PEUGEOT 308 CC, NO USO

Fotos: autor


Isso faz uns 20 anos. Era um fim de tarde na fazenda e um parente rico que lá estava hospedado me emprestara um Porsche 911 conversível, vermelho, e ainda dos com motor arrefecido a ar, 2,7 litros; motor que quando em alta emite aquele berro rascante de arrepiar. Não tive dúvidas, chamei a minha mulher e a Na, a mulher do Didú, meu amigo de infância, casal que também lá estava hospedado, e fomos os três brincar com o 911. A Na é essa loira bonita das fotos, e informo que ela adora descer a lenha de conversível. Tinha um Karmann-Ghia quando se casou com o Didú e eu achava bárbaro sair com eles, eu espremido lá na banheirinha de trás, sempre ela guiando, e muito bem, e rápido, e lenha da boa.

Pegamos o 911 conversível e tocamos para a estrada completamente vazia, dessa vez a Na é que foi espremida atrás; espremida mas nem aí, pois ela bem sabia que a coisa ia ser do jeito que ela gostava. O 911 deu o que tinha, algo em torno de 230 km/h, minha mulher quase apavorando, enquanto a Na ia rindo às gargalhadas e mandando descer lenha sem fim. Lembro bem de com o rabo de olho ver seus cabelos loiros espadanando ao vento, Bela cena, belo fim de tarde, boas companheiras.

E foi ao abrir a capota do Peugeot 308 CC lá nas alturas do Pico do Jaraguá, nas cercanias de São Paulo, que de estalo me lembrei dessa tarde e me toquei que desde então eu não levava a Na para umas voltas de conversível. Era domingo cedo, friozinho, céu aberto, eu sozinho. A Na e o Didú moram na Granja Viana, no município vizinho de Cotia. Toquei pra lá de capota arriada – se bem que neste caso não se deveria dizer arriada, mas sim enfiada no porta-malas, pois é só apertar um botão que em coisa de 20 segundos a capota rígida dá uma de robocop – zuinng, zuung – e se encaixa no porta-malas. Moleza.
A Na e o Didú de conversível
O 308 CC é mesmo uma delícia de carro. Não é um esportivo nervoso, duro. É calmo e suave, mas é um esportivo rápido. Anda bem e tem um chão excelente, dos melhores; seu comportamento nos lembrando muito o do seu irmão RCZ, por nós já testado e aprovado. E tinha mais é que lembrar, pois a mecânica é praticamente igual, tendo mesmo motor e mesma suspensão, com pequenas diferenças na distância de entre-eixos, sendo o do 308 CC 7 mm menor. O 308 CC é também 170 kg mais pesado, pois o 308 CC, sendo um conversível, recebe reforços suplementares na estrutura para manter a rigidez torcional.

Passeio a quatro

O RCZ é mais rápido, sim, pois esse peso suplementar do 308 CC se faz sentir, porém... porém... essa regalia de poder baixar a capota é uma regalia das boas. Tanto ela vale, que a caminho matutei sobre isso e acabei concluindo que se eu não estivesse de conversível eu não estaria indo visitar o casal amigo, e indo de surpresa, sem avisar. Estivessem eles em casa ou não, por eu estar de conversível valia o passeio. E por incrível que pareça essa regalia vem junto com um desconto. O 308 CC custa menos que o RCZ; e não me perguntem por quê. Ele custa R$ 122.990,00 e o RCZ, R$ 129.000,00. 

O motor é o nosso já conhecido, bom e versátil 1,6 turbo THP 165, 16 válvulas, que rende 165 cv a 6.000 rpm e 24,5 m·kgf entre 1.400 a 4.500 rpm, que também equipa, por exemplo, Citroën DS3, DS5, C4 Lounge, Peugeot 3008, 408 etc. Esse motor é realmente um achado, pois atende perfeitamente bem a uma enorme gama de modelos diferentes. Pegada desde baixa, parrudo, retomada excelente, silencioso, funcionamento suave, econômico. Vale notar que no DS3, ele – devido ao menor peso do carro e também ao câmbio manual – gasta bem menos combustível, tipo 10 km/l na cidade e 14 km/l na estrada. O 308 CC gastou em média, na cidade, ao redor de 7,5 km/l e na estrada ao redor de 10 km/l, gasolina, segundo o computador de bordo, o que também não é muito, principalmente em vista do desempenho que oferece. O prazer proporcionado pelo 308 CC, ainda mais pela aragem da capota arriada, nos diz que essa é uma gasolininha bem gasta.

Bancos excelentes, acabamento ótimo

Na Europa há uma enorme gama de motores, desde um a diesel ao mesmo motor a gasolina, só que com outra configuração, que o faz render 200 cv. E lá fora também se pode optar pelo câmbio manual. Aqui, só automático. Essa restrição de opções, fora a questão marqueteira, é devido à necessidade de homologar cada modelo e sua versão de câmbio no Denatran, já que a nossa gasolina difere da deles, a nossa é “batizada” com álcool, e cada homologação custa uma baba.

Faz o 0 a 100 km/h em 9,8 segundos e atinge máxima de 212 km/h, segundo a Peugeot. O RCZ só o supera na aceleração; faz o 0 a 100 km/h em 8,4 segundos. Suas máximas são iguais.

Gráfico do torque e potência do THP 165

Já citamos aqui a boa característica que muitos desses novos motores turbo proporcionam. Sua pegada em baixa corresponde à de motores aspirados de maior potência. Este tem 165 cv, mas a pegada inicial nos parece vir de um aspirado de 200 cv. Isso provém do alto torque produzido logo em baixa, o que resulta em alta potência disponível desde baixa também. Como se pode ver pelo gráfico acima, o torque máximo de 24,5 m·kgf é um patamar que vai desde baixíssimas 1.400 rpm a 4.000 rpm, o que resulta que a 1.400 rpm já haja ao redor de 50 cv empurrando. A 4.000 rpm esse motorzinho de 1,6 litro está produzindo ao redor de 145 cv. Chega a ser inacreditável um motor dessa cilindrada produzir tanta potência em tão baixo giro. Isso sem contar com o overboost, que é quando se atola o pé no talo, acima de 95% do curso, e daí, automaticamente, por 20 ou 30 segundos vem uma pressão extra do turbo, o que resulta num salto do torque para 26,5 m·kgf, como mostra a linha pontilhada do gráfico. Esse overboost só é acionado nessa faixa intermediária de rotações, portanto, não influi na potência máxima; só aumenta a potência instantânea naquela faixa de rotação. Na prática é pegada deliciosa, resposta pronta e poderosa.

