UM NOVO PARTIDO POLÍTICO

Foto:www.marcuslemos.com.br



Já sei, os leitores que discordam dos meus pontos de vista políticos, ao lerem o título desse post vão logo pensar: "Lá vem esse Bob de novo falar de coisas que não são da área dele, em vez de falar de automóvel". Desta vez, porém, é diferente, vou falar de assunto político nosso.

O leitor Mibson Fuly, de Mossoró (RN), que costuma postar comentários, me mandou um link de matéria publicada há poucos dias no site Jalopnik brasileiro falando de um grupo de entusiastas australianos de Queensland que, cansados da pressão policial sobre seus carros modificados, resolveram fundar um partido político, o Australian Motoring Enthusiast Party, Partido Australiano dos Entusiastas de Automóveis numa tradução livre. No seu e-mail, o Mibson me pergunta se não poderíamos ter algo parecido aqui. Huummm....

É notório que uso esta tribuna que o AUTOentusiastas me proporciona para bater nos desmandos das autoridades de trânsito brasileiras dos três níveis de administração. Em razão disso, vez por outra alguém sugere que eu me candidate a cargo eletivo. Quando o Mibson tocou no assunto de fazermos os que os australianos fizeram, pensei: por que não?

Sempre que nos bate uma idéia atraente a cabeça gira a 10.000 rpm. Logo pensei num partido político nosso, mas aí veio logo o conflito: como poderia eu, que tanto condeno o Partido dos Trabalhadores pela falta de um ideário – um partido oco, como costumo dizer – pensar num partido com nome assemelhado ao citado australiano? O nosso partido haveria de ter ideário, algo marcante, cuja legenda tivesse sentido e indicasse o objetivo-mãe da agremiação. Nem seria preciso ler do que se trata. Pensei em algo como Partido Liberal Automobilista – PLA. Quem fosse do partido seria um liberal-automobilista e não a junção fonética de duas letras (petista!) por falta de ideário.

Somos cidadãos, não bandidos, essa "caça" precisa ter fim (foto www.auriverde.am.br)

Nossa luta, ou oposição, seria para mudar o estado de coisas que aflige de uma maneira ou de outra 50 milhões de brasileiros que dirigem veículos automotores, 25% dos quais motociclistas. Com voz nas câmaras municipais, assembléias legislativas e câmara dos deputados, algo que nunca existiu a nosso favor em forma de legenda. Seria o caso, por exemplo, de:

- Exigir vias e rodovias decentes e bem sinalizadas;
- Lutar pela redução do IPVA (4% do valor do carro, todo ano, é extorsão);
- Exigir velocidades-limite realistas em vez de hipócritas;
- Pressionar pelo fim da indústria da multa;
- Acabar com o cancro nacional chamado lombada;
- Desburocratizar a legalização de carros modificados;
- Lutar pela gasolina sem álcool ou com adição máxima de 10% (E10);
- Pôr fim às restrições à circulação de qualquer tipo;
- Criar mecanismos legais para eliminar da vida nacional nacional a função guardador de carros;
- Brigar pela liberação do motor Diesel em automóveis, proibido há 37 anos;
- Fazer cessar autuação de infração de trânsito por fiscais, só a polícia poder fazê-lo;
- Adotar tarifas de pedágio coerentes, atualmente extorsivas.

Lombada, cancro nacional (foto blogdovalente.com.br)

Esses são só alguns exemplos de como o PLA poderia agir no interesse do automobilista, independente de sua classe econômica.

A sede dos partidos políticos é obrigatoriamente em Brasília. No nosso caso, temos um editor, o Carlos Maurício Farjoun, e um colunista, Roberto Nasser, residentes lá. Este, inclusive, tem trânsito político no Congresso e seria o presidente ideal (ele só vai saber da sua "candidatura" ao ler este post), tanto pela sua formação de advogado quanto por ser um automobilista com "A" maiúsculo. Foi o Nasser, inclusive, que conseguiu a criação da Placa Preta para carros antigos.


Fundação

Os requisitos para a fundação de um partido político são previstos nos artigos 7º, 8º e 9º da Lei 9.096/95 e 8º a 35 da Resolução TSE nº 23.282/10.  Entre os requisitos, mínimo de 101 fundadores e o apoiamento mínimo de eleitores. 

Os dados abaixo se referem ao quantitativo mínimo de assinaturas que atualmente deverão ser colhidas para fundação de um partido político, nos termos do § 1º, do art. 7º, da lei acima, da seguinte maneira: assinaturas de eleitores correspondente, no mínimo, a meio por cento (0,5%) dos votos dados na última eleição geral para a Câmara dos Deputados, não computados os brancos e nulos, o que corresponde a 491.656 assinaturas, que deverão estar distribuídas em pelo menos nove Estados, sendo que em cada um deles deverá ser observado, no mínimo, um décimo por cento (0,1%) do eleitorado que haja votado em cada um deles.

Esta seria a dificuldade maior para o registro do partido, mas creio piamente que com o nosso universo de leitores e com a facilidade de comunicação proporcionada pela internet, chegaríamos a esse número com relativa facilidade. Quem quiser ler mais sobre os procedimentos de registro, pode fazê-lo aqui.

Não tenho a menor dúvida do quão benéfico seria para o país – não só para automobilistas, entusiastas ou não – uma voz ativa no legislativo dada a importância cada vez maior da mobilidade na vida de cada brasileiro, já e no futuro. Só para dar um exemplo, que parece pequeno mas não é: muito provavelmente o Museu Nacional do Automóvel, em Brasília, fundado pelo Roberto Nasser e do qual ele é curador, não tivesse sido lacrado para despejo para o prédio ser usado como depósito de arquivo morto da antiga Rede Ferroviária Federal, num flagrante desrespeito não só a um cidadão como também, e principalmente, à cultura automobilística do Brasil.

Entrada do Museu Nacional do Automóvel: lacrado agora (foto autoclassic.com.br)

No caso de campanha eleitoral, dada a natureza específica do PLA, tenho certeza de podermos contar com doações de campanha para o partido pela indústria automobilística, dentro da idéia lógica do "ter tudo a ver".

Está lançada a idéia, reverberando o que nossos colegas fizeram no outro lado do mundo, mas sob o mesmo céu deste Cruzeiro do Sul e "comprando" a sugestão do leitor Mibson.

Se puder dê a sua opinião, diga o que acha, inclusive sugerindo outro nome para o partido. Partido Liberal Automobilista foi só um ponta-pé inicial.

BS







182 comentários :

  1. Pelo fim dos carros rebaixados que transitam a uma velocidade inferior a 10% da velocidade da via! Por uma educação no trânsito eficiente para que um dia quem sabe possamos ter Autobahns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É pensando assim, no próprio umbigo, que leis são outorgadas dificultando cada vez mais a ação do cidadão de bem, a diversão que é o automóvel e não surtindo efeito algum nos cidadãos que já descumprem leis e continuarão descumprindo.

      Sobre dirigir a 10% abaixo da velocidade da via, tenho certeza que tem muito cidadão com carros originais de fábrica transitando a muito menos, na faixa da esquerda, e ainda freando quando alguém pede passagem.

      Excluir
    2. Hugo, a língua portuguesa prega algumas peças que a matemática jamais permitiria. Dirigir a manos de 10% da belocidade de uma via seria dirigir a uma velocidade V, tal que, se o limite de velocidade fosse X, ele andaria a V>X/10. Numa avenida de limite 60km/h, o manolo estaria a menos de 6Km/h. Atrapalha. Dirigir 10% abaixo do limite de velocidade seria andar a V>X-(X/10). No mesmo exemplo, seriam 54km/h. Tem muita diferença!

      Excluir
    3. Mais um que deve comprar um carro "adventure" e mandar rebaixar...

      Excluir
    4. O Braulio não, o Hugo...

      Excluir
  2. Um partido político dedicado aos carros só faria sentido se em nosso país se votasse somente no partido, e não nas pessoas (coisas da lista aberta). Fica mais fácil você e outros entusiastas se candidatarem por um partido qualquer e coletar os votos dos que gostam de carro.

    Sim, porque enquanto pensamos num partido próprio há representantes anti-carro espalhados por toda a esquerda, e influenciando as políticas públicas de forma decisiva contra o carro (e contra a sociedade que baseia seu estilo de vida na "carrocracia" vigente).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Xará, vc foi muito feliz no seu comentário, e acrescento mais: com a mente pequena imperando em diversas regiões do nosso país, irão tachar este partido como sendo de elite, ou irão dizer que este partido é "contra os ônibus", etc. Não quero ser negativo mais infelizmente este país não alcançou maturidade sócio político para tanto, embora eu ache a iniciativa excelente.

      Excluir
    2. Fábio, o problema da lista fechada é que ela daria um poder ainda maior aos caciques de qualquer partido. Imagine então na esquerda tão anticarro (para quem for de classe média para baixo, é claro) um Zé Dirceu da vida podendo definir quem estaria no topo da lista? O cara poderia estar condenado, mas mesmo assim apitando um monte ainda mais do que é hoje. Aliás, não se surpreenda de o PT ser tão a favor da lista fechada.

      Excluir
  3. Adicionaria à lista uma melhor educação dos motoristas, e por que não, dos cidadãos brasileiros. Isso é o que mais falta.

    Apesar de ser empurrado por alguém que não fala nada e ser empurrado por alguém que fala "com licença" ser praticamente a mesma coisa, a intenção muda e as coisas podem ser encaradas diferentemente.

    ResponderExcluir
  4. Ah, e já ia esquecendo. Cancro ainda maior que lombada é valeta. Outro dia um carro passou rápido numa valeta próxima à Av. Pavão e quebrou o eixo.

    Nada mais absurdo que ter a capacidade de fluxo restringida enormememnte por elementos que deveriam fazer exclusivamente drenagem. É como cruzar via férrea e ter de frear sobre os trilhos.

    ResponderExcluir
  5. Taí algo que eu gostaria de ver acontecer! Tem a minha assinatura!

    ResponderExcluir
  6. Meu único medo, é que esqueçam que existem no Brasil outros problemas alem dos veículos, tendo o mesmo péssimo hábito dos partidos ambientalistas, que tem posição política para apenas 1 assunto. No mais, tem a minha assinatura para criação do partido. Mas lembre-se, não exagere na briga com o álcool combustível, ou o lobby das usinas de cana cai cair matando no projeto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. e outro ponto, lutemos por um sistema de transporte público melhor, afinal, se isso diminuir o numero de idiotas no trânsito, é algo que um partido autoentusiasta, e não um partido comprado pelas montadoras, deveria fazer

      Excluir
  7. Bob,
    Você foi a primeira pessoa em quem pensei quando li o post do Jalopnik. É que o Mibson foi mais rápido no gatilho.
    Estamos precisando urgentemente de algo assim por aqui. Talvez seja o único jeito de começarmos a ser tratados pelo Estado com respeito proporcional aos tributos que pagamos.
    E sugiro acrescentar ao programa de governo a revisão imediata de todas as draconianas Resoluções do Contran, que não raro estabelecem obrigações ou proibições não previstas no Código de Trânsito Brasileiro.

    ResponderExcluir
  8. Me chamo Leandro, também moro em Brasília, assino embaixo dessa ideia e podem contar comigo pra tudo que estiver ao meu alcance. É um sonho que se tornaria realidade.

    ResponderExcluir
  9. Aiaiai...

    Em primeiro lugar Bob, você deveria ter colocado outra foto do Congresso, porque normalmente ele está vazio ou com o mínimo possível de políticos. Nessa foto, provavelmente foi dia de votação para aumento de SEUS PRÓPRIOS SALÁRIOS.

