PEUGEOT 208 ALLURE 1,5, NO USO

Fotos do autor


Um carro agradável de dirigir. Boa ergonomia, comandos leves, boa visibilidade, bom motor, que é silencioso, prestativo e econômico. Tanto nos agrada num trânsito vagaroso, por ser compacto, leve, macio e ágil, quanto numa tocada rápida de estrada, por ter bom acerto de suspensão, bons freios, bom escalonamento de marchas, que não são curtas nem longas, e sim no ponto para aproveitar o bom e convenientemente elástico motor de 1,5 litro, que responde bem desde baixo giro e tem potência bastante (93 cv a 5.500 rpm quando com álcool) para levá-lo a 181 km/h.

A marca do leão
Já postamos dois testes do Peugeot 208, um do André Dantas, por ocasião do lançamento, e outro do Bob Sharp, que testou o modelo Griffe 1,6 com câmbio manual. Agora me coube um teste “no uso” para a versão Allure com motor de 1,5 litro.

O motor de 1.449 cm³ tem bloco e cabeçote de alumínio, um só comando de válvulas, 2 válvulas por cilindro, taxa de compressão de 12,5:1. O torque máximo de 14,2 m·kgf vem a baixo giro, 3.000 rpm. Na prática, no dia a dia urbano, não sentimos falta da maior potência que oferece a versão 1,6 de 122 cv por nós já testada. Já na estrada, sim; sem dúvida esses quase 30 cv de diferença se fazem sentir e, enquanto o 1,6 é daqueles que disparam em alta com gosto, o 1,5 simplesmente se mostra suficiente. E é suficiente, sim. Anda muito bem, retoma com energia, pouco sente o peso da carga e muito menos dá bola para o ar-condicionado estar ligado ou não. 

Motor elástico, comportamento semelhante ao 1,6 dos Gol e Voyage
Resumindo um comparativo entre os motores: para os que não são autoentusiastas, o 1,5 basta, e com sobras, pois ele certamente nunca usará esses 29 cv de diferença. Além disso, o pico do torque do 1,5 vem a 3.000 rpm, enquanto que o pico do 1,6, com 16,4 m·kgf, vem a 4.000 rpm, portanto, a 3.000 rpm ambos devem estar produzindo potência semelhante. E como nós aqui sabemos que na prática a maioria dos motoristas não costuma subir giro de motor, ele nem vai notar diferença entre um motor e outro, já que em baixa eles se assemelham.

O 1,5 responde mesmo muito bem em baixo giro. Não é preciso muita rotação para que ele ande bem. A partir de 1.500 rpm, mesmo estando em marcha alta, ele retoma rápido, sem vacilo. Já o autoentusiasta, este sim, terá prazer de acelerar o 1,6, pois não é pouca coisa 122 cv num hatch compacto que pesa 1.153 kg (o 1,5 pesa 1.086 kg). O 1,6 com câmbio manual atinge 198 km/h, segundo a Peugeot, ou seja, esse pequeno hatch, com uma brisa a favor, vai a 200 km/h.

Boa ergonomia
Para isso o bom Cx, coeficiente de arrasto aerodinâmico, de 0,32, contribui. Vale notar que, em termos gerais, é mais difícil haver baixo Cx nos carros pequenos que nos grandes; num hatch, hoje em dia, ainda mais.

Também segundo a Peugeot, este 1,5 faz o 0 a 100 km/h em 10,7 segundos, um bom número. Ele é rápido, sim; lembra o comportamento do motor 1,6 do Gol/Voyage, que rende 104 cv e cujo pico do torque de 15,6 m·kgf é a 2.500 rpm, isso com álcool.


Curiosamente, o 1,5, como disse, tem bloco e cabeçote de alumínio, enquanto que no 1,6 só o cabeçote é feito nesse material, seu bloco de ferro fundido sendo um dos motivos dessa diferença de peso entre os modelos. O 1,6 é duplo-comando e o de admissão é variável. O curso dos pistões é o mesmo, 82 mm, e a diferença de cilindrada cabe ao diferente diâmetro dos cilindros: 75 mm para o 1,5 e 78,5 mm, para o 1,6.


Na estrada ele vai colado, muito estável, e a viagem numa estrada boa e vazia chega a ser um descanso. As suspensões são McPherson com barra estabilizadora na dianteira e eixo de torção, também com barra estabilizadora, na traseira. Os pneus, de baixo atrito, têm medidas 195/60R15 e me pareceram perfeitamente adequados. No 1,6 são 195/55R16, deixam o carro ainda mais ágil, já que as características do 1,6 são mais esportivas. A 120 km/h reais e em 5ª marcha o giro se mantém em 3.550 rpm, e a essa rotação o motor segue suave e silencioso. A 4.000 rpm também, na boa.

Sua velocidade máxima de 181 km/h, segundo a Peugeot, é atingida em 5ª com o giro batendo nas 5.200 rpm. Bom de estrada, está entre os melhores, só perdendo para o New Fiesta, a meu ver, em questão de chão. Mas ganha do New Fiesta no espaço para os passageiros de trás.
Porta-malas de 318 litros
Os freios são a disco não ventilado na dianteira e a tambor na traseira, com ABS. Bom de freada, freia alinhado, pouco afocinha, tudo bem, mas pelo padrão geral do carro era de se esperar que os discos também fossem ventilados, como os da versão 1,6.
O consumo, segundo o computador de bordo, em trecho urbano, álcool, esteve entre 7 e 8 km/l. Na estrada fez ao redor de 11 km/l. Ou seja, não surpreende, nem por ser baixo, nem por ser alto. Está na média.

Pedais bem posicionados;alavanca para abrir o capô só é acessada com a porta aberta
O frio que andou fazendo por estas bandas evidenciou a utilidade desse teto solar, cujo vidro não abre. Sol e frio, teto aberto para o sol nos esquentar. No tempo frio esse opcional funciona que é uma beleza. Além do mais, ele é bem amplo e se abre por quase toda o teto, o que dá esse gostinho de amplitude também para os que vão atrás. Gostei, ou melhor, gostamos.

