NOVO CITROËN C3 EXCLUSIVE AUTOMÁTICO

Fotos. Paulo Keller


O Novo C3 já foi avaliado pelo Bob, porém só a versão Tendance de motor 1,45-litro, tanto no lançamento quanto no uso. Faltava o AE conhecer a versão Exclusive, de motor 1,6-l, tanto manual quanto automático, esta a que testamos finalmente.

Estar com um belo mau-jeito nas costas, como agora estou, é um bom estado físico para se avaliar a ergonomia de um carro, já que cada movimento cobra uma dorzinha. O local onde trabalho está numa reforma gigantesca, tudo de cabeça para baixo, o que me obrigou a meter um chutaço numa porta. Tudo bem, a velha porta foi para o beleléu, porém, como toda ação tem uma reação, cá me sobrou estas doloridas fisgadas que fariam até um javali gemer.

Boa ergonomia

Nessas ocasiões é que damos mais valor aos carros com câmbio automático e boa ergonomia, como é o caso deste Novo C3 Auto Exclusive. O banco do motorista sobe e desce, o volante tem ampla regulagem de altura, de distância, e a direção tem assistência elétrica variável, sendo leve em baixa e firme em alta; no ponto, como costumam ser os carros da marca. E ela é rápida, velocidade certa de reações. Na coluna da direção há comandos para o som, para o computador de bordo, para o controle automático de velocidade e também o limitador da velocidade. Os pedais estão bem posicionados. A visibilidade é boa, os retrovisores externos são enormes, daí que tudo se vê sem que mexamos a cabeça. Há um apoio retrátil para o braço direito. Portanto, estando quietinho ali, bem acomodado, com as costas bem apoiadas, bastam poucos movimentos para tocarmos o C3 com muita agilidade e desembaraço. Até um sujeito enfaixado feito uma múmia conseguiria guiá-lo na boa por aí.  



O motor responde bem, pois, afinal, são 122 cv a 5.800 rpm (álcool) levando um relativamente leve e compacto hatch de 1.202 kg. Motor não falta, e a prova disso é que o carro atinge 199 km/h (máxima da versão com câmbio manual, segundo a fabricante, e a desta versão com câmbio automático deve ser um pouco menos, coisa de 195 km/h; lamentavelmente a fábrica não informa esse dado). Seu funcionamento é silencioso e suave, fora que o carro tem bom isolamento acústico. O comando de admissão é de fase continuamente variável, o que já lhe dá um boa e potência já em baixo giro, embora o torque máximo de 16,4 m·kgf ocorra a 4.000 rpm (álcool).

Motor sem a capa plástica. Motor não é a "parte pudenta" de um carro

O câmbio de 4 marchas é plenamente satisfatório na cidade, com trocas suaves e relativamente rápidas. Também é satisfatório em rodovias expressas, onde se viaja silenciosamente a 120 km/h reais a pouco menos de 3.500 rpm, porém deixa a desejar quando, por exemplo, pegamos uma subida de serra, estrada vazia, e nela pretendemos tocar mais à moda, mais esportivamente — coisa natural, já que o carro prima pela boa estabilidade nessas condições. Nesse caso, o câmbio se atrapalha, fica indeciso, reduz marcha sem precisar, sobe marcha antes da hora etc. E não adianta trazer a alavanca de câmbio para as trocas manuais, que podem ser feitas tanto na alavanca quanto nas borboletas, pois nunca vi comandos que menos dessem bola às nossas solicitações. Mesmo assim, devido ao bom motor e estabilidade, dá para fazer uma subida rápida.

As borboletas estão como gosto, fixadas à coluna de direção. Não viram junto com o volante, portanto, não as “perdemos” em curvas fechadas. Porém, como pouco atuam, as acho dispensáveis, já que “poluem” os comandos fixados à coluna. 



Profusão de alavancas espetadas na coluna

Sendo assim, o câmbio automático atenderá com plenitude à maioria dos motoristas, porém os mais esportivos sentirão falta de uma ou duas marchas a mais, para que elas fiquem mais próximas, e de um gerenciamento de marchas mais moderno e decidido.

A estabilidade, como não poderia deixar de ser, já que é um Citroën, é das boas. Na estrada vai reto, pouca bola dando a ventos laterais, o que nos proporciona uma viagem descansada, suave, e vale ressaltar que sempre com boa reserva de potência. Nas curvas, basta apontar que ele segue à risca o traçado, sem oscilações, sem titubeios. Portanto, bom estradeiro. O carro tem ótimo acerto, macio e firme — se bem que eu prefira para as nossas condições de piso as rodas e pneus das outras versões, que usam pneus 195/60R15, enquanto este usa 195/55R16.