    Quando li sobre as doações de campanha, imediatamente imaginei milhares de pessoas fazendo boquinha para ficar com o "bolo". Não que eu desconfie de você ou dos nomes citados no post, mas atualmente é a lógica de nossos políticos. Se em toda a existência alguém não conseguiu ficar rico, certamente ao entrar para a política ficará. Então não vejo com bons olhos a criação de mais um partido político em nosso país, porque ele apenas será mais um modo dos espertinhos enriquecerem e como a Austrália não é Brasil, acredito que essas reivindicações que você postou servirão apenas para cobrarmos dos políticos já estabelecidos nos partidos já existentes.

    Mudando de assunto, li o conteúdo sobre o Chris Bangle e aproveito para pedir um post sobre o assunto, porque também acredito que as indústrias automobilísticas nos dias de hoje fazem o "mesmo do mesmo" no quesito inovação e que está na hora de mudar.

    Já não existem mais carros belos e de desenhos atraentes como os Karmann-Ghia, os Willys Interlagos, Studebaker Avantis, entre tantos outros.






    ResponderExcluir
  10. A idéia é muito boa, e a causa é nobre. Autoentusiastas se candidatando em outros partidos teriam que submeter às ideologias destes. Só pensaria em algo diferente do 'liberal' do nome.

    ResponderExcluir
  11. Meu caro Bob
    Admiro-o não só pelas suas postagens, mas, principalmente, pelo seu ideário automobilístico, por vezes com viés político.
    Acho que todos estamos fartos de desmandos, autoritarismo, incompetência, corrupção e "verdades" falaciosas...
    Com neo partido ou sem, terá o meu apoio.

    ResponderExcluir
  12. Caracas Bob. Fundar um partido com fim especifico é meio F.
    Eu por exemplo quando não estou futucando motores estou atirando, isso mesmo atirando com 12, 38. ponto 40 , rifle Puma etc e etc e para defender o direito a posse e porte de Armas . clubes tiroa etc criamos o MVB. = movimento Viva Brasil
    Atravez de nosso presidente e diretores participamos de debates na camara federal e NO SENADO, Damos entrevistas na TV. temos tambem varios deputados e senadores que nos apoiam e as quais são passados todos tipos de informação Vencer um debate.
    Então minha sugestão é criar uma ong no tipo do MVB , A nossa Ong vive com dinheiro (100 reais anuais ) dos atiradores esportivos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, me parece mais "tranquilo" como passo inicial.
      Precisa começar de alguma forma, dessa seria um bom caminho, assim teriamos representatividade e dessa forma, tem mais visualização conquistariamos mais apoio e ai sim poderiamos rever o rumo e na hora certa virar um partido político.

      Excluir
  13. Eu tô dentro!
    E vou compartilhar na minha fanpage

    ResponderExcluir
  14. sobre o MVB Clique aqui. http://www.mvb.org.br/

    ResponderExcluir
  15. Sabidão quando não mexedo em motores ele Esta aqui; http://www.ctvv-es.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Alguns podem até achar que é uma ideia excêntricas criar um partido com ideais automobilísticos, porém não há de se negar que o carro (e a motocicleta também) está enraizado na rotina de milhões de brasileiros. Mobilidade urbana mexe diretamente na qualidade de vida do cidadão e não deve ser tratada com o descaso que a CET ai em São Paulo trata, por exemplo.

    Cada vez mais brasileiros tem acesso a seu meio de transporte individual, e isso é algo inevitável. Porém assim como o carro é importante, imagino que você também não possa deixar de lado o transporte coletivo, pois mesmo eu adorando carros, ainda tenho na minha cabeça que, pelo menos na minha cidade, há "carros demais".

    Não que eu seja contra aquisição de um automóvel, muito pelo contrário, porém vejo que em muitos casos não há a necessidade real de se usar um automóvel (acho que é em São paulo mas também em vários lugares, a média de pessoas no trânsito por carro chega a ser inferior a 2).

    Um item que eu acrescentaria a lista, que talvez alguns entusiastas estranhem (mas que certamente melhoraria a mobilidade urbana), seria o incentivo ao uso correto da motocicleta em perímetros urbanos. Não apenas o incentivo do uso em si, mas também criar um planejamento em cima do motociclista de tal forma que eduque-o para o uso correto e seguro da motocicleta, assim também como o incentivo a equipamentos de proteção, pois mesmo um simples par de luvas e uma jaqueta específica para esse fim (de qualidade é claro), pode te salvar de lesões mais graves durante um acidente (medo maior do condutor e maior alegação para o não uso da moto).

    E falando em segurança, quem sabe uma diminuição nos impostos que incidem nesses equipamentos, o que incentivaria mais ainda a compra dos equipamentos e pelo menos, no meu ponto de vista, com a diminuição de lesões nos acidentes, o gasto que se tem com internações diminuiria, sendo desnecessário também para o motociclista pagar quase 300 reais de seguro obrigatório com a alegação de que "motociclistas são a maior causa de gastos dos hospitais".

    Ainda em relação as propostas, queria comentar minha dúvida em relação a duas delas:

    1 - Lutar pela gasolina sem álcool ou com adição máxima de 10% (E10);

    Gostei da ideia da E10, realmente gostei, mas tenho só uma dúvida. Visto que nossos carros (antigos mono combustíveis) são projetados para rodar com E20 (ou E25), esses motores funcionariam bem com a E10? Se sim, então tranquilo.

    2 - Brigar pela liberação do motor Diesel em automóveis, proibido há 37 anos.

    Outra ideia muito boa, porém o Brasil subsidia o Diesel, e com diesel muito mais barata que a gasolina em tese, a demanda por carros com esses motores seria enorme e logo, a demanda por diesel seria absurdamente grande também.

    Minha dúvida na verdade é: O subsidio iria acabar? com isso, como ficariam os trabalhadores que usam veículos Diesel?

    De resto, a ideia é brilhante e, contando que não percam seu ideal com o passar dos tempos, tem meu apoio.

    E independente dos leitores concordarem ou não com as visões dos colunistas da blog (sejam políticas, automotivas, entre outros), é isso que torna o AUTOentusiastas para mim, uma leitura sempre agradável durante todos os dias:
    Falar diretamente sobre carros é legal, mas as vezes é bom fugir um pouco do convencional e vocês o fazem, porém sem perder necessariamente o foco no mundo automotivo.

    Mendes

    ResponderExcluir
  17. Rodrigo Abreu31/08/13 13:25

    Apoio totalmente. É o único partido político em que eu me filiaria.

    O problema é que o carro movimenta muito dinheiro nesse país, muitos poderosos tem interesse em nos explorar, pobres automobilistas.

    Mas a idéia é boa.

    ResponderExcluir
  18. Se a idéia é séria, deveria ser muito mais abrangente. Nosso crônico problema de infra-estrutura (de transportes, água tratada e esgoto, energia, etc.) mereceria uma solução desse tipo.

    HS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HS, não apoia, pronto. Mas não vem contra. O mundo já é contra automóvel. Chega! Aqui é para quem apoia.

      Excluir
    2. Anônimo das 17:09, faça curso de interpretação de texto antes de dizer o que eu apoio ou deixo de apoiar.

      HS

      Excluir
    3. HS; Cara, tú é chato hein? Coitada da tua mulher, vizinho, cunhado,...

      Excluir
  19. É legítimo, apóio. É assim que se pratica a democracia, com todos os seus vícios e virtudes.

    ResponderExcluir
  20. Onde eu assino?

    ResponderExcluir
  21. Apoio e faço propaganda, mas só quando deixarem bem claras as propostas a, pelo menos, médio prazo do partido.
    Tem algumas questões que eu concordo e outras não e outras ainda que achei contraditórias.
    Por exemplo, foi citado uma proposta de pôr fim às restrições à circulação de qualquer tipo e também de aumentar o limite de velocidade, quando estes forem ridicularmente baixos para as condições da via. Mas me lembro bem que em um post, era defendido a velocidade mínima a, se não me engano, 80% da velocidade máxima. Essas duas propostas, somadas, poderiam por fim ao direito de carros velhos circularem nas ruas (atenção, estou me referindo a velho de idade, não mal conservado).
    Um VW Fusca 1300 (carros comum de se ver nas ruas ainda hoje) tem velocidade máxima de 110 km/h reais em perfeito estado. Em uma rodovia cuja velocidade máxima passe a 130 km/h, ele teria que rodar a, no mínimo, 105 km/h reais o tempo todo. Não dá! No plano e nas descidas vá lá, mas mesmo em pequenos aclives seria impossível manter essa velocidade.
    Qual seria a posição do partido sobre isso, Bob?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guilherme; A posição do partido é que cara chato como vc não ia entrar....

      Excluir
    2. Quanto aos carros antigos, deveria haver centenas de vias rurais, por onde eles trafegariam junto a tratores e máquinas agrícolas. Só que aqui no BR essas vias rurais não existem.

      Excluir
    3. O CTB já diz isso:

      Artigo 62. A velocidade mínima não poderá ser inferior à metade da velocidade máxima estabelecida, respeitadas as condições operacionais de trânsito e da via.

      Então, se isso for mantido, não já motivos pra que um Fusca não possa rodar na maior parte das vias. Mesmo que se aumente a velocidade máxima de uma estrada pra 150km/h, o Fusca ainda conseguiria rodar de forma até tranquila, a 75km/h. De qualquer forma, mesmo hoje, não seria muito recomendável viajar por aí com um Fusca, o mesmo vale pra uma CG Titan, que só chega a 110km/h.

      A solução é bastante simples, caso você não consiga manter a velocidade mínima na estrada com o seu carro, que vá de ônibus, táxi, ou de carona.

      Excluir
    4. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    5. Pelos comentários acima, dá pra ver que são a favor da restrição da circulação, ou seja, são contra o PLA...

      Excluir
    6. mal_augusto, acho que você não leu direito.
      Estou comentando sobre a POSSIBILIDADE do PLA (ou qualquer que seja o nome) apoiar o aumento da velocidade mínima para 70 ou 80% da velocidade máxima.
      Ainda gostaria de saber o que o Bob pensa disso.

      Excluir
  22. Uma boa ideia. E o resto? Afinal, a vida não se resume a 'autoentusiasmo'....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O resto tú cria outro partido e vai defender, coisinha chata de jesus!

      Excluir
    2. Tuhu,

      A gênese da ideia do Bob é esta, mas não quer dizer que vá se limitar a isso. É um pré-projeto, não uma proposta pronta.

      Excluir
  23. Caro Bob Sharp,

    O que falta ao Brasil é um Partido Liberal DO BRASIL, que tenha abrangência sobre vários temas da política nacional.

    Qual partido, hoje, representa o chefe de família que paga impostos? Esse partido não existe.
    Qual partido, hoje, luta pela simplificação da burocracia para criação e manutenção das empresas? Esse partido não existe.
    Qual partido, hoje, prega a reforma tributária e política, além de empunhar a bandeira da educação? Esse partido não existe.
    Qual partido, hoje, se posiciona claramente contra o governo atual, fazendo oposição de verdade? Esse partido não existe.

    Para tal partido ser criado, não haveria dificuldades para arregimentar 500 mil assinaturas, pois na população brasileira existe uma maioria silenciosa e sedenta por um partido que a represente de fato.