Teto de vidro, um destaque
E sobre a novidade de olharmos os mostradores por cima do volante, perfeito. Convenientemente, o banco do motorista tem regulagem de altura, e com esse recurso todos encontram sua posição ideal para a visualização.

Solução de olhar os instrumentos por cima do pequeno volante agrada
Preço sugerido: R$ 45.990,00. Ficha técnica completa e equipamentos de série e opcionais, ver no post do André Dantas.

AK

110 comentários :

  1. Gostei do trem de força do carro ,mas como a maioria dos carros do grupo PSA ,tem coisas estranhas ,não gostei da alavanca do capo,porque tem que abrir a porta para abrir o capo?será que o dono do carro tem algum problema na cabeça?rsrsrs..., e também não gostei da posição dos mostradores do painel,eu gosto deles quase na minha cara praticamente ,carro tem que ser feijão com arroz o resto é esquisitice ,não entendi o relógio de pulso no porta malas? abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se num entendeu nem o relogio de pulso (pra mostrar o tamanho) tem que ser feijao com arroz mesmo. Fica estranho qualquer coisa, mesmo boas ideias.

      Excluir
    2. Huahauahuahauah TOMA! Anonimo matou a pau!
      Eh, tem gente que só no feijão e arroz mesmo... eh capaz de bater o carro e dizer que a culpa eh do mostrador mais acima kkkkk
      Peugeot 208 e tecnologia eh para poucos.

      Excluir
    3. é... prefiro um arroz com feijão bem temperado à um escargot estragado, se é que vc me entende.

      Excluir
    4. Anônimo02/08/13 12:51 Já fazia ideia anonimo do porque do relógio ,foi só pra puxar assunto com gente inteligente ,se é que você me entende...

      Excluir
  2. Speedster,

    a alavanca de abrir o capô só é acionada se aporta estiver aberta para que o motorista, por engano, não a acione com o carro em movimento, por exemplo, em alta velocidade numa estrada. Mesmo tendo outra trava, a de segurança, que só é acionada na boca do capô, acho essa uma boa medida e que não custa nada. Como estou sempre pegando carros diferentes, já me aconteceu de abrir essa 1a trava achando que era regulagem da altura do volante. Vai ver que fizeram essa coisa só por minha causa...
    O Bob e eu gostamos da posição dos mostradores. Em qualquer situação eles ficam todos perfeitamente visíveis. Eu gostei e muito.
    O relógio no porta-malas é para que o leitor tenha uma referência do tamanho dele. Sempre coloco alguma coisa, um cachorro, um rayban, uma carcaça de urubu atropelado, o que estiver mais à mão.
    abraço,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Arnaldo Keller02/08/13 11:15 Maravilha Arnaldo !se der coloca o simpático tigrão da próxima vez,até mais.

      Excluir
    2. Quanto a alavanca de abrir o capô, certamente terá um problema...
      Vai ser um tal de neguinho dar portada em bomba de gasolina na hora que estiver no posto que ja estou até vendo! hehe
      Realmente prefiro na posição de sempre, apesar de onde estar não ser algo que me faria de deixar comprar o carro.
      Abs

      Excluir
    3. Então na verdade considero isso um benefício, pq não quero ninguém de posto nenhum colocando a mão no motor do carro...

      Excluir
    4. Bem antes de ler os comentários pensei na mesma coisa: ÓTIMA essa ideia de abrir o capô somente com a porta aberta.

      Assim, no posto, quem sabe neguinho pensa duas vezes (ou até três) antes de abrir o cofre para o frentista.
      Carro, pra mim, devia ter um sensor inteligente: entrou em posto, não abre o capô.

      Excluir
    5. Só abro em posto pra encher partida a frio, encher o reservatorio de agua do limpador e colocar o detergente.
      De resto falo que ta tdo certo (e tá msmo) e acabou, não precisa ter medo d frentista

      Excluir
    6. No meu Fusion ela fica embaixo do painel, estrategicamente no caminho do meu pé esquerdo quando vou sair do carro. Não raro esbarro com o pé ali e abro sem querer o capô (que não precisa de muita força para ser aberto) quando estou saindo do carro, aí tenho que ir até o capô para fechar de novo. A mesma coisa é o comando de abrir o porta-malas, próximo do comando de faróis, basta tatear ali pra encostar no botão e abrir o porta-malas. E toca sair do carro pra fechar... Nessas horas eu lembro da senhora genitora do sujeito que projetou (mal) isso...

      Excluir
  3. Arnaldo, pelo que você escreveu, me parece que este motor tem comportamento bem semelhante ao 1.4 na GM utilizado no Corsa. Procede?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rodrigo, nunca dirigi o Corsa 1.4. Na verdade nunca dirigi um carro com esse motor, portanto, não posso falar nada, me desculpe.

      Excluir
    2. Sem problema, Arnaldo.

      Meus pais estão no 3º Corsa com esse motor. Ele é tão elástico que o escalonamento lembra de carros com maior cilindrada (bem próximo do meu Focus 2.0). Já dirigi Palio com motor 1.4 e tinha o câmbio bem mais curto.

      Abraço!


      Excluir
    3. Completamente diferente, o GM gira e em baixa vai meio mal, o 1.5 do 208 gira um pouco menos mas vai bem melhor de baixa (motor linear)

      Excluir
    4. Tenho um Corsa 1.4 e tive um pouco dessa sensação na analise também. Apesar desse motor da GM parecer 16V em certos momentos, sendo necessário um giro um pouco mais alto para manter o bom desempenho.

      Excluir
    5. A elasticidade do motor do Corsa deve servir para compensar a dureza dos plásticos do interior! Ô coisa horrorosa.