Rodinhas que acionam o sopro quente na nuca e botão que aciona o abrir e fechar da capota

Na estrada o 308 CC se mostra muito estável, sempre pregado no chão e pronto a seguir sem balanços para onde o apontamos. E ele tem suspensão macia, confortável, usável no dia a dia, sem problemas. Fora que os bancos são o supra-sumo do cuidado com a ergonomia, regulagem elétrica da posição, aquecimento de assento, e com uma detalhe extra dos bons: logo à nossa nuca há uma saída de ar quente. E esse sopro bem que funciona em dias frios com a capota aberta, constatei isso. Resumindo, com o 308 CC dá para viajar sem capota mesmo num frio de rachar, o que é bem gostoso. A 120 km/h, em 6ª marcha, o giro vai a baixas 2.600 rpm.

Atrás cabem dois adultos, como a foto mostra, já que o Didú está sorrindo, e ele mede uns 1,77 m. Adultos cabem bem quando a capota está arriada, dá até para viajar assim, na boa, mas com a capota levantada a cabeça encostará no vidro traseiro. Daria para dois casais irem até um restaurante próximo, por exemplo, mas viajar, não. Já crianças, até as grandinhas, vão muito bem.

Bons freios, não se preocupe

O 308 CC me chamou a atenção quando li uma reportagem em que a jornalista que o testou afirmava que ele ficava arisco de traseira quando estava de capota arriada, ou seja, com ela no porta-malas. Achei um absurdo a afirmação e ao testá-lo pude confirmar o óbvio: não muda nada. O comportamento é o mesmo, sempre bom, sendo um dos melhores entre os de tração dianteira, confiável, previsível, e para arrematar pesei-o no local onde trabalho, onde há uma balança aferida de caminhão, coisa que volta e meia faço com os carros que testo. De tanque cheio, 60 litros, ele pesou 1.590 kg. Com motorista ao volante e capota levantada a distribuição de peso ficou com 42,6% na traseira. Com ela arriada, 44,4%. Resumindo, quando arriamos a capota há uma transferência de peso de 29 kg do eixo dianteiro para o eixo traseiro, portanto, desprezível. Cito essa infeliz reportagem para que injustiça não seja feita, pois difamação é coisa que corre feito rastilho de pólvora, só isso. Portanto, lenha igual no 308 CC, seja com ou sem capota.

Capota no porta-malas e ainda sobra espaço

É claro que o 308 CC, por ser um conversível de grande área aberta, não tem a rigidez estrutural de um cupê, mas ele é bem rígidoi, nada de painel chacoalhando, nada que interfira em seu comportamento, e ele é silencioso mesmo em piso bem ruim.

Grande área aberta, mesmo assim tem boa rigidez de chassi

Para o meu gosto, o que me faltava era poder baixar mais o volante, que mesmo em sua posição mais baixa ainda não ficava totalmente no meu gosto. O Bob não reclamaria disso, com certeza. Para o jeito com que ele se ajeita, estaria muito bom, mas eu reclamo. Uma coisa que gostei bastante é que ao apertar de um botão a tela multimídia se dobra e some no painel. Quando dirijo, gosto de dirigir. De tela de informações me basta esta aqui do computador. Mas isso sou eu. Para quem gosta a tela traz um prato cheio de recursos distrativos.  Assim sendo, do modo que está se atende a gregos e troianos.

O câmbio automático de 6 marchas atua com perfeição. No console há uma tecla S que o deixa mais esperto, com reduções mais imediatas e a menores solicitações do acelerador, assim como também retém mais as marchas quando retiramos o pé do acelerador. Trazendo a alavanca para junto de nós ele entra no modo manual seqüencial, com troca ascendente quando acionada para adiante e redução, quando para trás. No painel há um botão onde se pode desligar o controle de tração, coisa recomendável quando estamos numa pista, num autódromo, pois assim se evita desagradáveis cortes abruptos de aceleração nas saídas de curva, quando muitas vezes, propositalmente, damos motor um pouco acima da capacidade de tração. Nas estradas, na prática, não há utilidade alguma em desligá-lo, pois não é lugar para se exigir tanto assim de um carro.

O eficiente 4-cilindros, agradavelmente valente, um verdadeiro leão

Enfim, me rendi aos encantos desse conversível de 2+2 lugares. Achei seu conceito muito bem bolado, pois é versátil. Um só carro que é capaz de atender, e muio bem, a muitos desejos, desde ir, com um elegante cupê, para o trabalho a pegar, com um conversível de quatro lugares, uma boa estrada no fim de semana.

Conversíveis convidam a passear

 A Na adorou. Capota arriada, vidros todos baixados – corri bastante com ela, dei boas aceleradas, curvei boas curvas e ela tomou a ventania que tanto lhe agrada. O Didú lá atrás não falava nada, só sorria. Um tranqüilo cafezinho na Granja Viana coroou o passeio com esse casal que tanto, e por tanto tempo, amo. 

Um pequeno vídeo dele abrindo e fechando a capota:





FICHA TÉCNICA PEUGEOT 308 CC

MOTOR
Tipo
Quatro tempos, gasolina, turbo com interresfriador
Localização e posição
Dianteiro transversal
Diâmetro dos cilindros/curso dos pistões
77 x 85,8 mm
Cilindrada
1.598 cm³
Taxa de compressão
10,5:1
Potência máxima
165 cv a 6.000
Torque máximo
24,5 m·kgf de 1.400 a 4.500 rpm; overboost, 26,5 m·kgf
Material do bloco/cabeçote/cárter
Alumínio
N° e arranjo dos cilindros/arrefecimento
Quatro em linha/líquido
Localização do comando de válvulas
Cabeçote
Nº de árvores de comando de válvulas / acionamento
Duas / corrente
N° de válvulas por cilindro/localização/atuação
Quatro/cabeçote/indireta por alavanca-dedo roletada
Variador de fase
Na admissão
Coletor de admissão variável
Não
Formação de mistura
Injeção direta
TRANSMISSÃO
Câmbio
Transeixo dianteiro automático epicíclico (Aisin AT6) com trocas seqüenciais pela alavanca
Controle de tração/bloqueio de diferencial
Sim/não
N° de marchas à frente/alavanca
Seis / assoalho
Relações das marchas (:1)
1ª 4,15; 2ª 2,37; 3ª 1,56; 4ª 1,16; 5ª 0,86; 6ª; 0,67; Ré 3,39
Relação de diferencial (:1)
3,87
SUSPENSÃO
Dianteira
Independente, McPherson, braço triangular, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora; subchassi
Traseira
Eixo de torção, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barrra estabilizador integrada
DIREÇÃO
Tipo
Pinhão e cremalheira
Relação/assistência
N.D./eletroidráulica
Diâmetro do volante (mm)
380
Voltas entre batentes
2,9
Diâmetro mínino de curva entre guias (m)
11,1
FREIOS
Servoassistência/tipo
Sim/a vácuo
Controle
ABS, EBD e auxílio à frenagem
Dianteiros
A disco ventilado, Ø 283 mm
Traseiros
A disco, Ø 249 mm
SISTEMA ELÉTRICO
Tensão nominal
12 volts
Gerador
Alternador
CARROCERIA
Construção
Monobloco, subchassi dianteiro, conversível, 2 portas, 2+2 lugares
DIMENSÕES EXTERNAS
Comprimento
4.440 mm
Largura
1.817 mm
Altura
1.426 mm
Distância entre eixos
2.605 mm
Bitola dianteira/traseira
1.525/1.520 mm
DESEMPENHO
Aceleração 0-100 km/h
9,8 s
Velocidade máxima
212 km/h
CONSUMO DE COMBUSTÍVEL
Urbano
8,2 km/l (12,2 l/100 km)
Rodoviário
12 km/l (8,3 l/100 km)
RODAS E PNEUS
Rodas
Alumínio, 8J x 18
Pneus
225/40R18W
CAPACIDADES E PESOS
Porta-malas
226 litros, 403 litros com o banco traseiro rebatido (VDA)
Tanque de combustível
60 litros
Peso em ordem de marcha
1.530 kg
GARANTIA
Termo
3 anos
MANUTENÇÃO
Revisões e troca de óleo do motor
A cada 10.000 km ou 1 ano




EQUIPAMENTOS PEUGEOT 308 CC

Acabamento interno com liga leve e preto brilhante no painel
Acionamento elétrico dos vidros em 2 toques
Ajuste de altura e distância do volante de direção
Ajuste elétrico dos bancos dianteiros
Ajuste elétrico dos espelhos ext. com repetidoras indic. direção.
Aquecimento de pescoço
Arco de proteção oculto dentro da estrutura
Ar-condicionado automático 2-zonas c/ saída banco traseiros
Áudio com rádio AM/FM/toca-CD, MP3, e cartão mídia digital
Bancos revestidos em couro
Bluetooth que inclui transmissão de música
Bolsas infláveis frontais
Cinzeiro dianteiro
Computador de bordo (velocidade média, consumos e autonomia)
Conexão externa para iPod, auxiliar e USB
Controle de áudio no volante
Controle de estabilidade e tração
Descansa-braço dianteiro central
Dez alto-falantes
Espelho interno eletrocrômico
Faróis e luz traseira de neblina
Fixação Isofix
Iluminação no porta-malas
Limitador de velocidade e controle de cruzeiro
Luz de leitura dianteira
Navegador GPS
Pára-choques e defletor traseiro na cor da carroceria
Pára-sóis com iluminação
Retrovisores externos dobráveis eletricamente
Sensor de chuva
Sensor de distância traseiro e dianteiro
Tela multifuncional escamoteável elétrica de 7 pol.
Terceira luz freio, luzes diurnas e traseiras a LED
Termômetro do ar externo
Teto rígido escamoteável e armazenado no porta-malas
Tomada 12 V na dianteira
Travamento central remoto e travamento de portas automático


 

68 comentários :

  1. Excelente post, delícia de leitura para o domingo, Arnaldo. Não gosto muito do design deste carro achava a traseira do 307CC mais bonita, mas hoje em dia o design dos carros está assim ultrarrebuscado. Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Se não fosse apenas a opção de câmbio automático e preço nas alturas (no meu ver), para mim, seria uma ótima opção de semi-novo, mas claro que num futuro bem distante (afinal de contas bancar um carro desses, ainda que em excelente estado, o ideal é que haja uma certa folga financeira, pois peças para franceses costumam ser caras).

    De resto, é um carro ergonômico e bom de chão, aspectos importantes para mim ao analisar um carro. Só faltou um câmbio manual e, um opcional mapeamento para 200cv.

    Mendes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também não vou comprar porque não tem câmbio manual, vou esperar, talvez incluam no ano que vem, que por sinal é a data da última prestação da minha Scenic.

      Laerte

      Excluir
    2. PEÇAS CARAS?! Troquei a suspensão do meu peugeot 307cc com peças originais e foi muito barato
      se precisar de peças entre em contato comigo rspadim@gmail.com

      Excluir
  3. Belo post. Muito bom o 308CC. Se, com este mesmo motor, o hatchback argentino possuísse esta qualidade de montagem, seria imbatível no segmento.

    ResponderExcluir
  4. Um dos conversiveis mais bonitos de hoje e igualmente muito bom na parte mecanica, com o que a Peugeot conta com experiencia acima do normal por sempre ter tido esse tipo de carro em linha e em grande volume de vendas (como 206 e 207 cc).

    Confirmo que fica bom mesmo de capota abaixada, mas tem motor melhor que esse pra ele e cambio idem. O peso dele pede outro motor e uma tocada mais pra curtir o passeio, embora seja bom na lenha.

    Carro que espero que fique com quem merece no lugar de virar mais um importado estragado e desvalorizado daqui um tempo ou ainda que seja comprado apenas por quem quer se mostrar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o cambio é bom, aguenta 44kgf, o motor não chega a 30kgf, se quiser mudar o turbo da, e é um belo turbo twin bmw que aceita uma pressão muiito maior, é só ver o RCZ esportivo com 200cv

      Excluir
  5. 9,8s o 0-100?! Pô, lerdinho hein! Pena que vivemos na ditadura do câmbio automático e não temos a opção de manual. Gostaria de um desses como 2° carro. Parabéns pela avaliação bem imprevisível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha de novo, ainda bem que bloquearam meu outro comentário. Não tem câmbio manual, um clássico do AE. Efeito Zelig kkkk

      Excluir
    2. Não houve nenhum bloqueio de comentário hoje (25).

