84° SALÃO DE GENEBRA

Fotos: autor


O 84º Salão de Genebra abriu no dia 6 e vai até o próximo domingo, 16. É anual, enquanto os outros dois importantes salões europeus, Frankfurt e Paris, são bienais e se realizam no outono. Já Genebra é perto da  primavera e isso lhe dá um ar especial, é o meu preferido e todos deviam conhecê-lo. Outros salões mundiais importantes são Detroit, no começo de janeiro, e Tóquio, em novembro, ambos anuais.

O clima estava agradável este ano, pouca chuva, temperatura entre 3 °C e 10 °C, parecia São Paulo em julho do ano passado.

Foram 43 novidades mundiais apresentadas, entre elas o novo Renault Twingo de que já falamos aqui, novo VW Scirocco, Peugeot 308 perua, veja a relação abaixo:


Audi S1 e S1 Sportback: 2,0 TFSI. 231cv e tração integral quattro
Audi TT: interior foi conhecido na CES (Consumer Electronics Show) em janeiro, vendas no final do ano
BMW Série 2 Active Tourer de tração dianteira, versão de produção do projeto F45
BMW Série 4 Gran Coupé: 4+1 lugares, hatchback 4-portas, rival do Audi A5 Sportback
Citroën C1: segunda geração, compartilhando plataforma com Toyota Aygo e Peugeot 108
Citroën C4 Cactus: será feito junto com o C4 in Madrid, quase igual ao conceito
Ferrari California T: facelift, novo nome e motor turbo V-8 3.855 cm³ de 560 cv
Fiat 500L: motores MultiJet II diesel 1,6 de 120 cv 1,4 T-Jet a gasolina de 120 cv
Ford Focus facelift: primeira atualização de estilo desde a estréia em Detroit 2010
Honda Civic Type R conceito: previsão de produção em 2015, 280 cv
Honda NSX, motor: V-6 turbo longitudinal e sistema híbrido de três motores
Hyundai HED-9 Intrado, conceito: construção “revolucionária”, pilha a combustível
Jeep Cherokee diesel: 2.0-litros Multijet II 2,0 com potências de 140 e 170 cv
Koenigsegg One:1: 450 km/h, produz 1.400 cv, pesa 1.400 kg
Lamborghini Huracán LP610-4: substituto do Gallardo, V-10, 5,2 litros, 610 cv, tração integral
Lexus RC 350 F Sport: sem mudança de potência, só mudanças no interior e kit de carroceria
McLaren 650S: projeto P13, lançamento em 2015 para concorrer com o Porsche 911
Mercedes-Benz Classe S Cupê: substitui o CL
nanoFLOWCell Quant e-Sportlimousine: protótipo revisado do carro mostrado em 2010
Opel Adam Rocks: versão de produção do conceito de crossover conversível visto em 2013
Opel Adam S: motor turbo 1,4-l de 150 cv
Opel Astra 1.6 CDTI: turbodiesel de 136 cv visto primeiro na Zafira Tourer
Opel Astra 1.6 CDTI: novo turbodiesel de 110 cv, será usado em outros modelos
Opel Astra OPC Extreme: carro de corrida para uso em rua, Vauxhall (VXR) será feito também
Peugeot 108: substitui o 107, compartilha plataforma com o novo Citroën C1 e Toyota Aygo
Peugeot 308 SW: porta-malas de 610 litros (14 litros menos que o Civic Tourer)
Peugeot BlueHDi: novos motores Diesel engines de baixas emissões for 308, 308 SW e 508
Qoros 3 hatch: junta-se ao sedã, com uma perua e possivelmente um crossover em seguida
Clio Renaultsport: nova variante, GT de 200 cv
Renault Twingo: motor traseiro e clone de um smart de quatro lugares a caminho
SEAT León Cupra e Cupra 280: 2,0 turbo com potências de 265 cv e 280 cv
Škoda Octavia Scout: tipo perua, tração integral, altura de rodagem elevada em 33 mm
Škoda VisionC estudo de estilo: cupê hatchback de 4 portas, deverá ser o Octavia CC do ano que vem
SsangYong XLV conceito: protótipo do Korando B de entreeixos longo, haverá também com entreixos normal
Toyota Aygo: substituído após 9 anos, quase idêntico ao novo Citroën C1 e Peugeot 108
Volkswagen Polo facelift: novo motores de três e quatro cilindros a gasolina também
Volkswagen Scirocco facelift: primeira atualização desde o lançamento em agosto de 2008, novos motores também
Volkswagen T-Roc: conceito de utilitário esporte de alto desempenho
Volvo conceito com arquitetura SPA e motor Drive-E

