(DES)GRAÇAS BRASILEIRAS

Foto:24horasnews.com.br
Plantação de cana-de-açúcar, matéria-prima para combustível dos nossos carros

Que os leitores me perdoem começar o domingo com más notícias, mas é preciso ver para onde estamos indo com tanta incompetência afetando o nosso dia-a-dia — em compensação, o post de hoje do Juvenal Jorge, ao meio-dia, será um daqueles memoráveis. Tenho certeza de que gostarão.

Como se já não bastasse a vergonha e inconveniência de a gasolina brasileira ser somente 3/4 gasolina e o resto, álcool, agora os "ispertos" dos usineiros, reunidos em torno da U.N.I.C.A., a União da Indústria da Cana de Açúcar, querem que ela passe a conter 27,5% desse combustível de espiriteira. Encaminharam pedido ao Ministério da Agricultura, que está "estudando" o pedido, a ser analisado em conjunto pelos ministérios da Agricultura, das Minas e Energia e da Fazenda. Ou seja, tudo indica que áreas importantes do governo se macomunarão com essa proposta nojenta e indecente, que parte do arrazoado de "equilibrar as perdas causadas pela seca que atrasou a safra da cana-de-açúcar e aumentou seu preço." Que sem-vergonhas! 

O ministro da Agricultura, Neri Geller (será ele filho ou parente do ilusionista dos anos 1960, Uri Geller, aquele que entortava garfos com a força do pensamento?) vem e diz, na maior cara de pau, que "a medida pode viabilizar a produção de cana-de-açúcar, além de ajudar o meio ambiente com maior geração (?) de energia limpa."

A Anfavea já se manifestou contra a medida, pois sabe que os motores são calibrados com gasolina a 22% de álcool, que 25% já era forçar barra. Como mais 2,5%, o funcionamento dos motores com gasolina e os exclusivamente a gasolina sofrerão com a mistura vivaldina, num flagrante desrespeito ao consumidor. Ainda roda no Brasil um bom número de carros calibrados para mistura de 10% apenas, aqueles produzidos antes de 1992. E tornará mais complicado turistas dos países vizinhos virem de carro ao Brasil. E ainda falam em Mercado Comum do Sul, o Mercosul... De mentirinha, não é?

Como seria bom se a criação do Proálcool no dia 14 de novembro de 1975 (logo no dia em que eu completava 33 anos!), no governo Ernesto Geisel, fosse um pesadelo, como aquele ótimo comercial de TV do guaraná Antarctica com o Diego Maradona na Seleção Brasileira cantando o nosso hino nacional antes de um jogo, e nada de álcool existisse. Carros importados seriam desembarcados e bastaria colocar um pouco de gasolina para funcionarem, nada de "calibração e homologação" que consomem dinheiro (que é repassado nos preços), e tempo, em torno de seis meses.

Quem nos alertou da novidade foram os leitores Rubens M. Marinangelo.e outro, cujo e-mail inadvertidamente excluí (se depois que ler este post ele me escrever, o atualizarei, merecidamente).

O álcool é mesmo como a formiga saúva: ou o Brasil acaba com o álcool, ou o álcool acaba com o Brasil.

Segunda (des)graça

A segunda desgraça, desta vez entrando na onde da demonização do automóvel que tomou conta das mentes de prefeitos & cia., a administração do trânsito de Porto Alegre resolveu que as faixas de pedestres semaforizadas passarão ter tempo de travessia de meio minuto contra os 10 a 15 segundos atuais, alegando "favorecer as pessoas com dificuldade de locomoção". Quem informou ao Ae foi nosso leitor lá do Sul, Rodolfo Odorizzi Flesch.

É o que venho dizendo, a fábrica de (motoristas) idiotas está funcionando a pleno, em três turnos. Se alguém acha que foi feito estudo de quantos deficientes atravessam as ruas diariamente, está sonhando. Não é preciso ser gênio para saber que enquanto houver pedestre atravessando, os carros não devem andar. Está no nosso Código de Trânsito, Art. 70, Parágrafo único: Nos locais em que houver sinalização semafórica de controle de passagem será dada preferência aos pedestres que não tenham concluído a travessia, mesmo em caso de mudança do semáforo liberando a passagem dos veículos.

Não é preciso ser gênio também para prever o efeito do número desses eventos de 30 segundos por dia sobre a fluidez.do trânsito em Porto Alegre. Ah, é excesso de veículos...

Terceira (des)graça

Essa vem de Cuiabá, enviada pelo leitor Tarcísio Cerqueira. Antes veja a foto:

(foto medianews.com.br)

Deu para entender? Complicado, não é? É o seguinte: a Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes Urbanos resolveu partir para a moda inventada pelo prefeito Fernando Haddad, de São Paulo, e criou uma faixa exclusiva para ônibus na Av. Getúlio Vargas, no centro da cidade, que começa a valer nesta segunda-feira.

O desvio, que um motorista de táxi já apelidou de "barriga de sucuri", invade uma das faixas de rolamento de maneira a criar espaço para que um ônibus possa ultrapassar outro que esteja parado no ponto. Esperteza, não fosse duas faixas virarem uma — ou então "limparem" o estacionamento nas imediações da "barriga, que se danem população e comércio local —. mas, ainda pior, criar uma curva em plena reta, o que NÃO se deve fazer. Assim fica difícil mesmo.

Por falar em (des)graça, estive esta semana em Bari, na Itália, para a apresentação mundial do novo Porsche 911 Targa. Como viajei pela revista Carro, da qual sou editor técnico e colunista, só depois de publicada a matéria na edição de maio, em preparação, poderei escrever um post a respeito do carro e da solução de escamoteamento do teto, ambos sensacionais.

Mas nas minhas andanças com o 911 nas cercanias de Bari na última 5ª feira, entre praia e montanha numa manhã magnífica, 10 °C, me deparei com essa placa de trânsito:

Sinalização de lombada (foto do autor)

Se eu não soubesse que o dejeto viário chamado lombada (quebra-molas em certas regiões) não existe por lá, teria tomado um susto. Essa placa é antiga no nosso Código e, como em todos os lugares do mundo, informa ao motorista haver uma lombada-perfil da via, ou curva vertical, à frente, uma pequena subida em que não se vê o outro lado. Mas o que as "capacidades" que tomam conta do trânsto no Brasil fizeram para sinalizar a lombada? Adivinhem: usaram a mesma placa de perfil de lombada de via, que aqui é a placa de advertência A-18.


Placa A-18

E sabem como o perfil da via é chamado? Saliência! Fim do mundo! A placa A-18 informa "saliência" (sinceramente, não dá para intuir o que seria "saliência" numa via) e lombada. Como nossa topografia é em boa parte montanhosa, sempre há lombadas (perfil) nas estradas, mas como sinalizar lombada se não tem lombada? Não se sinaliza, ora...

E assim, com todas essas (des)graças, mais essa da placa de duplo significado, mais a zorra oficializada, vamos tolhendo mais de 40.000 vidas todos os o anos. Tá bom assim, pra que mexer?

