NOVO TOYOTA COROLLA ALTIS, NO USO

Fotos: autor                                   



Quando o Sr. Akio Toyoda assumiu a presidência da Toyota em 2009, cunhou o novo lema a ser seguido pela fabricante: "Carros cada vez melhores e que abram um sorriso no rosto do cliente". Uma frase inteligente, pois sem abrir mão do lema antigo — "Carros cada vez melhores" — busca acrescentar nova imagem a seus carros, uma imagem que os ligue também ao prazer de dirigir. Vale lembrar que o Sr. Akio é um autoentusiasta por natureza. Gosta de pilotar, volta e meia está descendo a lenha na pista, portanto sabe bem o que um carro precisa ter para abrir o desejado sorriso no rosto do cliente. O lançamento do esportivo GT86 faz parte dessa orientação e tem levantado grandes elogios da imprensa mundial quanto à pureza de suas virtudes esportivas, um carro de ótima tocada e sem exageros. Uma pena que não venha para cá. 

Linhas mais modernas lhe deram Cx 0,30
                                     
A Ford fez o mesmo em meados da década de 1960, lançando o Mustang, entrando na Fórmula 1 através da Cosworth e no Mundial de Construtores com o GT40, originalmente um projeto da Lola.

Bom painel, que lembra design alemão
                           
O novo Corolla me parece ser prova de que o Sr. Akio conseguiu que seguissem sua orientação — o que não é fácil nem rápido para uma empresa tradicional e gigante como a Toyota —, pois mantendo e melhorando as boas características do Corolla antigo, características essas que fidelizaram muitos clientes, como confiabilidade, economicidade, conforto, robustez e outras, conseguiram agregar ao novo modelo um comportamento de dinâmica mais esportiva, mais divertida de guiar. Também vestiram-no com “roupagens” mais modernas, porém não extravagantes, que justificam seu “espírito” mais jovem. Suas novas linhas, a meu ver, também melhoraram sua estabilidade em alta. Assim, mantendo a clientela antiga, que não se incomoda com uma imagem de certa sisudez, conseguem trazer uma nova, que exige um aspecto mais moderno e um carro mais esperto e bom de guiada.

Bons bancos, confortáveis e com apoios laterais mais pronunciados
                                      
Fazer um modelo novo, mais moderno e temperado, mas que perdesse o cliente antigo, até que seria fácil. A tarefa difícil seria atender aos dois, e creio que conseguiram. É essa a maior importância que dou à mudança do Corolla.

Bancos traseiros "de diretoria"
                                     
Eu "atrás de mim" (foto: Adriano Bonvecchio)

A 120 km/h reais e em sétima e última marcha o motor está a baixas 2.400 rpm. Tudo segue em silêncio, o motor gira liso, suave, e o computador de bordo indica que ele está fazendo 14,5 km/l de gasolina (na cidade fez entre 9 e 10,5 km/l, dependendo do tráfego). Gasta bem pouco, portanto. O tanque é de 60 litros. Pernadas com mais de 800 km entre abastecimentos é fácil. Com pouca aceleração, o câmbio CVT, que tem 7 faixas virtuais de marcha, logo as reduz para a relação certa e o motor vem com boa pegada, acelerando a gosto. Esse bom câmbio otimiza o motor, tanto em desempenho quanto em consumo de combustível. O câmbio automático do antigo, um epicíclico de 4 marchas, não tinha essa esperteza. Creio que muito do ganho em desempenho — 15% mais rápido no 0-a-100 km/h e 27% mais rápido na retomada de 80 a 100 km/h — se deveu ao novo câmbio, já que o motor praticamente não mudou. Com álcool fez 10,5 km/l na estrada e entre 7,5 e 8,5 km/l na cidade.

Motor de duplo comando, potente e muito econômico
                                    
Ao trazer a alavanca do câmbio para a esquerda pode-se trocar as "marchas" por meio da alavanca ou por meio das borboletas atrás do volante. Nesse modo há uma definição maior das marchas e é como se o CVT deixasse de atuar, não há mais aquela subida de giro "além" da aceleração do carro, que na verdade é uma redução da relação de transmissão, e que inicialmente causa alguma estranheza a quem nunca dirigiu um com CVT. As relações de transmissão, no modo manual, são, portanto, praticamente fixas. Desse modo ele atende ao conforto, quando o sistema CVT proporciona suas boas características para isso, e à precisão necessária para uma tocada mais forte, quando oferece trocas manuais, o que permite colocar a marcha certa para o momento certo, tipo numa aproximação de curva. Esse câmbio, a meu ver, é a menina dos olhos do novo modelo.



O tipo de suspensão continua o mesmo: McPherson na frente e eixo de torção atrás, mas além de nova calibração geral houve aumento do entreeixos em 100 mm. O design mudou e com ele mudou sua aerodinâmica. O resultado é que houve grande melhoria no comportamento do carro, principalmente, a meu ver, em altas velocidades. Este agrada, e muito. Vai sólido, traça, plantado no chão, linhas limpas, e logo se corrige quando sofre com imperfeições do piso ou ondulações. Um bom carro para viagens rápidas e seguras. Bons freios, a disco nas quatro rodas, ventilados na dianteira. Testei-os bem, pois numa primeira freada de teste não gostei, então voltei ao local e verifiquei que havia leve areia no asfalto. Daí, tornei a testar freios a valer, e gostei, sim.

O carro pouco mergulha nas freadas e mantém muito bem a trajetória. O ABS atua bem, sendo que o pedal do freio quase não endurece e pouco dá trepidações no pedal, e digo isso porque já notei que essa tremida e endurecida costumam atrapalhar quem não está acostumado a frear forte. Bom, resumindo, um modelo que era bom de chão, mas nem tanto, ficou muito bom, a ponto de ser desejável a quem antes não o desejava.

Não tem regulagem da intensidade da luz dos instrumentos

E assim a viagem segue em ótimo nível para todos a bordo. O espaço para as pernas dos ocupantes de trás aumentou. O encosto do banco traseiro tem boa espuma e inclinação, o que dá um soninho gostoso a quem vai atrás. O porta-malas é amplo e, caso necessário, pode-se rebater os encostos do banco e abrir ainda mais espaço para bagagens.

Fatos a lamentar: não tem saídas de ar-condicionado direcionadas a que vai no banco traseiro; não tem regulagem da intensidade da luz dos mostradores; há muitos alarmes chatos, insistentes e desnecessários nos alertando para uma coisa ou outra, tipo, basta abrir a porta e ele desanda a soar, mesmo estando tudo certinho, alavanca de câmbio no P, freio de estacionamento puxado, carro desligado. Assim parece que o carro está me expulsando de lá de dentro. Mais calma nessa hora.  

Porta-malas com 470 litros. Encosto do banco rebate

Sendo assim, o Corolla entra também no campo visual do cliente que antes o desprezava e só tinha olhos para a esportividade do Honda Civic e do Citroën C4, por exemplo, e faz isso sem perder seus clientes antigos. Um feito da Toyota.

AK  

Obs.: Ficha técnica, equipamentos, preços e mais informações podem ser encontrados no detalhado post do André Dantas, que esteve presente ao lançamento.

Veja o vídeo:


170 comentários :

  1. O veículo melhorou quanto ao design, que já era bom apesar de um pouco conservador. As rodas desagradam no visual.

    Parece ter havido correção das falhas quanto ao espaço traseiro e respectivo acesso, que eram críticos no anterior, comparativamente à concorrência.

    Quanto ao painel, não houve uma evolução digna de nota. Funcional, prático, mas esteticamente impoluto e desinteressante.

    Mecanicamente, uma referência no segmento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só critico a traseira, apesar de bonita, muito parecida com os Hyundai.

      Excluir
  2. "Linhas mais modernas lhe deram Cx 0,30"?!?

