiro tanto! Agora eu e os meus colegas internautas vamos poder apreciar ainda mais os seus vídeos, e que por sinal esse começou muito bem!

    Abraços,
    Perneta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perneta
      Como eu disse no post, concordamos imediatamente com as suas observações sobre qualidade dos vídeos...

      Excluir
    2. Lorenzo Frigerio08/03/14 03:30

      Bob, o áudio de alguns vídeos do AE pode ser melhorado com o uso de um "windgag" - uma espécie de capuz com pêlos sintéticos que veste a parte frontal do microfone, para eliminar aqueles barulhos horrorosos de vento (parecem umas "pancadas" no microfone) quando se dirige com o vidro aberto, ou ao ar livre. Em geral são fabricados por uma empresa chamada Rycote, e tem tudo quanto é modelo, inclusive para câmaras digitais pequenas.

      Excluir
  31. Estranho esse cambio curto ,no demais o carro está bom ,a radio Antena 1 é boa também rsrss.... ,abraço .

    ResponderExcluir
  32. Bob, tua revista autografada está exposta na sala de visitas e é motivo de orgulho para o "Perneta". Fiquei feliz que conseguistes editar o vídeo. Que venham muitos vídeos e fotos no blog.
    Abraços,
    Tagiane

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tagiane
      Que legal, o lugar onde está a revista! O primeiro vídeo não teve como editar, precisei fazer nova gravação em mp4 (outro era um formato diferente, não tínhamos programa para isso). Agora pegamos o fio da meada.
      Abraço!

      Excluir
  33. Fiz um teste drive no Up! nessa mesma configuração que o Bob e gostei de como anda, como responde, dos comandos acessíveis, boa posição de dirigir e visibilidade. Contudo, o espaço para quem vai atrás é altamente reduzido. No meu caso, solteiro, universitário, 99% do tempo sozinho no carro isso não é problema (os preços do Up! com certeza são!). O porta-malas tem 285l (palavras da vendedora) que ficam dispostos de forma a colocar dessas malas de rodinha em posição vertical, de forma que o porta malas do meu Celta (265l segundo o manual) parecem maiores.

    ResponderExcluir
  34. Bob , Penso que esta mais do que no momento adequado de escrever um post sobre motor de 1.000cm3 ,ou de mesmo volume, considerando as vantagens e desvantagens para a utilização de três ou quatro cilindros. Afinal tem muito coisa confusa nestas comparações, inclusive comparar motor de concepção atual com de concepção antiga creditando a melhoria do desempenho à quantidade de cilindros ou À tenologia aplicada.

    ResponderExcluir
  35. Esse carro me agradou, fico imaginando a versão com o motor turbo, podem até chamar de GTI

    ResponderExcluir
  36. Perneta, achei linda a sua atitude de presentear não só o Sr Sharp mas também todos nós leitores. Muito obrigado e gosto muito de seus comentários. Sr Sharp fiquei interessadíssimo na matéria do motor de 4 para 2 tempos, é matéria suficiente para um post? Grato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faço minhas as palavra de Luciano. Nobre atitude Perneta!

      Excluir
    2. Luciano
      Pode ser, sim.

      Excluir
  37. joao celidonio07/03/14 19:12

    ótima qualidade do vídeo, estou ansioso pra dar uma volta no UP!

    ResponderExcluir
  38. Nao dirigi um Up ainda, mas por experiencias com outros carros da volks, eu nao teria coragem de pagar 20mil em um desse.
    Tenho um gol 2008, o carro tem barulho em todo seu interior, isso pq nunca foi batido nem coloquei em estrada de terra. Tem barulho no painel, que pelo visto 'e cronico, no banco traseiro e no porta mala.
    Meu pai tem um voyage 11/11 que tambem nunca foi batido e o mesmo, tambem insuportavelmente, cheio de barulhos. Barulhos na porta, barulhos na coluna e ao distorcer o volante, tambem tem uns estralos que nunca consegui identificar.

    Agora, esse que 'e um carro de entrada, imagino que o acabamento deve ser do mesmo padrao volks...Um lixo.
    Nunca mais compro carro da volks.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. joaquim osorio
      Acho que o problema não é exatamente com os carros Volkswagen...

