TROCANDO MARCHAS

Fotos: autor


Como o Marco Aurélio Strassen já escreveu aqui, muitos dos nossos fabricantes acham que quinta longa é erro. Um troço que me incomoda é andar com o motor em giro acima do necessário numa estrada em que sou obrigado a andar numa velocidade mais baixa.

No Bravo, o que não faz tchkloink, encontrei a quinta 0,945:1 (37/35 dentes) que, junto com o diferencial 3,555:1,  me oferecia 105 km/h a 3.000 rpm. Ficava bem claro que podia estar girando menos para andar o mesmo. No geral as quatro primeiras marchas são bem adequadas, mas a quinta era curta, irritantemente curta.

Outro carro que uso aqui é um Marea 2,4, que tem um diferencial mais longo que o do Bravo, no caso 3,353:1 com uma quinta 0,919 (37/34), não chegava a 40 km/h por 1000 rpm, ainda que tendo muito mais torque disponivel que o Bravo, por conta do maior curso do virabrequim, acabava ficando mais longo, mas ainda sim aquém do que poderia ou deveria ser no meu ponto de vista. Ou seja, repetia, guardadas as devidas proporções, o Bravo. As quatro primeiras, ótimas, talvez até um pouquinho de nada mais longas que o ideal, mas quinta curta. Menos irritante do que a do Bravo, mas definitivamente mais curta que precisava.





Por acaso eu também tenho um Alfa 156, carro que muito me agrada, mas que também tem a meu ver uma quinta relativamente curta. Como é um esportivo com motor bem agudo, e é relativamente pesado, tem o diferencial mais curto ainda que o do Bravo, 3,73:1, e a mesma quinta 0,945:1. Aqui vai um comentário: como é esportivo mesmo, tem que ser mais curto e é, mas a quinta enchia um pouco.




Aí minha paciência acabou. Botei uns trocados no bolso e fui a caça de pecinhas legais no lugar predileto dos verdadeiros entusiastas: o ferro-velho.

De cara, eu já sabia que de uma forma ou de outra, os carros citados acima, mais a Elba 1996 1,5-l e o outro Alfa 145 que tenho, todos usam o mesmo câmbio. Mudam detalhes, mas as engrenagens, sempre as mesmas.

A Elba 1996 1,5-litro

O Alfa 145

Um comentário: trocar diferencial é um saco, tem que tirar câmbio, desmontar isso e aquilo, as quatro primeiras marchas idem. Mas a quinta linda e maravilhosa não. Você consegue trocar ela numa boa, tirando apenas a roda dianteira esquerda, meia duzia de parafusos, a tampa lateral do câmbio — na verdade, traseira, motor é transversal —, mais um parafuso e duas porcas. Simples não? Parece interessante demais, não é? Pois é, é interessante demais. Mas o que pôr no lugar do que está lá? Os Fiats têm uma opção legal de quinta marcha mais longa disponivel para este câmbio que é a 0,838:1 (37/31), e uma outra, quase tão legal quanto que saiu nos Tempras, Tipos e Bravas, 0,871:1 (39/34), que é facil de conseguir, mais facil até que a 0,838:1.

Qual o plano ogresco? No Bravo e no Marea, sem pestanejar 0,831 e no 156, mais pesado, 0,871:1. Não queria que ficasse longo demais a ponto de atrapalhar o motor a encher relativamente rápido a quinta em estrada. Nos Fiats, mole, sabia que os diferencias estavam certos e tinha a curiosidade de saber se depois eu não ia querer pôr o diferencial 3,35 do Marea no Bravo. Então o Bravo foi o primeiro.

E valeu muito a pena fazer ele antes dos outros. O diferencial 3,55:1 no 2,0, que é menos torcudo que o 2,4, é casamento perfeito, se alongar estraga as primeiras marchas que vão ficar longas demais e a quinta vai ficar além da conta, inútil. Logo, nele o certo é o escalonamento padrão de primeira até quarta, a quinta 0,831 e o diferencial 3,55:1. No fim, v/1000 em quinta de 40 km/h, perfeito, a única hora em que parece ter um buraco entre a quarta e a quinta maior um pouco que o desejado é se esticar a quarta até, digamos, umas 6.000 rpm e puxar a quinta rápido, a rotação vai cair um bocado, para 4.500 rpm, mas em uso normal, você está, digamos, 80 km/h em quarta a 2.700 rpm, engata a quinta e a rotação cai para 2.000 rpm. No meu uso e sensação, perfeito.

A segunda vítima foi o Marea 2,4. Neste o resultado foi apenas perfeito. Passa um pouco de 40 km/h/1.000 rpm em quinta, algo como uns 43 km/h/1.000 rpm, a 3.023 rpm você está a 130 km/h reais. O motor tem torque suficiente para retomar velocidade em praticamente qualquer rotação, e as primeiras marchas permanecem intactas. Ele tinha 0,919:1 originalmente e passou para 0,838:1.

Terceiro, o Alfa 156, tinha uma 0,945:1 e coloquei uma 0,871 como escrevi acima. Não matei a quinta, ganhei algumas rotações a menos na mesma velocidade, e atingi meu objetivo.

Abaixo, a seqüência de fotos que fiz do Bravo na oficina para a troca de quinta marcha. Vale informar que todo o procedimento foi feito em menos de uma hora e meia, tudo relativamente simples, com os comentários pertinentes após cada uma das fotos.
 
Isso é o que se vê ao tirar a roda, com o carro elevador

Retire os parafusos que estão com círculos vermelhos

A retirar a tampa lateral (traseira) do câmbio, esta é a visão das peças


Como na foto acima, só mais perto

Na foto abaixo, veja os pequenos circulos, são travas nas engrenagens, que devem ser desamassadas com uma pequena e fina chave de fenda ou talhadeira antes de tentar soltar as porcas que prendem as engrenagens.

Nos círculos, as travas que precisam ser desmassadas

Abaixo, as porcas que devem ser soltas, bem como o parafuso que prende o garfo da quinta ao eixo seletor.



Tire o parafuso e depois solte as porcas. Com as porcas fora, retire cuidadosamente as engrenagens, porque voce não vai querer que o cubo deslizante e as travas da engrenagem desmontem e caiam no chão, é um saco de remontar.

Neste ponto, é só fazer o caminho inverso, repor as engrenagens indesejadas por outras de relação correta, remontar as porcas, lembrando de travar elas batendo com ua talhadeira cega depois de apertadas, repor o parafuso do garfo e repor a tampa lateral do câmbio. Não vai junta ali, limpe bem, ponha um bom silicone para vedar e está feita a bagunça.

Se o fabricante não te mandou o carro com a quinta dos seus sonhos, agora você pode resolver este pequeno inconveniente em casa mesmo, ou na sua oficina favorita. Claro que se até eu consegui fazer, qualquer mecânico minimamente habilidoso consegue também.

E no ferro-velho, diga que não sabe de qual carro são as engrenagens que você precisa, é para instalar num Palio 1,6 velho. Essa resposta idiota vai livrá-lo de horas de discussões inúteis. Palavra de ogro....

AG

131 comentários :

  1. Eduardo Silva04/04/14 12:13

    Sabe se no bravo que faz tchkloink dá para fazer também? Em teoria o câmbio deveria ser igual não?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenho certeza absoluta, mas acredito que sim.

      Excluir
  2. Bela postagem ,salvo que o sr não incluiu aquela caixa de seis marchas do Siena ,que faz tudo que o sr falou e mais um pouco ,hehe 2 -É aconselhavel que se troque essas porcas trava nessa operação ,alem de usar um loctite trava-rosca ,para que elas não soltem-se com o torque ali gerado .3 o sr não ensinou o macete para travar o conjunto para que se solte as porcas ,afinal não é todo mundo que tem uma pistola pneumatica em casa aqui vai a) engate uma marcha qualquer desde que não seja a a quinta nem a ré ,solte o parafuso do garfo da quinta ,empurre o conjunto sincronizador para que ela tambem engate ,pronto agora é só pegar um cachimbo 30 ou 32 (depende do cambio) e soltar as duas porcas ,repetir essa operação na montagem ,senão não conseguirá apertar de forma satisfatória as porcas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, faltaram sim as dicas, mas vc já mandou elas aqui, problema resolvido! Mandou bem!
      O cabio de 6 marchas até onde eu sei não troca peças com os demais cambios fiat.
      Idem pros cambios dos marea turbo. E parece que os antigos dos 147 com trambulador por baixo do cambio tb não! Mas isso aí que eu estou comentando são eu acho. Veja, eu não sou um expert em fiat, apenas fiz um post sobre uma situação especifica, ok?