    Cx de 0,30 é um valor nada excepcional hoje em dia para um sedan. Considero esse número um fracasso, e não um sucesso do Altis.

    Lembrando que o Cx do Civic é de 0,25.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corolla anterior era 0,29, não?

      Excluir
    2. Luis, também não considero grande coisa um Cx de 0,30. Mas até que não é ruim, não é um frracasso. O importante, a meu ver, é que essas linhas lhe deram boa estabilidade em alta.
      De qualquer modo, ele está bastante econômico na estrada, se é essa a preocupação.
      O Mercedes C180 novo tem Cx 0,23 ou 0,25, por aí. O Fusion novo, 0,25. O Vectra antigo, 0,28.

      Excluir
    3. Anônimo, há uns 3 ou 4 anos fui para a Argentina e lá peguei um Corolla, câmbio manual, motor 1.8, e viajei por 5.000 km por estradas perfeitas e desertas, que acho as melhores do mundo para um autoentusiasta. Pude mandar a lenha a gosto. Lá perguntei ao pessoal da Toyota o Cx e me falaram 0,31, e isso me ficou na lembrança. Notei que este novo modelo tem muito melhor estabilidade em alta, e isso me agrada e muito. Souberam trabalhar muito bem esse lado.

      Excluir
    4. Luis Santos25/04/14 12:14 "Considero esse número um fracasso"
      Acho exagero da sua parte chamar de fracasso ,e cx não é tudo num carro .

      Excluir
    5. Luiz Santos, você está equivocado. O coeficiente aerodinâmico do atual Civic brasileiro é de 0,28. Os veículos feitos no Brasil possuem suspensão mais elevada, esse Corolla poderia ter um coeficiente aerodinâmico melhor, caso tivesse uma suspensão mais baixa, mas no Brasil é uma "necessidade" colocar uma suspensão mais alta, o que acaba deixando o veículo mais alto e prejudicando o coeficiente aerodinâmico. O próprio Golf VII que vem para o Brasil possui o coeficiente aerodinâmico bem pior que o vendido na Alemanha, graças à elevação da suspensão. O Alemão possui Cx de 0,27, o brasileiro tem 0,31.

      Veja o alemão no túnel de vento: "The new VW Golf 7 has a Cx of 0,27."
      https://www.youtube.com/watch?v=LP2XOYhVTTw




      O Corolla sacrificou coeficiente aerodinâmico para ter um vão melhor para o solo, assim como o Golf VII, mas ambos apresentam desempenho coerente. O Novo Corolla 2.0 multi-drive deixa o Civic comendo poeira e o Golf VII deixa todos os concorrentes comendo poeira.

      Excluir
    6. Então o Bugatti veyron de cx 0,36 ou um lance evolution 8 de cx 0,35 são exemplos de fracasso aerodinâmico ?. E apesar desse fracasso são carros estupidamentes velozes tanto em retas como curvas,explique essa controversa.

      Excluir
    7. Diante de tantos compromissos que um automóvel moderno tem que assumir (beleza, espaço, segurança) não é um número ruim. Está na média. Carrão: onde não é ótimo é médio. Pequenos defeitinhos, como a iluminação do painel são fáceis de corrigir e não comprometem a satisfação com o modelo.

      Excluir
    8. Fernando, o Cx desses é sacrificado em benefício de um maior downforce, que nem carro de corrida. O Cx dos carros da Fórmula um está, se não me engano, acima de 0,50.

      Excluir
    9. Esse tiozinho de chapéu branco é um barato !

      Excluir
    10. Bosley de La Noya25/04/14 19:40

      É aquela história né...
      Quando o sujeito gosta de criticar, qualquer coisa é motivo. Imagino que seres como esse reclamariam até do tamanho da cereja num bolo feito pela melhor confeitaria alemã.
      Ô raça!

      Excluir
    11. Uma elevadinha na suspensão, já coloca a perder todo o trabalho que os engenheiros fazem ao escupir um carro num túnel de vento para o menor arrasto possível. E infelizmente, a maioria dos fabricantes recorrem a essa maldita tropicalização brasileira, mas não por necessidade, e sim por exigência do Cliente. O caso do Golf 7 é embelmático: O GTI teve sua altura levantada, mas como era originalmente mais baixo ficou com a mesma altura da versão 1.4 europeia (Creio que por conta disso o GTI mantenha o Cx de 0,27). Se o GTI era baixo ademais. O 1.4 não precisava de um milímetro a mais na altura. Se eu comprasse um carro desses, pensaria em desfazer essa tropicalização. O Civic, se não me engano, não sucumbiu a essa preferência, tá na mesma altura do modelo americano.

      Excluir
    12. Rogério, infelizmente o Civic também foi erguido, tanto que conversando com o dono da Suspentécnica, a oficina que preparou os Civic pace-car da Indy, ele me disse que bastou trazê-lo para a altura original para ter um baita ganho de chão.

      Excluir
    13. João Carlos25/04/14 22:34

      Dependendo do local do Brasil onde se mora, e desde que não se saia de lá, até vai não ter o carro levemente erguido. No estado de São Paulo e MG simplesmente não dá, é muito sofrimento e perda de tempo com os obstáculos. E dá pra dar lenha mesma coisa em estrada.

      Excluir
  3. Considerando que as áreas frontais dos veículos vêm aumentando e subindo em altura, em virtude de demandas dos consumidores que entendem por maior proteção contra impactos, e que derivadamente isso vem ocasionando aumento nos respectivos Cx da grande maioria dos veículos, podemos dizer que a atualização do Corolla, ainda que observando tal demanda e conseguindo manter um Cx relativamente baixo, é merecedor de atenção, apesar do CX do Civic.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corrigindo: Os carros brasileiros tem aumentado a suspensão para se adaptar à nossa realidade. O Golf VII alemão tem Cx de 0,27, mas o que vem para o Brasil tem 0,31, apenas por ter uma suspensão mais elevada. O Corolla brasileiro com certeza será mais alto do que o vendido na Europa e EUA, o que sacrificou seu coeficiente aerodinâmico.

      E o Civic também não é essa "Brastemp", pois anda menos que o Novo Corolla, mesmo possuindo coeficiente aerodinâmico de 0,28.

      Hoje em dia, no Brasil, ninguém gosta de carro "lambe chão", principalmente pela péssima qualidade de nossas vias.

      Excluir
  4. Novo Toyota Corolla Assaltis, não uso! (pois dou valor ao meu dinheiro)

    ResponderExcluir
  5. Tocada de mestre como sempre AK, essas marchas pouco espaçadas -parecem que instigam para uma tocada forte. rsrsrs

    Parece realmente que esse câmbio realmente ajudou (e muito) a dar outra cara para o carro. Pena que para ter um desses vai-se mais de 90 mil reais tranquilamente.

    Gostei do painel, pois é bonito e tem classe sem ser exagerado ou tentando ser futurista.

    ResponderExcluir
  6. Acho esses alarmes mocorongos de porta aberta e farol aceso desnecessários também. Me lembra aquelas neuras de americano, tipo aviso no retrovisor que os objetos podem parecer menores e tal.
    Um aviso no painel de porta aberta ou farol aceso já estaria de bom tamanho.

    ResponderExcluir
  7. A traseira lembra bastante a do C4 Lounge e do J3 Turin, o resto do carro ficou bem harmonioso. Ruim a iluminação azul que é sabidamente uma luz que propaga com muita facilidade no escuro, ainda mais nesta intensidade. Parece um bom carro. Vendo um hoje ao vivo me pareceu que o imediatamente anterior era mais "robusto", grandalhão digamos assim, este ficou mais suave.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. J3 Turin????????

      Excluir
    2. J3 Turin??????????????????????????

      Excluir
    3. Também achei a traseira parecida com a do C4 lounge

      Excluir
  8. Mr. Car vai comentar a respeito da tonalidade desse interior.