      Excluir
    2. Carro e reflexo do dono
      Vocês devem andar a toda em buracos valeras e lombadas
      Ta ai o resultado!

      Excluir
    3. Achei a resposta um tanto maldosa. É comum de muitos modelos o grande barulho interno depois de 1 ou 2 anos de uso, reflexo inclusive da cultura de que a maioria vai trocar o carro depois de 3 anos.

      Excluir
    4. Verdade. Compre um carro sem a intenção prévia de trocá-lo com meros 2 anos de uso e verás que q nada disso acontecerá.

      Excluir
    5. Não é só questão de tratamento, é questão que muita coisa é feita para durar até 2 ou 3 anos, quando a maioria troca. Compreendeu?

      Excluir
    6. Corsário Viajante11/03/14 00:05

      Vcs instalaram algum acessório como alarme, som ou caixas de som? OU os carros estão 100% originais?

      Excluir
  39. Bob, boa noite!

    Vi o seu espanto/admiração com a figura estática de um túnel ao passar por um túnel real. É um belo comentário, sinal que as montadoras estão evoluindo em nosso país. No caso desta figura estática, tem mais de 10 anos que isto é feito, mesmo em dispositivos GPS portáteis "xing ling". Vou além, nas junções é possível exibir, também, uma figura estática, com setas cintilantes ("blink") que indicam a pista correta -- visualmente é lindo, mas também eficiente. Ótimo saber que esta tecnologia chega aos carros do segmento de entrada; triste é constatar que ainda não chegou aos segmentos superiores... :-(

    Tá, você, eu e quase todos aqui preferimos/admiramos qualidades mecânicas, onde rebarbas, firulas e "et al" são interessantes, mas no máximo isso. Porém há a tal da sobrenatural tendência e que insiste em assolar o meio automobilístico a cada instante. Se é para ser assim, que seja, mas com qualidade. Já que o universo hi-tec ingressa de vez neste universo em particular, bem, que seja com o mínimo de qualidade. No caso dos singelos GPS, que ofereçam qualidade visual e, principalmente, em termos de segurança e credibilidade (no caso, das rotas).

    Isto implica nas cobranças/exigências dos usuários no que tange aos mapas e à interface gráfica, todos dignos de pena. Não pelo fabricante de arquivos de conteúdos em si (mapas, pontos de interesses, relevos e monumentos em 3D, etc.), mas por total descaso das montadoras. Por exemplo, para a assinatura de mapa por um ano (2 ou 3 atualizações) o fabricante de conteúdo cobra certa de 49/50 dólares diretamente do usuário; já as montadoras (sim, o serviço, em geral, é online) costumam cobrar cerca de 400/500 pelo mesmo arquivo, só que desatualizado.

    Por que não escrever um tópico sobre as limitações e extravagâncias neste meio? Louvemos as boas implementações e suas qualidades; cobremos melhores produtos e custos -- oficialmente -- normais e justos (de mercado). Não é papel de montadora lucrar exageradamente com atualizações de arquivos de conteúdos de GPS -- que transfira o serviço para o desenvolvedor. ;-)

    Abraços cordiais!

    Xamanian


    PS: estou extremamente feliz com o conjunto de mídia de meu carro, não se aplica ao comentário. Paguei a parte, retirei o original de fábrica, digno de pena. Incrível ver o que os japoneses conseguiram fazer de horroroso neste sedã médio. hehehehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Xamanian
      Olha que tenho usado bastante GPS nos últimos anos, nunca vi a figura do túnel, nem no meu Mio particular já algo antigo. Daí me espanto...

      Excluir
    2. Bob, quer uma "proposta" para você testar aí? :-)

      É só falar, entro em contato. ;-)

      Abraços,

      Xamanian

      Excluir
    3. O idiota aqui não foi feliz no último post... :-(

      É um software, "freeware", claro, mas completo em recursos. rsrs

      Mio: já não existe mais, Bob, agora (mas indo pelo mesmo caminho) é Magellan. A empresa é MiTAQ (boa qualidade, digamos). A época do (ótimo) Mio já foi... Mas é um aparelhos muito confiáve - hardwarel!!!

      Xamanian

      Excluir
    4. Muitos fabricantes têm oferecido atualizações gratuitas no momento das revisões. Especialmente os carros de segmento mais para cima são assim. No resto, continuo achando essa preocupação tão grande com central multimídia ser a mais avançada e cheia dos badulaques coisa para quem gosta de computador e não de carro.