Para variar, a "histeria carbônica" comeu solta em Genebra. O engraçado nisso tudo é que os automóveis só contribuem com 12% das emissões totais de CO2, entretanto quer se fazer crer que ele é o vilão nessa história. Por que será? Muito esquisito.

Como sempre, havia coisas interessantes expostas. Vamos a algumas delas.

- O Volkswagen XL1 estava exposto, sua vendas começaram, mas o preço é bem alto, € 111.000.

VW XL1 híbrido diesel-elétrico, carregável pela tomada




 - Alles weiss, tudo branco no estande da Audi




- Ainda é usada madeira na construção dos Morgan:


- O BMW Série 2 Active Tourer, de tração dianteira e motor transversal:


- Histeria carbônica:



- Novo VW Scirocco


Foto: divulgação VW

- Para que pneu? Fita isolante serve:

Fita isolante...

- Rali nos velhos tempos:

Mitsubishi Lancer 1974

- E o Jorge Ben Jor diz que o patropi é abençoado por Deus: cadê as nosso peruas? A Europa está cheia delas.

VW Golf Variant

- Fazia tempo que eu não via um Abarth 500 de 1957:

Fiat Abarth 500, rodas de 10 pol. Teria Alec Issogonis se inspirado nelas para o Mini?

- Por falar em Abarth, olha ele aí de novo, outro 500:

Abarth 695 Biposto, motor T-Jet 1,4 de 190 cv a 5.500 rpm e 25,4 m·kgf a 3.000 rpm, 0-100 km/h em 5,9 s e 230 km/h de máxima
- E é biposto mesmo, só dois lugares:

Nascido para os track days! Pneus 215/35R18

- E o posto do piloto é profissional...

Comando de câmbio para pista
- Alguém achou que faltaria Morgan 3-rodas a essa grande festa?



- Apresentação mundial do Focus com a frente padrão Ford daqui para frente.

Nova frente do Focus. Depois reclamam que os VW são todos iguais...

- Chassi rolante do Tesla sedã. Quem disse que só o Twingo tem motor traseiro?

Chassi to Tesla elétrico, motor na extremidade traseira

- Economize usando gás, diz a mensagem Com euro a R$ 3,28, o gás natural sai a R$ 3,87/m³, a gasolina de 95 RON a R$ 5,67/l e o diesel,  a R$ 6,13/l.




- A nova Peugeot 308 break, ou perua:

E tome perua!

 - Pintura diferente no novo Rolls-Royce Ghost:

Diferente!

Homenagem a Le Mans

 Há uma exposição de carros vencedores de Le Mans muito interessante, que valeu a pena visitar.

Jaguar XJR-12, com o qual Raul Boesel foi segundo colocado em Le Mans 1991. Ele foi campeão mundial de Carros Esporte Grupo C em 1987 com um XJR-8; seu nome está na porta

Bentley Speed Six 1925-1930

Jaguar D-Type 1954-1957

Ford GT 40 Mk II 1964


Porsche 917 K  1969-1971


BS

39 comentários :

  1. Por incrível que pareça, o que mais me chamou a atenção na cobertura sobre o Salão de Genebra foi ver o nome Škoda escrito da forma correta, com esse símbolo sobre o "S" (tive que copiar o nome do texto original, pois nem imagino como fazer esse símbolo...). O cuidado com a escrita no AUTOentusiastas é caso único nas publicações que conheço.