      Excluir
    3. Eu que excluí, Bob. Um leitor mal educado execrava o outro. Um comentário totalmente indelicado e dispensável.

      Excluir
    4. Deve ser o comentario do sr. que cada vez que reclamam da falta de cambio manual, responde dizendo que quem pode comprar num reclama disso. E igualmente quando reclamam de mais cores ou coisa do tipo. Estranho que quando aparecem mais cores os `ricos` compram e quando tem escolha de manual ou automatico idem.

      O 307cc tinha as duas escolhas e mais cores trazidas para o Brasil e vendia em ambos os modelos. Nem precisa dizer quanto melhoraria o desempenho com cambio manual e o automatico ficaria para quem busca apenas uma tocada pra curtir. O comprador desse carro com certeza de divide entre esses dois grupos e certamente gostaria de escolher que cambio ter.

      Daqui a pouco pra escolher cor ou cambio vamos ter que procurar em carros de 200 mil ou mais, pois nos de 100 nos limitaram ao preto/prata com cambio AT e o povo ainda aplaude.

      Excluir
    5. Anônimo,

      a maioria tende ao comportamento de rebanho. É mais fácil, é só copiar, não tem que pensar, decidir por conta própria. Assim se sentem felizes e "la nave vá".

      Excluir
    6. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    7. A Peugeot poderia manter o coupé com câmbio automático e experimentar o mercado brasileiro com o conversível na versão de câmbio manual, já que o valor é até mais baixo para o consumidor.
      Quem compra um conversível geralmente terá o carro como segunda opção para a rotina, deixando ele mais para o fim de semana onde, teoricamente, não se enfrentam tantos engarrafamentos que justifiquem o câmbio automático - ao passo que poucos topam enfrentar uma marginal em São Paulo com a capota guardada no bagageiro, para ir trabalhar.

      Excluir
    8. AK, pior que acham que o comportamento de rebanho cai bem ainda por cima, coisa de gente que `pode comprar` um carro desses. Poder comprar um carro nesse valor com comportamento de rebanho que complica.

      Como o JT comenta, a escolha pelo manual num carro desses faz sentido mesmo para quem `pode comprar`. Mas somos refens de `intelectuais` como esses trabalhando nas fabricantes que hoje decidem que o brasileiro pode apenas ter uma escolha de cambio ou cor. Isso porque ele `pode comprar`. Os franceses, muito mais pobres, escolhem entre umas 10 possibilidades de motor-cambio-cores. Deve ser porque `nem podem comprar`, disponibilizam outros cambios e motores apenas pra fazer de enfeite.

      Excluir
    9. Antônio Martins28/08/13 14:21

      Anônimo26/08/13 14:09

      Na europa sempre preferem manual a automático de conversor por causa do menor consumo. O mesmo vale pela preferêncial aos Diesel. Carro de dois pedais mais bem aceitos só começaram com a vinda dos automatizados.

      As fábricas fazem pesquisa de mercado, não é decisão sem base. Tanto que aqui mesmo todos que preferem caixa manual não iriam comprar mesmo que existisse à venda.

      Excluir
    10. Mas sempre teve escolha do automatico na europa apesar desses estudos, que nem sempre tem muita idoniedade. Vez ou outra simplesmente querem trazer menos modelos ou cores para gastar menos, embora uma pesquisa mais profunda revelaria que teria sim comprador pra outros modelos.

      Quando o tal do prata e preto iniciou, se fizessem uma pesquisa, quantos diriam que comprariam apenas essas cores? Nos anos 90 se vendia Gol 1.0 em cores como verde metalico em grandes numeros aqui. Apenas depois de anos de imporem preto e prata, criou o efeito tostines e hoje sim poucos comprariam cores `diferentes`. Mesmo assim, basta uma cor nova agradar e ser colocada como `da moda` pra vender bem (como o branco). As pesquisas diriam que branco, especialmente em carro caro, jamais venderia bem.

      Se 60 ou 70% dos compradores preferem automatico, ainda assim 30 a 40% comprariam o manual. Mas vender apenas o automatico fica mais facil, simples assim. Sabem que aqui fica mais facil convencer esses 30 a 40%, uma grande porcentagem de compradores, a comprar o que tem do que trazer o que eles querem. Fora daqui, com a concorrencia, simplesmente iriam perder esses 30 a 40% de clientes.

      Como disse, o 307cc tinha ambos, manual e auto. Ambos venderam igualmente bem, se encontra no mercado de usados quantidades similares dos dois. E ainda por cima tinha algumas cores a mais, que igualmente venderam bem. Se acha com facilidade um 307cc vermelho, por ex.

      De repente, apenas uns 3 anos depois, sendo um carro muito parecido, custando quase o mesmo, tendo mercado igual e equipamentos quase iguais mudou tanto assim o perfil do comprador? Eu duvido.

      Excluir
  6. Nada como uma boa amizade.

    McQueen

    ResponderExcluir
  7. Coisa linda. Carro fino para pessoas finas!
    Só nao gostei dessa história de vento quente na nuca. Isso e perigoso!
    Jorjao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda mais ser for bafo e nao necessariamente vento, hehe.

      Excluir
  8. Eu queria ver o Fusca Conversível em terras tupiniquins

    ResponderExcluir
  9. Belo passeio com esta máquina Arnaldo! Só uma dúvida, ele possui algum comando em que o overboost atua de forma contínua, ou ele dura apenas estes 30 segundos? caso seja temporário, teria que se forçar a aceleração para que o aumento de torque dure por mais tempo? Me parece que a função overboost do bravo t-jet é contínua após apertar o botão no painel.

    Jefferson

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jefferson,

      O overboost dura só esse tempo, mesmo mantendo o pé no talo. Quando o overboost desliga vc não sente, pois a potência está alta, e ele continua acelerando igualmente até a mudança de marcha. Não há um botão, como nos Fiat, que eleva a pressão direto.
      É diferente desse sistema dos Fiat.
      De qualquer modo, funciona e muito bem. Não é canhão de escurecer a vista na arrancada, e não é essa a proposta do carro. Mas, olhe, ele viaja rápido o bastante para que ninguém reclame, só o guarda...