      Excluir
  3. Como a quinta do meu ex-Marea 2,4 me incomodava... E em uma ocasião cheguei a abrir essa tampa na oficina, porque a trava dessa porca tinha se quebrado. Se eu tivesse essa informação na época, teria feito com certeza.
    Alguma percepção de melhora no consumo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nenhuma, a diferença é pequena demais para voce sentir alguma coisa no consumo em uso urbano. Faria diferença em estrada, com cuidado na direção etc....

      Excluir
  4. Queria alongar a 5a do meu 325i E36. A 100, o motor grita em uns 3000 rpm, a mesma rotação do meu fit 1.5 com quase metade da potência e 200kg a menos...
    Vc tem alguma idéia da dificuldade desse alongamento?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinceramente não conheço o cambio das BMW para poder te oferecer uma resposta correta. Vou ficar te devendo esta.

      Excluir
  5. Setor H Norte mesmo? Se for lá, sei que tem um ferro-velho especializado em Brava e Marea, uma visão triste, mas muito útil para os donos desses carros.

    E Bravo por essas bandas não sabia que tinha.

    ResponderExcluir
  6. Esse é dos meu.. fazer uma reengenharia de algo que é padrão pra todos os outros mas que traz mais benefícios que malefícios.. Isso é o que deveria se chamar de Tunning de verdade. Não esse carnaval ambulante que se vê por aí... Que mais pessoas gostem de seus carros por coisas assim.

    ResponderExcluir
  7. Pergunta boba:

    Aquela caixa de 6 marchas do Siena é compatível com algum outro motor da Fiat?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A flange não bate com os motores da família free.

      Excluir
  8. Grande post! Por isso q sempre entro neste blog!

    ResponderExcluir
  9. Uma pergunta que talvez seja meio cretina mas que pode solucionar o que eu estou vivendo aqui. Tem como montar o par de engrenagens invertido?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vairas respostas aqui:
      Marcos, sim, no H norte mesmo, conheço o ferro velho a que vc se refere, é util e o carinha lá tem algumas coisas legais, vale a visita.

      Juliano,
      Obrigado! É, este bravo é meio mosca branca, tem outro, não é o unico, mas definitivamente é raro.

      Marcos Alvarenga,
      Ela cabe em motores fiasa. Mas as engrenagens são finas e não misturam com as demais caixas fiat. Sinceramente ela é pior que as caixas comuns, a primeira não é a mais curta nem a sexta a relação mais longa possivel. Se vc quer mesmo fazer uma caixa bem legal sem esquentar a moringa, fica com as caixas normais, tem 2 opções de primeira, segunda terceira e quarta sempre as mesmas e uma penca de quintas marchas de .972 a .838 e diferenciaos de 4.XX até 3,35/1. Na boa, é impossivel não fazer um conjunto bem legal que vá atender a qualquer carro que vc monte e basta trocar a capa seca que fecha o cambio e é possivel instalar em qualquer motor fiat/alfa.

      Anonimo, não rola, uma engrenagem é deslizante e a outra fresada, não tem como fazer.

      Felix e quem mais curtiu: valeu! Este é sempre o meu plano, mostrar quão simples é fazer voce mesmo uma penca de coisas super legais que fazem um mundo de diferença nos carros que gostamos tanto.

      Excluir
  10. Show de bola!!! AE 4ever!!

    Pro câmbio GM F17 o procedimento é o mesmo???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. An,
      Já procurei uma especializada em transmissões, possuo uma Montana e me foi oferecido este procedimento de se alterar somente a relação de 5a. Curiosamente um VW Polo se encontrava na oficina para realizar o procedimento e foi utilizado para me explicar como seria feito. O problema para a F17 é encontrar diferentes engrenagens para a 5a, talvez recorrendo à algum Vectra importado...Quanto à Montana, achei que só a 5a alongada não resolveria ( a máxima em 3a é de 106 km/h somente!) então vou aguardar uma troca de embreagem - se esta ocorrer antes de eu vender o carro - para realizar a troca de diferencial de 4,87 para 4,19 do Corsa...por ora sigo com o motor urrando pelas estradas.

      Excluir
    2. boa pergunta. tbm gostaria de saber....

      Excluir
    3. HM

      Pois a minha intenção não é nem por um caso absurdo. Tenho um carro até longo, dos mais longos do seu tempo e talvez até hj: um Astra motor C18YE e câmbio F17WR (pneus 195 60R15). Em 5ª a 120 da mais ou menos 3100 rpm. Mas eu queria baixá-la um pouco mais, abaixo de 3000, e sem mexer no resto. A 4º pra potência acho q está ok, se meus cálculos não estiverem errados, a 120 km/h ela está em quase 3900 rpm, e é capaz de ir até 170 km/h a 5500 rpm. Já a 3ª vai a mais de 120 a 5500 rpm. Então eu acho q o restante do câmbio tá legal, só essa 5ª q podia ser pouca coisa mais longa, pra 120 a +- 2700~2800 rpm (ou 2500 como no primeiro Fox Bluemotion, o 4 cilindros). Inclusive, me parece pequena a queda de rpm quando da troca de 4ª pra 5ª, comparativamente com as demais. A queda quando entra a 4ª é bem maior.

      Excluir
    4. O que eu ouvi é que uma das relações mais longas possiveis pros GM é a dos monzas a alcool, dos ultimos anos. Até onde sei as engrenagens deles todos trocam numa boa. 4,87/1 é molecagem, só pode....4,19 é super curta. No 156 tem 3,7X e eu já acho irritante de tão curta, se não fosse pelo motor ardido, ia ser um saco de guiar o carro.
      Aí catando com calma, procurando em fichas tecnicas e manuais, se ve quais as relações mais legais para por nos carros. Mas eu acredito que trocar apenas a quinta dos GM já faça uma boa diferença, igual do jeito que fiz nos fiats.

      Excluir
    5. O problema, no caso do Astra, é que a relação de quinta mais longa disponível, do Monza, é 0,71:1, enquanto que a do Astra WR é de 0,76:1 (salvo engano). A diferença é bem pequena.

      Excluir
    6. Pois é Anômalo, mas ó que legal: achei na net que o Kadett GSI 91 usava um diferencial 3,72:1. Com essa 5ª 0,71 daria uma V/1000 de 43,9 km/h/1000 rpm, 120 km/h a pouco mais de 2700 rpm. Taria legal. Única coisa é q teria q ver a necessidade ou não de encurtar as outras, o que tbm se constituiria um problema, pois a primeira dele já é uma das mais curtas que encontrei nesses GM Família 2 (3,73:1). A segunda, pelo que encontrei seria a de 2,16:1, tbm do Kadett GSI, só para não ficar um buraco mto grande entre 1ª e 2ª. As outras ficariam como estão. Será que é possível um intercâmbio de peças entre os câmbios dos motores Família 1 e 2?? E será que o conjunto todo suportaria essas mudanças?? Não haveria aí uma questão de maiores esforços a que estariam submetidos as carcaças e demais componentes do conjunto??

      Excluir
  11. Alexandre e toda equipe do Autoentusiastas.
    Vocês conseguem o impossível: publicar um post melhor que o outro! Impressionante.
    Que bela aula de como melhorar o carro sem gastar rios de dinheiro.
    Alias, eu acho que a 5ª marcha curta tem explicação: preferencia nacional. Por muitos e muitos anos este país era abastecido por carros com 4 marchas, tanto que me lembro que na lista de opcionais de vários modelos, lá constava a 5ª marcha.
    Quando alguém comprava o carro com este "acessório", muitos estranhavam a mudança de comportamento do carro devido a queda de rotação. Isso somada a dificuldade maior para retomar velocidade, pois os tupiniquins parecem não gostar de usar o câmbio, como o Bob citou em um de seus posts.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fábio,
      Compartilho mesmo pensamento, tornou-se cultura nacional achar que carro tem que trafegar, retomar com vigor e ter força quando em 5ª a 60kmh, nada mais ridículo, mas os marketeiros imperam e forçam as engenharias dos fabricantes a fazerem bobagem, fuel economy vai pro saco e ninguém se importa, ruído incômodo em velocidade de cruzeiro, mandam então aumentar material fonoabsorvente, o Ogro foi a salvação.
      Abs

      Excluir
  12. No Punto 2013/2014 o motor em 5 marcha berra prá "baralho", se não vender o carro, vou atrás da sua ideia!!!

