AUTOMÓVEIS BRANCOS CONSOMEM MENOS COMBUSTÍVEL


Estande da Audi no Salão de Genebra deste ano: tudo branco (foto Bob Sharp)


O AUTOentusiastas dá boas-vindas a Carlos Meccia, que passa a integrar o seu quadro de editores. Engenheiro mecânico, trabalhou nada menos que 40 anos na Ford Brasil Ltda (hoje Ford Motor Company Brasil), onde se aposentou. Com essa bagagem de conhecimentos e experiência, Carlos Meccia tem muito o que contar.
Ele estréia com o um texto singelo, quase uma "amostra grátis", porém significativo, a influência da cor do automóvel sobre o consumo de combustível. Tenho certeza de que você gostará.

Bob Sharp
Editor-chefe

 ______________________________________________________________


AUTOMÓVEIS BRANCOS CONSOMEM MENOS COMBUSTÍVEL


A cor branca em automóveis tem aumentado consideravelmente no Brasil e no mundo, sendo cada vez mais a preferência do consumidor. Segundo a Axelar, fabricante de tintas automobilísticas, a cor branca se faz presente em aproximadamente 30% dos veículos zero-quilômetro, em termos mundiais.

Modismos à parte, as cores claras, principalmente a branca, oferecem vantagens, ajudando a reduzir o consumo de combustível e o nível de emissões de poluentes pelo escapamento dos automóveis.

Qual é a mágica? Pura física aplicada somente.  As cores claras, como a branca, refletem mais os raios solares incidentes na superfície do veículo, ajudando manter a temperatura no interior da cabine mais baixa. Assim, o compressor do ar-condicionado, que é acionado pelo motor, fica ligado menos tempo para manter o conforto interno. A troca de calor entre o motor e o ambiente também é favorecida devido à menor temperatura do capô do motor, permitindo que o ventilador do radiador funcione menos.

Tanto o compressor do ar-condicionado quanto o ventilador do radiador, trabalhando menos tempo, vão consumir menos energia, oferecendo como conseqüência menor consumo de combustível e menor nível de emissões de poluentes.

Falando em números, existe uma escala de 0 a 1 para mensurar a energia solar refletida. Quanto maior o número, mais reflexiva é a cor. A cor preta tem índice 0,05, a prata, 0,58 e a branca, 0,61, aproximadamente.

Estudo feito por pesquisadores da Divisão de Tecnologia em Energias Ambientais do Laboratório Berkeley, na Califórnia, EUA, mostrou que a cor branca pode reduzir em até 2% o consumo de combustível e em até 1,9% as emissões de poluentes dos automóveis.

Outra pesquisa importante suportada pelo PIER (Public Interest Energy Research, Pesquisa de Energia de Interesse Público), também na Califórnia, mostrou que a redução de 1% a 2% no consumo de combustível nos Estados Unidos representaria um potencial de economia de milhões de litros de gasolina anualmente considerando-se o parque automobilístico como um todo.

Com base nestes dados promissores, os fabricantes de tintas automobilísticas têm intensificado estudos para que outras cores mais escuras também aumentem a capacidade de refletir mais os raios solares, respeitando o gosto do consumidor.

Enfim, devemos procurar melhorar a eficiência dos veículos automotores "de grão em grão" para reduzir o consumo de combustível e as emissões de poluentes pelo escapamento — além de ajudar o nosso bolso!

CM

129 comentários :

  1. A hyundai matou meu respeito por carros brancos.... Hehehehe

    ResponderExcluir
  2. Nunca havia feito a relação da cor com o consumo de combustível. Muito simples e não deixa margem pra dúvidas. Ótima postagem!

    ResponderExcluir
  3. Carlos, seja muito bem-vindo ao blog mais bacana do Brasil.
    Muito bom assunto, e pensar que tem gente que "envelopa" o carro de preto fosco.
    Só rindo mesmo !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Juvenal, você tem toda a razão. Envelopar o veiculo é somente modismo que prejudica o consumo de combustíivel e aumenta a poluição. Obrigado !

      Excluir
    2. Creio que nesse caso, a pior poluição é a visual (risos)

      Seja bem vindo.

      Excluir
  4. Nunca entendi essa gama que o brasileiro tem de carro preto. Cor escura em país tropical é burrice. Nunca tive nenhum carro preto e nem espero ter. Nem roupa preta eu uso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anonimo, continue assim!
      Obrigado

      Excluir
    2. Tivemos um carro preto em casa para nunca mais. Além de esquentar, a pintura sofre bem mais... e o nosso era pintura sólida. Isso sem contar a sujeira, que aparece bem mais.

      Excluir
  5. Bem vindo Carlos, espero que você tenha vários causos interessantes para nos contar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perneta, vamos colaborar sempre ! Obrigado

      Excluir
  6. Seja bem-vindo, Carlos Meccia.