      Excluir
  10. Bob e Arnaldo,

    Notei que esse motor possui mesmos curso e diâmetro do E.Torq 1,6 litro, teriam eles alguma "raiz" em comum ou é mera coincidência?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Douglas
      A Tritec Motors, em Campo Largo, PR, era uma joint venture BMW e Chrysler formada em 1997, para produzir motores de 1,4 e 1,6 litro, para uso pelas duas fabricantes. A capacidade era de 400.000 motores por ano. Mas no ano seguinte a Daimler-Benz comprou a Chrysler, surgindo a DaimlerChrysler. Briguentos como os alemães são, foi inadmissível para a BMW ter um negócio no qual a arqui-rival Daimler-Benz (agora DaimlerChysler) era sócia, e pulou fora da sociedade. Em 2007 a DaimlerChrysler vendeu toda a operação Chrysler para o grupo americano Cerberus LLC, por 7 bilhões de dólares, depois de tê-la adquirido 9 anos antes por 35 bilhões de dólares (!). Em 2008 o Grupo Fiat, pela FPT Powertrain Technologies, comprou a Tritec da Chrysler, a Tritec foi liquidada e nas mesmas instalações a FPT passou a produzir motores 1,6 e 1,8-litro (1.747 cm³) para veículos Fiat, quando em 2010 cessou o contrato com a GM para adquirir os motores 1,8. Portanto, não é mera coincidência que os motores 1,6 THP (BMW-PSA) e o o E.torQ 1,6 tenham os mesmos diâmetro e curso. Mas há coincidência, sim, nesse campo. Motores Honda e Chevrolet 2-litros são de 86 x 86 mm. E a coincidência – ou não? – que já falei do motor 3-cilindros do Fox BlueMotion ser de 74,5 x 76,4 mm e o do DKW ser 74 x 76 mm, que não teve outro motivo senão o VW deslocar 999 cm³, ligeiramente maior que os 981 cm³ do DKW.
      O erro no curso do motor THP 165, 85,5 mm em vez do correto 85,8 mm, foi meu, pois usei a planilha Excel do 308 THP, que tinha o erro, e este se repetiu no CC. Ambas as planilhas já estão corrigidas, a do post também, e chequei todas as outras, que estavam certas. Foi bom você avisar e parabéns por descobrir a coincidência E.torQ 1,6-THP 165. Eu não havia percebido.

      Excluir
    2. Vocês que tem mais acesso, gostaria de saber se o 308/408 também tem essa sobrepressão temporária, pois no site da Peugeot ela não consta nem para o 308 CC

      Excluir
    3. O 308/406 não têm o recurso, certeza.

      Excluir
  11. Arnaldo, só uma correção, o curso é 85,8 mm e não 85,5, note que com 85,5 mm nem bate com o deslocamento do motor.

    ResponderExcluir
  12. Esse motor tem uma pegada excelente, será meu próximo motor, o carro é que ainda irei decidir, 408/508/3008/C4 lounge/DS5. De preferência usados com baixa quilometragem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esqueceu da melhor opção com esse motor, o 308 THP (o texto também omite o hot hatch).

      Ótimo carro, tenho um e é só alegria.

      O consumo na cidade é menos que os 7,5 km/l (convertam pra l/100km se quiserem), mas na estrada impressiona a economia (não pelo custo, discutir economia em carros top é non-sense, mas pela sensação de eficiência do conjunto motriz).

      Excluir
    2. Mauro
      Eu iria de Citroen DS3 , sem duvida. Se vc nao precisa de muito espaco e gosta de esportivos , julgo a melhor pedida. Alem do mais e um carro muito bonito.
      Mas cuidado na hora da compra. Por ser esportivo, ha muito carro ralado mesmo com baixa Km.
      Se precisar de espaco, tiver familia com filhos fique com qq um dos outros.

      Excluir
    3. Anônimo26/08/13 08:41
      Belo carro voce tem.
      Enjoy!

      Excluir
    4. Anônimo, o DS3 só não tem um grande porta-malas, mas espaço para 4 adultos ele tem, sim. Viajam 4 numa boa.

      Excluir
    5. Vou nesses que falei, pois preciso de espaço. Dirigi o 308 thp e fiquei impressionado com o rendimento. Sem dúvida ele é a melhor opção.

      Excluir
    6. Mauro, sem dúvida. Cada um precisa de um tipo de carro. Em casa sempre tem que ter uma perua. O 308 é um bom conjunto, sim. Bom proveito!

      Excluir
  13. Ainda que não sejam do meu estilo preferido, esse 308 CC é a prova de que poucos nesse mundo conseguem fazer bons carros de passeio como os franceses, goste ou não deles. Uma bela máquina para abaixar a capota, e dar umas voltas tranquilamente (ou nem tanto às vezes) com boas companhias!

    ResponderExcluir
  14. Um belo carro. Aliás, a Peugeot está dando um upgrade na linha muito interessante. Ando de olho no 308 e na sua versão sedã...

    ResponderExcluir
  15. Se pudesse comprar um também gostaria do câmbio manual, mas compraria do mesmo jeito sendo o automático a única opção.
    Nesse tipo de veículo, no qual pesa a exclusividade, a falta de um amplo leque de opções não costuma constituir um problema. Quem compra um carro desses, o faz por causa da capota conversível, e não por causa da imensa gama de cores, ou do tipo de câmbio, ou ainda da quantidade de motores disponíveis. Mais ou menos como o típico comprador de uma picape: ele olha primeiro para a caçamba e depois para o resto. Por falar em motores, dificilmente o sujeito que dirige um conversível o faz esportivamente. Se bem que o 308 pode assumir a função de um cupê, tanto é que os mais desligados, ao vê-lo com a capota fechada, muitas vezes nem se dão conta que se trata de um conversível.
    AK, como é o comportamento com a capota fechada? Faz algum ruído, entra vento...

    Fiquei aqui imaginando essas rodas no meu 206...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CSS,

      Não acho que seja bem assim, senão a Peugeot não se daria ao trabalho de projetar e produzir com todas essas opções de motores, além de câmbio também manual.
      E carro conversível É para ser dirigido esportivamente.
      CSS, dessa vez a gente não está concordando, não.

      Excluir
    2. CSS,

      faltou te responder sobre capota fechada. Não notei zumbido de ar algum. Tudo muito bem isolado.

      Excluir
  16. Mais um belo texto, Arnaldo !