    ResponderExcluir
  13. Estou com dois Versailles na garagem. Um é 92/93 2.0 gasolina e o outro é 91/92 2.0 álcool, ambos carburados. Mas eu noto diferença nos dois com relação a isso. No primeiro, é nítido que as relações são mais curtas. É desagradável andar a 100km/h. Parece um carro 1000. Ótimo pra cidade, ruim pra estrada. No álcool é o contrário, principalmente a 5ª. É um autêntico carro de autoestrada.
    Alguém tem explicação pra isso? A Ford botou diferentes versões de câmbio neste carro?

    João Paulo

    ResponderExcluir
  14. AG meu amigo, ta faltando um V6 italiano nessa sua frota hein!!!
    Por favor me tire uma dúvida, qual relação você acha que seria mais ideal para alongar a 5ª do Stilo 1.8 16v 2003 que é 0,919? E em qual Fiat vem estas relações que descreveu?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fabio,

      O Marco Aurelio já tinha comentado isso aqui. É uma mistura de esperteza marketeira picareta misturada com falta de noção e ignirancia mesmo. Mania besta de querer andar na ultima marcha na cidade e passar em quebra mola e virar esquina em quinta. O pior é que a gente acaba sem opção, este caso que eu resolvi descrever é ridiculamente simples, no caso de carro com motor transversal é simples de fazer. Este serviço nos meus carros em media me custou menos de 200 reais por carro, tipo 100 das engrenagens, que voce devolve a sua pro cambista e ele ama receber engrenagens boas de volta e mais digamos 100 de mão de obra. Mais mequetrefe impossivel, sonho de qualquer quebrado que queira fazer um troço legal sem gastar.
      E sim Marco, ogro serve pra essas dicas salvadoras da patria!

      Anonimo, mole troca sem sofrer e seja feliz.

      Anonimo,
      O Versailles teve mais de uma relação de cambio, nas marchas todas pode mexer bastante e tem alguns diferenciais tb. Te aconseglho a catar um bom cambista se quiser acertar os carros, ele ve o que tem no que é legal e copia no outro.

      Leo,
      O V6 vai vir mais ali na frente, uma coisa de cada vez, deixa eu terminar de aprender a brincar de fivetech e de twin spark que eu ainda estou engatinhando!
      No seu caso, 0,919, 37/34 voce tem opções mais legais como 39/34, 0,871 e 37/31, a maravilhosa 0,838. A diferença entre elas isoladamente é pequena, se o carro andar muito curto e vc acharr que tem folga demais para mexer, ponha a mais longa. Estas engrenagens, a 39/34 é de tipo/tempra e brava hgt, a 37/31 é de alguns palios e outros da linha uno. Não é em qualquer uno ou palio que tem, ok?

      Excluir
    2. Caro AG,

      Torço para que o V6 venha a ser aquele maravilhoso (em visual e som) motor do Alfa 164.

      Parabéns pelo post, de excelente valia mesmo!

      Abç!

      Leo-RJ

      Excluir
    3. Eu, as vezes, tenho sonhos eroticos com um 155 super, preto, bancos de couro e um V6 embaixo do capo....claro que não original, que é quase impossivel de conseguir, mas feito por mim. Aqui perto alguém fez um brava 164 e ficou muito legal. Ficaria muito feliz com 12V mesmo.

      Excluir
    4. 155 super, andei bastante com ela, meu compadre tinha um preta com os bancos originais em tecido cinza com costura vermelha. Ele também sonhava em colocar um V6 nela.
      Obrigado pelo toque a respeito das relações AG, vou verificar se dá mesmo no cambio do Stilo ou se a caixa tbem é GM.

      Excluir
    5. LEO,

      No Stilo o motor é chevy, mas cambio fiat, com certeza, as engrenagens servem sim, pode trocar. Mas o legal seria ver direito antes de abrir qual a relação que está nele para evitar perda de tempo de abrir e ver que está no limite e não tem o que fazer ou só trocando diferencial, ok?

      Excluir
    6. AG, espero que possa me tirar a dúvida, pois o pessoal no forum do CSB ficou com várias duvidas a respeito. Como já foi dito, o câmbio é fiat, a engrenagem com relação 0,872 é disponível também para strada working 1.4 nova. então mecanicamente, seria apenas trocar a engrenagem. As duvidas são: que outras peças são necessárias substituir, e se teria alguma interferencia na parte eletronica do stilo que é um pé-no-¨#%@!. Espero que possa responder amigo.

      Excluir
    7. Leo,

      O cambio é fiat. Não tem que substituir mais nada, não pegadinha, ok? tira uma relação, põe a outra fecha e deu, nada eletronico, nada além do que foi mostrado aqui. Não precisa ser um von braun pra fazer, veja, até ogro faz, mole mole.

      Excluir
  15. Graças a Deus faz 1 ano e meio que não sei mais o que é quinta longa ou curta demais, CVT!!! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Reiter
      Falar isso aqui no AE ... você vai tomar bordoada de tudo quanto é lado, sem dó nem piedade...
      Te prepara!

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. CVT so e bom com transito pesado
      Em estradas chega a ser chato de tao monotono!
      Se voce pega muito transito deve estar realmente feliz.

      Excluir
    4. Reiter04/04/14 13:41 Cambio CVT ,quanta emoção zzzzzzzz......

      Excluir
    5. Cambio CVT , Aff !!!! Sai de mim.... Saravá!
      Quanta emoção zzzzzzzz...... 2X
      Mas cada um sabe o que e melhor para si mesmo.

      Excluir
    6. CVT faz fumaça nos pneus?

      Excluir
    7. Concordo com o Reiter. Eu tenho um Fit 1.5 CVT e é perfeito pois faz o que eu quero. Quando quero economizar faz 17km/l e quando ando com pressa faz 14. Excelente na arrancada deixando muito motor superior para traz.
      Eu tinha um G5 1.0 básico e como não tinha nada pendurado no motor (ar/direção) e tinha que trocar a embreagem, aproveitei e troquei o diferencial para o do 1.6 e ficou bom+!!!
      Andava sempre com o giro baixo aproveitando as pistas de Brasilia e quando precisava, era só reduzir sem medo de ser feliz!!! No Álcool foi de 12.5km/l para 14km/l.

      Excluir
    8. Eu acho CVT bom, dirigi um Sentra com esse câmbio por uns 15 dias em São Paulo e achei ótimo pros congestionamentos e na estrada tem a vantagem de só rodar no ponto ótimo de potência ou economia de combustível.
      Na questão prazer de dirigir até acho que o câmbio manual é melhor para a estrada, mas sejamos sinceros, na cidade (que é onde 95% das pessoas passa 95% do seu tempo) um bom automático é o melhor, ele tá sempre na marcha certa, não cansa a perna esquerda se você ficar duas horas no trânsito e ainda evita um erro comum: numa situação de emergência o motorista pisar no freio com força e embreagem ao mesmo tempo (que acaba aumentando a distância de frenagem)
      Outro argumento: com a quantidade de motorista meia roda por aí, que não sabe usar uma embreagem, que não sabe o ponto correto de passar uma marcha sob baixa demanda ou que não sabe fazer a redução adequada de marcha(s) pra potência que o motorista necessita para uma ultrapassagem em tempo adequado na estrada, sou a favor do automático e mais ainda do CVT por sua suavidade e eficiência.
      Acho que o pessoal deveria usar um carro (talvez um scooter) com CVT uma semana e ver que as vantagens dele que são bem maiores que sua única "deficiência" que é a ausência do solavanco que pode ser satisfatório em algumas situações, mas que geralmente são uma incomodação.
      (Minha opinião)

      Excluir
    9. Meu avô ia gostar.

      Excluir
    10. Reiter,

      Eu já andei e guei carros cvt. Na boa, não fiquei feliz, não senti vontade de ter um.
      Entendo e respeito sua preferencia, mas passo.