    Com tantos anos de experiência, certamente você já testemunhou diversas histórias curiosas no desenvolvimento dos projetos da Ford nacional. Compartilhe-as conosco.

    Boa Sorte!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem duvida faremos isso ! Obrigado Nicolas

      Excluir
  7. Seria legal se fizessem tintas claras de cores diferentes, como tons de amarelo, azul, verde, etc. Tem muita cor legal pra ser explorada. Pena que o povo gosta de carro "bom de revenda"...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renan, você tem toda a razão. Já estou vendo aquelas cores clarinhas dos ícones da década de 50 e 60....não que eu seja saudosista
      Abraço

      Excluir
    2. Mas aí estaria criado outro fator pra revenda. Imagine a cena insólita na loja: o vendedor explicando sobre coeficiente de calor. Imagine ainda a pessoa levando seu carro pra vender na feira com o seguinte dizer no anúncio colado no vidro: "carro branco mais fresquinho". Ah vá!

      João Pauo

      Excluir
    3. Anônimo, que o carro branco é mais fresquinho isto não temos a menor dúvida

      Obrigado

      Excluir
    4. Quem assiste "The Walking Dead", a Tucson que o pessoal usa tem um tom de verde muito lindo...

      Para quem não assiste: http://www.hyundaipedia.org/wp-content/uploads/2012/03/twd-hyundai-walking-dead.jpg

      Excluir
  8. Pura verdade. Mas como nem tudo na vida é racional - ainda bem - continuo adorando os carrinhos pretos...

    ResponderExcluir
  9. Interessante, me lembrou o tempo em que minha família era chamada pelos vizinhos - em tom de brincadeira, claro - de funerária, pois tínhamos 3 carros pretos

    ResponderExcluir
  10. Gosto muito dos comentários do pessoal da velha guarda.
    Quantas histórias, curiosidades e fatos interessantes, que de outra forma seriam esquecidos, saem de dentro da "gaveta", e mostram para os mais jovens as aventuras ocorridas durante a formação e crescimento da nossa indústria automobilística e seus produtos.
    Bom trabalho, Carlos Meccia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. BlueGopher, obrigado pelas palavras. Vou me esforçar ao máximo para corresponder as expectativas

      Excluir
  11. Carlos,

    Muito bem vindo e, por favor, nos conte sobre suas experiências com os nacionais dentro da Ford, em especial os últimos anos de vida do querido Landau.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anonimo, já está na fila !!!!! Obrigado e um abraço para você também

      Excluir
    2. E também do Corcel do qual sou fã número 1.
      Seja bem vindo!
      CCN 1410

      Excluir
    3. Acredito que faria muito sucesso um post sobre o Maverick. Afinal, a máquina é um icone entre a maioria dos amantes de carros.

      Excluir
  12. Se eu for levar uma vidinha saudável, comendo só orgânico e não beber uma gota de álcool, a vida fica sem graça.
    Na boa, dá pra compensar a cor "erada" do carro com uma boa condução e escolha do carro certo pra sua necessidade.

    João Paulo

    ResponderExcluir
  13. Gustavo 7529/04/14 13:29

    Essa matéria veio em excelente momento. Estou comprando nessa semana um Gol Rallye com o novo motor 1.6 msi . Estava em dúvida entre o vermelho e o branco. Acho que agora minha dúvida foi sanada.
    Antes que alguém critique (pelo preço) a escolha pelo Gol Rallye, informo que tenho desconto de produtor rural, pois jamais pagaria 50 mil ou próximo disso em um Gol (com exceção de um Gol GTI 2 portas com motor 1.4 tsi). Seja bem vindo Carlos Meccia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Queria entender por que produtor pode ter desconto para comprar carro esportivado...

      Excluir
    2. Simples Fernando! Porque vc está no BRASIL! Aqui é o RABO QUE BALANÇA O CACHORRO!

      Excluir
    3. Bosley de La Noya29/04/14 18:13

      Ué... Gol Rallye não é aquele Gol que o pessoal usa na roça???

      Excluir
    4. Fernando,

      Esse trambolho aí entra como carro para uso em estradas rurais, por isso o desconto. Se ele fosse comprar um Logan 1.6 pelo mesmo preço não receberia tal desconto.

      Excluir
    5. E dá para entender as coisas deste país?
      CCN 1410

      Excluir
  14. Acho a Cor preta muito mais bonita! Existem formas muito mais eficientes de se economizar mais combustível, como na maneira de se dirigir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anonimo, a maneira correta de dirigir também economiza combustível.....a idéia é economizarmos em todas as frentes incluindo os veículos brancos.

      Obrigado pelo comentario

      Excluir
    2. Sempre tive preferência por carros brancos. No momento meu carro atual é nessa cor, assim como o anterior.
      E. U.

      Excluir
  15. Do ponto de vista da conservação, as cores claras como prata e bege metálico (ou champagne) são as melhores. Pequenos amassados são vistos apenas em certas condições, arranhões e sujeiras superficiais são mais difíceis de ver. Se você gosta de sempre ver seu carro bem conservado, mas com pouco esforço, essas são as cores.