Roda de 16 pol. de desenho bem-elaborado

Senti os freios um tanto borrachudos quando fortemente solicitados. Frear, freia, tudo bem, mas requer uma força superior à esperada, o que pode causar, numa situação de emergência, embaraços aos menos traquejados. O primo Paulo achou o mesmo, não foi impressão só minha.

Particularmente, gosto de design europeu, ousado e chique, portanto, gosto do design dos Citroën. De algum modo eles se diferenciam. O volante, com aro revestido de couro, é de bom tamanho e tem boa pegada. Sua base chanfrada, solução que alguns carros vêm adotando, me agrada. Sua função é fazer sobrar mais espaço para as pessoas corpulentas, o que não é o meu caso, mas a mim agrada por, nas curvas mais fechadas, pelo tato, saber exatamente em que posição ele está. Como a direção é rápida, não necessitando de muitas voltas, como os carros mais antigos e sem assistência, esse chanfro, ao menos para mim, passa a ser útil.



No grande porta-luvas há uma saída de ar frio do ar-condicionado, o que mantém fresca a água das garrafinhas. Um pequeno, barato e útil detalhe.   

Porta-luvas refrigerado, bem vinda conveniência

O que me desagrada é ter constantemente uma tela sobre o painel, pois entro num carro para guiar e não para ficar mexendo nessas infinitas e desnecessárias fontes de informações. A tela não se retrai nem rebate sobre o painel, e, apesar de ler o manual de cabo a rabo, não consegui a simplicidade de desligá-la, só a de abrandar sua luz.

Tela inconveniente

Outra coisa que me desconcertou foram os três focos de luz de LED fixados no pára-brisa Zenith. Há um veio longitudinal em meio ao teto e dele saem esses três pequenos focos de luz. Tudo bem à noite na cidade, mas na estrada, quando eu queria curtir o visual amplo de um céu estrelado, esses focos de luz iluminavam o interior do carro, o que me incomodava. Tratei de fechar o teto e tocar sem poder curtir a presença do céu. Essas luzes, por incrível que pareça, não se apagam. O jeito seria três pequenas tiras de fita isolante...

Luzinhas inconvenientes

Outra inconveniência é a posição dos comandos de abertura das janelas. Ficam à nossa esquerda, na porta, mas numa posição baixa, o que nos obriga a trazer a perna esquerda para a direita para que possamos acessá-los. Sou magruço, mas um gorducho bufa numa dessas.

Comandos das janelas algo baixos

Fora essas pequenas coisinhas, de fácil correção, e o consumo — de 11 a 12 km/l de gasolina na estrada e de 8 a 9 km/l na cidade —, que achei um pouco elevado, creio que devido ao câmbio automático, o Novo C3 agrada, e muito. As mulheres de casa, então, simplesmente o adoraram.

Preço sugerido: R$ 54.990

AK











FICHA TÉCNICA NOVO CITROËN C3 AUTO EXCLUSIVE

MOTOR
Denominação do motor
EC5M Flex Start
Tipo de motor
Otto, arrefecido a líquido
Material do bloco/cabeçote
Ferro fundido/alumínio
Nº de cilindros/disposição/posição
Quatro/em linha/transversal
Diâmetro x curso/cilindrada
78,5 x 82 mm/1.587 cm³
Taxa de compressão
12,5:1
Nº de com. de válvulas/localização
Dois, no cabeçote; de fase variável o de admissão
Acionamento do comando de válvulas
Correia dentada
Nº de válvulas por cilindro
Quatro
Potência máxima
115 cv (G) a 6.000 rpm e 122 cv (A) a 5.800 rpm
Torque máximo
15,5 m·kgf (G) e 16,4 m·kgf (A) a 4.000 rpm
Formação de mistura
Injeção eletrônica seqüencial no duto
SISTEMA ELÉTRICO
Tensão/alternador
12 volts/55 ampères
TRANSMISSÃO
Tipo
Transeixo dianteiro automático de quatro marchas
Relações das marchas (:1)
1ª 2,73; 2ª 1,50; 3ª 1,00; 4ª 0,71; ré 2,46
Relação do diferencial (:1)
4,70
SUSPENSÃO
Dianteira
Independente, McPherson, braço triangular transversal, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
Traseira
Eixo de torção, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
DIREÇÃO
Tipo
Pinhão e cremalheira, assistência elétrica indexada à velocidade
Diâmetro do volante de direção
375 mm
Diâmetro mínimo de curva
10,3 m
FREIOS
Dianteiros
Disco ventilado de Ø 266 mm
Traseiros
Tambor de 229 Ø mm
Operação
Servoassistência a vácuo, antitravamento e distribuição eletrônica das forças de frenagem
RODAS E PNEUS
Rodas
Alumínio, 5,5J x 16
Pneus
195/55R16H
DIMENSÕES
Comprimento
3.944 mm
Largura
1.708 mm
Altura
1.521 mm
Entreeixos
2.459 mm
AERODINÂMICA
Coeficiente de arrasto (Cx)
0,31
Área frontal
2,225 m²
Área frontal corrigida
0,69 m²
CAPACIDADES E PESO
Compartimento de bagagem
300 litros (1.000 litros com banco traseiro rebatido)
Tanque de combustível
55 litros
Peso em ordem de marcha
1.220 kg
DESEMPENHO E CONSUMO
Aceleração 0-100 km/h (s)
N.D.
Velocidade máxima (km/h)
N.D.
Consumo urbano (km/l)
8 a 9 (computador de bordo)
Consumo rodoviário (km/l)
11 a 12 (computador de bordo)
INFORMAÇÕES ADICIONAIS
Intervalo de revisões/troca de óleo
1 ano ou 10.000 km
Garantia
Três anos