    Michael Schumacher

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já disse, prefiro um interior todo clarinho, como no Nissan Sentra edição Unique, e (se não me engano) como era no próprio Altis da geração anterior.

      Excluir
    2. Mr.Car
      Deixe de tolices, não se perca em dilemas.... Um interior todo clarinho acaba ficando sem graça...
      A beleza está justamente nos contrastes entre as cores.
      Lembre-se que bancos claros sujam com mais facilidade.
      He he he !

      Excluir
    3. Bosley de La Noya25/04/14 19:42

      Se o dono do carro for porco, sujam mesmo!

      Excluir
    4. Anônomo 25/04/14 18:01 hs: o contraste pode haver mesmo mantendo o interior todo claro, como com dois tons diferentes de bege. Sujeira? Não quando eu sou o dono do carro, he, he!

      Excluir
    5. Disse muito bem, Bosley: sujar ou não, depende muito do porco, digo, do dono do carro, he, he!

      Excluir
  9. Ou seja, uma ''modernizada'' para continuar com os mesmo clientes de sempre. Apesar da idéia do Sr. Akio Toyoda, continua ''anestesiado'', sem vocação esportiva nenhuma, nem passa nenhuma emoção ao motorista. E para quem olha também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcos, uma pergunta: você já guiou o carro?

      Excluir
    2. Tu leu o texto?? Viu o vídeo?? Ou quais são os teus conceitos de esportividade e emoção??

      Excluir
    3. Marcos Jota , meu filho..
      Se caiu de paraquedas por aqui .... de carro nao "manjas" nada...
      Abstenha-se

      Excluir
    4. O pessoal tem mania de personificar os carros com o seu povo de origem, tsc tsc.... Só pq japonês é tido como reservado, sem-graça, acham que os carros também o são... e só pq italiano é tido como nervosinho, sangue-quente, folgado, os carros se tem origem italiana tem de ser todos assim..... Então vá dirigir um 147....

      Excluir
    5. O Anônimo das 19:52 cunhou o melhor comentário até agora.

      Excluir
  10. Não consigo entender como as fabricas depois de décadas fabricando carros ainda conseguem fazer cagadas com a de não ter regulagem da intensidade da iluminação do painel. Eu gosto de dirigir a noite com o mínimo de iluminação do painel. Chego a desligar sistema de som por causa de mais uma fonte de luz. Um carro como esse não ter regulagem da luz painel é um fiasco. Quanto custa tal sistema? Outra cosia que me deixa louco é a intensidade de algumas luzes no painel, como a de luz alta. Muitos carros ela é tão forte que incomoda mesmo. Já falei com várias pessoas e muitas delas se incomodam com isso também. Inclusive tem gente que coloca um pequeno pedaço de película de vidro sobre a luz de farol alto no painel. Será que ninguém das fabricas testa o carro a noite!
    Abraços.
    Real Power.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Real Power, também me incomoda a luz indicadora de luz alta em alguns modelos. Molho com saliva um pedacinho de papel e grudo em cima. É o jeito, quando se pega estradas vazias e ficamos no alto por mais tempo.

      Excluir
    2. No meu carro (Gol G5) não tirei aquela película que vem por cima da lente do painel de instrumentos.

      Michael Schumacher

      Excluir
    3. Ooooo Shumacher.. essa doeu !
      Essa pelicula de plastico é horrível e atrapalha a leitura do painel ..
      Ou vc só deixou a pelicula no indicador de farol alto??
      Se não fica como o Mr. Car que continua andando com o plastico original de fabrica nos bancos só para nao sujar e ficar novinho.. mas é um desconforto danado

      Excluir
    4. Marcus Lahoz25/04/14 19:25

      Concordo 100%. Neste ponto a citroen sai na frente, eles tem a opção de apagar o painel. E os rádios pioner apagam a tela e mantém o som.

      Tenho os dois, combinação ideal.

      Excluir
    5. No meu carro a regulagem da iluminação do painel esta no botão seletor do hodômetro parcial,esta assim em vários carros japoneses,será que não é assim no corola?

      Excluir
    6. Lorenzo Frigerio25/04/14 21:14

      Tem 5 carros aqui em casa, de1967 a 1997. Todos têm regulagem. E mais, quatro deles usam luz difusa, iluminando os números, e não através dos números (horrível, mas hoje só se faz assim). Até Fusca tinha dimmer na luz do painel.

      Excluir
    7. Não tenho certeza, mas o Fusca, nem na sua versão pé-de-boi (aquela sem marcador de combustível e forros de eucatex) ficou sem o reostato das luzes do painel.....

      Excluir
    8. Anônimo 25/04/14 18:11 hs: não uso plástico, mandei fazer uma capa apenas para poder andar sossegado com meu cachorro. Não fosse por ele, nem capa precisaria, já que humanos, ou seguem minhas regras, ou não entram no carro. E pode ficar me gozando, que na hora de comprar um usado, é por carros cuidados como eu cuido, que todo mundo procura. Em tempo: não teve um carro que eu anunciei para venda, que não tenha sido comprado pelo primeiro que foi ver, he, he, he!

      Excluir
    9. Isso ai Mr. Car
      Voce e dos meus
      Quando for vender seu Renault me avisa
      Sei que esta com baixo KM e tinindo de novinho!
      Anônimo 25-04-14 18:11
      He he he

      Excluir
    10. O meu está igual ao do Mr. Car. Só um pouco mais rodado.

      Excluir
    11. AK, pode ser que tenha a regulagem de intensidade da luz do painel sim. Tive um SEG 2010 e um Altis 2012 e essa regulagem fica num dos bastões do painel. Você aperta, espera alguns segundos e regula a intensidade da luz, se não me engano em 4 opções. Bom, isso no antigo, não sei se no novo modelo é assim, e nem se isso é algo que se estenda ao XEi. Mas como roubaram o Altis há um mês atrás, acabei comprando o novo XEi. O carro ficará pronto na próxima segunda feira, vou ver e se tiver a ta regulagem eu informarei. No anterior infelizmente não é num botão que fica a vista, é um dos macetes que me ensinaram na concessionária, mas que tinha regulagem, isso tinha mesmo. Abraço!

      Excluir
    12. Não era o Saab 900 que tinha uma opção no painel de mantê-lo quase todo apagado, deixando apenas os instrumentos realmente necessários?

      Excluir
  11. Gostei dos bancos também !,mas porque estão eliminando o reostato de luz do painel dos carros
    agora ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa pergunta, Speedster. Boa pergunta.

      Excluir
    2. sou mais um indignado com essa....

      Excluir
    3. Bean counters trabalhando , meu caro Speedster

      Excluir
    4. Tenho um Corolla 95 e este já tem reostato, podendo, inclusive, apagar todas as luzes do painel. Em compensação, não tem um monte de outras coisas... hehe

      Excluir
  12. Que carreta, hein! Bem inteligente esse câmbio; o motor mantem o fôlego em qualquer rotação.

    Uma pena que a versão com motor 1,8l (GLi) não possui A/C digital.

    Nícolas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bah.... realmente faz uma falta o ar digital........................

      Excluir
    2. E o GLi tem um quadro de instrumentos completamente diferente desse, e bem mais feio por sinal...

      Excluir
  13. Gosto muito dos vídeos de vocês, Arnaldo. Essa informalidade, despreocupação com a perfeição de uma gravação que segue um script ou um texto pré-elaborado, que permite até um caderno "dançando" sobre o acento e umas tossidas, além de o carro inteiro na ponta da língua, são para fazer parecer que os mais de 16 minutos passam em 5. Parabéns.

    ResponderExcluir
  14. AK, meu FIAT 500 tem a regulagem de luminosidade duma forma que eu nunca havia presenciado... estou acostumado com o reostato no painel ou com a opção no menu de configurações, porém nele a opção é no menu e só aparece quando se está com o farol ligado... será que o Corolla não usou algum artifício desse tipo?