    Nos últimos 30 anos, todos os partidos buscaram se posicionar como centro-esquerda. A grande novidade seria a criação de um partido que se assumisse claramente de direita - isto seria muito bom para a democracia como um todo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sábias palavras, JT. Gostaria de ver um partido novo formado por gente comprometida com a briga não só pelos meus anseios de autoentusiasta, mas com a briga por soluções para tudo aquilo que me faz profundamente desencantado e desesperançoso com a atualidade e o futuro deste país. Um partido de gente que lutasse contra o trinômio corrupção endêmica/burocracia/desperdício, que creio serem os três principais males que acabam minando as potencialidades como um todo, do Brasil. E que essa nova gente na política fosse e se orgulhasse de se proclamar de direita, e de defender as idéias da direita sem medo de patrulha. Que defendessem políticas de controle de natalidade SIM, que defendessem pena de morte para determinados crimes, endurecimento de pena para outros, e redução de maioridade penal SIM, que chamassem de e tratassem MST, Via Campesina, e coisas que o valham como organizações terroristas SIM, que é o que elas são, que implantassem verdadeiras políticas desenvolvimentistas ao invés de assistencialismos baratos e políticas de "coitadismo", que defendessem o capitalismo SIM ao invés de demonizá-lo e pregar luta de classe, e por aí vai. E já que o Bob lançou a idéia, nada impede que o embrião desse novo partido tenha sua origem aqui, entre os membros desse blog. Contem comigo, direitista convicto e orgulhoso.

      Excluir
    2. Lorenzo Frigerio31/08/13 15:57

      O maior lutador por causas liberais do Brasil, Roberto Campos, morreu frustrado. Aqui no Brasil, a direita é tão estatizante quanto a esquerda.
      Existe o PFL, que virou um partido nanico depois da morte do babalaô ACM, e de o Kassab ter fundado o PSD, levando vários colegas, mas o PFL sempre foi mais um clube de coronéis nordestinos do que propriamente uma agremiação de bandeira liberal.

      Excluir
    3. Mr. Car estou com você!!!

      Excluir
    4. Seja com uma ONG ou seja com um partido, é bom o caro Bob Sharp estar ciente que de que vai entrar na mira da máquina de moer reputações, caso obtenha o mínimo sucesso com tal iniciativa.
      Que todos aqueles que declaram apoio para esta ideia (eu incluso) ajudem a segurar o rojão quando começarem os comentários pejorativos - e eles virão de várias direções.

      Excluir
    5. http://www.mises.org.br/Default.aspx

      http://www.libertarios.org.br/liber/

      Meio atrasado, mas taí. A iniciativa já existe.

      Excluir
  24. Muito bom. Tem meu total apoio.

    ResponderExcluir
  25. Marco Brito31/08/13 14:13

    Se fosse existir e expandir sua atuação sobre o problema mobilidade, eu estaria empunhando a bandeira. Sim, deveríamos ter voz em Brasília, argumentando sobre as barbáries impostas (por exemplo) aqui em São Paulo com as faixas exclusivas. Por que não se pensa em investimentos pesados orientados ao transporte urbano, em cidades pequenas, evitando-se um futuro caótico no transito? Por que não se condenam as concessionárias de luz, água, gás entre outras a não remendarem ruas recentemente recapeadas que transformam um rodar macio numa espécie de rali urbano? E a formação de novos motoristas – alguém já viu algum moto boy saber a diferença entre luz alta ou baixa? Enfim, antes de lutarmos por carros baixos, transformados, preparados, “xunados”, deveríamos verificar essa lista que é grande, ou melhor, enorme e que tem tudo a ver com os anseios de quem é um entusiasta. Tenho certeza de que os que lideram esse movimento têm a clareza de raciocínio e a inteligência para fazer esse trabalho junto aos que não trabalham em Brasília. Contem com minha assinatura e o que mais for necessário.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chato. Não precisa empunhar nada. Vota pró carro, sem este monte de ressalvas.

      Excluir
  26. PICA - Partido da Integração do Carro ao Ambiente. O lema seria: PICA neles!

    ResponderExcluir
  27. Tudo bem Bob, tem meu apoio e inclusive um candidato a se filiar ao novo partido.
    Mas comecemos pelo começo. Claro que cada um defende o seu ideal - lute por uma única causa e muitos te seguirão. Porém, antes de ter ruas e estradas de melhor qualidade, eu gostaria de ter calçadas, praças, parques, escadarias, sanitários públicos e jardins melhores. Antes de ter gasolina melhor, gostaria de ter energia elétrica, sistemas de água e esgoto e telefonia melhores.
    Antes de ter uma redução no valor do IPVA, gostaria de ver reduzido o valor do IPTU da minha casa. Antes de ver o guardador de carros extinto, gostaria que o sujeito tivesse um emprego minimamente digno. Antes da liberação do motor Diesel, gostaria que o gás de cozinha custasse mais barato. E antes da extinção dos fiscais de trânsito, gostaria que os nossos governantes investissem numa polícia mais humana, mais preparada, mais bem equipada e melhor remunerada.

    Como disse o colega Tuhu, a vida não se resume ao autoentusiasmo. Ele pode ser interessante, mas não esqueçamos do resto...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CSS, Tú e chato em o cara.Preferível ficar sem seu voto! Afff

      Excluir
  28. shut up and take my vote!

    ResponderExcluir
  29. OFF TOPIC: Como rebocar NÃO um carro.

    1:51: "você sabe que eu não ia fazer uma coisa sem saber..."


    ResponderExcluir
  30. Apoiado, pra esse partido sim, eu deixo de ser anônimo pra assinar o nome. Até me filio nele, porque a causa é boa.

    ResponderExcluir
  31. Lorenzo Frigerio31/08/13 16:08

    Acho que um partido de autoentusiastas tem que lutar para disseminar as ferrovias no Brasil, a fim de acabar com as cargas transportadas por caminhão. Quem transita pela Rod. Cônego Domênico Rangoni sabe do que estou falando. Aquela estrada fica solidamente congestionada por caminhões sem espaço para os carros passarem, por causa do porto de Santos, sendo que parte do porto fica no Guarujá, no distrito de Vicente de Carvalho. É um absurdo que evidencia as conseqüências do uso de rodovias para transporte de cargas - só mesmo no Brasil! - e nós, que dirigimos automóveis, não somos dispensados do pedágio por isso.
    Com o transporte da maioria das cargas feita por trens, o desequilíbrio do diesel no Brasil desapareceria, e seria mais fácil implantar o seu uso nos automóveis.

    ResponderExcluir
  32. Com a onda verde que assola o país e o mundo, seremos linchados assim que a existência do partido for divulgada...

    Brincadeiras à parte, os problemas citados afetam à maioria da população, e não apenas os entusiastas. Contem comigo.

    ResponderExcluir
  33. Espero ansiosamente que essa ideia vá para frente. Tenho certeza que terá um forte apoio de todo verdadeiro autoentusiasta, que não são poucos.

    ResponderExcluir
  34. Já to careca de falar isto aqui. Quem criticou acima, é político morrendo de mêdo! CLARO QUE VAI DAR CERTO E FERRAR A CACHORRADA TODA.Conta comigo aqui para a filial do Rio. MAC.

    ResponderExcluir
  35. oskrmarinho31/08/13 17:35

    Meu total e irrestrito apoio! Sugiro que o objetivo do partido abranja toda classe de veículos automotores e suas relações com a sociedade e com o meio ambiente, este encarado com seriedade e no pressuposto de que homem, automóvel e ambiente devem coexistir pacífica e cooperativamente, inseparáveis que são.

    ResponderExcluir
  36. Amigos,

    Totalmente apoiado. E vamos seguir com a ideia, não deixamos esse motor arrefecer-se. Temos que nos mobilizar, para ontem! Ou a coisa vai tomar um caminho irreversível. Como alguém disse, profilera-se, em meio à esquerda, políticas e ideias mirabolantes para estiolar as vias e aniquilar o uso do carro. Se depender dos mais radicais (cicloentusiastas, Nossa Sâo Paulo, Soninha, Gilberto Dimenstein, chega senão vou vomitar), o carro vai virar peça de museu. E preocupa-se o que acontece em SP, particularmente, agora com esse Ptralha no poder e a ONG Nossa São Paulo ditando políticas para o plano de mobilidade urbana. Dêem uma olhada no que irão apresentar a câmara no mês de setembro, o dia mundial sem carro, vale a pena (da até p/ rir um pouco - corredor de onibus no Rodoanel... além do mais, precisa ensinar p/ essa turma qual é a Marginal Pinheiros e qual é a Tietê...rsrsrsrs):

    http://www.nossasaopaulo.org.br/portal/arquivos/apresentacaocamara

    Mas voltando ao lado trágico da coisa, se vocês olharem o Plano Diretor, que estão tentando aprovar com a participação da sociedade civil (sociedade de meia dúzia de índios da Nossa São Paulo, só se for), praticamente tudo desse material está lá, o Malddad incorporou no plano, sem dó nem piedade (e vocês ainda ganham mais uns brindes, como a limitação de vagas de garagem). Amigos, desse jeito, logo a cidade estará destruída e tomada por corredores de ônibus, inclusive as vias expressas das duas marginais e o dia que der a louca geral, o Rodoanel!

    Abraços a todos.
    André

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. André, onde vc viu corredor de ônibus no rodoanel nesta apresentação?

      Excluir
    2. Slide 11 - Corredor de onibus expresso estrutural, juntamente com as duas Marginais e Avenida dos Bandeirantes (ou seja, Rodoanel e Mini Anel Viário). Ou estou errado?
      Andre

      Excluir
    3. Está errado. O slide fala das marginais e Av. dos Bandeirantes, você se confundiu olhando a legenda.

      Excluir
  37. Bob,
    Sugiro também a defesa dos carros antigos, em nome da memória automotiva nacional, inclusive os antigomobilistas poderiam dar apoio ao partido.
    Fiquei muito alegre com a idéia de criar um partido, certamente conseguirá.

    ResponderExcluir
  38. henrique j. schauz31/08/13 18:08

    Aonde eu assino? Estou junto !

    ResponderExcluir
  39. Complementando: acho importante pensarmos também em um movimento, talvez até mesmo antes do Partido Liberal (muito boa ideia)

    Precisamos fazer algo do tipo que a associação dos usuários de serviços públicos fez - vejam abaixo o telegrama enviado ao procurador geral de justiça do estado de SP:

    Exmo Sr Procurador Geral de Justiça do Estado de São Paulo
    Dr Marcio Fernando Elias Rosa

    Os automóveis na grande São Paulo transportam, diariamente , 12 milhões de passageiros. Os ônibus transportam, apenas, 5 milhões de passageiros. Ressalte-se, que a Prefeitura não tem como disponibilizar transporte público para os 12 milhões de passageiros, que são obrigados a usar automóveis. Portanto, é inconstitucional, o Prefeito Haddad e seu secretário Gilmar Tato, privilegiarem, com corredores de ônibus as empresas já subsidiadas com dinheiro publico, os 5 milhões de passageiros, usuários de ônibus, em detrimento de 12 milhões de usuários de automóveis. Não há por que penaliza-los, com transito insuportável, causado pelos corredores de ônibus, que conturba a vida de todos os Munícipes. Além disso, é razoável afirmar, que a Prefeitura estiola as Vias, propositalmente, para justificar a implantação de pedágios urbanos e outras restrições do direito de ir e vir.
    Tudo isso atenta contra o principio da Razoabilidade constitucional, e contra o Artigo 37 da mesma carta, por ser imoral, ineficiente e ilegal.
    Pelo exposto, requer digne-se V. Exa de determinar as medidas judiciais necessárias para sobrestar, imediatamente, a implantação das faixas e corredores de ônibus, bicicletas e motocicletas, em defesa do Povo de São Paulo.

    Respeitosamente

    Associação dos Usuários de Serviços Públicos

    Antonio José Ribas Paiva
    OAB_SP 35.799

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu parabenizo essa iniciativa. Tomara que tenham força. Escrevi ao Ministério Público pedindo atitude sobre a clara inconstitucionalidade do nosso rodízio de veículos; virou inquérito civil e foi arquivado. Deu em nada.