BS
.

100 comentários :

  1. Meio que fora do assunto, lembro muito tempo atrás o senhor comentar que no código antigo existia a figura da via preferencial, e que havia até uma placa específica. Se fosse possível, gostaria de saber como era esta placa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será que não era mais prático que o sistema atual?

      Excluir
  2. Precisamos mesmo de um salvador da pátria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Precisamos não, porque isso não existe.
      Precisamos que que o povo tomo vergonha na cara e faça a sua parte para mudar esse país.

      Excluir
    2. Anônimos aí em cima
      Precisamos de um líder austero, respeitável e culto. O resto vem sozinho.

      Excluir
    3. Olha aí, Bob, é a tua deixa e a nossa salvação !!!
      Ja considerou a ideia de sair candidato ? Certamente se não houver fraude eletrônica dos votos (ainda não me conformo com o Alckmin "perder" 2,5 milhões de votos no segundo turno p/ o mula - ooopppss) você ganha disparado. Pense com carinho na ideia !!!

      Excluir
  3. Conluios, conluios e mais conluios. É assim que funcionam os governos no Brasil. Em todas as esferas. Afinal, os investidores das campanhas eleitorais precisam fazer seus lucros.

    ResponderExcluir
  4. Marcus Lahoz13/04/14 09:44

    Bob meu carro roda somente com gasolina, e obviamente vai gastar mais com este aumento na mistura. Sinceramente por que estes usineiros não fazem açucar? ou plantam soja, criem gado? Agora devido a incompetência deles de mudar o negócio eu pagarei o preço...

    Os prefeitos do Brasil são uma vergonha, Curitiba esta ficando cada vez pior, agora na AV. 7 de setembro querem colocar o limite de 30km/h, 1 faixa de carro, 1 de bicicleta e pasme travessia elevada a cada 50 metros...vão acabar com a rua. É melhor fechar de vez.

    Agora me responde, por que este prefeito de Curitiba esperto, não investe na construção de acesso elevado para o ônibus na mesma 7 de setembro? Assim o coletivo seria bem mais rápido e eficiente. Mas claro, bicicleta nesta cidade que chove mais de 200 dias por ano e faz frio de 0 grau, é o transporte ideal para ir trabalhar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcus, só uma ressalva: os usineiros não são, geralmente, os caras que plantam a cana. Eles compram a cana dos produtores para então "transformar" em álcool ou açúcar. Conheço produtores de cana que sempre reclamam dessa gente.

      Eu também tenho carro à gasolina. Antes, meu carro fazia 12 km/L. Agora, com os tais 25%, não chega em 11 km/L.

      Excluir
  5. Eu acredito que essas associações de empresas de determinados ramos funcionam como verdadeiras máfias. A elas não interessa haver a concorrência. Só fazem de conta. Na surdina ficam trabalhando para poderem elevar preços e para que, na prática, não haja concorrência, tolhendo do consumidor seu direito de escolher.
    Essa desculpa dessa UNICA pra aumentar o álcool na gasolina então, soa, no mínimo, muito estranha. Se já há menos matéria prima, supõem-se que eles estejam com dificuldades de fornecer o produto. Para que então aumentar a demanda?? Se a própria diminuição da oferta já costuma forçar os preços para cima....
    Pra mim o que está acontecendo é o seguinte: há muito que o álcool não está mais compensando nos carros flex. E ao invés de eles tratarem de fazer compensar baixando preços, querem faturar vendendo álcool "escondido" na gasolina.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. mato a pau! Agora só nos resta colocar nariz de palhaço! Oh, wait! Também está sobretachado....

      Excluir
    2. Lorenzo Frigerio13/04/14 22:39

      Anônimo das 9:56, ao ler o primeiro parágrafo do seu comentário, pensei que você estivesse se referindo à ANFAVEA... que estranho, né?
      Bem, a iniciativa da "UNICA" tem tudo a ver... eles só querem vender o excedente da produção, aquele que num sistema capitalista verdadeiro faz com que o preço caia, à monopolista Petrobrás, fazendo com que o "excedente" deixe de existir - em outras palavras, mantém-se o preço e ainda vende-se muito mais! Espertos, né? E o governo sempre está aí para favorecer determinados grupos de interesses em detrimento da população, de preferência os que dão as maiores contribuições de campanha. O que essa turma quer é que o próprio governo faça o papel de "mercado" para eles. Se a safra for baixa, tudo bem, a proporção de álcool na gasolina cai, mesmo porque o preço sobe; se for alta, o governo se obriga a comprar todo o excedente e adicioná-lo na gasolina até uma margem bem elevada, segurando o preço e garantindo a venda. Isso é uma instituição nacional, e tem nome: "capitalismo sem risco".

      Excluir
    3. Lorenzo, me referia a todas essas associações que dizem representarem interesses de grupos de empresas, ANFAVEA inclusa. Mas nesse caso ela está fazendo o que dela se espera.
      Agora, como assim "vender o excedente da produção"? No texto tá dizendo em "equilibrar as perdas causadas pela seca que atrasou a safra da cana-de-açúcar e aumentou seu preço.". Ou seja, o "atrasou a safra" e o "aumentou seu preço" denotam que houveram perdas e que a oferta de matéria-prima, e consequentemente a produção, estejam MENORES. Por que diabos eles teria que AUMENTAR a demanda?? Ou não é assim?
      De qualquer forma, que vão tomar naquele lugar esses salafrários dessa UNICA. Máfia maldita.

      Excluir
  6. Carro flex é o maior engodo da indútria automobilística/governo! Dá o povo o poder de escolher qual combustível entre aspas "mais vantajoso". Porém o governo/indústria controlam o preço de ambos de modo a nenhum ter vantagem e o preço ser similar em termos de preço por km rodado. Aí a mídia noticia que com mais álcool na gasolina o preço da gasolina não vai subir tanto e prejudicar a inflação. Poxa vida né, mais álcool menos autonomia, menos autonomia mais gasto com combustível, logo, da na mesma. Isto prova que o índice de inflação é uma enganação, o governo mostra o que quer.
    Quando não existia carro flex, o álcool era barato, a gasolina era mais barata também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. José Manoel13/04/14 11:07

      Exato. Lei da oferta e procura. Lembro-me bem do litro da gasolina custar metade do litro do diesel em 1999. A proporção hoje é bem menor. A procura aumentou (com os idiotas que não fazem conta do consumo com gasolina e álcool, aí abastecem com o que vai pagar menos na hora).

      Excluir
    2. Lei da oferta e procura, aquela lei que rege os mercados, ok, mas no Brasil isso não existe, existem medidas protecionistas para que a procura se seja feita guela a baixo, onde gente incompetente e incapacitada faz as decisões para a nação. Legal seria um congresso formado por engenheiros e técnicos de todas as áreas, utopia eu sei, mas poderia ser formado por pessoas lúcidas e bem informadas ao menos, isto seria o mínimo. Mas o que temos são raposas tomando conta do galinheiro, este, chamado Brasil.