EQUIPAMENTOS CITROËN C3 AUTO EXCLUSIVE

SEGURANÇA
Alarme periférico e volumétrico
O
Apoio de cabeça no banco traseiro (quantidade)
3
Bolas infláveis laterais
O
Bolsas infláveis frontais
S
Faróis de neblina
S
Freios com antitravamento e repartição
S
Imobilizador de motor
S
Luzes diurnas de LED
S
Protetor de cárter
S
Retrovisor interno fotocrômico
S
Terceira luz de freio
S
Trava de crianças nas portas traseiras
S
Travamento automático de portas ao andar
S
Travamento de portas a distância
S
Vidro traseiro c/ desembaçador temporizador
S
CONFORTO
Acionamento elétrico dos vidros dianteiros
S
Acionamento elétrico dos vidros dianteiros, do motorista um-toque antiesmagamento
ND
Acionamento elétrico dos vidros traseiros
S
Ajuste de altura do banco do motorista
S
Ajuste de altura e distância do volante
S
Ajuste elétrico dos retrovisores externos de espelho convexo
S
Apoio de braço para os bancos dianteiros
S
Ar-condicionado
ND
Ar-condicionado automático
S
Banco traseiro 1/3-2/3
S
Câmbio automático
S
Computador de bordo
S
Direção com assistência elétrica
S
Limitador e controlador de velocidade
S
Pára-brisa Zenith
S
Porta-luvas com refrigeração
S
Preparação para sistema de áudio
S
Rádio/CD/MP3 c/ 4 AF, AUX, comando satélite na coluna de direção
ND
Rádio/CD/MP3 c/ 6 AF, USB, AUX, Bluetooth, comando satélite na coluna de direção
S
Sensor crepuscular
S
Sensor de chuva
S
Sensor de estacionamento
O
Termômetro ar externo
S
Tomada 12 V dianteira lado do motorista
S
Tomada 12 V traseira no console central
S
Volante com borboletas de troca de marcha
S
ESTÉTICA
Bancos de couro
O
Maçanetas cromadas
S
Maçanetas na cor da carroceria
ND
Pára-choques  na cor da carroceria
S
Pedais com acabamento e alumínio
S
Ponteira do escapamento cromada
S
Retrovisores com carcaça cromada
S
Retrovisores com carcaça cor da carroceria
ND
Rodas de aço 15 pol.
ND
Rodas de alumínio 15 pol
ND
Rodas de alumínio 16 pol c/ inserto cromado
S
Volante em couro com inserto em metal
S
KIT NAVEGAÇÃO
Rádio navegador GPS tela 7 pol, CD/MP3/6 AF/USB/AUX/Bluetooth
O
CORES
Branco Banquise (sólida), branco Nacré, azul Bourrasque, cinza Aluminium, cinza Grafito, preto Perla-Nera e vermelho Rubi (metálicas)


Pack Techno: pacote único de opcionais de fábrica composto de bancos de couro + sensor de estacionamento + alarme volumétrico/periférico. Obs: pacote possível se presente banco de couro e um dos rádios.



ND: não disponível; O: opcional; S: de série






66 comentários :

  1. Rafael Ribeiro14/01/14 12:37

    Pude ver este carro de perto quando de seu lançamento, e achei-o muito interessante, com destaque para seu interior muito caprichado e o teto de vidro, um diferencial que talvez alguns não gostem.

    Realmente essas telas sobre painéis deveriam ser retráteis em qualquer carro, e eu certamente as deixaria quase sempre retraídas.