      Excluir
    2. Cara, ou melhor, xará, que coincidência, havia me passado pela cabeça justamente criar uma conta com esse sobrenome.rsrs Muito boa escolha!

      Excluir
  40. Caro Bob, certo de que você possui uma consciência política bem formada, é evidente que esse partido não serviria apenas para assuntos automobilísticos. Assim eu o apoiaria.

    Outras reivindicações:

    - Investir muito em transporte por linhas férreas. (Mais trens de carga = menos caminhões nas estradas. Menos caminhões = trânsito melhor e manutenção asfáltica mais barata. Além do Custo Brasil diminuir)

    - Muito investimento em educação no geral e em educação no trânsito. Sem educação não há como acabar com as lombadas.

    - Pena de perdimento do veículo para aqueles que instalam "faróis xenon" desregulados e fora das especificações do veículo.

    - Pena de perdimento do veículo para aqueles que estacionam ocupando duas vagas. (principalmente para aqueles que ocupam duas vagas de idosos/pne sem ser idoso ou pne, como eu vi um dia desses)

    - Eu também proporia o perdimento do veículo para aqueles que obrigam os outros a ouvir funk e sertanejo universitário, mas aí alguns já me chamariam de fascista, hahaha. Melhor deixar pra lá...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lorenzo Frigerio31/08/13 21:28

      Deveriam poder fazer que nem na Inglaterra, proíbe estacionar em determinados lugares sob pena de botarem "wheel clamp" na roda e só soltarem com pagamento de multa; hoje fui à farmácia em Caucaia do Alto (distrito de Cotia) e as cinco vagas estavam ocupadas por carros de pessoas que não estavam fazendo compras lá dentro, apesar de placas pedindo para não fazerem isso e de o pessoal da farmácia colocar cones (o pessoal tira os cones e pára assim mesmo). Parei bloqueando a saída de dois carros e, quando já estava pagando os remédios, ouvi buzinas, e, ao entrar no carro, ainda tive que ouvir coisas do tipo "até que enfim!", "aleluia!" etc. Então, obrigar as pessoas a fazer provinha de normas de boa educação e civilidade no trânsito no DETRAN ao tirar ou perder carteira pode parecer ridículo para nós, mas para o populacho desse país é certamente mais que uma necessidade.

      Excluir
    2. Lorenzo, deixe-me contar uma história, uma vez estava indo para uma festa junto com um amigo, ao chegarmos na festa não tinha vaga em frente à casa e este meu amigo (estávamos no carro dele) teve a brilhante ideia de estacionar na vaga de uma pousada logo ao lado. Resultado, provavelmente o dono da pousada, murchou dois pneus do carro e riscou várias partes do carro. Achei um tanto exagerada a retaliação, mas alguém aqui acha que o dono da pousada errou em sua atitude? Por falta de aviso não foi, eu repeti algumas vezes para que ele não largasse lá.

      Excluir
  41. Eu sugiro PLL (Partido da Livre Locomoção). E como o nome sugere, poderia abranger muito mais causas, além dos carros e motos. Poderia abranger estradas, ferrovias, hidrovias, aeroportos, melhor planejamento de vias urbanas. Em suma, toda a infra-estrutura do país estaria englobada pelo partido e, acredito que já seria um trabalho hercúleo e desgastante o bastante para que ninguém tivesse a coragem de dizer que o PLL tem uma causa única.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Extremamento boa a sua sugestão!

      Excluir
    2. Sugestão boa, isso agradaria a gregos e troianos.

      Excluir
    3. Ainda prefiro a sugestão do Bob, o termo liberal é de suma importância no contexto, inclusive no sentido do governo limitado!

      Excluir
  42. Eu apóio o partido autoentusiasta, PORÉM, como disse Sabidão logo acima, talvéz fosse mais interessante primeiramente criar uma ONG que reúna todos os autoentusiastas, concentre toda a nossa cultura autoentusiasta e a espalhe pela sociedade, inclusive fazendo pressão sobre os políticos.
    A democracia representativa funciona na base da pressão, e principalmente a partir de grupos de pressão. Criar um partido político sem que tenhamos uma base forte para apoiá-lo, vai matar o partido. Primeiro temos que definir o que é e o que não é A Cultura Automotiva, depois criar uma rede e espalhar nossa Cultura através dos intelectuais orgânicos (qualquer pessoa com poder de influência). Antes de mais nada, seria necessário um trabalho intelectual enorme pra entender como funciona de fato a democracia, o nosso sistema político e nosso sistema de poder. Teríamos que construir um núcleo intelectual que estudaria Eric Voeglin, von Mises, Murray Rothbard, Olavo de Carvalho, Klauber Cristofen Pires, Nivaldo Cordeiro, Reinaldo Azevedo, podendo contar com a ajuda destes últimos.
    Enquanto a gente bate no governo pela internet é uma coisa. A partir do momento que passarmos a bater via política, a coisa muda de figura e o contra-golpe será mais forte, virará um jogo de vida-e-morte.

    PS.: O PT é o único partido político, de verdade, que existe no país. Eles possuem ideologia, eles possuem militância, membros, serviço de inteligência, intelectuais, eles estão ligados com ONG, sindicatos, associações e seus membros estão espalhados em toda a sociedade. Essa infra-estrutura é que garante a força deles, tornando a eleição uma mera confirmação do poder já estabelecido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma infra-estrutura absurda mesmo! Com CUT, MST, PCC, CV, FARC e tudo mais! UOL, OI, 9nine, 89, emissoraS de televisão e TUDO MAIS! Teoria da conspiração né? Aham!

      Excluir
  43. Dr. Traffic Calming31/08/13 19:24

    Prezado Sharp:
    Apoiado, mas com ao menos detalhes de duas ressalvas sobre o mesmo assunto -velocidade: A"lombada brasileira" difere de lombadas de primeiro mundo. As nossas parecem meio postes colocados nas ruas para destruir as "molas" dos veículos ao invés de reduzirem a velocidade por incomodo ao transitar por elas além da velocidade estipulada.
    Lombadas de locais inteligentes foram projetadas por engenheiros, em todos seus detalhes, de forma a causar o mínimo de impacto em veículos que por elas passam, dentro da velocidade estipulada, não para, como aquí, práticamente parar o veículo. Além disso, para a Máfia do Trânsito e seus braços operacionais lombadas convencionais, sejam de cimento ou agora material plástico, tem baixos custo de manutenção e o principal: NÃO DÃO LUCRO! O esquema da Máfia e seus braços operacionais, é instalar, seja lá o que for, na cidade, desde que dê lucros para os envolvidos - Fabricantes, prestadores de serviços e comissionados. Depois de certo tempo, nem a manutenção interessa - é só ver como estão as lombadas eletrônicas na cidade. Basta também verificar como funciona essa Máfia pelo que estão fazendo com a sinalização da cidade, que, entre várias bizarrices e barbaridades, a transformou na Capital Mundial das Placas de Trânsito.
    Ainda sobre limites de velocidade: Voce, como ex-corredor, não serve de parâmetro para limites urbanos de velocidade. Seus conhecimentos sobre direção, comportamento, respeito à sinalização etc estão fora (na verdade acima) da despreparada média dos motoristas brasileiros. Além disso, bairros residenciais por exemplo, pensando no bem estar dos moradores e não na pressa dos motoristas, não podem, como vem sendo feito terem limites de velocidade de 60KM, nem 50KM. Essa pressão, via Mídia Amestrada, atende sim, aos interesses da Máfia do Trânsito e a Prefeitura, que "cuidam" de apressar a cidade para seus objetivos e não o bem estar do cidadão comum. Essa história de que a tecnologia deu maior segurança e velocidade,etc. não serve para vias urbanas, sendo que comprovadamente, altas velocidades são o principal Fator Contribuinte para acidentes, principalmente fatais. É só lembras 80KM na Av. Bandeirantes, 23 de Maio etc. com 1 fatalidade/dia. O foco não pode ser só da "industria automobilistica" uma das interessadas, mas Cias de Seguro, Bancos, Cias de Petróleo, segue-se aí um bom universo de potencias "patrocinadores". etc. Lembro que não se cria um partido de um dia para o outro, então isso requer uma série de discussões etc. Em tempo, a Austrália, é um pais que tem mais similaridades (boas e ruins) com o Brasil, do que imaginamos, inclusive na área automotiva e aeronáutica (que por incrível que possa parecer, possuem diversas semelhanças entre sí, como na manutenção - deixa pro mes que vem....p. ex.). Boa sorte, conte comigo.

    ResponderExcluir
  44. Bob, tem meu apoio.
    Temo apenas que a ideia seja mal recebida pelo sociedade: já imagino os "cumpanheiros" e ecochatos dizendo que se trata de uma causa "burguesa" ou individualista. Essas pestes estão dominando o país! O que me conforta é a certeza que existem mais pessoas que também não aguentam mais essa patrulha ideológica vigente.
    Viável é. O difícil é enfrentar a burocracia necessária. Que o diga a Marina Silva tentando criar um novo partido.
    Se a ideia for adiante, por favor ofereça candidaturas ao congresso nacional, não apenas às cadeiras municipais e estaduais.
    Ah, e o Liberal cai muito bem no nome e nos anseios de nossa atual política. É triste ver o comunismo está sendo calculadamente implantado por aqui.

    ResponderExcluir
  45. Vamos cair na real. Um tema desses não é para (mais) um partido político.
    Mas caberia muito bem numa ONG.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não entra então, chato. Briga é na rinha e não do lado de fora!

      Excluir
  46. Eu apoio! Dou mais duas sugestões: Fim do saco de lixo nos vidros, e regulamentação especial para ter som acima de certa potencia no carro (sujeito a guincho se nao tiver licença)

    ResponderExcluir
  47. Apoio totalmente a ideia. A mobilidade tem importância crescente em nossas vidas. Basta pensar... quanto tempo se perde no trânsito. Quantas vidas são perdidas por ano. Por que não temos transporte público decente?

    Fala-se em segurança passiva dos automóveis, e as nossas estradas?
    Por que não temos investimentos em transporte ferroviário?

    Aguardarei novidades.

    Rômulo Rostand




    ResponderExcluir
  48. dudupruvinelli31/08/13 20:11

    Gostei da ideia, mas adicionaria a lista o seguinte:

    - Formação de autoescola mais rígida, com horas a noite (de verdade) e horas na estrada. Provas mais rígidas.
    - Proibição de comercialização de carros inseguros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todo carro é inseguro se não souber utilizar.
      É preciso ter cuidado com esse fetiche por estrelas, caso contrário daqui a alguns anos os carros terão a aparência de um Pangolim.

      Excluir
    2. Não faz sentido proibir carros inseguros, até porque é difícil determinar o que separa um carro seguro de um inseguro.

      Excluir
    3. dudupruvinelli01/09/13 16:02

      Os crash-testes estão aí para isso, Douglas. Não é nem um pouco difícil. É óbvio que tem de se dirigir com cautela, mas se um infeliz ultrapassa o sinal vermelho e bate na lateral do meu carro, eu prefiro estar num carro "dito" seguro do que num que não o é.

      Excluir
    4. Dudupruvinelli
      Só leva batida na lateral quem passa em cruzamento com ou sem semáforo, fechado ou aberto, de dia ou de noite, preferencial ou não, sem verificar que vem carro.

      Excluir
    5. Pedro de Albuquerque01/09/13 18:32

      Não leve a mal, mas essa de proibir carros inseguros é coisa do partido NA, do qual o Dudu faz parte. Essa turma de lá só fala asneira.