    Entre este e o RCZ, eu acho este carro muito mais bonito e harmonioso, o RCZ me parece que falta algum apelo maior, embora seja um belo carro.

    ResponderExcluir
  17. Excelente post, como sempre! Parabéns.

    Billy

    ResponderExcluir
  18. Arnaldo, sabe dizer o ano/modelo desse 308CC que você testou? Pergunto porque um amigo do Clube Peugeot tinha um 408, foi trocar por um 308CC, 13/14, e cancelou a compra (depois de um mega rebuliço) porque no site dizia que o carro tinha faróis de xenônio, bancos com regulagem elétrica e o "sopro" de ar quente nos bancos. Quando ele foi ver o pedido do carro, ele não tinha nada disso, e o gerente informou que realmente tinham sido retirados esses equipamentos.

    De todo modo, se a Peugeot realmente fez isso, bola fora dela (como várias outras que ela dá, e isso vindo de um fã da marca). Se foi vacilo do gerente, aí é esperado...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mai uma para a colecao de reclamacoes da Peugeot!

      Excluir
    2. Então provavelmente o imbecil do gerente é que deu uma bola fora. Esse meu amigo já tava com o carro quase comprado, já tinha dado o sinal e o pedido feito, mas o gerente o tratou tão mal (chegou a gritar com ele, inadmissível), que ele cancelou a compra e comprou um Lancer Sportback.

      Pelo visto, mais uma cag*** da rede desinformada de concessionárias da Peugeot.

      Excluir
  19. Talvez seja por conta da minha desatualização dos números, mas desculpe o palavrão, PQP!!! 26,5 kgfm em um motor 1.6??????!!!!!!!!! Que evolução monstruosa. É quase o torque do Opalão 6 bocas...Gostei desse motorzinho.

    H

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim mas so consegue isso gracas a adocao de turbo compressor.
      Todo carro com turbo produz muito mais torque e potencia que um na mesma cilindrada aspirado.
      A grande vantagem dos turbos atuais (turbinas pequenas) e gerar esse torque e potencia ja em baixas rotacoes e de forma suave.
      Sem mais

      Excluir
    2. O 1.4 da VW bate 25,5 e o nosso T-Jet nas mão da Abarth bate 27,5...todos 1.4 lembrando rsrsrsrsrsrsrs

      Excluir
  20. Gostei do estilo e do fato de ser conversível. Aqui era para ser o país dos conversíveis com esta orla deste tamanho, serras, matas e paisagens de tirar o fôlego!Imagine um passeio aqui no Rio,inverno, dia de sol, céu azul, começa na praia e sobe a serra para um almoço em temperatura Europeia(infelizmente os dementes me classificariam de bandido no primeiro bafômetro por ter tomado um vinho, de leve, com minha esposa, como faço a mais de 20 anos, sem qualquer problema). Pois justamente é o que menos tem.E se tiver, chama tanta atenção que mesmo quem quer ter fica meio sem graça. Típico de Brasil, na contramão do mundo, principalmente do automóvel. As marcas de desempenho não pareceram boas, já que vc citou "esportivo", mas como dizem em áudio High End, se vc não ouviu vc não tem uma opinião, portanto..só dirigindo! Mas dá para inferir que o citado motorzinho sofre e sente muito o acréscimo de peso. Me faz pensar este motor no sedan carregado...Vai sentir e muito....Milagre e almoço grátis não existem mesmo. Ainda baseado nos números, entendo como exagerado o peso e consumo! Imagine! Um carro deste tamaninho, motorzinho 1.6, mal cabem dois na frente (to falando de pessoas altas, AK, vc não se inclui! Além do mais vc tem um invejável porte esguio!)e atrás só cabe anão e criança! Com 1580 kg de peso (190 menos que um Omega) e o mesmo consumo do 3.6 L de 292 Cvs!! Não resisti! Tive que comparar extremos para explicar os números! O preço é um assalto, como o são a maioria dos demais carros aqui vendidos. Mas roubar neste país é lei e os fabricantes de automóveis, importadores e governo se esmeram em cumprir esta, que a eles interessam. Quanto ao "chão", quem é que falava mesmo que "Tração só traseira."?? Neste carro e em muitos, mas muitos outros, com honrosas e raríssimas exceções,a tração traseira não faz a menor diferença....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na frente cabe sem problemas pessoas altas ou maiores, atras que complica.

      Excluir
    2. O pessoal nao gosta de conversivel , aqui no Brasil , pois tem medo de assalto!

      Excluir
    3. Anônimo,

      Tenho absoluta certeza que você e sua esposa fariam uma viagenzinha muito agradável e, se desejassem, rápida, à serra com o 308 CC.. Eu recomendo, ou, melhor, lhes desejo.
      Apague a má impressão que teve, pois em nenhum momento eu passei isso no post. Talvez você tenha lido já com algum preconceito, o que é ruim, pois você acaba entendendo o que quer e não o que está escrito.
      Por sinal, o amigo Didú do post é expert em vinho. Tem seu site a respeito e até há pouco tinha um programa de TV. Volta e meia ele me serve umas taças de uns vinhões aí, caros, e é como dar pérola aos porcos, pois tomo na talagada que nem índio.

      Excluir
    4. Tenho um Peugeot 308 CC, e o carro é só alegria. Fico perplexo como pessoas emitem opinioes sem ter dirigido o carro. O carro vale cada real que paguei ... Já tive muitos carros, e nenhum me deu tanto prazer em dirigir como este 308 CC. O Carro anda bem, faz curva como poucos, economico, silencioso, pode ser coupe ou conversivel, cambio 06 marcas automatico, carrega 04 pessoas, um baita som com Caixas JBL, sensores dianteiros e traseiros. Recomendo esse carro, a reportagem é honesta, e tudo relatado é a mais pura verdade. Este carro me surpreendeu, pois só vejo gente reclamando de carro frances. Mas não é justo algumas opinioes deste carro frances com coracao alemao.