    Essa "obrigatoriedade" de ser flex acaba elevando o consumo, anulando as possíveis (na minha região, impossíveis) economias que o sistema poderia proporcionar. Um carro moderno, pequeno, com motor 1.6 e desse porte poderia realmente ter um consumo muito menor, mesmo com câmbio automático. Meu carro 2.0, 400kg mais pesado e também automático, tem consumo parecido com o C3, não me parece lógico.

    ResponderExcluir
  2. Ja dirigiu um desses por umas milhas! Ache muito leve e delicado pra um carro. Acho que vai agradar mais o publico feminino mesmo.
    Melhor um f1000 stendido 4x4 com hidraulica ruim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não o achei delicado. Me pareceu robusto. A Citroën já acertou o C3 faz tempo para as nossas condições. O problema é que alguns ainda têm a má impressão que os primeiros C3 deixaram, mas isso mudou, sim.

      Excluir
    2. Infelizmente é sempre a primeira impressão que fica e para mudar leva tempo.

      Li em algum lugar, não lembro onde, que os homens preferem quadrados e retângulos e as mulheres, objetos ovais e redondos.

      Essa é a explicação porque as mulheres da tua casa gostaram do carro.

      Excluir
    3. CCN 1410,
      Eu não li essa pesquisa aí que você comenta e o que mais gosto tem formas arredondadas e com belas curvas...
      Acho essa pesquisa aí furada.

      Excluir
    4. Essa pesquisam apontam tendências, não verdades absolutas. Não quer dizer que você não possa gostar de coisas arredondadas, mas que em geral homens gostam mais de coisa retas.

      Excluir
    5. Depende do gosto ,por exemplo : o Fusca eu acho interessante ,já o Fiat 500 já não me agrada.

      Excluir
    6. Gosto de carros delgados, secos, não necessariamente muito retos. Mas os carros de antigamente comumente são mais atraentes para mim justamente por isso. Carros baixos e secos. Essa nova tendência de carros altos, redondos, de capô alto e bocona me incomoda

      Excluir
    7. Arnaldo, se esse C3 tiver a mesma plataforma do Peugeot 207, o carro é delicado sim. Especialmente de suspensão dianteira que com todo respeito é abaixo do fraco. Até o Corsa A/Agile aguenta mais pancada.

      Excluir
    8. O C3 novo e o 208 têm a mesma plataforma (e suspensões) do 207 europeu, que é diferente da do 207 nacional, que por sua vez usa a do 206.

      Excluir
    9. Daniel Araujo, não se engane com aquelas barrinhas finas da suspa dianteira da família Corsa B. Aquilo aguenta muito desaforo.

      Excluir
    10. Mulher é cheia de curva, e homem adora.
      Já o homem tem "aquilo" reto, e quem gosta é mulher.
      Ou seja, estas pesquisas não valem nada.

      Excluir
  3. Muita frescura para um só carro.

    Se tivesse um modelo bem mais simples com esse motor, eu encararia como meu próximo carro, mas aí, só se for o de 1,5-litro, coisa que não quero.

    E assim, bye bye Citröen.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho o Novo C3 muito bonito, e o 1.5 já me serviria, mas o que assusta é a desvalorização Citroën. A manutenção preço fixo nem tanto, regula com a maioria dos concorrentes até os 60.000 Km ou seis anos (cerca de R$ 3.000,00), mas se surgir um problema mais sério nesse período, aí acho que complica ($$$) A fama da Citroën não é boa nesse sentido.

      Excluir
    2. É verdade, também já observei essa fama ruim da Citröen.

      Mas só para constar, enviei um e-mail em dezessete de dezembro passado para a concessionária Fiat solicitando reparo no banco do motorista de meu carro e que prontamente retornaram dizendo que o consultor técnico da empresa entraria em contato comigo.

      Hoje faltando três dias para completar um mês, cadê o povinho da Fiat?

      Sumiram!

      E depois querem vender carros nos Estados Unidos. Ora, ora, ora...

      Excluir
    3. A versão tendance é mais simples, sem o GPS no painel, sem retrovisor eletrocrômico (consequentemente sem os 3 LEDs) e, principal, sem o antiquado câmbio de 4 marchas. Com relação ao motor, não sei exatamente qual é a diferença de desempenho para esse 1.6, mas para mim, o 1.5 é adequado para o uso, e ainda tem feito 11,5km/l na cidade, um bom consumo.

      Excluir
  4. Ah! Comprei um GPS avulso para por no meu carro.

    Usei um dia e depois o guardei na garagem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CCN 141014/01/14 12:50 É verdade, tem gente que usa GPS até pra ir a padaria .