      Excluir
  40. Muitos anos atrás tive uma Towner, com a qual rodei muito e nunca me deu maiores problemas. Acredito, sim, em motores três cilindros, e fiquei muito mais tranquilo agora em saber que não sou só eu que acha o som desses motores em alta rotação, parecido com os seis cilindros contrapostos. A vontade é esticar marchas toda hora, só para ouvir. Abraço a todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre me encantei ao ver( e ouvir) uma Towner com o escapamento rompido. Inacreditável a semelhança sonora com um motor de 6 cilindros.

      Excluir
  41. O up! Já vende a algum tempo aqui na terra do sol nascente,e vende bem,só por isso acho ele mais uma excelente opção no mercado brasileiro,se é caro ou barato eu já não sei,aqui sai mais caro que seus concorrentes japoneses 1.0(march,vitz,mirage,swift)e mais barato do que o fiesta que estreou aqui esse mês,mas 1.0 turbo.
    Agradecimentos ao perneta,os vídeos já eram bons em conteúdo,agora em HD,show de bola.

    ResponderExcluir
  42. alguém se incomoda com a saida central do ar condicionado direcionada so pra cima?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniel, no up da minha cara-metade percebi que não fica direcionada nem para cima, nem para a frente, mas num meio-termo, a mais ou menos 45°. Fica bom, tem boa eficiência, atinge também o banco de trás, e não joga vento gelado na cara da gente. Claro que seria melhor poder escolher se quer vento gelado na cara ou não, mas confesso que não faz falta. Até melhor, pois no meu outro carro quando estou viajando é como se fosse um tique, fico ajustando as saídas do ar o tempo todo.... hehe

      Excluir
  43. Não guiei, mas realmente é um carro moderno. Só achei bem feioso - especialmente o painel e a traseira - e mal batizado, o nomezinho é terrível. Produzirá uma família, como a antiga BX? O peso da marca é indiscutível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tuhu
      Nada de família, pelo menos por enquanto. Só o duas-portas, que chega ainda este mês.

      Excluir
    2. Bob, algo interessante para se notar é que o Taigun tem, exceto a altura, praticamente todas as suas dimensões regulando com as do Gol. Logo, em tese poderíamos imaginar um novo Gol feito sobre a base NSF, tendo o benefício de maior espaço interno que o possível com a atual especificação.
      Seria questão de aumentar o entre-eixos, bem como alargar o veículo (imaginando-se que a plataforma em questão seja altamente flexível), fora acrescentar os EA211 de quatro cilindros. Seria uma forma de gerar aumento de amortização dos custos da plataforma. Além disso, um Voyage feito sobre essa base poderia até mesmo atender à lei indiana dos quatro metros.

      Excluir
    3. Lei indiana?

      Excluir
  44. Assisti o vídeo agora e posso dizer que o painel de "lata" me agradou muito.
    Gostei também do comprimento do carro, que é de apenas 3,6 m e que em minha opinião é o suficiente.
    Olha o Kei Car da VW, hehehe...
    Futuramente, quem sabe, um duas portas 1,2 ou 1,3.

    ResponderExcluir
  45. É um carro que cumpre o que promete no uso urbano, pequeno e econômico, te leva com o A/C de um canto para outro.

    Eu acho que o acabamento dele é bem espartano, mas isso não é culpa da VW... É a onda de depenar os carros, reduzir custos.

    Eu ainda fico com o meu GM CORSA 97, onde o acabamento é superior, e me leva pra tudo que é canto, com pouco custo de manutenção e consumo de combustível.

    Ah mulheres tem adorado o carrinho.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não me explique o perfil destas mulheres!... ;-)

      Xamanian

      Excluir
    2. Por mais antigo que seja o Corsa e por mais que duvide que mulheres gostam dele (não leve a mal, mulher gosta de $novidade) é inegável o quanto ele era mais bem acabado que os populares atuais e que era melhor que o próprio Celta que o substituiu.

      Mas o acabamento do Up não é tão espartano não.

      Excluir
    3. Acho que no Up só falta o (bom) veludo que vinha nos corsas GL 1.6... muito confortável, coisa que só se acha em Civic, Corolla, Sentra.... e olha lá. No mais o acabamento é do mesmo nível dos corsinhas antigos, na verdade um pouco melhor, e a ergonomia é uma lição à parte.