      Excluir
    5. Prezados AK e anônimo das 17:32; Sim, confesso que li o artigo com certo preconceito de carro Francês, como sempre! Talvez pelo velho ditado que diz que existem três maneiras de se fazerem as coisas: a certa, a errada e a Francesa. Ditado Inglês, que os bárbaros não iriam deixar barato..Bobagem! Ou talvez pelo passado deles aqui que não sou só eu que falo..Muito bom para eles saberem que temos memória e que não podem chegar num país, fazerem o que quiserem, darem no pé e depois voltarem com a cara mais lavada e querer escutar só elogios.Nem eles nem nenhum outro, inclusive as cinco nacionais de quem não sou mais cliente ( tá, tem meu Omega mas ele é GM Austrália, menos ruim). Mas creia-me, Arnaldo, sou perfeitamente capaz de entender o que leio. E vc não falou mal ou passou qualquer má impressão do carro, fique tranquilo...! Pelo contrário. Falou bem demais até, o que me inspirou a comentar! Nem reclamou da tração dianteira! Até te dei uma "cutucada" no final do texto por isto e vc deixou barato, o que não é do costume. Já o anônimo, como eu, disse que emiti opinião sem dirigir.Está certo. Porém eu fui claro que não poderia ter uma sem dirigir o carro. Até comparei com áudio, vejam lá. Notem que falei do consumo, apenas, e do peso, dados que estavam na ficha técnica e texto e que entendi exagerado para o volume do carro, bem entendido ( motor pequeno, coupê compacto, 2+2). Nem falei mal do turbo!! Tava relaxado!!Comparei com o Omega para ver que em extremos os dois se equivalem em consumo e se aproximam demais em peso. Foi só. Com relação ao espaço interno, pelo que vi das fotos não creio que seja bom na frente para uma pessoa alta, mas vou verificar. Atrás, capota fechada, cabem duas crianças e não fui eu quem falou. Não vi espaço para pernas nas fotos e não creio que caiba um adulto com razoável conforto ali e penso que a proposta não é mesmo esta. A foto por trás mostra o console entrando para dentro da área do motorista e carona e isto sempre aperta a gente. Mas vou ver ao vivo. Quanto ao vinho, Arnaldo, não tenha pressa. Como os carros, vc vai saber apreciá-los com o tempo. Se seu amigo está te criando com vinho bom, nunca mais vc toma vinho ruim sem notar, pode saber. Caminho sem volta. Sds a todos.

      Excluir
    6. Prezado Anônimo,

      Por favor, me entenda bem; eu não disse que você era incapaz de entender o que lia, o que seria uma ofenda de minha parte, mas que o preconceito poderia ter distorcido o que lera.
      Bom, isso espero, explicado, vamos ao que interessa.
      Eu prefiro tração traseira e ponto final, porém essa preferência se dá quando comparamos carros do mesmo nível, pois, vc sabe, há muitos tração traseira que são um lixo.
      Entre um BMW 125i e um 308 CC, prefiro o BMW. OK? Mas isso é uma preferência minha, particular, um gosto meu. Prefiro os tração traseira aos tração nas 4, até, mesmo sabendo que os nas 4 são mais eficientes, principalmente no molhado.
      Agora, talvez vc esteja precisando andar nesses tração dianteira novos, pois a coisa mudou barbaridade de uns anos pra cá. Tracionam surpreendentemente bem e curvam com uma neutralidade impressionante. Estão muito eficientes. Portanto, seria preconceituoso e insensato de minha parte falar mal da tração dianteira do 308 CC. Não haveria motivo para isso.
      Quanto a caber um pessoa alta no assento dianteiro; fique sabendo que cabe, sim, a não ser que você tenha mais de 2 metros de altura. Tenho 1,80 m, portanto, sou mediano. E sou leve, sim. Com a idade subindo e a potência baixando, tento manter a relação peso:potência baixando o peso. É o jeito.
      Quanto aos bons vinhos, já me conformei com o meu pequeno alcance sensorial. Tomo o que me derem e boa.

      Excluir
    7. Ok, AK. Grato. Esclarecidos e com a viola afinada, vamos ralar o côco que eu sei que vc gosta de desafio. Primeiro esquece que estamos falando do francês. Pode ser qualquer outro carro com as mesmas características.

      Côco 1) O motor turbo 1.6 rende espantosos 165 CVS. Muito bom e impensável num carro qualquer de linha a pouco tempo atrás. A justificativa da indústria, dispersada aos quatro ventos, é baixar consumo com redução da cilindrada, peso, ganhar espaço, etc. O famoso downsizing ou redução no nosso idioma. Só que para compensar a redução, precisa colocar turbo senão a coisa não vai.Tirar potência de onde, né? Ok, perfeito, tudo bem, vai funcionar tudo direitinho, os caras manjam a beça, estudaram tudo, turbo não quebra mais,evoluiu píncaros, o céu! Mas cadê a redução de consumo? Dei uma comparada de leve entre meu Omega 3,6 L, 292 cvs, 1780 kg e este carro(pode ser outro, tudo bem). O motor do meu é um monstro perto deste. Como pode beber menos e render quase o dobro da potência, ambos a gasolina e com injeção direta?

      Côco 2) A redução também privilegia o peso, claro. Menor motor, menos peso, etc. Perfeito. Mas cadê o peso menor? Ainda comparando com meu dinossauro, este carro some ao lado dele. Era para pesar bem menos certo? Pois não pesa. Somente 190 kg separam o dino da formiga atômica! "Ah, mas vc está se esquecendo, caro anônimo, que este é um conversível e conversível pesa mais mesmo". OK, AK! Tá bem. Tira o conversível,põe o peso do sedan Francês e compara com meu Galant 2.5 V6! Daí fica sedan contra sedan, laranja com laranja. No que deu? O Galant pesa menos, tem cerca de 1330 kg, tem motor maior e mesmíssima potência. Zero a 100 em 9 segundos e final de 215. Consumo? 7 a 8 na cidade e 11 a 12 na estrada, com tecnologia do ano 2000 que é o ano dele e bebendo nossa gasoalcool. De novo a conta não fechou. Cade a economia de peso e consumo?