      Excluir
    2. Se voce tiver um foston ou um xing ling qualquer, de fato é melhor deixá-lo guardado. Meu primeiro GPS foi um tomtom simplezinho. Mal o utilizava. Hoje em dia tenho um Garmin, com mapa muito bom, diversos locais de serviços/restaurantes gravados na memória e o melhor, informações de trânsito. Lógico, não se pode confiar 100% nas rotas congestionadas ou livres, mas em grande parte das vezes, ajuda e muito!

      À exceção do caminho diário casa - trabalho - casa, até porque é muito perto, sempre que vou a outro lugar um pouco mais distante, uso o GPS.

      Sobre o C3. Achei bem legal essa versão. Mas o que acho bobagem é essa moda em diversos carros de volante com base reta, querendo expressar "sou esportivão".

      Marco

      Excluir
    3. Marco,

      Meu TomTom - sempre com mapa atual - tem muitos erros. O ideal seria usar o GPS do Google do telefone. Vc sabe dizer se esse Garmin é melhor que o TomTom e mais próximo do Google?

      Excluir
    4. Compre um suporte para o celular e seja feliz, um gadget a menos pra se preocupar, hoje em dia com vários smartphones com telas de 5 polegadas, funcionam perfeitamente como GPS.

      Excluir
    5. Tenho um Nokia Lumia 520 e, ao meu ver, o sistema de mapas dele é muito bom.

      Excluir
    6. Tomtom dizem ter o melhor mapa para trafegar na Europa. Já rodei por lá com o tomtom e com o Garmin. Os dois foram muito bem, embora indiquem rotas distintas.
      Entretanto, no Brasil, o mapa da Garmin é muito, mas muito superior ao Tomtom. O proprio aparelho é melhor, pois recalcula a rota bem mais rápido.
      Nas grandes cidades, o mapa City Navigator é imbatível. Nos "fins de mundo" Brasil adentro, basta utilizar o Tracksource gratuito, excelente também.
      Eu possuo um modelo LMT 2455 (não sei nem se é atualmente fabricado), comprado em Miami. Na época ele custava por aqui uns 800 reais. Paguei 380 reais nele. Vale dizer que o dólar estava numa cotação mais baixa.
      Mas antes de adquirir um, peça emprestado para alguém e faça um teste. Utilize-o juntamente com o tomtom e verá a diferença.

      Quanto ao google, por ex., moro em SBC, Rudge Ramos. Minha rua não consta no google maps.

      Sobre o celular, entendo ser preferência de cada um. Eu tenho um samsung baratinho e minúsculo. Acho uma bobagem celular com tela de 5 pol. que mal cabe no bolso. Ao falar, parece um notebook na orelha. Assim, prefiro um aparelho exclusivo de GPS.

      O garmin fica "jogado" no carro e não dependo de pacote de internet nem nada para ter informações de trânsito.

      Mas aí vai da opção de cada um.


      Marco

      Excluir
    7. Comprei recentemente um Aquarius, bem baratinho, e estou gostando bastante.

      Pior que minha filha, já no primeiro dia de uso, entrou no site e baixou a atualização sem sequer ler o manual... essa molecada entende mais de computadores que a gente, tá doido.

      Excluir
    8. Boa escolha, Marco. Também faço o mesmo que você. City navigator e tracksource. A diferença entre um e outro, no meu caso, é que o tracksource não permite a troca de cores da tela, conforme o tema utilizado. O meu é um nuvi 3760 (aquele fininho com tela de cristal que mais parece um smartphone).

      Excluir
  5. Para variar, bela avaliação. Minha opinião: Os Citroën C3/Picasso têm as rodas mais feias que existem. Nojentas. Deixaria de comprar o carro por causa desse detalhe se não me dessem outra opção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nao sao tao feias.. mas lembram a cara de um japonezinho chupando limao!

      Excluir
    2. As rodas do Grupo PSA, de um modo geral, são estranhas e insossas mesmo.

      Raramente eles acertam em alguma.

      Excluir
  6. Não quero esse câmbio de 4 marchas da PSA nem se me pagarem para tê-lo. 3 carros meus com essa bomba já deram problema, totalizei 12 mil reais arrumando-os.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carro frances automatico?
      Só se for com um transeixo da Aisin!

      Excluir
    2. Segundo um reparador de transmissão automática que mexeu nos cambios do carro de casa, é o pior conjunto mesmo: Fraco, pouco robusto e acima de tudo, um descaso enorme com peças de reposição.