      Excluir
    4. O veludo dos GLS era coisa que em nenhum carro nacional se acha mais

      Excluir
  46. Bob, até gostei do Up!, ele me lembra um pouco o Twingo que tive, mas ainda não achei um motivo consistente para trocar meu Peugeot 207 (que tem me atendido muito bem) por um.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostaria de dizer o mesmo com o daqui de casa....

      Excluir
  47. Lucas dos Santos07/03/14 21:31

    Finalmente vídeos de alta definição no AUTOentusiastas!

    Assisti ao vídeo antes de ler o texto e foi uma grata surpresa notar que estava em "HD". Eu já achava os vídeos ótimos e a única ressalva era a baixa definição, mas agora não falta mais nada para ficar excelente!

    Grato ao "Perneta" pela contribuição e também pelo grande trabalho do Bob e do AE, que certamente foi o que motivou a ação do nosso colega.

    ResponderExcluir
  48. Bob andei sondando preços entre prováveis concorrentes do Up! e sinceramente fiquei surpreso.
    Achei o Move Up! a R$ R$ 34.800,00 com Ar, Direção, Vidros Elétricos e Travas Elétricas, e um Ônix na mesma configuração a R$ 36.000,00. Andei com os dois e o Up! tá um degrau acima dele e do resto da sua categoria. Não achei barato (qualquer carro no Brasil tá longe de ter preço justo) mas o novo VW é que está oferecendo...

    ResponderExcluir
  49. Acho o Up! um carro interessantíssimo, com qualidade de construção muito acima do nível a que o consumidor médio está acostumado, mas tem o problema da maldita relação custo-benefício. Analisando sob o modesto ponto de vista de consumidor, talvez optasse por ele somente na versão básica acrescida do ar-condicionado. Digo talvez porque, nesse caso, teria que abrir mão, obrigatoriamente, da direção com assistência elétrica.
    Pelo preço da primeira versão superior à de entrada, optaria pelo Etios, que já experimentei e superou todas as minhas expectativas. O Toyotinha está p/ o momento atual o que foi o Gol na década de 80: tosco no acabamento, sem muita frescura, mas muito resistente e prazeroso ao volante.
    Antônio do Sul.

    ResponderExcluir
  50. Bob, tudo bem?

    Você acha que existe alguma chance da VW colocar um motor mais forte no Up e fazer, quem sabe, uma versão mais apimentada? Uns 115cv transformariam esse carro num pocket rocket

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniel
      Acho pouco provável que aumentem a potência do up! ou que saiam do 1-litro. Pelo menos na Alemanha não há indícios disso.

      Excluir
    2. Teve o conceito Up! GT com motor turbo e 108HP mas parece que não vingou. Quem dirigiu diz que é o melhor dos Up!

      Excluir
  51. Dirigi o carro. Mesmo modelo mas em cor branca.
    Gostei demais do carro. Direção super leve mas precisa. Cambio uma manteiga com bons engates. Motor parece 1.3 você se surpreende quando vê que é 1 litro.

    Agora o preço. Acredito que 35.000,00 deixaria bem mais atraente.

    TT

    ResponderExcluir
  52. Não curti, não sei se foi as rodas feias, o painel parecendo de metal ou o GPS estranho no painel, mas achei estranho. Parece uma Ducato, Sprinter em miniatura... me lembra também a Kombi.
    Pensam nesse carro do mesmo tamanho da Kombi...seria legal o design da nova Kombosa Up 2014.
    O motor sem preconceito... se com 3 cilindros ele desenvolve até mais potencia com menos consumo de combustível que um 4 cilindros, isso é ótimo.

    ResponderExcluir
  53. Tive um Gol 2009 e já achava horrível de acabamento, imagine esse que é "inferior" e custando 40 mil.... VW só depois do Jetta... porque ninguém merece Jetta partindo de 65 mil com motor ANTIGO de 8V e 120 cv com painel de Fox, volante de Fox e várias outras peças de Fox... enfim....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Piero
      Esse motor do Jetta é o EA113, não o AP2000. Já dirigiu o carro para condená-lo dessa maneira? E que está errado com o painel de Fox, que segue a linha de todos os VW hoje? É perfeito. E quem disse que up! é inferior em acabamento?