      Excluir
    6. CSS, até que são bem cortados, não têm rebarbas e tals... mas realmente... são muito feios...

      Excluir
    7. O Corsinha ainda vai deixar muita saudade. E só faz um ano que deixou de ser feito. O mesmo vale para o Astra.
      Onix e Sonic? Não, obrigado.

      Excluir
    8. Tenho um Corsa Sedan 1.8 2006 e pretendo comprar um Hatch 1.4 2012. Plastico duro?1 Amigo, já andou de Mille ou Celta?! Pode ser duro e feio, mas é bem acabado e confortavel. Exelente carro na sua faixa de preço; Recomendo.

      Excluir
    9. Anônimo, rodei mais de 400.000 km em Corsa (não em um único, que fique claro). Tem seus pontos falhos, mas é um excelente carro dentro daquilo que se propõe. Melhor na primeira geração do que na segunda. Aliás, é muito, mas muito mais robusto e econômico do que o 207 que tenho atualmente. Tende a ser um futuro modelo colecionável.

      Mas em termos práticos, é perfeitamente substituível por um Onix. E com louvor.

      Excluir
    10. Marco R. A.03/08/13 09:12

      Tenho muita saudade do meu Corsa Sedan 1.8 2003 (monzatec).
      Podia não ter um acabamento esmerado, mas era suficiente para mim.

      Excluir
    11. O 1,8 do Corsa não tem nada a ver com o "Monzatec" (família II), é um "Corsatec" esticado. Aliás, o 1,8 do Monza era bem melhor que o do Corsa, enquanto o do Monza era superquadrado e tinha uma ótima relação de biela, o do Corsa, por ser esticado no limite do bloco, era subquadrado e tinha uma relação de biela alta demais, ficava vibrador e pouco amigo de giro. Já o do Monza (que morreu no Astra 1,8) ia até seus 6 mil rpm liso.

      Excluir
    12. Tive uns 4 Corsas, do antigo ao 'novo'. Ótimos carros. O 'geração 2' deveria ter virado 'Classic', enquanto este deveria ter saído de linha. Dos 3 motores, 1.0, 1.4 e 1.8, creio que o 1400 foi o melhor.

      Excluir
    13. CSS, discordo. Corsa, muitíssimo melhor o da segunda geração que o da primeira, nem dá pra comparar. Quanto a crer que um Onix substitui um Corsa com "louvor", depende. Pra mim, não mesmo.

      Excluir
    14. Tenho um Corsa C mas jamais trocaria por um Ônix, pelo motivo de que esse último não oferece absolutamente nada a mais do que um Corsa de 5 anos atrás já não oferecia. (Aliás, se for analisar bem, o 1.8 2003 oferecia opcionais que um Ônix nem sonharia em ter). E para os mais puristas, por mais que o Corsa brasileiro tivesse acabamento bem inferior ao europeu, o DNA Opel ainda estava lá, diferente do Ônix com seu design que une o nada com coisa nenhuma.

      Excluir
  4. Disco sólido num carro com esse peso e andando desse jeito se vc der 1 freada forte fica sem freio por um bom tempo. Dá fading na certa. Pra um carro que custa 46 mil, considero um erro primário, economia porca.

    Pode até frear alinhado (obrigação de carro novo), mas frear bem e ter freio para uso mais intenso isso nem pensar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlos Eduardo,

      Não concordo com você, e, me desculpe, mas de acordo com meus testes tenho certeza de que você está exagerando. Mesmo com sólidos é preciso muito castigo, e de pista, para dar fading.

      Excluir
    2. Arnaldo,

      Sempre ouvi relatos de uma facilidade maior dos discos sólidos para sofrer empenamento. Procede?

      Excluir
    3. Para... De forma generalizada os veiculos de comunicacao viraram testadores de ficha tecnica... Se o carro tem AB2,EBD, ABS, PQP para todos os passageiros e bom. Se nao tem nao presta. Isso esta contaminando os leitores, que um carro so eh bom se tiver uma ficha tecnica cheia de recursos tecnologicos. Lembramos da linha BX que tinha um tambor minusculo da traseira e era suficiente para frea-lo. Tanto e que geralmente as lonas sobreviviam ao carro sem trocas.
      Ninguem testa mais o carro pela dinamica, pelo comportamento. Agora eh so "Nao tem ABS nao presta"
      Por isso que gosto dos testes aqui, sao bem realistas.

      Abs,

      Excluir
    4. Tenho um 207 1.4, que também tem freios a disco sólido na frente, e te falo, não deve nada em frenagem. E olha que já precisei dar umas freadas fortes.

      Por outro lado, concordo que poderia ser disco ventilado. Mal não faria.

      Excluir
    5. Charles, olha, faz tempo que não ouço relatos de discos empenando, seja sólido ou ventilado. Nunca ouvi nada a respeito de que o sólido empena mais facilmente. De qualquer modo, com carros modernos, não vejo nada que gere preocupação.

      Excluir
    6. Luiz AG,

      Você não leu o que eu escrevi.

      Me fala onde, no meu post, eu mencionei sopa de letrinhas?

      Eu estou no meu segundo carro da linha BX (no caso uma parati), tive um AB9, ambos com freio a disco sólido + tambor, com capacidade de aceleração e velocidade final similares ao peugeot, porém com peso menor.

      O freio dos 3 é uma bosta, 1 freada forte (não to falando pra baixar de 80 a 0, to falando mais que isso) e o freio SOME.

      Outra coisa, qual a relação entre desgaste de lona de freio traseira com dissipação por fading? Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Fora que o freio que é mais potente é sempre o dianteiro, ele que é o principal responsável por parar o carro, concentrando de 70% pra mais da potência total de frenagem. Carro que passa a vida e não troca lona de freio traseiro me diz mais a respeito da distribuição de forças de frenagem do que de capacidade ou não de dar fading.