    O branco é a cor que mais esconde amassados. Só os mais profundos é que são facilmente visíveis. Em compensação, suja mais fácil ao sair do lava-jato que o prata ou bege.

    Cores escuras, como preto, vinho, azul-marinho, grafite, etc, são muito bonitas quando o carro está limpo e bem encerado/polido. Elas refletem muito o ambiente, você pode facilmente pentear o cabelo olhando pro carro, ao contrário do branco. Mas do ponto de vista da conservação são muito trabalhosos, pois ficam com aspecto de sujo muito rápido (exagerando, ao sair do lava-jato o carro já chega em casa sujo...), arranhões de flanela são bem evidentes e pequenos amassados são vistos de longe. Carros cujos donos moram em prédios e/ou frequentam muito shoppings/supermercados logo demonstram vários amassados nas portas (por causa das vagas apertadas), coisa que o branco/prata esconde com maestria.

    Em resumo, carro preto é muito bonito, mas exige esforço ($$) para mantê-lo assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Clésio, seu ponto de vista esta correto......quase você editou mais uma matéria !

      Obrigado

      Excluir
  16. Muito interessante, meus carros são todos brancos...questão de estética e de conforto térmico, mesmo morando na Serra Gaúcha.

    MFF

    ResponderExcluir
  17. A Quatro Rodas nos anos 80 já fez esse teste: pegou dois Monzas iguais - mesma versão e motorização - porém um preto e um branco. Deixou ao sol um dia todo, e depois foram medir a temperatura das chapas e a interna. A diferença foi considerável a favor do branco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jambeiro, eu me recordo desta matéria....as diferenças ficaram entre 8 e 10°C se não me engano

      Obrigado

      Excluir
    2. Queria ver algum teste (sério) comparando dois carros de mesma cor, um com e outro sem película nos vidros. Tenho quase certeza que, depois de um certo tempo exposto ao sol, o carro com película estará mais quente por dentro, embora muitos defendam o contrário. Bem que o AE poderia realizar este teste...

      Excluir
    3. Concordo com você, mas os trolhas da minha cidade colocaram películas até nos para-brisas dos caminhões caçamba da Prefeitura.
      Tenha dó!
      E. U.

      Excluir
    4. Anônimo, esse é um teste que depende de alguns outros fatores: A radiação infra-vermelha atravessa o metal, mas não a película; a película transforma luz visível em calor, mas passa parte desse calor para fora por condução com o vidro. Acredito, sem fazer o teste, que a diferença entre os dois estacionados seria pequena, talvez até em favor do "filmado", mas rodando teria tudo para ter uma diferença maior a favor do sem películas.

      Excluir
  18. O importante teoricamente seria a pintura do carro refletir melhor as ondas do espectro infra-vermelho. Assim o carro poderia ter qualquer cor. Não sei se isso é possível, mas provavelmente não é economicamente viável hoje.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, você está correto....as empresas de tintas automotivas já estão pesquisando as cores escuras com maior poder de reflexão

      Obrigado

      Excluir
  19. Carlos,

    Bem-vindo ao Blog, e Parabéns pela matéria!!!

    Abraço,

    Marco Antonio...

    ResponderExcluir
  20. O problema é o que a Hyundai cobrava pelo branco... Absurdo demais.

    ResponderExcluir
  21. Bem-vindo ao blog, Carlos! Esperamos mais textos com esse, simples e muito informativo.

    ResponderExcluir
  22. Seja muito bem-vindo, Carlos, mas...dane-se a economia. Estou de saco cheio do triozinho preto/prata/branco. O pessoal aqui já sabe disso, he, he! Quero a volta do trânsito multicolorido dos anos 70, e vou fazer minha parte: se comprar mesmo um March, vou querer "Azul Egeu", he, he!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mr. Car Obrigado pelas boas vindas !

      Excluir
    2. Mr. Car,
      O azul mais bonito vendido no país é o da Ford.
      Você notou isso?

      Excluir
    3. Vc deve estar se referindo ao azul do Fiesta que lembra muito o do Subarus de Raly
      O Mr. Car quer um March com um azul semelhante a esse da Ford
      Eu acho lindo e gostaria de um Subaru nessa cor
      He he he

      Excluir
    4. Anônimo 29/04/14 18:44 hs, há ao menos cinco azuis que gosto muito: dois da Nissan, dois da Ford, e um da Honda. Se for pesquisar outros fabricantes, é possível que a lista aumente.

      Excluir
  23. Tbm estava pensando em o próximo carro não ser escuro (hoje tenho um cinza). Mas pensava nisso mais pelo conforto térmico. Mais um bom motivo pra buscar uma bela cor clara.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, vá por este caminho

      Obrigado

      Excluir
  24. Carlos

    Seja bem vindo.