      Excluir
    6. dudupruvinelli01/09/13 21:11

      Cada um com sua opinião então. O que é asneira para vocês pode não ser para mim. Continuo defendendo a proibição.

      Excluir
    7. Oliveirajc02/09/13 00:26

      Ali é só comentários maduros e inteligentes: ou é sobre preço ou sobre "carros inseguros". Garanto que falam tanto de segurança é ordenham vaca a cada esquina kkkk

      Excluir
    8. dudupruvinelli, não leio o NA, leio o AE desde o início e acho seu comentário válido, continue por aqui.

      Bob, acompanhei toda a novela já discutida aqui sobre o Uno, a Kombi e a resolução 311, mas com tanta "arte" que temos visto no trânsito, eu também prefiro estar num carro "dito seguro". Aliás, o primeiro item sugerido pelo dudupruvinelli é formação mais rígida, o caminho certo.

      Excluir
  49. Fiquei feliz de ver uma imagem da Auri-Verde no blog. O fotógrafo é um cohecido.
    Quanto ao partido, o que mais há é legenda que se corrompe. O PMDB deveria modernizar a democracia no Brasil. Com Renan e Sarney. O PSC deveria pregar valores cristãos. Acabou com uma cruzada anti-homossexuais e um ministério (acho que o da pesca, ou o da quinta-feira, ou o da fome, tem tantos que é difícil imaginar algo que não tenha um ministério cuidando...).
    Alinhar-se entre direita e esquerda também é mais complicado. Há os pró-empreiteira e os não-eleitos, independente do discurso.
    Todos partidos no Brasil poderiam ser substituídos por uma única ideologia: O Poder pelo poder. Seja lá quem estiver exercendo o poder político nas esferas executiva e legislativa, apenas a manutenção do próprio poder é prioridade. E tome leis esdrúxulas e - pior ainda!- redundantes só para aparecer como cara bonzinho na TV por uns minutinhos, verba de representação para injetar no curral eleitoral, polêmicas vazias para poder dar entrevista, e toda representação espúria que vemos por aí...
    Tornar-se político é um exercício de tolice ou hipocrisia. Ou você é tolo e realmente pensa que tem um poder mágico de fazer coisas incríveis saírem de um monte de gente tola e hipócrita movida por interesses mesquinhos, ou é hipócrita, adota o discurso do tolo mesmo sabendo que tais coisas são impossíveis. Não por acaso, pessoas que têm alguma competência para qualquer tarefa produtiva, pseudo-produtiva, ou que simplesmente não têm habilidade nenhuma mas acham que podem vir a ser produtivas, não devem entrar nesse mundo. Se o melhor que um político faz é sair do caminho e deixar que os outros trabalhem, que pelo menos sejam os inúteis a fazer parte desse cancro.
    Concordo com a ideia da ONG. Um monte de gente bem-intencionada que enxerga um problema e busca soluções parece muito mais efetivo que mais um partido para disputar ministérios, fazer discursos vazios, propor leis idiotas, aumentar tributos e tudo mais que um partido faz. Mas eu sou meio anarquista. Não acredito que uma pessoa em plena posse de suas faculdades mentais tenha desejo de responsabilizar-se por algum aspecto da vida de outra mesmo que não fosse no ninho de ratos que é a nossa política, e, portanto, estar sob o jugo de qualquer regime de poder é encontrar-se, na melhor das hipóteses, sendo governado por um debilóide. Se vocês vêem a política funcionando, acreditam na honestidade das pessoas, acham fácil tomar decisões em nome de outras pessoas, vão em frente!
    Não digam que eu concordo, ou que eu não avisei, mas boa sorte de qualquer modo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comentário nivel perfect, apesar que as ONGs por vezes são iguais a politica.

      Excluir
  50. Cristiano Mendonça31/08/13 20:38

    Bob Sharp, das doze teses defendidas como proposta de ação política, dez tem a minha adesão imediata. Duas eu precisaria entendê-las melhor. Você percebe mesmo não concordando muito quanto a visão política ou sócio-política, o altíssimo índice de 83,33% de concordância imediata, quanto a objetivos a serem alcançados. Nada mal para um petista e um conservador.

    ResponderExcluir
  51. Caro Bob, admiro seu conhecimento automotivo e gosto dos seus posts técnicos, MAS, quando você cria posts de cunho político, e você tem todo o direito de fazer, acaba afastando pessoas que pensam diferente , como eu. Sou esquerdista, mas consciente de falhas em algumas politicas e dogmas das esquerdas. Vocês conservadores, acreditam ou fingem acreditar que todos os problemas desse pais foram desenvolvidos no 12 anos de governo do PT, o que é uma grande bobagem, visto que a história do Brasil engloba aspectos complexos nesses 512 anos! E carro é um bem de consumo individual, supérfluo, não humaniza as cidades, não gera qualidade de vida para o coletivo. Isso é fato, eu adoro meu Focus, adoro pegar a estrada, mas na cidade, faço questão de andar a pé, de bike ou até de ônibus! E se aqui na Brasil tivesse Trams e Metrôs a vontade, como na Europa, eu acho que até ficaria sem carro, ou teria um antigo só pra botar na estrada as vezes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ilustre, será que você seria capaz de explicar a todos aqui o porquê o carro não humaniza as cidades e acaba com a qualidade de vida para o coletivo? Com base no que você diz isso?? Ou será que o IPVA, empregos e toda a movimentação de recursos que o carro traz para a economia é desconsiderada pelo "coletivo"? O que é o bem do coletivo, o comunismo? Ou apenas bastaria ter a cidadade enfeiada por corredores de ônibus? Ou você está apenas transcrevendo as bobagens que alguns ideologistas anti-carro saem bradando por aí? Eu também já tive (por um breve momento) esse discurso anti-carro, mas foi só refletir um pouquinho, observar ao redor, comprar um carro, amadurecer, para ver que o problema não é o carro, pelo contrário. O carro é o maior símbolo da expressão de liberdade individual, a base de uma sociedade democrática. O transporte público deve ser melhorado e, à medida que sua oferta aumentar, a tendência é haver um equilíbrio. Ou, realmente, vamos crucificar o carro, vamos sugerir a essa pseudo-autoridade que temos na prefeitura de SP que comece a restringir os carros em uma determinada região da cidade, por exemplo, no Morumbi e que adense a região, corte os estacionamentos - conseguirá este criar um novo centro de SP, onde a riqueza foi, em sua grande parte embora, e transbordam cortiços, moradores de rua e cheiro de urina pelas calçadas.
      Andre

      Excluir
    2. Se você nem teria carro, não é autoentusiasta e está falando como um sem representatividade e sem nos entender (e entender que não somos esse mal para a sociedade).

      Humanizar a cidade é outro adjetivo politico que diz nada e que os 'revolucionários' criaram. Esse double speech como diz um comentarista aqui é comum da política, mas aqueles da esquerda são especialistas nisso.

      Faça o teste e PROIBA TODOS OS CARROS de andar em SP. Eu APOSTO que a cidade vai desumanizar e além de não resolver nada vai piorar, tanto que nem um ecochato de partido defende isso aqui em SP pois a cidade pararia e mostraria onde está o problema de verdade.

      Humanizar a cidade é ter infra-estrutura pra começo de conversa. Também queria ver onde se humaniza qualquer coisa sem respeito ao individual.

      Excluir
    3. Na boa, vocês têm muita paciência pra debater com este tipo esquerdalha. A propósito, o que esse cidadão faz aqui no AE? Monitorando?

      Excluir
  52. Apoio totalmente !!

    Como fiquei feliz em dizer em voz alta (como todos aqui) uma coisa tão lógica e simples de ter um partido político direcionado exclusivamente ao carro ! Poxa por que não pensamos nisso antes !!! Puts.

    Parabéns, e que se depender de mim farei de tudo para colocar o automóvel e o motorista no seus devidos lugares, com todo seus direitos e deveres realmente no lugar certo e voltar ao coração das pessoas.

    ResponderExcluir
  53. Excelente idéia, tem meu voto Bob :)

    ResponderExcluir
  54. Achei muito interessante e desde ja apoio. Pq não pensamos nisso antes??

    ResponderExcluir
  55. Achei muito interessante e desde ja apoio. Pq não pensamos nisso antes??

    ResponderExcluir
  56. Li grande parte dos cometários, comentei alguns.
    Em resumo fico muito feliz de ver que existem mais pessoas que defenderiam uma direita mais verdadeira e pessoas dispostas a mudar esta situação claramente mancomunada para o mal que vivemos hoje.

    Sabe, vou comentar algo meio fora do contexto:
    -Acabei de completar 28 anos de idade e até o início desta semana eu nunca, nunca mesmo havia sentido orgulho de ser Brasileiro.
    Até que por uma questão de revisionismo da história, II guerra mundial, vi o documentario da FAB e sua participação na guerra.
    Que história mas linda, ver aqueles senhores contando toda a história que viveram quando ainda rapazes, mais novos que eu.
    Ai sim, senti pela 1ª vez orgulho de algo desta pátria, mas foi algo do passado.
    Espero sinceramente que um dia meus/nosso filhos e netos tenham do que se orgulhar da atualidade, porque, até o momento eu não tenho

    ResponderExcluir
  57. Claudio Hofmeister Barcellos01/09/13 01:09

    Como a locomoção pessoal e a logística de transporte rodoviário de cargas são fundamentais na nossa economia, tudo que vier para o desenvolvimento e bem estar dos cidadãos é bem vindo. O partido não seria elitista, visto que a maioria dos carros antigos transformados (Hotrods) pertencem a cidadãos de baixa renda.Em Porto Alegre, no 1º domingo do mês tem dois encontros. Um no pátio da Câmara dos Vereadores, dos veículos placa preta ou com tendência a 100% originais, e outro no estacionamento da EPATUR (Municipal) com a maioria dos carros modificados e em excelente estado de conservação, que não podem, legalmente, circular.
    Apoio o nome do partido, contem comigo

    ResponderExcluir
  58. Muito boa a idéia, ainda mais se abranger a mobilidade em si e não apenas ao autoentusiasmo.
    Já não é sem tempo.
    Onde assino para que seja criado já?

    ResponderExcluir
  59. Fica como sugestão outras idéias;

    -> Fim das extorsivas taxas cobradas pelos DETRANS/CIRETRANS para a transferência de motos e carros. Outro dia vi um cara gastando R$700,00 para transferir uma moto que ele havia comprado por R$1.800,00;
    -> Fim de algo ridiculo chamado "lacre" nas placas (hoje em dia com o lacre de plástico, é só jogar agua quente...e quem me contou isso foi um emplacador de carros!);
    -> Abrir a grande "caixa preta" chamado DETRAN (de todos os estados, governados por todos os partidos)
    -> Fim do CONTROLAR e do cartel da vistoria veicular;
    -> Fim do exame psicotécnico para tirar/renovar carteira de motorista (quem não tem aptidão motora não consegue dirigir um carro)
    -> Colocar o CADE para investigar certos setores de peças veiculares. Como um pneu no Paraguai pode custar menos que no Brasil, a ponto de compensar até o seu contrabando? E não são só impostos brasileiros que encarecem...
    -> Redução nas aliquotas de importação de peças e acessórios para automóveis novos & antigos. Serviria para aumentar a concorrência e melhorar a qualidade das peças paralelas nacionais que são deploráveis.