      Se eu pegar um carro desse e dirigir quente garanto que o freio frita em 2 tempos, bem mais rápido que se fosse disco ventilado. Volto a repetir que é economia porca colocar um disco sólido num carro tão caro, ainda mais tendo outra versão já com disco ventilado.

      Excluir
    7. Nossa, não é pra tanto. Meu irmão tem um C3 2011, modelo antigo, motor 1,4 com freios similares ao desse 208, discos sólidos na frente e tambores atrás, só que sem ABS. Costumamos viajar com ele pela região serrana do estado do Rio, Teresópolis Nova Friburgo e redondezas, e posso te garantir, os freios do carrinho são bons, bem modulados e progressivos. Andando rápido por aquelas estradinhas de serra, nunca senti qualquer perda de eficiência dos freios, aliás o carrinho todo se comporta muito bem, é ótimo de curva. Quem olha o carrinho sem conhecer, com aquele jeito de joaninha, não imagina como o bichinho é bom de chão.

      Excluir
    8. Marco R. A.03/08/13 09:23

      Luiz AG. Eu os chamo de "Narradores de Ficha Técnica".

      Como você, é por isso que gosto do Autoentusiastas.

      Em um site por aí fizeram um teste de 30 dias com o 208 1.6. Havia posts praticamente todos os dias. O carro passou na mão de 2 jornalistas. Em 30 dias de testes e textos eles não conseguiram escrever metade do que o Arnaldo escreveu aqui.

      Parabéns AK.

      Excluir
    9. Obrigado, Marco! Fico envaidecido.
      Mas, curiosidade, como é que você conseguiu ter paciência para ler esses 30 posts?
      hahah!

      Excluir
    10. Marco R. A.03/08/13 15:35

      Arnaldo.
      Não foi difícil. Cada post deles era bem curtinho.
      Cheguei a mandar um email para eles perguntando como eu fazia para acessar o resto do texto (tipo o link "CONTINUE LENDO >>>" daqui).
      Fui ignorado, hehehe.

      Excluir
  5. Olá Arnaldo. O bloco e cabeçote desse motor 1,45 realmente são de alumínio? O motor 1.6 VHT da VW atinge o torque máximo de 15,6 em 2.500 rpm e não a 3.850 rpm como citado na matéria, ou estou enganado? Gustavo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gustavo, sim, de alumínio, segundo a Peugeot. E você tem razão, o pico do torque do 1.6 VHT da VW é a 2.500 rpm. Erro meu, me desculpe, vou corrigir. E obrigado pelo toque.

      Excluir
  6. Antonio Pacheco02/08/13 12:41

    O problema desse Peugeot é que, pelo preço desse 1.5, dá pra levar o Fiesta Se com o bom motor sigma de 130cv e vários equipamentos. Eu não ficaria na dúvida, gostei do 208 mas compraria o Fiesta 1.6.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tonhao
      To contigo e nao abro.
      O Fiesta 1,6 e a referencia de responsa nesse segmento
      Jorjao

      Excluir
    2. Mas o Fiesta, mesmo com 130cv, consegue ser mais lento que este Peugeot de 1,45l. Fiesta faz 0 a 100 km/h em 12s.

      Excluir
    3. Corsário Viajante02/08/13 15:29

      Dava. A Ford subiu os preços hoje, se não me engano.

      Excluir
    4. Anônimo, esse 0 a 100 em 12 seg. divulgado pela Ford acho que está errado. Ele é bem mais rápido que isso, pelo que senti.

      Excluir
    5. Ainda não vi este Peugeot, mas o Fiesta está fora da minha lista. Não sou alto e nem largo, mas o banco do Fiesta não me veste, independente dos ajustes que fizer.

      Arnaldo, no assunto bancos, o 208 é mais agradável que o Fiesta ou o Punto ?

      Excluir
    6. Evandro, são poucos os carros cujos bancos que satisfazem a todos. Nunca testei um Punto, mas se o banco dele for igual ao do Linea, muito bom também, e olha que sou chato para isso, dou muita importância a me acomodar bem.
      Me dei bem com o banco do Fiesta tanto quanto no do 208. O único jeito é você mesmo experimentar com calma. Mande o vendedor ir tomar um cafezinho e fique lá se ajeitando sossegado.

      Excluir
  7. Olá Arnaldo. O bloco e cabeçote desse motor 1,45 realmente são de alumínio? O motor 1.6 VHT da VW atinge o torque máximo de 15,6 em 2.500 rpm e não a 3.850 rpm como citado na matéria, ou estou enganado? Gustavo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AnÔnimo, o leitor Gustavo já fez a mesma pergunta. É alumíno, sim, segundo a Peugeot. E errei na rotação do torque máximo do 1.6 da VW. É a 2.500 rpm, mesmo, como você disse. Vou mudar no texto. Obrigado pelo toque.

      Excluir
    2. Se eu não estou errado esse 1,45L nada mais é que o 1,4L do 207 com o curso ligeiramente aumentado e a taxa de compressão incrementada (o 1,4L é 10,5:1).

      E o 1,4L é totalmente de aluminio com camisas removíveis em aço. Sô não sei se elas são umidas ou secas.

      Falo isso porque tenho um 207 na garagem.

      Excluir
  8. Corsário Viajante02/08/13 13:21

    Tudo lindo, tudo ótimo, até chegar no preço. Tá louco!

    ResponderExcluir
  9. A família adquiriu essa semana um Active Pack, que é o Allure sem o teto de vidro, o que pra gente fez mais sentido, pois 3 mil reais em um teto de vidro achamos que é algo desnecessário.

    O carro é ótimo nao rodei em estrada ainda mas o conforto e o custo benefício desse carro é muito bom, sem contar que já é moderno pelo Kit Multimidia que só encontramos no Chevrolet Onix que em acabamento e qualidade do Kit perde muito pro 208.