      Excluir
    3. José Manoel,

      Eu nunca vi a gasolina custar menos que o Diesel neste país, sempre foi o contrário, inclusive às custas de pesados subsídios.

      Excluir
    4. Ace, os deputados brasileiros são competentes e capacitados, mas o povo não é inteligente e pior, gosta de ser idiota. Por isso os deputados, ao invés de fazer leis boas, "jogam para a torcida".

      No caso do etanol, os usineiros dão dinheiro para os deputados e esses, em troca, aprovam a mistura de etanol na gasolina. Todo mundo sai ganhando, exceto o povo.

      No caso do desenho urbano, a maioria do povo gosta das faixas para ônibus e das lombadas, então elas são feitas. Se são úteis ou não, dane-se, o que importa é ganhar os votos.

      Excluir
    5. Parei de ler no "os deputados brasileiros são competentes e capacitados" . Além de não o serem, são mal intencionados em sua maioria.

      Excluir
    6. Os deputados brasileiros são competentes e capacitados para roubarem e ficarem por décadas no poder.

      Excluir
  7. Bob,não sei se porque estou fora do Brasil há muito tempo,mas acho quase tudo o que os governantes fazem de uma imbecilidade inacreditável,não tem porque a população não poder escolher seu combustível mais apropriado,seja diesel,etanol ou gasolina,ter que engolir carros flex,o Brasil me parece daqui de longe um lugar que quer crescer e evoluir,mas que tem uma camada da sociedade(os políticos e seus agregados),generalizando mesmo,que fazem de tudo para não deixar.
    Um pouco fora de tópico,agora eu sou obrigado a transferir meu título eleitoral para a jurisdição de um consulado e votar para presidente sob pena de não conseguir renovar meu passaporte que não sei porque tem a validade de apenas cinco anos,e meu filho vai ser obrigado a se alistar em um exército falido para poder ter seu passaporte,grande democracia essa.
    Não faz muito tempo que leio o AE,e pode acreditar,foi altamente viciante,além de ler o post diário,ainda tem uma quantidade enorme de coisas para ler,parabéns a todos os AE e leitores que comentam aqui,abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente. O Brasil só poderá ser considerado democrático quando, no mínimo, alistamento militar e voto forem facultativos.

      Excluir
    2. Carlos
      Agradeço em meu nome e dos demais editores suas palavras e fico satisfeito que estejamos atendendo às suas expectativas.

      Excluir
    3. An. 13/04/14 17:23
      Além do que você citou, quando a "Voz do Brasil" e o extintor de incêndio nos carros deixarem de ser obrigatórios.

      Excluir
    4. Anônimo 17:23

      Mas se o voto for facultativo, como os pilantras que hoje estão e sempre estiveram lá no poder, vão continuar se elegendo ? Se o voto fosse facultativo o país iria prosperar, o povo iria "evoluir" pois apenas os mais atentos e compenetrados votariam ( creio que a compra de votos seria mais repreendida do que é hoje ) e aí aqueles que querem apenas o poder pelo poder e o benefício próprio cairiam do poleiro.

      O pensador Paulo Freire resumiu bem a nossa situação com a frase : "Seria uma atitude muito ingênua esperar que as classes dominantes desenvolvessem uma forma de educação que permitissem às classes dominadas perceberem as injustiças sociais de forma crítica". Eu particularmente vejo, atualmente, um enorme progresso crítico e cívico alavancado pela internet ( esta a pior e ao mesmo tempo a mais cara do mundo, em nosso país).

      Excluir
    5. Bob, desculpa discordar mas todo brasileiro deveria ser OBRIGADOS a escutar a Voz do Brasil. Quem sabe não nasceria algum sentimento de revolta e indignação ao ouvir que os deputados nada fazem na Camara, além de receber salários milionários e mandarem monção de parabeens a algum desconhecido em seus currais eleitorais.

      Excluir
  8. E que tal bloquear o acesso a um hospital por conta de um bando de vadios que não tem mais o que fazer, vão participar de uma "maratona"? Pois é, aqui em Fortaleza a coisa funciona assim: você é médico, enfermeiro, auxiliar, funcionário de qualquer forma que seja do hospital? Vai esperar. Você é maratonista folgado que sequer se dá ao trabalho de correr? Pode passar, você é importante demais para esperar pelos outros!

    Pior é que os agentes de trânsito ainda dizem aos motoristas que precisam passar e terão de esperar para deixarem seus carros em local proibido e perigoso...

    ResponderExcluir
  9. Semana passada um amigo comentou sobre essa primeira (des) graça e achei que se tratava de uma piada. Espero que a ANFAVEA derrube essa proposta ridícula dos 27,5% de álcool na gasolina. Infelizmente se depender dos políticos que "entendem muito" de automóveis estaremos perdidos.

    ResponderExcluir
  10. . Eu não seria (muito) contra essa adição absurda de percentual de álcool anidro na gasolina se fosse vendida gasolina com percentuais mínimos de álcool em sua composição, como exemplo, 10% (carros pré-1992) e 15%. Caberia o consumidor escolher qual lhe satisfaria.
    . Porém, vejo brecha para que maldosos façam propaganda de que a gasolina de 27,5% de álcool não faria mal algum aos motores, como deixariam eles mais espertos e econômicos. Nada mais longe da verdade.

    Essa barriga de sucuri consegue ser mais irritante que esperar ônibus ultrapassar outros parados, que se trata de outra incoerência! Se existe faixa, que se limitem a ficar dentro dela e só efetuem a operação de ultrapassagem se houver disponibilidade da outra faixa. É o cúmulo.

    ass: KzR

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O detalhe é que não é interessante para quem manda neste país dar liberdade de escolha para o consumidor. É assim que as coisas funcionam aqui....

      Excluir
  11. Não acho o etanol o problema... o problema é não deixar o brasileiro escolher qual o combustível usar... obrigando a levar mais de 1/4 de etanol a cada litro de gasolina. Eu particularmente gosto de veículos movidos a etanol (não flex)... mas nem tenho a opção de comprar um carro assim...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também gostaria de ter um carro 100% etanol, que na verdade são bem mais econômicosque os nossos patos flex!

      Excluir
    2. Adoraria ter novamente um carro somente a álcool. Eu sou do tempo que o termo etanol não existia nos postos.
      O combustível em sim não é uma desgraça para o Brasil. A politica praticada em cima dele é uma desgraça.

      Não fosse os carros flex hoje teríamos bons motores a álcool. Inclusive na onda do downsize.

      O álcool no próximo seculo quando o petróleo ficar escasso vai ser nossa matriz energética.

      I governo tinha que ter uma politica totalmente diferente.

      Vender gasolina pura e álcool com 15% de gasolina. E motores só a gasolina e só a álcool. Nem mesmos os Flex americanos existiriam. Engenharia aplicada ao combustível.
      Teríamos carros com 15:1 de taxa para andar no álcool aproveitando o vegetal ao maximo.