      Excluir
  16. Pergunta besta: teve que esgotar o óleo do câmbio? reaproveitou ou trocou de vez?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não precisa nem se preocupar, quase não sai oleo, mesmo que o nivel esteja completo menos de 1/2 litro faz o nivel de novo. Reaproveitar é o cumulo da mão de vaquice, e o oleo escorre e pega sujeira no caminho, por de volta é uma péssima idéia.

      Excluir
  17. Parabéns pelo post. Muito bem explicado. Gostei.

    ResponderExcluir
  18. Interessante mesmo, gostaria de poder fazer o mesmo no conjunto motor/câmbio Renault K4M.

    ResponderExcluir
  19. Brasília é uma cidade de 5ª mesmo... hehe. Desculpe não resisti ao infame trocadilho. Adoro Brasília e quero um dia voltar a morar lá.

    ResponderExcluir
  20. AG,

    Curti muito este DIY ;-)
    Vou estudar como fazer na minha Alfa 155 !
    Mande mais artigos assim... são ótimos para quem é mão na massa como eu :-)
    Abração do Tio Mau - ARBR !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tio Mau,

      Valeu! Na 155 e nas demais sempre vem 37/35, 0,971, ultra curta, se puser uma 39/34 já sente boa diferença sem matar muito ele em quinta. A 156 ficou assim, mas andei bem pouco com ela depois da troca, tá super chuvoso aqui e não quero andar muito rapido com ela no molhado. Em breve seca e aí, meu amigo, o bicho pega! Mando uns comentarios com as impressões especificas da torca nela. O pouco que rodei me pareceu ainda bem legal e adequado. Abração!!

      Excluir
  21. Quer adotar um ajudante? Trabalho por comida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem tanta coisa aqui por fazer que vc vai ficar um obeso morbido, KKKKKKKKK

      Excluir
    2. Alexandre; valeu. ótimas ogrodicas! Eu trabalho de graça também, não precisa me pagar comida e ainda dou algum para pagar as aulas. Abs!!

      Excluir
    3. Opa, tá começando a melhorar. Acho que quando aposentar vou abrir a escolinha do titio ogro, vai ter uma meia duzia de alunos, eu acho, hahaha

      Excluir
  22. Olá Alexandre, excelente matéria como sempre e esta vem bem a calhar para o meu problema. Tenho um Prêmio 91 1.5 Fiasa. o antigo dono substituiu o cambio por um de uno 1.0. as quatro primeiras marchas são boas. Mas a 5° parece ser mais curta que a quarta. Qual relação de 5° marcha você me indicaria? E de qual carro seria???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aléssio Marinho04/04/14 18:11

      Vc tem o mesmo problema que tive. As relações das marchas do Electronic são iguais na 1ª, 2ª e 3ª. A 4ª e 5ª aliadas a um diferencial mais curto mata o carro. Pra vc ter ideia, retifiquei o motor do meu Uno por excesso de rotação, pois na época não tinha conta giros. A 140 motor girando a uns 7000 rpm...hehehe
      Resolvi instalando um diferencial do 1300/1500 e mantendo as outras marchas. Mas estou à procura de uma 5ª mais longa 0,83 do Uno comando embaixo, mosca branca do olho azul.
      Isso tudo pois meu carro tinha 4 marchas e toda hora ficava procurando a 5ª, no que chamo de "efeito kombi", na gana de colocar uma de 5 marchas e ainda achando que seria mais longa, a 4ª do cambio do Uno 1300 equivale a 5ª do Electronic.

      Excluir
  23. Ótimo post, será muito útil quando conseguir comprar meu Alfa 156.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Voce pode partir para um V6, onde nao ha esse problema.
      Porém o cambio é automatico

      Excluir
    2. V6 saiu manual também.

      Excluir
    3. Pois entao ache para comprar uma 156 V6 com cambio manual..
      Duvido !

      Excluir
    4. Srs: cerca de 6 anos atrás cismei com esta 156. Queria porque queria um. Procurei, achei, entrei no carro e não me coube direito. Mesmo assim dei uma volta e não me entusiasmei. Uns 6 meses depois, ainda com o bicho na cabeça, andei em um na terra onde ele desembarcou e baixei o pé morro acima, na reta e morro baixo. Carro pouco rodado, uns 50 mil km. O carro era LERDO FEITO TARTARUGA! Não andava, não desenvolvia, motor não subia fácil, eu esticava as marchas e nada. Comprei meu GALANT, mesmo com cambio automático, e fui ser feliz com meu 2.5, V6!!! O carro só para de subir giro quando vc quer! Já coloquei 220 por hora no bicho na Carvalho Pinto, entre um radar e outro, e ele andou em trilhos. Se for comprar Alfa, pega a 164 com seu V6 de 3 litros. Esta anda e tem manual e automática a seu gosto. A 156 é linda mas é muito, muiiiiito fraca!

      Excluir
    5. Alfa 156 2.0 nao anda ????
      Acho que fraco era o motorista !

      Excluir
    6. Anônimo05/04/14 13:54, Como já dizia meu avô: " Quem ACHA não sabe! ". Para vc ter qualquer opinião vc precisa dirigir e precisa também saber de quem vc fala. Que o carro não anda tá comprovado ( não só por mim mas por várias pessoas), pois eu o dirigi e vi que o carro é igual aquela cronica de Nelson Rodrigues: " Bonitinha mais ordinária" . Carro fraco. E se vc ACHA forte, mostra que vc nunca teve oportunidade de andar em algo mais forte.

      Excluir
    7. Isso é só pra tumultuar. Só pode. 156 lerda? só de estivesse com algum problema mecanico sério, mas normalmente este problema fica sempre na peça que senta atrás do volante....é cada uma que a gente ouve que é de lascar. Se der uma googlada sobre todos os testes e impressões ao dirigir dos alfas twin spark, todos sem exceção são prosaicamente elogiados como extremamente esportivos, rapidos e prazeirosos de conduzir. E giram, mas giram muito mesmo. Sem preguiça, sem lerdeza, sem aspereza.

      Excluir
  24. AG, experimente adotar o câmbio do MT ano-modelo 1999 (fabricação 1998) que possui diferencial alongado e uma relação de marchas bem agradável, ficará perfeito no seu Bravo 2.0. Como a caixa do MT é menor, precisará adotar os suportes de motor do MT bem como o eixo de reação que vai preso à torre de suspensão, a vantagem é o motor deslocado que possibilitará a troca de correia facilmente sem manobras exigidas no 2.0/2.4 e o câmbio do MT é mais resistente também. Ah, exigência é trocar os semi-eixos e trambulador completo também, mas vale a pena. Após 1999 houve uma alteração no câmbio do MT que acabou encurtando algumas marchas, deixando-o meio irritante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hugo,

      Muito obrigado pela sugestão, dica anotada. Já estou começando a catar o cambio do MT.

      Excluir
  25. marcus lahoz04/04/14 15:37

    espetacular.

    ResponderExcluir
  26. Sergio Scagnolato04/04/14 15:52

    Muito bom o texto !! Parabéns.

    Gostaria de aproveitar o assunto e compartilhar com os amigos autoentusiastas um programa para calculo de velocidade com base nas relações de marcha, rpm do motor, medidas dos pneus.
    Se alguem quiser contribuir com mais relações de cambio e diferencial de outros carros, posso acrescentar na tabela.

    O programa está nesse link
    http://scagnolato.com.br/v1000/calculo.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, boa tabela, já tinha visto ela, já que vc é o dono da tabela poderia colocar espaço para a 6ª, 7ª, 8ª e 9ª bem como 2 diferenciais diferentes (desculpe o trocadilho) pois existem cambios com duas embreagens e dois diferenciais e existem câmbios com 9 marchas em desenvolvimento.
      Usando uma tabela parecida com a sua vi que o classic/celta pode ter um cambio 4+E pois é só trocar o diferencial 4,87:1 por uma da do prisma (3,97 se não me engano), irão ver que se for plotado um gáfico velocidadeXrpm (x-y) a 5ª do cambio mais curto quase que coincide com a 4ª do cambio mais longo.
      Bob, ou algum editor do AE, poderiam testar esse experimento e nos relatar as impressões (ou seja, trocar o dif 4,87:1 pelo 3,97:1 no classic/celta)? Seria então um celta "Blue Motion"?