      Excluir
    2. Piero
      O EA 113 não é nenhum expoente de potência mas tem uma excelente potencia disponível em baixas rotações, o que faz ele parecer mais potente do que o indicado nas especificações.
      Prefiro o EA113 a muito motor 2.0 tido como "moderninho"

      Excluir
    3. Pedro de Albuquerque08/03/14 14:02

      A AVL vende motor 2 litros aspirado pra JAC de boa potência, específica, multiválvulas. O pessoal da VW poderia comprar deles.

      Excluir
    4. Bob... sim... Temos um Jetta na família... pelo preço do Jetta é lamentável o acabamento e motor velho além de manco (alguém acha mesmo que ele anda bem? já andou com 4 pessoas no carro + mala?)....Não falo somente da potência... ele é áspero...típico de motor projeto antigo...O Fox é bom.. não concordo com o acabamento do FOX no Jetta..... enfim... o acabamento do Up eu particularmente achei péssimo... me lembrou o antigo Ford Ka...

      Excluir
    5. Se o Jetta é tão ruim, pq compraram???

      Excluir
    6. Já tive essa experiência e posso dizer que o EA113 pode ter o torque em baixa que for, no Jetta com mais pessoas dentro o carro fica lento. Qualquer concorrente é melhor na mesma condição, inclusive os tais "2.0 moderninhos" que "não prestam".

      É um motor que já foi muito bom e num carro mais leve como o Polo vai muito bem, mas num Jetta não tem conversa.

      Excluir
    7. Lorenzo Frigerio08/03/14 20:35

      O EA-113 do Jetta não é um EA-113 típico: ele tem "downgrade para AP". É o único 2.0 em fabricação da VW que não tem árvores de balanceamento para contrabalançar as vibrações decorrentes de sua má relação r/l, aliás os outros são todos TFSi, portanto as árvores são necessárias. Mas como o motor do Jetta é feito para o Méhico e para o Brasil-sil-sil (e opcional nos EUA, que os alemães esnobam), a fábrica acha que pode se safar dessa. Lembrando que o EA-113 2.0 "clássico" é o biela-longa que veio ao Brasil nos Passat/Golf dos anos 90, e que a VW tirou de linha.

      Excluir
    8. Esse negócio de r/L é bem relativo...0,3 é um numero de referencia e existe tolerância para mais e para menos (lembrando que biela longa demais implica peso adicional e esforços adicionais como já foi dito pelo André Dantas neste espaço). Tem muito motor moderno que tem r/L superior a 0,3 e ninguém reclama. Se não estou errado o 1,8L do Civic é um deles...

      O 2,0L de bielas de 159mm que vieram para o Brasil na década de 90 eram EA827/AP. Nunca foi o EA113. Esse motor tinha bloco maior para funcionar em rotações mais altas nas versões de 16 válvulas (que inclusive veio para o Brasil no Gol GTi). Aproveitaram a economia de escala e fizeram todos os 2L dessa maneira, sendo alguns 8 valvulas de fluxo simples e outros, fluxo cruzado (Golf GLX).

      O VW 2L TSi do Tiguan e do Golf GTi atuais não são EA113. São os EA888.

      Quanto aos 2L moderninhos, outro dia dirigi o i30 do meu pai, com 5 pessoas dentro e o carro nem parece que tem 145cv declarados. O motor tem que ficar sempre em alta.

      Numca coisa eu concordo com os criticos. Se a VW investisse só um pouquinho no EA113 ele teria os mesmos 140cv, como fez a GM com o Familia II

      Excluir
    9. Acerela aí, Tiozinho!08/03/14 23:40

      Pra quem não passa de 2000 rpm ou anda só no "politicamente correto", não sentirá falta de potência. Pra quem gosta de guiar, os da faixa de 135 a 170 cv aspirados mais atuais, são bem melhores.

      Excluir
    10. Acelera aí, Tiozinho
      Gostar de guiar não tem nada a ver com potência e/ou velocidade, mas de quando em vez extrair o máximo de um carro, qualquer carro. Velocidade em si, "quanto o carro dá", é algo totalmente irrelevante. No caso do Jetta manual de 120 cv, 0-100 km/h em 10 s e chegar a 205 km/h não indica tratar-se de um carro lento.