      Excluir
  12. José Manoel13/04/14 11:04

    Deveríamos ter combustíveis como o resto do mundo: gasolina 100% (e seus subtipos opcionais com aditivos/podium e afins), diesel (e seus aditivados), GNV e álcool (no caso daqui).
    Que reajustassem o combustível conforme alta e baixa do petróleo lá fora (conforme ocorre na Europa e outros continentes). Se o álcool sofre com as intempéries ou quebra de produção, o seu preço seria individualizado mesmo. É o risco de ter negócio próprio (lucro ou prejuízo). A população não tem que bancar este circo monetário que os enriquecem ainda mais (já viu alcooleiro falido? Em dívidas? Eu não!!!)
    Mas no país das bananas, onde todos protestam contra aumentos mas NINGUÉM protesta contra a corrupção e mensaleiros, que dane-se, correto?
    #CANSADODAQUI ��

    ResponderExcluir
  13. Conceitualmente, nada contra o álcool. Um combustível que proporciona certo ganho de desempenho, produz uma queima mais completa, com gases de exaustão menos corrosivos, mistura-se menos aos óleos lubrificantes do carro e ainda captura carbono da atmosfera para ser produzido. Para um país agrícola, com baixa produção de petróleo, até que a ideia compensaria, se:
    1- O preço da gasolina não subisse, já que a produção de álcool deveria mexer justamente na lei da oferta e procura, reduzindo a procura por um artigo limitado.
    2- A composição da gasolina não se alterasse, já que a produção de álcool depende de fatores incontroláveis (temperatura, exposição solar, chuvas, preço de outros gêneros agrícolas...), e portanto importar gasolina para evitar que o país parasse no caso de uma safra insuficiente deveria sempre ser uma opção;
    3- O preço do álcool fosse cerca de 50% do preço da gasolina, para compensar os incômodos da menor autonomia, consumo mais elevado, impossibilidade de viajar a outros países (lembrando que carro "flex" só foi fabricado no Brasil quase trinta anos depois das medidas do proálcool).
    Na época, claro, o Brasil vivia uma realidade diferente: O governo era infalível (porque, se alguma pessoa achasse uma falha no governo, ela misteriosamente sumia), importar mercadorias era algo restrito a embaixadas, atravessar a fronteira era coisa de criminoso procurado, etc. Mas criou um grupo mais poderoso entre os já influentes agricultores: Os usineiros. Hoje, o poder econômico dos usineiros é suficiente para influir no destino do país mais do que a junta militar daquela época (lembrando: hoje nossos políticos são democraticamente eleitos, mas absolutamente venais - ter maioria em qualquer câmara ou congresso é só uma questão de ter dinheiro suficiente).
    E o problema desse grupo é que, além de mais influente é mais ignorante que o anterior. Tem pouco álcool? Pela mesma lei de oferta e procura, bastaria aumentar o preço final do combustível vegetal. A procura reduziria (de fato, ela já é menor do que poderia, uma vez que vários donos de carros "flex" chegaram à conclusão de que, ou a vantagem de abastecer-se com etanol não existe, ou ela já não compensa as desvantagens, e então preferem a gasolina), e não haveria desabastecimento.
    Agora, AUMENTAR a demanda de uma mercadoria por que a oferta dela DIMINUIU?? Onde essas pessoas (não nos esqueçamos, pessoas que não tem o poder de direito, mas o exercem de fato...) estão com a cabeça? Seria o mesmo que dizer que, para acabar com do desmatamento, todo brasileiro seria obrigado a derrubar uma árvore por dia, ou tentar ampliar a participação democrática da população censurando os meios de comunicação (não, espera, isso também já foi feito!).
    Os usineiros querem, eles conseguirão. Mas isso só serve para mostrar que não estamos em boas mãos...

    ResponderExcluir
  14. Da segunda desgraça, que podemos dizer além de constatar que a única infração de trânsito conhecida pela maioria dos motoristas é o excesso de velocidade? Se as pessoas se atentassem ao que está em nosso código de trânsito não apenas evitaríamos esse disparate como teríamos um trânsito mais organizado que o de muitas capitais europeias. A falta de civilidade vista no trânsito é consequência direta da falta de fiscalização, que fomenta a ignorância.
    Quanto à terceira desgraça: A "otoridade" simplesmente parece ter se esquecido que faixa e trilho são coisas diferentes. Não duvido que ele nunca tenha visto um trem na vida, dado o estado geral das coisas, mas bastaria que ele se atentasse ao fato que coletivos podem simplesmente passar por cima da linha desenhada no chão, caso o trânsito esteja livre (o que, de qualquer modo é mais fácil de acontecer se todos dividirem o mesmo espaço limitado ao invés de privatizar um espaço público para uso exclusivo de empresas de ônibus). Argumenta-se muito que os ônibus, com sua mecânica de caminhão velho, não têm agilidade para acompanhar os modernos automóveis. Falácia, sabemos, já que o trânsito nivela todos por baixo e até caminhadas acabam desenvolvendo velocidades superiores à média do trânsito nos horários de pico, mas fiquemos com essa explicação: Por que, então, se o problema é ônibus ruins, não resolver melhorando os ônibus ao invés de piorar todo o resto? Quanto custaria para uma empresa colocar um bom veículo desenvolvido para transporte de pessoas no lugar desses paus-de-arara mal disfarçados? Será que, além de venais, nossos legisladores estão mais baratos que a diferença de preço entre um ônibus bom e outro ruim?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, você tocou em um assunto que bato na tecla em todas as discussões acerca de mobilidade urbana a anos! Já é mais do que na hora de termos uma regulação digna para os veículos de transporte público urbano principalmente. Não precisamos inventar nada, na maior parte do dito mundo civilizado já temos exemplos mais que suficientes de como deve ser um ônibus urbano: projetado para tal serviço e não meros chassis de caminhões adaptados, motor traseiro por uma questão de conforto acústico para o motorista e passageiros, câmbio automático seria uma mais valia para o motorista e até para as empresas (evitaria despesas de manutenção decorrentes de mau uso), climatizador de ar, cadeiras e espaços ergonomicamente projetados, veículos baixos para maior facilidade de acesso dos passageiros (TEM de acabar o pesadêlo das lombadas/quebra-molas), enfim... Para tal é preciso um esforço de todos, governos federal e estadual, prefeituras, fabricantes, empresas de ônibus, sindicatos (esses malditos de hoje somente sabem reivindicar salários, em conluio com os empresários para aumento das passagens, cadê que reivindica melhores condições de trabalho, melhores serviços para a população?) e é claro a sociedade. É um trabalho difícil e longo, mas tem que ser feito... Meu Pai é a mais de 10 anos motorista em um sistema de transporte alternativo aqui de Salvador, ele sabe bem as mazelas do sistema, as máfias os altos custos inexplicáveis (uma vez quando ele foi trocar o ônibus ele queria ar condicionado, mas era mais de 15000 reais o opcional para um micro-ônibus, fora a inabilidade da assistência para tal, absurdo)...