      Lucas Sant'Ana

      Excluir
    2. Lucas, eu já fiz isso pra você.

      Realmente fica interessante, mas a contrapartida é que a capacidade de lançamento fica bastante prejudicada. Peguei de exemplo um Classic VHCE com A/C que tem peso em ordem de marcha de 980 kg. Se você carregá-lo com sua capacidade máxima ele vai para 1420 kg (440 kg de carga útil). Nessa condição e usando o diferencial original (4,87:1) sua capacidade de saída é da ordem de 50,62% de inclinação de rampa.
      Se você trocal o diferencial original pelo do Prisma - de 3,74:1 e não 3,97:1 - ele não passa não consegue sair de nada além dos 38,88%, uma tremenda piora.
      Para se calcular isso usa-se a relação de 1ª marcha, do diferencial, do troque máximo do motor e do raio total de rodagem. O Bob explicou isso aí num post, não lembro mais qual.
      Num belo dia, nessas horas de ócio que às vezes ocorrem, fiz uma planilha no Excel que contempla tudo isso que você quer. A única coisa é que deve-se saber de antemão todos os dados do veículo a ser pesquisado, colocar na planilha e ver no que dá.
      Vou mandar pro Bob e ver se ele tem como disponibilizá-la com os demais leitores.

      Excluir
    3. Obrigado a todos pelos esclarecimentos, gostaria que o AE testasse o diferencial 3,97 no cambio do VHC pois a quinta do VHC original 0,8*4,87=3,896 quase que coincide com a quarta usando o diferencial 3,97 (não lembro de onde é) 1,05*3,97=4,1685, usando pneus 165/70 R13 no VHC original temos 119,69 Km/h @ 4.400 RPM e usando pneus 175/65 R14 e diferencial 3,97 temos 119,62 Km/h @ 3.450 RPM, usando os mesmos pneus em cada carro temos também que @ 3700 RPM estamos a 100,65 Km/h em 5ª no VHC original e a 97,74 Km/h em 4ª no modificado; engatando a 5ª cai para 2891 RPM. Quanto a capacidade de rampa acredito que não ficará tão prejudicado visto que o corsa WIND tinha primeira de 3,55 e dif 4,53 o que dá uma redução total de 3,55*4,53=16,0816 e o carro modificado teria 4,27*3,97=16,9519 isso com 78cv, wind tinha 50 se não me engano, então acho que essa modificação é viável sim (com o dif 3,97), e se não ficar bom temos ainda os seguintes diferenciais: 4,31; 4,29; 4,19; e 3,74; a redução total na primeira com o dif 4,19 dá 4,27*4,19=17,8913 já melhora bastante por exemplo, acredito que em num celta 2 portas uma dessas modificações deve ficar muito bom, seguem algumas tabelas de cambio de corsas que pesquisei na net, se estiverem erradas, por favor corrijam-nas.
      Corsa 1.0 WIND 94 Corsa 1.0 1997 Corsa 1.6 97 Corsa 1.0 2002 (Alc)
      1ª 3,73 1ª 3,55 1ª3,73 1ª 4,18
      2ª 2,14 2ª 1,96 2ª 1,96 2ª 2,14
      3ª 1,41 3ª 1,30 3ª 1,32 3ª 1,41
      4ª 1,12 4ª 0,89 4ª 0,95 4ª 1,12
      5ª 0,89 5ª 0,71 5ª 0,76 5ª 0,89
      Ré 3,31 Ré 3,31 Ré 3,31 Ré 3,31
      Dif 4,31 Dif 4,53 Dif 4,29 ou 4,19 Dif 4,31
      165/70 R13 ou 165/70 R13 ou 165/70 R13 ou 165/70 R13 ou
      175/65 R14 175/65 R14 175/65 R14 175/65 R14

      Lucas Sant'Ana

      Excluir
    4. Olha, se as tabelas estiverem certas, sair de 4,53 no mais curto para 4,19 no mais longo, mesmo que vc descarte a primeira ridicula 4,18/1 e use a 3,73/1ou mesmo a 3,55 ainda vai ficar muito mais legal. E quinta vai com a .76 mesmo. Mas vamos mudar o jogo?
      Só uma pergunta sacana: quem paga a conta da bagunça?
      Quanto custa a trabalheira toda para ganhar só um pouco menos de ruindade ao usar o carro? E porque gastar vela boa com defunto ruim? não seria MUITO mais legal tirar o VHC aleijado e por um motor decente no carro junto com um cambio mais longo? Um trabalho no cabeçote, mais deslocamento, coisas legais de fazer além do acerto do cambio, isso sim faz diferença.

      Excluir
  27. O i30 gira alto demais, a 100km/h são quase 3000 giros, irritaaaante!

    ResponderExcluir
  28. Muito legal tirar esta tampa e ver as engrenagens e mecanismos. Que vontade de trocar alguma coisa ali....

    ResponderExcluir
  29. Rodolfo Flesch04/04/14 16:54

    Magnífico Post!
    Eu já fiz estudos para trocar a quinta do meu Logan 1.6 8v (2013), mas pelo que pesquisei, só acho relação mais longa na Europa. Na real, acho o cambio deste carro muito mal escalonado, na minha cabeça fica mais fácil trocar a quinta do que o cambio todo.
    Ainda vou me animar em importar as engrenagens, trocar as mesmas etc.
    De qualquer maneira, foi muito animador esse post, abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rodolfo,
      renault brasileira é outra que padece do mal de quinta curta, tdve Negane com seis marchas que pareciam quatro.
      Abs,

      MAS

      Excluir
  30. Eu também tenho muita bronca, com motor girando além do necessário na estrada... Gritando demais, e entregando praticamente a mesma potência, que se tivesse em giro menor. Até mesmo em caso de alguns 1.0... De todos os carros que tive, o câmbio que mais me irritava era o do Celta... O motozinho VHC Flex de 72cv era legal, mas aquele câmbio, matava! no meu entendimento todas as marchas são curtas demais... a primeira, praticamente inútil..era possível arrancar de 2a sem torrar a embreagem, e a 5a. por favor! Era como se fosse a 4a. de um câmbio normal! Pouco tempo depois passou um Corsinha EFI 95 na minha garagem, troco de um negócio imobiliário. Confesso que relutei em aceitar o carrinho, dada a má fama de fraqueza, que poderia me complicar, na hora de passá-lo para frente. Sim, muitas pessoas me perturbando, que era de uma fraqueza absurda, etc e tal. 50cv e menos de 8 mkgf a não sei quantas Rpm, realmente me sugeriam um desempenho raquítico. Mas arrisquei, saiu no valor de 6.000 reais e estava muito inteiro, motorzinho bom, em que pese, os mais de 200.000 Km no hodômetro. (e o ex-dono garantiu que o motor era standard!). Deixei esse carrinho para lá, confesso que não dei muita importância, pois eu tinha um Siena zerinho, quando tivesse tempo, ia dar uma volta nele. Num final de semana resolvi arriscar: Na cidade, nada que me sugerisse uma fraqueza fenomenal, pelo contrário... com relações corretas de 1a, a 4a, dava para acompanhar o trânsito sem sufoco. Aí cheguei na estrada e logo as recordações do meu Ex Chevette vieram a tona: foi de longe o carro fraco que tive, e aquilo me traumatizou. Encarei a BR e não foi muito difícil chegar aos 100 Km/h. motor caladinho, girando pouco em 5a. sem esforço.(já pensei: hum, nada mal, melhor que o Chevette) Mas adiante a ladeira, (- lá vem o sufoco, vou embalar... ) Deixei o bichinho ganhar velocidade, como a 5a. era longa demais, 130 ladeira abaixo, numa facilidade.. na hora de encarar a rampa, caiu obviamente, mas tinha tanta cinética que terminou em 100 Km/h e sem forçar. (melhor que o Chevette de novo!), outra seqüencia decida-subida... só que mais forte... nessa não teve embalo, por conta de uma S10 que estava na minha frente, e cujo motorista, numa morosidade irritante, dirigia e falava ao celular. Veio a subida..estava a pouco mais de 100 já reduzi para quarta acelerei progressivamente e encontrei uma resposta honesta do motorzinho bem antes do final do curso do pedal. O Corsinha segurou legal na rampa aos 90 Km/h, colando na S-10, que insistia em sua morosidade... (O cara tinha mais que o dobro de motor e ainda conseguia me atrapalhar) Veio uma reta, ai mantive a 4a, calquei o pé e ultrapassei a S10! joguei a 5a, calou o motor. E ai entendi o corsinha: precisou de força para ultrapassar 4a ou 3a. para calar 5a... Velocidade de cruzeiro 120Km/h, tranquilo, só na casquinha, para fazer mais de 16 Km/l! Que carrinho legal! No Celta não era assim: 5a a 110Km/h motor girando alto... 4a na mesma velocidade motor esgoelando, e por causa do giro lá em cima, resposta do motor, só lá no fundo do pedal! Eram 20 cv a mais, mesmo assim, me pareciam amarrados! (me parece que 4a. do Corsa EFI, tenha relação muito próxima a 5a. do Celta VHC!) Como o câmbio certo fazia a diferença... se o Celta tivesse aquele câmbio do Corsinha EFI, teríamos, o melhor 1.0 do mercado. Mas, sabe como é... A Chevrolet teve que providenciar o encurtamento do câmbio em 1997 devido a reclamações dos clientes, que não queriam ficar voltando marcha... E quem disse que o Cliente sempre tem razão? Pelo mesmo motivo que o Siena 6 marchas não emplacou... Seria bem melhor se todo carro 1.0 com peso acima de 1000 kg, tivesse um câmbio de 6 marchas, mas não como a Fiat fez, e sim um 5+E... Será que tem jeito de adaptar esse cambio de 6 marchas num Siena Fire?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E eu com umas ideias "insanas" de pegar um corsinha MPFI de 97 pra cima e tascar nele esse câmbio do 94~96.....