    Só fiquei com dúvida, pelo que me lembro a reflectância do prata era maior que a do branco.

    Se não é maior, pelo menos as estruturas hidrometeorológicas que pintávamos de prata permaneciam em melhores condições por mais tempo do que as que pintávamos de branco.

    Como moro em Brasília, ter um carro preto ou branco aqui é uma questão complicada, pois é facilmente confundindo com carros de serviço do Governo (preto para as "autoridades" e branco para "subalternos"). Por isto não cogito nenhuma das duas cores e a minha solução vai por uma 4ª via.

    De qualquer jeito, minha cor favorita para carros é um tal de Prata Atenas e o meu modelo favorito é um produzido numa fábrica em General Pacheco, AR...

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ChAndré, as cores prata e branca são muito parecidas em termos de grau de reflexão. Continue com a sua cor favorita.
      Obrigado pelo comentario

      Excluir
    2. ChAndre, onde ficam essas estações prateadas? Só vejo as brancas!

      Excluir
  25. Carlos, bem vindo!!!! Eu sou apenas um leitor, curto muito o blog, participo e deixo minhas opiniões... É sem dúvida o melhor blog do Brasil... No momento estou andando de 335i Le Mans Blue, não sei qual é o índice desta cor, só sei que é a coisa mais linda do mundo!!! Abraços...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado André, curta bastante o seu Le Mans Blue

      Excluir
  26. Marcus Lahoz29/04/14 15:37

    Carlos

    Seja bem vindo.

    Sobre a questão da cor, bacana nunca tinha pensado nisso. Mas só tem um problema, carro branco não consigo engolir; gosto de cores escuras; assim espero que desenvolvam logo estas cores escuras com maior poder de reflexão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Marcus, sem dúvida os fabricantes de tintas vão desenvolve-las mais reflexivas

      Excluir
  27. Que coisa mais anti-autoentusiasta!
    Melhor seria se as fabricantes fizessem painéis e consoles menores, forros e bancos numa cor mais clara.
    Mas ir na loja de olho num branquinho por conta de coeficientes matemáticos? Tô fora!

    ResponderExcluir
  28. Prezado Carlos
    Seja bem-vindo ao Ae. Pelo primeiro post, já deu pra notar que foi uma excelente contratação desta que é uma das melhores páginas automotivas da rede. Quem iria pensar que a cor influiria tanto no consumo de um automóvel? Só mesmo quem entende do assunto para explicar didaticamente e em poucas palavras como esse fato ocorre.
    Parabéns ao Editor-chefe por essa mais nova contratação. Os leitores agradecem!
    Carlos
    Porto Alegre/RS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlos (Anônimo), obrigado pelas palavras. Espero corresponder as expectativas

      Excluir
    2. Seriam os editores do AE contratados?
      Surgiu-me essa dúvida.
      Sempre os ví (ou lí) mais como voluntários.

      Marco R. A.

      Excluir
    3. Marco
      O AUTOentusiastas tem sua origem num grupo de amigos que trocava e-mails desde 2005, até que um deles, Paulo Keller, teve a idéia de constituirmos um blog, criado no dia 24 de agosto de 2008. Esse espírito se mantém até hoje, os editores são todos amigos, não são "contratados" na acepção da palavra. Há casos de "amigo do meu amigo é meu amigo", como o Carlos Maurício Farjoun, amigo do André Dantas, e o recente caso do Carlos Meccia, amigo do Roberto Nasser. O trabalho de ninguém é remunerado — por enquanto, será quando começarmos a ter receita de publicidade.

      Excluir
    4. Bob, apenas conto que esse merchandising que vc fala, não seja que nem oq acontece no autoesporte (da tv), em que matérias pagas são disfarçadas de avaliações. No resto, tem meu apoio

      Excluir
    5. Angelo Jr.
      Nada de merchandising à Auto Esporte, anúncios mesmo.

      Excluir
  29. Carlos, fico muito feliz ao ver um engenheiro experiente por aqui.

    Espero aprender bastante porque um dia também quero ser engenheiro com 40 anos de experiencia na área automotiva.

    ResponderExcluir
  30. Já tive caro branco e depois preto. A diferença da temperatura interna é considerável!!! Mas com relação a manter, acredito que os dois sejam trabalhosos. Em regiões onde a terra é vermelha o carro branco da muito trabalho (moro me Brasília), se não for um proprietário cuidadoso o branco fica logo encardido.

    ResponderExcluir
  31. Bem-vindo Carlos.

    E lá nas terras dos Vikings? Um carro preto seria mais econômico por armazenar melhor o calor?

    Outra dúvida, relacionada: O aquecedor dos carros são sempre baseados na água do radiador ou existe algum veículo com aquecedor baseado no sistema inverso do ar-condicionado (igual aos ares-condicionados residenciais, daqueles que também têm aquecimento)? Imagino que os veículos elétricos utilizem esse último sistema, mas não vejo lógica disso num veículo à combustão.