      Excluir
  15. Quando a gente pensa que não tem jeito de piorar, eles vão lá e se superam... Uma ideia que me parecia a salvação da pátria e que nunca decolou, foi o programa do Biodiesel, que incentivava pequenos produtores a produzir sementes oleoginosas. Nunca decolou! E até hoje não me entra na cabeça, a proibição de carros de passeio movido a diesel, já que me parece não existir mais o tal subsídio. Sei que os Argentinos, além de possuírem à disposição, gasolina de padrão europeu, ainda podem ter um excelente automóvel a Diesel... Muitos jornalistas especializados ficaram impressionados com a desenvoltura e economia do C4 Lounge a Diesel, carrão que só eles podem ter. Difícil, viu. A partir de agora, quem tem carro flex, deve esquecer o etanol... nem se houver a vantagem de alguns centavos. Eu, há muito tempo, não uso mais tal combustível. Aqui tanto faz... o preço do Etanol é sempre 70 por cento do valor da gasolina e ficam eternamente vinculados a este patamar. Se não houver motivos para subir o etanol e gasolina subir, o combustível vegetal é automaticamente reajustado, para manter a relação de valores. No início da década de 2000. quando o etanol foi praticamente esquecido, seu preço era um terço do valor da gasolina. Lembro-me que tinha um carro só alcool, e com vinte e poucos reais, enchia um tanque vazio. Se ninguém mais usar etanol. o preço despenca! Quanto aos outros absurdos, as autoridades de trânsito andam se superando: Acabo de ler um artigo sobre a Ponte Rio-Niteroi... Há pouco tempo tinha acostamento... Eliminaram o acostamento, criaram mais uma faixa... e ai de quem ter um pneu furado, ou outra pane, que produzir a parada do veículo sobre a ponte. corre o risco de morrer. Aqui na minha cidade, é o único caso que conheço de cruzamento com rotatórias, cercado por faixas de pedestres, de tal forma que quem tiver que circular a rotatória, deve para no meio dela, para dar preferência ao pedestre, bloqueando o trânsito de todo o cruzamento. Ai, perde-se as preferências, vira trânsito indiano. Outro problema é a falta de vagas para estacionar... Querem criar uma Faixa Azul, cobrar por hora estacionada no centro. Solução bem mais simples: eliminar o canteiro central, estabelecer sentido único e criar espaço para transversais... Tão simples, (e de quebra resolveria os problemas das rotatórias), Vou mandar uma foto da situação... Vocês vão rir muito da falta de inteligência dos mandatários do trânsito daqui..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rogério Ferreira
      Você faz exatamente como os americanos, nem tomam conhecimento do E85 mesmo tendo carro flex.

      Excluir
    2. Amigo, passarmos a evitar o álcool, aumentarão a porcentagem do mesmo na gasolina cada vez mais. Não há saída, o jeito é se submeter e rezar...

      Excluir
    3. Comprei meu primeiro carro flex em fins de 2006 e usei álcool apenas nos três ou quatro primeiros meses. Depois disso, somente gasolina.

      Excluir
    4. Esse subtração do acostamento da Ponte Rio-Niterói para criar uma nova faixa de trânsito torna-se ainda mais espantosa quando sabemos o porquê: a concessionária tinha, por dever contratual, um prazo para criar uma nova faixa.

      Quando ganharam a licitação da ponte, divulgaram uma solução mirabolante para atender a exigência de uma nova faixa de rolamento: esta seria construída, na lateral direita de cada sentido, sustentada por vigas de transferência.

      Bem, como o custo era alto, a concessionária que administra a ponte, para atender o edital, transformou o acostamento em pista de rolamento. Como o edital nada falava sobre manter o acostamento, assim se fez.

      Excluir
    5. Lorenzo Frigerio13/04/14 22:48

      Em relação à Ponte Rio-Niterói, o Maluf, quando prefeito, fez o mesmo nas marginais em SP. Melhorar o trânsito dessa maneira é fácil, né? Para que é que o cara vai e estuda engenharia na Poli durante quatro anos? Definitivamente, isso não é engenharia.

      Excluir
  16. Bob,

    Essa você não ia perdoar mesmo... Além do que foi muito bem dito no artigo, não entendo como eles vão fornecer álcool anidro se o hidratado está tão caro, supostamente por causa da entressafra. ..

    Quanto às faixas que transformam retas em curvas, em BH tá cheio, ó!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mineirim
      Não podia mesmo deixar passar essa. O álcool no Brasil é mesmo uma maldição, esteja certo.

      Excluir
  17. O pior de tudo é o carro flex. Por ele existir que aceitam que nossa gasolina tenha esse excesso de álcool anidro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. An. 13/04/14 11:48
      Exatamente, e também postos poderem colocar mais álcool na gasolina, o carro não sente senão por um consumo maior.

      Excluir
  18. No caso de Cuiabá e de maneira geral: é correto um ônibus ultrapassar outro? Penso que o correto e coerente é um seguir o outro em comboio.

    ResponderExcluir
  19. Já há alguns jornalistas automotivos, não sei se corretamente, dizendo a média de aproveitamento do álcool em relação à gasolina seria agora já uns 80% e não mais 70%, devido a aprimoramentos nos motores como calibragem de injeção e maior taxa de compressão. Se isso for verdade, e ainda mais agora, valerá mais a pena financeiramente usar álcool puro nos carros flex, não?
    Por experiência, tenho obtido boas marcas, superiores a 8,2km/l com álcool, quando fazia cerca de 9,1 km/l com gasolina num Focus MK2 2.0.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. An. 13/04/14 12:20
      Esse cálculo é completamente errado. A própria U.N.I.C.A, maior interessada na aceitação do álcool, até já se pronunciou a respeito. Nos melhores casos – raros – vai a 72%.

      Excluir
  20. Bob, sou de Porto Alegre e você tinha que ver as "ciclovias de sarjeta" que estão fazendo aqui. Simplesmente estão pintando uma faixa vermelha junto ao meio fio, colocando taxões reflexivos para separar e era isso. E nos cruzamentos? Azar, nada! Nem uma pintura ou sinalização.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na minha cidade, há uma avenida absolutamente plana e reta, com canteiro central e duas pistas, cada qual com largura suficiente para três carros. Como a faixa mais à direita é destinada ao estacionamento, sobra espaço para dois carros lado a lado.
      Pois bem. A "brilhante" administração municipal implantou duas ciclofaixas ao lado do canteiro central, uma em cada sentido de direção. Então, temos em cada pista: a ciclofaixa à esquerda, a faixa de tráfego normal no meio e a de estacionamento à direita. Até aí, tudo bem.
      Só tem dois problemas:
      1) fizeram a ciclofaixa mais larga que a faixa central. Então, se houver carros estacionados no meio-fio durante o horário de funcionamento da ciclofaixa (das 07h00min às 16h00min de domingo), nenhum carro poderá transitar pela avenida sem "pisar" na ciclofaixa, porque a faixa central destinada ao tráfego de automóveis ficou estreita demais.
      2) Ao invés de implementar a ciclofaixa em bairros onde se usa as bicicletas para trabalhar, fizeram-no em um trecho que liga o nada a lugar nenhum, apenas para fins de lazer - tanto que a faixa só funciona aos domingos. E o pior: poucos metros ao lado da avenida, há uma ferrovia desativada, cuja topografia permitiria implantar uma verdadeira ciclovia, isolada do trânsito normal, cruzando a cidade de ponta a ponta e unindo dois distritos municipais distantes mais de vinte quilômetros um do outro!

