NOTÍCIA: A FIAT É DONA DA CHRYSLER

 


A Fiat disse ter concluído hoje a compra das ações no Grupo Chrysler que ainda não lhe pertenciam, tornando a empresa americana 100% sua subsidiária. Foram pagos US$ 4,35 bilhões para ter o controle total de Chrysler, pondo um termo a negociações tensas que impediam que o executivo-chefe Sergio Marchionne de combinar os recursos das duas fabricantes.

A Fiat comprou a participação restante de 41,46% que estavam em poder do fundo de aposentados VEBA, filiado ao sindicato dos empregados da indústria automobilística, que recebeu US$ 3,65 bilhões à vista pelas ações, sendo US$ 1,9 bilhão da Chrysler e US$ 1,75 bilhão da Fiat. A Chrysler ficou de pagar outros US$ 700 milhões em quatro pagamentos iguais anuais, o primeiro feito hoje, disse a Fiat.

Marchionne, de 61 anos, ficará no cargo pelo menos até 2016 para costurar a fusão da Fiat com a Chrysler com parte da estratégia de manter o crescimento do faturamento, havia dito o presidente John Elkann aos jornalistas no dia 13 de janeiro.

O executivo-chefe calcula que a Fiat e a Chrysler juntas seja o sétimo maior fabricante mundial de veículos. As duas venderam juntas 4,4 milhões de unidades ano passado, menos da metade de Volkswagen AG, General Motors Co. e Toyota Motor Corp. (Automotive News/Redação/Reuters/Bloomberg)

8 comentários :

  1. E eu quase infartei vendo peças de Mille em caixas Mopar... Dizem que as piores coisas foram feitas com as melhores intenções. Eu acredito que o contrário também possa ser verdade, alguma coisa boa deve sair disso aí.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chevy Performance, Ford Racing e Mopar...
      Uma das coisas que eu mais gosto do mercado americano é facilidade de se comprar o motor, câmbio e suspensão que você quiser para você instalá-los no que bem entender e sem dar satisfação para ninguém.
      Aqui se você quiser trocar um motor 1.0 por outro 1.0 tem que sofrer na mão do Detran ou contratar despachante.

      Excluir
    2. A burocracia do Brasil é que acaba com a graça de se viver aqui. Além da carga tributária de 35,04% do PIB.

      Excluir
  2. Nem a Fiat nem a Chrysler tinham a mínima chance de sobreviver a longo prazo. A competição está cada vez mais acirrada e quem não for grande (ou ter lucro grande, como no caso dos carros de luxo) não vai conseguir investir e modernizar-se. Por isso foi muito inteligente essa decisão da FIAT.

    ResponderExcluir
  3. Tenho um Fiat e um Chrysler(Jeep cherokee). Tomara que as coisas melhorem para os dois lados!

    ResponderExcluir
  4. Sinceramente não vejo muita vantagem para ambas pois a Chrysler não cresce por falta de competência e a Fiat só sobrevive do Brasil,

    ResponderExcluir
  5. Coita da Alfa Romeo. Vai continuar servindo de eficiente suporte aos produtos Chrysler/Dodge. A Fiat bem que poderia vender a Alfa à VW...

    Leo-RJ.

    ResponderExcluir
  6. A Chrysler tem um legado e uma tradição que quase foi destruído pelos arrogantes alemães da Daimler—Benz. Estou certo de que a união ítalo— americana também dará certo na fabricação de carros.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.