      Excluir
    2. Qualquer celta ou corsa novo fica muito mais legal com um cambio dos antigos corsas 1.0 que com os originais. Na boa, celta e corsa 1.0 foram de longe e disparado os piores carros que tive o desprazer de guiar em toda minha vida. Lixo completo. O VHC é desagradavel e o escalonamento do cambio e do diferencial é um aborto, isso só pode ser brincadeira de péssimo gosto da fabrica com quem compra eles.
      Agora nada impede de se fazer o serviço completo, troca o cambio ridiculo e o motor lixo tb, põe logo um 1.6 ou 1.8 e boa, plug and play. Sim, C20XE 2.216 são opções excelentes, mas não tão plug and play assim....

      Excluir
    3. Vale lembrar que o motor do celta é derivado direto do motor do chevette, a gm só não parou de produzir por ter um baixo custo de fabricação!

      Excluir
    4. Qualquer desses Celtas e Corsas deve ficar MUUITO melhor somente trocando o cambio original deles pelo dos primeiros Corsas. Aproveita e mete um volante aliviado e deu.

      Excluir
  31. Chocado com a facilidade de acesso e intervenção na quinta marcha... sempre achei que tinha de baixar o câmbio inteiro.

    ResponderExcluir
  32. Tenho um Monza 95 gasolina com cambio f16 e diferencial "curto". Li q o monza a alcool possui o mesmo cambio mas diferencial mais "longo" E o os Monzas 96 (ultima safra rs), possuem o cambio f18(mais longo) e diferencial dos monzas a Alcool (mais longo).

    Minha duvida: Gostaria q minha 5 fosse mais longa, pq nao guento ele "berrando" a 120 e 3.500rpms

    * Trocar so o diferencial q diferenca fara?
    * Trocar so o cambio q diferenca fara?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, recomendo vc ler aqui http://autoentusiastas.blogspot.com.br/2012/06/fox-bluemotion-excelencia-do-4e.html no texto e nos comentários, como se calcula a V/1000 e outros cálculos baseado nas relações de marcha, diferencial e tamanho dos pneus, monta uma planilha no Excel, procura no google pelas relações desses câmbios e começa de "brincar".
      Provavelmente no seu caso acredito que o melhor e mais fácil, porém talvez o mais caro, seria trocar o câmbio todo, visto que vc consegue ele pronto. Trocar só a sua 5ª pode talvez te deixar com algum buraco entre as relações. Vale uma análise mais demorada. Não conheço nenhum desses câmbios em detalhes, mas pode haver uma 1ª longa demais talvez (sei lá), o que te prejudicaria a arrancada, por exemplo.

      Excluir
    2. In god we trust, others bring data, please.
      Curto e longo é relativo, curto, meio curto muito longo.
      Eu não tenho os numeros, pesquisa legal, ve qual relação de diferencial e de cambio de todos os envolvidos, traz os numeros que aí eu vou te responder amarradão qual é o melhor arranjo!
      Para não parecer que eu estou fazendo pouco, toda essa bagunça dos fiats e alfas começou porque eu tenho aqui um manual fiat com todos estes dados, foi super facil de decidir antes de fazer e no teste drive apenas a alegria da constatação do acerto dos calculos!

      Excluir
    3. Segue ai o q esta informado no meu manual do proprietario e confirmado pelo pessoal do forum monzeiros:

      cambio
      94 96
      1ª) 3,55:1 1ª) 3,58:1
      2ª) 1,95:1 2ª) 1,87:1
      3ª) 1,28:1 3ª) 1,23:1
      4ª) 0,89:1 4ª) 0,92:1
      5ª) 0,71:1 5ª) 0,74:1

      Diferencial: 
      94
      Motor 2.0 gasolina: 4,19:1 
      96
      Motor 2.0 álcool e gasolina: 3,94:1

      Outra coisa: O que eh diferencial e o q ele influencia?

      Excluir
    4. Mestre Yoda, digo ogro, diga-nos o caminho....rs

      Excluir
  33. Muito bacana a idéia!
    Me lembrei da época em que fazia isso na moto, trocando a coroa (na roda). Usava muito a moto no dia a dia, arrancando rápido no semáforo e nos cruzamentos. Aí, uma vez ou outra, quando ia viajar com ela, chegava ao cúmulo de desmontar a roda só pra trocar a coroa (por uma menor) e alongar a relação, quando chegava de volta em casa destrocava - se reclamamos de giro alto na estrada, de carro, imaginem de moto. Mas na moto é tranquilo, agora trocar engrenagem do carro você superou!

    ResponderExcluir
  34. The Best sound of CORVETTE!!!!!!( Vale a pena assistir)
    Video: Filme com Corvette 1964 na Suica:http://vimeo.com/83336331

    ResponderExcluir
  35. Tenho um focus 1.6 flex, 4° e 5° são mais curtas que na versão 2.0, sobrar um dinheiro vou atrás dessas relações e troco.
    Nada me irita mais que rodar a 100 Km/h a 3000 rpms, saudades do meu focus 1.8 ano 98, 100 Km/h a 2100 rpms.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Davi, eu também tive um Focus 1.6, mas 2005 "não-gambiarrex" e a 5ª dele me incomodava também. Lembro que quando queria viajar a 80/h em 5ª o giro ficava em 2.500RPM e a 100/h a 3.000RPM. Conversei com meu mecânico na época e ele disse que o câmbio dos focus 1.8 16V eram mais longos. Na época eu queria mesmo era trocar só a engrenagem da 5ª, mas não fui atrás disso. Quem sabe o câmbio dos Escorts argentinos 1.8 16V não sejam os mesmos dos Focus antigos?

      Excluir
  36. AG, e o Renault k4m (1.6 16v)? Tenho um aventureiro urbano com uma usina legal, mas preso a um curto câmbio + rodas aro 16 e pneus 195/60 (tudo de fábrica). Terias alguma carta na manga?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jairo e Davi,
      Eu não tenho a onformação exata, mas na boa, no ford mesmo que a capa seca mude, as engrenagens pode ser a mesma. No renault eu não tenho nenhuma informação, mas alguma coisa se consegue sempre. Uma vez andei fazendo pesquisas basicas, tem um monte de coisas que trocam entre eles, facil de acertar tudo, só paciencia de pesquisar e uma vista a uma autorizada que tenha um chefe de oficina bom de onda ajuda um monte. Os caras conversam, explicam, alguns são super gente boa e tem a maior boa vontade em ajudar entusiastas, mesmo sabendo que na maioria das vezes a gente nem vá fazer nada com eles.