    Ps.: preciso fazer o test drive neste carro com urgência. Essa nova leva de lançamentos está surpreendente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não entendo por que não pode ser o bom e velho botãozinho de girar. Pelo "velho"?

      Excluir
    2. Tenho um Corolla 2007. É exatamente assim, a opção só está disponível, a partir do seletor de hodômetro parcial, quando os faróis estão ligados.

      Excluir
  15. Belo teste AK!

    Gostei do carro, acho que fizeram importantes modificações e evoluções; a carroceria ficou mais agressiva, o entreeixos permite mais espaço interno, assoalho quase plano, a caixa de mudanças que era um penalty no modelo antigo, direção menor que dá um toque mais esportivo no tato e nas sensações pneu/estrada.

    Ficou bem bacana também o painel que parece uma mistura de moderno com retrô ,que remete a parrudez, durabilidade (as linhas quase pesadas no setor do porta luvas).

    O modelo antigo já era bom de guiar apesar das quatro relações, visto que o motor empurrava bem e era sólido em atitude de suspensão, não consigo entender gente que acha que o carro "não emociona" tanto o novo como o antigo...ou estavam anestesiados depois de sair de um BMW M3 (manual é claro), após trinta minutos de drift (sic), ou são "jornalistas" que acham que todo carro deve provocar uma explosão de testosterona mesmo andando devagar (têm gente que liga diversão apenas a velocidade, não ao ato de dirigir e se aprimorar de boa).

    Belo carro mesmo, mas nada interessante na versão Altis, pois encosta no feudo fiscal ($$) de um Jetta TSi, que gruda o motorista no assento como nenhum outro sedan nessa faixa de preço.

    MFF

    ResponderExcluir
  16. Prezado AK e BS, não entendi o funcionamento do câmbio CVT deste carro, do texto se deduz que no modo automático ele usaria 7 relações fixas mais longas e 7 relações mais curtas nas trocas manuais. É assim mesmo?

    Na minha opinião não faz muito sentido um câmbio CVT com relações pré-programadas em modo AT, pois considero como minha referência de CVT o do Honda Fit EX 2005, que ajusta a transmissão conforme maior ou menor pressão no acelerador.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comportamento agradável do CVT tradicional, manter a rotação quase constante, é justamente a reclamação de muitos motoristas acostumados ao automático convencional, nestes novos CVTs ele acaba criando marchas virtuais, permitindo a elevação da rotação antes da "troca" de marcha, o motorista se sente dirigindo um automático convencional. Não é melhor nem pior, é mais uma característica sensorial, eu gostava da "constância" do CVT.

      Excluir
    2. Pois é, inclusive li por aí que essas marchas virtuais não são fixas, são em posições diferentes das polias de acordo com a condição de uso. Ele se adequa à circunstância.

      Excluir
    3. ChAndré, os amigos aí em cima já responderam muito bem a sua pergunta. Nada tenho a acrescentar.
      Como o Hugo escreveu: "permitindo a elevação da rotação antes da "troca" de marcha", quisera eu ter descrito dessa maneira no post. É bem isso aí.
      Agradeço aos dois.

      Excluir
  17. Corsário Viajante25/04/14 14:53

    Opinião de quem não gosta nem entende muito do segmento: o câmbio evoluiu e alcançou os concorrentes. O visual deixou de ser tão sem graça, mas ficou um pouco "tiozão de boné" demais, ou seja, um pouco forçado para a proposta do carro. O interior não ficou racional mas antiquado mesmo. Não foi uma mudança enorme de rumo como o Civic anterior mas apenas um senhor de idade cujo geriatra recomendou usar bermuda e andar de bicicleta ou coisa do gênero, o que não é ruim, ao contrário, gosto de carros honestos em suas propostas.
    Mas no fundo nada disso importa muito, pq no fim seja lá como for ou quanto custe o corolla seu público cativo vai prestigiar trocando ano a ano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso ai Corsário
      Em time que está ganhando, treinador mexe pouco ...

      Excluir
  18. O problema é pagar 92mil no Altis por algumas poucas bobeirinhas além do XEI. Não vale!
    Ainda fico na duvida se o XEI vale os 80mil pedidos também. Se bem que hoje tá tudo uma fortuna!

    ResponderExcluir
  19. Gostaria que, quando possível, o Autoentusiastas fizesse um teste desses com a versão 1.8 manual.

    Sempre achei o modelo anterior meio flutuante na suspensão. Bom saber que melhorou nesse ponto. Arnaldo, e quanto à posição de dirigir? Também melhorou?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniel, a posição de dirigir fica perfeita. A gente viaja longe sem ter que volta e meia ir se ajeitando no banco. Desce dele e está inteiro.

      Excluir
    2. A 4-Patas fez e elogiou bastante o comportamento com cambio manual
      Vale ler...

      Excluir
    3. "4-Patas"? Que revista é essa, alguma rural? O que acho engraçado é que "não sabe" o nome, mas acompanha as matérias...

      Excluir
    4. Fontes L93
      Para bom entendedor pingo no "i" significa letra
      Pergunta que nao quer calar....
      Vc tem alguma tomada 220w na sua casa?

      Excluir
  20. Bom, eu tenho lá minhas críticas mas é ao Corolla 9, mais precisamente à Fielder que o meu pai tem. A suspensão eu acho macia demais, muito confortável, mas macia demais, pois o carro afunda fácil com qualquer pesinho que se coloque nele, imagine então viajando entre quatro mais bagagem. A bunda vai ao chão. Raspa muito fácil os para-choques em saídas de garagens e o assoalho nas lombadas. Várias vezes que, ao passar um pouquinho mais rápido ele toca o assoalho nas lombadas e outras tantas que obriga a passar enviesado. A falta da regulagem de distância do volante também é chato pois, ou eu fico com os braços muito esticados ou com as pernas muito erguidas. Pelo menos isso já é coisa do passado no Corolla desde 2009. E, claro, o câmbio, muito sem graça aquele automático. E os manuais tinham marchas muito curtas. Sou da turma do 4+E.
    Parece que nesta geração muitas dessas coisas estão corrigidas, porém, inseriram outros problemas. Iluminação do painel azul e sem reostato?? Que mancada, eim!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu quero comprar um Fielder
      Mas nao é facil achar um bom por ai.....

      Excluir
  21. Como sempre, AK, post muito legal.
    Iluminação do painel: no Corolla que tive, a regulagem era feita por meio do botão de zeragem dos odômetros digitais. Será que no novo também não é assim? Bastava manter pressionado o botão para que a iluminação se alterasse, aumentando e depois reduzindo, ciclicamente.
    Alarmes: o meu também tinha uns meio chatos, tipo do da marcha à ré: sempre que levava a alavanca para o R soava um alarme intermitente - um saco. O pior é que, pelo que me informaram à época, não havia como desativar este alarme específico. Preferi mantê-lo para não perder os demais.
    Ficha técnica: alguém nas marcas japonesas não gosta ou sabe para que servem ou o que são relações de marchas e de diferencial. Nos manuais da Toyota não constam estas informações e nos da Honda, que as traziam, também não constam mais. Conto com o AE para matar minha curiosidade, mas no caso do novo Corolla, nem o AE as trouxe. No post da apresentação até constam as relações de marchas dos dois câmbios, mas não há a informação da relação do diferencial da caixa manual. Será que a gente consegue saber isto?
    Abraço
    RMC

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. RMC, tentei a mesma forma do anterior e nada.

      Excluir
  22. O Corolla continua sedo um ótimo carro.
    É confortável e confiável, além de ser econômico para a categoria, mas quer saber, nunca compraria este carro, mesmo para o mercado brasileiro aonde precisamos de muito dinheiro para pouco carro, este Corolla consegue ser mais caro do que a média da concorrência.
    Abs.

