PORSCHE MACAN: NOITE DE GALA EM LOS ANGELES

Fotos: autor e divulgação fabricante



Posso reclamar de um monte de coisas nesta vida, menos do Papai Noel. Quase todo ano ele me faz uma boa surpresa, geralmente uma viagem legal. Em dezembro de 2012 fui rodar de Dodge Viper nos Estados Unidos (leia O novo Viper e mau velhinho). No final do ano passado, meu presente, já como “bom velhinho”, foi uma viagem a Los Angeles: só ir à Califórnia já é um presentão, ainda mais neste caso, que o convite foi da Porsche e lá se foi o tio para fazer materinhas para a Folha de S. Paulo, sobre a pré-estréia do novo utilitário esporte da marca esportiva alemã, o Macan, no Salão de Los Angeles. Para quem não está habituado, os salões americanos são bem diferentes dos europeus e até do nosso. São vários salões (Chicago, Los Angeles, Nova York, Detroit...) e assim as novidades ficam diluídas. 

O melhor ainda fica, só por uma questão de tradição, para o Salão de Detroit, já que hoje o estado de Michigan não é mais uma capital real do automóvel nos EUA e a Motown (Motor Town, ou cidade dos automóveis) lembra mais o lendário selo da gravadora de soul music de Detroit. Mesmo assim, os fabricantes preferem guardar o melhor para Detroit. E o Salão de Los Angeles realiza-se apenas algumas semanas antes de Detroit. A Porsche usou uma bela estratégia: fez uma dupla pré-estréia do Macan, no Salão de Los Angeles e também no Salão de Tóquio, que ocorrem nas mesmas datas. Resultado: na mídia internacional só deu Macan em dezembro, já que o Salão de Los Angeles foi meio Nélson Rodrigues: “Bonitinho, mas ordinário”, sem outros grandes lançamentos. E o Macan foi realmente uma pré-estréia: todo mundo se abundou no utilitário, mas ninguém rodou com ele. 

Conjunto motriz do Panamera com V-6 biturbo e câmbio PDK de sete marchas

O testes pela imprensa devem começar na Europa lá pelo início de março. Em Los Angeles, a festa foi dupla: uma primeira, mais reservada antes da abertura do Salão, para alguns jornalistas e celebridades. A segunda foi maior, no dia seguinte, só para a imprensa. Na pré-pré-estréia — claro que eu estava do lado dos jornalistas — a gente descobriu que estava cheio de celebridades meio por acaso. Éramos apenas três jornalistas brasileiros e lá estávamos cumprindo novo dever cívico de encher a cara. O Júlio Cabral, da revista Autoesporte, me pergunta: 

— Você conhece esse cara aí do seu lado? 

Interior nem parece de um SUV
Olhei e era o Jerry Seinfeld, do seriado que leva seu sobrenome. Além de celebridade, Seinfeld é um grande colecionador de Porsche. Comprou um prédio em New Jersey, pertinho de Nova York, e o transformou em edifício-garagem só para guardar sua coleção de Porsche. Olhei para a cara do Seinfeld e ele olhou para minha cara. Depois de assistir tantos seriados do seu ótimo sitcom, ele parecia um velho amigo. O contrário não é válido, já que a televisão é mão única: ele nunca viu a minha cara. Soltei um “Hi, Jerry” e o Júlio se adiantou. “Somos jornalistas brasileiros, fãs do seu trabalho e de sua coleção de Porsche.... “ e soltou a importante pergunta: “Que você acha do fato da Porsche fazer SUVs?” A opinião de Seinfeld resume a posição de quase todos os puristas, inclusive deste escriba: “Os SUVs da Porsche têm uma única grande qualidade: eles mantêm a saúde financeira da empresa, que assim pode investir em pesquisa e fazer ótimos carros realmente esportivos”. Isto resume Cayenne, Macan e o que vier por aí, em minha opinião e, graças a Santa Claus (ou Papai Noel), abalizada por Jerry Seinfeld. 

Aliás, quem gosta do humor de Seinfeld — e também de carros antigos — pode assistir seus mais recentes trabalhos no site http://comediansincarsgettingcoffee.com . Ele passeia e apresenta carros clássicos enquanto entrevista personalidades. Quem não entende bem inglês, acredito que existam cópias legendadas dos episódios, se não me engano no Crakle (http://www.crackle.com.br) . 