      Excluir
  21. Duas correções: 1) não foi o atual prefeito de SP que "inventou" a faixa exclusiva de onibus e sim Mario Covas e jânio Quadros nas avenidas Paes de Barros e Sto Amaro 2) Os usineirs sempre tiveram forte lobby e influencia nos governos ,desde o tempo de Geisel essa palhaçada do percentual de combustivel vem infernizando nossos motores.
    Tenho fé que um dia alguem acaba com o privilégio dessa gente ,que em época de alta do açucar no mercado internacional ,deixa o mercado interno desabastecido porque sabe que existe um cliente que compra toda sua produção,é o capitalismo sem riscos (para eles).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Totiy,

      Longe de querer defender o governo atual, mas os exemplos que citou, embora tenham sido mal feitos, são corredores de ônibus, não faixas exclusivas. São coisas diferentes.

      Excluir
    2. Lorenzo Frigerio13/04/14 22:53

      E não nos esqueçamos da nafta adicionada ao diesel, que dá ao diesel brasileiro uma característica única: ele é inflamável. Isso começou a ser feito lá por 1979 e com certeza não há mais razão para fazê-lo na conjuntura atual. Mas a Petrobrás não quer largar o seu "subsídio oculto".

      Excluir
    3. Nossa! E ainda tem gente com coragem de defender esse prefeito. Não, meu querido bombeiro do PT, esse inútil não inventou nada, apenas piorou o que já era uma lástima, criando, sim, a faixa de ônibus. O que existia antes eram corredores, uma outra ideia mal feita e que acabou com a avenida Santo Amaro, inventada pelo Getulio Hanashiro.

      Excluir
  22. Bob, já tem data para o início do site?

    Nícolas.

    ResponderExcluir
  23. Sobre saliências e lombadas, há lugares no Brasil onde resolvem sinalizar ambos, adivinhem como? Com a mesma placa. Caso da Rio-Santos, no trecho entre Itaguaí e Angra dos Reis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caio Cavalcante
      Esse pessoal é totalmente incompetente.

      Excluir
  24. O brasil é muito parece como a arabia , temos Alibabá e 40 ladrões , califas do petroleo= usineiros. A coisa vai sempre pro lado errado
    Imagina este quantidade de álcool num carro mais antigo calibrado para 18% de álcool vai ser uma desgraça

    ResponderExcluir
  25. 1. entra governo, sai governo, pode ser PT, PSDB, FPD, o que seja, os usineiros continuam mandando e desmandando. Quem não se recorda dos inúmeros empréstimos milionários captados por esta corja e nunca quitados?

    2. Em certos locais, semáforos para pedestres deveriam funcionar exclusivamente no botão. Somente quando acionado, o semáforo para os carros ficam vermelho. Quem nunca ficou parado um tempão num semáforo em local sem ninguém para atravessar.

    Em Praga tem semáforos para pedestres com tempo inferior a 10 segundos. Dá para atravessar a via e, se não estiver chegado do outro lado, os carros esperam. Simples assim.

    3. Cuiabá. Estive lá em duas oportunidades. Em 2012 e 2013. Sempre achei o asfalto de SP um lixo - como de fato é. Cuiabá - não sei como está agora - faz a pavimentação de SP parecer européia.

    Marco

    ResponderExcluir
  26. Desculpe ser repetitivo, Bob, mas insisto, essa incompetência que vem da administração pública só vai acabar no dia em que a nossa Constituição vetar a existência dos cargos ditos "CC" dentro dos governos.

    É muita gente incompetente achando que consegue resolver problemas através de politicagem. É muita responsabilidade técnica atribuída a sujeitos que ocupam cargos meramente políticos.

    Estamos à mercê desse tipo de gente, como aconteceu aqui na minha cidade, em que colocaram uma cartomante ( ! ) mal alfabetizada com salário mensal próximo a R$ 10.000 para exercer um "CC" de um setor de orçamento comunitário. Uma vergonha. Imagine-se o tipo de administração de orçamento que essa gente é capaz de fazer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muita coisa já melhoraria se esses cargos comissionados/de confiança (CCs) fossem restringidos a servidores públicos concursados. Cargo CC sem concurso só para o primeiríssimo escalão das administrações e ainda com restrições. O resto só sendo concursado. E do órgão.

      Excluir
  27. Não sou contra aumentarem o tempo do semáforo pros pedestres atravessarem. O tempo da maioria, inclusive, se mostra muito curto. E olha que ando de pressa. Eu sou contra é dessa infestação de semáforos. Aqui em São José dos Campos é demais!

    João Paulo

    ResponderExcluir
  28. O Brasil dá um passo à frente e volta um passo e meio. Me lembro daquele famoso dito dos anos 80 (quando estávamos no meio do ciclo da estagflação): "a crise diminui um pouco sempre quando começam as greves do funcionalismo federal em Brasília. É que o Governo Federal fica paralisado, fica um tempo sem fazer nada. Aí, a sociedade se ajeita sozinha, e mesmo que por uns dias, tudo melhora."
    E é isso. E o governo só aumenta sua presença, tornando cada vez mais seus sistemas (de arracadação por exemplo) invasivos e complicados, querendo administrar os microdetalhes do dia-a-dia do brasileiro e das empresas que aqui produzem. Só vi isso diminuir durante o governo do FHC (e mesmo assim os impostos subiram naquele período), pois ele se livrou das estatais (se hoje temos telefone, eletricidade e estradas, foi por causa dele).
    Mas, paramos no tempo em 2002. Não quando vamos voltar. Mas o atraso só se acumula...
    Enfim, não tenho filhos, mas se os tivesse, imploraria para que fossem embora do Brasil. Hoje qualquer brasileiro capacitado (engenheiro, por exemplo), encontra emprego qualificado em qualquer lugar do mundo. Em breve a Europa entra em fase de crescimento, os EUA já retomam aos poucos, enfim, só nós ficamos no eterno atraso, entre uma oligarquia econômica estúpida e uma oligarquia política idem.
    Me sinto humilhado como cidadão, que trabalha trocentas horas por dia, qualificado, e tem de contar tostões para chegar ao final do mês. Especialmente ao final do mês da derrama, Abril.
    Vejo só o caso de minha esposa. Fez uma prestação de serviços que lhe comeu os finais de semana de um mês inteiro (ela tem apenas um emprego, eu tenho dois). O que ela ganhou nesta prestação de serviço elimina 100% da devolução do imposto de renda dela e ainda fica um saldo devedor, a ser quitado no final de Abril. Na prática, foi um confisco de 75% do valor bruto que ela recebeu pelo seu suado trabalho.
    Brasil, um país de tolos mesmo (também sou um tolo pois fiquei aqui; me resta agora a revolta).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O leão ruge forte para os fracos e pequenos, mas apenas mia para os grandes e fortes.