    ResponderExcluir
  23. Sempre reconheci as qualidades do Corolla como um carro pacato e mais anestesiado mas essa nova geração consegue passar uma impressão mais esportiva principalmente através das linhas. Não duvido que ande melhor que o antigo, mas pessoalmente achei esse carro simplesmente maravilhoso, pelas linhas mais arrojadas e que transmitem além do que o anterior transmitia (e olha que o segmento dos sedãs médios não me atrai muito, nem estilos mais rebuscados). Acho que perderam a oportunidade de dar mais uma equipada no carro (se não me engano, o Altis atual não tem nada a mais que o antigo), mas não duvido que resolveram guardar umas cartas na manga pra lançarem quando a concorrência apertar. De qualquer jeito, uma evolução válida e bem ao estilo Toyota de se fazer as coisas.

    ResponderExcluir
  24. Sendo corolla e civic carros mundiais, por que nenhuma versão ainda adotou injeção direta?

    ResponderExcluir
  25. Nas fotos me chamou mais atenção o belo cenário que o carro em si, mesmo o reconhecendo o Corolla como um baita carro.

    ResponderExcluir
  26. O preço desse Corolla Altis é bem "altis", não acham?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Altis pra carambis!!

      Excluir
  27. Esse carro,a não ser pelo espaço,deve muito ao novo Focus,essa é minha opinião!!incomoda pagar tão caro,e não ter coisas sequer um ESP,ou pior,um simples reostato!mas como é Toyota,ela pode tudo!!!

    ResponderExcluir
  28. Eu achei que o novo Corolla ficou muito parecido com o Citren C4 Lounge !

    ResponderExcluir
  29. Ainda não tive oportunidade de dirigi-lo, mas, quando fui ver o novo Corolla na concessionária, percebi uma gafe quase inacreditável para um veículo supostamente tão bem projetado.
    O triângulo de segurança foi colocado logo abaixo da soleira da tampa do porta-malas, dentro de uma bolsa fixada por uma tira de velcro. O problema é que essa bolsa acabou ficando sobreposta ao tapete do porta-malas, por falta de um nicho específico para alojá-la. Resultado: a cada vez que se precisa ou deseja calibrar o estepe, é preciso soltar o velcro, retirar o triângulo e só então levantar o tapete para chegar ao pneu sobressalente.
    Pergunta para a Toyota: um recorte no tapete, ao redor da bolsa do triângulo, acrescentaria quantos mil reais ao preço do carro?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jesus! Olha onde o nego foi achar defeito.....

      Excluir
  30. João Carlos25/04/14 18:57

    Isso de não ter regulagem da iluminação do quadro, desse ser coisa da "geração luzinhas", a turma do quando mais luz melhor, quanto mais branca melhor, quanto mais LEDs melhor, adaptação de "xenon"...

    Pior que vem aí o farol "adaptado" para LED, mas um item pra cegar todo mundo. Curioso que adoram tanto iluminação, mas à noite guiam (guiam?) de óculos escuros com os sacos de lixo nos vidros...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Regulagem de luz no painel ...
      Nao podemos reclamar que nao tem né ?
      O carro e bem baratinho .... vamos ser mais compreensíveis gente!

      Excluir
    2. João Carlos25/04/14 22:13

      Vc conseguiu entender justamente o contrário!

      Excluir
  31. Marcus Lahoz25/04/14 19:27

    Carro bonito, bom motor e cambio excelente. Mas certos detalhes (como o valor e a questão da luz no painel) me impedem de pensar em um destes.

    ResponderExcluir
  32. Bom dia a todos!

    Sehores, Em alguma reportagem os senhores explicam o por que da aversão aos "sacos de lixo" na janela? Sempre fui adepto por não gostar de me verem dentro do carro, e para cortar raios UV. Nunca vi argumentos contra, sempre no comentário todos apenas se manifestam contrários à película escurecida. Caso não tenha isso em alguma reportagem, os senhores fariam a gentileza de me explicar? Obrigado!

    Aos possíveis comentários mal educados: Estou fazendo uma pergunta por que não sei a resposta, e não apenas para causar polêmica, peço que se abstenham a não ser que tenham algo a acrescentar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thiago, essas películas escurecedoras prejudicam a visibilidade do motorista, principalmente à noite. Muitos acidentes ocorrem por causa disso. É um perigo!
      Vê-lo dentro do carro, segundo os especialistas em segurança, é bom, porque assim podem ver se você está sendo sequestrado, etc. Também os policiais odeiam essas películas, pois não podem ver se há gente suspeita lá dentro, então eles já chegam em você com maior cuidado e mais preparados a "agir", entendeu?
      Outra coisa é que quem está atrás de vc não vê o que se passa à frente de vc, e isso o prejudica.
      Quanto aos raios UV, calma lá. Se você não for albino, desencane. Sol faz bem. Coloque um óculos rayban e seja feliz.

      Excluir
    2. Aqui perto do PY, se a polícia vê um carro tapado de película, eles vão cego em cima. "Carro de muambeiro".

      Excluir
    3. Obrigado pela resposta clara e objetiva Ak.

      Em tempo, parabéns à todos pelo blog.

      Excluir
    4. João Carlos25/04/14 22:21

      Thiago,

      Os vidros temperados bloqueiam 82% dos raios ultravioleta.

      Os laminados (pára-brisa; ou também os laterais de alguns Fiat) bloqueiam 99,5%.

      *dados da Fiat e Saint-Gobain

      Excluir
    5. O que muitos não sabem é que os vidros automotivos de hoje, por si só, já filtram cerca de 98% dos raios UV. Portanto, nem isso é justificativa para se usar película.

      Excluir
    6. Corsário Viajante26/04/14 19:19

      Eu uso uma película bem leve, e vou continuar usando até a polícia começar a fiscalizar os faróis irregulares. Estou usando um carro alugado sem película nenhuma e à noite uso o espelho central "rebatido" o tempo todo, impossível aguentar tanto farol desregulado ou falso incomodando.

      Excluir
    7. Pior de tudo é que a cultura da película está tão incrustrada, que é moeda de negociação na hora de comprar. No final da negociação, já que a concessionária não conseguiua tirar mais nenhuma beirada, aceitei a película, com a observação de que teria que ser a 70%, bem clara, para não atrapalhar e ficar dentro da lei. Pois bem, dois dias depois o veículo retorna às minhas mãos, com a película aplicada. Está lá o famoso "carimbo" em relevo, dizendo 70%. Mas a película em si é qualquer outra graduação que não 70%, é um breu total. Já estou vendo para arrumarem!

      Excluir
  33. Não tenho dúvidas que o Corolla é um carro muito bom e ainda melhor que o anterior, principalmente agora com o câmbio CVT... mas 92 Dilmas no Altis???? Daí o Jetta TSi sorri de um lado e o recém lançado A3 Sedan que custa 94 Dilmas sorri do outro........... não dá.........., não tem como.......

    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 92 Mil Dilmas e ainda leva uma suspensão por barra de torção (mais barato que a multlink) e sem controle de estabilidade... o camarada precisa gostar muito da marca mesmo...

      Excluir
    2. Piero
      Eixo de torção, não barra de torção, até parece que você não é nosso leitor. Dirigiu o carro, achou-o ruim para uma crítica sem base dessas?

      Excluir
    3. Adoro ler as broncas sinceras do Bob! Abraço a todos!

      Roberto Neves

      Excluir
  34. O "verdadeiro"corolla ainda é vendido no Japão,bem menor,motores 1.3 e 1.5,inclusive em versão híbrida.

    ResponderExcluir
  35. Hatch sempre e de preferência pequeno, mas gostei do carro.
    A Toyota está de parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quae concordo contigo, o meu senão é que acima dos hatches estão as SW's! Mas você ia então gostar to Toyota Auris, hatch feito na plataforma do Corolla e que vende bem na Europa. Por quê, Toyota, ó, por quê, Honda (Civic Hatch), não nos trazem seus aclamados hatches???