    Só tenho uma coisa a reclamar e isso em relação à política da Peugeot, acho um absurdo um carro desses nao ter vidro elétrico nas portas traseiras, que economia burra é essa? Ou é para fazer o cliente levar o Griffe? Foi dificil aceitar pagar mais de 40 mil reais num carro e nao ter vidros elétricos nas 4 portas, quase optamos por um Chevrolet Sonic por 3500 reais a mais, que vem com os vidros nas 4 e com um painel muito bonito também, mas devido ao Kit Multimídia e Direção elétrica fora o preço o 208 ganhou.

    No mais, acho uma das melhores compras hoje o Active Pack pelo preço do site da Peugeot, tínhamos antes um 207 XS que na época seria o Allure de hoje, mas a diferença de preço por poucos opcionais e algum visual a mais que na hora da venda não é levado em conta, nao vale a pena mesmo.


    E claro, os outros dois posts aqui do blog ajudaram nesta escolha, li e reli os dois antes de fechar o negócio.


    Abraços, Afonso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns pela Compra, Afonso!
      Quando você pegar uma estrada com ele, vai gostar ainda mais, esteja certo.

      Excluir
    2. Colocam os vidros manuais atrás pq as pessoas são como você: esperneiam, esperneiam, mas no fim compram o carro assim mesmo e se satisfazem pq tem uma telinha no painel.
      Pense nisso.

      Excluir
    3. Meu Focus 2008, que paguei 43, tmb nao tem vidros eletricos atrás...
      Não sinto falta nenhuma, ja que sempre ando sozinha ou na máx com 1 pessoa e com ar ligado. Meu 208 vai ser o Griffe, mas jamais trocaria de modelo de carro por conta de vidro eletrico atras..

      Excluir
    4. O Escort que foi meu e hoje está com o Arnaldo só tinha vidro elétrico na frente, tive-o por 8 anos e nunca foi problema. É um vidro que pouco se baixa, especialmente devido à popularização do ar-condicionado. Vale lembrar no configuração básica do BMW Série 3, para dar um exemplo, acionamento elétrico dos vidros traseiros é um item opcional na Alemanha.

      Excluir
    5. Antônio Martins03/08/13 10:05

      Gosto de vidros elétricos traseiros justamente para não abrí-los, mas por ter função de bloqueá-los. É chato algum passageiro traseiro sem costume com A/C abrir os vidros, e a gente pedir pra fechar.

      Excluir
    6. Exato, Antônio, mesmo motivo porque eu gosto dos vidros elétricos atrás. Com a trava de vidros e a trava de portas, um carro 4 portas fica tão seguro quanto um de 2 portas para transportar crianças. Não demora muito os pequenos aprendem que basta descer bem o vidro e se esticar para abrir a porta de trás, aí a trava de segurança fica inútil. Fora quando se dá carona e algum passageiro de trás insiste em abrir o vidro e depois se esquece de fechar. Para mim, essa de vidros elétricos só na dianteira é mais uma aparição do "Custo, o fantasminha". Economia porca para o carro ficar mais barato.

      Excluir
    7. Eu também não sinto falta dos vidros elétricos atrás, mas concordo com o Afonso que eles deveriam ser pelo menos oferecidos como opcionais. Isso é respeito ao consumidor, afinal as empresas naõ estão nos fazendo nenhum favor ao vender seus carros.

      Excluir
    8. Eu tb não abro de vidro elétrico atrás, exatamente pra bloquear.

      Excluir
    9. Antônio Martins03/08/13 18:55

      Carlos, João,

      Eu achava que eu era o único que gosto de ter elétricos traseiros mas pensando apenas no bloqueio. Havia esquecido que com crianças é fundamental.

      Tem certos detalhes que fazem a diferença. Noto sempre que minha mãe e alguns idosos que transporto tem costume de se arrumarem no banco ou entrar/sair, dando algum apoio nas alças de teto. Parece que esse carro não tem, o Fiesta também não.

      Excluir
    10. Corsário Viajante06/08/13 16:16

      Eu acho vidro traseiro elétrico super-útil.
      Quando ando com o cachorro no banco de trás, posso abrir o vidro para ele botar a cara para fora ou fechar, conforme a necessidade.
      Também quando ando com os vidros abertos e sem A/C, equipamento que não gosto, abro o de trás para formar corrente. Mas quando quero posso fechar, por exemplo num farol perigoso ou coisa do gênero.
      No fim, o vidro elétrico só tem vantagens frente ao manual. Entendo essa solução num carro de entrada, mas num modelo que se vende como "premium" para mim não cola.

      Excluir
    11. Mesmo andando 90% do tempo sozinho e/ou com uma pessoa ao lado, também acho importante ter os vidros traseiros elétricos, pelos mesmos motivos já ditos (travamento, crianças etc). Se fosse na versão básica (como no exemplo do BMW Serie 3 na Alemanha), vá lá. Mas na versão intermediária, justamente a que pretendiam vender mais (antes do lançamento da versão active pack), considero uma economia porca. Qualquer carro chinês, desde o QQ até os novos SUV tem todos os vidros elétricos.

      Ps. Pior mesmo é o Fiat Uno SEQUER oferecer como opcional.

      Excluir
  10. Dirigi e gostei si carro.
    Porém o cambio tem engates meio longos e preguiçosos
    Muito aquém dos câmbios deliciosos dos VW estes sim os grandes maestros nesse quesito
    O que mais me assusta porém e a péssima fama e reputação do pôs-venda dos PSA
    Eu nao arrisco!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, tinha esse mesmo receio antes de comprar meu 308. Mas te digo que algo está mudando na Peugeot... Já tive carros de várias marcas e nenhuma, mas nenhuma mesmo, me deu o atendimento de excelência no pós venda que a Peugeot está dando. Concordo que é de cair o queixo, mas é verdade!Prá você ter uma idéia, depois da revisão (preço de tabela) e sem empurroterapia, a concessionária me contactou para que eu pudesse avaliar os serviços, e, dias depois a PRÓPRIA PEUGEOT fez o mesmo, no maior exemplo de respeito ao consumidor.