    Marco R. A.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marco,

      O calor é sempre transferido da fonte mais quente para a fonte mais fria até que haja o equilíbrio térmico. Na terra dos Vikings, dependendo da temperatura ambiente, o ar condicionado seria totalmente desnecessário.

      Excluir
  32. Carlos,

    Bem vindo! Apesar do assunto do post ser sobre as cores, a verdade é que quando o assunto é diminuir consumo de combustível, o sistema de arrefecimento sempre entra em pauta. Outros dispositivos que ajudariam na redução de consumo seriam bombas d'água elétricas com controle de vazão sob demanda, e ventilador do radiador com controle PWM (Pulse Width Modulation), ambos são factíveis, já existe tecnologia para isso, infelizmente estão demorando para se popularizar.

    P.S.: Ler ventilador do radiador e não "ventoinha" só aqui no AE!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado HM,

      Quanto mais eficiente é o sistema, menos energia ele consome e consequentemente menos combustível. Os sistemas elétricos tendem a ser mais eficientes que os mecânicos

      Excluir
    2. HM, controle de velocidade variável do ventilador do radiador já existe. Realmente não me parece ter uso em larga escala mas como exemplo cito o Peugeot 407 V6, que usa deste recurso (não sei através de qual estratégia eletrônica, se PWM ou qualquer outra), além de ter também controle eletrônico dos motores dos limpadores do pára-brisa (da mesma forma, não sei qual o método eletrônico usado, mas são dois motores independentes e as palhetas trabalham sempre na mesma sincronia, se uma for detida por um obstáculo, ao ser retirado o obstáculo, a outra volta a sincronizar com ela).

      Excluir
  33. Adoro a cor branca em carros, de preferência, esportivos ou carros que possuam detalhes que entrem em contraste com a cor clara (faróis escurecidos já dão um upgrade visual em muitos carros, principalmente os de cores claras). Comecei a gostar, não pelo modismo, mas sim ao ver alguns Hondas nessa cor (NSX Type R, S2000 e Civic TypeR, diga-se de passagem), e também não acho que todo o carro branco seja bonito. Como falei, tem que haver algo para contrastar (de preferência, preto).

    Seja muito bem vindo Carlos Meccia, sinta-se a vontade para nos presentear com excelentes artigos! heheheh

    Abraço!

    ResponderExcluir
  34. Carlos,

    Muito interessante essa questão, seria bom as fabricantes informarem o índice de reflexão de cada cor disponível para seus carros.

    Existe alguma tinta com índice de reflexão próximo a 1?

    ResponderExcluir
  35. Seja bem vindo Carlos Meccia. 40 Anos de Ford ! Nós leitores só temos a agradecer por mais um colaborador do seu calibre reforçando esse time de mestres. Ta parecido com o Clint Eastwood no filme Gran Torino hein ! rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ace, muito obrigado.....gostei ! Clint Eastwood ? Caramba !!!!!!

      Excluir
  36. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  37. Coincidência interessante! Nessa semana fiz uma experiência sobre esse assunto (usando latas de alumínio pintadas, o orçamento não deu para liberar nove carros do mesmo modelo, como pretendia!) e a diferença de temperatura é realmente gritante: Mais de dez graus entre o preto e o branco, e quatro graus entre o preto e o verde.
    chamou a atenção que a emissão de poluentes caiu menos que o consumo. Não deveria ser o mesmo número, em modelos idênticos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fez a experiência com uma das latas polidas também? Algo para ter certa semelhança com isto: https://www.google.com.br/search?q=carros+cromados&tbm=isch

      Reflete bem o calor ou a exposição direta da superfície metálica absorve mais o calor? Tem-se uma diferença "gritante" - com trocadilho! - se colocar a mão?

      Excluir
  38. Olhem, eu sou contrário a tudo que é modinha como essa da cor branca, assim como foi o amarelo ou prata, isso vicia o mercado e coloca uma ideia errada sobre o fabricante ou montadora de que só isso serve e basta, o resto se quiser que se vire, se não... Isso de moda para mim é péssimo pois além de criar um "ditadura" das cores, em especial o branco de agora, pois é uma forma de "código" criado para se auto afirmar socialmente que esta bem de vida, que tem dinheiro e por ai vai, o que eu acho ridículo, em que exemplos fúteis não faltam como o valor de R$5.000 pela cor branca nos Hyunday. Outra marca que me incomodou muito foi a Honda motos com sua ótima PCX, mas que só existe cores branco ou vermelho, o que me assustou, pois chegaram a este ponto de ter só as duas cores mais simples, que o mercado compra, e me neguei a compra uma sim, só pela falta de um azul ou preto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E olha que preto é uma cor muito comum em motos. Difícil achar um modelo que sequer tenha sido produzida nessa cor (tanto que para motos acho ela até banalizada demais, apesar de algumas lindas). Mas o vermelho é mais comum ainda.