    ResponderExcluir
  60. Eu concordo com a opinião do amigo sabidão.
    Acho que fundar um partido assim é muito complicado. Ao invé de um partido político talvez seja melhor criar um ONG para defender idéias e soluções coerentes nas questôes de trânsito, transportes e mobilidade urbana.
    Por exemplo:
    -Fazer pressão pela melhoria do transporte público, que ajudaria a melhorar o trânsito urbano;
    -Por investimentos para desenvolver o transporte ferroviário e naval, o que melhoraria o trânsito nas estradas;
    -Por engenharia de tráfego, formação de condutores, educação de trânsito desde o primário, etc...
    -Lutar por leis e limites coerentes e baseados em critérios técnicos,
    além de tudo o que é relacionado com o carro e a moto em si.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tbm sou mais a ideia da ONG. Até pq o momento atual é de discurso contra mais partidos. Uma ONG séria acredito que seria mais fácil e rápido de operacionalizar e poderíamos mais facilmente participar dos debates. Partido é toda uma burocracia e de cara já seria rotulado de "mais um"....

      Excluir
    2. Também acho que o início é via ONG, até para se ter uma representatividade mínima, ser ouvido e não satirizado.

      Excluir
  61. Tenho medo de estar se formando um partido burgues...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E qual é o problema , o esquerdista pseudo-revolucionário chavista anti-zelite?? Eles não podem ser representados??

      Excluir
    2. preciso mesmo falar quais são os problemas? não é bom ter um governo que favorece a minoria (burguesia), e por mais que eu seja apaixonado por carros, eu tenho consciência de que eles são insustentáveis em cidades (se quiser eu explico o pq, mas é bastante coisa) e sim, todos tem q ser representados, porem, não sei se seria o caso de um bando de burgueses fundarem um partido reivindicando algo insustentável, e o partido defenderia apenas carros?

      é claro que a legislação hoje é ridícula, concordo em muitos pontos com o que foi dito, porem o excesso de mudança pode ser um problema....

      Matheus.rampazzoesilva@gmail.com

      Excluir
    3. Insustentáveis em cidades são os esquerdistas e os talibikers.

      Excluir
    4. Matheus, concordo um pouco com você. Mas enxergue que essa coisa de política com suas divisões em maioria/minoria e outros nomes bordão são sempre relativas e mesmo valem nada. Os governos contra a 'burguesia' adotam muitas medidas favorecendo minorias de todos os tipos, mesmo quando isso significa desrespeitar as leis e colocar a maioria em um cenario completamente desfavorável.

      Apoiar grupos criminosos por ex. é praxe desses partidos (na verdade da maioria) como um jeito fácil de ganhar poder e votos, mesmo que todo o resto das pessoas saia prejudicada e que se esteja cometendo um crime.

      Ademais, o que é burguesia? Toda a classe média da mais baixa a mais alta é burguesia? Toda classe rica age como burguesa? Esse adjetivo político tem tanto sentido quanto a porcaria do autor dele e sua obra de ficção, até mesmo um pobre pode ser classificado como burgues.

      O que é sustentável hoje é estabelecido do mesmo jeito. Porque uma cidade com uso restrito do carro e gente saindo pelo ralo é sustentável? Será que o caminho é fazer de toda cidade uma São Paulo ou NY, isso seria sustentável?

      Os prefeitos sabem que quanto mais lotada, mais poder (muito poder se for como SP) e mais arrecadação (além de mais gente, o preço de tudo vai nas alturas). O sustentável é papo.

      Excluir
    5. Anônimo 1: oq vc quis dizer? Todo mundo tem q ser igual? Talibikers, se o cara acha q é seguro andar de bicicleta em meio a carros de 1tonelada o problemas é dele, o máximo q pode acontecer com vc é um arranhão na pintura do seu carro.

      Anônimo 2: vc foi na raiz do problema... Até longe de mais talvez, mas isso é bom e vc esta certo.
      Burguesia ( na minha visão) é todo mundo que tem poder, vc nao vê um vereador andando de ônibus e comendo no bom prato certo? Como os nao burgueses são muito oprimidos, e sem infomacao ( de modo geral) vc tem q ter um governo que olhe por eles. A questão dos partidos apoiando crimes, vc esta certo, mas nao sei se isso cabe nessa discussão...


      Carros nao são sustentáveis como meio de transporte na cidade, ja que é muito espaço ocupado por pessoa, isso é fato. Se todos os habitantes de são Paulo usassem carro, simplesmente ia ser um caos total, (lembrem se da greve dos onibus ano passado) portanto carros nao são uma boa idéia em SP, logo criar um partido que defenderia uma idéia insustentável nao seria algo inteligente certo? A prioridade é melhorar o transporte publico E o transporte particular, é para isso que vcs devem lutar.

      Matheus Rampazzo

      Excluir
    6. Opa! Agora você quer ditar pelo que a gente deve lutar? Surtou, doidão? Lembre-se que o partido das bandeiras vermelhas foi o que abriu as perninhas pros burgueses, digo os verdadeiros! Os bancos!
      Medo de partido burguÊs? Quem é burguês? Eu não uso ônibus e não como no bom prato, eu sou burgûes? Eu ralo pra CA*****! Pago imposto pra **RA***! Sou mais um que financia esse assistencialismo nojento e não tenho direito de comer num bom restaurante?
      Muitos destes "revolucionários" falam bastante, trabalham pouco (quando trabalham!), querem muito, querem vida fácil! O governo é o melhor exemplo disso, se lambuzando com o poder!

      Excluir
  62. Agora para o partido político só falta um palhaço puxador de votos (como Tiririca, Leo Kret do Brasil, entre outros). Talvez o Bananinha do Comando Maluco, que tem um 147 cortado...

    http://www.youtube.com/watch?v=_ZvE-_YBTUo

    É assim que (não) funciona a democracia do Brasil...

    ResponderExcluir
  63. Partido Auto Entusiasta Brasileiro!!!

    ResponderExcluir
  64. Com algumas das idéias do Bob eu não concordo (como reduzir o teor de álcool na gasolina), mas como concordo com mais de 80% delas, eu assino e ajudo a fundar o partido.
    Porque não concordo com a redução do teor de álcool na gasolina? Simples, porque se hoje não há gasolina suficiente para abastecer todo mundo (daí as importações), o que dirá se reduzirmos o teor de álcool!
    Quer queiramos quer não, hoje o álcool é um mal necessário.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lorenzo Frigerio01/09/13 18:42

      Tudo aquilo que é "obrigatório" não é legal... a mistura da gasolina deveria poder ser feita no posto e deveria ser opção do freguês. No mínimo, deveria ser possível comprar gasolina pura em alguns deles. Atividades empresariais são um risco próprio da iniciativa privada; não é correto o governo garantir "boquinha" aos usineiros, obrigando percentagem mínima de álcool na gasolina. Aliás (serei breve pois o Bob não aprecia esse tópico), não sei como seria a prédica oficial do nosso Partido no que toca ao relacionamento entre as "montadoras" e o Governo, pois creio que não somos unânimes nesse assunto.

      Excluir
    2. Lorenzo, "pelo amor" legalizar a mistura no próprio posto? Imagine! Se como está já é difícil controlar...

      Excluir
  65. Bob, já que você anda falando dessas faixas de ônibus implantadas a torto e a direito, e pensando que você mora em Moema, não sei se você notou que perto do viaduto Euclides Figueiredo e indo no sentido do Tutoia a faixa imediatamente à esquerda da de ônibus fica tão, mas tão estreita, que você corre o risco de tocar retrovisor com o carro do lado esquerdo, isso sem falar que pode invadir a faixa de ônibus por simplesmente fazer a trajetória normal de abordagem da curva.
    O pior de tudo é ver o quão feito de qualquer forma foi, pois você vê o trajeto mais largo e pontilhado da faixa antiga (eram quatro faixas todas com largura suficiente para que até mesmo um ônibus transitasse sem maiores problemas em qualquer uma delas) coberto por algum piche e a pintura contínua da faixa de ônibus nova invadindo o espaço que era dessa faixa imediatamente à esquerda. E essa de ver o pessoal andar quase que evitando tocar o retrovisor era meio tônica.

    O pior de tudo é ver a 23 congestionada no sentido Centro em pleno sábado, coisa que há muito não via.

    ResponderExcluir
  66. Bob, voce pensou nos direitos - legítimos.
    Mas faltaram os deveres como patrulhamento e formação de condutores de verdade.

    Nem precisa de muito estudo ou comissões ou debates. Basta reaplicar qualquer sistema europeu e pagar ao Senai para operacionalizar - a única gente competente em educação e que FAZ algo de fato neste país.

    Resultados em 5 anos, garantido.

    Mas acho difícil isso acontecer. Aos 30 anos de idade já não acredito muito nesse país.

    ResponderExcluir
  67. Ledoni
    Respondo a você mas a resposta é extensiva a todos que comentaram.
    Francamente, eu esperava mesmo a maciça concordância com a idéia de fundarmos um partido político nesses moldes. É claro que os exemplos que dei de como e onde poderia o partido agir é pouco diante do que se pode pressionar; há muito mais, como você mesmo e muitos leitores comentaram. Alguns falaram em ONG, mas tenho certeza de que um partido tem muito mais peso de opinião e, principalmente, de ação. Aos que falaram em posicionamento, esquerda, centro e direita, este partido operará em todas as frentes, objetivando a mobilidade correta no automóvel particular e isso envolve, naturalmente, o aprimoramento do transporte público combatendo soluções esdrúxulas com as das novas faixas de ônibus, erradas do ponto de vista de engenharia de tráfego.
    Outro ponto importante é a possibilidade de qualquer afiliado do partido se candidatar a cargos eletivos nos estados e Distrito Federal e com isso passarmos a ter voz ativa parlamentar, importante para procurar barrar/convencer os demais parlamentares a não aprovarem projetos de lei estapafúrdios como o do colete com bolsa inflável para motociclistas. Seríamos uma espécie de "voz da razão" nos temas que envolvem automóvel e circulação.
    Caso, por exemplo, de voltarmos a ter gasolina universal no Brasil, com até 10% de álcool, para o motorista poder escolher o carro que comprar, se flex E0-E100 ou flex E22-E100 ou só a gasolina E0, sobretudo um direito. O que é inadmissível é fazermos parte de um bloco econômico, o Mercosul, e só nós termos gasolina não universal. Para cada modelo de carro importado é necessário calibração específica na formação de mistura, algo inconcebível e que custa dinheiro (R$ 1 milhão para recalibrar e homologar um carro no Denatran para receber o Renavam).
    Enfim, há muito o que fazer para que os brasileiros sejam respeitados no uso do automóvel. Não somos seres inferiores.
    Vou evoluir a idéia e manterei todos com boletins sob o nome "Boletim do Partido".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bob, rapaz, esse negócio de "boletim do partido" me fez até tremer, he, he, he! Isso tem um "cheiro" danado de esquerda, he, he! Encontre uma designação melhor para esses comunicados.
      Abraço.

      Excluir
  68. Mr. Car
    Achei até graça, parece mesmo! Pronto, será "Notícias do Partido"! (rs)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bob, qualquer termo "*do Partido" é de se estranhar, por ser linguagem comum "dos bandidos". Tudo é "do partido" para estes.

      Excluir
  69. Bacana, Bob. vamos em frente!

    Abraço!