      Excluir
  11. Estou comprando um carro dessa categoria nos próximos 30 dias. Minha dúvida esta entre o Peugeot 208 1.5 Active Pack (é a Allure sem teto apenas)e o Fiesta SE 1.5, ambos na faixa dos 42 mil. O Fiesta SE 1.5 não vem com alto falantes traseiros, nem a fiação para facilitar a instalação vem, achei um absurdo, falta de respeito, economia porca. Fiz o test drive nos 2. O que deu para observar claramente no test drive, é que o câmbio e o motor do Fiesta são superiores. A posição de dirigir do Fiesta parece ser melhor também, preciso fazer outro test drive no 208 para confirmar isso. O 208 tem um acabamento melhor, mais bonito, sistema de som superior, passa mais sofisticação no interior. A posição de dirigir é muito diferente do que estamos acostumados, chega a ser lúdico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 2700 reais por rodas de liga e farol de neblina??? A versão S é muito mais racional.

      Excluir
  12. A Keller
    Esse 1.6 de 122cvs e o mesmo motor do Mini aspirado??
    Saudações

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, é o mesmo motor 1.6 PSA de longa data (113cv) feito em Porto Real modernizado com comando variável (122cv) e partida a frio sem tanquinho.

      Excluir
    2. Não é. O motor básico do MINI já é o projetado pela BMW e usado em configuração THP em vários carros Peugeot e Citroën. O do 208 é outra geração da PSA, mais antiga.

      Excluir
  13. Concordo com o Arnaldo. Temos um Active e está de bom tamanho em tudo. Antes, tivemos um 206 2008 que em 60 mil km, só trocou uma bieleta, além da manutenção normal. A mulher anda mais com ele e está adorando. Quando comigo, o giro sobe e ele vai muito bem.

    ResponderExcluir
  14. Arnaldo, uma dúvida sobre o teto de vidro. O que acontece em uma capotagem? Ele "descola" e deixa os passageiros sob risco de serem atingidos por alguma coisa? Não seria perigoso?

    Lucas Franco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucas, imagino que seja seguro. Só pode ser, senão não seria aprovado, e iguais a esse há muitos mundo afora.
      Mas a pergunta é boa e no começo da semana vou perguntar à Peugeot. OK?

      Excluir
  15. Arnaldo Keller, passando rapidamente para comentar especificamente sobre 2 fotos: Parabéns! Na foto 4 você não se conformou em apenas tirar a foto "padrão" de painel, do mesmo ângulo que todo mundo tira (ângulo expressado na última foto). A foto 4 propicia uma melhor sensação de espaço, tamanho e profundidade do painel, pois foi tirada de fora do carro, em ângulo diferente do que estamos acostumados a ver nas reportagens, tendo parte da coluna A, parte da coluna B e parte da porta somando-se à composição da imagem. E aproveito para parabenizar-lhe, novamente, também pelo uso do relógio como referência de tamanho na foto do porta-malas. Obrigado pelas fotos e pelo bom artigo! (Sou fotógrafo amador, hobbysta)

    ResponderExcluir
  16. Bruno Fonseca02/08/13 14:41

    Gostaria de tirar apenas uma dúvida relacionada à comparação entre o new fiesta 1.5 e o peugeot também 1.5. todas as fichas técnicas apontam o 0-100 km do New Fiesta em 12s e a do peugeot em 10,7s...no entanto todas as análises também indicam o new fiesta como mais vigoroso. Infelizmente ainda não pude fazer o test-drive em ambos (e acredito que não vou ter a chance de testá-los como gostaria).
    Na prática, qual de fato tem melhor comportamento em arrancadas e retomadas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruno, não andei no New Fiesta 1.5 ainda. Só testei o 1.6, mas a Ford divulga que o 1.6 também faz o 0 a 100 km/h em 12 seg, o que é estranho, pois tenho certeza que ele bem mais rápido que isso.
      Além do mais a potência do 1.5 da Ford é maior que deste Peugeot 1.5.
      Se quer nossa resposta definitiva, por favor aguarde o teste que faremos com o 1.5 New Fiesta. Já o pedimos à Ford.

      Excluir
  17. Esse 208 é melhor que o New Fiesta. Da só uma olhada nesse vídeo! Também já vi isso nas EcoSport. O acabamento da Ford ta uma porcaria.
    http://www.youtube.com/watch?v=zf43D0VVsYM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse carro do vídeo foi repintado. Só pode! Rolou da cegonha e repintaram ele.

      Excluir
    2. Passei por uma situação dessas há aproximadamente 5 meses atras, onde eu comprei um grand siena cinza cromo e na hora de me entregar o carro o fizeram com um arranhão e mossas no teto (o carro arranhou na hora de descer da cegonha). Só fui dar conta deste problema quando fui lavar o veículo em casa, voltei na css e me ofereceram a repintura do teto, ainda tentei dar a chance, mas a repintura ficou horrivel, e se fosse possivel escolher era melhor levar para um martelinho e desamassar e dar um bom polimento, pois a na css pintaram o carro parecendo que levaram para um pintor de geladeira. Fiquei indignado, reclamei com o gerente, e em um raro milagre no meio deste capitalismo selvagem, trocaram meu carro por um novo, e eu só tive de pagar a diferença dos acessorios que o novo carro veio a mais. Gastei 2500 reais a mais na troca e o carro não era mais cinza cromo, peguei um prata bari. Mas foram cerca de 50 dias de puro constrangimento para mim e minha familia. Abrindo parenteses, durante esses quase 50 dias, o carro quebrou o trambulador e não engatava a 1ª marcha, o tecnico da FIAT ainda me disse q dava p rodar só arrancando de 2ª, acredito que era para eu não solicitar o carro reserva pelo CONFIAT, eu disse q não ficaria rodando desse jeito e deixei o carro lá na CSS, e só recebi o carro reserva depois de 72 horas, um uno... o grand siena passou quase 20 dias parados esperando chegar peça. Com certeza o caso desse NF é de repintura dentro da propria CSS, pois digo que não é dificil de acontecer acidentes durante o manuseio dos carros 0KM. Eu consegui um acordo amigável, mas pelo jeito esse New Fiesta vai parar na justiça...