      Excluir
  7. Corsário Viajante14/01/14 13:18

    Já disse e repito, isso é um teto enorme com um carro embaixo.
    Este é o único diferencial legal do carro, o teto panorâmico. Realmente é bacana, mas vale a pena levar o "resto" do C3 para tê-lo? Para mim, não.
    Acho ridículo uma marca que quer se vender como tecnológica oferecer este câmbio.
    O do GPS não sabia, realmente incômodo ficar 100% do tempo lá, até pq é só um GPS, então quando vamos para um lugar que conhecemos, só estorva.
    Essa dos três LEDS no teto naõ entendi onde ficam, quando entrei no carro não reparei.
    De resto, o preço é muito alto perto dos demais concorrentes, difícil comprar a menos que seja apaixonado pelo carro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corsário Viajante14/01/14 15:11

      Ah, esqueci... Essa solução de entupir a coluna de direção com alavancas para meu gosto é péssima.

      Excluir
    2. Corsário, esses LEDs só existem nessa versão exclusive, que possui retrovisor eletrocromico.

      Excluir
    3. Ah, e concordo que o excesso de comandos na coluna atrapalham mesmo.

      Excluir
    4. Corsário, a tela também informa outras coisas, estação de rádio, músicas do pendrive que toca, etc.

      Excluir
    5. Corsário Viajante15/01/14 13:14

      Então menos mal, AK, achei que era só GPS, daí sim seria de doer. MAs ainda acho que o melhor lugar para isso é no painel, não lá na frente.

      Excluir
  8. Eu tenho um irmão que já está no terceiro Citröen e nem pensa em mudar de marca.

    Meu filho teve um 206 1,6 16V e achou o carro tão bom que ficou seis anos com ele, mas agora mudou de marca por problemas com o pós venda e não pretende mais retornar para a PSA.








    ResponderExcluir
  9. Ficou menos feminino, com um leve parentesco com o DS3 - Dei uma guiada inspirada em um carro igual da foto e gostei, apesar de ter poucas marchas, o comando da caixa para subir as mesmas parece um pouco mais esperto que o seus pares. Talvez eu não tenha quase entrado na faixa vermelha de giros para sentir que o câmbio trocava antes, mas para uma guiada ligeira eu achei interessante.

    Volante com novo desenho que incentiva o dirigir, pegada boa e um motor responsável para lidar com a massa;

    É legal, mas o Peugeot é ainda melhor e mais "macho"!

    MFF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O parentesco com o DS3 não é tão leve assim: são o mesmo carro no que tange à plataforma e até mesmo parte do "chapéu" (estruturas para acima da plataforma propriamente dita) deles é igualzinha: têm os mesmos para-lamas dianteiros e capô, além de faróis e painel serem os mesmos. O que muda no DS3 é mais mesmo aquilo que vai da coluna A para trás.

      Excluir
    2. Anônimo14/01/14 15:41
      O painel do DS3 é o mesmo do C3 europeu, o nosso foi tropicalizado. E os faróis e o capô não são os mesmos.

      Excluir
  10. Carro interessante; ótima avaliação.

    ResponderExcluir
  11. Coisas que achei interessantes nesse carro:

    1) A etiqueta de calibragem mostrando também uma pressão específica para redução de consumo (36/36);

    2) O porta-luvas refrigerado. Impressionante como é barato de se fazer esse dispositivo, bastando criar um acesso da ventilação para o compartimento em questão. Até Etios tem isso e vemos carros bem mais caros que o Toyotinha e o C3 que não têm essa comodidade;

    3) Três saídas centrais de ar. Dá para deixar a central com as aletas apontadas para o centro e, com isso, evita-se reclamações dos passageiros de trás sobre ali estar quente. Claro que não terá a mesma eficácia de saídas dedicadas ao banco traseiro, mas já dá uma compensada se pensarmos que aqui se fala de um carro pequeno;

    4) Ótimo Cx para um hatch pequeno, hein? 0,31 é mostra de um desenho bem elaborado e isso porque não vemos aquelas pequenas trapaças aerodinâmicas que alguns fabricantes embutiram no desenho de seus veículos (vide Etios e seu desenho caixote com 16 cm de altura livre do solo, mas que marca 0,33 no hatch e 0,31 no sedã, repleto de trapaças aerodinâmicas até mesmo no desenho das lanternas). Somando isso com a área frontal bem pequena, dá para imaginar que o carro se comporte muito bem quando tem de lidar com o vento. Acaba honrando a história da Citroën de veículos que cortam bem o ar (vide os 0,36 do DS original, valor esse que caiu para 0,32 no último estilo desse modelo).

    Uma dúvida:

    1) Olhando para a foto do motor, tenho a impressão de que ele tem uma bobina por cilindro, com elas montadas naquela régua que dispensa cabos de vela. Estou certo?