    Lucas CRF

    ResponderExcluir
  70. Certo mesmo é que tem que haver muita união. As pessoas que tem algum conhecimento de causa, bom senso, idéias e e sobretudo a vontade de melhorar este caos tem que trabalhar juntas. É a única maneira de se contrapor-se a este verdadeiro inferno de hipocrisia em que estamos metidos atualmente.
    Acho que começou bem com o blog e podemos evoluir para uma associação ou organização não governamental com bastante força e respaldo.
    Eu me disponho a trabalhar incançavelmente pela causa:
    -Luta pela melhoria contínua dos transportes público, que também ajudaria a melhorar o trânsito urbano;
    -Investimentos e priorização do transporte ferroviário e naval. de cargas e passageiros, que além de ser ótimo para a economia do país ainda melhoraria bastante o trânsito nas estradas;
    -Por investimento em infra-estrutura e engenharia de tráfego, melhoria da formação de novos condutores, prioridade para a educação, com matérias sobre trânsito desde o ensino fundamental...
    -Por leis e limites coerentes, fundamentadas em estudos e critérios técnicos, acabando com os desmandos das "otoridades" e combata à indústria da multa.
    -Fiscalização de orgãos públicos e combate à corrupção;
    -Além de tudo o que gira em torno dos automóveis e motocicletas.

    ResponderExcluir
  71. Para que o mal triunfe basta que os bons fiquem de braços cruzados.
    Edmund Burke

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem dito!

      "Ninguém comete erro maior do que não fazer nada porque só pode fazer um pouco." (Edmund Burke)

      Excluir
  72. http://www.olavodecarvalho.org/semana/130108dc.html
    Abaixo um trecho:
    "...
    Afinal, só quem precisa ostentar moderação é quem se envergonha da sua própria opinião ao ponto de admitir, cabisbaixo e submisso, que ela só vale alguma coisa quando usada em doses moderadas. Em doses moderadas, filhinho, até a estricnina vale alguma coisa. Só o que é indiscutivelmente bom, como a inteligência, a beleza, a santidade ou a saúde, vale tanto mais quanto maior a dose. A esquerda conseguiu convencer até os direitistas de que nenhuma dose de esquerdismo é excessiva, tanto que o sr. Luis Inácio Lula, vendendo uma imagem de moderado, não se vexava de presidir o Foro de São Paulo de maozinhas dadas com um notório extremista, assassino e narcotraficante, o sr. Manuel Marulanda, nem muito menos se esquivou jamais de fazer parceria com o sr. Fidel Castro, que é o extremismo de esquerda encarnado.

    Já os homens “da direita” – digo “homens” cum grano salis – prefeririam antes morrer do que ser vistos ao lado de alguém que lhes pareça mais direitista que eles."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lixo de texto, cheio de termos em latim para conferir crédito, típica retórica esquerdista nojenta!
      Uma só frase derruba toda essa baboseira!
      "A diferença entre o veneno e o remédio é a dose".

      Excluir
  73. Bob e demais colegas: contem com o meu total e irrestrito apoio. Farei o máximo que puder para colaborar e estarei atento aos próximos passos e, caso também apareça alguma novidade de minha parte que eu possa agregar aqui a todos vocês, compartilharei com o maior prazer. Vamos em frente!!!!
    Andre

    ResponderExcluir
  74. totalmente apoiado, onde eu faço a filiação ?

    ResponderExcluir
  75. Lorenzo Frigerio01/09/13 20:53

    É sempre bom lembrar que querer "começar de cima" é um erro brasileiro típico, e as coisas assim sempre acabam esvaziando devido às dificuldades encontradas por falta de experiência. Acho que, a princípio, uma ONG permitiria agregar mais experiência aos membros e testar a disposição dos mesmos. A sua transformação em partido político poderia ficar para uma segunda fase.

    ResponderExcluir
  76. Bob,

    Meus "two cents":
    - O nome do partido não deveria ser tão específico, a ponto de citar automobilismo como principal e único objeto; além das ideias citadas, a plataforma poderia ser útil em diversas outras áreas relacionadas, que não precisam encontrar limitação na bandeira do partido (como o próprio afrouxamento das sufocantes rédeas tributárias que mitigam e muito o desenvolvimento da indústria).
    - Ao contrário do que alguns sugerem, não basta "filiar-se a um partido já existente", pois o sistema partidário nacional não privilegia com exclusividade o representante, mas o partido como um todo. Isso quer dizer que uma pessoa bem intencionada, em um partido tradicional, beneficia com seus votos também uma horda de canalhas.
    - O ideário é algo muito importante, e em falta hoje. Todos os partidos políticos de visibilidade são mais ou menos aliados com a situação. Não temos oposição de ideologias como tínhamos antes. Nenhum dos partidos existentes representa mais interesses da população ou mesmo de estamentos específicos do povo.
    - Independentemente de ser ou não partido de elite, o que mais importa é a coerência e a força da ideologia por detrás. O papel do partido não se restringe tão somente a ser degrau para cargo eletivo, mas de fazer oposição, criticar e limitar o desvio de partidos de situação que, se não contrabalanceados, facilmente assumem o controle dos meios de mídia e dominam a opinião pública ao sabor de seus interesses. Autenticidade é algo que não existe mais no "mercado dos votos". Além do mais, elite também vota, especialmente a "elite" da classe média que amargura uma estagnação desgraçada com esta promoção hipócrita das classes C, D e E.
    - Os protestos recentes (e desculpe por repetir este termo genérico) demonstram que a insatisfação é com todo o sistema político, e que o povo vê todos os atuais partidos como farinha do mesmo saco (o povo com mínimo de instrução, diga-se). Linguagens políticas diferentes costumam ter resultados excelentes em tempos de crise (tanto para o bem quanto para o mal; desnecessário citar exemplos).
    - A classe dos automobilistas é muito mais unida do que a média de qualquer classe de interesses em nossa sociedade. Ao menos o é em razão do automóvel. Explorar isto diretamente e de forma diferenciada para este público daria base excelente, como inclusive você esperou ao prever que haveria muita adesão à ideia. É uma fonte de poder ótima para se explorar.

    Mas enfim, estou escrevendo estas observações com um pouco de pressa, mas tenho grande interesse em ajudar nesta empreitada, inclusive dentro daquilo que é meu objeto de trabalho (direito), aqui no sul do Brasil (Curitiba).
    Mantenha-nos atualizado que, quando forem botar as coisas em prática, estarei aqui para ajudar a por o sistema todo em funcionamento, e apoiar com tudo o que for necessário.

    ResponderExcluir
  77. Paulo Ferreira01/09/13 23:37

    Apoio plenamente! Divulgarei a ideia.

    ResponderExcluir
  78. Seria mais interessante se o partido se limitasse a defender os consumidores de automóveis e não se juntar aos fabricantes e aos sindicatos.

    Dessa forma, o partido deveria defender um REAL liberalismo, com abertura dos portos e fim de tarifas para importação de carros novos e usados. Aposto que tem muito cidadão que adoraria comprar um carrão mais barato.

    Outro ponto que deveria ser prioritário seria o combate ao mercado de roubo de veículos e venda de peças roubadas, o que leva os preços dos seguros a preços estratosféricos.

    Campanha pro partido: "Compre carrão de 80 mil por 30 mil e pague mil reais por um seguro de 4 mil"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sindicato? Uuuuuurrrrhhh... arrepia só de ouvir o termo! Já lembra logo a tal central...

      Excluir
  79. Boa ideia ,se acontecer ,claro que terá meu voto ,abraço.

    ResponderExcluir
  80. Dr. Traffic Calming02/09/13 08:47

    Prezado Sharp:

    Há ao menos um comentário acima, ainda não lí todos, que fala de uma ONG/ORG. Talvez seja uma primeira opção, para estabelecimento de uma estrutura, prioridades, metas, exercicio de atividades, potenciais patrocinadores, apoiadores, conhecimento dos "cenários", dos interesses, pressões, das influência/poder das Máfias (do Trânsito em geral, da Sinalização, Publicidade, Prestadoras de Serviços, Vereadores, Senadores, verticalização imobiliária, prostituição, etc. etc.), inimigos potenciais e reais, e por aí vai. E a elaboração de um verdadeiro "Business Plan", porque ORG's e ONG's ou Partidos necessitam de fundos (e que sejam de origem honesta), para sobreviver e crescer.
    Existem alguns exemplos de entidades desse tipo no exterior, creio que algo como Motoristas Responsáveis, Motoristas Conscientes. Vou tentar localizar e encaminho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa! A ONG/ORG vai servir para o amadurecimento da ideologia de um futuro partido, também.

      Excluir
  81. Além das propostas sugeridas, Bob, eu reforçaria uma que o Marco R. A. já citou: sobre a poluição sonora causada por certos "motoristas" que nos obrigam a ouvir as músicas (?) que eles querem. "Gosto não se discute, mas não tente me obrigar a aceitar o seu".

    Abçs,

    Guto Philipe

    ResponderExcluir
  82. Partido progressista-autoentusiasta brasileiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Progressista é um termo excelente também, heim Bob.

      Excluir
  83. Dr. Traffic Calming02/09/13 11:31

    Prezado Sharp:

    Voce sabe que não há atalhos para se chegar à formula 1.

    O primeiro passo para se criar um partido é obter a assinatura de 101 fundadores, distribuídos em pelo menos nove estados. Em seguida, deve-se registrar a legenda no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Esse registro é provisório e se concretiza com o apoio formal da quantidade de eleitores correspondente a 0,5% dos votos dados na última eleição a toda a Câmara dos Deputados, sem os brancos e os nulos. São necessários em torno de 430 mil eleitores para o registro.
    http://www.senado.gov.br/noticias/jornal/cidadania/partidos/not002.htm

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MOLEZA! CONSEGUIMOS ISTO EM MENOS DE UM MÊS! APOSTO QUALQUER COISA! ESTE PARTIDO VAI SER O MAIOR DO BRASIL!!! VAI SER CONTRA DETRAN, VISTORIA, SACANAGEM, ROUBALHEIRA, OS BABACAS QUE FAZEM INSPEÇÃO NOS NOSSOS CARROS E NEM SABEM ESCREVER O O COM O C...! MOLEZA, MOLEZA MOLEZA.

      Excluir
  84. Prezado Bob, Estou contigo e me filio...O resto se discute em assembléias do partido...Quanto as outras causas que o partido deve se preocupar, lembro que toda boa idéia ou movimento nasce de uma causa comum e unãnime a todos os agrupados...Já que também solicitou, sugiro PAS ( Partido dos Autoentusiastas Solidários )

    ResponderExcluir
  85. Bob boa tarde,

    Excelente ideia, coloco-me a disposição para ajudá-los no que for necessário.

    Abraços,

    Passarini

    ResponderExcluir
  86. OFF-TOPIC mas nem tanto:

    Tomara que esse imbecil desse Haddad pague bem caro mesmo:

    http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2013/08/08/faixas-exclusivas-haddad-pode-pagar-caro-pela-ousadia/

    Andre

    ResponderExcluir
  87. Corsário Viajante02/09/13 16:58

    Eu sugiro o nome "Partido da Mobilidade", pois poderia se focar não apenas nos carros mas também na relação deles com outros veículos.
    Gostaria de fazer parte disso no que for necessário.
    ocorsarioviajante@gmail.com
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ia postar exatamente isso. O assunto dos auto-entusiastas é a mobilidade pois os carros não estão sozinhos e nós, além de automobilistas, também somos pedestres, motociclistas, usuários do transporte coletivo e contribuintes, obviamente.
      AAM

      Excluir
    2. Partido Progressista da Mobilidade Brasileira

      Excluir
  88. Postei lá no Blog do Mahar. ( E aqui também. Só para a gente não se esquecer....)