      Excluir
  36. Mas caso eu optasse por comprar um Corolla, certamente seria o GLI com câmbio manual.

    ResponderExcluir
  37. Ótima matéria, boa de ler, do Arnaldo. Uma beleza de carro, prefiro este muito mais do que o 'futurista' Civic. Ficou mesmo parecido lateralmente com o Citroen C4 Lounge, que da categoria me parece o mais apetitoso, especialmente com o THP. A 4 Jantes já falou isso. Mas esses carros estão caros demais...

    ResponderExcluir
  38. Por que a Toyota não colocou uma suspensão traseira independente no Corolla? Não faria tanta diferença? Custo?
    Grato

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo,
      Sem dúvida é devido ao custo. Faria alguma diferença, sim, desde que essa independente fosse bem feita, porém houve grande evolução no sistema com eixo de torção que ele está bom o suficiente para a categoria, mesmo, bem bom.
      O Citroën DS3 e o Peugeot RCZ, por exemplo, são excelentes de chão e usam eixo de torção também. E todos os citados, incluindo aí o Corolla, novo, são macios de suspensão também. O sistema evoluiu.

      Excluir
  39. Viu Arnaldo Keller por esse câmbio ter "marchas" definidas por paradas da polia por exemplo a 120 km/h este está à 2.300 RPM (estimado) um CVT "comum" não deixaria o RPM mais baixo ainda?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Welyton, 2.400 rpm é a rotação certa para esse carro, com esse motor, a essa velocidade, 120 km/h.
      Menos rpm que isso não gera potência necessária para esse trabalho. Expliquei direito?

      Excluir
  40. Olha o Corolla ficou mais bonito por fora, arrojado, mas a caretice foi para dentro... Sei que gosto é muito subjetivo, mas esse painel, sério mesmo. Acho melhor o estilo Tecnobrega do Civic, pelo menos remete ao estilo nave. Outra coisa que assusta é o preço de 95.000. É certo, reconheço a excelência e refinamento mecânico, o Cambio CVT, mas tem que dar uma olhada na concorrência. considero um C4 Louge THP, por 15.000 a menos, e com uma potência média bem melhor, uma compra mais interessante, E se for para dar 95.000 num carro, é melhor um Fusion 2.5, testado e muito elogiado aqui, no AE, inclusive quanto ao consumo rodoviário, ou então pensar numa marca Premium, Audi ou BMW. Quanto carros que provocam reações empolgantes... nessa faixa de preço... um Jetta TSI.

    ResponderExcluir
  41. Arnaldo Keller "off topic'.O que é mais eficiente em termos de consumo,usar freio motor em lombadas e paradas etc.Ou frear normalmente?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em termos de consumo o melhor é passar voando sobre as lombadas...

      Excluir
    2. Frear normalmente e passar (reduzir) a marcha mais adequada em força e giro a depender da velocidade e circunstância. Nunca forçar o câmbio numa determinada marcha com baixas rotações, pois gera-se uma sobrecarga nos "dentes" da respectiva engrenagem do câmbio.

      Excluir
    3. Welyton, hoje, carros modernos, injeção, quando, engatado vc tira o pé do acelerador há um corte total da injeção de combustível. Se colocar no ponto-morto e deixar "na banguela" ele gasta um pouquinho para manter a marcha-lenta. Entendeu?
      O melhor é deixar engatado, na marcha certa e ir freando, engatar maircha mais baixa, ir freando, tudo normal, sem giro alto nem baixo demais. Mas, na prática, a diferença é irrisória.

      Excluir
  42. Não dá pra acreditar, julgando apenas pelo que li na mídia especializada, que fizeram um carro deste nível com o volante completamente torto e enviesado... assim como não dá pra acreditar que o mesmo acontecia com o antigo Gol e este apesar disso foi o carro mais vendido do Brasil por décadas e décadas... Como é que as pessoas não se incomodam com isso? Particularmente acho medonho, no Gol até o banco e os pedais eram tortos, meu Deus, o sujeito dirigia em diagonal, de lado... durma-se com um barulho destes! Tirando este grave defeito o Corolla parece ótimo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Arnaldo, e quanto à posição de dirigir? Também melhorou?

      Arnaldo Keller25/04/14 17:51

      Daniel, a posição de dirigir fica perfeita. A gente viaja longe sem ter que volta e meia ir se ajeitando no banco. Desce dele e está inteiro."
      Num carro desse preço, ter volante torto realmente não daria, mas não parece ser o caso. Da onde tu tirou isso?? Já num carro "barato" como um Gol, ainda mais dos antigos, não vejo problema nenhum nisso, não era nada de mais. Mas claro que é bom que não seja assim.

      Excluir
    2. Pois é!!! Algum aqui notou esta característica? Parece algo muito absurdo num carro contemporâneo.

      Excluir
    3. Anônimo26/04/14 07:25
      Torto é esse seu comentário completamente descabido !
      Onde você leu que a ergonomia desse Toyota não é boa ?
      Voce já guiou um para dizer isso ou voce é mais um desses famosos pilotos de videogame?

      Excluir
    4. O carro não tem nada de torto, muito menos o volante.
      E ergonomia, como disse e repeti, excelente.

      Excluir
    5. UOL CARROS, 07/04/2014 => " O painel frontal parece um muro, de tão alto e reto; a distância do motorista ao parabrisa é desagradavelmente curta; e o volante é muito, mas MUITO torto (a porção da direita fica mais próxima do corpo). "
      Achei o novo painel muito bonito, mas quanto ao volante torto meu comentário foi baseado, como disse, apenas no que anda saindo na mídia especializada, no caso matéria do UOL CARROS.

      Excluir
    6. Impossível acreditar numa coisa dessas sem ver para crer, ainda mais com o AE afirmando que não tem nada. Encontrei essa queixa unicamente no citado texto do UOL e num comentário de alguém num outro site. Só. Já devolveram o carro AK??

      Excluir
    7. Anônimos 26/04/14 19:49 e 21:44
      Vocês dois estão precisando urgentemente ir ao oftalmologista. Não assistiram ao vídeo? Quando, logo no início, o Arnaldo mostra o ajuste do volante, por acaso viram ângulo diferente entre braço e antebraço, esquerdo e direito, indicação de volante enviesado? Não viram que há distância normal entre pára-brisa e cabeça do motorista? Não viram que o painel frontal não tem nada de "parede"? Vocês ficam lendo textos de quem não tem conhecimento de automóvel e repetem essas bobagens. E o carro já foi devolvido, por que pergunta, 21:44? Não vai dizer que é para o Arnaldo olhar o carro de novo, por favor.

      Excluir
    8. Engraçado é que nunca vi ninguém reclamando da curta distância até o pára-brisa em uma série 3, agora no Corolla apontam como um defeito. Vai entender..

      Excluir
    9. Com todo o respeito aos colegas anônimos, adoro ler as broncas genuínas do Bob! Adoro este site! Abraços!

      Roberto Neves

      Excluir
    10. Anônimo 28/04/14 14:04
      Isso pq vc nunca levou uma dele..... ¬¬



      brincadeira

      Excluir
    11. Roberto Neves você tem toda razão, "detratores", "oftalmologista", "bobagens", "descabido", "cirurgicamente rechaçados"... este blog é diversão garantida. Parece até torcida fanática defendendo time de futebol. Muito engraçado como um simples detalhe no volante pode despertar tamanha "ira", só rindo mesmo. E ai de quem discordar... rsrsrs

      Excluir
    12. Se o comentário passar na censura do Chefe, né? ( talvez este passe! Ele adora ser chamado de chefe! Rssss)

      Excluir
    13. Anônimo 29/04/14 18:31
      Claro que não, apenas é cargo numa redação, editor-chefe.