    Sobre a histeria carbônica tendo como alvo os automóveis, só pode ser por intere$$e$, na cara. É só ver o preço camarada com o qual a VW lançou o modelo XL1... Mas o que mais me espanta é o povo cair nessa, mesmo quando mostra-se com números que a contribuição dos automóveis para o "aumento na concentração de CO2 na atmosfera" é mínima (12% apenas).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É o ótimo pessoal da velha guarda, acostumado a cuidar sempre de detalhes e apresentar um trabalho exemplar, que vai da (mais) completa ficha técnica dos veículos testados até este pequeno acento, que, com certeza, poucos leitores notaram.
      Pena que o imediatismo atual, tanto de quem escreve como de quem lê está acabando com esta escola...

      Excluir
    2. Road Runner
      É nosso dever escrever certo, respeitar as grafias dos nomes. Por falar nisso, ontem no Jornal Nacional o Bonner ou a Patrícia disseram que a CIA era agência de espionagem americana... Estamos mesmo mal.

      Excluir
    3. Road Runner, eu já imagino outro motivo para o preço do XL1 ser vendido nesse preço. Assim como no projeto de um superesportivo, onde aceleração expoente é a prioridade (mesmo que a custos altos), no caso do XL1 a prioridade foi na eficiência energética. Por mais que eu ou você torçamos o nariz para as soluções ditas "ecológicas" 111 quilômetros com 1 litro de diesel é um feito e tanto, inclusive no meu ponto de vista, comparável aos 2.6 segundos que um Nissan GTR leva para partir da imobilidade até 60mph, por exemplo.

      Na verdade eu não sou contra o veículo elétrico/híbrido em si, só acho exagero essa imagem toda em cima das emissões de poluentes, sem contar que fazem parecer que a compra de híbridos fará diferença para salvar o planeta. Eu ainda não compraria, mas desde que não venha de metido a salvador da natureza ou algo do gênero, não tenho nada contra quem compre. rsrsrs

      Mendes

      Excluir
  2. O carro do Boesel acho que é Jaguar, e acho que ele foi campeão em 87.

    McQueen

    ResponderExcluir
  3. Não é um Mazda 787B, é um Jaguar XJR-12.
    Boesel foi campeão com um XJR-8 em 87, não 90.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimos,
      Totalmente certo, na pressa de postar na hora prevista (13 h) devido ao atraso por ficar sem conexão, confundi os nomes. Já está corrigido e me desculpo pelo erro.

      Excluir
  4. "Cadê nossas peruas?"
    Enquanto comprarem Merivas, Spins ,Livinas e outras minivans , mono volumes, sei lá o que esqueça .

    ResponderExcluir
  5. Sensacional, Bob!!!

    Espero que estas novidades cheguem aqui na "Terra Brasilis", especialmente as peruas... hehehe

    Um detalhe: o primeiro dos carros de corrida expostos é o Jaguar XJR-12 LM, com o qual Raul Boesel chegou em segundo lugar na 24 horas de Le Mans, em 1991, atrás apenas do Mazda 787B (Weidler, Herbert e Gachot), que trouxe a única vitória de um motor wankel na categoria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MF Thomas
      Como dois leitores apontaram acima, não é Mazda 787B coisa alguma, mas um Jaguar XJR-12, é óbvio. O Boesel foi campeão em 1987 com um XJR-8. Já está corrigido.

      Excluir
  6. "Nova frente do Focus. Depois reclamam que os VW são todos iguais..."
    Pelo menos neste Focus acertaram no desenho do retrovisor rsrsrsrs... .

    ResponderExcluir
  7. Belo post! Mas tem um equívoco: o Boesel foi campeão pela Jaguar em 87, se não me engano

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Djane
      Grande equívoco meu, você está certa, já foi corrigido.