      Excluir
    11. O Astra 1,8 tbm chamavam de manco, mas era só saber fazer marcha que de manco ele não tinha nada!

      Excluir
    12. Só que o Astra 1.8 não era manco mesmo, eram os "entendidos" que achavam isso por não saber tocar e compararem com o 2.0. O Jetta 2.0 já é realmente um caso a parte

      O i30 é incomparávelmente mais ágil, aliás é tão sabido que o i30 era um carro rápido que dá até desconfiança essa parte de querer dizer que anda pouco e pede giro. Até o automático era ágil, porém gastão. Nem queira saber como é um manual, Astrinha 2.0 (um carro já bem rápido) fica a ver navios. Cheio, o carro fica mais lento e pede mais rotação como qualquer carro. Faça o mesmo teste no Jetta e verá a diferença

      O Bob já deu sua opinião sobre o i30 uma vez. O carro era mesmo muito bom, pena ter sido trocado pelo novo 1.6. Não é um tapinha num motor qualquer que vai ficar igual a um baita projeto. Aliás, como era bom ver o i30 antigo com esse motor solto e a altura de rodagem e dureza de suspensão não "tropicalizadas". Não sei como tem quem não veja um carro bom de verdade e não reconheça, acho que é vício

      Excluir
  54. Como será que anda a calibração do acelerador eletrônico do Up? Já dirigi bastante Gol e Fox, e uma das únicas coisas que me desagrada neles é a calibração daquele (maldito) pedal

    Será que é tão difícil assim cumprir as normas de emissão? Tinham mesmo que tirar o cabo e deixar a ECU decidir pela gente?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Victor
      Francamente, não sei o que tantos reclamam do acelerador de controle eletrônico. Nunca tive a menor dificuldade com nenhum deles, e olhe que ando nos mais variados carros. Lembre-se de que o comando a cabo também não é linear, depende da angularidade do braço que aciona a borboleta, em geral calculado para maior rapidez de abertura no início de movimento do pedal.

      Excluir
    2. No Gol 1.0 o acelerador realmente me incomoda, especialmente o atraso que demonstra para responder ao toque no acelerador, que demanda tempo de adaptação para que as trocas de macha sejam suaves. Viajei 900km de carona em um voyage 1.0 com um motorista meio ruim e cada aceleração, especialmente em pedágios, era um sofrimento pela total falta de sincronia com os pedais, certamente o atraso no acelerador contribuiu para o péssimo modo que ele achou cômodo e se adaptou a dirigi-lo. Outro carro que considero o atraso ruim e que dirijo frequentemente é o Logan, enquanto o Uno Mille considero perfeito, nesse quesito.

      Excluir
    3. Bob;

      Quando dirigia o Gol Power 16 válvulas de 76cv que tivemos na familia, eu também nunca vi nada de errado com o acelerador eletronico.
      Aliás, diga-se de passagem o carro era muito bom. Ruim foi a manutenção que deram nele depois que deixei de dirigi-lo

      Excluir
    4. Tem carro que o acelerador eletronico é tão bom que se falar que é por cabo, acreditam. Outros, realmente possuem um atraso muito grande na resposta ou então são sensíveis demais, dando trancos facilmente.

      Depende COMPLETAMENTE da qualidade do trabalho da fabricante e das limitações do motor.

      Excluir
  55. O vídeo ficou ótimo, e o carrinho realmente parece ser muito bom. Obrigado Perneta pois sua atitude em ajudar, beneficiou a todos nós que frequentamos o blog. Agora, quem estiver dirigindo tem que ter cuidado redobrado, pois não me parece fácil ficar explicando as qualidades e defeitos de um carro enquanto se dirige.

    ResponderExcluir
  56. Moises_SP
    Certíssima a sua observação, não é fácil. Tanto eu quanto o Arnaldo precisamos praticar o falar e dirigir simultaneamente, pois ambos damos prioridade para a condução. Pela mesma razão eu e ele falamos mal ao celular quando dirigindo. Mas chegaremos lá.

    ResponderExcluir
  57. Bob, este novo motor da VW usa correia ou corrente?

    ResponderExcluir
  58. Bob testou na estrada da roseira?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leister
      Não sei se a estrada tem esse nome, mas foi próximo a Mairiporã.