      Excluir
  39. Bem vindo Carlos Meccia! Com 40 anos de Ford, certamente teremos por aqui, no Blog que tanto amamos, "causos" do desenvolvimento dos carros da marca do oval azul antes da globalização.

    ResponderExcluir
  40. Carlos Meccia seja bem vindo! Quanto mais bons cérebros para compartilhar as experiências e ensinamentos melhor! Quanto ao texto, ótimo tema! A propósito, qual o índice de reflexão da cor vermelha (minha favorita para a maioria dos autos, principalmente os bem vívidos hehe)? E há relação entre a intensidade da cor, se mais clara ou mais escura, no seu índice de reflexão?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tarcisio,
      A cor vermelha sólida tem o índice de reflexão 0,20 aproximadamente. Quanto mais clara a cor mais reflexiva ela é de maneira geral....depende da pigmentação utilizada etc.

      Obrigado

      Excluir
  41. ᕕ(ᐛ)ᕗ Look that:
    Os automóveis brancos são mais Verdes
    ᕕ(ᐛ)ᕗ haha! I'm winning! ☜(゚ヮ゚☜) This guy is a Badass!

    Espero não ser censurado pelo humor.

    Seja bem-vindo Carlos Meccia.
    Por falar em Ford, e aproveitando a nova onda dos 3 cilindros, deixo este vídeo:

    Formula Ford EcoBoost. Street Legal Racer on Road and Nürburgring / CHRIS HARRIS ON CARS
    http://www.youtube.com/watch?v=tmZMwk14r4c

    Um litro (1L) de cilindrada, olhem só!

    -

    Ao Bob Sharp.

    Lembro de que gosta do animação (desenho/filme) Carros (Cars). Já teve a oportunidade de assistir Turbo?
    http://www.youtube.com/watch?v=iG1DFd_NmnQ / http://www.youtube.com/watch?v=QULzGYRThH8

    E o Aviões (Planes)? Como parte do "Mundo de Carros", segue o mesmo estilo de roteiro.
    http://www.youtube.com/watch?v=b2gWE2txmFI / http://www.youtube.com/watch?v=Ch39vLdQi1g

    Claro, quem demostrar interesse, pode comentar também.
    Desculpem-me pelo Off-topic. Apesar do Bob já ter dito não haver problema, não gosto de sair do tema principal, mas é um dos únicos modos de trazer um tema para a discussão com os demais leitores - o outro é por e-mail, se o tema gerar uma postagem.

    ResponderExcluir
  42. WANDERSON CALDAS NOVAS29/04/14 22:24

    Sem querer então eu fiz a escolha certa,meu penúltimo carro foi um gol g5 branco,quando fui comprar meu último carro (voyage)queria um branco também,não tinham no estoque,o vendedor quis me vender o prata pelo mesmo preço...Pois tinha aos montes,mas mesmo assim esperei poucos dias,e estou com meu voyage branco com faróis mascaras negras na garagem!

    ResponderExcluir
  43. Não concordo com a afirmativa do compressor; ele fica ligado sem parar, pois não é igual aos aparelhos domésticos, por exemplo. A temperatura interna é controlada pela maior ou menor mistura com o ar quente. Não há economia, portanto, provocada pelo suposto menor funcionamento do compressor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é bem - de todo - assim. E depende da implementação do sistema, dos sistemas de controle para determinar as características de operação. Os sistemas dos compressores variáveis com atuação externa geralmente possuem boa implementação de recursos para economia. E ainda melhor nos elétricos por parafuso/espiral. Mas tudo depende da eletrônica de controle.
      Realmente existem sistemas que existe grande desperdício neste esquema de mistura com o ar quente, seja a portinhola de controle de fluxo com controle mecânico ou eletrônico (automático ou não), e não no reduzir - variar - o trabalho do compressor.

      Eu gostaria - e muito - de ter um artigo aqui no blog sobre este assunto dos sistemas de "condicionamento de ar" (frio;quente;umidade;limpeza;renovação etc). É algo complexo se analisado minunciosamente, porém não deixa de ser relevante, pois é um dos sistemas mais solicitados para inclusão nos automóveis modernos, praticamente indispensável aqui neste país tropical (grandes variações de temperatura conforme o ano e lugar - muito quente/muito frio). É item importante, propicia conforto, segurança passiva (ambiente controlado e confortável propicia um dirigir seguro), e cada vez mais faz parte do automóvel moderno, da vida moderna, tornando-se indissociável; é tão parte de um automóvel quanto qualquer outra pode ser.
      Como é bastante relevante o consumo de potência (mecânica ou elétrica - indiretamente mecânica) deste sistema, afetando a performance e gasto com "combustível" (a eletricidade nos automóveis elétricos não é exatamente um "combustível"), com custo considerável de aquisição e manutenção, acho que valeria um artigo aprofundado sobre o tema, se possível, claro.