      Excluir
    14. Vendo o vídeo tive a impressão de que realmente o volante é muito torto, mesmo antes de ler os comentários. Mas, me convenci que era por conta da curvatura do painel.
      Depois dos comentários citando tal disposição do volante, voltei ao início do vídeo, e aos 1' e 24'' tive a impressão reforçada pela posição dos cotovelos do AK; o esquerdo parece mais recuado, enquanto as mãos dele seguram o volante em posições semelhantes. Talvez esta segunda impressão venha da posição da câmera, mas foi a que tive ao ver a imagem congelada.

      Excluir
    15. Anônimo 07/06/14 22:02 e demais que compartilham a opinião
      Vocês estão completamente enganados ao dizer que o volante do Corolla é enviesado, não sabem o que estão dizendo. Esses foram um dos comentários mais absurdos nesses quase seis anos do Ae. Alguém aí em cima até se referiu ao UOL como afirmando que é enviesado. Quem é o UOL para falar de carros com conhecimento técnico? Acordem! O Arnaldo dirigiu o carro, eu viajei com um, não há absolutamente nada de volante enviesado!

      Excluir
  43. Parece que foi o Mussum que pois o nome no carro... hehehe
    Esse Corolla é di classi Altis, calcildis!

    Realmente achei que o carro é bem legal, mas sou mais o Civic pelo conjunto mecanico... o Civic pra mim só perde no interior, principalmente o painel (tenho impressão que a honda desaprendeu, todos carros atuais são horrorosos no painel)... o painel do civic é desconjuntado, desconexo, desproporcional e principalmente não é harmonico, na minha opnião... o duro é que é a parte que você mais olha enquanto dirige, tentaram fazer com que parecesse uma nave espacial, mas no fundo me parece um carro conceito dos anos 80 (em que todos imitavam a "supermaquina") que algum estagiario deu um tapa (pintou de cinza e pois a tela de lcd)

    ResponderExcluir
  44. É um carro pra manter a clientela. Por muito menos (cerca de 70 mil) se compra um Fluence, versão de entrada, com couro e câmbio CVT, porta-malas acima de 500 litros, saída de AC atrás, 6 airbags, AC digital "bizone", cruise control, juro zero.
    E ao preço do Altis se compra um Fusion, carro superior, em minha opinião.

    McQueen

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 26/04/14 13:41, já tive Corolla e hoje possuo um Fusion Ecoboost. Tu não tem noção de como tenho saudades da integridade do carro e do atendimento Toyota a ponto de querer migrar para uma categoria inferior e me livrar da dor de cabeça. O Fusion é um otimo carro, mas a Ford não investe no material humano como a Toyota. Então hoje em dia quem compra um Corolla Altis em detrimento do Fusion 2.5 sabe o que está levando. Eduardo - Joinville

      Excluir
    2. Espetacular resposta. Resumiu a diferença do pensamento japonês, ainda que em solo tupiniquim e sob as 'LEIS' deste mercado, versus o resto . A COISA do outro lado é tão ruim, notadamente entre as quatro grandes que ainda dominam cerca de 65% do mercado, que a Toyota nada de braçada e consegue emplacar 40 mil dólares americanos num modelo deste! Bem verdade que o conjunto é muito superior a quase tudo na categoria. Sua resistência mecanica é lendária, bem como o todo agrada mais que desagrada. A materia relata que melhoraram a estabilidade em alta. Tomara, pois este é um dos pontos fracos do modelo anterior, junto ao conforto.Quanto ao conforto melhorado, só dirigindo para confirmar, pois a turma do AE tem altura mediana e o AK acrescenta a isto boa relação peso/potencia, o que o favorece neste quesito. Temos aqui o modelo 2013 e não gostamos nada deste item. Problema mecanico zero, manutenção desprezível, acabamento razoável, mas viajar do Rio a São Paulo nele, viajem rápida e por estradas ótimas para os nossos padrões, deixou a mim e minha mulher quebrados!!! Torço para que tenham melhorado, mas tenho receios, haja vista manterem a suspensão antiga. Também entendo que na faixa que este modelo se posisionou vai fazer migrar o comprador que quer conforto e confiabilidade para o Accord 4 cilindros, já com o motor 2.4, diferente do anêmico 2.0. E são carros sem comparação. Quem tem ou dirigiu sabe.

      Excluir
  45. Um recado aos detratores: por favor prestem mais atenção nos automóveis mais vendidos do mundo que são Corolla, Focus e Golf. Possuem qualidades que requerem experimentação e se conquistaram consumidores ao redor do mundo, ruim não devem ser. Tive Corolla e Golf. São os autos que mais dão saudades. Infelizmente acabei me acostumando às qualidades e incredulamente acreditei que elas talvez pudessem ser encontradas na concorrência. Críticas empiristas não tem como ser bem vindas e concordo em serem cirurgicamente rechaçadas. Eduardo - Joinville

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Detrator e todo aquele que discorda da sua opinião ou da opinião da maioria? Cuidado com a unanimidade.....

      Excluir
  46. Leio em testes de vários carros aqui no AE leitores reclamando da falta de componentes como suspensão traseira independente ou controles de estabilidade e tração, por exemplo. Posso estar enganado, mas penso que a presença desses componentes não é determinante para um carro ser "bom de chão" (para usar uma expressão dos colunistas do AE) ou mais seguro. Quanto mais experimento carros diferentes, mais percebo que um projeto bem acertado, com componentes tradicionais de suspensão, sem controles eletrônicos, pode parecer até melhor de dirigir que um carro com o duo "multilink + controle de estabilidade". Pelo menos para mim, que nunca tive o prazer de experimentar limites numa pista (sonho em participar de um track day um dia...)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Bruno, é por causa de pensamentos como o seu, que grandes montadoras, como Toyota, Nissan e outras, não oferecem nem como opcional o controle de tração e estabilidade nos seus carros.
      O controle de tração e estabilidade não tem o objetivo de dar mais chão ao carro e sim de salvar vidas, evitando que um pai de família rode em uma curva, por exemplo.
      Na Europa é obrigatório.
      Um dia, os brasileiros vão evoluir e ter este raciocício.

      Excluir
    3. Anônimo das 11:06, não sei se o meu pensamento é o dominante ou é o que faz os fabricantes não oferecerem este item e, de fato, não havia raciocinado pelo lado da segurança ativa. Porém, mesmo pensando em relação à segurança, ainda prefiro um motorista bem treinado e seguro de suas reações do que um carro cheio de segurança ativa. Claro, tendo os dois, melhor ainda! Já comentei em outras postagens: gostaria que toda a energia gasta para aprovar a obrigatoriedade de ABS e air bags tivesse utilizada para criar uma forma de educar e treinar melhor nossos motoristas do futuro. Tenho a convicção de que isso salvaria mais vidas!

      Excluir
    4. E mais: penso que essa história de não oferecer um ou outro equipamento não é em relação somente a segurança, que o brasileiro, "em tese", não ligaria. Trata-se do nosso mercado como um todo. Eu gostaria muito, por exemplo, de poder comprar um Focus 2.0 com câmbio manual, mas ele não existe...

      Excluir
    5. Caro Bruno Hoelz 28/04/14 14:02; Cambio manual em carro é coisa do passado! Nada como um automático. Notadamente num carro anêmico como um Focus. pelamordedeus! A maioria dos carros esportivos tem cambio automático e somente nestes o manual teria uma justificativa NO USO EM PISTA OU LOCAL MUITO RÁPIDO. Acabou, passou, mudou. Cambio manual só em carro MIL CC que precisa custar pouco e economizam até no cinzeiro, quanto mais no cambio. Colocar um cambio manual num Focus é como colocar um turbo numa tartaruga. Vai fazer cem metros em 20 hs com turbo e 20 hs e 1 minuto sem. Tu mora na roça?

