google.com, pub-3521758178363208, DIRECT, f08c47fec0942fa0 PRINCIPAIS TIPOS DE TRAÇÃO 4X4 - AUTOentusiastas Classic (2008-2014)

PRINCIPAIS TIPOS DE TRAÇÃO 4X4

Conversando com uns colegas notei que existem muitas dúvidas sobre o funcionamento de sistemas 4x4 em picapes e SUVs. Então preparei uma explicação simplificada sobre os 3 principais tipos de tração 4x4 usando modelos da Toyota (Hilux, SW4 e RAV4) como exemplo.

1- 4x4 part time - Hilux (e outras picapes)

É o sistema mais utilizado para aplicações fora de estrada e para transpor obstáculos sendo assim o preferido pelos "jipeiros".

O acionamento ou engate da tração 4x4 é feito numa caixa de transferência que na grande maioria das vezes também possui uma reduzida. Nesse sistema o 4x4 só deve ser utilizado em condições de piso com baixa aderência como terra, lama ou molhado. No asfalto seco deve-se usar sempre o 4x2, pois pela ausência de um diferencial central, apesar de robusto, o sistema pode ser danificado devido a diferença de rotação dos eixos dianteiro e traseiro.

Quando em 4x4, em situações mais extremas se usa a reduzida, que proporciona mais força ao veículo e deve ser utilizada em velocidades baixas (apenas para transpor algum obstáculo).

Na Hilux temos o seguinte:

4x2 - H2 (High 4x2) operação normal em asfalto seco, o H, de High, significa que a reduzida não está engatada
4x4 - H4 (High 4x4) para uso em piso com baixa aderência como terra, lama ou molhado
4x4 - L4 (Low 4x4) com engate da reduzida para uso em condições mais extremas como rampas com grande inclinação e transposição de obstáculos.

2 - 4x4 permanente - SW4 e outros SUVs com chassis (derivados de picapes)

Neste caso a tração 4x4 é permanente. Ou seja, o veículo está sempre na condição de 4x4. Isso é possível devido à adoção de um diferencial central que distribui a tração entre as rodas dianteiras e traseiras, evitando que o sistema seja danificado no caso de utilizações em asfalto seco.

Esse sistema possui um diferencial central com sistema de distribuição de torque ("torque sensing" - saiba mais) e deslizamento limitado (LSD - limited slip diferential). A função desse diferencial central é distribuir o torque entre as rodas dianteiras e traseiras de acordo com a condição de rodagem.

Os benefícios sãos:

> Melhor aderência em qualquer condição de piso, contribuindo para uma melhor estabilidade direcional
> Mais aderência nas entradas e saídas de curvas, contribuindo para uma melhor dirigibilidade
> Maior segurança ativa

Para uso off-road, em adição ao sistema de distribuição de torque e deslizamento limitado, o diferencial central ainda pode ser bloqueado. O bloqueio do diferencial central distribui o torque (força) entre os eixos dianteiro e traseiro na proporção de 50% para cada eixo, garantindo torque para os dois eixos independente da condição do piso.
Para situações mais extremas ainda existe a reduzida, que proporciona mais força ao veículo e deve ser utilizada em velocidades baixas.

Então na SW4 temos o seguinte:

4x4 - H (High 4x4) operação normal para uso em qualquer terreno incluindo asfalto seco, o H, de High, significa que a reduzida não está engatada.
4x4 - HL (High com Lock 4x4) bloqueio do diferencial acionado para uso off-road proporcionando um melhor capacidade de tração diante das variações constantes de aderência
4x4 - LL (Low com Lock 4x4) reduzida e bloqueio do diferencial acionados para uso em condições mais extremas como rampas com grande inclinação e transposição de obstáculo.

4x4 Integral vs 4x4 Permanente

O termo integral tem sido utilizado por muitos em referência a "tempo integral". Porém pode ser considerado como integral no sentido de tração por inteiro, ou nas quatro rodas. Daí dizer 4x4 integral fica redundante. O correto seria dizer tração integral. Portanto acredito que 4x4 permanente deixa mais claro que a tração é 4x4 sempre.

3- 4x4 on demand - RAV4 (e outros SUVs/crossovers derivados de carros de passeio)

Este sistema não tem o propósito de um uso off-road. Seu principal objetivo é aumentar segurança ativa em curvas ou vias escorregadias, caso de chuva, garoa, e neve/gelo. Mas também ajuda em estradas de terra molhada.

Neste caso o carro é um 4x2 de tração dianteira na maior parte do tempo. Em determinadas condições (que variam de modelo para modelo) a tração nas rodas traseiras é acionada através de um diferencial central com acoplamento gerenciado eletronicamente.

No caso do RAV4, nas acelerações o diferencial central reparte a tração deixando cada eixo com 50%. Na reta com aceleração constante, para melhorar o consumo de combustível, a tração é transferida 100% para o eixo dianteiro. E nas curvas a distribuição da tração se divide de acordo com a condição de aderência de cada eixo.
Ainda no caso do RAV4 pode-se fazer o bloqueio desse diferencial central para sair de alguma condição de piso escorregadio através de um botão no painel. Ao atingir a velocidade de 40 km/h o bloqueio é desativado automaticamente. O EcoSport 4WD (4 Wheel Drive) e outros carros de passeio (Fusion) utilizam um sistema similar.



19 comentários :

  1. Clésio Luiz06/06/2009 16:50

    E como ficam o Impreza e o Lancer?