      Excluir
    2. Obrigado Allan, vamos pensar a respeito de sua sugestão

      Excluir
  44. Aléssio Marinho29/04/14 23:09

    Agora tenho mais um argumento pra usar na discussão que ando tendo com a minha mulher sobre nosso próximo carro, rsrsrsr.
    Desta vez ela quer um preto, cor que ela adora e que detesto, justamente por causa do forno que o carro se torna, além da questão da segurança, pois a cor preta não se distingue do asfalto, ao contrário do branco, do prata.
    Pena que aqui na selva, carro branco ainda seja visto como táxi. Quando tive um Fiesta Street sedã branco, toda hora alguém fazia sinal pra parar... rsrsrsrs

    Seja bem vindo, Carlos Meccia! Seu post foi curtinho, mas muito objetivo e informativo. Parabéns!

    ResponderExcluir
  45. eu ja havia ouvido esse estudo relativo à cor de aviões.. o princípio é o mesmo...

    ResponderExcluir
  46. Cristiano Reis30/04/14 12:05

    Seja bem vindo Carlos,

    Quanto ao texto só tenho uma dúvida, no caso de um carro como o Ka, que a temperatura do ar condicionado é controlada através da injeção de ar quente junto com o ar frio, haveria essa economia? Já que o o compressor sempre está funcionando a pleno.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quanto mais tempo o compressor ficar ligado, mais energia ele vai consumir. Dependendo de quanto for aberto o ar quente o compressor poderá ficar ligado a plena carga sem economia de combustível.

      Obrigado Cristiano

      Excluir
  47. Esse texto me tirou uma dúvida antiga. Além da eficiência, carro claro é sensivelmente bem mais confortável.

    Bem vindo Carlos Meccia ! Muito feliz saber que engenheiro com tanta experiência, ainda mais com uma marca grande como a Ford. .O time do AE é imbatível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, obrigado.

      Realmente tenho muito orgulho de ter trabalhado tantos anos na Ford. Valeu o elogio ao AE

      Excluir
  48. Prezado Carlos Meccia.

    Bem vindo ao blog, será um prazer ler mais um colunista talentoso.

    Luiz C Basilio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Luiz, vamos trocar muitas figurinhas certamente

      Excluir
  49. E se no dia a temperatura estiver baixa? Vai gastar mais aquecer o motor? Vai gastar mais manter quente, já que o sistema de aquecimento do ar de dentro do carro "rouba" calor?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Excelente pergunta Fabio.
      O sistema de aquecimento interno do veiculo nada mais é do que uma derivação do circuito de arrefecimento do motor no habitáculo. Alem das mangueiras do circuito existe um pequeno radiador para trocar calor dentro do veiculo, aquecendo o ambiente internamente. Até o motor atingir a temperatura normal de funcionamento a válvula termostática fica fechada e/ou parcialmente fechada. Quando a válvula abre totalmente o circuito interno aquecedor passa a funcionar como parte integrante do sistema de arrefecimento do motor, ou seja ajuda a esfriar o motor trocando calor com o ambiente. Como o sistema de arrefecimento do motor ganha uma ajuda extra, o ventilador do radiador passa a funcionar menos ajudando no consumo de combustível. Espero ter sido claro na minha resposta

      Obrigado

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  50. Uma cor que mais gosto é a bege desert que infelizmente a GM tirou do classic, acho que todos os carros ficam bem com essa cor, cada fabricante dá um nome diferente tipo a ford com o prata enseada, bege savanah na fiat e assim vai... uma pena que não é muito popular, se tivesse uma versão do celta com essa cor pegava um pra mim.
    Quanto ao preto, acho que devemos fazer do limão uma limonada, deixa eu explicar; pode-se colocar pastilhas peltier por baixo do teto para aproveitar o calor e transformar-lo em energia, o calor rejeitado das pastilhas seria dissipado com ar vindo das colunas "A" e de um "roof scoop" e depois saindo pela parte traseira do teto, quanto ao consumo deveríamos ter freios magnéticos onde-se ao invés da corrente se diddipar em calor colocaríamos um condutor no eixo e outro na ponta do disco metálico gerando assim potencia eletrica a ser armazenada e esse sistema seria um ABS analógico pois se tendesse a travar a potencia seria diminuida até o equilibirio, o freio tradicional seria mantido para baixas velocidades e para manter o carro parado (em uma ladeira por ex). Outra forma de economizar seria armazenar ar-comprimido també durante as frenagem e usá-los para mover o carrro da inércia pois já existem motores a ar-comprimido muito eficientes, e quanto aos motores usar o ciclo dividido (ver scuderi engine) onde um cilindro aspira e comprime o outro realiza o trabalho e a exaustão dos gases queimados (dividir para conquistar), enfim vão me chamar de maluco mas idéias malucas quando dão certo promovem um grande salto tecnológico.