      Excluir
  18. Já vi esse filme. Logo logo vão abaixar o $ desse carro, igual fizeram com o 207 meia boca em que acharam que o consumidor iria engolir como uma grande novidade. Não vendeu o que esperavam e trataram de botar o preço mais dentro da realidade dele. Esse 208 vai pelo mesmo caminho, podem apostar. Outra que merece tomar uma invertida é a GM com seus Onix e Sonic, muito caros pelo que oferecem. Mas nesse caso o consumidor não enxerga e compra de olho fechado. Contra a Peugeot paira o fantasma do pós-venda, uma lástima.

    ResponderExcluir
  19. Compartilho de suas opiniões Arnaldo, um carrinho bem agradável esse 208. Me surpreendi em um test drive com a qualidade de seu acabamento e com a posição de dirigir, apesar do volante ter me apertado um pouco na hora de entrar e sair do carro (acho que por falta de um ajuste fino do banco e volante). E falando em volante, ele é um convite a dirigir, de longe uma das melhores peças em que já botei a mão. Só senti falta de um pouco mais de pegada no motor, mas ficar devendo, ele não fica mesmo. E por fim, apenas um pequeno problema, senti um certo aperto nos pedais, e olha que nem calço sapatos acima da média, mas pelos relatos que ando lendo, parece ter sido um problema isolado comigo. Você andou tendo problemas com isso ou também passou sem problemas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Davi, sem problemas com os pedais. Ao contrário, eu os achei ótimos. Calço 43, por sinal.
      Olha, uma pequena dica: tênis de corrida, desses em que a sola do calcanhar é meio longa e segue para trás, são bons só pra correr a pé, mas para dirigir são péssimos. Você não estava com um desses, não?

      Excluir
    2. Passo longe de tênis assim até pra caminhar, acredita? Também acho esse tipo de tênis muito ruim pra dirigir, acho que de tanto ficar incomodado com eles, passei a ter antipatia até para andar. Pessoalmente, eu gosto muito dos tênis com o solado mais reto pra dirigir, acho que melhor que eles, só sapatilhas de corrida mesmo (nunca experimentei uma, aliás). Pelo visto então apenas eu passei por esse pequeno problema, mas obrigado pelo esclarecimento Arnaldo!

      Excluir
    3. O melhor solado pra dirigir ainda é o cascão do pé, ou seja, descalço.

      Excluir
    4. Anônimo, também gosto de dirigir descalço. Mas sem meias!

      Excluir
  20. Muito bonito esse carro externamente e o interior bastante inovador, é muito interessante mesmo!
    Só são necessárias duas coisas para ficar perfeito:
    A Peugeot trazer as versões 2 portas e GTI.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Queria muito um 2p :'(

      Excluir
  21. O AK disse: "Os pneus, de baixo atrito, têm medidas 195/60R15 e me pareceram perfeitamente adequados."

    Mas, pra um carrinho desse porte, poderiam perfeitamente ser mais estreitos, não? um 175 aro 14, por exemplo.... ou o que me dizem??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, acho que estética e funcionalmente está bom do jeito que está. Sabe quando uma coisa está tão certinha que dá medo de mexer?

      Excluir
    2. Talvez, mas para a potência e peso dele, acho pouco.

      Estas medidas são quase as mesmas dos pneus da Courier, e pra ela, vazia e com uma excelente calibração de suspensão, às vezes faltava, especialmente em arrancadas. (ok, o motor da Courier é bem forte em baixa)

      Outra coisa que pesa: roda pequena demais para carro desta categoria, isso conta muito no Brasil.
      Eu preferia vidro elétrico nas 4 portas ao invés de roda maior, mas..

      Excluir
  22. Bom, eu não faço lá muita questão do teto panorâmico por dois motivos:

    1) Nunca liguei pra teto solar e similares. Se tiver, beleza, se não tiver, beleza. Não é característica determinante pra eu comprar um carro;
    2) No 208 em específico, mesmo com o banco no ajuste mais baixo, eu bato a cabeça na borda do forro do teto panorâmico (tenho 1,88m de altura) com o encosto na posição ideal para mim. Inclinar o encosto mais pra trás não é uma boa idéia porque tenho problemas na coluna.

    Com isso, digo que - pelo menos para mim - a recém-lançada versão Active Pack seria uma ótima pedida, visto que é, na prática, um Allure (com todos os seus equipamentos) sem teto panorâmico, e 3 mil reais mais barata.

    Quanto ao motor, balizo a conclusão do AK: esse 1.4 é pequeno, mas é valente. Tá certo que acima de 4500 rpm começa a faltar fôlego devido à limitação das 8 válvulas, mas entre 3000 e 4500 rpm o motor fala grosso. Parece ter mais de 80 cv. Como o 1.5 é, na prática, o 1.4 com curso aumentado, creio que a impressão permanece.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O motor 1.6 do fusca sempre foi agradável mesmo tendo apenas 46 cv. O motor do peugeot 1.4 entrega uma boa potência na faixa de uso que você mais utiliza. Realmente ter 80 cv ao invés de 97 do motor 1.4 da gm de potência maxima para o usuario comum não faz diferença.

      Excluir
    2. Luiz AG

      Este testado tem 93 cv.

      Excluir
    3. Luiz AG, faz diferença sim, você que pensa. Pegue uma estrada com ambos, sobretudo naqueles trechos em longos aclives. Depois vem aqui e me fala.