      Côco 3: com menor motor, muita peça mecânica fica menor. Era para ter espaço interno sobrando com um cofre menor lá na frente. Se compararmos com o Omega dá até dó. O Ômega acomoda meus 1,90m e 115 kg ATRÁS! Já o Galant, na frente eu sei que é maior que este e atrás, então nem se fala, embora o Galant seja bem ruim atrás, para mim. De novo não enxerguei neste projeto um ganho, seja comparando com um carro atual de 5 estrelas nos famigerados crash testes (sabemos que aumenta peso), seja comparando com carro de projeto de mais de 15 anos atrás. Moral: cadê a vantagem da redução? Não era para ser mais econômico, ter mais espaço interno, pesar menos? Fiz duas comparações com o que tenho em casa e duas escolas diferentes: Japonesa e Américo/Australiana ( tem isto?).Nem pus o Corola porque este tem menor potência ( 153 cvs),anda menos e não tem nada de entusiasta, além de ser ruim pacas no conforto , coisa que o Francês vc avaliou que não é. Bom, AK, nada contra ESTE em particular, mas entendo que os caras estão devendo ainda na matéria. Quando os Japas entrarem neste jogo, talvez, apenas talvez, eu entre com eles, principalmente se for a Honda, pois tenho um Accord e um Civic também e os carros são uma aula de engenharia e durabilidade. Veja que não é implicância. Estou apenas comparando algumas coisas. Fugindo do comportamento de rebanho, como diz vc. Ah, ia esquecendo: o vinho. Seu colega tem uma cara boa mesmo de quem toma um vinho e gosta. Na foto o casal transmite muita simpatia. Não subestime seus alcances sensoriais. Duvido vc tomar vinho ruim e não notar. Quem senta na poltrona não volta a sentar na cadeira do mesmo jeito...

      Excluir
    8. Anônimo, estou aqui com um BMW 125i em teste. Motor 2 litros, turbo, 218 cv, 31,6 m.kgf, e ele está fazendo entre 8 e 11 km/l na cidade e uns 14 na estrada tocando à moda. Pesa 1.440 kg. Portanto, bastante econômico, não é?
      Não se atenha a um só caso. Também achei que esse 308 CC estava gastando um pouco acima do que esse motor costuma gastar. Vai saber. Talvez abasteceram em posto com gasolina ruim. Não sei.
      Tive um Monza 82 na época. Motor 1600, 4-marchas, carburador, lenha pura naquela época e mesmo assim ele fazia 16 km/l. Isso já tem 30 anos, não é?
      Legal esse seu Galant V-6!!! Esse pequeno V-6, sim, cairia bem num Seven. Seria o fino....

      Excluir
    9. Anonimo, estas esquecendo que esse 1.6 vem dos franceses e da Alemanha. O motor vem da BMW mais ate do que da PSA. O x da coisa: existe sempre muito marketing e certos `pontos pacificos` como o downsizing nem sempre acabam sendo a melhor possibilidade. Da mesma forma que os eletricos no papel ganham em tudo, na hora do vamos ver a maioria acaba ficando bem abaixo da espectativa em consumo e desempenho a ponto de mal conseguir ser melhor que um motor normal nos poluentes depois de todas as contas feitas.

      No caso desse carro, o peso grande com um motor pequeno que prefere lidar com carros leves (compare um DS3 com um 308THP pra ver) simplesmente fica no mesmo efeito. Um motor maior ou que lide melhor com peso maior seria melhor, na verdade o melhor motor pra esse carro usa diesel e fica bem economico (mesmo comparado com outros diesel).

      Quanto ao resto, devo dizer que seria implicancia sua. Em conversivel ter grande conforto nos bancos de tras existe apenas em carros com mais de 5 metros, esse Peugeot num deve nada a qualquer outro conversivel de mesmo tamanho nesse ponto. E o peso igualmente fica no mesmo patamar que outros conversiveis, na verdade a estrutura de um conversivel moderno (feito pra passar nos crash tests e para evitar que fique torcendo) nem tem paralelo com um carro normal. Esse carro mesmo, da porta pra tras tem apenas o eixo traseiro do 308, o resto muda tudo.

      Excluir
  21. Prezados autoentusiastas,

    Sou leitor do blog desde sua criação. Hodiernamente, após incentivo de um amigo e colega colecionador (guilherme gomes, do AVA), resolvi montar meu próprio blog, o qual pode ser visto no seguinte link: http://osenhorautomovel.blogspot.com.br/.

    Espero que dêem uma visita e vejam o que há de bom por lá! A premissa é antigos que já passaram (ou que permanecem) no Brasil, com grande assunto sobre a investigação do paradeiro ou de curiosidades mecânicas sobre esses carros.

    Forte abraço.

    ResponderExcluir
  22. Macumbinha27/08/13 11:04

    O carro é o de menos...
    O melhor mesmo é a exaltação de amor à amizade!

    ResponderExcluir
  23. Tremenda de uma engenhoca bem construída o sistema de abertura e fechamento da capota do 308. Será que neste nosso solo lunar o sistema não sofrerá desalinhamento com o tempo? Eita terrinha braba para quem gosta de carro...

    ResponderExcluir
  24. Po belo carro. Não vi no texto (se deixei passar me perdoem), mas da para abrir/fechar a capota com o carro em movimento ????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniel,

      em vista da posição que por uns momentos a capota fica, na vertical, nem tentei, nem a 10 ou 20 km/h. Fica uma vela de veleiro.

      Excluir
  25. A 30 KM/h pode abrir ou fechar, depois disso o sistema nem deixa tentar.

    ResponderExcluir
  26. Belo carro, ótimo post, parabéns.
    Amigo, desculpe a pergunta, num futuro próximo pretendo adquirir um e gostaria de saber:
    - Como é o ruído da capota quando fechada em piso irregular, tais como paralelepípedo ou blocos de concreto ?
    - É que moro no interior e nem toda a cidade é asfaltada !
    No aguardo, saudações.
    Marcelo Braga.

    ResponderExcluir
  27. O carro é bom viu, tenho um faz quase 1 ano e meio já, não tem ruído não, montagem perfeita, acessórios perfeitos, desenho perfeito, etc, custa 35 mil euros na frança e 130k aqui então vai falar o que de um conversível importado com esse valor ? Um TT basicão é 230k e não tem o interior, equipamentos e hard top do CC, só tem mais motor e câmbio. O CC é o único cabriolet custo benefício no Brasil. Ano que vem vou pegar um Ftype ou Boxster S, tive uma fase de ouro aí e vou aproveitar essa onda. Mas o CC vai deixar saudades, quantas cabeças viradas, quantos vai chover hoje, quantas cal... mol.. opaaa, é diversão esse carro, com ele eu percebi que carro você tem que comprar com a emoção e não com a razão ! Sim por muito menos vc pega um Jetta, um 308 THP, até um Fusion, mas com a capota abaixada tenha certeza, Fusion Ecoboost, Jetta TSI, 320i e afins viram transparentes do lado dele.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.