Nos Estados Unidos, o preço começa nos US$ 50 mil. Por aqui...

Na platéia em Los Angeles, além dos jornalistas apreciando o rega-bofes inicial, estavam outras celebridades americanas, aqueles caras que você olha e pensa: Já vi em algum lugar. Caso de Patrick Demsey, ator mais conhecido como o médico “gostosinho” do seriado Grey’s Anatomy. Patrick também é piloto nas horas vagas e outro fã de Porsche, principalmente nas pistas em provas de longa duração. E lá estávamos nós, não-celebridades, esperando pelo Macan, nome que deriva do indonésio e que quer dizer tigre — parece o nome abreviado da agência de publicidade McCann-Erickson...Embora não seja nome dos melhores, pelo menos não é o pensado inicialmente, o estranho Cajun, de Cayenne Junior...

Quando mostraram o utilitário, do porte do VW Tiguan, não dá para dizer que não andei e não gostei. O SUV caçula de Stuttgart é bem mais simpático que o grandalhão e estranho Cayenne. É menor (4,7 m de comprimento), mais baixo (apenas 1,60 m de altura) e tem mais cara de Porsche, principalmente visto de frente ou traseira, ângulos que dedam menos sua condição de utilitário esporte. O capô tem extremidades envolventes, à BMW E21/Fiat 147/Uno/MINI e que ao ser levantado deixa os faróis no lugar.

Capô de extremidades envolventes; note os dois fechos (foto acarisnotarefrigerator.com)

Traz uma plataforma vinda do Audi Q5 e que, segundo o diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Porsche, o engenheiro alemão Wolfgang Hatz, “foi bastante modificada para se tornar um componente Porsche, ainda mais que é uma plataforma ‘velha’, de 2006”. O conjunto propulsor do Macan basicamente vem do sedã Panamera, com o motor V-6 biturbo que terá 340 cv ou 400 cv, dependendo da versão (Macan S 3.0 ou Macan Turbo 3.6). “É tudo Porsche”, falou Wolfgang com um sorriso orgulhoso que escondia algo como “não tem nada a ver com um simples Audi”. 

Claro que o Macan vai rodar como um bom Porsche, acelerando como o diabo gosta, quer puristas como eu gostem ou não: 251 km/h para o S e 264 km/h no Turbo. 0 a 100km/h de 4,5 s (Turbo) e 5,1 s (Macan S). Claro que com câmbio PDK (Porsche Doppel-Kuplunggetriebe) de dupla embreagem e sete marchas, injeção direta e tudo que um Porsche tem direito. Orgulho e brigas internas germânicas à parte nas declarações do diretor Wolfgang, acho um bom uso para o conjunto motor do Panamera, que andei e não gostei. O “sedã” Porsche anda p'ra cacete, claro que é gostoso de dirigir como um carro da casa de Estugarda (como os lusos chamam Stuttgart), mas me sinto rodando com um 911 que virou limusine em Las Vegas.
         
O mesmo acontece com o grandalhão Cayenne, pouco apreciado pelos puristas, que acham que Porsche é um esportivo para duas pessoas. Hoje o Cayenne é responsável por 60% das vendas da Porsche. E Wolf acha que este posto de mais vendido da marca vai ser rapidamente ocupado pelo Macan, já que ele é menor e mais barato. Nos Estados Unidos vai começar nos U$$ 50 mil. Claro que por aqui será algo para R$ 200 a 250 mil, graças ao abençoado “custo Brasil”. Wolf resume a posição da marca em relação aos SUV: “É o segmento de veículos que mais cresce no mundo e nosso único temor era que a Porsche, fabricando em maior escala, perdesse a aura de exclusividade. Mas nossa produção em 2014 será da ordem de 160 mil veículos, muito longe dos milhões de Mercedes e BMW que, apesar disto, nunca perderam a exclusividade”. Ou seja, vem muito utilitário Porsche por aí. 