    Mahar; Como inúmeras das coisas aqui, as bôas intenções travestem uma maracutaia, são desvirtuadas no andar da carruagem, apropriadas por todo tipo de malandro querendo algum, etc. Vou te contar minha sina da semana passada; Fui emplacar o Accord e o dito "vistoriador", um moleque imberbe que de carro conhece o mesmo que eu de foguetes que vão a lua, após revirar todo o veículo com a gana dos famintos e não achar nada, vaticinou do alto de sua inatacável posição de autoridade incontestável e juiz:
    -"o senhor VAI TER que trocar a placa trazeira".
    Olhei a placa e perguntei o porque.
    -"Está com desgaste nos números". Olhei os números, absolutamente legíveis, e vi que não fazia sentido. Certamente havia desgaste, mas nada além de um leve esmaecimento, nada mesmo, uma só falha e eram legibilíssimos, como bem comprovam as multas que recebo. Contestei e nem bola. Depois ele completou a sentença:
    "e ano que vem as placas terão que ser reflexivas. Sugiro que o sr se adeque senão vai ter que trocar de novo".
    Sentenciado, saí para cumprir minha pena. Anda, movimenta, pessoal paga duda de emplacamento, tarjeta e lacre e dias depois volto eu. Fila, espera, chega minha vez, entrego o papel e o novo vistoriador sentencia:
    "não vamos poder emplacar o carro do senhor não".
    -Porque?
    -"o senhor pagou um duda de placa traseira reflexiva e a placa dianteira não é reflexiva"...
    -E dai, seu vistoriador?
    -"daí que o senhor tem que pagar outro Duda e trocar a placa dianteira para reflexiva.
    -Tá bem, não quero mais REFLEXIVA! Pode por uma placa normal mesmo.
    -"Posso não senhor. Aqui não damos troco e o duda foi pago com preço de placa reflexiva".
    -Não quero troco rapaz. Pode por a placa.
    "posso não senhor. Este duda só serve para esta placa. Por favor puxa o carro que preciso atender o de trás"...Desolado, saí para cumprir a nova penalidade. Mais trabalho, problema, paga, arruma, volto eu dias depois. O cara olha verifica, e vaticina:
    -"posso emplacar não senhor".
    -Porque?
    -"porque o senhor pagou placa, tarjeta e LACRE e na placa dianteira não tem lacre.
    -Tá bem, ok, não põe o lacre.
    -"Posso não senhor. O duda É DE PLACA DIANTEIRA, TEM LACRE e a gente não dá troco".
    Tirei o carro dali, desci e fui ao supervisor. Expliquei a situação e o cara, depois de se coçar inteiro, chamou um auxiliar lá fora e disse
    -"olha só! Mais uma vez o pessoal fazendo M..... Aonde está na legislação que as placas tem que ser iguais? Tem que avisar esta turma! vamos lá que vou emplacar o carro do senhor".
    Me mandou ao container que faz a placa e o cara da placa sapecou:
    -"olha, a placa dianteira é reflexiva?"
    -Não, falei!
    -"Então nao vai dar para fazer a traseira reflexiva não".
    -Vai dar sim cara! ou vc faz ou chamo teu supervisor que vc não sabe de P... nenhuma! Vai se informar antes de prejudicar os outros!
    O cara se mexeu e mandou fazer a placa trazeira. Voltei para a famigerada linha 15 do emplacamento, FILA e na minha vez o emplacador mandou:
    -"posso emplacar não senhor".
    -Porque?
    -"porque esta placa é trazeira e fizeram ela sem os furos para eu passar o lacre".
    -Larguei o carro ali, travando todo mundo e fui atrás do supervisor. O cara volta, dá um esporro no moleque e manda ele ir no container arrumar a placa. 5 minutos depois ele volta com a placa, emplaca o carro e eu pergunto ao supervisor:
    - E a placa dianteira?
    -Ah, esta não vai dar para resolver. O duda é de placa com LACRE e aqui não damos troco não.....Entra no Detran com o pedido de devolução do dinheiro, paga outro duda SEM LACRE, volta aqui que a gente emplaca......
    Abraços, Mahar!
    MAC.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. jrnasser64@gmail.com03/09/13 00:24

      bob,
      obrigado pela indicação - da qual declino. você sabe, fui funcionário do congresso - por concurso, esclareço para diferenciar -, e não me sinto confortável com o funcionamento intestino dos partidos e seus representantes indiretos. o congresso é uma instituição que avalisa a democracia. seus representantes, em maioria esmagadora, isolam-se dos eleitores, buscando trançar situações, tramar soluções para vantagens para si, para partidos, grupos, agora e no futuro.
      não tenho condições de saber se um partido é a forma ideal de defender nossas idéias, conceitos, critérios, propostas. uma oscip, uma ong devem ser pensados pois podem ter ação idêntica, sem o gabarito administrativo que impõem a todos os partidos, e com isto a todos nivelam com as benesses que, uma vez adotadas, nunca deixadas.
      a síntese da proposta e das respostas entendo, é que cidadãos que pagam impostos e sabem ler, estamos indignados com o poder assumido pela incultura e por deixar um patamar de civilidade - até jurídica e administrativa - por um salve-se quem puder para a tchurma que chafurda nas benesses do poder. precisamos protestar, forçar, ser ouvidos, através de qualquer tipo de organização.
      sou aderente. abraço nasser

      Excluir
    2. MAC,

      Agora você entende porque o desarmamento é para nossa segurança?

      Você já imaginou perder a cabeça por esses idiotas e ter que mofar na cadeia?

      Não há mal que não venha para o bem. Pense nisso!

      Excluir
    3. Pois é...

      Enquanto os bons se afastam da política, os maus a amam.

      São poucos os bons políticos... Muito poucos!

      Excluir
    4. CCN 140; não gastaria bala com um safado destes. Uma coça bem dada e depois quantas mais fossem preciso se o safado continuasse seria minha sugestão. Mas teriam que apanhar todos. Semana passada quase houve isto no detran daqui do Rio de novo. É inacreditável a máquina que montaram lá para FUD... o cidadão! Impressionante! TODOS OS ATENDENTES FAZEM CURSO E PÓS GRADUAÇÃO PARA IRRITAR O CONTRIBUINTE QUE PAGA O SALÁRIO DELES! É IMPRESSIONANTE. E TENTAM PROPINA A TODO MOMENTO. Pode ir de pneu CARECA na vistoria e coloca uma nota de R$ 20,00 no extintor que seu carro passa até largando os pedaços na pista de inspeção!!!! Sou contra o desarmamento com o estado que temos e os bandidos a solta por aí. Absolutamente contra! Entretanto reconheço que armado podemos fazer bobagens. Abs. MAC.

      Excluir
  89. Só diga onde devo assinar, apoio 100% a iniciativa.

    ResponderExcluir
  90. Bob, do ideário do PLA o único ponto que discordo é o uso do diesel para veículos de passeio, vou mais além, deveria ser proibido inclusive para Pick-ups e SUV's de luxo que circulam por ai.

    E redução dos impostos sobre os combustíveis seria bem interessante bem como que a tarifação sobre os veículos usasse critérios mais técnicos do que políticos e que se acabe com a jabuticaba automobilística brasileira chamada carro com motor 1,0l.

    E pelo incremento no nível de segurança dos veículos nacionais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ChAndré
      É claro que tudo isso fica para discussão posterior, mas ninguém pode ser privado do que deseja ter por imposição do governo, caso dos carros a diesel. Esses motores chegaram a um ponto de desenvolvimento e perfeição tal que se criou um problema na Europa: o motorista achar que está dirigindo um carro de motor a gasolina e reabastecê-lo com o produto. Em relação à "jabuticaba" que não é tão jabuticaba como se pensa – há os key jidosha de 660 cm³ – os 1-litro atuais andam como os 1,6-litro de algum tempo atrás e seu desempenho agrada plenamente a muitos, a mim inclusive. Quanto à "segurança" dos carros nacionais, já discutimos isso bastante aqui no AE, trata-se de uma neurose da qual não compartilhamos absolutamente por se tratar de puro marketing (inventado pela Volvo).

      Excluir
    2. Carro é carro, motor é motor, combustível é combustível e o governo que vá fazer política nos quintos dos infernos e desapareça de vez do setor e vá roubar em outra freguesia. Quem define que carro, que motor, que combustível usar é o mercado e não o governo. Simples, prático e democrático. Por isto não funciona no Brasil. BOB, TENTE SEGUIR EM FRENTE! O Nasser tem as razões dele para não participar, mas para ser campeão de F1, futebol, etc, tem que se filiar nos orgãos e começar fazendo o jogo deles.Temos mesmo que fundar um partido, entrar e lá de dentro IMPLODIR o sistema! Os caras já estão se borrando ( OU VC ACHA QUE NÃO ESTÃO LENDO O QUE ESTAMOS ESCREVENDO?) e se este negócio vai a frente vamos ter DEPUTADO,senador, e talvez até presidente! Uma coisa puxa a outra e um partido destes pode mudar a história do país! Tá todo mundo de saco cheio. TODOS VIMOS AS RUAS! Podemos chutar a bunda dos vagabundos todos lá de dentro e DESTROÇAR a máquina de roubalheira dos detrans, multas, reserva de mercado,impostos extorsivos, safadezas de toda ordem, E SABE-SE LÁ O QUE MAIS PODEMOS MUDAR!!! VAMOS CRIAR O PARTIDO QUE O PAU VAI COMER! MAC.

      Excluir
  91. To dentro.

    Posso coletar as assinaturas aqui na regiao de curitiba.
    Tenho amigos em Santa Cataria, Brasilia, São Paulo e no Rio Grande do Sul que vao colobaorar.

    ResponderExcluir
  92. Se quem trabalha às escondidas é ladrão e bandido, o que são então os guardas de trânsito que escondem os radares para multar?

    Tbo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, o que você acha de policiais de prontidão a 50 metros da saída de Campinas na Rod. Bandeirantes, detalhe a rodovia parada no fim de tarde da sexta-feira! CUIDADO PESSOAL, ELES NÃO SE CANSAM DE ROUBAR!!!
      Pergunta, eles não deveriam estar lá na frente trabalhando na causa do engarrafamento??? ATÉ QUANDO ESPERAR?

      Excluir
  93. Jorge Dias Lage03/09/13 18:14

    Prezado Bob Sharp

    Li este artigo com alguns dias de atraso em relação à sua publicação e não sei se meu comentário ainda será relevante, mas o termo "liberal" no nome do partido não me soou bem, se me permite a ousadia. Como sugestão, pensei em Partido dos Automobilistas do Brasil ou Partido Automobilista Brasileiro, ou ainda Partido Autoentusiasta do Brasil (na minha ordem de preferência).

    OBS.: É inevitável ler seus artigos de cunho político, sejam sobre automóvel ou não.

    Abraços e boa sorte na empreitada, pois precisamos.

    ResponderExcluir
  94. Excelente ideia Bob! Apoiado com certeza. Teria honra em trabalhar por esse ideal e ajudar no crescimento do partido.

    ResponderExcluir
  95. Apoiado Bob !!!

    Pelo direito de Ir e Vir com os automóveis que admiramos !

    Seria muito bom se reduzissem o tempo mínimo de 30 para se poder importar um automóvel antigo !

    Rafael F.

    ResponderExcluir
  96. Warley Camurça05/09/13 13:08

    Apoiado! Onde eu assino?
    Unidos colocaremos essa idéia em prática e reforçaremos a esperança de viver em um país que não seja hostil aos carros! (E a motos...)

    ResponderExcluir
  97. .TO DENTRO. MEU CPF PRA REGISTRO...479.759.XXXXX . agora imagine só o trabalhão que o nosso eleito terá pra atender todos so pedidos.....mas a ideia em si é valida, pois somos esbulhados pelas 'otoridades deste pais'........

    ResponderExcluir
  98. Chegando um pouco atrasado, acho que faltou o principal aí na sua listinha:

    Melhorar o trânsito das principais cidades do país. Senão não adianta importar carro, não ter multa, não ter lombada, não ter pedágio, pq daqui a 10 anos Rio de Janeiro e São Paulo não irão mais andar.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.