      Excluir
  37. Belo post! Não imaginava que poderia ser "plug-and-play" assim.

    Um câmbio mal escalonado pode matar um automóvel! Estou finalizando a restauração de uma Mercedes 280S (W126) que adquiri há pouco mais de um ano e se tem algo que me chateia é o câmbio de 4 marchas, de relações um tanto curtas: A 120Km/h reais ela está a 3500rpm, que apesar do motor girador (M110 - 2.8, 6 cilindros e 6650rpm de rotação máxima) o ruído incomoda em viagens. Parece que o carro tá "pedindo marcha". O câmbio de 5 marchas era opcional (deveria ser de série!) e com a 5ª "overdrive". Nela, a 120Km/h o motor fica a 2850rpm. Bem melhor, não?

    Nos EUA um mecânico especializado (Kent Bergsma) colocou o diferencial de uma V8 numa W108 6 cilindros e resolveu o problema, mas temo sofrer com o relevo de Minas Gerais e pagar mico com uma barca arriando de primeira marcha. É fogo, as primeiras marchas são bem escalonadas (57/100/160) e qualquer alongamento nelas faria o motor sofrer um cado para tocar o conjunto (156cv, 22,3Kgfm, 1560kg). É um conjunto que jamais deveria ter menos que cinco marchas, ao meu ver.

    É aquela coisa: Enquanto não dou a sorte de conseguir um câmbio de 5 marchas para ela (é mais fácil sonhar com isso do que com uma engrenagem de 4ª mais longa...), vou me conformando com velocidades menores de cruzeiro...

    Abraços e parabéns pela frota!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafael,

      Cambio longitudinal não é tão simples nem modificavelmassim o trem de engrenagens intermediario é rigido e não é possivel trocar uma marcha apenas, ok?

      Excluir
    2. Obrigado, Alexandre!

      Excluir
  38. Grande AG! Parabéns por mais um excelente post e por compartilhar uma ideia de ouro como essa! Irá ajudar muitos insatisfeitos com 5a curta.

    Agora tive uma dúvida: esta ideia também é compartilhada entre os câmbios longitudinais (para tração traseira)? É possível o intercâmbio de engrenagens entre câmbios longitudinal e transversal (ex. câmbios da GM/Chevrolet)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KzR,

      Infelizmente não, como eu respondi ao Rafael. No caso especifico do opala e chevette sim, porque a quinta é fora do trem intermediario e vc tem alguma folga para mexer, poderia fazer novas engrenagens e alongar um pouco mais, digamos de .85 para .80 ou .75, havendo espaço para isso. Hoje tem alguns bons profissionais tipo o sapinho fazendo engrenagens, seria uma solução, mas prepara o bolso, porque definitivamente não vai ser coisa de 200 reais não.

      Excluir
  39. Alexandre, deixa eu dar aqui os meus agradecimentos por um belo post! Adoro essas "minúcias" de mecânica, lendo aqui e ali se aprende bastante teoria, mas sempre sinto falta de como é "meter a mão na graxa", textos como esse já saciam um bocado essa vontade.

    ResponderExcluir
  40. Dá pra fazer no Fiasa?
    Queria trocar a 5° do mille 92 (0,86) pela 5° do Uno SX 1300 (0,811)

    Varios carros que analisei da fiat tem realmente essa caracteristica, é quase linear até a 4°, com a 5° levemente mais curta.

    Agora não dá, mas na segunda colocarei uma planilha que dá pra colocar as relações e ela dá as velocidades das marchas na rotação escolhida, com um grafico para analisar o escalonamento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conheço essa .811 do sx 1300, se for da caixa velha não rola. Mas tem a 37/31 .838 que eu usei e ajudaria muito seu caso. Veja no texto que eu citei a minha elba, 1500 que é fiasa tb.

      Excluir
    2. Acho que pode ser das caixas velhas, esse sx 1300 é do começo da decada de 80, então tem grande chances de ser algo parecido com o 147.
      São intercambiaveis as peças das caixas do fiasa e do sevel?
      ----
      Segue a planilha que eu fiz pra colocar os dados de escalonamento:
      https://drive.google.com/file/d/0B9jxCuEXrmBkNzFucUFqZWZkSFU/edit?usp=sharing
      partes editaveis em amarelo.

      Excluir
  41. Puxa, AG, quem me dera saber tudo isso! Incrível.
    A maioria dos entusiastas por preparação, no afã de ganhar alguns cavalos a mais, vai direto ao motor. Os espertos vão ao câmbio!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade o ideal é ir aos dois, e a tudo. Tudo tem que ser recalibrado, pra quem quer mais desempenho.
      Eu comecei meu projeto pela suspensão, minha intenção depois é ir para o motor, e depois, para os freios e reforços estruturais, depois se eu turbinar (alem de tudo que é necessario para turbinar) talvez ir para o cambio, porque não sei nem se é necessario, apesar de ter um fiat, ele tem um dos cambios mais longos da serie... Não sei nem se terá diferencial mais longo para ele.

      Excluir
    2. Não só ao cambio, tem muito cavalo preguiçoso escondido por aí, no cambio, no diferencial, no sistema de arrefecimento, alternador, helice mecanica e no motor então nem se fala.
      Eu vou fazer um post referente exclusivamente a estes motores fiat fivetech, vfd e twin spark. Tem muita coisa simples de fazer que melhoram eles um monte, mais confiabilidade e mais potencia a baixo custo. Começa com volante aliviado, com limpeza basica nos dutos do cabeçote, trocas de comandos por outros até mesmo originais mais com mais levante e duração e por aí vai.

      Excluir
    3. Opa. Não se demore, por favor. Fiquei especialmente curioso com a menção a esses cavalos preguiçosos no sistema de arrefecimento.

      Excluir
    4. Opa, se vier algo pra sevel ou fiasa ficarei muito feliz.
      Fiat é algo interessante, porque pra quem tá "no meio do caminho" e termos de preparação, sabe que tem muita coisa escondida ali, a fiat não fazia esses motores (exceto fiasa 1.5) tão superquadrados de bobeira... Alguem na fiat estragou os sonhos de lampredi, mas é visivel que a intenção dele foi fazer um canhãozinho que com um minimo de recursos virasse um rojão...
      Pra ter ideia, tenho os dois (fiasa e sevel) e os dois tem marcha lenta embaralhada, ambos originais, o sevel é ainda mais, mesmo não tendo comandos de alta graduação, tenho impressão que o cruzamento de valvulas deve ser algo "bem loko".

      Tá ai outra coisa que mal se tem dados, qqr 'apeseiro' sabe de cabeça as graduações dos comandos originais vw.... na fiat?
      Não se acha em lugar nenhum, mas pela sapeada longa q dei, acho que o sevel trabalha no maximo com 244º e o fiasa com 234º, com lobe center e intake centerline alinhados nos 110º...

      Excluir
    5. Nos manuais de fabrica tem sim, todos eles.
      O sevel vc pode por o eixo do linea 1.9 no 1.6 antigo e fica com um 1.9, tanto faz se com 8v ou 16V, mais legal que isso, impossivel, muito torque, mas com alguma vibração.
      Mas é o veneno facil, simples e tranquilo de fazer. Eu só tenho mexido nos fivetch, VFD e twin spark, não está nos planos mexer em fiasa ou sevel, pelo menos num periodo curto de tempo por vir. Sinceramente, já tem encrenca demais por aqui para catar mais....

      Excluir
  42. Concordo plenamente com você AG, É o que ocorre com meu Fiestinha Street 1.0 (Rocan), é curto demais a relação final desse carro!!! Eu no caso não pensaria em mudar somente a 5.a, pois certamente haveria um "abismo" entre a 4.a e a 5.a., acredito que a troca do diferencial pelo dos 1.6 já alcançaria um bom resultado (andei fazendo uns cálculos, hehehe), nesse sentido meu ex um Fiesta Endirunha era mais agradável mesmo com menos potência. AG, seria esse encurtamento de fábrica causado pela aparente "preguiça" de parte dos consumidores brasileiros em reduzir num situação de necessidade? (como tanto se falou a respeito de carros que "passassem lombadas em 3,a?). Eu ainda sou adepto da última marcha overdrive, menor consumo, menor ruído, menor vibração e ainda - creio eu - maior durabilidade do motor por utilizar uma rotação menor... Quer potência?? Aquela alavanca entre os bancos foi inventada justamente pra essas horas!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nilton, no caso:
      KA 1.0 Rocam 2001 gasolina apenas com AQ - Curtíssimo.
      Fiesta 1.0 Rocam 2000 básico gasolina- Curto.
      Fiesta 1.0 Rocam 2005 Personalite gasolina apenas com DH - Lerdo e pesado nas arrancadas, só anda "no giro".
      Se puder ajudar com alguma sugestão, se um dia precisar de manutenção. O que poderia ser melhorado nas relações de cada um? Quais peças são compatíveis entre estes 1.0 e o 1.6 ou com outro carro da Ford?