Na noite de gala do Macan, um fato inédito envolveu outra celebridade, uma maravilhosa loira russa. Parece que os alemães não conhecem o provérbio chinês: “Cuidado com o que pede. Você pode ser atendido”. A Porsche pediu alguém que desse uma ótima visibilidade a marca e contratou a tenista russa Maria Sharapova com uma das embaixadoras da marca. A linda loira, 26 anos, 1,88 m de altura (mais de 2 m com salto) apareceu no palco no final da apresentação do Macan. Inglês perfeito, sem o rrrrrrrr do sotaque russo e simpaticíssima. Resultado: quando a platéia foi convidada para ir ao palco e apreciar o Macan, todo mundo foi e... ficou olhando abestalhado para a Sharopova. Duas centenas de “motorheads” ou “gearheads” esqueceram um carro novo, lançamento mundial já modelo 2015, e preferiram conferir a loira que, aliás, não é fotogênica. Ao vivo ela é muuuuuuiiiito melhor. Tipo da mulher que, se você for sorteado para sair com ela, melhor levar junto seu cardiologista. Ou seja, Sharapova chamou tanta atenção que ela se tornou embaixadora de si mesma e o Macan ficou em segundo plano.  

Com tanto luxo e carro novo, a loira Maria roubou o show
Nota do escriba: depois de meia hora babando na loira russa, finalmente entrei no Macan. O interior é bem legal, elegantíssimo e esportivo, tudo tem cara de Porsche. Mas eu prefiro a Maria.

Teste para gearhead: olhe só o Macan e esqueça a Sharapova


JS




FICHA TÉCNICA PORSCHE MACAN TURBO

MOTOR
Tipo
V-6 biturbo com 2 interresfriadores, duplo comando por corrente, 4 válvulas por cilindro, variador de fase e de levantamento na admissão, dianteiro, longitudinal, gasolina, lubrificação por cárter seco, função Desliga-Liga.
Diâmetro x curso
96 x 83 mm
Cilindrada
3.604 cm³
Material do bloco e dos cabeçotes
Alumínio
Taxa de compressão
10,5:1
Potência máxima
400 cv a 6.000 rpm
Torque máximo
56 m·kgf de 1.350 a 4.500 rpm
Corte de rotação
6.700 rpm
Formação de mistura
Injeção direta
Octanagem da gasolina requerida
98 octanas RON (Super Plus)
SISTEMA ELÉTRICO
Tensão
12 V
Bateria
92 A·h
Gerador
Alternador de 150 A
TRANSMISSÃO
Tipo
Câmbio robotizado de duas embreagens,  7 marchas à frente e uma à ré, tração integral
Relações das marchas
1ª 3,69:1; 2ª 2,15:1; 3ª 1,41:1; 4ª 1,03:1; 5ª 0,79:1; 6ª 0,63:1; 7ª 0,52 ré 2,94:1
Relações dos diferenciais
Dianteiro, 4,13:1; traseiro, 4,67:1
SUSPENSÃO
Dianteira
Independente, braços triangulares superpostos, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
Traseira
Independente, multibraço, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
DIREÇÃO
Tipo
Pinhão e cremalheira,assistência elétrica indexada à velocidade
FREIOS
Dianteiros
A disco ventilado de Ø 360 mm, pinça fixa com 6 pistões
Traseiros
A disco ventilado de Ø 356 mm, pinça fixa com 2 pistões
Controle
ABS c/ distribuição eletrônica das forças de frenagem e auxílio à frenagem
RODAS E PNEUS
Rodas
Alumínio, 8Jx19 (D), 9Jx19 (T)
Pneus
235/55R19Y (D) e 250/50R19Y (T)
CONSTRUÇÃO
Arquitetura
Monobloco em aço, subchassi dianteiro e traseiro, hatchback 4-portas, 5-lugares
Aerodinâmica
Cx 0,37
Área frontal
2,61 m²
Área frontal corrigida
0,965 m²
DIMENSÕES
Comprimento
4.699 mm
Largura sem/com espelhos
1.923 / 2.098 mm
Altura
1.624 mm
Entreeixos
2.807 mm
Bitola dianteira/traseira
1.655/1.651 mm
CAPACIDADES E PESOS
Porta-malas
500 litros
Tanque de combustível
75 litros
Peso em ordem de marcha
1.925 kg
DESEMPENHO E CONSUMO
Velocidade máxima
266 km/h
Aceleração 0-100 km/h
4,8 s
Aceleração 0-160 km/h
11,1 s
Aceleração 0-1.000 m
24,2 s
Consumo cidade (NEDC)
8,5 a 8,7 km/l
Consumo estrada (NEDC)
12,8 a 13,3 km/l



24 comentários :

  1. Tem carro na foto da loira?

    ResponderExcluir
  2. Só por curiosidade, o 3º jornalista convidado foi o Ícaro Bedani?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Perneta.
      Isso mesmo, o terceiro mosqueteiro foi o Icaro.