      Excluir
  29. Não é difícil imaginar o que acontece:
    - já tem estudo encomendado que avaliou que hoje o rendimento do etanol perante a gasolina atingiu 80% e não 70%...
    - há relatos na internet a respeito da autonomia com podium ser menor em relação a gasolina comum/aditivada, se por questão de enxofre ou cadeia carbônica não se sabe, óbvio que estudo algum haverá por parte da Petrobras, enquanto isso continuamos acreditando que o problema reside no fato de que é preciso uns 3 tanques seguidos de aditivada ou podium pra limpar o sistema, que aí sim, o consumo se equipara....
    - e agora essa história de 27.5%, dando absoluta margem para na verdade se atingir 30%, 27.5 é puro pretexto e tecnicamente menos preciso que 30%.

    Ou seja, fomos e continuamos sendo "acostumados" progressivamente com redução de autonomia com gasolina, nossa produção de GASOLINA não é adequada para atender a uma boa gasolina, limpa, com no máximo saudáveis 10% de álcool misturado. Por tudo isso o governo continuará usando o etanol nessa história, e nós vamos continuar acreditando que houve só melhorias técnicas no motor/taxa de compressão etc.. que fez com que a autonomia com etanol melhorasse....

    ResponderExcluir
  30. João Paulo
    O tempo depende da largura da rua. É bem fácil estabelecer um tempo razoável. O que está errado é generalizar 30 segundos.

    ResponderExcluir
  31. 1. Culpar o Álcool pelos problemas é como aquela estória do cara que acha a mulher com outro no sofá e põe fogo no sofá. O proalcool em si é algo fenomenal, vários outros países tem nesse programa um exemplo. O problema, como sempre no Brasil, é como as coisas são feitas, onde os interesses de poucos (os usineiros), se sobrepõe aos interesses da maioria (povo)
    2. É mais um exemplo, também tão comum neste país, de os justos pagarem pelos errados. Se a legislação ( a civilidade) fosse respeitada, não precisaria de uma medida como esta. Mas nesse país das maravilhas, se o sinal de pedestre fecha com você no meio da travessia, os motoristas e, pior ainda, os motoqueiros, arrancam em cima de você sem dó.
    3. Cuiabá deve estar importando "técnicos " da BHtrans, só pode. Aqui eles adoram fazer essas idiotices com as faixas.

    ResponderExcluir
  32. Percebe-se está sobrando álcool, deviam baixar o preço do litro. Aqui no interior do RS o álcool está em R$2,85... O "Desgoverno do PeTe" é demais!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A coisa por aí tá tão feia que em postos de beira de estrada já nem se consegue mais álcool.... Tenho um carro só a álcool e queria ir para aí com ele, mas pra isso teria que fazer todo um planejamento, calculando para entrar nas cidades, para achar álcool por esse preço aí. Cheguei a ver aí no RS tempos atrás álcool mais caro que a gasolina. Inacreditável.

      Excluir
  33. Isso vai ser terrível para quem tem carro mais velho ! Já não basta criar o tal de Flex. Que é um motor com taxa de compressão meia boca para álcool e meia boca para gasolina. Agora vão batizar mais ainda a gasolina ! Como se quisessem nos obrigar a andar com malditos carros flex ! Me dá vontade de sair gritando na rua :
    Não à mais álcool na gasolina ! Não ao marco civil da internet !
    No futuro vamos andar só em carros frex, e vamos viver em um governo corrupto, incompetente e invasivo que vai bater na sua casa se achar que você não está contribuindo para o "bem estar social na internet" .

    ResponderExcluir
  34. Para saber se um posto vende gasolina batizada, seja com teor de álcool mais alto do que o especificado pela ANP ou com algum solvente, o macete é pegar referências de postos com quem tem moto ou carro carburados. Nestes, sem módulos eletrônicos p/ controlar os atuadores de injeção, o motor começa a falhar em seguida. Já fiz essa "pesquisa" com donos de Yamaha YBR 125 e Opala Diplomata 88.
    Antônio do Sul

    ResponderExcluir
  35. Daqui a um tempo vai ter 25% de gasolina no etanol para salvar a Petrobrás da falência

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Magnífico o seu comentário !

      Excluir
    2. Lorenzo Frigerio13/04/14 23:05

      Eu ia escrever uma coisa parecida. Imagine se a Petrobrás fosse uma empresa totalmente privada... à moda da "UNICA", ela faria lobby sobre o governo para poder adicionar gasolina ao álcool, dentro de determinada faixa. Mesmo porque, apesar do preço na bomba, o custo de produção de um litro de gasolina deve ser inferior ao de um litro de álcool. E é inevitável que, em alguns anos, privatizada ou não a Petrobrás, com novas refinarias haverá mais gasolina que álcool na praça. É possível que aí, pela porta dos fundos, acabe-se adotando o E85. O Brasil é bizarro.

      Excluir
    3. A Petrobras É uma empresa privada. Privatizada pelo PT.

      Excluir
    4. Até que seria uma boa com essa águálcool que é vendida. Meu versailles ficaria mais esperto (apesar do risco de detonação)

      João Paulo

      Excluir
    5. Estatização da Petrobras, já!

      Excluir
  36. Bob, Não adianta reclamar, ainda vai ser o dia do governo recomendar adicionar óleo de soja na gasolina.Lembra do biodiesel do presidente lula?
    O PT pode fazer qualquer mágica.A coisa tende a piorar muito ainda antes de começar a mudar.O povinho atual aceita tudo.Os esclarecidos e bem formados não dão voto.Precisamos de alguns malucos,inconsequentes, dispostos a correr risco de vida pela mudança, para acabar com esta incompetência estabelecida pelos governantes que governam para si e para o partido, não para o povo e para o país.

    malucos para fazer alguma revolução para acabar com esta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "...Os esclarecidos e bem formados não dão voto..." Lamentavelmente concordo..., em gênero, número e grau. E é simples, a taxa de natalidade explica tudo!