    Coisas de que não gostei nesse carro:

    1) A transmissão automática de quatro marchas. Quando até um Onix tem transmissão automática de seis marchas, a PSA insistir em usar uma com duas marchas a menos conta contra ela, ainda mais quando a Aisin que fornece essa caixa AT8 também tem unidades com meia dúzida de velocidades;

    2) O consumo desse carro não está me descendo. Acaba jogando no lixo a boa aerodinâmica que citei anteriormente. Tudo bem que há a penalidade do sistema flex, mas sabemos que há motores e motores flex e em alguns, a gambiarra de fábrica penaliza menos (vide os bons resultados da Toyota);

    3) A exemplo de você, também não gosto desses pneus ultrabaixos e essas rodas com tamanho de pizza grande. Está precisando haver uma revolução na construção automotiva parecida com aquela gerada pelos freios a disco quando esses se popularizaram nos anos 1960 e 1970, pois os mesmos acabaram permitindo que se reduzisse os aros das rodas e se liberasse espaço interno nos veículos graças a caixas de roda menores, o que por conseguinte permitiu também reduções dimensionais sem prejuízo à habitabilidade interna;

    4) Continuo vendo que no modelo 2014 os quebra-sóis com para-brisa Zenith seguem sendo unidirecionais, o que acaba sendo um estorvo dos bons quando o sol bate na lateral e nos faz pensar se a PSA é mesmo tão incompetente assim de conseguir quebra-sóis bidirecionais ou duplos montados em uma persiana.

    PS: O áudio do vídeo está meio esquisito e creio que seja coisa de captação. Há horas em que o som fica abafado ou dança, mudando do nada do canal esquerdo para o direito e vice-versa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse formato de bobina é usada nessa "família" desde o primeiro Peugeot 206 com motor de 8 válvulas. 1999, se não me engano.

      Excluir
    2. Levando-se em conta que os 308/408 já vem com essa caixa de 6 marchas, seria lícito pensar na adoção dessa caixa em outros modelos, como 208 e C3?

      Excluir
    3. Eu tinha dito que só voltaria a ter um PSA se fosse fabricado pela Honda, já estou quase queimando a língua: câmbio japonês e motor alemão já tem.

      Excluir
    4. Legal as colocações! quanto a bobina é isso mesmo. Já é assim faz tempo.
      Quanto ao áudio, realmente há dois problemas. Um ruído/barulhinho de fundo que parece ser um problema da câmera, e as quedas no volume por obstrução não intencional do microfone. Mas como só percebemos isso depois e não dava para filmar de novo optamos por colocar no ar assim mesmo. Vmos melhorar nos próximos. Abraço e obrigado.

      Excluir
  12. Gostei compraria sim ,só o excesso de cromados que me incomoda,pro GPS uma solução :um pé de cabra arrancar , um alicate pra cortar os fios e no final isolar os fios com fita isolante rsrsrs...

    ResponderExcluir
  13. Arnaldo também curte uma água com gás? Como dizem na gíria, tamo junto.

    Honestamente, e respeitando as percepções alheias, mas nunca vi o C3 como "carro de mulher"... o modelo recebeu essa pecha sem razão alguma.
    A respeito do tão controvertido teto panorâmico - do qual também sou ferrenho antagonista - sempre tive uma dúvida: como um carro com esse equipamento se comportaria no caso de uma capotagem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carro de mulher, Leonardo?
      Estou com você sobre isso. Além do mais, tem umas tribufuns que um Toyota Bandeirantes é muito feminino pra elas.

      .

      Excluir
    2. Se comporta melhor que um conversível.

      Excluir
  14. Antônio Martins14/01/14 16:51

    Quando a PSA adotar a caixa de 6 marchas pra todos os modelos, a rejeição vai acabar.

    O 308 ficou outro carro com o novo câmbio, não apenas por ter marchas a mais, mas por ter uma lógica mais natural.

    ResponderExcluir
  15. O desenho das rodas pode até ser elaborado, e não que o meu gosto sirva de parâmetro, mas na minha opinião são horríveis.
    As do modelo antigo eram muito mais bem-resolvidas. E tem um modelo básico do C3 que vem sem "blackout" nas colunas das portas e com calotas estilo embalagem de pizza que também é tenebroso. Apesar de tudo, um bom compacto.

    ResponderExcluir
  16. Arnaldo, o câmbio realmente não dá tranco nas trocas? Quando ando com o 307 do meu avô, ele dá muito tranco, principalmente nas reduções. Acho que a PSA poderia adotar sem problema nenhum o câmbio de 6 marchas Aisin com este motor no C3 e no 208, seria um diferencial bastante interessante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cassiano, não notei trancos nas trocas de marcha, não. Nada anormal. Só, como disse, numa subida de serra quando tocamos mais forte ele se atrapalha e nesses de subir e descer marcha sem muito critério é que vem algum tranquinho, mais um soluço. Na tocada normal é muito suave. Câmbios com mais marchas tendem a ser ainda mais macios nas trocas, já que elas ficam mais próximas umas das outras, com menor queda ou subida de giro quando é feita a troca.