    Luca Sant'Ana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luca, o módulo (ou pastilha) Peltier, ou mais ainda, o efeito Peltier-Seebeck é capaz de gerar eletricidade por meio de aquecimento, sim, mas é mais usado em laboratório, para conseguir justamente o efeito contrário: Esses semicondutores que apresentam o efeito retiram calor de uma extremidade e jogam em outra, seguindo o fluxo da corrente elétrica. Se eles tornarem-se mais baratos, podem vir a ser bons substitutos para o ar-condicionado do carro, com menor gasto de energia e mais silêncio. Mas tudo é muito experimental por enquanto. A eletricidade gerada por uma pastilha dessas seria algo insuficiente até para manter o alarme do carro ligado (mas o veículo mais rápido produzido por mãos humanas, a Voyager, tem toda sua energia elétrica gerada por efeito Seebek). E teria a questão de mais peso no pior lugar possível para um carro.
      O tal ABS analógico é muito parecido com o freio dissipativo dos vagões de metrô. Há problemas de portabilidade, mas é bastante confiável, mesmo em velocidades próximas de zero. Quanto ao ar-comprimido, sugiro que leia algo sobre os motores Di Pietro, eficientes, compactos e silenciosos. O problema, de novo, é que combinar ele, mais compressor, mais motor elétrico, mais baterias, mais motor à combustão acabaria com um veículo (e aqui pode ser até um navio intercontinental) muito complexo, caro demais e de difícil manutenção. E, se para cortar custos as fábricas não estão nem oferecendo uma ampla variedade de cores, imagine se estão dispostas a investir num tri-híbrido...

      Excluir
    2. Luca e Braulio,
      Nada como pensar a respeito de melhorar a eficiência de todos os sistemas e aproveitar mais a energia jogada fora. Continuem pensando......!

      Obrigado

      Excluir
  51. José Dauto Nico30/04/14 22:43

    Não adianta, já tive dois carros brancos e não consigo gostar da cor.

    Cores metálicas, azul, vermelha, cinza (prata) ou amarela (dourada) moram mais perto do meu coração.
    O importante é termos opção de cores para podermos escolher.
    Mas, infelizmente os fabricantes parece que por custo, já vem reduzindo suas paletas de cores há tempos.

    José Dauto Nico

    ResponderExcluir
  52. Muito bem vindo, Carlos! Excelente artigo!

    Saudade do meu Paliozinho branco!

    Abraços.

    Roberto Neves

    ResponderExcluir
  53. Carlos, seja muito bem vindo ao blog. Tenho certeza de que sua experiência de 40 anos na Ford e a sua qualificação vão tornar esse blog ainda mais rico do que já é. Gostaria de lhe sugerir um post sobre a Autolatina, abordando-a do início ao fim. Acho que seria interessante vê-la sob a perspectiva de alguém que fez parte da Ford.
    Digo isso porque canso de ouvir opiniões, baseadas no senso comum, de que a Volkswagen "escorou" a Ford, fornecendo-lhe os motores AP. O que esse pessoal não sabe é do ganho que a Volkswagen teve na sua divisão de caminhões: no fim da década de 80 ou no começo da década de 90, meu pai visitou a fábrica do Ipiranga, para conhecer a nova linha de caminhões VW, que nada mais era do que um Cargo com cabine dos Volkswagen antigos. Estes últimos, por sua vez, ao contrário do que a maioria pensa, NÃO usavam chassi Dodge, mas sim chassi e cabine produzidos sob autorização da MAN alemã, complementados por motores MWM nacionais e eixos, caixa de câmbio e diferencial produzidos por fabricantes independentes estabelecidos no Brasil. Sem falar que tinham péssima reputação e que só tinham mercado em função do preço, bem abaixo da concorrência.
    Antônio do Sul

    ResponderExcluir
  54. Seja muito bem vindo Carlos Meccia,

    Por questão de gosto e também por todas as vantagens que apresenta, eu elegi a prata como minha cor favorita. Já comprei três carros dessa cor, com pequena variação de tonalidade, e fiquei bastante satisfeito.
    Quanto a energia solar refletida ela é praticamente equivalente ao branco, certo?


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Sergio,

      Realmente a cor prata é bem semelhante a branca nas suas características reflexivas

      Excluir
  55. Carlos, seja bem-vindo ao AE, sempre que posso visito este que hoje é o Santo Graal dos blogs brasileiros para quem gosta de carro. Vida longa ao AE, e à sua participação aqui!

    ResponderExcluir
  56. Nossa, então eu sou um gastão. Meu carro é preto. Bom no inverno do sul né? Fica mais quentinho.

    ResponderExcluir
  57. Um dos motivos pelos quais quase a totalidade das Cias. Aéreas de todo o mundo usarem aviões brancos.

    ResponderExcluir
  58. Existe ainda a questão da segurança, numa estrada plana e longa você é muito mais visível do qual um carro cinza (cor do asfalto).

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.