      Excluir
  23. Já tive um 206 1,6 16V Feline. Foi o melhor carro que tive para guiar, e o pior em defeitos e serviços de garantia. Agora estou namorando um 308 THP, mas dá um certo receio, mas pelo menos o motor é alemão e o câmbio japonês... mas a suspensão - que também tive problemas mais cedo que o normal - ainda é francesa. Sei que é impossível pra vocês passarem as impressões fora do prazer de guiar e mais algumas coisas. Você não disse nada, mas geralmente as suspensões dos PSA são mais rumorosas, e pode desagradar alguns, mas nessa nacional podem já tr melhorado bem, como no C3 atual.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. André, os fabricados aqui já estão adaptados. No começo, sim, como você disse, o C3 deu problemas, mas agora os franceses já aprenderam que a coisa aqui é bruta mesmo e ao que parece não haverá problemas com o 208. Parece robusta e é bem silenciosa para a categoria.

      Excluir
    2. André logo acima falo o meu relato ao pegar o 208, e lembrando estávamos com um 207 a quase 3 anos e meio já sem NUNCA dar nenhum problema. Espero continuar assim. Pega o 308 tranquilo!

      Excluir
  24. Muitos aqui elogiam o Peugeot e tal,mas na hora de comprar,a maioria cai fora,basta ver as vendas muito abaixo da meta Peugeot....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo...

      O que mata o Peugeot é que depois de 2 anos, o carro está uma carroça.

      Minha ex. Ranger que rodava pelo menos 25km em estradas de terra diariamente durante anos a fio (fiquei com a Ranger de 0 aos 150 mil km, de 2007 a 2012) batia como o Peugeot 207 com 50 mil km que temos em casa bate internamente, bem como a suspensão. E olha que o Peugeot só roda em Castello Branco e Marechal Rondon...

      Excluir
    2. Corrigindo meu comentário: A Ranger NÃO BATIA COMO o Peugeot bate

      Excluir
  25. Caem fora por causa da assistência técnica falha e do alto custo de manutenção.

    O manual dos Peugeot (todos que li, incluindo o do 208) traz a seguinte informação: "o líquido de arrefecimento não precisa ser trocado". Será mesmo?

    ResponderExcluir
  26. O velho problema do leão francês é a desconfiança do mercado. O 208 parece que poderá começar a mudar este panorama. Agora, creio que uma 'família' com versão sedã cairia muito bem...

    ResponderExcluir
  27. É aquela velha história, o produto é muito bom mas o resto estraga. Eu sinceramente compraria esse carro se ele fosse um Chevrolet, mas com o leãozinho eu passo longe. Comigo a GM sempre foi eficaz, rápida e sempre me tratou bem, na PUG bastou que eu entrasse na concessionária pra que os caras me olhassem como se eu fosse um ser inferior que não poderia estar ali olhando as "maravilhas tecnológicas sobre rodas" deles, vi na mesma hora que se eu algum dia comprasse um carro deles eu estaria enrolado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara eu tenho dois fraceses. Tenho um sandero que comprei a dois anos e a manutenção foi zero nesse tempo. Só as revisões tabeladas. O outro é um 207 2009 que fiz a troca por um celta que tinha para ser o segundo carro. Os carros estão perfeitos, não bate nada e não tive nenhuma surpresa nenhuma na manutenção. Peças ou originais ou de fornecedores de primeira linha. Depois disso penso realmente se vale a pena pagar a mais para ter um carro das 3 grandes....

      Excluir
  28. Estou comprando um compacto por esses dias. A briga está entre Peugeot 208 Active Pack 1.5 por 42 mil. Fiesta SE 1.5 por 42 mil e Gol Rallye por 41 mil.Qual vocês acham mais carro, levando em consideração o país que vivemos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. GuGuida, levando em consideração os país e que vivemos, todos os três são bons carros, resistentes, seguros, econômicos e de bom desempenho. A escolha fica a critério de gosto e/ou necessidade para o seu uso pessoal. Diante disso o melhor é você fazer bons test-drives com eles e comprar o que mais gostar. Nenhum deles tem nada que o desabone. OK?

      Excluir
  29. Obrigado pela opinião Arnaldo Keller. Já fiz o test drive nos 3. O 208 é o "diferente" da turma, com aquele volante e painel incomum, a tela multimídia, a elegância, o design; ponto negativo é a falta dos vidros elétricos traseiros, câmbio de curso longo e barulhento e o motor mais fraco dos 3. O Fiesta SE 1.5 tem a melhor mecânica, câmbio justo e preciso, motor eficiente e posição de dirigir exemplar; pontos negativos, talvez por ser lançamento, problemas de acabamento; ausência de vidros elétricos e alto falantes (até mesmo a fiação) traseiros. O Gol Rallye se dá bem entre esses compactos considerados de categoria "superior". Gosto do design dele, motor competente, bom acabamento, o conhecido câmbio MQ200, boa dirigibilidade, é o mais completo dos 3, vidros elétricos de um toque para as 4 portas, sensor de estacionamento, alarme completo, som com 4 alto falantes e 2 tweters, rodas 16, luz com acendimento automático nos 2 para sois, tilt down etc, o menor custo de manutenção e custando 1000 reais a menos (valor com desconto). A briga é boa, vamos ver qual será a minha decisão.

    ResponderExcluir
  30. O carro parece realmente ser a virada da Peugeot no país, só que frente ao New Fiesta, a versao Griffé faz feio. Faltam os airbags adicionais, bancos de couro, ESP, cambio melhor... Uma pena... Se viesse pra concorrer realmente e liderar o segmento, nao em vendas, mas no conjunto de equipamentos, design, e acabamento. Mas parece que a Peugeot resolveu vender mais Allure e deixar a Griffe desamparada e com poucos equipamentos.

    ResponderExcluir
  31. Marco R. A.17/10/13 18:12

    Uma coisa que reparei ao testar o 208 e o Fiesta, é que o 208 tem o apoio do pé esquerdo mais largo e mais confortável que o do Fiesta. Em longas viagens isso faz diferença.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.