      Excluir
  37. Rodolfo Flesch13/04/14 22:16

    Em relação aos nosso combustíveis, tenho um sentimento conflitante. Moro em Porto Alegre, uma cidade que tem altitude média de 4m. Tenho um carro Flex que tem 12:1 de taxa de compressão estática. Como é sabido, a taxa ideal para motores a gasolina é ente 10-10,5:1. Moral da história: Se abasteço com gasolina, o carro fica manco, sempre atrasando o ponto, amarrando sempre que a borboleta abre um pouquinho a mais. Se abasteço com álcool, fico no prejuízo pois aqui o álcool está beirando R$ 2,70 o litro. Quando vou viajar com pressa (velocidade acima de 100km/h) sou obrigado a ir de álcool, pois já tive a experiência de ter consumo maior com gasolina na estrada do que com álcool, indo uma vez para SC, pela BR101. Ao meu ver, o mínimo que deveríamos dispor, seria gasolina para carros pré 1992; Gasolina padrão, para carros com 10:1 de taxa, e gasolina de alta octanagem, para carros Flex, como o meu, na ordem de 12-13:1 de taxa. Algo realmente muito próximo com o que acontece nos USA. Enquanto isso não acontece, fico abastecendo meio a meio álcool / gasolina, para tentar jogar o mínimo de dinheiro fora, e ao mesmo tempo tentar não me irritar com a porcaria do motor atrasando ponto. Antes que venham me falar que a Podium tem a mais alta octanagem no mundo, favor lembrar que: a) Não se encontra em qualquer posto; b)A R$3,70 fica salgado para alguém que roda 30.000km /ano.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  38. Bob, o de Petrópolis13/04/14 22:43

    Bob, o Gurgel foi profético. Na época não entendi muito bem, agora entendo.

    http://www.rodaviva.fapesp.br/materia/603/entrevistados/joao_augusto_amaral_gurgel_1987.htm

    http://bibliotecagurgel.blogspot.com.br/2009/08/quatro-rodas-abrol-de-1990.html

    ResponderExcluir
  39. Em teoria, não poderiamos entrar com uma reclamação no Procon? Afinal, nunca vi em nenhum posto escrito que estamos comprando Gasolina + x% de alcool Podium, ou Gasolina + x% de alcool Aditivada. Só está escrito Gasolina, e eu estou comprando Gasolina. Além disso, pode se caracterizar como venda casada, afinal quero comprar apenas a gasolina, e estão me obrigando a adquirir alcool junto.

    ResponderExcluir
  40. Terra é para plantar alimentos, como já apregoava o Dr.Gurgel!

    MFF

    ResponderExcluir
  41. Ontem estava em um programa de TV o Sr. Marco Aurélio Melo(STF) a dizer que o povo não é vítima de seus eleitos, afinal é ele quem escolhe. Temos eleições este ano...
    AAM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho dúvidas se concordo ou se discordo disso, afinal, na época da campanha é tudo lindo e maravilhoso. Depois de eleitos é que vem a punhalada pelas costas. Nossos políticos têm sido assim: traiçoeiros de marca maior.

      Excluir
  42. É caríssimo Bob..., as coisas vão mal, melhor dizer, vão péssimas... Nunca consegui entender porque no Brasil se adiciona álcool à gasolina e gasolina ao álcool (tornando tudo a mesma "alcoolina"), sei que as justificativas destes "descalabros" surgiram em épocas distintas sob pretextos distintos..., na minha mente simplista a questão é demasiadamente simples: querem aumentar a venda de álcool (sem "maracutaias pornográficas" como a citada pelo Bob)??? Basta separar (100%!!!) o etanol da gasolina! Vejamos, com esta atitude parte do preço do etanol "elevado artificialmente" pela mistura com a gasolina cessaria (tornando-o mais atraente pra quem tiver opção e trazendo um possível aumento no consumo de etanol em virtude da vantagem do custo do km rodado), e da mesma forma o preço da gasolina "barateado artificialmente" pela mistura de etanol retomaria sua "condição natural" assim teríamos gasolina (decente e de verdade - teorizando, claro). Ah, coisas como aquela propaganda ridícula: "Etanol o combustível completão!" (que bem sabemos, é etalina...).

    ResponderExcluir
  43. Bob, acredite se quiser, mas nosso excelentíssimo prefeito estagiário Fernando Maldad também "criou" uma bariga de Sucuri entre a ligação da avenida Dr. Arnaldo com a Av. da Consolação sentido Centro, vou tentar fazer uma foto e enviá-la para o seu e-mail, abraços.

    ResponderExcluir
  44. E porque não deixar em 20% a proporção de álcool e aumentar o preço da gasolina em 7.5% (ignorando o preço do álcool) quem paga R$ 3,00 passaria a pagar R$ 3,22. E quem sabe isso ajudaria o um pouco trânsito. E se a minha opnião serve para alguma coisa, eu prefiro pagar mais ainda para ter uma gasolina sem álcool (e solventes).

    ResponderExcluir
  45. Isso tudo é mais uma piada deste desgoverno. Triste país.

    ResponderExcluir
  46. Entrevista com a dona da UNICA.
    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/04/1440253-politica-de-dilma-esta-quebrando-o-etanol-diz-presidente-de-entidade.shtml

    Tirem suas próprias conclusões....

    ResponderExcluir
  47. os tempos de travessia de pedestres em faixas semaforizadas em São Paulo são terrivelmente curtos. É impressionante como esta cidade elitista dá poder aos motoristas enquanto deixa os pedestres expostos às intempéries.

    É preciso seguir o exemplo de Porto Alegre: eu me deparo em SP com semáforos para pedestres que não ficam nem dez segundos no verde. Cidade miserável é cidade que defende motorista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cidade miserável é cidade que tem gente que acha q é tão simples resolver os problemas de anos e anos de negligência e desmandos......

      Excluir
  48. Estou esperando um posto aonde eu posso escolher o porcentagem de alcool que eu quero, de 0 até 100%, só digitando que quero no display. Será, um dia?

    ResponderExcluir
  49. Bob, veja essa: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2014/04/1440794-cet-pinta-faixa-em-zigue-zague-em-rua-da-zona-norte.shtml

    ResponderExcluir
  50. Renato Texeira15/04/14 08:55

    Esta lei dos 30 segundos em Porto Alegre foi, se eu não me engano, criada pelo vereador Marcelo Sgarbossa, que é um cicloativista que é contra tudo que tem motor. Uma vez na TV ele chegou a declarar que os motoristas de automóveis tem uma arma na mão (em tom sarcástico, é claro), como se o automóvel tivesse sido criado para matar pessoas. O detalhe é que ele sempre aparece na TV com uma bicicleta que não possui todos os equipamentos conforme obriga o CTB (retrovisor, refletores e campainha).
    Em Porto Alegre eu concordo realmente que algumas sinaleiras para pedestres tem o tempo curto para o local onde ficam instaladas. Um exemplo é a que fica na esquina da av. Osvaldo Aranha com a Sarmento Leite, que fica em uma região de hospitais. Entretanto, o mais sensato no restante da cidade seria adotar sinaleiras de tempo variável (existe uma bem próxima a esta do exemplo que citei) e combater os motoristas furões de sinal. Mas infelizmente na política as palavras "mais sensato" praticamente é desconhecida.

    ResponderExcluir
  51. Cêis tão pensando que a coisa é brincadeira? Deem uma olhada nisso...

    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2014/04/1440794-cet-pinta-faixa-em-zigue-zague-em-rua-da-zona-norte.shtml

    ResponderExcluir
  52. E tem mais por aí. Não é só a Petrobras que está no chinelo, a Embraer também está numa situação calamitosa. O governo está fazendo de tudo para assegurar que mais esse abacaxi não estoure antes das eleições. Quem viver verá.

    ResponderExcluir
  53. Mais uma...

    http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2014/04/cet-pinta-faixa-amarela-em-zigue-zague-em-rua-da-zona-norte.html

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.