      Excluir
    2. Janduir Medeiros de Morais16/01/14 18:52

      O problema desse cambio é a falta de confiabilidade, o fabricante diz que o óleo é vitalício, e ai com 60.000 em média abrem o bico... Um Aisin já teria coragem de comprar um carro desses seminovo...

      Excluir
  17. Esse preço de 54,990 acham justo? Li algumas resenhas em outros sites que tratava desse tema: o auto preço cobrado por carros e 'quase tudo' que aqui se vende. uma vez lembrando que o saudoso Astra foi vendido por 44k na versão top em seu final de vida; com a chegada do cruze (exemplo) 'todos' carros aumentaram de maneira abrupta, vide civic e corola(não me lembro valores exatos, mas é só pesquisar); enfim o que parece é que estamos sendo envolvidos por uma trama governamental que sempre vem a dizer que a renda per capita' está constantemente aumentando, a vida melhorando e todo mundo ficando rico, será que só eu percebo que estamos vivendo em uma utopia,quimera, imutável imposta pelos governantes? Ou é paranóia da minha cabeça desocupada?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucas, aqui no Brasil os preços em geral estão completamente pirados. Não é só carro, não. Os imóveis em SP, e RJ, por exemplo, estão supervalorizados.
      Vai chegar uma hora em que isso tudo terá que se ajustar e aí teremos uma bela crise, ao menos setorial.
      Quanto aos carros, é comum irem aumentando o tamanho e encarecendo os modelos. Veja, por exemplo, o primeiro Corolla que aqui foi fabricado, um carrinho, e hoje está um carrão. E assim o consumidor que quer manter o status se vê obrigado a ir gastando mais.
      É tudo muito chato.

      Excluir
  18. Sei lá, eu acho esse consumo adequado, afinal é um motor 1.6 e não 1.0... mas vocês estão mais por dentro do que eu e podem fazer as comparações.
    Minha cunhada tem um desse com câmbio manual, ele faz mais de 12 na cidade.

    As 4 bobinas são juntas numa mesma peça, paguei na concessionaria 240~50 completa, para o Xsara, que é o "mesmo" motor.. rs

    E deixar de comprar carro pensando na revenda é complicado.. Carro não é investimento, é bem de consumo. Tenho certeza que ninguém compra celular pensando na revenda, compra pois aquele aparelho vai atender suas necessidades e expectativas.

    Enquanto pensarmos assim, vamos continuar a andar em carroças.

    Arnaldo, esse carro usa rede CAN, será que não é possível desligar os leds?

    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vitor15/01/14 11:57 Desculpe Vitor falar antes do Arnaldo ,mas quando você diz:"carro não é investimento, é bem de consumo", pensa igual eu ,canso de repetir isso ,as pessoas gastam dinheiro com varias coisas, mas na hora de comprar o carro pensam: " a não este modelo pode desvalorizar" ,o povo brasileiro é um enigma mesmo .

      Excluir
    2. Leonardo Brito15/01/14 14:49

      Já dizia um ex-professor meu, dos tempos de Administração:
      "Carro não é investimento, nunca foi e jamais será. Quem quiser um investimento a prova de desvalorização que compre um jazigo perpétuo."

      Quanto ao consumo eu assino embaixo, está na média dos motores com essa cilindrada... querer consumo de CG 125 num carro desses não tem sentido.

      Excluir
    3. Vitor, como eu disse, não achei onde desligá-los.

      Excluir
    4. Talvez pelo scanner da PSA consiga fazer algumas modificaçoes. Esses leds na estrada me incomodam tambem.

      Arnaldo, muito boa a avaliação! Ando bastante neste carro que o Vitor citou (é da minha namorada) e tambem compartilho da opinião que o freio deixa a desejar! Ja reclamei na concessionaria quando levei o carro para a revisao dos 10.000km e a resposta que obtive é que os freios não tem regulagem e todos os C3 são assim. O curso morto do pedal é muito grande, fica dificil fazer punta-taco, pois o pedal do freio ja ficou muito longe do acelerador.

      Parabens, otimo texto.

      Abs

      Excluir
  19. Essa caixa é a "velha conhecida" AL4?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Janduir Medeiros de Morais16/01/14 18:53

      Sim, infelizmente...

      Excluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.