      Excluir
    2. Perneta
      Posso ver depois, mas tudo leva a crer que foi o Ícaro, do Jornal do Carro (O Estado de S. Paulo), uma vez que o Josias foi pela Folha de S. Paulo, jornais arquirrivais.

      Excluir
    3. Perneta
      Foi o Ícaro Bedani mesmo.

      Excluir
    4. A Porsche deve achar que o Brasil é só São Paulo. :P

      Excluir
    5. Perneta
      O critério neste caso são os veículos de comunicação, não o estado ou cidade. Para terem levado só três jornalistas isso indica limite de verba.

      Excluir
  3. Se o Macan é do porte do Tiguan, pq não usaram a plataforma do Q3 ao invés do Q5 (a não ser que seja a mesma)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniel
      Como eu já disse inúmeras vezes aqui, dá-se uma importância incrível a plataformas. Não interessa a plataforma, um dado meramente interno, o que importa é o veículo como um todo.

      Excluir
    2. Bob, há alguma questão que vc considere relevante nessa questão de plataforma??

      Excluir
    3. Nenhuma. Repito, é mero dado interno. O que importa é o projeto do monobloco com um todo, os materiais empregados, os dotes dinâmicos do veículo, independente de plataforma..

      Excluir
  4. Rsrsrsrs...um tópico que teria tudo para ser meio morno (sim, é Porsche, mas é mais um SUV no abarrotado mercado mundial), ficou divertidíssimo na pena do Josias!

    MFF

    P.s: Não rola uma decodificação digital das antigas Oficinas Mecânicas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MFF
      Apenas uma pequena parte das OM está digitalizada. A maioria do material precisa ser escaneado, o que é um trabalhão. Mas, em algum momento vou resolver esta encrenca.

      Excluir
  5. É o Porsche ideal pra São Paulo: não é tão grande; enfrenta alguns alagamentos; e não é preciso passar feito lesma em lombadas e valetas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kevin de La Noy30/01/14 18:15

      Esqueceu da blindagem né. Para não levar um tiro na têmpora no primeiro farol vermelho que parar aqui em SP...

      Excluir
  6. braz portari30/01/14 15:06

    Una picolla domanda: dove c'e la machinna???? Io sono totto occhio per una Donna e che donna...JE VOUS SALUTE MARIA....
    (ps...os comments sobre o novo carro ficou bom)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Portari.
      É vero. Salve Maria. Gosto de muitas, da Sharapova à nossa Padroeira.

      Excluir
  7. Até que gostei do carro! Principalmente por causa dos faróis de Schnellaster...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Braulio.
      É bom esclarecer seu comentário erudito. O Schnellaster era um DKW lançado em 1949, no estilo VW Kombi, e tradução mais literal do nome era Transporte Rápido, no sentido de transporte comercial, de entregas. E realmente cabe bem para o Macan, também alemão.

      Excluir
  8. Bauliostafora
    Até esse ponto do ano seu comentário está com a taça!!! Que percepção, a sua! Parabéns!

    ResponderExcluir
  9. Pelo que andei lendo, todas as versões do Macan - S, S diesel e Turbo - são turboalimentadas.
    Então, todo Macan é turbo, porque o S é turbo, o S diesel é turbo e o Turbo é turbo. Mas nem todo Macan é Turbo, porque, além do Turbo, que como o próprio nome diz é turbo, existem o S, que é turbo, e o S diesel, que também é turbo...
    Ah, bons tempos em que só existia um Porsche Turbo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente Alexandre, é muito turbo para confundir. E vc tem razão, todo Macan é turbo, também não entendi a razão do S e do Turbo.

      Excluir
  10. Ta aí meu próximo carro (nos sonhos) !
    Já a loirona é lenha demais para meu camihao
    Jorjao

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.