      Excluir
    2. Djane12/03/14 13:44 Que conhecimento Djane! ,que legal! .

      Excluir
  8. Bob, por mais que o carro contribua com 12% no total de emissões, lhe garanto que nas cidades, onde seu uso é mais forte, ele é um agente de poluição muito forte. Essa histeria carbonica, queira ou não, é boa para os City cars e carros normais, pois os mesmos rodam 99% do tempo na cidade, e despejam sua sujeira direto na atmosfera da mesma. Concordo que alguns carros poderiam escapar, principalmente aqueles que só são usados pra diversão, como carrinhos pra track days, jipes de trilha, entre outros. Mas sim, a histeria carbonica é um mal necessário. Exemplo, olhe como estão as cidades da China, em que regulamentações ambientais são consideradas freios ao progresso do governo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Angelo Jr
      Carros não poluem mais e o CO2 (dióxido de carbono) é um gás inodoro e incolor. Portanto, nada de "sujeira na atmosfera" como você e muitos pensam. O problema da China é mais queima de carvão (este sim poluidor) do que qualquer outra coisa e também frota grande de carros mais antigos. A histeria carbônica é um mal necessário — para quem fatura (alto) com ela.

      Excluir
    2. Na China o maior problema são as construções, que liberam grande quantidade de material particulado, esse que forma o ar cinza que se vê por lá. Mas construtoras e governos andam de mãos tão juntas que esse assunto é quase que esquecido, mesmo sendo um problema grave (porque essa poluição faz passar mal mesmo) e endêmico de muitos países em desenvolvimento

      Apesar da maior importância e da maior urgência, melhor jogar a culpa nos carros ou em qualquer outra coisa. Dá mais dinheiro e "cientistas" com fins ideológicos gostam mais de atacar símbolos como o carro. Aprendam que de uns 20 anos para cá, a maior parte da ciência (seja acadêmica ou privada) é puro interesse e nem deveria ser chamada de ciência, embora exista tanta manipulação que já existem "cientistas" defendendo que essa "ciência" de interesses e com manipulação de dados é correta e é ciência. A desculpa deles é que isso "estimula as pesquisas" e encontra "verdades" que não seriam encontradas se o processo científico normal fosse aplicado (ou seja, encontram mentiras mesmo)

      Excluir
  9. Golf Variant, 308 Break e 500 Abarth. Estes 3 resolveriam muito nossa vida por aqui, mas a que custo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. drpj
      O Abarth 695 Biposto pode realmente ficar caro aqui, mas voltarmos a ter peruas no mercado brasileiro, e fabricadas aqui, é perfeitamente admissível em termos de preço.

      Excluir
    2. Como as montadoras alegam não ter procura, seriam importadas e não montadas por aqui, pelo menos inicialmente e aí teríamos custo bem mais alto que os sedãs originais, levando ao círculo vicioso que já tivemos. O Abarth deve vir caro mesmo. Abs

      Excluir
    3. Caro Bob, eu adoraria mesmo que voltassem a fabricar peruas por aqui... Você sabe que adoro este tipo de carro, tanto pela praticidade como pelo design em si mesmo.

      Leo-RJ

      Excluir
  10. Bob, não deixou de soar curioso para mim a foto da 308 SW, não pela perua em si, mas pelo tipo de lente usada, que fez o veículo parecer mais achatado e longilíneo do que é de fato.

    ResponderExcluir
  11. É que a lente é grande angular.

    ResponderExcluir
  12. Triste mesmo o Focus com dianteira corporativa.
    Triste.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nao há problemas... Fique com o novo Golf !
      Muito melhor e mais bonito...

      Excluir
  13. Gostei do comentário: 'Pra que pneu? Fita isolante serve: '

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um belo protesto contra os pneus ultrabaixos. Eu endosso e também sou contra uso de fita isolante nas rodas.