    ResponderExcluir
  2. Paulo,
    Tivemos fabricado aqui o jipe DKW-Vemag (1958-1962)com tração integral, 4 marchas mais reduzida, sem diferencial central. Só era possível não ter esse item devido ao entre-eixos bem curto, apenas 2.000 mm, que deixava os dois eixos girar à mesma rotação na maioria das situações. Mas com direção bem esterçada prendia um pouco.
    Outra curiosidade era a Ford Pampa/Belina 4x4 part time, sem reduzida e sem diferencial central, em que as relações de diferencial não eram exatamente iguais, por mais incrível que isso possa ser. Não foi possível para a fábrica encontrar um eixo traseiro fornecido (Dana ou Braseixos, não sei qual)de mesma relação do transeixo dianteiro de origem Renault. O manual realçava, prudentemente, que só se podia usar a tração nas quatro rodas sobre piso de baixa aderência.

    ResponderExcluir
  3. Clésio Luiz06/06/2009 17:28

    Ah, além dos japoneses, tem os Lambos e mais alguns carros de alta performance. Eles usam o diferencial Torsem?

    ResponderExcluir
  4. PK, ótimo post, como lhe é de costume.
    Bob, então no caso da Belina/Pampa havia sempre um arrasto? Mesmo em pisos de baixa aderência, tal diferença nas relações devia reduzir em muito a vida útil de todo o sistema, nâo é mesmo? Lembro que no teste de longa duração da QR, a Belina quebrava com tanta freqencia que optaram por não mais usar a 4x4.

    Abraço

    Lucas

    ResponderExcluir
  5. Jonas Torres06/06/2009 21:05

    Acho que o Impreza atual usa 4x4 permanente.

    ResponderExcluir
  6. Marlos Dantas06/06/2009 23:22

    Qual destes sitemas era usado no Jeep Willys?

    ResponderExcluir
  7. Marlos,
    Era o 4x4 part time, com reduzida.

    ResponderExcluir
  8. Lucas,
    Absurdo, não é? É o que se pode chamar de engenharia porca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Emilio Camanzi08/02/2012 15:24

      Ei Bob, achei este site sem querer e resolvi te responder. Eu tava lá na QR na época, e o que fazia a tração quebrar tanto foi um conserto mal feito em uma concessionaria Ford. Em uma seção de fotos, ela bateu numa pedra por baixo e entortou um suporte do eixo cardã traseiro. Foi levada à concessionaria, como se propõe o teste de longa duração da revista, ou seja, fazer toda a manutenção dentro da rede oficial da marca. Só que imagina o belo serviço que fizeram. Deixaram o suporte torto e realmente a Belina passou a não aguentar o dia-a-dia. Uma pena, pois - apesar da "engenharia porca" das relações diferentes de diferencial, até que o sistema quebrava um bom galho...
      Abraço

      Excluir
  9. Um vizinho meu, que aposentou-se há anos pelas oficinas da Ford, dizia que o Pampa/Belina 4x4 "morriam na praia".

    Enquanto não havia aderência no piso, DEVAGAR, eles faziam o serviço com algum louvor. Não eram um fenômeno, mas serviam para o propósito.

    Bastava chegar no "asfalto" (local com maior aderência) e na empolgação acelerar um pouco mais, esquecendo-se que ainda estava sendo utilizada a tração total, para a quebra quase "instantânea" de um eixo no câmbio "na estrada voltando pra casa"...

    Tudo por causa da maldita diferença nas relações... :(

    ResponderExcluir
  10. Muito interessante o post. Serve de esclarecimento para todos a respeito dos sistemas de tração 4x4.

    P.S.: Só agora é que vi o post...

    ResponderExcluir
  11. Mister Fórmula Finesse08/06/2009 08:33

    Há tempos que alguma revista deveria ter feito um teste com utilitários no asfalto com tração ligada e desligada...no molhado, no seco, frenagens (freio motor sobre dois eixos), e mais uma variante de coisas. Teria muito consumidor que conseguiria vantagens reais fora da estrada de chão mesmo.

    ResponderExcluir
  12. Se não me engano todos os Subaro são tracionados permanentes e os Land Rover tambem

    ResponderExcluir
  13. Gostaria de saber se o sistema de tração 4x4 do Renault Duster é igual ao sistema do 4X4 do Ecosport.

    Agradeço.

    ResponderExcluir
  14. Pessoal, estou querendo entrar no mundo dos 4x4 e para isso pretendo iniciar comprando um carro de uns 50mil cabine dupla. Queria um cArro que tivesse a funcao de bloqueio para nao atolar quando uma roda trazeira +dianteira ficassem livres. Existe alvuma cabine dupla que vai me atender? Que ano? L200? Ranger? Frontier? Hilux?

    ResponderExcluir
  15. Olá. Tenho uma Hillux e todas às vezes que traciono ela fica com a direção extremamente pesada em baixa ou para manobrar. É normal?

    ResponderExcluir
  16. Olá amigos! Tenho um Jimny 2011 e a Suzuki garante que a tração 4x4 pode ser acionada com o carro até 100km/h em linha reta! Será mesmo que não tem problema??

    ResponderExcluir
  17. Antonio,
    se a suzuki - detentora da marca diz que não é p q nao tem . . .
    tenho um jimny tambem, mas não farei tal teste . . ..
    luis

    ResponderExcluir
  18. Como era engatada a tração na pampa 4x4, ela ficava com o cardã rodando o tempo todo, quando estava em neutra?

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente,
Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.