      Excluir
    2. A estrada da roseira de verdade (descobrir isso só para quem mora lá ou depois de passar muitas vezes porque a sinalização é péssima e dá a entender que pode ser vários caminhos diferentes) é bem ruim para teste de carros. Asfalto ruim, pista apertada e passa por muitos bairros no caminho com muitas lombadas e animais soltos (é uma região bem carente). Além disso é curta e termina em becos de terra que te levam para lugar nenhum e você fica andando em círculos

      A melhor região dessa serra (e a que fazem os testes) é a que o Bob falou, qualquer lugar dela entre SP e Mairiporã, passando próximo da estrada da roseira e de várias cidades satélite de SP. O melhor trecho é curto e fica na região de Caieiras, esse que tem mais curvas com bom asfalto sem lombada e sem bairros no meio e o que costuma aparecer nos vídeos

      Antes dos condomínios e da ocupação irregular por ricos e pobres era uma estrada bem melhor, com menos bichos e menos lombadas, além de menos movimento. Existe também uma segunda entrada dessa serra, acessada meia escondida por dentro de um bairro. Essa é muito boa, apesar de muito íngrime e curta

      Excluir
  59. Gostaria de saber a eficiência do ar condicionado pois a ventilação "frontal" é na parte de cima do painel atrás da central multimídia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Brankowski
      O a-c e eficiente, está no texto e no vídeo. Além do central há dos dois difusores laterais,

      Excluir
  60. Sou adepto do carro popular 1.0~1.6 (com o mínimo de conforto e segurança) para o dia a dia, de consumo adequado e baixa manutenção, e claro, para os finais de semana ou diversão um bom carro bem diferente do popularzinho para acalmar a alma e ne tirar da rotina de cidade/estrada/estrada de chão.

    O Up! é realmente uma beleza de carro, fui na CSS e fiz um TD no completinho com minha esposa junto, que claro ela adorou, mais... tem que ser mais barato ! Com todos os opcionais não deveria passar dos R$35k, e para mim trocar meu Fiestinha 1.6 de guerra tinha que ter um motor pelo menos 1.6 16V dos moldes de seu 1.0, que ai sim seria perfeito para mim e custar no máximo R$40K que estão cobrando pelo 1.0.

    Adorei mas não vale o que estão cobrando.

    ResponderExcluir
  61. Bob,

    O Vídeo ficou mesmo sensacional, aos 4 minutos dele ocorre uma dupla embreagem ?

    Andou só com gasolina?

    Abraço,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alexei
      Eta olho de quem conhece... sim, dupla-embreagem. Nem percebo, é ato totalmente automático. / Sim, só com gasolina. Veio com tanque cheio e não rodei o bastante para ter que reabastecer (é muito econômico).

      Excluir
    2. É preciso ter bom ouvido...

      http://bestcars.uol.com.br/ct/debreagem.htm

      Excluir
  62. Como não faço questão de muitos mimos em carro, em especial nos modelos pequenos (questão de gosto, se for para ter um carro mais "recheado" de equipamentos, prefiro aumentar o tamanho da carroceria junto...), não compraria o high up! por quase R$ 42 mil. Porém, nas versões menos equipadas, considero como uma opção interessante.

    O ronco do motor de 3 cilindros empolga. E empolga mais ainda saber que pode-se extrair 82 cv do motor, se abastecido com álcool (mas eu fico mesmo - e me satisfaço - com os 75 cv a gasolina, já que sigo firme e forte na minha cruzada pessoal contra os usineiros e suas demagogias irritantes). Melhor ainda ao ver que, mesmo sendo um motor aspirado, multiválvulas e de pequeno deslocamento, a engenharia da VW conseguiu manter o torque máximo entre 3000 e 3800 rpm.

    Agora, vamos combinar, tem vias brasileiras que são um terror. A quantidade de solavancos que se vê no vídeo é inadmissível, indigna de um país que se diz (ou quer ser) sério...

    ResponderExcluir
  63. Bob só para constar. A mudança na tela do GPS ao adentrar em um túnel já é oferecida a algum tempo (acredito que desde 2012) pelo navegadores iGo Primo e Amigo. Acredito que o software da iGO seja a base para o navegador do UP!

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.