      Excluir
    2. Cada um usa o pneu que quiser..se gosta de esportivo com perfil baixo ou um modelo mais sóbrio com perfil mais convencional, qual o problema?
      Se não gosta, compre da gama com perfis mais altos ou troque os pneus!
      Tiago

      Excluir
    3. Tiago
      Claro, somos livres para fazer o que quisermos caso a lei não seja infringida, mas que é ridículo fita isolante em vez de pneu só para o carro ficar "lindão", sem dúvida; denota total pobreza de espírito, sinto muito.

      Excluir
    4. Também acho besteira pneu fino demais, até porque raramente usam isso para melhor desempenho. Mas acho menos pior que a moda do pneu balão que alguns por aqui defendem, de um coxismo impressionante. É feio e não funcional (sendo que também, depois de um certo perfil, pouco se ganha em conforto e muito se perde em estabilidade)

      Excluir
  14. Depois desse post fiquei com uma baita vontade de ir à Genebra ano que vem.
    Nada a ver com o Salão do Automóvel de SP que tem o calor e gente demais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perneta
      Ótima idéia, você vai adorar.

      Excluir
    2. Fora que o Salão de SP anda muito fraco em exposição, apresentações e atrações. Cada vez mais caro e cada vez mais pobre em conteúdo. Até uns anos ainda valia a pena, agora já não parece. A última vez que fui parecia um grande show room e não um salão, não tinha novidade nenhuma e nem nada de especial

      Sem contar, que me desculpem os papagaios treinados do políticamente correto, na invasão de gente mal educada. Sempre foi um lugar que todas as classes sociais frequentavam sem problemas, mas parece que agora a "classe rolezeira" tomou conta do lugar. Muita gente baixa se achando o máximo só por estar ali, encaram e desrespeitam os outros, furam as filas formadas para verem os carros, fazem papagaiada para tirar foto, etc. Essas mesmas pessoas que lotam o salão ao ponto de ficar impossível de andar (devido a má educação, ficam esbarrando, e os organizadores não colocam um bom limite de lotação) e inflam o preço dos ingressos, afinal querem "status" e acham que aquilo é "luxo"

      Excluir
    3. Me leva dentro da mala e estamos resolvidos.
      Dizem que o custo das coisas é caríssimo por lá.

      Excluir
  15. marcus lahoz12/03/14 17:45

    bacana o texto. realmente esta onde de desespero por gás carbônico esta se tornando ridículo. Concordo que devemos poluir o mínimo possível; mas com certeza existem outros pontos a serem explorados e que com certeza teriam uma eficácia bem maior.

    também sou contra pneus ultra baixos, acho que um bom aro 15 / 16 e perfil 60 é de bom tamanho, não judia tanto da suspensão e mantém uma boa aderência (não consigo imaginar um sedan com rodas 18 no Brasil).

    ResponderExcluir
  16. Bob, olhei em um site gringo sobre esse cambio do 695 biposto, e li que ele é do tipo dog box, sem sincronizadores. Está correto isso?? Um caixa seca, em pleno século 21?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Angelo Jr
      Está correto. É exatamente o tipo de conexão luva-engrenagem, sem sincronizador, como nos câmbios das motos. Há post a respeito, leia em http://www.autoentusiastas.blogspot.com.br/2011/05/dog-clutch.html

      Excluir
  17. Bob,

    Uma das belas lembranças de infância que eu tenho foi a visita ao Salão de Genebra de 1982. Fatos que me marcaram: o Ford Sierra estava em lançamento, havia progaganda dele em todos os arredores do pavilhão; uma Alfa Romeo de F1 estava exposta em um grande painel; estava em exposição o trem traseiro da Brabham BMW do Piquet. E claro, Rolls, Ferraris, Porsches... Isso completado com uns 5kg de catálogos e propagandas que eu coletei!

    ResponderExcluir
  18. harerton
    Que bom que você teve essa experiência!

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.