HISTÓRIA DE TRÊS AMIGOS E UM VOLANTE

Chuck (esq} e Dave com o volante
Há por aqui um senhor, já de idade, que se chama Chuck. Ele serviu durante a Segunda Guerra Mundial como piloto de PBY Catalina na campanha do Pacifico. Quando digo “de idade”, quero dizer que ele está por volta dos 90. A mulher dele já morreu muitos anos atrás, os filhos provavelmente tem entre 60 e 70, os netos já com uns 40 e tantos, os bisnetos já se formando etc.

Bem, além de ser homem de família, ele é também entusiasta de carros, com uma seleção na garagem de casa grande e requintada. Especialmente de carros Maserati. Se me lembro certo, tem um Ghibli, um Bora, um ou dois Merak, um Spider Zagato biturbo, um 4200GT cupê 2002, um Osca spyder. E vários Jaguares XJS e XJ8, um Cadillac XLR relativamente novo, um Lamborghini Espada Serie 1.5 lindo prata com interior original em azul e um Packard 1932. Ah, quase esqueci o 308 GTB. E o SM. Ou será que são dois? E os vários motores de SM no chão da garagem. E um Cord 812, ou talvez dois. E que mais? Esqueci alguma coisa? Sei que são 16 carros completos. Ou será que são 18? 20? No mínimo, dar para ver que ele é colecionador de categoria. Quer dizer, um autoentusiasta!

O Chuck tem um amigo que se chama Dave. Esse colecionador também tem uns Jaguares XK e E-Type e talvez alguns mais modernos.

Um dia o Chuck descobriu que tinha um volante de madeira e alumínio em casa, provavelmente feito nos anos 1950 para usar num carro esportivo inglês. Só um problema – não tinha carro da idade e nacionalidade certa para colocá-lo. E com isso, deu o volante para o Dave, que já tinha uns Jaguares por aí que ofereciam possibilidades de instalação. Dave recebeu o volante com todo prazer, e pesquisando bem, notou que tinha um autógrafo estampado num dos raios. O nome era de um tal Stirling, conhecido de Dave.

Dave sempre bem acompanhado, desta vez com John Fitch

Mas o que era esse volante? Querendo saber mais, o Dave escreveu uma nota rápida a Stirling, e logo após recebeu uma resposta que, traduzida para o português, diz:

Prezado Dave. Agradeco a sua carta do dia 17 (de abril de 2009).
Faz muito tempo ninguém fala comigo sobre o volante “Stirling Moss”. Espero que esteja em boas condições para o seu uso. Se me lembro, eram bem feitos.
Geralmente fico em Pebble Beach em vez de Monterey, mas esse ano espero ter a chance de dirigir um Lola em Laguna Seca.
A única coisa que posso dizer sobre o volante é que recebi umas 5 libras esterlinas por cada um vendido!
Abraço e ciao, Stirling Moss, OBE

Carta do Stirling

Bem, o Stirling nao ofereceu muitos detalhes, mas no mínimo parece que foi produzido por Les Leston nos fins dos anos 1950 ou possivelmente no começo dos 1960, e fabricado na Inglaterra em metal e madeira. Além disso, difícil saber, mas de qualquer jeito é bonito e muito vistoso, uma coisa que qualquer um gostaria de pôr no seu XK ou Mark II da época. E bem consistente com o costume e moda da época, e até bem parecido com os volantes contemporâneos fabricados pela Nardi na Itália. 

Folheto do volante Les Leston

E o que aconteceu com esse? O Dave instalou num XK-140 DHC (drophead coupe, ou conversivel em portugues) da coleção dele. Coisa de quem só pode ser entusiasta!

Stirling num W196 de 1954/55, comentando a Dave, “Sou eu me divertindo!”

RP

6 comentários :

  1. luizborgmann09/06/11 16:15

    O royaltie de £ 5 a cada vendido é pouco, você não achou? A Les Leston racing equipments fez um baita negócio. Lembro que a moda nos anos 60 e 70 era os equipamentos da Les Leston, me parece que o Emerson usou não foi? Não foi o Wilsinho que trouxe aquela marca para distribuir no Brasil?
    Muito bacana a matéria.
    luiz borgmann

    ResponderExcluir
  2. Yá mal de amigo o Dave hein? Invejaaaa, hehehe.

    Falando sério agora...
    Luiz, talvez nem seja tão pouco, 5 libras na época eram muito mais que hoje, já que naquele tempo um XK não custava nem 10 mil.

    ResponderExcluir
  3. Semelhante aos volantes Formula 1 do Emerson Fittipaldi aqui no Brasil(resguardando as devidas diferenças e a falta da assinatura)Eu tenho um do E.Fittipaldi que acabei de restaurar,uma peça mesmo muito legal

    ResponderExcluir
  4. O famoso "volante com pedigree"... show!

    ResponderExcluir
  5. O preco de lancamento do E-Type 61 na Inglaterra era de L2097. Com a venda de 420 volantes, ai o Stirling teria dinheiro suficiente para comprar o carro.

    ResponderExcluir
  6. uizborgmann, £ 5 é pouco hoje, 50, quase 60 anos atrás era muito mais dinheiro.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.