      Excluir
  43. Autoentusiastas: se alguém tiver interesse em "brincar" com os números de marchas e as velocidades que elas proporcionam, é só me avisar, com base em um a leitura que eu fiz de um post do "Mestre Bob" fiz uma planilhinha (arcaica, mas funcional) eu mando sem problemas por e-mail, basta pedir!

    ResponderExcluir
  44. Alexandre Garcia, tem um post meu acima comentando uma tabela que calcula os cambios dos carros e perguntei a algum editor como ficaria um celta/classic "blue motion" ou seja colocar o dif do prisma (3,97:1) no celta, que tal fazerem esta experiência? segue meu post citado abaixo.

    Lucas Sant'Ana

    Citação:
    ""Olá, boa tabela, já tinha visto ela, já que vc é o dono da tabela poderia colocar espaço para a 6ª, 7ª, 8ª e 9ª bem como 2 diferenciais diferentes (desculpe o trocadilho) pois existem cambios com duas embreagens e dois diferenciais e existem câmbios com 9 marchas em desenvolvimento.
    Usando uma tabela parecida com a sua vi que o classic/celta pode ter um cambio 4+E pois é só trocar o diferencial 4,87:1 por uma da do prisma (3,97 se não me engano), irão ver que se for plotado um gáfico velocidadeXrpm (x-y) a 5ª do cambio mais curto quase que coincide com a 4ª do cambio mais longo.
    Bob, ou algum editor do AE, poderiam testar esse experimento e nos relatar as impressões (ou seja, trocar o dif 4,87:1 pelo 3,97:1 no classic/celta)? Seria então um celta "Blue Motion"?

    Lucas Sant'Ana""

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucas,

      Pode fazer, o carro vai melhorar muito de andadura. Eu faria se fosse a unica opção para melhorar ele, mas vainficar ainda mais exigente de trocas de marchas. Eu apostaria primeiro numa simples troca de quinta se tivesse alguma que ajudasse sem ter tanto trabalho. E vale comentar que um alongamento de quase 1/5 num carro já fraco de motor pode ser bem ruim se vc for usar ele em local com muitas subidas.

      Excluir
  45. Olá Alexandre!
    Fiquei interessado em fazer essa troca da 5.a marcha em um Corolla Xei 2007 manual a gasolina.
    É possível? Seria simples, como a que você relatou no post?
    Se for, qual seria a relação indicada?
    O cambio manual do Corolla é ótimo para a cidade, mas se tento viajar a uns 130 km/h, o giro vai para mais de 4200 rpm e o consumo sobe para uns 12 km/l.
    Um desperdício, visto que o motor dele tem um bom torque e poderia viajar mais solto.
    Tenho certeza que com uma 5.a um pouco mais longa, faço uns 14, 14,5 km/l a uns 130 km/h constantes, alem do benefício do silencio a bordo.
    Imagino que o depto de engenharia da Toyota tenha notado esse comportamento, pois lançou a caixa de cambio de 6 velocidades manual, no modelo GL 2012.
    Nessa nova caixa, as relações são iguais a do meu carro (5.a marcha= 0,818, diferencial 4,31) com a mesma medida na 5.a marcha e a adição de uma 6.a marcha mais longa, 0,717 e diferencial 4,29.
    Obrigado pela atenção e longa vida ao Autoentusiastas!
    Abs,
    Paulo Franco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo,

      Nunca mexi em toyota. Não tenho a menor idéia de como é o cambio nem disponibilidade de relações de marchas.

      AG

      Excluir
    2. Outro comentário, o diferencial é o problema, não a quinta marcha. No caso, o que seria legal era trocar a relação do diferencial de 4,31 para outra mais longa, mas tem que ver se tem aqui.
      Eu não conheço toyota, nunca apertei um parafuso nele. Não tenho como ajudar muito nesse aí.

      Excluir
  46. O Marea Turbo possui essa V/1000 de 39,93km/h na quinta marcha devido ao seu diferencial.
    Trocando em miúdos, a 3000 RPM o carro vai estar a 120km/h e a turbina vai estar parcialmente "cheia". Como a proposta é de um sedan/perua familiar com turbo, o consumo é um pouco alto mas sem exageros.
    O problema mesmo está na primeira marcha que é longa para a proposta do veículo, mas talvez o fabricante preferiu assim por questões de durabilidade do conjunto de transmissão ou pelo fato do carro não possuir diferencial de deslizamento limitado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcelo,

      Não só o diferencial o cambio do MT é unico dele e não torca peças com os demais mareas, e a quinta espefica deste cambio é 37/30, 0,818 a mais longa que conheço nesta linha de carros. Infelizmente ela não cabe direto no cambio dos outros. Ouvi comentarios que não consegui confirmar que este cambio do MT tem a ver como dos alfas 164, mudando claro a capa seca, já que a face traseira dos motores citados é bem diferente uma da outra.

      Excluir
    2. Obrigado pela informação AG.
      Já sabia que a caixa era diferente pela posição do motor que está ligeiramente mais ao meio do cofre mas não sabia que as engrenagens da 5ª marcha não são intercambiáveis com outros modelos da Fiat.

      Excluir
    3. O cambio do MT é completamente diferente dos demais. Este é o ponto. Troca tudo, ou troca nada. Um saco isso.

      Excluir
  47. Aproveitando a matéria, vcs não acham a relação 3,90 muito longa pro motorzinho do chevette 1.6?

    Sergio Carvalho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, a relação é até curta, mas como o motor é fraco, parece longa, falta motor no carro. Por isso é tão legal fazer chepala.

      Excluir
  48. pelo pouco que li pode ser feito em uma Uno 1.0 8v. seria isso mesmo?
    O que devo pedir no ferro velho ?
    Oobrigado pela ajuda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. engrenagens com relação mais longa que a sua. Não sei o que vc tem no seu carro, verifique, faça a conta da relação, cate outra mais longa e boa, sendo que a mais longa de todas que cabe nele é a 37/31, ,838/1, se já estiver com essa, não tem o que fazer, mais longo só abrindo o cambio e trocando o diferencial.

      Excluir
    2. duvido muito que tenha uma relação longa pois o motor grita muito quando chega a 3.000 rotações. valeu pela dica.

      Excluir
  49. De novo e mais uma vez, obrigado pelos elegios de todos os que curtiram, em breve mando mais coisas. E eu nunca pensei que Fiat e Alfa fossem tão divertidos. Ainda bem que fui chafurdar nessa lama. Antes tarde que nunca.

    ResponderExcluir
  50. E com Citroen, alguém tem experiência? Os câmbios manuais do C4 são curtos demais...

    ResponderExcluir
  51. Caro Alexandre,

    Gostaria de fazer esse procedimento em um corsa 1.0 VHC, que deve ter a caixa mais curta que a GM já ousou colocar em um carro, aproveitando que vou ter que trocar a embreagem, inclusive já comprei o volante aliviado que o Bob recomendou e vou aproveitar a mesma empreitada. Para você ter uma idéia, a 5ª já é 0,8 e mesmo assim é curto, graças ao diferencial de 4,87. Estou de olho no jogo de quinta 0,76 do Corsa/Meriva 1.8/Astra/Zafira, cambio F17WR. O que eu queria mesmo era a quinta do Corsa Wind 94, de 0,71, mas na loja de peças me informaram que não é compatível. Minha dúvida é a seguinte, querem me vender o conjunto todo (luva, sincronizador, garfo, rolamento e engrenagens): Necessito trocar tudo ou apenas as engrenagens? Não vai haver problema de acomodação entre as peças se eu misturar o conjunto de sincronização com outras engrenagens?

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.