      Excluir
    6. Anônimo 29/04/14 18:13
      De modo algum câmbio manual é coisa do passado. Neste mês andei num Porsche 911 Targa (o novo) manual de 7 marchas. Corvette também lançou um manual de 7. Só que para muita gente passar marcha dá um trabalho...E carro manual desvaloriza...

      Excluir
  47. AK, excelente matéria..., gostaria da sua opinião sobre a versão de entrada (de fato, 1.8 câmbio manual), esquecendo-se de que provavelmente na hora da revenda somente algum entusiasta de interesse por ela, como carro o que lhe parece, vale cada um dos mais de R$66k? Grato!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nilton,
      Se vale ou não, não me cabe dizer. Cada um que faça as suas contas.
      Quanto ao motor 1.8 acho que dá e sobra para o Corolla. Pouca diferença há entre eles. Quanto ao câmbio manual, vai de gosto. O trambulador do Corolla é levinho e de bons engates, a embreagem é levinha, nada cansativo.

      Excluir
    2. Obrigado pela atenção AK, deixe-me mudar a pergunta, entre as versões de entrada e a que você está testando, AK qual melhor "custo/benefício"? Eu acho que no panorama atual do nosso mercado de 1.0's a 42/45k a versão de entrada é sim um opção interessante. (Ok, existem outras, mas como um recém lançado - normalmente de preços mais inflados - deve ter menor desvalorização)

      Excluir
  48. Arnaldo Keller, por que, você não mencionou a falta de controle de tração e estabilidade (nem como opcional) em um carro de mais de R$ 90 k como ponto negativo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jorge, controle de tração ele tem. Controle de estabilidade, não tem, mas pessoalmente não dou muita importância a isso num automóvel com boa estabilidade "natural" como este novo Corolla.
      Nos jipes e suves, etc, acho bom que tenha, já que por "natureza" eles são ruins de chão, e nos esportivos fortes, também, mas nessa categoria não vejo muita importância, desde que, como disse, sua estabilidade "natural" seja realmente boa, como é o caso.

      Excluir
    2. Arnaldo, de acordo com a 4 Rodas, o novo Corolla não tem nem controle de tração nem de estabilidade.

      Excluir
  49. Na minha pesquisa para substituir meu GM Vectra Elegance 2010 (28.000 km rodados) fui na Honda e fiz o "test drive" (em português, volta no quarteirão) com o Civic EXR.
    Achei apertado, painel desengonçado.
    Entregariam em 2 semanas.
    Ofereceram R$20.000 no Vectra (!!!).

    Fui na Toyota. O Altis por 92.000 reias, mas "talvez" recebesse em fins de junho. Não tinha para "test drive", somente em exposição (e achei sim o volante torto!).
    Valorização do Vectra igual à da Honda!
    Se continuasse rodando no Vectra até me entregarem o Corolla, teria que fazer a troca dos 4 pneus (mais um custo a ser considerado).

    Fui na Nissan para ver o Sentra, no qual já tinha andado, mas quis dirigir mais uma vez.
    Estava quase levando, mas também não tinha pronta entrega.
    Quando falei que estava disposto a pagar 92.000 no Altis, me ofereceram uma valorização no Vectra que cobriu a diferença de preço entre o Corolla e o Nissan ALTIMA 2.5, com um financiamento honesto e pronta entrega!
    (E também não precisaria trocar pneus do Vectra!)

    Negócio fechado!

    E já desfilei com ele (cor "white pearl") na frente da concessionária da Toyota...
    E que carro!
    Com CVT sem ilusionismos desnecessários!

    Detalhes do carro: http://www.autoentusiastas.blogspot.com.br/2013/11/nissan-altima-medio-grande-que-agrada.html e http://www.autoentusiastas.blogspot.com.br/2014/01/um-lugar-unico-um-parceiro-especial-um.html

    Em 2014, na sua categoria, o Altima é líder de vendas nos EUA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aí só tem uma mágica....veja quanto valerá um Corolla daqui 3 anos e quanto valerá seu Altima....na venda do zero é igual...a toyota não precisa abrir as pernas...vende sozinho. Já a Nissan....

      Excluir
    2. Por 3 anos desfrutarei de um carro muito melhor.
      Preço de revenda? Não me interessa tanto assim a ponto de sacrificar meu prazer.
      E não abriram as pernas. A Honda e a Toyota que tentaram me roubar na oferta que fizeram no Vectra.

      Excluir
  50. Pelo preço do Altis, tem o Lancer GT, com multlink, AWD, ESP, 9 airbags, xenon.....rodas aro 18, 160 cv....e o melhor, Teto solar eletrico e multimidia de 8 polegadas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ok. Mas vai na Mitsubishi procurar peças para vc ver o que acontece. Nissan Também. Mercado Brasileiro. Humpft!

      Excluir
    2. GT AWD - R$ 98.990,00
      http://www.mitsubishimotors.com.br/wps/portal/mit/areas/veiculos/familialancer/lancergt

      R$10,00 menos do que paguei no Nissan Altima...
      Já na quesito conforto, perde longe para o sedan mais vendido nos EUA em 2014.

      Excluir
  51. Arnaldo Keller

    Este Multidrive da Toyota é um cambio novo ou um produto já testado e amadurecido pela Toyota fora do país ?
    Aonde quero chegar com minha pergunta.
    Li em alguma revista que o câmbio do sentra, fluence e Lancer é fabricado por uma empresa do grupo Nissan e nos dois primeiros não existe histórico de problemas (pelo menos na internet) ao passo que o Lancer coleciona muitas reclamações em pouco tempo de vida. Tiro como conclusão deste episódio que o fato de ser o único dos 3 carros que possui o modo manual (paddle shift) onde o motorista que dirigir de forma mais esportiva pode vir a ter os problemas relatados (ruídos, aquecimento, perda de potencia). Pelo que li, nem com a troca do cambio e instalação do radiador de óleo o problema foi resolvido, pelo menos, para uma boa parte das reclamações.
    Tenho um Altis 11 e antes tive um SEG que rodei 165.000 km sem qualquer surpresa no cambio, mesmo sendo ele o conhecido e arcaico 4 marchas. Alias o carro todo passou tranquilo pela kilometragem, revisões em concessionária sem nenhuma surpresa mecânica. O receio é que este CVT com modo manual não tenha esta durabilidade toda pois a essência do projeto é para uma condução suave.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O CVT do Fluence também possui trocas sequenciais, e nem por isso apresenta problemas... Não ha necessidade de dispor dos paddle-shifters para que as trocas manuais sejam possíveis. No Fluence as trocas são realizadas na própria alavanca.

      Excluir
    2. Não sei dizer sobre o CVT do Lancer... mas li que o CVT do Fluence é o mesmo do Sentra antigo. Já o CVT do Sentra novo, este sim é super-moderno, tratando-se de uma geração nova daquele usado pelo Fluence atual e Sentra antigo.... chama-se CVT8 (pois equivale a 8 marchas), sendo que no Sentra novo ele roda a 120km/h em apenas 1.900rpm. MarceloH.

      Excluir
  52. Aí que vc se engana meu amigo...todos os CVT "japoneses" vem de uma mesma fábrica. O que muda é o perfil do carro e do dono....

    ResponderExcluir
  53. A diferença na aceleração entre o modo que simula marchas, para o modo CVT normal é grande?
    Possuo um Sentra CVT e demorei para me adaptar ao câmbio, principalmente nas acelerações com o pé embaixo, o motor sobe aos 6000 rpm, e me parece que a "embreagem" patina um bocado. Mas no uso normal a economia de combustível e o conforto são bons, sem contar a curiosidade em ver o carro ganhar velocidade mantendo constante a rpm do motor.

    Sérgio.

    ResponderExcluir
  54. Muito bonito o carro, só não gostei do painel, o modelo anterior supera.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.